PREVALÊNCIA DE SÍNDROME
METABÓLICA EM PROFISSIONAIS
MOTORISTAS.
Avany F. Pereira, Ana Elisa. M. Rinaldi,
Wilson Luvizotto Medina, João Felipe Mota
Franz H. P. Burini, Roberto C. Burini
www.cemenutri.fmb.unesp.br
cemenutri@fmb.unesp.br
CeMENutri -Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição.
Departamento de Saúde Pública - Faculdade de Medicina de
Botucatu- UNESP.
RESUMO
Introdução: A Síndrome Metabólica (SM) é representada pelo conjunto de alterações
metabólicas que elevam o risco para desenvolvimento e/ou agravam as doenças crônicas nãotransmissíveis.
Objetivo: Avaliar a prevalência de SM e seus componentes em universo de motoristas da
UNESP.
Métodos: Foram estudados 87 homens com média de idade de 46+7 anos e IMC de 28,6 + 3,9
kg/m2. Para análise das concentrações de glicose, triglicerídios e HDL-colesterol realizou-se
coleta de sangue após jejum de 12 horas pelo método enzimático colorimétrico. A circunferência
da cintura foi medida com fita métrica inelástica e inextensível no ponto médio entre a última
costela e a crista ilíaca. Para diagnóstico da SM foi utilizado o critério do NCEP/ ATPIII, 2001.
Para o cálculo das prevalências e médias utilizou-se análise estatística descritiva e teste tstudent (dependente) para verificar diferença entre as médias, com nível de significância de 5%.
Resultados: Pode-se observar que o componente mais prevalente foi o HDL-colesterol (60,9%),
seguido dos triglicerídios (47,1%) e circunferência da cintura (39%). Dentre os participantes do
estudo 26,4% (n=23) apresentaram SM. Dos quatro componentes avaliados todos apresentaram
valores médios significativamente diferentes quando comparados aos não portadores de SM. O
principal componente observado nos indivíduos sem SM foi a hipertrigliceridemia (100%),
seguida da hiperadiposidade abdominal (91%), HDL-colesterol reduzido (87%) e hiperglicemia
(30%).
Conclusões: Foi observada elevada prevalência de SM com ênfase na hipertrigliceridemia e
hiperadiposidade abdominal nos motoristas avaliados. Este fato sugere a necessidade de
intervenção com mudança do estilo de vida, objetivando a redução do risco associado a SM.
Apoio: CNPq/CAPES/FAPESP.
INTRODUÇÃO
MÁ ALIMENTAÇÃO
SEDENTARISMO
Síndrome
Metabólica
Hiperglicemia
Hipetrigliceridemia
(+)
FATORES DE RISCO
HDL-reduzido
Hipertensão Arterial
Hiperadiposidade abdominal
DOENÇAS CRÔNICAS
NÃO TRANSMISSÍVEIS
OBJETIVO
Avaliar a prevalência de síndrome metabólica e de seus
componentes em universo de motoristas da UNESP.
INDIVÍDUOS
Foram estudados 87 homens
Profissionais motoristas da UNESP.
Todos os participantes do estudo assinaram o termo de
consentimento livre e esclarecido.
Pesquisa aprovada pelo comitê de ética e pesquisa da
Faculdade de Medicina de Botucatu
MÉTODOS
 Medida de pressão arterial:
- Avaliação Clinica (aparelho digital OMRON, mod. HEM-413C)
 Avaliação da composição corporal:
- Peso corporal e estatura (Balança digital do tipo plataforma);
- Índice de Massa Corporal (IMC) = kg/m2 (WHO,2002)
- Circunferência de cintura: Fita inelástica e inextensível. Padrões de
normalidade: Homens <102 cm, Mulheres < 88 cm.
 Dosagens Bioquímicas:
- Glicose e triglicerídios (Química seca - Johnson & Johnson 750/950)
- HDL-colesterol – método enzimático colorimétrico
CRITÉRIO DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME METABÓLICA:
NCEP/ ATP III (2001)
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Análise estatística descritiva
Teste T- student dependente para verificar diferença entre as médias
Nível de significância – 5%
RESULTADOS
Tabela 1 – Caracterização geral da amostra
Variáveis
Idade (anos)
PAS (mmHg)
PAD (mmHg)
Glicose (mg/dL)
HDL-colesterol (mg/dL)
Triglicerídios (mg/dL)
IMC (kg/m2)
Circunferência de cintura (kg/m2)
Indivíduos (n=87)
46  7
140  10
85  9
98  25
40  7,5
200  90
28,6  3,9
100  8
PAS- pressão arterial sistólica; PAD- pressão arterial diastólica; IMC – índice de massa corporal.
RESULTADOS
Figura 1 – Prevalência de síndrome metabólica
74
80
70
60
50
40
30
20
10
0
26
Com SM
Sem SM
RESULTADOS
Figura 2 – Percentual de componentes mais prevalentes
nos portadores de Síndrome Metabólica
% 70
60
61
50
47
40
39
30
20
10
abdominal
Hiperadiposidade
TG
HDL-reduz
0
HDL-reduzido
TG- hipertrigliceridemia
CONCLUSÕES
- Foi observada elevada prevalência de SM com ênfase
na hipertrigliceridemia e na hiperadiposidade abdominal
nos motoristas avaliados.
-Este fato sugere a necessidade de intervenção com
mudança de estilo de vida, objetivando a redução do
risco associado a SM.
Download

Pôster - Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição