2014 / EDIÇÃO 12
Inovação
Torre de Vídeo completa
portfólio Covidien
Págs. 8 e 9
Centro Covidien
de Inovação:
Contribuindo para
a especialização de
profissionais de saúde
Págs. 4 e 5
Experiência Clínica
Saúde pública na Bahia
trata varizes com alta
tecnologia
Págs. 10,11 e 14
Covidien CARES
Caminhada em São Paulo no
Dia Mundial do AVC
Págs. 12 e 13
Lançamento
BRAVO®: os benefícios da
pHmetria por cápsula
Págs. 15
EDITORIAL
Desde o início de suas operações no Brasil, a Covidien sempre
reforçou seu compromisso com a incorporação de tecnologia nos
procedimentos de saúde do País. Mais do que fornecer produtos
e serviços, queremos ser um agente relevante na produção de
conhecimento e na inovação desse segmento. Esse objetivo foi
reforçado recentemente, com a inauguração do nosso Centro
Covidien de Inovação, em nossa nova sede, que é o tema da nossa
reportagem de capa.
Grampeador Automático iDrive™ Ultra
Compatível com todo o portfólio de cargas Endo GIA™ e com a
tecnologia Tri-Staple™, o grampeador automático iDrive™ Ultra
propicia manuseio completo com uma única mão, com operação
ao alcance de um botão.
•
Ergonômico, o acionamento por botões propicia pontos ilimitados de articulação a
45º tanto pela esquerda quanto pela direita;
•
Estabilidade sem precedentes durante a operação: reduz movimentos indesejados,
comuns nos dispositivos manuais;
•
Único dispositivo para todas as cargas: compatível com toda a tecnologia de
endogrampeamento Covidien, incluindo as cargas Endo GIA™ com tecnologia
Tri-Staple™.
DESEMPENHO AVANÇADO A CADA PASSO
Essa vocação para desenvolver e introduzir soluções de alta
tecnologia é reforçada pelos produtos apresentados nesta edição,
como a Torre de Vídeo e o Sistema para Medição de pH do Trato
Digestivo, também em destaque nas páginas seguintes. Ambos
agregam vários benefícios a seus respectivos procedimentos, tanto
do ponto de vista do paciente quanto dos profissionais de saúde.
A parceria da Covidien com a comunidade médica é outro tema
com amplo destaque desta vez, com a implantação de novas
rotinas em diversas instituições brasileiras, auxiliadas pelos nossos
produtos. Por último, mas não menos importante, destaco também
a atuação da Covidien, no Brasil e no mundo, na conscientização
sobre os sintomas e tratamento do acidente vascular cerebral, uma
das doenças mais recorrentes e cujo atendimento ágil pode salvar
muitas vidas.
Boa leitura!
Ermano Marchetti Moraes
Vice-presidente e gerente-geral da Covidien no Brasil
Visão Covidien Brasil é uma publicação externa, com periodicidade trimestral dirigida ao setor médico-hospitalar. Sua distribuição é gratuita e controlada em todo o território nacional, sendo entregue apenas a
leitores previamente qualificados. As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicadas refletem unicamente
a posição de seus autores, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Covidien ou quaisquer outros envolvidos nesta publicação. As pessoas que não constarem no expediente não têm
autorização para falar em nome da Covidien ou para retirar qualquer tipo de material se não possuírem em
seu poder carta em papel timbrado assinada por qualquer pessoa que conste do expediente. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou
total deste conteúdo sem prévia autorização da Covidien.
COVIDIEN, COVIDIEN com logo, o logo da Covidien e positive results for life são marcas
comerciais da Covidien AG registradas nos EUA e internacionalmente. Mallinckrodt é uma marca
comercial de uma empresa Covidien. © 2014. Todos os direitos reservados.
COVIDIEN, COVIDIEN com logo e positive results for life são marcas comerciais registradas nos EUA e/ou internacionalmente da Covidien AG. Todas as demais marcas são marcas comerciais de uma
empresa da Covidien. © 2014 Covidien. Todos os direitos reservados.
Reg. M. S.: 10349000416.
