caso ALPHA:
ADMINISTRANDO UMA
INDÚSTRIA DE INJEÇÃO DE
PEÇAS PLÁSTICAS
SOLUÇÃO
Prof. José Miguel N. Sacramento
miguel.sacramento@fgv.br
Que sistema de Planejamento de Produção
aplicar. Descreva o processo e justifique.
• Utilizar o MRP II para fazer a análise da
capacidade, isto é, verificar se os recursos
existentes – equipamentos, humanos,
financeiros etc – permitem atender os
programas das montadoras, obedecendo os
cronogramas de entrega solicitados.
• O MRP II descobre os gargalos.
Planejamento de Produção
Descrição do processo e justificativa.
• Análise da capacidade de fornecimento:
– Por tipo de matéria prima
– Por fornecedor (produto e serviços)
• Análise da capacidade de produção instalada:
– Por processo
– Por equipamento
– Por mão-de-obra
• Análise da capacidade financeira:
– Fluxo de caixa
– Capital de giro
– Outros
Controle de Produção
Descrição do processo e justificativa.
As melhores empresas pertencentes à cadeia
produtiva da indústria automobilística mundial
trabalham com o Sistema Just In Time (JIT).
Neste sistema o ritmo da produção é ditado
pela demanda, evitando a aquisição
desnecessária de matérias-primas,
componentes e serviços para a produção de
itens sem demanda.
Administração para Re$ultado$
•
As montadoras fornecem apenas os desenhos
dos novos produtos para posterior aprovação
e pagamento dos ferramentais projetados e
construídos pela ALPHA.
Descreva um processo que assegure que a
aceitação de novos produtos e/ou a exclusão
de outros sempre gere impacto positivo no
resultado financeiro da empresa.
Administração para Re$ultado$
Descreva a metodologia sugerida definindo
critérios para:
• Distribuição dos produtos nos dois grupos de
máquinas,
• Construção de ferramentais e
• Ampliação da fábrica, quando isto se tornar
necessário.
Administração financeira
• A produção alocada nas máquinas com
ociosidade é sempre integralmente atendida.
• O modo como serão administradas as
máquinas-gargalo irá definir o faturamento e
lucro líquido máximos da empresa.
• Vender cada unidade de seu gargalo ao maior
preço possível assegura o máximo lucro.
• A ALPHA não vende produtos para as
montadoras, vende as horas de suas injetoras.
Portanto, a hora da máquina-gargalo deve ser
vendida pelo maior preço possível.
Administração financeira
•
•
O ganho por hora de uma injetora é definido pelo valor
que cada peça deixa na empresa por tempo de uso da
injetora.
Este valor é definido no projeto do molde de injeção
ao determinar o tipo de máquina, número de
cavidades, tempo de ciclo, peso de canal e bolsas,
tempo de set up.
(PVL(R$) - Insumos(R$)) x Qtd peças por molde
Tempo de ciclo (h)
Onde: PVL = preço de venda líquido do item
Insumos = custo dos insumos por item
Qtd de cavidades = número de peças feitas a cada ciclo
Tempo de ciclo = tempo de uso da máquina para completar
cada ciclo de injeção
Administração financeira:
direcionando as novas peças
• Peças que só podem ser feitas nas máquinas
maiores: Itens cujo peso total injetado para duas peças
supera os cem gramas permitidos nas máquinas
menores ou que por motivos técnicos devem ser
produzidos neste grupo
• Máquina-gargalo: Projeto de ferramental deve garantir
ganho por hora maior, ou no mínimo igual, ao da peça
que será retirada de produção.
Caso isto não seja alcançado (e o item não possa ser
terceirizado) o pedido deve ser declinado.
(*) Foco em quantidade de peças por molde de injeção,
tempo de ciclo e set up.
Administração financeira:
direcionando as novas peças
• Peças que só deveriam ser feitas nas máquinas
menores: Itens cujo peso total injetado, considerando o
maior número possível de peças no molde de injeção, não
superaria os cem gramas permitidos nas máquinas de
quinhentas toneladas .
• Não é máquina-gargalo: Projeto do ferramental deve
garantir o maior ganho por hora possível, preferivelmente,
superior ao da peça de menor ganho por hora atualmente
em produção.
Foco em quantidade de peças por molde de injeção, tempo
de ciclo e set up (*).
Administração financeira
• Máquinas não gargalo:
Qualquer ganho por hora, por menor que seja, ajudará a
melhorar o resultado financeiro da empresa.
Mas, quanto maior for o ganho por unidade de tempo,
mesmo não sendo gargalo, melhor será o impacto no
fluxo de caixa da empresa.
Administração financeira
• Peças que podem ser feitas em qualquer máquina:
Itens cujo peso total injetado, variando o número de
peças no molde de injeção, poderia ser ajustado para
qualquer um dos grupos de máquinas.
Prioritariamente devem ocupar a ociosidade do grupo de
máquinas menores.
Administração financeira
Sugestão para:
• Máquina menores: Caso o investimento
adicional ainda gere um RSI interessante,
alguns ferramentais das máquinas maiores
poderiam ser construídos para as máquinas
menores (por exemplo, duplicando ferramentais)
que passariam a produzir parte ou toda a
necessidade destes itens, para desafogar as
máquinas maiores.
Administração financeira
• Seqüência de produção ideal
Critério para máquinas ociosas.
Apesar da disponibilidade de tempo as peças
em produção no grupo de máquinas menores
deveriam ser produzidas em ordem decrescente
de ganho por unidade de tempo para otimizar o
fluxo de caixa da empresa.
Administração financeira
• Seqüência de produção ideal
Critério para ocupar máquinas gargalos.
Do mesmo modo, as peças em produção no
grupo de máquinas maiores devem ser
priorizadas, preferivelmente, por ordem
decrescente de ganho por unidade de tempo
para otimizar o fluxo de caixa da empresa.
Administração financeira
• Critério para expansão da capacidade de
produção
• O referencial adotado para o Retorno sobre
Investimento (RSI) deve ser a remuneração do
mercado financeiro ou a determinada pelos
acionistas.
• Qualquer investimento só deve ser autorizado
se o ganho gerado garantir RSI maior que o
referencial adotado (TIR).
Administração financeira
• Critério para expansão da capacidade de
produção
O investimento para expansão da ALPHA deverá
permitir:
• Aumento do Ganho e/ou
• Redução da Despesa Operacional e/ou
• Redução do Inventário
que aumentem o RSI atual ou o mantenha
acima do referencial adotado.
CONCLUSÃO
• Áreas de suprimentos profissionalmente éticas
e responsáveis devem procurar estabelecer
relações “ganha-ganha” com seus fornecedores,
sabendo que itens considerados ‘filés” em
algumas empresas podem afetar negativamente
o resultado financeiro de outras.
• Por isso, antes de contratar fornecimento, é
preciso analisar a adequação, ou não, dos itens
em negociação, em função do impacto
financeiro que poderão causar no Lucro Líquido
e/ou no Retorno Sobre Investimento do
fornecedor.
Fim
Prof. José Miguel N. Sacramento
msacramento@fgvsp.br
Download

Apostila