Disciplina: Evolução do Pensamento em Administração
Professora: Gleice Lacerda Queiroz Sousa e Rodrigues
Carga Horária: 60H
OBJETIVO GERAL
 Conhecer a evolução do pensamento administrativo, em suas várias
correntes, seus contextos e implicações; Propor um domínio conceitual
básico da teoria administrativa; Estabelecer relações entre as referências
conceituais e situações concretas
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
UNIDADE I
1 CONCEITOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO
 O que é administrar: as várias visões
 As influências sobre a administração
 As variáveis básicas da administração
 A organização
 O administrador: competências e papéis
 Paradigmas
 Os vários paradigmas da TG
Unidade II
EVOLUÇÃO HISTÓRICA: ABORDAGENS ADMINISTRATIVAS PRESCRITIVAS E
NORMATIVAS
 Abordagem clássica da administração
 A administração científica
 Teoria clássica da administração
 Abordagem humanística da administração teoria das relações humanas
 Abordagem neoclássica da administração
 Abordagem estruturalista da administração: o modelo burocrático
Unidade III
EVOLUÇÃO HISTÓRICA: ABORDAGENS ADMINISTRATIVAS
EXPLICATIVAS E DESCRITIVAS
 Abordagem estruturalista da administração: a teoria
estruturalista
 Abordagem comportamental da administração
 Teoria comportamental
 Teoria do Desenvolvimento Organizacional (DO)
 Abordagem sistêmica da administração
 Tecnologia da informação e administração
 Teoria matemática da administração
 Teoria de sistemas
 Abordagem contingencial da administração
 Novas abordagens para a administração

Unidade IV
O PROCESSO ADMINISTRATIVO
 Planejamento
 Definição dos objetivos
 Elaboração dos planos
 Tomada de decisão
 Organização
 Criação da estrutura organizacional (ou departamentalização)
 Estruturação dos cargos
 Provimento dos mecanismos de coordenação
 Direção
 Comunicação
 Liderança
 Motivação
 Controle

Avaliação
Nota: 10 Pontos
Atividades em grupo – 25%
Resenhas críticas;
Debate
Artigos
Obs: As atividades devem ser entregues criteriosamente no Prazo, caso
contrário, só vale metade da nota original.
Prova Individual – 75%
É a tomada de decisão sobre recursos disponíveis,
trabalhando com e através de pessoas para atingir objetivos,
é o gerenciamento de uma organização, levando em conta
as informações fornecidas por outros profissionais e também
pensando previamente as consequências de suas decisões. É
também a ciência social que estuda e sistematiza as práticas
usadas para administrar.
“A Administração é uma ciência da área humana
fundamentada em sistemas e processos que buscam o
planejamento, organização, direção e controle das
realizações, tanto na esfera pública quanto na privada. “CFA

Os princípios para administrar algo são:

planejar,

organizar,

dirigir e

controlar,









Principais funções administrativas:
fixar objetivos;
analisar, conhecer os problemas;
solucionar os problemas;
organizar e alocar os recursos, tanto financeiros,
quanto tecnológicos e humanos;
liderar, comunicando, dirigindo e motivando as
pessoas;
negociar;
tomar decisões;
controlar, mensurando e avaliando.

Existem quatro áreas básicas de atuação do
administrador: Finanças, Produção, Marketing e
Recursos Humanos, porém o mercado abrange
várias áreas do conhecimento.

A administração é resultado de um processo de
formação que passa pelas mais diversas áreas,
desde as exatas, como matemática, até humanas
como filosofia.
Até o nosso próximo encontro!
Administrar é resolver problemas;
 Administrar é fazer as coisas através das pessoas;
Em outras palavras, este é o “problema“ básico do administrador: definir bem os
objetivos (o que), a maneira de realizá-los (como) e energizar a sua equipe para isso.
 Administrar é ser eficaz com a maior eficiência possível;
“Desempenho do administrador é a medida de quão eficiente e eficaz é o
administrador, e da competência com que ele determina e alcança os objetivos
apropriados” (Stoner; Freeman, 1985, p. 5).


Segundo Maximiano (2000), a eficiência é determinante da eficácia: se houver
recursos disponíveis, e forem utilizados corretamente, a probabilidade de atingir os
objetivos aumenta. A eficácia, porém, depende ainda da escolha dos objetivos
corretos, o que, por sua vez depende da compreensão do ambiente e de sua
evolução.
Eficiência: se trata da forma de como fazer as coisas no tempo devido sem erros e utilizar somente
o necessário dos recursos, por isso podemos dizer que o antônimo de eficiência é o desperdício de
recursos.
Eficiência =
(+) Resultados alcançados
____________________
(-) Recursos utilizados
Eficácia: É a comparação entre o que se pretendia fazer e o que definitivamente conseguiu fazer,
atingir o objetivo proposto, alcança metas, acerta o alvo. É de fazer a coisa certa na hora certa.
Eficácia =
(+) Resultados (realizados)
___________________
Objetivos ( pretendidos)
Certo (2003, p. 8), assim define esses mesmos
conceitos:
(...) Eficácia administrativa (...) Quanto mais
próxima de alcançar suas metas está uma
empresa, mais eficazes são considerados seus
administradores. Portanto, a eficácia administrativa
é uma atitude contínua que vai da ineficácia à
eficácia. Eficiência administrativa: É a parte do
total dos recursos de uma empresa que contribui
para a produtividade durante o processo de
produção. Quanto maior essa parte, mais eficiente
é o administrador.
Administrar é realizar o Processo Administrativo (PA);
Chiavenato (2003), Griffin (2007) e Hampton (1992), entre outros, consideram o
processo administrativo como sendo composto pelas seguintes funções:
planejar, organizar, dirigir e controlar.
“É a interação das funções planejamento, organização, direção e controle”.
Para Stoner e Freeman (1985), administrar é o
(...) processo de planejar, organizar, liderar e controlar o trabalho dos membros
da organização, e de usar todos os recursos disponíveis da organização para
alcançar seus objetivos estabelecidos.


