UFLA‐ Universidade Federal de Lavras
DBI‐ Departamento de Biologia/ Setor de Ecologia e Conservação
PPG Ecologia Aplicada
ICTIOFAUNA DE RIACHOS DA BACIA DO RIO ARAGUARI, MG: ESTRUTURA, COMPOSIÇÃO E RELAÇÕES COM ASPECTOS GEOGRÁFICOS E AMOSTRAIS. Nara Tadini Junqueira/ Paulo dos Santos Pompeu/ Robert M. Hughes
Março 2011
Introdução
A habilidade em manter uma comunidade biótica
equilibrada ser um dos melhores indicadores da
integridade dos corpos d’água (KARR, 1981).
Peixes: importante papel na conservação e
manejo dos recursos hídricos.
Conhecimento sobre as comunidades de peixes
e o ambiente em que vivem.
Introdução
A maior parte da diversidade da fauna de peixes neotropical pode ser
atribuída às espécies de pequeno a médio porte, que estão
distribuídas principalmente em riachos (LOWE MCCONNELL, 1999).
Elevado grau de endemismo
Distribuição geográfica restrita
Introdução
Ictiofauna da bacia do rio Araguari: lacuna no conhecimento da região do Alto
Paraná.
Intensas atividades antrópicas: agropecuária, urbanização crescente e
projetos hidrelétricos.
Estudos em riachos na região tornam-se prioritários
para o conhecimento da sua ictiofauna, antes que
informações sejam perdidas.
Material e Métodos
Coleta de peixes com peneiras,
padronizadas de acordo com o tempo.
Material e Métodos
Avaliação do estado de conservação de cada córrego: baseada em dados
gerados pelo mapeamento do uso e ocupação do solo, além das variáveis
abióticas relacionadas com a cobertura vegetal e o grau de impacto humano.
Análise dos componentes principais (PCA)
Ordenar os grupos de córregos formados pelo PCA, em função da composição das
espécies.
Escalonamento multidimensional não-métrico (NMDS), distância Bray-Curtis
Material e Métodos
Verificar diferenças significativas entre os grupos ordenados pelo NMDS.
Análise de similaridade ANOSIM
Avaliar a contribuição de cada espécie na separação dos grupos observada pelo NMDS.
Análise de porcentagem de similaridade (SIMPER)
Verificar a relação entre a similaridade em composição de espécies (distância de
Jaccard) e a distância geográfica (km) dos trechos amostrais.
Teste de Mantel com 5.000 randomizações
Material e Métodos
Curva de acumulação de espécies para riachos, com intervalo de confiança 95%.
riqueza/ singletons/ doubletons/ uniques
Quantos riachos são necessários para se amostrar 95% da riqueza estimada pelo
estimador Jackknife 1?
Equação logarítmica ajustada aos dados de riqueza
Resultados e Discussão
4365 exemplares
86,34%
Characiformes
+
Siluriformes
6 ordens
14 famílias
25 gêneros
38 espécies
34,21% Siluriformes
34% das espécies não descritas!
Characiformes
Siluriformes
52,63% Characiformes
Resultados e Discussão
Characidae (46,96%)
Trichomycteridae (16,54%)
Astyanax scabripinnis (33,63%)
Loricariidae (16,17%)
2 espécies introduzidas (LANGEANI et al., 2007)
Knodus moenkhausii
Poecilia reticulata
Resultados e Discussão
70
70
60
Representatividade %
Representatividade %
60
50
40
30
20
50
40
30
20
10
10
S
N
0
Onívoro
Invertívoro
Detritívoro
Piscívoro
Representatividade (%) do número de
espécies (S) e do número de indivíduos (n)
em cada guilda trófica de peixes coletados em
38 riachos da bacia do rio Araguari-MG.
S
N
0
Bentônico
Nectônico
Nectobentônico
Representatividade (%) do número de espécies
(S) e do número de indivíduos (n) de três grupos
de posição na coluna d’água de peixes
coletados em 38 riachos da bacia do rio
Araguari-MG.
Resultados e Discussão
4
1.0
3
Agricultura
5612
2
9757
15048
1
Urbano
Varzea
w1_hall
CP2: 24,25%
CP2 : 24,25%
0.5
Campos
0
110
-1
203
47
-2
12
7308
xcdenmid
0.0
28
251
-3
-4
Cerrado
-5
-0.5
-6
-10
Pasto
-1.0
-0.5
0.0
-6
-4
-2
CP1: 34,74%
Floresta
-1.0
-8
0.5
1.0
CP1 : 34,74%
Projeção de nove variáveis ambientais de
38 riachos da bacia do rio Araguari, nos
dois primeiros eixos da Análise dos
Componentes Principais (PCA).
0
2
4
6
Resultados e Discussão
Representação gráfica da ordenação resultante da análise de escalonamento multidimensional nãométrica (NMDS) de 38 riachos da bacia do rio Araguari. Stress=0,22.
Resultados e Discussão
Espécie
Contribuição % Preservado Impactado
Astyanax scabripinnis
27,04
42,1
3
Trichomycterus sp.2
17,32
17
0
Poecilia reticulata
8,94
0
7
Hypostomus sp.
6,54
4,43
0
Neoplecostomus sp.
5,80
3,43
0,67
Astyanax scabripinnis
Trichomycterus sp.2
Poecilia reticulata
Abundância média das cinco espécies
que
melhor contribuíram para a
significativa diferença da composição de
espécies de peixes em sete riachos
preservados e três impactados da bacia
do rio Araguari, com suas respectivas
contribuições (SIMPER).
Hypostomus sp.
Neoplecostomus sp.
Através do teste de Mantel foi possível observar que houve relação entre a
distância entre os locais amostrados e a similaridade na composição de espécies
(r= 0,211; p=0,006).
Resultados e Discussão
40
Número acumulado de espécies
35
30
25
20
15
10
Sobs
Singletons
Doubletons
Uniques
5
0
Riachos
Curvas de acumulação de espécies para valores observados de riqueza,
singletons, doubletons e uniques em 38 riachos da bacia do rio Araguari.
CONCLUSÕES
™ Esforço amostral: primeiro passo para transpor dificuldades econômicas e
temporais associadas a realizações de inventários biológicos.
™ Necessidade de investimentos em trabalhos taxonômicos e de sistemática.
™ Avanço das atividades humanas na região afeta diretamente os ecossistemas
estudados.
™ Heterogeneidade ambiental: fator mais comum associado aos resultados das
curvas de acumulação.
™ Planejamento do uso da terra e manutenção da qualidade dos cursos d’água.
™ Informações levantadas abrem caminho para elaboração de um Índice de
Integridade Biótica para a região.
CONCLUSÕES
“NO
CONTEXTO
BIOLÓGICO,
DE
NOSSO
MONITORAMENTO
ATUAL
PAPEL
COMO
PESQUISADORES É GERAR FERRAMENTAS E
COLOCÁ-LAS A DISPOSIÇÃO PARA USO DO
PODER PÚBLICO E BENEFÍCIO DA SOCIEDADE
E DA VIDA EM GERAL”.
Oliveira et al. (2008)
OBRIGADA!
naratadini@yahoo.com.br
Download

ICTIOFAUNA DE RIACHOS DA BACIA DO RIO ARAGUARI