M. Luz 10/2014.
www.covidien.com.br
Reg. nº 80370820001 / Reg. nº 80370820016 / Reg. nº 80370820017 / Reg. nº 80370820011
Reg. nº 80370820013 / Reg. nº 10234400072 / Reg. nº 80301610013 / Reg. nº 8076920003
Reg. nº 1510349000386 Reg. nº 10349000392 / Reg. nº 10349000416 / Reg. nº 80301610006
Reg. nº 10349000391 / Reg nº 10349000418 / Reg nº 10349000417
SOBRE A COVIDIEN
4
I nova ç ã o
8
E x peri ê ncia C l í nica 1
10
covidien cares
12
E x peri ê ncia C l í nica 2
14
lan ç amento
15
E d u ca ç ã o m é dica
16
PA C E
18
EVENTOS
19
EXPEDIENTE
Covidien
Av. Jornalista Roberto Marinho, 85 - 11º andar
Cidade Monções, São Paulo, SP, CEP 04576-010
www.covidien.com.br
Coordenação-Geral
Alessandra Oncala do Valle
Suporte-Geral
Aline Jácomo
Cirlene Coscov
Jornalista Responsável
Alessandra Alves
Letra Delta Editora e
Comunicação
MTB 24.628
Colaboraram nesta edição
Ana Claudia Andreo
Andrea Dourado
Angela Freitas
Bruna Vieira
Depto. Regulatórios
Fabiane Rosa
Fabio Mir
Genova Bernucci
Leonardo Grotto
Marcelo Lima
Marcos Manara
Paulo Placido
Sandra Regina Alves
Editoração
Carolina Mestriner
Clayton Oliveira
Fabiano Castro
Richard Blumel
Valéria Bordo Vega
VRA+ Comunicação
Sobre a covidien
Centro Covidien de Inovação Brasil é
inaugurado em São Paulo
O espaço oferecerá treinamentos voltados aos profissionais de saúde
Os profissionais de saúde brasileiros passaram a contar
com um exclusivo espaço dedicado ao treinamento e ao
aperfeiçoamento técnico. Trata-se do Centro Covidien de
Inovação Brasil (CCI), inaugurado em São Paulo, e que
oferecerá aos especialistas nacionais e latino-americanos
treinamentos gratuitos, utilizando a mais alta tecnologia.
Por meio dos programas oferecidos pelo CCI Brasil,
médicos e demais profissionais de saúde poderão ampliar
sua capacitação, com maior segurança e eficiência, em
uma grande variedade de procedimentos clínicos que
podem salvar e aumentar a qualidade de vida de inúmeros
pacientes. Pelo mundo, a Covidien tem CCIs similares
ao brasileiro em Xangai (China), Seul (Coreia do Sul),
Mumbai (Índia) e Istambul (Turquia).
A opção por criar um CCI no Brasil deve-se à importância
desse mercado emergente para a empresa, que agora
amplia sua capacidade de treinamento e pesquisa em terras
brasileiras. “Na Covidien, estamos sempre procurando
formas de ajudar a desenvolver as habilidades dos médicos
e aumentar o acesso dos pacientes a cuidados médicos”, diz
Robert J. White, vice-presidente de Mercados Emergentes
da Covidien. “O Brasil é um importante mercado em
nossa estratégia global, e esse investimento é um reflexo
de nosso comprometimento em realizar parcerias com os
profissionais de saúde do Brasil”, completa.
Localizado em São Paulo, próximo à Ponte Estaiada,
na região do Brooklin, o CCI é o primeiro centro de
seu gênero na América Latina e oferece cursos que
incluem ventilação mecânica, monitoramento de
sinais vitais, procedimentos cirúrgicos e técnicas de
4
cirurgia minimamente invasiva, entre outros. Possui,
aproximadamente, 3.000 metros quadrados e capacidade
de oferecer 120 cursos, treinando 2.000 profissionais
por ano. O CCI Brasil servirá como ponto central para
a educação de profissionais de saúde de toda a América
Latina.
“Ao criar o CCI, a Covidien ajuda
a preencher uma lacuna que existe
atualmente no treinamento de profissionais
de saúde brasileiros, referente a novas e
menos invasivas técnicas de cirurgia, que
podem ajudar pacientes e a comunidade,
ao acelerar o tempo de recuperação e
reduzir os custos com a saúde”, explica
Ermano Marchetti Moraes, vice-presidente
e gerente-geral da Covidien Brasil. “Além
de educação, a nova estrutura vai permitir
que nossos engenheiros de Pesquisa e
Desenvolvimento observem e interajam
com profissionais de saúde do País para
descobrir oportunidades e soluções feitas
sob medida para o mercado local, suprindo
as necessidades do Brasil e da América
Latina”, conclui Ermano.
5
Sobre a covidien
O local conta com laboratório cirúrgico totalmente
equipado para cirurgias minimamente invasivas, usando
simuladores eletrônicos e computadorizados, além de
laboratório de simulação de cenários clínicos equipado
com um simulador de paciente humano (manequim
computadorizado que sangra, tem paradas cardíacas
e mudanças de pressão arterial, entre outras situações
críticas encontradas em uma UTI), laboratório para
educação em procedimentos médicos e hospitalares
com modelos de silicone e equipamento para testes
e simulações, a primeira e única mesa Touchscreen
Anatomage de São Paulo - tecnologia que permite o estudo
da anatomia humana em um paciente virtual, combinando
imagens de tomografias computadorizadas com a
tradicional experiência de uma sala de cirurgia, resultando
em imagens anatômicas sem igual.
diz o Dr. Michael Tarnoff, CMO (Chief
Medical Officer) global da Covidien.
“Aumentar a quantidade de médicos que
são capazes de realizar técnicas cirúrgicas
minimamente invasivas permite oferecer
tratamentos e resultados melhores para os
pacientes.”