Em síntese:
“Administração é o processo que permite alcançar as metas de uma empresa,
fazendo uso do trabalho com e por meio de pessoas e outros recursos da
empresa”.
A administração não é uma atividade isolada, mas sim mais uma das
inúmeras atividades humanas. Fica claro que ela tanto sofre influências
como também influencia o ambiente em que é praticada.
1.
2.
3.

É um processo ou uma série de atividades contínuas e relacionadas.
2. Implica alcançar os objetivos da empresa e se concentra nisso.
3. Alcança esses objetivos fazendo uso do trabalho com e por meio de pessoas
e outros recursos da empresa.
Os princípios da administração são universais
Administração recebeu influências dos filósofos, da organização
eclesiástica, da organização militar, da Revolução Industrial, dos
economistas liberais e dos pioneiros e empreendedores.
 A influência dos filósofos
Sócrates, Platão, Aristóteles, Francis Bacon, René Descartes, Thomas Hobbes,
Jean-Jacques Rousseau, Karl Marx e Friedrich Engels. Enfatiza que:
•
Física tradicional de Isaac Newton:
a tendência à exatidão e ao determinismo matemático.
•
Método cartesiano:
•
A tendência à análise e divisão do trabalho.

Administração recebeu influências dos filósofos, da organização
eclesiástica, da organização militar, da Revolução Industrial, dos
economistas liberais e dos pioneiros e empreendedores.
 A influência dos filósofos
Sócrates, Platão, Aristóteles, Francis Bacon, René Descartes, Thomas Hobbes,
Jean-Jacques Rousseau, Karl Marx e Friedrich Engels. Enfatiza que:
•
Física tradicional de Isaac Newton:
a tendência à exatidão e ao determinismo matemático.
•
Método cartesiano:
•
A tendência à análise e divisão do trabalho.

A influência da Igreja Católica
o A unidade de propósitos e princípios,
fundamentais tanto na organização religiosa quanto na militar, e a estrutura da
organização religiosa, na qual uma só pessoa – o Papa – pode operar e
comandar uma organização de porte mundial.
 A influência da organização militar
Veio de fatores como o desenvolvimento da organização linear, de táticas e
manobras, de estratégias, da criação dos conceitos de staff como assessoria à
centralização do comando e de linha, cuidando da execução
descentralizada.
Além disso, o princípio de direção, que preceitua que todo soldado deve saber
perfeitamente o que se espera dele e o que ele deve fazer, assim como os
princípios da disciplina e do planejamento

A influência da Revolução Industrial
A primeira Revolução Industrial ocorreu de 1780 a 1860, com base na revolução
do ferro e do carvão
Em seguida, de 1860 a 1914, ocorre a segunda Revolução Industrial, baseada
no aço e na eletricidade.

A organização e a empresa moderna nasceram com a Revolução Industrial,
graças a vários fatores, tais como:
1) a ruptura das estruturas corporativas da Idade Média;
2) 2) o avanço tecnológico e a aplicação dos processos científicos à
produção, a descoberta de novas formas de energia e a enorme
ampliação de mercados,
3) 3) a substituição do tipo artesanal por um tipo industrial de produção.

o
o

o
A influência dos economistas liberais
Desenvolvimento de teorias para explicar os fenômenos empresariais;
Aperfeiçoamento dos métodos de produção (racionalização do trabalho)
e da adequada remuneração.
A influência dos pioneiros e empreendedores
A necessidade de gerenciar os empreendimentos que surgiam obrigou a
criação de técnicas e de processos de planejamento, de organização, de
direção e de controle que ainda são vistos na prática administrativa atual.
Tarefas,
Estrutura,
Pessoas,
Ambiente e tecnologia.
Chiavenato (2003) acrescenta uma sexta variável: a competitividade.
Administração
Arte ou ciência?
Pedro Lincoln C. L. de Mattos
Professor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas,
Universidade Federal de Pernambuco – PE, Brasil
plincoln@hotlink.com.br

Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003475902009000300009

“No dia em que os filhos do pobre e do rico, do político
e do cidadão, do empresário e trabalhador estudarem
na mesma escola.... nesse dia o Brasil será o país que
queremos.”
Eduardo Campos




Organização: É o contexto onde ocorre a administração. É o
“território” do administrador
Organização: como função do PA, responsabilidade gerencial
organização: produto do processo de “organizar” e que resulta
numa empresa, por exemplo
“Organização: Companhia, corporação, firma, órgão,
instituição ou empresa, ou uma unidade destas, pública ou
privada, sociedade anônima, limitada ou com outra forma
estatutária, que tem funções e estruturas administrativas
próprias e estruturas administrativas próprias e autônomas, no
setor público ou privado, com ou sem finalidade de lucro, de
porte pequeno, médio ou grande.”
(PPQG/IPEG, 2007)

“Uma organização é uma combinação intencional
de pessoas e de tecnologia para atingir um
determinado objetivo”
(HAMPTON, 1992)

Em todas essas definições. encontramos os
seguintes elementos comuns:
o envolvimento de pessoas (quem),
a existência de algum processo de trabalho
(como),
a definição de um propósito (o que),
definidor de tudo o que deve ser executado.





