A CRISE E O ENDIVIDAMENTO NO
CONTEXTO DAS COOPERATIVAS
BRASILEIRAS
Brasília, 26 de fevereiro de 2009
Efeitos da Crise Mundial
Análise do Ambiente Externo
- Desaceleração econômica mundial;
- Incertezas no curto, médio e longo prazo:
Volatilidade nas cotações das commodities;
Redução e encarecimento do crédito;
Forte contração das linhas de financiamento externo;
Desemprego;
Alteração no fluxo do comércio mundial;
Insegurança para investimentos produtivos.
Considerações sobre a taxa de câmbio
Queda na taxa: Reflexo da confiança internacional no
Brasil;
- Juros ainda elevados, reservas de US$ 200 bilhões, déficit na balança de
pagamentos dentro de limites aceitáveis e diminuição da dívida externa:
investimentos financeiros crescentes que inundam mercado e
valorizam o real;
- Problemas nos EUA: Déficit elevado nas contas públicas, crescimento da
dívida pública e ameaça chinesa de não financiar os déficits americanos
resultaram na desvalorização do dólar
Impactos na competitividade das exportações brasileiras;
Estímulo a importação e favorece a substituição de
produtos nacionais por bens externos.
Fonte: Cepea/Esalq (2009)
Impactos no Brasil: Exportações das
Cooperativas
1.400
1.273,3
1.200
Exportações (Milhões US$)
1.097,5
1.009,7
1.000
877,9
841,1
800
843,8
761,7
668,4
606,6
600
400
200
2008 2007
2008 2007
2008 2007
2008 2007
jan - mar
abr - jun
jul - set
out - dez
2009
0
Fonte: MDIC/SECEX – 2009
jan - mar
Evolução das Exportações das Cooperativas
e a taxa de câmbio
4.500
3,00
2,93
4.011
2,80
-1
Taxa de Câmbio (R$.US$ )
Exportações das Cooperativas
(Milhões US$)
4.000
3.500
3.301
3.000
2,44
2.500
2,60
2.832
2,40
2.253
2.002
2,20
2,18
2.000
2,00
1,95
1.500
1,84
1.000
1,80
500
1,60
0
1,40
2004
2005
2006
Exportações (Valores)
Fonte: MDIC/SECEX – Dez.2008; Série Dólar - CEPEA/ESALQ (2009) – Elaboração: Gemerc/OCB
2007
Câmbio
2008
Análise do Ambiente Interno
Pontos Fracos e Fortes
Pontos Fracos:
- Safra 2008/09 foi comprometida parcialmente com os
períodos de estiagem;
- Preocupações quanto ao impacto da aplicação da legislação
ambiental – perdas de áreas produtivas e custos de
reflorestamento;
- Entraves logísticos;
- Crédito rural insuficiente e custos elevados de produção;
- Oscilações de preços das commodities dificulta o
planejamento agrícola;
- Ausência de seguro de renda e endividamento do setor.
34.945
Valores Monetários (milhões R$)
35.000
35
34,4
30.000
28.844
30
26,9
25.000
25
19,7
20.000
15.000
10.000
15
13,0
10
9.467
9.400
20
5.696
5.000
5
4.011
1.379
1.233
0
0
Grãos*
Financiamento Concedido
Café
Cana-de-Açúcar
Custo de Produção
Bovinocultura**
Participação (%)
Participação do Financiamento no Custo
Produção (%)
Pontos Fracos – Crédito Rural
Pontos Fracos - Endividamento
60,0
Dívida Rural Total (R$ bilhões)
100,0
54,8
54,3
55,0
90,0
50,0
80,0
44,7
70,0
45,0
60,0
39,2
50,0
35,3
35,3
40,0
40,0
37,7
33,5
31,7
36,1
35,0
35,5
35,0
32,6
30,0
30,0
20,0
25,0
10,0
0,0
20,0
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
Dívida Total
Participação no PIB Agropecuário (%)
Participação no PIB Agropecuário (%)
110,0
Pontos Fortes:
- Produtores amparados por cooperativas possuem
assistência técnica permanente e planejam o processo de
comercialização de insumos e da produção;
- Em momentos de crise, as cooperativas socorreram seus
associados, em substituição a outros agentes financiadores;
- As cooperativas podem se unir por meio de
intercooperação;
- Representação das Frentes Parlamentares
Pontos Fortes:
- Representação conjunta das entidades permite melhor
formação de políticas públicas;
- Escala de produção e Emprego de tecnologia no campo;
- Capacidade de usos dos solos: 2 a 3 safras anuais;
- Diversidade de produtos;
- Integração na produção de carnes - frigoríficos e
complexos agroindustriais;
- Disponibilidade de área produtiva.
Conclusão:
Medidas Governamentais
Atenuadoras e Estruturantes
Medidas Adotadas:
- Reestruturação patrimonial e recuperação financeira das
cooperativas
- R$ 8,7 bilhões (Procap, Prodecoop, Subexigibilidade)
- Aumento no volume do PAP 2009/10: R$ 107,5 bilhões;
- Atenção s/ pequenos e médios produtores (ex: Proger Rural);
- Reclassificação de riscos nas operações do crédito rural;
- Aumento dos recursos p/ subvenção ao prêmio do Seguro;
- Ampliação do zoneamento
Medidas Necessárias :
- Instituição de instrumentos de mercado e de auto-liquidez
no Crédito Rural
- Controle do câmbio
- Utilizar mecanismos de derivativos para proteção (contratos
futuros de dólar)
- Evitar a especulação com taxas de câmbio
- Revisão e substituição de garantias
- Suprimento de fertilizantes
- Registro de defensivos genéricos
Medidas Necessárias:
- Controle das importações
- Reforma tributária
- Aceleração do PAC e Melhoria da logística
- Adequação de excepcionalidades à Lei 11.775/2008
- Instituição do Fundo Garantidor do Crédito Rural
- Regulamentação do Fundo de Catástrofe e efetivação do
Seguro Rural no país
- Criação do Seguro de Renda
- Alteração do Código Florestal
Obrigado!
Gustavo Prado
Gerência de Mercados
Organização das Cooperativas Brasileiras
gustavo.prado@ocb.coop.br
(61) 3217-2105
Download

apresentação