Para receber informações referentes aos treinamentos,
instituições educacionais e de saúde devem contatar a
Covidien no Brasil (www.covidien.com.br), que organiza os
programas educacionais de acordo com as necessidades dos
profissionais de saúde e da instituição envolvida.
Além disso, o laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento
permite a colaboração direta de profissionais de saúde com
a equipe de P&D. Um auditório com capacidade para 160
pessoas e sistema multimídia para transmissão de áudio
e vídeo em tempo real permite que sejam transmitidos
procedimentos a instituições parceiras, hospitais e
universidades de todo o País.
“As oportunidades educacionais oferecidas
no CCI vão beneficiar os pacientes de
diversas formas, incluindo incisões
menores, recuperação mais rápida e
retorno breve às atividades diárias”,
6
7
INOVAÇÃO
Covidien apresenta Torre de Vídeo e completa
portfólio para cirurgias minimamente invasivas
A Covidien tornou-se a primeira fabricante de
equipamentos do Brasil a oferecer a solução completa para
a realização de cirurgias minimamente invasivas, com o
lançamento de sua própria Torre de Vídeo. A apresentação
do produto para o mercado brasileiro aconteceu durante
a última edição do Congresso da Sociedade Brasileira de
Videocirugia (Sobracil), em Florianópolis.
Um dos principais benefícios resultantes do investimento
da Covidien é a maior viabilidade da cirurgia minimamente
invasiva em um número ampliado de instituições de saúde.
Ao oferecer o pacote completo de soluções para a realização
desse tipo de procedimento, a Covidien otimiza os recursos
da instituição, além de proporcionar total integração com
os demais equipamentos (pinças, grampeadores, acessos,
entre outros).
Outra vantagem é a disponibilização de suporte técnico
próprio da Covidien para todo o portfólio de cirurgia
minimamente invasiva que, além de assegurar a melhor
assistência, também reduz o número de interfaces da
instituição com o fabricante de equipamentos.
Do ponto de vista técnico, o lançamento da Torre de Vídeo
da Covidien agrega outro benefício ao cliente – a qualidade
superior de imagens. Gerando imagens em full HD nativo,
o sistema da Covidien possibilita a melhor visualização de
órgãos, cavidades e tecidos para o cirurgião no momento
do procedimento, ampliando a assertividade da correção
cirúrgica e de alguns procedimentos de diagnóstico que
utilizam os recursos minimamente invasivos.
8
Graças à qualidade superior de suas imagens na tecnologia
CMOS, a solução completa para cirurgia minimamente invasiva
da Covidien pode ser utilizada em todas as especialidades que
hoje já se beneficiam do procedimento por videolaparoscopia
(cirurgia bariátrica, correções de hérnia, ressecção de próstata,
histeroscopia, histerectomia, artroscopia etc.).
Totalmente digital, a tecnologia CMOS é uma evolução do
sistema utilizado anteriormente (CCD), ainda analógico. O
sinal em um sensor CMOS é tratado digitalmente pixel a pixel,
diferente do CCD, que necessita de conversão analógica para
tratar cada frame de imagem de uma vez só.
Pela nova tecnologia, o sinal de vídeo é tratado digitalmente
em alta definição até ser mostrado no monitor HD. O
benefício pode ser percebido pelo cirurgião por meio de uma
imagem brilhante e rica em detalhes, excelente reprodução de
cores e suavidade nos contornos. A cabeça de câmera, onde
está o captador CMOS, apresenta temperatura de operação
significantemente mais baixa do que a CCD, trazendo muito
mais conforto para o cirurgião. A Torre de Vídeo da Covidien
fornece mais uma vantagem, por meio de sua fonte de luz LED
que, além de reduzir a dispersão de calor, também oferece maior
durabilidade ao sistema.
Ao introduzir o pacote completo de soluções para cirurgia
minimamente invasiva, a Covidien vai além de oferecer um novo
produto ao mercado. A atuação da empresa, otimizando o acesso
das instituições de saúde a esse tipo de procedimento apresenta-se
como verdadeira contribuição à melhoria da saúde no Brasil,
pelos diversos benefícios da cirurgia minimamente invasiva.
Diferenciais da Torre
de Vídeo Covidien
• Imagem em full HD nativo: qualidade superior de imagens, para diversas especialidades;
• Fonte de luz LED: menor dispersão de calor e maior durabilidade do sistema;
• Captador com temperatura mais baixa, gerando mais conforto para o cirurgião;
• Maior acesso de instituições de
saúde de portes variados à cirurgia minimamente invasiva;
• Pacote completo de cirurgia minimamente invasiva, reduzindo interfaces do hospital com fabricantes de equipamento.