Segundo Stoner e Freeman, as organizações:

Servem à sociedade
São instituições sociais que refletem alguns valores e necessidades
culturalmente aceitos, permite que vivamos juntos de modo
civilizado.
Realizam objetivos
Coordenando esforços de diferentes indivíduos, as organizações
nos permitem alcançar metas que, de outra forma, seriam muito
mais difíceis ou até mesmo impossível de serem atingidas.
Preservam o conhecimento
São essenciais porque guardam e protegem a maior parte do
conhecimento que a civilização juntou e registrou. Tornam uma
ponte contínua entre gerações passadas, presentes e futuras.
Proporcionam carreiras
Proporcionam uma fonte de sobrevivência e a depender do estilo
e da eficácia dos gestores proporcionar a auto realização
pessoal, ou total satisfação. Oportunidade de Carreira.
o

o

o

o

Segundo Stoner e Freeman, as organizações:

Servem à sociedade
São instituições sociais que refletem alguns valores e necessidades
culturalmente aceitos, permite que vivamos juntos de modo
civilizado.
Realizam objetivos
Coordenando esforços de diferentes indivíduos, as organizações
nos permitem alcançar metas que, de outra forma, seriam muito
mais difíceis ou até mesmo impossível de serem atingidas.
Preservam o conhecimento
São essenciais porque guardam e protegem a maior parte do
conhecimento que a civilização juntou e registrou. Tornam uma
ponte contínua entre gerações passadas, presentes e futuras.
Proporcionam carreiras
Proporcionam uma fonte de sobrevivência e a depender do estilo
e da eficácia dos gestores proporcionar a auto realização
pessoal, ou total satisfação. Oportunidade de Carreira.
o

o

o

o

Paradigma é um modelo, um padrão aceito que explica
e justifica tudo o que alguém faz ou quer fazer.

“Um exemplo que
(HOUAISS, 2001)

Para Grof
serve
como
modelo;
padrão”
“um paradigma pode ser definido como uma constelação
de crenças, valores e técnicas compartilhadas por membros
de uma determinada comunidade científica uma
determinada comunidade científica. Alguns paradigmas são
de uma natureza filosófica básica e são muito gerais e
abrangentes, outros governam o pensamento científico em
áreas de pesquisa muito específicas e pesquisa muito
específicas e circunscritas”.

A Competência Paradigmática
Parte do princípio de que podem existir, simultaneamente,
múltiplos paradigmas e que o fator limitador está na
capacidade humana de entender e incorporar essa noção.

Pobreza Paradigmática
Domínio de um ou de poucos paradigmas

Paralisia de paradigma
Quando “meu paradigma” me impede de agir, por não
perceber outras coisas fora dele.
Cada teoria cria seu próprio paradigma

Prescritivas e Normativas

Explicativas e Descritivas




Teorias Prescritivas e Normativas:
Teoria Clássica;
Escola das Relações Humanas;
Abordagem Neoclássica;
Teoria da Burocracia
Todas:
Enfocando apenas suas variáveis ƒ
 voltadas “para dentro” da organização (visão de sistema
fechado)
 Definem “leis” de funcionamento





Teorias Explicativas/Descritivas:
Teoria Estruturalista
Teoria Comportamental
Teoria dos Sistemas
Teoria Contingencial
Todas:
Enfocando apenas suas variáveis e o ambiente
 Voltadas “para dentro e para fora” da organização (Visão
de sistema aberto)
 Não definem: tentam descrever e explicar

Até o nosso próximo encontro!
Abordagem Clássica é decorrência direta da
Revolução Industrial:
o Pelo crescente aumento de indústrias
o O acirramento da concorrência.
 Duas correntes que:
• Aconteceram em locais diferentes
• Mesma época histórica (início século XX)
• Mas tiveram muitos pontos em comum.
• Por isso consideradas juntas levam o nome de
Abordagem (ou Teoria) Clássica.




o
o
o
o
o

Algumas concordâncias:
Conduzidas por engenheiros diretamente ligados a indústrias
Consideravam princípios prescritivos e normativos, tais
como:
divisão do trabalho;
Especialização;
unidade de comando;
amplitude de controle;
Preocupação com a organização formal.
(é o nome dado à organização oficialmente adotada pela
empresa e retratada pelo organograma.”)



