Instituto para a Valorização da Educação e Pesquisa (IVEPESP)
Laboratório de Hidrometeorologia do IAG-USP
 Modelo do Sistema Interligado Nacional - SIN
 Situação atual do SIN
 A importância das Previsões Meteorológicas e Climáticas
no Planejamento e na Operação
 Tendências da Operação frente as características da
Expansão
 Possíveis produtos de P&D
2
CESP
Rio Grande
MS
MG
Ilha Solteira - 3.444 MW
Eng.Souza Dias (Jupiá)
1.551 MW
O&M – provisório
Três Irmãos - 808 MW
Eng.Sérgio Motta
(Porto Primavera)
1.540 MW
RJ
PR
SP
Paraibuna
85 MW
Jaguari
28 MW
Capacidade Instalada: 7.456 MW
OCEANO ATLÂNTICO
3
Setor de Energia Brasileiro
Presidente
Agências Estados
Congresso
ANEEL/ANA/ANP
CNPE
BNDES
MME
Geradoras
ONS
CMSE
Transmissoras
CCEE
EPE
Distribuidoras
ELETROBRAS
Consumidores
Comercializadores
4
SITUAÇÃO DO SIN
5
Fonte:
Fonte:
IPDO
IPDO
Energia Natural Afluente - SIN
[Mwmed]
170,000
160,000
150,000
140,000
130,000
120,000
110,000
100,000
90,000
80,000
70,000
60,000
50,000
40,000
71 %MLT
30,000
20,000
10,000
Out
MLT
2009
Nov
Dez
1983
2010
Jan
Fev
2000
2011
Mar
2001
2012
Abr
Mai
2002
2013
Jun
Jul
2007
2014
Ago
Set
2008
2015
6
Energia Armazenada - SIN
[% EARmáx]
100
Fonte:
IPDO
90
80
70
60
50
40
30
28.7
20
10
0
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
7
Energia Armazenada - Sudeste
[% EARmáx]
100
Fonte:
IPDO
90
80
70
60
50
40
30
27.3
20
10
0
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
8
PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO
9
Planejamento da Operação e Expansão
Usinas
hidroelétricas
Previsão
de vazões
Linhas de
transmissão
Previsão
de carga
Usinas
termoelétricas
Otimização
dos recursos
10
Ciclo da Operação
Melhor uso d’água – otimização levando em
consideração restrições e segurança
Plan.
Mensal
Prog.
Diária
Meteorologia
& Clima
Pré/Pós
Tempo
Operação
Real
OBS: Planejamento Mensal = PMO = todos os Agentes e o ONS
11
OPERAÇÃO FUTURA
12
Operação Futura
 EXPANSÃO
• Usinas a fio d´água (principalmente no Norte)
• Grandes Linhas de Transmissão
• Renováveis – em geral Distantes e “interruptíveis”
Operação “não usual”
•
Potencialização:
•
•
•
necessidade do aproveitamento das
COMPLEMENTARIEDADES
COINCIDÊNCIA HIDROLÓGIA
IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO E DAS PREVISÕES
METEOROLOGICAS E CLIMÁTICAS
13
Brasil: Energia Natural Afluente
ENA SIN (MWmédio)
media
med+dp
med-dp
2008
2001
2009
120000
110000
100000
90000
80000
70000
60000
50000
(Source: EPE – PDE 2010-2019)
40000
30000
20000
out
nov
dez
jan
fev
mar
abr
m ai
jun
jul
ago
set
Fonte: ONS
 2011 – ENA úmida / ENA seca = ± 3 vezes
 Tendência com a Expansão – ENA úmida / ENA seca = ± 4 vezes
14
15
Previsões: Clima e Meteorologia
 Prevenção de Cheias x Hidrologia dos Subsistemas
• RESTRIÇÕES (VOLUMES DE ESPERA)
• Complementariedade Hidrológica (Sul) e
• COINCIDÊNCIA (SE/CO e Norte)
Operação Diferenciadas: IMPORTAR ENERGIA DO
NORTE e do SUL com CONTROLE DE CHEIA NO
SE/CO e utilizando LT´s longas em áreas com
elevados índices “CERAUNICOS”.
16
Unidade :
descargas/km2/ano
16 – 12
12 - 8
8-3
3 – 0,5
FONTE : INPE
17
Produtos que podem ser ÚTEIS
INFORMAÇÃO É FUNDAMENTAL
 Em Geral aprimorar:
 Monitoramentos
 Previsões
18
Produtos que podem ser ÚTEIS
•
Renováveis:
•
•
•
•
Eólicas – Previsões de Ventos (meteorológicas
(curto/curtíssimo prazo) e climáticas)
Biomassa – chuvas para quantidade de “combustível”
Solar - Previsões de Insolação/Cobertura (meteorológicas
(curto/curtíssimo prazo) e climáticas)
Obtenção de Informações (“não físicas”):
•
•
Telemetria/Monitoramento (medição) plu/flu
Levantamento volumes e áreas dinamicamente
19
Gerência de Planejamento e Produção
paulo.laudanna@cesp.com.br
20
FONTE : INPE
21
Produtos em Desenvolvimento pela CESP

A RETOMADA DO CONCEITO DE EFICIÊNCIA DE USINAS HIDRELÉTRICAS
REVERSÍVEIS (UHR) NO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

SISTEMA DE AFERIÇÃO E GESTÃO HIDROENERGÉTICA PARA MELHORIA DA
PRODUTIVIDADE EM APROVEITAMENTOS HIDROELÉTRICOS

SISTEMA INTEGRADO DE ESTIMATIVA E PREVISÃO DE PRECIPITAÇÃO PARA
AS BAICIAS HIDROGRÁFICAS DA CESP

USINAS HIDRELÉTRICAS SUSTENTÁVEIS (UHS) NO BRASIL – NOVOS
HORIZONTES DO EQUILÍBRIO SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO

Disseminação de Informações sobre Operações de Usinas à Sociedade Civil
pela Internet, Mídias Sociais e Serviços de Mensageria, incluindo Eventos, Préeventos e Eventos Extremos, incluindo Catástrofes

METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO INTEGRADA DA AMPLIAÇÃO DA
CAPACIDADE INSTALADA EM CENTRAIS HIDRELÉTRICAS: ENFOQUES
SISTÊMICO E EMPRESARIAL
22
Proporções
Sub-Sistema
EAR max (MWmed) %EARmax
ENA (MWmed) %ENA
SE/CO
197.867
71
34.522
59
SUL
18.471
7
9.224
16
NE
51.810
18
8.189
14
N
12.414
4
7.020
12
fonte:ONS/MLTmediaanual
280.562
100
58.955
100
23
Sistema de Suporte à Decisão
24
OBSERVAÇÃO DA TERRA E DA ATMOSFERA
(Essenciais para a sustentabilidade)
FERRAMENTAS DE PREVISÃO
SISTEMAS DE ALERTA
ENTENDIMENTO DO TEMPO E DO CLIMA
INFORMAÇÃO
Fonte: apresentação Prof: Augusto Pereira
25
Download

Laudanna