9
EXPERIÊNCIA CLÍNICA 1
Cirurgia de varizes por radiofrequência na
Bahia: diversos benefícios a favor da população
úlceras recorrentes ou sintomas incapacitantes. Ao ser
observada uma incapacidade temporária dessas pessoas, a
Secretaria de Estado da Bahia buscou melhorar a qualidade
no atendimento aos pacientes e deu certo: altas taxas de
aprovação dos pacientes, procedimentos muito mais rápidos
e maior número de pessoas atendidas são alguns dos muitos
benefícios obtidos.
Dr. Aquiles Tadashi
Cirurgião Hosp. Geral Roberto Santos
Dr. Leonardo Maklouf
Cirurgião Vascular
Hosp. Geral Menandro Farias
Quatro hospitais do Estado
realizam mutirões que aplicam
técnicas minimamente invasivas
Há um ano, uma iniciativa no Estado da Bahia, focada em
cirurgias de varizes com técnicas minimamente invasivas,
chegou para mudar a realidade da cirurgia vascular.
Para aumentar a qualidade no atendimento e agilizar o
atendimento de pacientes, a Secretaria de Saúde da Bahia
implantou na rede pública uma novidade no tratamento
do refluxo das veias safena e perfurante associado a
varizes. Denominada ablação térmica por radiofrequência,
essa é uma alternativa cirúrgica menos invasiva, que
permite uma recuperação mais rápida do paciente e
oferece menos riscos.
Realizado em mutirões oferecidos em quatro hospitais do
Estado, o projeto teve início após uma grande demanda
de pacientes portadores da doença venosa crônica, com
10
“Com essa novidade, observamos uma taxa de complicação
muito baixa. De todas as cirurgias realizadas, registramos
remissão dos sintomas em 89% dos pacientes, sendo
reportados apenas 0,5% de complicações relacionadas a esses
procedimentos. Em termos de satisfação dos pacientes, o
resultado é muito positivo”, explica Dr. Aquiles Tadashi, que
realiza cirurgias no Hospital Geral Cleriston Andrade, em
Feira de Santana, e no Hospital Geral Roberto Santos, em
Salvador.
O cirurgião vascular Leonardo Maklouf, responsável pelos
procedimentos no Hospital Geral Menandro de Faria,
promove o “Mutirão de Varizes” duas vezes por mês. Ele
realiza cerca de 45 procedimentos mensais, utilizando essa
técnica.
Dr. Aquiles destaca esse mesmo benefício. Quando o
procedimento de safenectomia convencional é realizado,
o doente pode precisar permanecer no hospital por, pelo
menos, uma noite. Agora, ele é liberado no mesmo dia.
“Temos grande dificuldade de leitos, então, no momento
em que não precisa ficar internado, já é um grande
benefício para o Serviço. Conseguimos operar um maior
número de pacientes, sem ocupar tantos leitos do hospital
e, com isso, sem prejuízo das cirurgias de urgência”,
adiciona Dr. Aquiles.
“A radiofrequência se destaca por ser um procedimento
seguro, eficaz, rápido, fácil e com menor tempo de
internação, anestesia e repouso. Na cirurgia convencional,
geralmente observamos mais dor e hematomas, além da
necessidade de um maior tempo de recuperação”, completa
Dr. Aquiles.
Com agenda cheia para 2014, Dr. Leonardo Maklouf
explica que a procura de cirurgias para o próximo ano já
é muito grande e que o mutirão deve continuar. “Muitos
pacientes são beneficiados com esse projeto. Temos uma
taxa de satisfação muito elevada”, conclui.
Procedimento Venefit: tecnologia
de ponta no tratamento
de varizes por radiofrequência
Graças a uma solução da Covidien, cirurgias de
varizes por ablação das veias safena e perfurante
podem ser realizadas por radiofrequência. O gerador
de radiofrequência RFG2, combinado ao cateter
ClosureFAST, possibilita que o cirurgião realize, de
forma rápida e com menos trauma, a ablação da veia
varicosa em segmentos de 7 (sete) centímetros.
O procedimento é realizado da seguinte forma: o cateter
ClosureFAST é inserido na veia safena comprometida
e, com acompanhamento por ultrassonografia vascular
com Doppler, é avançado até a junção safenofemoral. O
cateter é então acionado pela energia de radiofrequência
(RF), gerando calor e, consequentemente, realizando a
ablação (oclusão) do vaso.
“O projeto só foi adotado pela Secretaria de Saúde da Bahia
exatamente pela rápida recuperação dos pacientes e baixa
taxa de ocupação de leitos. Mais de 95% das pessoas saem
do hospital de seis a oito horas depois dos procedimentos.
Isso facilitou muito, pois o serviço público não tem leitos
para doenças venosas, então, a doença varicosa recebia
menos atenção”, explica o médico, destacando que, desde a
implantação do projeto, em 2013, já foram operados cerca de
mil pacientes.
11
Covidien CARES
Covidien na conscientização sobre o
Acidente Vascular Cerebral
outubro. A campanha da empresa “2 Minutos Contra o AVC”
concentra-se no que pode ser realizado em apenas 2 minutos
– fazendo cada pessoa reservar 2 minutos para aumentar a
conscientização sobre o AVC e depois contar a duas pessoas
sobre esses sinais.
Em linha com esse objetivo, no Brasil, a Covidien mantém
parceria com a Rede Brasil AVC. No próprio dia 29, a
Covidien realizou um evento, na Avenida Paulista, para
chamar a atenção ao tema, além de ter patrocinado a
Caminhada Solidária de Combate do AVC, em 1º de
novembro, no Parque do Ibirapuera.
Parceira da World Stroke Organization
(WSO), empresa realiza ações para chamar
a atenção sobre o tema
Uma vítima fatal a cada seis segundos. Esse é o balanço
mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), também
conhecido como derrame. Segundo dados da World Stroke
Organization (WSO), cerca de 15 milhões de pessoas sofrem
um AVC anualmente, sendo que seis milhões não sobrevivem.
Apesar de ser a segunda principal causa de morte no mundo,
muitos brasileiros ainda não reconhecem a ameaça que o
acidente vascular cerebral (AVC) representa. De acordo
com um novo estudo de opinião pública patrocinado pela
Covidien e a World Stroke Organization (WSO), é preciso
reforçar os sinais de alerta associados à doença com toda a
população brasileira.
12
“O acidente vascular cerebral afeta uma em cada seis pessoas em
todo o mundo, portanto é fundamental que enfatizemos o risco
e as medidas que as pessoas podem tomar para evitar um AVC”,
diz Dr. Rodrigo Meirelles Massaud, neurologista do Hospital
Albert Einstein. “Todos podem ser úteis para salvar uma vida, se
souberem o que fazer. Os resultados dessa pesquisa identificam
uma lacuna significativa – mas tratável – no conhecimento
quando se trata de consciência sobre o acidente vascular
cerebral”.
A Covidien colabora com a WSO como Patrocinador Platinum
da Campanha Mundial do Acidente Vascular Cerebral deste
ano. Além da pesquisa, a empresa destaca seu compromisso
com os pacientes com acidente vascular cerebral e aumenta
a conscientização da população por meio do lançamento de
uma nova campanha global no Dia Mundial do AVC, 29 de
Ele pode ser de dois tipos: isquêmico, provocado pela
interrupção do fluxo sanguíneo devido à obstrução das artérias
por coágulos, e hemorrágico, caracterizado por sangramento em
decorrência do rompimento de um vaso devido a traumatismo
ou aneurisma. No caso do AVC isquêmico, responsável por
80% dos episódios, medicação trombolítica - administrada
para dissolver os coágulos - e dispositivos de revascularização
- utilizado para remover os coágulos via cateterismo - podem
diminuir a extensão dos danos, mas apenas nas primeiras quatro
horas e meia subsequentes ao episódio. Após essa janela de
tempo, o paciente corre sérios riscos de sequelas e morte.
A Rede Brasil AVC é uma organização não governamental
criada com a finalidade de melhorar a assistência ao paciente
com AVC em todo o País. É formada por profissionais de
diversas áreas que estão focados em diminuir o número de
casos da doença, melhorar o atendimento pré-hospitalar
e hospitalar ao paciente, melhorar a prevenção do AVC,
propiciar a reabilitação precoce e a reintegração social dos
pacientes que sofreram um derrame.
“A identificação dos sintomas do AVC é muito importante, já
que poucos minutos podem ser cruciais para que o paciente
sobreviva sem sequelas”, explica Dra. Gisele Sampaio,
neurologista do Hospital Albert Einstein e docente da Escola
Paulista de Medicina / Universidade Federal de São Paulo
(UNIFESP).
De acordo com o Ministério da Saúde, o AVC é a doença
que mais mata no Brasil, causando cerca de 100 mil mortes a
cada ano. Por ser uma emergência médica, o derrame faz com
que o paciente deva ser encaminhado imediatamente para
atendimento hospitalar.
13
Lançamento
EXPERIÊNCIA ClÍNICA 2
Dispositivo de Revascularização Solitaire FR™:
Covidien estabelece novo paradigma em pHmetria
Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto utiliza dispositivo no tratamento de AVC
Isquêmico Agudo
Um dos primeiros
especialistas a usar essa
tecnologia no Brasil, Dr.
Daniel Abud fala sobre seus
benefícios.
Buscar alternativas que
reduzam a exposição ao risco
do paciente e minimizem
Dr. Daniel Abud
complicações cirúrgicas
Neuroradiologista
Intervencionista
é o objetivo de todas as
instituições médicas e seus respectivos profissionais. No caso
do Dr. Daniel Abud, neuroradiologista intervencionista, um
tratamento de AVC (Acidente Vascular Cerebral) mais eficaz
e simples era sua prioridade quando, em 2010, tornou-se um
dos primeiros especialistas no Brasil a utilizar o Dispositivo
de Revascularização Solitaire FR™.