Aceitação do conceito de homo economicus: é a
pressuposição de que o ser humano é principalmente
motivado por estímulos de ordem financeira e material.
O home que produz e consome;
Busca da máxima eficiência;





A Administração Científica constitui uma combinação
dos seguintes ingredientes:
Ciência, em lugar de empirismo.
Harmonia, em vez de discórdia .
Cooperação, não individualismo.
Rendimento máximo, em lugar de produção reduzida

“O nome Administração Científica é devido à
tentativa de aplicação dos métodos da ciência
aos problemas da Administração nas indústrias a
fim de aumentar a eficiência da produção”.
(CHIAVENATO, 2003).
Estados unidos - 1903;
 Frederick Winslow Taylor;


De baixo para cima e das partes para o todo;
Ênfase para as tarefas organizacionais;
 Aperfeiçoar e racionalizar;

Objetivo:
Aumentar a produtividade da empresa, aumentando o
nível de eficácia e eficiência dos operários.
 Dividida
em 2 períodos :
ORT – Organização Racional do Trabalho;
Shop Management , em 1903,
 Administração Científica
The principles of scientific management
(1911),

Primeiro período: ORT e inclui:
Análise do trabalho e do estudo de tempos e
movimentos
 Estudo da fadiga humana
ƒ
Divisão do trabalho e especialização do operário
 Desenho de cargos e tarefas
 Incentivos salariais e prêmios de produção
 Conceito de homo economicus
 Condições
ambientais de trabalho, como
iluminação, conforto e outras
 Padronização e métodos e de máquinas
 Supervisão funcional.
 The best way (o melhor caminho)


 Segundo
período: Administração Científica
e inclui os princípios desenvolvidos para
aplicação gerencial
 Colaboradores:
o Frank B. GILBRETH,
o Lílian GILBRETH;
o Harrington EMERSON,
o Henri FORD, além de ,
o GANTT,
o BARTH e outros.
Esta Teoria coloca a ênfase nas Tarefas preocupandose com:
 O método de trabalho;
 Os movimentos necessários à execução da tarefa;
 O tempo – padrão para a execução da tarefa.

Quem produz mais é melhor remunerado
 As empresas devem aplicar os princípios gerais da
ciência.
 Considera que a Organização deve ser estudada
cientificamente, o que implica uma organização
racional do trabalho.

princípios fundamentais da administração científica:
Princípio de planejamento – substituição de métodos empíricos por
procedimentos científicos – sai de cena o improviso e o julgamento
individual, o trabalho deve ser planejado e testado, seus movimentos
decompostos a fim de reduzir e racionalizar sua execução.
 Princípio de preparo dos trabalhadores – selecionar os operários de
acordo com as suas aptidões e então prepará-los e treiná-los para
produzirem mais e melhor, de acordo com o método planejado
para que atinjam a meta estabelecida.
 Princípio de controle – controlar o desenvolvimento do trabalho
para se certificar de que está sendo realizado de acordo com a
metodologia estabelecida e dentro da meta.
 Princípio da execução – distribuir as atribuições e responsabilidades
para que o trabalho seja o mais disciplinado possível.









Para os críticos a AC transformou o homem em uma máquina. O operário é
tratado como apenas uma engrenagem do sistema produtivo, passivo e
desencorajado de tomar iniciativas.
A padronização do trabalho seria mais uma intensificação deste do que uma
forma de racionalizar o trabalho;
A superespecialização do operário facilita o treinamento e a supervisão do
trabalho, porém, isso reduz sua satisfação e ele adquire apenas uma visão
limitada do processo;
A AC não leva em conta o lado social e humano do trabalhador. A análise de
seu desempenho leva em conta apenas as tarefas executadas na linha de
produção;
A AC propõe uma abordagem científica para a administração, no entanto, ela
mesma carece de comprovação científica e teve sua formulação baseada no
conhecimento empírico;
A AC se restringe apenas aos aspectos formais da organização não
abrangendo por exemplo o conflito que pode haver entre objetivos individuais
e organizacionais;
A AC trata da organização como um sistema fechado sem considerar as
influências externas.

o
o
o
o
o
o
o
Apreciação crítica da Administração Científica:
Mecanicismo da administração científica
Superespecialização do operário
Visão microscópica do homem
Ausência de comprovação científica
Limitação do campo de aplicação
Abordagem de sistema fechado
Pioneirismo na administração
Feliz dia Internacional da Mulher!!!!
“Sou uma mulher madura que às vezes anda de balanço
Sou uma criança insegura que às vezes usa salto alto
Sou uma mulher que balança
Sou uma criança que atura”
Martha Medeiros
Jules Henri Fayol
Henri Fayol leva a análise dos processos
para toda a organização
É considerado
o pai da ideia de organização estrutural
das empresas por funções






