APIMEC
Rinaldo Campos Soares
Diretor Presidente
Paulo Penido Pinto Marques
Diretor de Finanças e RI
Maio de 2004
AGENDA
 O CENÁRIO ATUAL DA SIDERURGIA MUNDIAL
 TENDÊNCIAS OBSERVADAS NA SIDERURGIA MUNDIAL
 O POSICIONAMENTO DO BRASIL E DA USIMINAS NO
CONTEXTO DA SIDERURGIA MUNDIAL
 O DESEMPENHO DA USIMINAS NO 1º TRIMESTRE 2004
 MENSAGENS FINAIS
CENÁRIO ATUAL DA
SIDERURGIA MUNDIAL
EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇO
Consumo mundial de aço
Mt
1200
1000
+2.5%
TACM
+4.4%
TACM
1980
2000
+5.7%
TACM
800
600
+3.6%
TACM
400
200
0
1900
1920
1940
1960
2003
-3-
PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇO - 2003
milhões de toneladas
220,1
110,5
90,4
62,7
China
Japão
EUA
Rússia
46,3
44,8
36,9
31,8
31,1
26,7
Coréia Alemanha Ucrânia Índia
Brasil
Itália
Fonte: International Iron and Steel Institute - IISI
-4-
A INDÚSTRIA SIDERÚRGICA AINDA
ESTÁ BASTANTE FRAGMENTADA
94%
Participação das Cinco Maiores Empresas
80%
65%
70%
60%
50%
Fragmentação
36%
30%
17%
Minério Equipa- Carvão
de Ferro mentos
Siderúrgicos
Fornecedores
48%
Aço
25%
C. Civil
Aço
25%
Esta- Embala- Automo- Produtos Celulose Aço
leiros
gens bilístico Químicos
Inox
Gases
Consumidores
Alumínio
Outros produtos
Fontes: IBS/ Usinor - Outras Apresentações Usinor. Nova Iorque,
-5-
A TENDÊNCIA OBSERVADA
É DE CONSOLIDAÇÃO . . .
Volume de produção dos 10 maiores
players globais (Mt)
Participação na produção total
dos 10 maiores players globais(%)
245
195
211
165
24
26
1999
2001
27
20
1998
1999
2001
2002
1998
2002
Acredita-se que em 2007, as 10 maiores siderúrgicas
somarão uma capacidade de produção acima de 300 Mt
Fonte: Usiminas
-6-
. . . E DE DESLOCAMENTO GRADUAL DA
PRODUÇÃO PARA PAÍSES EMERGENTES
Custo e Aspectos Ambientais Estão Criando Pressão Para “Desconstrução”
% da capacidade global de produção
TACC
100%
(2000-2010)
80%
60%
48%
42%
0.2%
69%
85%
81%
40%
52%
20%
58%
3.3%
Principais razões para
deslocamento da produção
Países em desenvolvimento estão
crescendo mais rápido que os da
OECD
OECD está terceirizando produção de
aço aos países em desenvolvimento
(desconstrução)
• Competitividade de custos
• Aspectos ambientais
31%
15%
19%
0%
Regiões-chave
1970 1980 1990 2000 2010
Países da OECD
Países em desenvolvimento
Brasil
Rússia & Ucrânia
China
Fonte: WSD; Análise BCG
-7-
SEIS DESAFIOS PELO MENOS ESTÃO
TRANSFORMANDO A INDÚSTRIA GLOBAL DO AÇO
Deslocamento geográfico da produção
Consolidação
regional
Globalização
Indústria global
do aço
Consolidação
do complexo
exportador
da Rússia e
Ucrânia
Alianças
Globais
Crescimento
da China
-8-
TENDÊNCIAS OBSERVADAS
NA SIDERURGIA MUNDIAL
VISÃO DE LONGO PRAZO DA INDÚSTRIA
SIDERÚRGICA COM BASE NAS TENDÊNCIAS OBSERVADAS
 Consolidação e surgimento de players globais
 Desconstrução e deslocamento da produção
 Emergência da China
 Revitalização da Rússia
- 10 -
DENTRO DESTA TRANSFORMAÇÃO, O PAPEL
DE CADA REGIÃO PRODUTORA ESTÁ EVOLUINDO (I)
EUA e Europa Continuam Protegidos, Em Processo de Consolidação
Estados Unidos
• Custos de produção entre os maiores do mundo ...