Esse dispositivo é indicado para o tratamento do AVC
Isquêmico Agudo. Sua atuação baseia-se no conceito de
restauração imediata do fluxo sanguíneo e resgate do
trombo. Com seu design exclusivo, que se autoexpande
assim que é liberado no vaso, o dispositivo Solitaire FR™
promove uma rápida restauração do fluxo e, por meio de
vários planos de contato, possibilita o resgate do trombo em
tempo reduzido.
Utilizando essa técnica no Hospital das Clínicas de Ribeirão
Preto (SP) – primeira instituição do Brasil a tratar o AVC
Isquêmico Agudo com essa tecnologia – Dr. Daniel já operou
mais de 200 pacientes com o Solitaire FR™. Ele explica as
principais diferenças entre os casos tratados antes do Solitaire
FR™ e, posteriormente, com a novidade da Covidien.
14
“Antes, os casos que não respondiam ao tratamento venoso
eram tratados com trombectomia mecânica pela fragmentação
do trombo com cateter balão e microguia, seguido da infusão
de trombolítico por via arterial”, explica o especialista. “O
tratamento não era muito eficaz, era demorado e dependente
da injeção de medicação trombolítica”, completa.
“O Solitaire FR™ retira o trombo de maneira rápida, sem
necessidade de administração de trombolítico adicional. Agora,
o procedimento dura, em média, de 30 a 40 minutos”, diz Dr.
Abud, reforçando que cada minuto perdido no tratamento ao
paciente representa uma maior chance do tecido cerebral ter
uma lesão irreversível.
O Solitaire FR™ faz parte de um conceito de recursos para a
retirada do trombo de maneira rápida e ganhou a atenção do
especialista por ser o primeiro que chegou ao Brasil. “Apenas
no HC de Ribeirão Preto, realizamos entre quatro e cinco
procedimentos por mês utilizando apenas o Solitaire FR™”,
destaca Dr. Daniel.
Por meio de uma tecnologia de última geração, o dispositivo da
Covidien tem se mostrado, em estudos clínicos, o mais eficaz
nos procedimentos de trombectomia mecânica, combinando à
capacidade de restaurar imediatamente o fluxo sanguíneo, de
administrar terapia médica e de resgatar trombos em pacientes
com AVC Isquêmico Agudo.
Ele viabiliza uma restauração rápida do fluxo e oferece força
radial ideal para todos os tipos de coágulos. Com remoção
eficaz de coágulos em vasos de 2 a 5,5 mm de diâmetro, o
Solitaire FR™ é um forte aliado no tratamento e na recuperação
dos pacientes vítimas do AVC Isquêmico.
A medição de pH do trato digestivo, até agora, era feita com a
utilização de um cateter nasal que fornecia dados de 24 horas
de coleta. Causando desconforto à maioria dos pacientes,
o próprio método poderia alterar o pH da região estudada,
interferindo no resultado. A Covidien está escrevendo um
novo capítulo na história desse tipo de diagnóstico.
A solução BRAVO® possibilita a medição do pH do trato
digestivo sem a utilização de cateter, mas com o uso de uma
cápsula que, além de eliminar o desconforto, ainda permite a
medição por até 96 horas, monitorando o paciente por muito
mais tempo, na comparação com o método tradicional. Outro
benefício desse sistema minimamente invasivo é permitir que
o paciente se alimente e mantenha suas atividades normalmente,
gerando resultados mais fidedignos.
Outra vantagem da nova solução da Covidien é possibilitar
avaliações com ou sem o uso de medicamentos do tipo
Omeprazol (PPI). O gravador que armazena os dados coletados
pela cápsula apresenta navegação amigável e permite ao paciente
registrar eventos durante o período de monitoramento, com o
simples apertar de um botão.
A pHmetria via cápsula faz parte do portfólio da Given Imaging,
empresa cuja aquisição pela Covidien foi concluída no início
deste ano. Com a aquisição, a Covidien passou a ter um dos
mais completos portfólios do mundo nas áreas de visualização,
monitoramento e detecção de doenças do sistema digestivo.
A tecnologia PillCam®, desenvolvida pela Given Imaging,
já é líder mundial de mercado. É baseada em tecnologia óptica
de endoscopia de deglutição minimamente invasiva para
o intestino delgado, esôfago e cólon, sem a necessidade
de sedação do paciente.
As dimensões da PillCam® podem ser comparadas às de um
comprimido de vitamina. Em seu interior, um sofisticado
sistema de lentes permite a realização de duas fotos por
segundo, gerando em torno de 50 a 60 mil imagens a cada
procedimento. As imagens são captadas por um gravador
externo, semelhante a holters que armazenam dados de
pressão arterial e movimentos cardíacos. Um software especial
transforma as imagens adquiridas em um vídeo, que é
descarregado no sistema informatizado da instituição, após o
término do procedimento, possibilitando ao médico especialista
a análise detalhada do sistema digestivo do paciente.