Liderada por Henri FAYOL, que juntamente com F.W.
TAYLOR é considerado fundador da moderna
administração.
Ênfase para estrutura organizacional
FRANÇA, 1916
Trajetória de Fayol: de cima para baixo, do todo para
as partes
Principais colaboradores:
Luther GULICK e URWICK
Operação técnica
Função relacionada à produção de bens ou
serviços da empresa (atividade fim), considerada
por Fayol como a função primordial
de uma empresa
72
Operação comercial
Relacionada à compra, venda, permuta
de matéria-prima e produtos
73
Operação financeira
Função que trata da captação e
da gerência de capitais
74
Operação de segurança
Visa proteger os bens e as pessoas de
problemas, como roubo, inundações e
obstáculos de ordem social, como greves
e atentados
Operação de contabilidade
Relacionada aos registros contábeis.
Revela a situação econômica da
empresa e é um poderoso instrumento de
direção
76
Operação administrativa
Coordena e sincroniza as demais funções.
É distribuída dentro dos níveis hierárquicos.
O ritmo da administração é assegurado
pela direção, com o objetivo de conduzir
a empresa
Previsão
Controle
Coordenação
Organização
Comando
PLANEJAR OU PREVER
Estabelecer os objetivos da
organização, especificando a forma
como serão alcançados
79
ORGANIZAR
É a forma de coordenar todos os
recursos da empresa (humanos,
financeiros, materiais), alocando-os
seguindo o planejamento
80
COMANDAR
Fazer com que os subordinados
executem
o que deve ser feito
COORDENAR
A coordenação das atitudes e esforços
de toda a empresa almejando as metas
traçadas
CONTROLAR
Estabelecer padrões e medidas de
desempenho que permitam assegurar
que as atitudes empregadas sejam as
mais compatíveis
com as que a empresa espera
Para o desenvolvimento de cada
função,
Fayol considera necessário um
conjunto de qualidades pessoais
Físicas
Saúde, destreza, vigor
85
Intelectuais
Aptidão para compreender e aprender,
discernimento, força e agilidade
intelectual
86
Morais
Energia, firmeza, coragem em aceitar
responsabilidades, lealdade
87
Cultura geral
Conhecimentos variados
88
Conhecimentos especiais
Relativos à função
89
Experiência
Conhecimento prático
90
ELEMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PARA GULICK
1. planejamento (planning)
2. organização (organizing)
3. assessoria (staffing)
4. direção (directing)
5. coordenação (coordinating)
6. informação (reporting)
7. orçamento (budgeting)
Princípios de Administração para Urwick:
ELEMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PARA URWICK
1. investigação
2. previsão
3. planejamento
4. organização
5. coordenação
6. comando
7. controle
PRINCÍPIO DA ADMINISTRAÇÃO PARA URWICK
I. Princípio da especialização
II. Princípio da autoridade
III. Princípio da amplitude administrativa
IV. Princípio da definição
Planejamento
Controle
Organização
Direção
Diferença entre
Administração e Organização
Administração
Conceito amplo por envolver o planejamento,
a organização, a direção, o controle e a
coordenação de forma conectada
Diferença entre
Administração e Organização
Organização
Significa o ato de organizar, estruturar,
integrar os recursos e os órgãos incumbidos
de sua administração e estabelecer as
relações entre eles
1. Divisão
do trabalho
13. Iniciativa
2.
Autoridade
e
responsabili
dade
14. Espírito
de equipe
12.
Estabilidade
do pessoal
3. Disciplina
11.
Equidade
10. Ordem
7.
Remuneraç
ão do
pessoal
9. Cadeia
escalar
8.
Centralizaç
ão
5. Unidade
de direção
6.
Subordinação
dos interesses
individuais aos
gerais
4. Unidade
de
comando
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Divisão do Trabalho
Especialização das tarefas e
das pessoas para aumentar
a eficiência e a
produtividade
Autoridade e responsabilidade
Autoridade é direito de dar
ordens e esperar obediência
Responsabilidade é uma
consequência natural da
autoridade
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Disciplina
Necessidade de
estabelecer normas de
conduta e trabalho,
válida para todos
Unidade de Comando
Cada empregado
deve receber ordens
de apenas um superior
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Unidade de Direção
Controle único é
possibilitado com a
aplicação de um plano
para grupos de atividades
com os mesmos objetivos
Subordinação de
interesses individuais aos
interesses grupais
Interesses da
corporação acima dos
interesses particulares
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Remuneração do
Pessoal
Deve ser suficiente para
satisfazer os funcionários
e a organização
Centralização
Concentração da
autoridade no topo da
hierarquia da
organização
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Equidade
Deve haver justiça no
ambiente de trabalho,
justificando a lealdade e
devoção dos empregados à
empresa
Estabilidade e
duração do pessoal
Quanto mais uma
pessoa permanecer
em um cargo, melhor
PRINCÍPIOS GERAIS DA
ADMINISTRAÇÃO DE HENRI FAYOL
Iniciativa
Capacidade do
funcionário visualizar
um plano e assegurar
seu sucesso
Espírito de Equipe
O trabalho deve ser
em conjunto,
facilitado pela
comunicação dentro
das equipes
Pouca originalidade dos princípios gerais da Administração.
Concepção da organização com ênfase exagerada na
estrutura.
 Insistência na utilização da unidade de comando.
 Centralização da autoridade
 Obsessão pelo
 A empresa como sistema fechado:
 Manipulação dos trabalhadores
 A inexistência de fundamentação científica das concepções:
 Ausência de trabalhos experimentais:
 Abordagem simplificada da organização formal:
 Abordagem típica da teoria da máquina:


CRÍTICAS SOBRE A TEORIA CLÁSSICA DE FAYOL
1. Pouca originalidade na
definição dos princípios
gerais da Administração
2. Concepção da
Organização com ênfase
exagerada na estrutura
3. Insistência na unidade de
comando e centralização
da autoridade (influência
de concepções militares e
eclesiásticas)
CRÍTICAS SOBRE A TEORIA CLÁSSICA DE FAYOL
4. Abordagem simplificada da
organização formal não
levando em conta aspectos
da dinâmica organizacional
e ambiental
5. Ausência de trabalhos
experimentais (baseava-se
na observação e senso
comum)
6. Extremo racionalismo na
concepção da
administração
7. Abordagem típica da teoria
da máquina
Confronto das Teorias: Taylor e Fayol
Taylor
Fayol
Administração
Científica
Teoria
Clássica
Ênfase nas
Tarefas
Ênfase na
Estrutura
Aumentar a
eficiência da
empresa por meio
do aumento da
eficiência no
nível operacional
Aumentar a
eficiência da
empresa por meio da
forma e disposição dos
órgãos componentes
da organização e das
suas inter-relações
Confronto das teorias de
Taylor e Fayol
"A
primeira condição inerente ao chefe de uma
grande empresa é a de ser bom administrador."
Tarefa
Estrutura
Pessoas
Organização
Ambiente
Tecnologia

A Teoria das Relações Humanas foi basicamente um movimento de
reação e de oposição à Teoria Clássica da Administração

Revolução na Teoria Administrativa
› Ênfase na tarefa e na estrutura organizacional x ênfase nas pessoas
que trabalham nas organizações
› Preocupação com a máquina, com o método de trabalho, com a
organização formal e os princípios de Administração aplicáveis aos
aspectos organizacionais x preocupação com o homem e seu grupo
social
› Preocupação com os aspectos técnicos e formais x preocupação com
aspectos psicológicos e sociológicos
Teoria das Relações Humanas
Elton Mayo
O homem e o seu grupo social,
aspectos psicológicos e sociológicos
O cientista social George Elton Mayo (1880-1949) é considerado o
PAI da Teoria das Relações Humanas.
 Deu origem a partir de trabalhadores americanos e sindicatos em
contraposição a TCCA.
o humanização, democratização da atividade administrativa e
desenvolvimento das ciências humanas.

 Necessidade de humanizar e democratizar a administração, inadequação de
vários princípios da abordagem clássica;
 Desenvolvimento das Ciências Sociais: Psicologia e Sociologia, Psicologia
Industrial;
 Crise de 1929: questionamento dos princípios administrativos e luta pela
produtividade, democracia americana;
 Começa nos Estados Unidos em 1930 e é divulgada mundialmente depois da
segunda guerra mundial.
 Psicologia do Trabalho ou Psicologia industrial
A análise do trabalho e a adaptação do trabalhador ao trabalho ( Aspectos
Produtivos) – avaliação das características humanas que cada tarefa exige do
seu executante e a seleção cientifica dos empregados baseada nessas
características, através de testes psicológicos.
A adaptação do trabalho ao trabalhador (aspectos individuais e sociais) –
Envolvendo estudos de personalidade do trabalhador e do gerente, a motivação
e os incentivos do trabalho, a liderança, as comunicações e as relações
interpessoais e sociais dentro da organização.
A necessidade de humanizar e democratizar a Administração;
 O desenvolvimento da ciência humana;
 As ideias da filosofia pragmáticas de Jonh Dewey e da Psicologia
Dinâmica de Kurt Lewin ;
 As condições da experiência de Hawthorne

A Experiência de Hawthorne (1927 - 1932)
 Cenário: 1927 - Wester Electric Company (fábrica de
equipamentos e componentes telefônicos), bairro de Hawthorne,
Chicago;
 Finalidade inicial: determinar a relação entre a intensidade da
iluminação e a eficiência dos operários, medida através da
produção;
 Experiência sob a direção de Elton Mayo.

Mayo, fez testes na linha de produção, na busca por variáveis que
influenciassem, positiva ou negativamente, a produção. E dividiu a
pesquisa em 4 fases
1ª Fase da Experiência de Hawthorne
Foram estudados dois grupos de trabalho, que operando em
condições idênticas, tiveram sua produção constantemente
avaliada.
Um grupo teve suas condições ambientais mantidas e outro
teve sua iluminação intensificada. Nesta fase não foram
identificadas variações significativas de produção.
Grupo de
Controle
Grupo
Experimental
(condições
mantidas)
(condições
alteradas)



Considerando o fator psicológico inoportuno mudou-se o foco
da pesquisa, observando o (fisiológico) comportamento dos
trabalhadores a cada pequena mudança (ex: lanches,
intervalos, mudança nos incentivos e nos horários de trabalho)
As Experiência de Hawthorne geraram um novo paradigma
para os administradores mundiais
http://www.youtube.com/watch?v=KOGrcLx5W-g
1) As moças do grupo experimental alegavam gostar de
trabalhar neste grupo porque experimentavam condições
de supervisão mais brandas que lhes permitia trabalhar
com maior liberdade e menor ansiedade;
2) Havia um ambiente amistoso e sem pressões, onde a
conversa era permitida, aumentando a satisfação no
trabalho;
3) Não havia temor quanto à supervisão. Apesar de haver
maior supervisão que no departamento, a característica e o
objetivo desta eram diferentes e o grupo sabia, sabia que
participava de uma experiência que deveria reverter em
benefícios para as demais colegas;
4) Houve o desenvolvimento social do grupo experimental. As
moças faziam amizades entre si, amizades que se
estendiam para fora do trabalho. As moças passaram a se
preocupar umas com as outras, acelerando sua
produção quando alguma colega demonstrava
cansaço. Tornaram-se uma equipe;
5) O grupo desenvolveu liderança e objetivos comuns. A
liderança ajudava as colegas a alcançar o objetivo comum
de aumentar continuamente a produtividade.

