DETERMINAÇÃO DE RETINOL POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIACLAE EM MOZZARELLA DE BÚFALA
DETERMINATION OF RETINOL FOR HIGH-PERFORMANCE LIQUID CHROMATOGRAPHYHPLC IN MOZZARELLA OF BUFFALO
Sabrina da Silva Dias1, Ronoel Luiz de Oliveira Godoy2, Rosana Colatino Soares Reis3, Sidney
Pacheco2
1. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Departamento de Tecnologia de Alimentos.
UFRRJ, email: sabrinaduff@gmail.com
2. Embrapa Agroindústria de Alimentos - CTAA.
Palavras-chave: Vitamina A, fonte alimentar, leite de búfala
Introdução
A vitamina A possui papel essencial em inúmeras funções do organismo como visão,
crescimento, desenvolvimento embrionário, e funções imunológicas (TIETZ, 2008). As fontes
dietéticas de vitamina A podem ser o retinol e alguns carotenóides. O retinol só pode ser
encontrado em tecidos animais, tendo como fontes principais, o fígado, óleo de fígado de
peixes, leites integrais e derivados, ovos e carne de aves. Os carotenóides com atividade de
pró-vitamina A são, por exemplo, α-caroteno, β-caroteno, β-criptoxantina, encontrados em
vegetais e frutas alaranjados (OLSON, 1988; CHAGAS et al, 2003). O leite de búfala possui um
alto valor nutritivo e é uma excelente matéria-prima para o preparo de produtos lácteos. O
produto apresenta maiores teores de gordura, proteína, extrato seco total e alguns minerais, em
relação ao leite bovino. Uma das características dos derivados e do leite de búfala é a sua
coloração branca, fato que ocorre devido à ausência de pigmentos carotenóides que são
responsáveis pela coloração amarela nos produtos elaborados com o leite de vaca. No leite de
búfala ocorre a presença apenas de retinol substância que se apresenta incolor (VERRUMA e
SALGADO, 1994; AMARAL et al, 2005).
Objetivos
O trabalho tem como objetivo determinar a quantidade de retinol, por cromatografia líquida de
alta eficiência - CLAE, em queijo mozzarella.
Material e métodos
Foram pesados em balança analítica 20g de mussarela de leite de búfala e colocados sob
aquecimento em banho-maria a 40oC por 30 minutos a 80rpm. Após aquecimento foram
adicionados 50mL de solução saponificante de KOH a 20% (p/v) e pirogalol a 1% (p/v) em
metanol, que reagiu por 3 horas protegido de luz (CAMPOS, 2005). Posteriormente a
saponificação, a re-extração do retinol foi obtida com 100 mL de solução de éter etílico em éter
de petróleo a 20% (v/v). As análises cromatográficas foram realizadas em cromatógrafo
modular, com injetor automático W-717, bomba analítica W-600, detector de arranjo de
fotodiodos 996, todos os equipamentos da marca Waters ®. As condições cromatográfica
utilizadas foram coluna cromatográfica YMC®C30 Carotenoid (250x4,6mm x 3µm), a temperatura
de 33ºC, fluxo de 0,8mL/minuto, volume injetado de 15µL, com tempo de análise de 28 minutos,
gradiente de éter metil terc-butílico: metanol variando de 20 a 90% e para a quantificação
espectrofotômetro modelo UV – 1800 – Shimadzu.
Resultados e discussão
As amostras foram quantificadas utilizando a curva de calibração elaborada com retinol isolado
de fígado bovino. Os resultados foram analisados em espectrofotômetro a 325nm. Para
identificação das substâncias foram levados em consideração o tempo de retenção da
323,2 nm
323,2
0,010
AU
0,010
Retinol
substância e o espectro na região de ultravioleta característico de cada substância, como
representado na figura 1.
