A coragem não consiste em arriscar sem medo.
Ao contrário!
É preciso estar convicto do que se quer para se
ter coragem de agir.
Coragem, também, não se
traduz por agressividade,
ou atitudes intempestivas.
Na verdade, a coragem
tem no seu bojo virtudes
como serenidade,
paciência, amabilidade e
solidariedade.
Para entender
melhor, podemos
classificar a coragem
em vários tipos:
A coragem física,
para enfrentar
situações de perigo
que coloquem sua
vida em risco.
Coragem de
convicção:
Não ter medo de
aceitar e propagar as
suas crenças.
Coragem moral:
É aquela capaz de fazer você optar pelo
que é ético e justo, mesmo contrariando
pessoas influentes ou até o seu circulo de
amizades.
Coragem solidária é a coragem de se envolver
com as necessidades dos outros.
Isso mesmo:
Amar o próximo requer muita coragem, sim!
Existe ainda a
coragem emocional,
para lidar com
circunstancias
dolorosas e adversas
da vida.
A coragem de criar,
sem medo de inovar,
de quebrar a rotina,
de mudar a maneira
de ver as coisas.
E o mais elevado
grau de coragem,
a coragem de
perdoar, difícil de
ser encontrada
em qualquer
pessoa.
Dar a outra face
para o inimigo é
um ato que
requer coragem e
amadurecimento.
E você, aí , é uma
pessoa de
coragem?
Então, acorde
menina, acorda
menino...
Porque vida, em si,
já é um ato de
coragem...
Formatado por Lourdes Bernadete C. Bispo
Imagens- Internet
Texto- Programa Mais Você.
Música- Só nos resta viver- Caio Mesquita.
[email protected]
Download

Slide 1