Tudo isso contribuiu para que a produtividade do grupo
experimental superasse a do grupo de controle.


Mudança de foco da experiência de Hawthorne
Os objetivos iniciais, ligados à medição dos efeitos da iluminação sobre a
produtividade, foram trocados pela intenção de compreender a
importância das relações humanas no trabalho

Intrigados pelas diferenças de atitude e produtividade entre o grupo de
controle e o grupo experimental, os cientistas iniciaram um programa
de entrevistas (conhecer opiniões e sentimentos) para
compreender melhor o “lado humano” dos empregados

A partir das entrevistas, foi constatada a existência de uma
organização informal dentro da organização com a finalidade de
proteção contra aquilo que os operários consideravam ameaças da
Administração contra seu bem-estar

Foi criado um outro grupo experimental que passou a trabalhar em uma
sala especial com idênticas condições de trabalho do departamento

O observador constatou que os operários dentro da sala usavam uma
série de artimanhas para reduzir o ritmo de trabalho assim que
montavam o que julgavam ser a sua produção normal

Verificou-se que estes operários passaram a apresentar certa
uniformidade de sentimentos e solidariedade grupal

O grupo desenvolveu métodos para assegurar sua atitudes, considerando
delator o membro que prejudicasse algum companheiro e pressionando
os mais rápidos para “estabilizarem” a sua produção, por meio de
punições simbólicas
1) Integração social: quanto mais integrado socialmente no grupo de
trabalho, maior será a disposição de produzir;
› Ao contrário da Teoria Clássica que afirmava ser a capacidade técnica ou
fisiológica do empregado que determinava o nível de produção
2) Comportamento social: o comportamento do indivíduo se apoia no
grupo. Os trabalhadores não agem ou reagem individualmente, mas como
membros de um grupo;
› Contrapõe-se ao comportamento do tipo máquina proposto pela Teoria
Clássica
3) Recompensas e sanções sociais: As pessoas são motivadas pela
necessidade de reconhecimento, de aprovação social e
participação. A motivação econômica é secundária na determinação da
produção;
› Homo social contrapondo-se ao homo economicus
4) Grupos informais: definem regras de comportamento, formas de
recompensas ou sanções sociais, punições, seus objetivos, sua escala de
valores sociais, suas crenças e expectativas, que cada participante vai
assimilando e integrando em suas atitudes e comportamento;
› Contrapõe-se à preocupação exclusiva com os aspectos formais da
organização (autoridade, responsabilidade, especialização, estudos dos
tempos e movimentos, departamentalização, etc.)
5) Relações humanas: Cada pessoa procura se ajustar às demais
pessoas do grupo para que seja compreendida e tenha participação
ativa, a fim de atender seus interesses e aspirações;
6) Conteúdo do cargo: o conteúdo e a natureza do trabalho têm grande
influência sobre o moral do trabalhador, tornando-o produtivo ou
desmotivado. Trabalhos repetitivos tendem a se tornar monótonos e
maçantes afetando negativamente as atitudes do trabalhador e reduzindo
sua eficiência e satisfação;
› Na experiência de Hawthorne, os pesquisadores observaram que os operários
da sala de montagem de terminais freqüentemente trocavam de posição para
variar e evitar a monotonia
7) Aspectos emocionais: Elementos emocionais, não-planejados e até
mesmo irracionais do comportamento humano devem ser considerados
dentro da organização
Conclusões da Experiência de Hawthorne
 O nível de produção é resultante da integração
social;
 Comportamento social dos empregados;
 Recompensas e sanções sociais;
 Grupos informais;
A importância das relações humanas;
 A importância do conteúdo do cargo;
 Ênfase nos aspectos emocionais.
Idéias defendidas por Elton pela Teoria das
Relações Humanas:
 O trabalho é uma atividade tipicamente grupal: a produção sofre a
influência do grupo de trabalho mais do que incentivos financeiros;
 O operário não reage como indivíduo isolado, mas como membro
de um grupo social: As mudanças tecnológicas e a abordagem
mecanicista cortam o relacionamento das relações sociais;
 A tarefa básica da Administração é formar uma elite capaz de
compreender e de comunicar: chefes democráticos, persuasivos e
simpáticos com todos. Chefes que entendam a lógica dos trabalhadores.
 O ser humano é motivado essencialmente pela necessidade de
“estar junto”, “ser reconhecido”: Só alcança a eficiência considerando
as necessidades sociais e psicológicas dos trabalhadores.
Conflito social na sociedade industrial:
Para Elton Mayo, há um conflito social entre os interesses das empresas e os
interesses dos trabalhadores;

O conflito social é a destruição da própria sociedade, devendo ser evitado a
qualquer custo.

A empresa deve surgir como uma nova unidade social onde será estimulada a
cooperação entre indivíduos.

O trabalhador encontrará na empresa uma administração compreensiva e
paternal, capaz de satisfazer as suas necessidades psicológicas e sociais.

