Boas Práticas em Serviços
de Interesse para a Saúde
É Possível?
Serviço de Interesse à Saúde
São estabelecimentos que exercem
atividades que, direta ou indiretamente,
podem provocar benefícios, danos ou
agravos à saúde
Boas Práticas de Funcionamento
São os componentes da Garantia da
Qualidade que asseguram que os
serviços são ofertados com padrões
de qualidade adequados
Principais Serviços de
Interesse à Saúde
Presídios e Cadeias Públicas
Presídios e Cadeias Públicas
 Serviço de Alimentação
Presídios
Presídios
e Cadeias Públicas
 Serviço de Saúde
Presídios
 Estrutura Física
IML e SVO
IML e SVO
 Sala de Necropsia
IML e SVO
 Resíduos
IML e SVO
 Climatização e Exaustão
ILPIs
CAPS
Comunidades Terapêuticas
Comunidades Terapêuticas
Unidades Socioeducativas
Unidades Socioeducativas em PE
Timbaúba:
Recife:
• 01 CASE
•
•
•
•
Vitória S. Antão:
• 01 CASE
Caruaru:
• 01 CENIP
• 01 CASE
• 01 CASEM
01 UNIAI
02 CENIP
01 CASE
03 CASEM
Abreu e Lima:
• 01 CASE
Cabo:
• 01 CASE
Jaboatão:
Arcoverde:
Petrolina
• 01 CENIP
• 01 CASE
• 01 CASEM
• 01 CASE/CENIP
• 01 CASEM
Garanhuns:
• 01 CASE/CENIP
• 01 CASEM
• 01 CASE
• 01 CASEM
Estratégias para a Inspeção
 UNIAI – Unidade de Atendimento Inicial
 Porta de entrada
 Adolescente apreendido permanece, no máximo, 72 horas
 Estrutura física: área de convivência
 Alimentos terceirizados
 CENIP – Centro de Internação Provisória
 Oriundo da UNIAI
 Adolescente apreendido permanece até 45 dias
 Estrutura física:
 Alojamentos
 Ambulatório
 Alimentos terceirizados
 Possui cozinha
Estratégias para a Inspeção
 CASEM – Casa de Semiliberdade
 Primeira entrada
 Ato infracional de menor gravidade
 Alguns adolescentes exercem atividades externas e retornam à noite
 CASE – Centro de Atendimento Socioeducativo
 Período de permanência de até 3 anos
 Separação por idade:
 12 a 14 anos
 15 a 17 anos
 > 18 anos
 Estrutura física:
 Ambulatório (consultórios médico e odontológico, enfermaria, sala
de atendimento do GOD – Grupo de orientação sobre drogadição)
 Ambulatório
 Serviço de Nutrição e Dietética
Situação em 10/10/2014
Tipo de Unidade
Unid. de Atend. Inicial
Unidade de Internação
Provisória
Unidade de Internação
Unidade de Semiliberdade
Nome Unidade
Capac.
•
UNIAI - Recife
15
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
CENIP Santa Luzia – Recife
CENIP Recife
CENIP Caruaru
CASE/CENIP – Arcoverde
CASE/CENIP – Garanhuns
CENIP - Petrolina
CASE - Santa Luzia – Recife(F)
CASE - Abreu e Lima
CASE - Cabo Sto. Agostinho
CASE – Jaboatão Guararapes
CASE – Timbaúba
CASE – Vitória de Santo Antão
CASE - Caruaru
CASE/CENIP – Arcoverde
CASE/CENIP – Garanhuns
CASE – Petrolina
CASEM - Santa Luzia – Recife
CASEM I - Recife
CASEM II - Recife
CASEM – Jaboatão Guararapes
CASEM – Caruaru
CASEM – Garanhuns
CASEM - Petrolina
20
90
60
05
18
33
20
98
166
72
60
72
100
21
35
40
20
20
20
20
20
20
20
Total
1.065
Faixa Etária
12 a 18 anos
12 a 18 anos
12 a 18 anos
15 a 17 anos
17 a 21 anos
12 a 15 anos
15 a 17 anos
15 a 16 anos
12 a 18 anos
12 a 18 anos
12 a 18 anos
12 a 18 anos
12 a 18 anos
Popul.
18
28
196
54
03
19
21
27
211
401
61
32
76
148
52
63
38
12
45
25
19
14
16
09
1.588
Risco Sanitário
Vigilância Sanitária
Conjunto de ações capazes de
eliminar, diminuir ou prevenir
riscos à saúde ....
Conceito de Risco
“A probabilidade da ocorrência de um
evento desfavorável”
(Blaise Pascal, 1654; apud BERNSTEIN, 1997).
Construção do Modelo
Processos de
Estrutura




Trabalho
Área Física
Equipamentos
Insumos
Recursos Humanos
Procedimentos e tecnologia aplicados corretamente
RESULTADOS
Análise de Riscos
GERENCIAMENTO
DO RISCO
AVALIAÇÃO DO RISCO
Desenvolvimento de
ações regulatórias
Identificação do dano
(o agente causa o efeito adverso?)
Avaliação de dose-resposta
(qual é a relação entre a exposição e a
incidência em humanos?)
Caracterização do
risco (qual é a incidência estimada do
efeito adverso numa
dada população?)
Avaliação das conseqüências econômicas,
sociais, políticas e de
saúde das opções regulatórias
Avaliação da exposição
(Quais exposições são experimentadas
ou antecipadas sob diferentes
condições?)
Decisões e
ações das
Agências
Gerenciamento do Risco
 Os riscos aumentaram/diminuíram?
 O perfil de risco do serviço mudou no tempo?
 Quais são os fatores de risco são importantes
para a prevenção de eventos adversos?
 Onde devemos concentrar esforços?
 Como devemos priorizar ações?
Obrigado
www.apevisa.pe.gov.br
apevisa@saude.pe.gov.br
 (81) 3181.6425 fax: 3181.6355
Download

Visa - PE