• ... mas sindicatos fortes impedem terceirização de
produção para países mais baratos
• Protecionismo deve continuar no médio prazo (no
período 2005 a 2010) ...
• ... com potencial para o mercado virar grande
importador de placas apenas no longo prazo
Europa
• Liderando o processo de consolidação, com alta
concentração nos países individuais
• Porém, continua com grande excesso de
capacidade...
• ... limitando importações
• Empresas-líderes (ex. Arcelor) expandindo
presença fora da Europa
- 11 -
SIDERÚRGICAS DOS PAÍSES OECD LIDERANDO A
CONSOLIDAÇÃO E EXPANSÃO INTERNACIONAL
Alguns Exemplos
Arcelor
Thyssen Krupp
Ispat
• 15+ países
• 13 países
• 43 Mt
• 32 Mt
• US$21B
vendas
• US$9B
vendas
• 105k
funcionários
• 100k
funcionários
Corus
NKK
- 12 -
DENTRO DESTA TRANSFORMAÇÃO, O PAPEL
DE CADA REGIÃO PRODUTORA ESTÁ EVOLUINDO (II)
Revitalização da Rússia/Ucrânia, Emergência da China
Rússia e Ucrânia
• Região de baixo custo de produção
• Potencial para liderar desconstrução na Europa
• Principais empresas aumentando produção após
longo período em declínio
- Tanto de placas como de produtos de maior
valor agregado
Ásia
• China como maior produtor e (por ora)
importador do mundo e com crescimento
expressivo
- Oportunidade e ameaça
• Japão com altos custos e excesso de capacidade
• Ásia aumentando papel como região exportadora,
particularmente para os Estados Unidos
- 13 -
CHINA APRESENTA CRESCIMENTO EXPRESSIVO ...
Crescendo Duas Vezes Mais Rápido Que a Indústria do Aço no Mundo
(Mt)
Consumo mundial de aço – histórico e previsto
1.200
1.100
1.028
TACC
2002 – 2010
1.000
Mundo
3,0 %
900
800
700
600
500
308
400
China
300
+6,2 %
200
-0,2 %
134
100
+0,7 %
110
0
1990
1992
1994
1996
1998
2000
2002
2004
2006
2008
EU-15
EUA
2010
China já é o maior produtor e consumidor de aço no mundo
Fonte: WSD Global Steel Product Mix–Apparent Consumption Finished & Semifinished Products 2002; análise BCG
- 14 -
... E HOJE CHINA É O MAIOR IMPORTADOR DE AÇO
Balança comercial de aço (Mt)
17,9
Importadores
8,3
4,6
1,5
-2,1
Exportadores
-14
-17,6
China
NAFTA
Ásia UE-15
(resto)
América
do Sul
CIS
Japão
As importações chinesas têm sido um fator importante na recente
recuperação de preços
Fonte: ISSB; CRU; WSD; VEDh; Beijing Metal Consulting; China Metals; análise BCG
- 15 -
O POSICIONAMENTO DO BRASIL
E DA USIMINAS NO CONTEXTO
DA SIDERURGIA MUNDIAL
O BRASIL TEM CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA OCUPAR
UM PAPEL DE LIDERANÇA NO FUTURO DA INDÚSTRIA ...
Abundante minério de ferro de alta qualidade
Usinas com localização favorável e tecnologia moderna
Custos competitivos
Qualidade nos produtos e na gestão ambiental
Controle preponderantemente nacional e 100% privatizado
Quadros capacitados (operação e gestão)
- 17 -
DESEMPENHO SUPERIOR DA SIDERURGIA
BRASILEIRA BASEADO PRINCIPALMENTE NA
ÓTIMA COMPETITIVIDADE EM CUSTOS
Brasil com os custos de produção
mais baixos do mundo ...
Custo de Produção – Bobina Quente – 2002
... devido a uma série de fatores
Tecnologia e equipamentos modernos
(€/t)
Elevada produtividade da mão-de-obra
Brasil
Disponibilidade de minérios de alta
qualidade
Usinas bem localizadas em relação ao
abastecimento de insumos ...
CIS
Ásia
China
Japão
União
Européia
EUA
Capacidade
(M t)
... e próximas aos mercados
consumidores (com logísticas
favoráveis)
Gestão moderna e atualidade tecnológica fazem da
siderurgia brasileira uma das mais competitivas do mundo
Fonte: CRU International
- 18 -
MAIORES PRODUTORES DE AÇO NO BRASIL - 2003
milhões toneladas
Acesita
Outros 2% USIMINAS /
6%
COSIPA
Belgo Mineira
28%
9%
CST
16%
CSN
17%
Gerdau
22%
Fonte: IBS - 2004
- 19 -
O SISTEMA USIMINAS É O LÍDER
DA AMÉRICA LATINA EM AÇOS PLANOS
Capacidade: 9,5 Mt
Receita Líquida 2003: R$ 8,7B *
EBITDA 2003: R$ 3,1B *
Empregos Diretos: 18.000
Linha completa de produtos
desde placas até revestidos
* Dados Consolidados
- 20 -
E CHEGAMOS A UM SISTEMA COM
UMA POSIÇÃO SÓLIDA NO MERCADO
COSIPA
2003
DUFER
1991
Novas Oportunidades ...
USICENTRO
Estratégia
USIMINAS
MECÂNICA
RIO NEGRO
AÇO
NOVOS NEGÓCIOS
80
20
USIPARTS
MRS
USIMINAS
FASAL
UNIGAL
USIFAST
SIDERAR
SIDOR
- 21 -
NOSSA AGENDA DE CRIAÇÃO DE VALOR ESTÁ SUPORTADA
POR UMA ORGANIZAÇÃO COMPROMETIDA E PREPARADA
Agenda de Criação de Valor
Compromisso com o Acionista
Métricas
GVA
Planejamento
Gestão
Pessoal capacitado (Mais de 500 pessoas treinadas)
- 22 -
O DESEMPENHO DA USIMINAS
NO 1º TRIMESTRE 2004
VENDAS
(mil toneladas)
31 de Março, 2004
Usiminas
4.103
4.182
21%
20%
21%
Usiminas + Cosipa
4.313
4.044
25%
8.011
7.710
7.722
2.119
6.602
1.031
80%
79%
2001
79%
2002
75%
2003
2004E
18%
4T
30%
19%
30%
31%
1.822
3T
81%
1.939
1T04
Cosipa
3.540
3.666
2T
3.698
82%
40%
41%
28%
1.830
2.499
13%
1.910
37%
2001
70%
2002
1T
69%
2003
70%
2004E
72%
1T04
879
87%
60%
2001
2002
59%
2003
63%
2004E
38%
Mercado Externo
Mercado Interno
62%
1T04
- 24 -
PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) - MERCADO INTERNO
31 de Março, 2004
TOTAL
35%
22%
Automobilístico
54%
Auto-Peças
6%
58%
Tubos Peq. Diâmetro
40%
6%
19%
36%
43%
38%
77%
Tubos Grande Diâmetro
Utilidades Domésticas
30%
Eletro-Eletrônicos
19%
7%
9%
21%
Construção Civil
11%
7% 8%
54%
85%
22%
0%
40%
79%
35%
Distribuidores
4%
63%
51%
Construção Naval
Embalagens
43%
30%
20%
Usiminas
48%
40%
Cosipa
60%
80%
100%
Outros
Usiminas + Cosipa = 57%
- 25 -
EXPORTAÇÕES
31 de Março, 2004
Usiminas + Cosipa
Volume: 2,4 milhões/t.
2003
Espanha
Bélgica
2%
Argentina
4%
2%
Outros
7%
Usiminas + Cosipa
Volume: 0,5 milhão/t.