TO-05
As funções básicas da organização
Função econômica:
produzir bens ou serviços
Equilíbrio
externo
Organização
Industrial
Função social:
dar satisfações aos
seus participantes
Equilíbrio
interno
1.
Oposição cerrada à Teoria Clássica: ignora fatores
considerados fundamentais pelas teorias anteriores
(maximização da produtividade e incremento no
pagamento)
- focada apenas em solucionar conflitos entre
interesses humanos e da organização
Inadequada visualização dos problemas das
relações industriais: interpretação
inadequada dos problemas na indústria
2.
-
-
omite os principais problemas e se volta para
questões secundárias (status do operário,
descarga emocional e outros)
voltou-se para solução intermediária dos
problemas de integração em vez de atuar sobre
as causas de alienação (controles formais, subutilização das aptidões)
desenvolve a cultura do trabalho como um mal
necessário
3.
Concepção ingênua e romântica do trabalho:
relacionava a satisfação com a produtividade, sendo
que:
- há trabalhadores infelizes e produtivos e felizes e
improdutivo
- supervisão complacente causava mais problemas
do que soluções
4.
5.
Limitação do campo experimental: somente
analisaram as instalações fabris, não
levando em consideração bancos, escolas,
hospitais e outros.
Parcialidade das conclusões: restringiu-se à
organização informal, relegando a
organização formal a um plano bastante
inferior. Mayo adotou uma atitude empírica,
de observação e de descoberta de dados
6.
Ênfase nos grupos informais: é atribuído à coesão
grupal resultados, tais como: auto-estima, maior
eficiência, entre outros. Críticas:
- a administração participativa, não
necessariamente, esta relacionado com a
produtividade
- muitas vezes até atrapalha influenciando ao
confronto com a direção
7.
Enfoque manipulativo das relações humanas:
condiciona o indivíduo a pensar e agir de acordo com
os anseios da administração.
- tira o foco de outros anseios como o aumento
salarial e vende a idéia de símbolos baratos como
prestígio e afeição
Abordagem surgiu em 1954, nos Estados Unidos da América
do Norte,
 Enfoque nas variáveis tarefas, estrutura organizacional e
pessoas
 Principal representante, Peter Drucker.
 Grande remodelação nas teorias da administração, em
função de todo o quadro econômico, político e social do
mundo.








Principais características da Teoria Neoclássica
É formada por vários estudiosos, relativamente heterogêneos, que não se
preocuparam em montar uma escola teórica bem-definida, mas que
defenderam as seguintes características:
ênfase na prática da administração: valorização dos resultados
concretos e palpáveis, por meio do pragmatismo;
reafirmação dos postulados clássicos: de certa forma, é uma reação à
teoria humanista, pois retoma os conceitos da teoria clássica, relegados
por esta;
ênfase nos princípios gerais da administração: procuram estabelecer
princípios gerais que sirvam a todo tipo de organização, tais como
planejar, organizar, dirigir e controlar;
ênfase nos objetivos e nos resultados: o dimensionamento, a
estruturação e a orientação das organizações deveriam ser função de
seus objetivos e resultados;
ecletismo nos conceitos: não estavam fechados a proposições de outras
teorias.

Retomam-se os seguintes princípios básicos de
organização:
Divisão do trabalho:
 especialização:
 hierarquia:
 amplitude administrativa:


Divisão do trabalho: decomposição de um processo
complexo numa série de pequenas tarefas que o
constituem;

Consequências de curto prazo para a divisão de trabalho:
Maior produtividade e melhor rendimento do pessoal
envolvido;
Maior eficiência da organização, como resultante do item
anterior;
Redução dos custos de produção, principalmente os de
mão-de-obra e de materiais diretos.




Níveis administrativos
Nível
institucional
Nível
intermediário
Nível
operacional

especialização: o reconhecimento de que cada órgão ou
cargo deve ter tarefas específicas e especializadas;

hierarquia: é aceito o princípio escalar, segundo o qual a
autoridade do administrador aumenta na medida em que
se sobe na hierarquia; consideram-se os conceitos de
autoridade, responsabilidade e de delegação;

amplitude administrativa: o dimensionamento de quantos
subordinados um administrador pode supervisionar.
Autoridade
A) Autoridade é alocada em posição da organização
e não em pessoas;
o B) Autoridade é aceita pelos subordinados;
o C) Autoridade flui abaixo por meio da hierarquia
verticalizada

o

Responsabilidade


o
o
o
o
o
o
Delegação
é
o
processo
de
transferir
autoridade
e
responsabilidade
para
posições
inferiores
na
hierarquia.
Delegação a tarefa interna
Delegar à pessoa certa
Delegar responsabilidade e autoridade
Proporcionar informação adequada
Manter retroação
Avaliar e recompensar o desempenho

Centralização = FAYOL

Descentralização = TAYLOR







Discutem-se amplamente os conceitos de centralização e
de descentralização, que é a busca da definição sobre
qual é o nível hierárquico em que as decisões devem ser
tomadas.
Retomam-se as funções do administrador: planejamento,
organização direção e controle.
a escola do processo administrativo.
Decorrências da abordagem neoclássica:
estudos e definições dos tipos de organização;
estudos e definições sobre departamentalização;
a Administração por Objetivos (APO).

Funções do administrador como um processo
sequencial
Planejamento
Organização
Direção
Controle
Controle

Funções do
administrativo
administrador
Direção
ADMINISTRATIVO
Planejamento
como
CICLO
Organização
um
ciclo
Controle

Funções do
administrativo
administrador
Direção
ADMINISTRATIVO
Planejamento
como
CICLO
Organização
um
ciclo
Linear
 Funcional
 Linha staff

Download

Baixe o arquivo epa.ppt