Principais benefícios do sistema
BRAVO
®
• primeiro sistema minimamente invasivo para medição de pH do sistema digestivo;
• até 96 horas de monitoramento, contra 24 horas do método tradicional;
• elimina a utilização de cateter;
• permite ao paciente alimentar-se e manter suas atividades normalmente;
• pode ser utilizado ao mesmo tempo em que o paciente utiliza medicamentos PPI;
• painel amigável, fácil de utilizar, possibilita registros pelo paciente com o simples apertar de um botão.
15
EDUCAção médica
Covidien e AMIB: formando profissionais
de Medicina Intensiva
Empresa fornece ventiladores para a fase prática do exame
que confere o título de Especialista em Medicina Intensiva.
Parcerias são sempre bem-vindas. Especialmente se
trouxerem benefícios para a comunidade médica e os
pacientes em geral. Sob este conceito, a Covidien apoia
a realização da prova que confere o título de Especialista
em Medicina Intensiva da Associação de Medicina
Intensiva Brasileira (AMIB), fundada há mais de 32 anos
e única entidade reconhecida pela Associação Médica
Brasileira (AMB) para realizar o concurso que certifica os
profissionais de Medicina Intensiva Adulto e Pediátrica.
Desde a inclusão da prova prática ao exame, a Covidien
fornece os equipamentos para a estação de ventilação
mecânica. Com o modelo Puritan Bennett 840, a empresa
reforça seu compromisso com a formação de médicos
intensivistas. “Para um exame de título avaliar se um
médico está habilitado a ser intensivista, precisamos
avaliar o conhecimento cognitivo e a habilidade prática.
Sem o auxílio dessas estações práticas que a Covidien
fornece seria impossível fazer uma avaliação realística”,
afirma Dra. Patricia Veiga Mello, coordenadora nacional
da Pós-Graduação Lato-Sensu da AMIB.
Para a obtenção do Título de Medicina Intensiva (MI), o
profissional deve ter, pelos menos, dois anos de residência em
MI e realizar a Prova de Obtenção de Título de Especialista,
aplicada anualmente pela AMIB, que recentemente,
promoveu diversas melhorias na prova como, por exemplo,
a introdução de duas fases: a teórica, na qual o candidato
responde a 100 questões de múltipla escolha e é eliminatória
para a fase seguinte, e as estações, que contemplam os
procedimentos mais utilizados e importantes no tratamento
dos pacientes críticos (Ventilação Mecânica, Hemodinâmica,
RCP, Vias Aéreas e Procedimentos).
Os candidatos precisam, ainda, responder cinco questões de
seis casos clínicos reais, selecionados das mais importantes
Unidades de Terapia Intensiva. Se aprovados, se juntam a
uma lista de quase sete mil profissionais certificados pela
AMIB desde 1982, quando foi realizada a primeira prova.
“Essa prova é bastante complexa. É uma das que melhor
avaliam especialistas no Brasil, já que são poucas as que
fazem esse tipo de avaliação, com estações de casos clínicos e
casos de simulação realística prática”, conclui Dra. Patricia.
A última edição da prova, realizada em novembro e que
contou com 705 inscritos, teve 268 aprovados, número
que se mostra insuficiente, haja vista a alta demanda
por profissionais especialistas em Terapia Intensiva. “A
necessidade de médicos intensivistas no Brasil é urgente
porque precisamos abrir novos leitos de UTI, mas para
que possamos fazê-lo, é preciso ter médicos especializados.
Felizmente, um número maior de profissionais tem tido
interesse nesse segmento”, completa Dra. Patricia.
16
17
PACE
EVENTOS
Unidade Móvel de Educação Clínica chega ao Sul do Brasil
UMEC já treinou mais de 21 mil participantes em 976 aulas
A Unidade Móvel Educacional Covidien (UMEC), que,
desde maio de 2013, cruza as estradas brasileiras levando
capacitação técnica para profissionais de saúde, chegou à
região Sul do Brasil. Nesta nova rota, o Caminhão da Saúde
passou por diversas cidades do sul, incluindo Tubarão,
Itajaí (SC), Caxias do Sul, Passo Fundo e Porto Alegre (RS),
permitindo aos profissionais de saúde ter contato com novas
tecnologias e ferramentas de alto desempenho em técnicas
para suturas, eletro cirurgia, monitoramento de pacientes,
terapias para doenças periféricas, suporte ventilatório
mecânico, entre outros.
Em setembro, na visita a Tubarão, a UMEC, em parceria com
o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), ofereceu
treinamento gratuito aos estudantes e profissionais da saúde.
Mais de 860 profissionais da saúde assistiram às aulas.
“Agradecemos à Covidien por contemplar nosso hospital com
a visita da UMEC. Tal atitude foi de extrema importância na
capacitação de nossos profissionais e demonstra competência
e excelência, valores que reconhecemos e admiramos”, disse
Irmã Jacira Maria dos Santos, diretora-Geral do HNSC, após
o evento.