0,005
300,00
AU
521,9
410,5 434,6453,9470,9
0,000
350,00
400,00
450,00
500,00
552,3
550,00
598,7
600,00
nm
0,005
0,000
5,00
10,00
15,00
20,00
25,00
Minutes
Figura 1: Cromatograma e espectro na região de absorção do retinol extraído de
mozzarella de búfala
A concentração de retinol nos queijos bubalinos variou entre 24,12µg/100g e 38,40µg/100g. Na
literatura pode-se encontrar a concentração de retinol em leite humano, caprino e bovino.
Segundo Melo (2005) a quantidade de retinol em leite caprino variando entre 23,1µg/100mL a
40,5µg/100mL,. Soares et al (2008) analisando leite bovino observou variação de 22,7µg/dL a
44,1µg/dL e Bianchini e Penteado (1999) encontrou valores entre 21,25µg/100g a
36,25µg/100g. Segundo o Food and Nutrition Board, (2001), a recomendação diária de
consumo (RDA) para recém nascidos é de 400 µg/dia de retinol, para crianças de 0,5 a 13 anos
de 500 a 600 µg/dia de retinol, para mulheres e homens até 51 anos ou mais de 500 a
700µg/dia de retinol. Dessa forma, a incorporação dos derivados bubalinos poderia auxiliar na
diversificação dos produtos com maior concentração dessa vitamina, evitando a monotonia
alimentar.
Conclusão
De acordo com os resultados analisados, o queijo mussarela elaborado com leite de búfala
poderia ser uma boa fonte alimentar de retinol, sendo uma alternativa no processo de
recuperação da hipovitaminose A.
Referências
AMARAL, F.R.; CARVALHO,L.B.; SILVA, N.da; BRITO,J.R.F. Qualidade do leite de búfalas: composição. Revista Brasileira de
Reprodução Animal. Belo Horizonte. V.29,n.2,p.106-110,2005.
BIANCHINI, R.; PENTEADO, M.D.V.C. Teores de retinol, β-caroteno e -tocoferol em leites bovinos comercializados na
cidade de São Paulo. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.19,n.3, pp.340-355, 1999.
CAMPOS, J.M.Perfil dos níveis de vitaminas A e E em leites de doadoras primíparas e multíparas em bancos de leite humano.
Dissertação. Universidade Federal de Pernambuco. Recife, PE, pp. 74, 2005.
CHAGAS, M.H.C.; FLORES, H.; CAMPOS, F.A.C.S.; SANTANA, R.A.; LINS, E.C.B. Teratogenia da vitamina A. Revista Brasileira
de Saúde Materno-Infantil, v.3,n.3, pp. 247-252, 2003.
FOOD AND NUTRITION BOARD. Institute of Medicine. Dietary Reference Intake for vitamin A, vitamin K, Arsenic, boron, chromium,
copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium and zinc. Prepublication report. Washington, DC: National
Academy Press; 2001.
MELO,C.U. Influência da alimentação sobre os níveis de retinol no leite caprino. Dissertação de mestrado. Universidade
Federal do Rio Grande do Norte. Natal/RS, p. 64, 2005.
OLSON, J.A. Provitamin A function of carotenoids: The conversion of β-caroteneinto vitamin A. The Jounal of nutrition, pp.
105-108, 1988.
SOARES, F.B.; SOUSA, J.M.; DIMENSTEIN, R. Avaliação da concentração de retinol em leite UHT comercializado em Natal,
Rio grande do Norte. Química Nova, v.31, n.2, p. 268-269, 2008.
TIETZ. Fundamentos de Química Clínica, Ed.6. Rio de Janeiro: Elsevier, 959p., 2008.
VERRUMA, M.R.; SALGADO, J.M. Avaliação química do leite de búfala em comparação ao leite de vaca. Scientia Agricola,
v.51, n.1. 1994. p.131-137
Autora a ser contactada: Sabrina da Silva Dias, Embrapa Agroindústria de Alimentos, Rio de Janeiro, email:
sabrinaduff@gmail.com
Download

DETERMINAÇÃO DE RETINOL POR