ANÁLISE CONTÁBIL
Módulo 4.1
Estrutura das Demonstrações
Contábeis
2014
Prof. Wilter Furtado
wilter@com4.com.br
(34) 9973.3455 – 3268.1988
ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES
Entende-se por estrutura das demonstrações, a forma gráfica
com que elas se apresentam para efeito de leitura, tomada
de decisão, auditoria e análise.
Para efeito de leitura, auditoria e perícia, regra geral, elas
atendem às disposições legais; nem sempre compatíveis com
as necessidades de informações para efeito tomada de decisão
e de análises.
Fontes das estruturas
das
Demonstrações Contábeis
AS FONTES DAS ESTRUTURAS DAS
DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS
1.
Inicia-se pela ocorrência de um fato ou ato administrativo que deva ser
registrado (investimentos e operações);
2.
O fato ou ato administrativo é caracterizado e identificado pela
classificação e codificação (plano de contas);
3.
O registro ocorre em contas específicas (diário);
4.
Os fatos e atos são acumulados e selecionados no (razão);
5.
A situação de cada conta ou grupo de contas para efeito de informação ou
apuração é demonstrada no (balancete);
6.
Apura-se os resultados–(fontes da Situação Líquida) – (DRE);
7.
Demonstra-se um novo estado patrimonial e suas variações (BP e outras)
A lógica contábil
A Lógica Contábil
Orienta, classifica, registra e processa a distribuição, e a
movimentação de recursos.
Implica dizer que a cabe a contabilidade, registrar e mostrar, a
ORIGEM e o DESTINO DOS RECURSOS, criando-se assim a
própria lógica contábil, que é registrar a mobilidade dos vários
tipos de recursos.
Tipos de recursos registrados

Recursos físicos ou patrimoniais – prédios,
instalações, móveis, equipamentos, etc.

Recursos materiais – matérias primas, produtos,
mercadorias, etc.

Recursos humanos – produção e administrativos
•
Recursos tecnológicos – tecnologias em geral
•
Recursos financeiros - capitais
A natureza das demonstrações
de acordo com mobilidade
dos recursos
NATUREZA DAS DEMONSTRAÇÕES
PELA MOBILIDADE DOS RECURSOS
1. Revelam Situações Dinâmicas do Patrimônio
2.

Demonstração de Resultados do Exercício – DRE

Demonstração de Fluxo de Caixa

Demonstrações de Mutações do Patrimônio - Líquido –
DMPL

Demonstração de Valor Adicionado – DVA
Revela Situações Estáticas do Patrimônio

Balanço Patrimonial - BP
Leituras das origens ou fontes
dos capitais
Leituras das Origens de Capitais
Recursos pessoais
Próprios ou
não onerosos
Retenção de lucros
Patrimônio Líquido
Retenção de receitas
Terceiros
onerosos
Terceiros não
onerosos
Empréstimos
Financiamentos
Compras a prazo
Prazos operacionais
Passivos circulantes
Passivos não circulantes
Passivos circulantes
Passivos não circulantes
Leitura dos destinos ou das
Aplicações dos capitais
Leitura dos Destinos de Capitais
Aplicações na
Produção
Imóveis e móveis
Bens intangíveis
Ativo não circulante
Imobilizado
Intangível
Aplicações nas
Operações
Estoques
Vendas a prazo
Custos
Despesas
Ativo circulante
Contas de resultados
Aplicações não
operacionais
Participações
Ativo não circulante
Investimentos
Download

Módulo IV - Estrutura das Demonstrações - 2014 (1)