Já o Hospital Geral de Caxias do Sul, Universidade do Vale
do Itajaí (UNIVALI) e Hospital da Cidade de Passo Fundo
foram os destinos da UMEC em outubro. Com o apoio
da Sociedade Brasileira de Videocirurgia (SOBRACIL), o
Caminhão da Saúde participou do 8º SOBRACIL Day em
Itajaí. O workshop para cirurgiões convidados da entidade
contou com o tema “Técnicas Cirúrgicas e Novas Tecnologias
em Cirurgia Minimamente Invasiva”. Em Passo Fundo, por
fim, a unidade beneficiou estudantes e profissionais ligados
ao Hospital e Universidade de Passo Fundo.
18
“A UMEC foi um sucesso aqui em Passo Fundo, todos que
participaram gostaram muito das atividades. Organizado,
professores preparados, material de primeira qualidade e
excelentes profissionais fizeram toda diferença”. Depoimento
do Dr. Lucas Schimitz | Cirurgião Bariátrico do Hospital da
Cidade de Passo Fundo.
O mês de outubro foi muito especial para a UMEC, pois
pela primeira vez foi realizada uma ação voltada para os
pacientes. No dia 29, dia mundial de combate ao AVC
(Acidente Vascular Cerebral), a UMEC foi palco de uma
grande campanha global realizada pela Covidien. Além da
programação para os profissionais da saúde, uma grande
mobilização foi feita junto aos pacientes e profissionais da
saúde. Mais de 500 pessoas participaram da campanha.
Desde o seu lançamento, em maio de 2013, o Caminhão da
Saúde treinou mais de 21 mil participantes em 976 aulas,
passando por 32 cidades nos estados de São Paulo, Rio de
Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato
Grosso do Sul, Maranhão, Ceará, Paraná, Santa Catarina
e Rio Grande do Sul. Lançada na feira Hospitalar 2013,
a UMEC é uma iniciativa do departamento de Educação
Clínica e Adoção de Procedimentos (PACE, na sigla em
inglês) da Covidien, que busca diminuir as barreiras
de acesso ao conhecimento, à tecnologia e ao apoio a
profissionais de saúde em diversas áreas da medicina.
O caminhão, de 18 metros de comprimento e 4,5 metros de
altura, é equipado com simuladores cirúrgicos e aparelhos
para aulas práticas, além de um auditório capaz de acomodar
45 participantes e treinadores clínicos. As aulas estão focadas
em laparoscopia, segurança e cuidado e monitoramento de
pacientes em respiradores, clínica de feridas, cuidados com o
pé diabético e eletrocirurgias.
Covidien, sempre presente nos eventos mais
relevantes do Brasil
A Covidien teve intensa participação no congresso da
Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva
(SOBRACIL), realizado em setembro, em Florianópolis (SC).
Além do estande com a apresentação de produtos da marca,
a Covidien também se destacou pela presença da Unidade
Móvel Educacional Covidien (UMEC) durante o evento (leia
mais na página 18).
Em setembro, a Covidien também marcou presença no
63º Congresso Brasileiro de Coloproctologia, realizado em
Brasília (DF). No estande da empresa, o principal destaque
foi o SONICISION™, primeiro equipamento sem fio com
tecnologia ultrassônica para dissecção e coagulação de tecidos.
Outro evento de destaque em setembro foi o XXVII Congresso
Brasileiro de Nefrologia, que aconteceu no Expominas, em
Belo Horizonte (MG). No estande da Covidien, destaque para
a linha de cateteres para diálise da marca.
PróximoS EventoS
Fórum ANAHP (Associação Nacional de Hospitais Privados)
3 e 4 de dezembro, Hotel Tivoli – São Paulo (SP)
VI Curso Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica do
Hospital Oswaldo Cruz
4 a 6 de dezembro, Hospital Oswaldo Cruz – São Paulo (SP)
XXI Simpósio Internacional de Ventilação Mecânica
5 e 6 de dezembro, Hospital Albert Einstein – São Paulo (SP)
Visite nosso novo website:
covidien.com.br
19
Pipeline
™
Dispositivo de Embolização
O poder de redefinir o tratamento do aneurisma.
O dispositivo de embolização Pipeline™ redefine o tratamento do aneurisma das
opções endovasculares tradicionais para o verdadeiro remodelamento da artéria
original, reconstruindo o seu curso natural.
COVIDIEN, COVIDIEN com logo e positive results for life são marcas comerciais registradas nos EUA e/ou internacionalmente da Covidien AG. Todas as demais marcas são marcas comerciais de uma
empresa da Covidien. © 2014 Covidien. Todos os direitos reservados.
Reg. M. S.: 80301610006.
M. Luz 10/2014.
Tel.: 11 - 2187.6200
Fax: 11 - 2187.6375
atendimento.brasil@covidien.com
www.covidien.com.br
Download

Centro Covidien de Inovação: