Egressos em Gerontologia e o
Exercício do Profissional
Gerontólogo
GLENDA DIAS
Gerontóloga (EACH/USP)
Buenos Aires, ARGENTINA - 03/2010
Objetivos
 Apresentar o histórico da criação dos cursos de
graduação em Gerontologia no Brasil e da fundação
da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG);
 Apresentar as atividades desenvolvidas pela ABG e
as experiências profissionais dos egressos em
Gerontologia;
 Refletir sobre as expectativas dos estudantes em
relação à atuação profissional.
HISTÓRICO
Histórico
 2005 - 1ª turma bacharelado em Gerontologia da
Escola de Artes, Ciências e Humanidades da
Universidade de São Paulo (EACH/USP);
 2007 – Liga de Gerontologia da EACH/USP e 1ª
Jornada de Gerontologia;
 2008 – Bacharelado em Gerontologia
Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI);
das
Histórico
 2008 – Discussões iniciais sobre a ABG;
 2009 - Bacharelado em Gerontologia da Universidade
Federal de São Carlos (UFSCAR);
 2009 – Formatura dos primeiros Gerontólogos do Brasil;
 2009 – Revisão do Estatuto e organização das
atividades iniciais da ABG;
 2009 - Fundação da ABG – Assembléia 21/03/09.
Liga de Gerontologia EACH/USP
Painel sobre os cursos de graduação em
Gerontologia – 19/08/2008
1ª Turma – USP/EACH
Egressos 2008
Pré-II Jornada de Gerontologia (2008)
Assembléia de Fundação da ABG - 21/03/2009
Assembléia de Fundação da ABG - 21/03/2009
Assembléia de Fundação da ABG - 21/03/2009
1ª Gestão – 2009/2011
Nova Diretoria - 2010
Composição da ABG
 Constituição:
- Assembléia Geral (associados)
- Diretoria
- Colaboradores (docentes, especialistas, parceiros)
Associados Efetivos (Bacharéis)
24
Associados Estudantes
32
ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA
ABG EM 2009
Atividades
 Elaboração de Informativos que veiculam informações
dos profissionais e estudantes de graduação em
Gerontologia;
 Organização de eventos
profissional gerontólogo;
para
divulgação
do
 Encaminhamento de oportunidades de estágio e
trabalho para os associados;
Atividades
 Participação
em
reuniões
para
a
fundação
da
Associação de Cuidadores do Estado de São Paulo;
 Parcerias com representantes do poder público para
futuras discussões sobre o projeto de lei do exercício
profissional do gerontólogo;
Atividades
 Apoio às atividades e projetos dos associados;
 Publicação de um artigo no Portal do Envelhecimento
da PUC/SP com informações a respeito da ABG e
algumas considerações sobre o campo de atuação do
gerontólogo;
Atividades
 Visitas às universidades que possuem o curso de
graduação em Gerontologia – UFSCAR (19/06/09) e
FAI (28/11/2009);
 Confecção do site www.abgeronto.com.br, com
informações sobre a ABG, projetos dos associados,
cursos de graduação em Gerontologia e espaço para
parceiros;
Informativo ABG
Evento do Dia dos Avós – 26/07/09
EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS DOS
EGRESSOS DE GERONTOLOGIA
Hospital Dia
“ Hospital Dia Geriátrico do Instituto de
Psiquiatria do Hospital das Clinicas da FMUSP”
Atuação do Gerontólogo nos
Hospitais Dia
 É responsável pela gestão do serviço, que envolve:
 Planejamento,
terapêuticas;
organização
e
monitoração
das
oficinas
 Articulação do serviço com outros setores da instituição;
 Controle financeiro;
 Elaboração de relatórios;
 Triagem e avaliação de pacientes, familiares e cuidadores;
 Orientações a familiares;
 Visitas domiciliares;
 Coordenação da equipe multiprofissional.
Centros de Convivência
Equipamentos de proteção social básica que possuem a
missão de favorecer a socialização do idoso e fortalecer os
laços comunitários entre idoso, família e comunidade.