1T04
Espanha
1%
Estados Unidos
12%
Chile
5%
Outros
5%
Estados Unidos
17%
Argentina
7%
Canadá
1%
Chile
8%
México
6%
China
34%
Tailândia
9%
México
3%
Tailândia
7%
China
35%
Venezuela
1%
Venezuela
1%
Coréia do Sul
8%
Alemanha
1%
Colômbia
4%
Taiwan
9%
Coréia do Sul
8%
Taiwan
3%
- 26 -
INVESTIMENTOS
(US$ milhões)
Principais Investimentos:
USIMINAS
Lingotamento Contínuo
Nova Laminação a Frio
Unigal
Aumento de capacidade no Alto Forno #3
737
212
COSIPA
Reforma da Laminação a Frio #2
Reforma do Alto Forno #1
Reforma da Laminação a Quente
Novo Convertedor e novo Lingotamento Contínuo
740
162
546
500
31
292
525
578
469
156
136
1997
1998
1999
452
2000
Usiminas
111
79
32
94
2001
2002
119
36
83
2003
142
48
94
2004 E
Cosipa
- 27 -
EVOLUÇÃO DA DÍVIDA BRUTA USIMINAS CONSOLIDADO
(R$ milhões)
31 de Março, 2004
5,1
5,1
5,6
4,8
5,1
8.848
8.789
7.465
7.746
7.488
3,9
10.949
10.500
8.500
5,7
Dívida Total
6,2
9.535
2,9
8.693
7.869
Dívida Total / Ebitda
2,4
2,4
2,5
2,4
7.938 7.907 7.587
7.556
6.500
4.500
3.796
2.500
3.809
3.983
4.420
3.529
3.440
3.657
3.817
3.387
2.956
2.807
2.661
2.386
500
1T01
2T01
3T01
4T01
1T02
2T02
3T02
4T02
1T03
2T03
3T03
4T03
1T04
R$ / US$ 2,1616 2,3049 2,6713 2,3204 2,3236 2,8444 3,8949 3,5333 3,3531 2,8720 2,9234 2,8892 2,9086
Controladora
Outras
- 28 -
EVOLUÇÃO DA DÍVIDA LÍQUIDA USIMINAS CONSOLIDADO
(R$ milhões)
31 de Março, 2004
4,6
4,6
5,1
4,6
4,8
10.069
10.500
8.459
7.992
8.500
6.500
5,7
5,5
6.647
7.022
7.038
7.376
3,6
8.803
2,7
8.061
2,2
2,2
2,2
2,0
7.367 7.369
6.744
6.330
4.500
2.500
500
1T01
2T01
3T01
4T01
1T02
2T02
3T02
4T02
1T03
2T03
3T03
4T03
1T04
R$ / US$ 2,1616 2,3049 2,6713 2,3204 2,3236 2,8444 3,8949 3,5333 3,3531 2,8720 2,9234 2,8892 2,9086
Dívida Líquida Total
Dívida Líquida Total / Ebitda
- 29 -
EVOLUÇÃO DO EBITDA USIMINAS CONSOLIDADO
(R$ milhões)
31 de Março, 2004
1.200
1.100
Ebitda
30%
Margem
37%
35% 33%
28% 27% 31%
1.000
900
800
700
600
500
400
300
200
100
-
45% 42%
36% 33%
1.019
39%
31%
921
889
760
660
621
443
351
396
440
356
349
506
264
307
763
293
242
214
282
356
515
448
410
446
571
1T01 2T01 3T01 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 1T03 2T03 3T03 4T03 1T04
US$ médio 2,0585 2,2333 2,4881 2,4959 2,3220 2,5840 3,3697 3,7141 3,4929 2,9810 2,9326 2,8999 2,8985
Controladora
Outras
- 30 -
VENCIMENTOS DA DÍVIDA
(US$ milhões)
31 de Março, 2004
591
576
528
321
317
312
222
2004
187
196
29
85
21
60
2005
2006
Unigal
PRAZO
279
162
214
33
302
2007
Usiminas
230 160
97
46
19
2008
140
30
19
2009
20
2010 em
diante
Cosipa
MOEDA
Curto
29%
Local
26%
US$ 744 mi
Longo
71%
US$ 1.854 mi
Estrangeira
74%
- 31 -
HEDGE
(US$ milhões)
31 de Março, 2004
Dívida Usiminas + Cosipa +
Unigal + Usiminas International
Hedge da Dívida (%)
2.531
Moeda
Estrangeira
1.860
73%
Dívida Total
1.867
45%
100%
260
775
671
Moeda Local 27%
832
14%
41%
Financiamento
Exportações
Ativos no
Exterior
Swap US$ x CDI
Total Hedge
Nota: Valores de Principal
- 32 -
MENSAGENS FINAIS
A USIMINAS TEM PONTO DE PARTIDA E
AGENDA FUTURA EXTREMAMENTE SÓLIDOS
 Líder inconteste em aços planos na América Latina
Acionistas com destacada tradição industrial e interesse
de longo prazo em aço e na Usiminas
 História de 40 anos de liderança, cultura de qualidade e
transformação
 Nos últimos 10 anos, executamos fortes investimentos . . .
