A Paz do Senhor!
Estamos no 1º trimestre de 2015 e o tema da
revista é Fidelidade, tendo o Pastor Josué
Rodrigues de Gouveia, Presidente da
Assembleia de Deus Ministério Vila Nova em
Goiânia/GO, como comentarista.
Sinta-se livre para incluir textos, figuras,
animações e outros elementos a esta
apresentação.
Se houver necessidade, fique à vontade
para alterar os textos aqui apresentados,
porém, sem fugir do conteúdo da revista,
que é a base desta apresentação.
Muito Importante!
Peça ao Espírito Santo para fazer a diferença
em sua aula!
Ore, leia a Bíblia, consulte sua revista e
estude a lição. Lembre-se também que uma
boa consulta a outras obras fidedignas
enriquece o conhecimento.
Ao final da lição complete os exercícios
propostos no PIL (Programa de Incentivo
à Leitura) e fique preparado(a)!
Tenha uma boa aula e uma boa semana!
Dúvidas, sugestões?
Entre em contato conosco:
comercial@editorabetel.com.br
Curta nossa página e acompanhe nossas
novidades:
facebook.com/EditoraBetel
“Aquele que leva a preciosa
semente, andando e chorando,
voltará, sem dúvida, com alegria,
trazendo consigo os seus molhos”
Salmos 126.6
Aula Expositiva
“Fidelidade na aplicação dos
talentos”
Lição 09
01 de março de 2015
Texto Áureo
“Tudo quanto te vier à mão para fazer,
faze-o conforme as tuas forças, porque
na sepultura, para onde tu vais, não há
obra nem projeto, nem conhecimento,
nem sabedoria alguma”
Ec 9.10
Verdade Aplicada
O Senhor não tem nenhum servo
desocupado ou inábil. Ele deu talentos a
cada um conforme sua capacidade, que
devem ser aplicados com sabedoria.
Objetivos da Lição
1. Conscientizar sobre o privilégio de servir ao
Reino de Deus;
2. Enfatizar que somos responsáveis diante de
Deus por todas as nossas capacidades;
3. Elencar as implicações do serviço ou do
desserviço ao Reino de Deus.
Textos de Referência
Mt 25.16-19
Introdução
A parábola dos talentos nos arremete para a
responsabilidade nos negócios do Reino. O
talento representa a oportunidade e o
aproveitamento de nossa capacidade no
desenvolvimento do Reino de Deus (Mt 25.1430). Ao contar essa parábola, Jesus prepara os
discípulos para o momento em que eles terão
que trabalhar em sua ausência física, e fazendoos saber que ao retornar Ele pedirá conta.
1. Princípio da motivação
No Reino de Deus não basta fazer, mas
também o porquê fazer. Conforme
Provérbios 16.2, Deus observa e conhece os
princípios de todas as ações. Ele sabe com
precisão as intenções do coração.
Comente
1.1. Movidos pelo valor dos talentos
1.2. Movidos pelo privilégio de servir
1.3. Movidos pelos resultados
2. Princípio da responsabilidade
Todos nós temos capacidades e
oportunidades diferentes, mas também
temos algo em comum: a responsabilidade
de permanecer fiel a Deus e à Sua Palavra.
Comente
2.1. Responsabilidade de acordo com a
capacidade
2.2. Responsabilidade no investimento
2.3. Responsabilidade no tempo confiado
3. Princípio das consequências
É certo que haverá o momento da prestação
de contas, na qual cada indivíduo será
recompensado ou punido, conforme agiu em
relação aos talentos confiados. Os homens
têm oportunidades e cada um pode agir de
modo muito diferente em relação a elas.
Comente
3.1. O julgamento será inevitável
3.2. Repreensão e condenação
3.3. Reconhecimento e aprovação
Conclusão
Aprendemos nessa parábola que trabalhando
para Deus cresceremos fortes nEle. O futuro
para quem se adequar ao Evangelho e se
entregar ao serviço do Reino será de
recompensas, pois ouvirá do próprio Jesus
Cristo: “Muito bem, servo bom e fiel; foste
fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;
entra no gozo do teu Senhor.” (Mt 25.21).
Referências
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa Editora Betel
Revista Jovens e Adultos: Fidelidade, 1º Trimestre
de 2015 – Editora Betel
Download

PAE | PPT - Editora Betel