Atuação do Gerontólogo nos
Centros de Convivência
 Planejamento, execução e supervisão das atividades;
 Comunicação com os serviços e comunidade, afim de
favorecer as redes de atenção ao idoso;
 Gerenciamento do serviço, incluindo a administração de
recursos materiais e humanos destinados às atividades;
 Acolhimento dos idosos participantes, exercitando a
escuta, a comunicação e a empatia.
EXPECTATIVAS DOS ESTUDANTES
EM RELAÇÃO A ATUAÇÃO
PROFISSIONAL
Perspectivas para a Atuação do
Gerontólogo
 51 respondentes (47mulheres e 4 homens)
 41 – EACH/USP; 10 – UFSCAR
 33% - 2º semestre;
25% - 4º semestre;
21% - 6º semestre;
13% - 8º semestre.
Perspectivas para a Atuação do
Gerontólogo
 EXISTÊNCIA PROGRAMAS/ ATIVIDADES
Pesquisa
Bolsas de iniciação científica, participação
em cursos e eventos, estágios curricular e
extracurricular, aulas práticas e bolsas
trabalho.
Atividades/
programas
existentes
Estágio
Extensão
A maioria dos respondentes
acredita que a universidade está
preparada para a formação dos
profissionais e viabiliza a
participação de todos nas
atividades.
Perspectivas para a Atuação do
Gerontólogo
 PERCEPÇÕES
SOBRE
PARTICIPAÇÃO
PROGRAMAS/ ATIVIDADES
Crescimento pessoal
Percepções sobre
a participação em
atividades/
programas
EM
Empatia
Visão crítica,
Amadurecimento inovações para o
acadêmico
aprendizado e
conhecimento do
sujeito estudado
Desenvolvimento
profissional
Colocar em prática o
conhecimento teórico
Perspectivas para a Atuação do
Gerontólogo
 EXPECTATIVAS – ATUAÇÃO PROFISSIONAL
Obstáculos
- Desconhecimento da
existência do
gerontólogo
- Resistência de
outros profissionais
Expectativas
em relação à
atuação
profissional
Área
promissora
- Instituições públicas e privadas
- Formulação de políticas públicas e leis
- Educação e lazer
- Área acadêmica
- Gestão de serviços
- Processo de morrer e morte
- Promoção do envelhecimento bem-sucedido
Perspectivas para a Atuação do
Gerontólogo
 INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO - AÇÕES
Mais possibilidade de
atuação prática nos
estágios
Obrigatoriedade da
presença do gerontólogo
nas modalidades de
atenção ao idoso
Fortalecimento da ABG
como órgão representativo
Auto-promoção
Concursos públicos
Ações para facilitar
a inserção no
mercado de
trabalho
Abertura de
novos cursos
Parcerias com
instituições
Divulgação
Pesquisas
Formulação da Lei
do Exercício
Profissional
Promover a aceitação
dos outros
profissionais
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Considerações Finais
Diante das demandas relacionadas ao processo de
envelhecimento, os gerontólogos podem favorecer
a adoção de estratégias para que o
envelhecimento seja um processo assistido, bemcuidado e orientado.
Considerações Finais
O universo de atuação do bacharel em Gerontologia
é amplo e multifacetado, com possibilidades de
atuar de forma crítica sobre as questões sociais e
de saúde que afetam o curso de vida e o processo
de envelhecimento.
Considerações Finais
Esse profissional apresenta uma visão generalista
sobre o envelhecimento e pode estabelecer canais de
comunicação interativos entre serviços, programas,
comunidade, idosos, família e as políticas públicas;
ferramentas necessárias para a elaboração de
programas e para gestão da atenção.
OBRIGADA!
E-mail: glend[email protected]
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE
GERONTOLOGIA - ABG
[email protected]
www.abgeronto.com.br
DIRETORIA GERAL GESTÃO 2009/2011
Henrique Salmazo da Silva
André de Jesus Lima
Download

ABG – Associação Brasileira de Gerontologia