CIRANDA PAULO FREIRE: PESQUISA-AÇÃO-FORMAÇÃO NA
INTERFACE ENTRE UNIVERSIDADE E COMUNIDADE
ARLETE VIEIRA DA SILVA1
MARIA ANGÉLICA MOTTA DÓREA2
EDNA SERPA FERREIRA CORREIA3
EUNICE IJINO SANTANA4
RESUMO: Esta apresentação objetiva divulgar e promover as atividades do grupo
Ciranda Paulo Freire: coletivo de investigação reflexão e ação, fundamentado no
discurso e na análise das obras de Paulo Freire. Com sede na Universidade Estadual de
Santa Cruz (UESC) o grupo articula estudo, pesquisa e extensão em torno do tema da
alfabetização, da leitura, do exercício da cidadania e demais direitos do cidadão em
articulação com a proposta do educador Paulo Freire - referência na educação cidadã e
patrono da educação brasileira.
Palavras-chave: Paulo Freire; investigação; ação extensionista.
1 A Ação – Pesquisa – Formação: propósitos e ainda desafios
O educador Paulo Freire tem sido estudado e sendo motivo para elucidar
atividades na pesquisa e na extensão com a implantação do grupo Ciranda Paulo Freire.
Desde o ano de 2010 o grupo tem organizado ações que demarcam a presença deste
educador na comunidade universitária. Inicialmente com possibilidades de parcerias
1
Doutoranda em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Mestre
em Ciências da Educação pela Universidade Federal de Pelotas – UFPel. Professora do Departamento de
Letras e Artes da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. E-mail: arletevs@gmail.com
2
Especialista em Saúde Mental e em Educação Especial pela Universidade Estadual de Santa Cruz –
UESC. E-mail: gelocauesc@hotmail.com
3
Especialista em Educação Inclusiva Especial pela Faculdade do Nordeste de Minas – FINOM. E-mail:
edna_serpa@hotmail.com
4
E-mail: eunice_ijino@hotmail.com
1
com o Instituto Paulo Freire (SP) originou-se o Núcleo Instituto Paulo Freire Sul da
Bahia para que os objetivos e ações do Instituto pudessem ser contemplados no Sul da
Bahia. Neste mais de três anos de caminhada o Núcleo confirmou seus ideais em propor
debates e ações em torno da educação nordestina, como nossa razão filosófica. Numa
ação do projeto de Extensão Fórum de Debates do DCIE realizamos um seminário sobre
a EJA. Em reuniões mensais estudamos as obras freirianas e assim o livro Pedagogia da
Autonomia com a proposta de revisitar as Memórias da prática educativa. A obra
Pedagogia do Oprimido (1986) foi abordada em seu discurso fenomenológico. No
mesmo ano a participação com o tema Experiências pedagógicas na universidade - o
Núcleo IPF Sul da Bahia no evento II Colóquio Práticas Inovadoras na universidade
promovido pelo PPGEDUC - UNEB. No ano de 2012 elaboramos o projeto de
pesquisa: “Andanças” e influências político-pedagógicas do Educador Paulo Freire na
região Sul da Bahia, no sentido de mapear os percursos de Paulo Freire no Sul da Bahia
e catalogar as experiências, os discursos e as memórias produzidas em torno do
pensamento freiriano. Entendemos que ao elaborarmos um banco de dados, da memória
histórica, do percurso feito pelo educador Paulo Freire e os grupos que se fundamentam
em sua pedagogia, estaremos identificando o percurso teórico demarcado nas categorias
de conhecimentos por ele abordadas. A elaboração desse banco de dados é a
possibilidade de construção de uma rede de pessoas e de instituições e,
consequentemente, o fomento e a potencialização de grupos de estudos e pesquisas em
torno do legado freiriano. O Projeto, portanto, objetiva promover na UESC, o encontro
de culturas, ancorados nos diferentes saberes dos grupos/movimentos sociais que ora
compõem e vivem, no entorno da UESC, a perspectiva freiriana.
Em avaliação de nossas ações no ano de 2012 o grupo resolveu reinventarse ao se configurar com a promoção de ação, reflexão e investigação que, a partir das
obras de Paulo Freire estivesse mais presente na comunidade e na pesquisa e extensão
universitária, ou seja, concretizar projetos acadêmicos que transitem em diálogos
efetivos com a comunidade de abrangência da UESC. Para tanto, o estudo das obras se
manteve na forma de diálogos em reuniões quinzenais. Até o presente momento
aprofundamos questões voltadas para a leitura e a formação do leitor com as memórias
de Paulo Freire acerca da leitura revisitadas na obra A importância do ato de ler em
três artigos que se completam. Além da pesquisa propomos a atividade Circulo de
Cultura: Paulo Freire Itinerante que, vinculado a uma parceria com as secretarias de
2
educação, objetiva a reflexão sobre a alfabetização de adultos na perspectiva da
pedagogia de Paulo Freire.
2 Considerações ainda em Aberto
Com a presença do grupo Ciranda Paulo Freire nas atividades descritas,
percebemos que ainda há muito a ser feito no sentido de estabelecer a interface com a
comunidade, ou seja, provocar a reflexão sobre a pedagogia de Paulo Freire. Dessa
forma, atividades como a organização de um banco de dados com os grupos
comunitários, movimentos sociais e das ações desenvolvidas a partir de Paulo Freire
estaremos constituindo uma rede de pessoas e de instituições para fomentar e
potencializar a extensão universitária em seus reais objetivos. Serão grupos distintos,
dentro e fora da universidade, concretizando a ação-pesquisa e a formação.
Referências
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
_______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à pratica educativa. São
Paulo: Paz e Terra, 1997.
_______. A importância do Ato de Ler em três artigos que se completam. In: FREIRE,
Paulo. A Importância do Ato de Ler em Três Artigos que se completam. 29. ed. São
Paulo: Cortez, 1994 (Coleção Questões de nossa época)
SILVA. Arlete Vieira da. Experiências pedagógicas na universidade - o Núcleo IPF Sul
da Bahia no evento II Colóquio Práticas Inovadoras na universidade promovido pelo
PPGEDUC – UNEB, 2011.
3
Download

CIRANDA PAULO FREIRE: PESQUISA-AÇÃO