- 34 -
A USIMINAS TEM PONTO DE PARTIDA E
AGENDA FUTURA EXTREMAMENTE SÓLIDOS
. . . construindo hoje um sistema sólido que atingiu seus
objetivos
 Liderança Brasileira
 Fortalecimento da geração de caixa e da estrutura
financeira
 Forte infra-estrutura logística
 Amplo portfólio de produtos de qualidade
 Projeção e destaque no cenário internacional
- 35 -
A USIMINAS TEM PONTO DE PARTIDA E
AGENDA FUTURA EXTREMAMENTE SÓLIDOS
...
Definimos e estamos executando uma clara Agenda de
Criação de Valor
 Controlando investimentos, reduzindo dívida,
valorizando as ações
 Desenvolvendo estratégias comerciais locais e de
exportação
 Atuando e avançando nas oportunidades de
consolidação e internacionalização
- 36 -
. . . A ESTRATÉGIA DA USIMINAS APROVEITARÁ
AS TRANSFORMAÇÕES DA INDÚSTRIA
CONSOLIDAÇÃO , internacionalização, desconstrução
A consolidação continuará a ser fonte de valor
importante
 Cosipa já trouxe aprendizado e benefícios
expressivos . . .
 . . . Ainda há outras oportunidades de sinergias
no Sistema
 Estamos preparados e decididos a manter nossa
liderança na consolidação no setor – avaliando
outras oportunidades
- 37 -
. . . A ESTRATÉGIA DA USIMINAS APROVEITARÁ
AS TRANSFORMAÇÕES DA INDÚSTRIA
Consolidação, INTERNACIONALIZAÇÃO, DESCONSTRUÇÃO
A Internacionalização será “de dentro-para-fora” e
continuará a avançar
 Aproveitando-se da “desconstrução” da cadeia
siderúrgica em alguns países
 Já temos presença estratégica em Sidor e Siderar
 Desenvolvemos exportações de maior valor agregado
 A médio prazo, avançaremos em alianças e parcerias
internacionais – aprendizado e criação de valor
 A longo prazo, perseguiremos oportunidades de
compra de ativos externos
- 38 -
Declarações contidas neste comunicado relativas às perspectivas dos negócios
da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros, e referências
ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras previsões e foram
baseadas nas expectativas da Administração em relação ao seu desempenho
futuro.
Estas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado,
da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais,
portanto estão sujeitas a mudanças.
Maiores informações:
www.usiminas.com.br
ou
Gerência de Relações com Investidores:
Bruno Seno Fusaro
Luciana Valadares dos Santos
brunofusaro@usiminas.com.br lsantos@usiminas.com.br
Tel.: 31-3499-8772
Tel.: 31-3499-8619
Douglas Lee Arnold
darnold@usiminas.com.br
Tel.: 31-3499-8856
Fax: + 55-31-3499-9357
Matheus Perdigão Rosa
mprosa@usiminas.com.br
Tel.: 31-3499-8056
- 39 -
- 40 -
Download

Apresentação USIMINAS - APIMEC