Estado da Arte de Comunicação e Democracia
Luisa Maranhão de ARAÚJO1
Universidade de Brasília
Resumo: O objetivo deste artigo é fazer um estudo do estado da arte (FERREIRA, 2002) acerca de dois
eixos temáticos: comunicação e democracia. O objeto de pesquisa foi retirado do projeto de pesquisa:
“Análise da Produção Científica da Pesquisa em Comunicação Brasileira: um olhar sobre Internet”, em
2012, da pesquisadora Janara Sousa, assim, recorta do tema comunicação a internet,. A partir deste, uma
triagem foi realizada para selecionar os artigos científicos publicados nas revistas Intercom e E-Compós,
de âmbito nacional e com classificação A2, no sistema de avaliação Qualis, da Capes . O resultado foi 3
artigos da primeira e 4 da segunda, entre os anos de 2005 e 2010, dos autores: César Ricardo Siqueira
Bolaño e Valério Cruz Brittos (2010); Edson Fernando Dalmonte (2007), Francisco Paulo Jamil Almeida
Marques (2010); e Erick Felinto e Mauro Schulz de Carvalho (2005), Henrique Antoun (2006), Francisco
Paulo Jamil Almeida Marques e Edna Miola (2007); Fernando Nascimento Gonçalves (2007). A análise
do material coletado foi realizada em duas etapas: a primeira tabulou as produções selecionadas para
identificar o período, os autores e os locais onde foram produzidos. A segunda aprofundou na
sistematização das referências bibliográficas de cada artigo. Ainda que o recorte tenha tornado a pesquisa
restrita, do ponto de vista da quantidade de manuscritos, as considerações finais foram, primeiramente,
uma baixa tendência a pesquisar estes dois eixos temáticos, Internet e democracia, indicando, talvez, que
sejam discussões recentes, no Brasil, que há menos de 30 anos, vivia em uma ditadura e a rede mundial
de computadores ingressou na década de 90. Em segundo, a concentração dos estudos na região sudeste,
apesar de pesquisadores nordestinos se comunicarem com os pares do estado de Minas Gerais e do Rio
Grande do Sul, elaborando artigos em parceria. Inclusive, produções individuais prevaleceram neste
estudo. Em terceiro, a relevante referência a autores de língua inglesa, por eles serem “os pais da
democracia”? Ou por eles terem desenvolvido a Internet? Por último, a contradição, o uso de autores
norte-americanos não influenciou na análise dos objetos de estudo, que predominou a qualitativa diante
de nenhuma quantitativa.
Palavras-chave: Comunicação; Democracia; Internet; Movimentos Sociais; Produção
Científica.
Introdução
A proposta deste artigo busca fazer um estudo do estado da arte dos artigos,
cujos eixos temáticos são internet e democracia, na área da comunicação, publicados
nas revistas E-Compós, da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em
Comunicação (Compós), e Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação.
Ambas as publicações não estão vinculadas a nenhuma instituição universitária, são de
âmbito nacional, e possuem a classificação A2, na avaliação do Qualis Periódicos, da
Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).
O objeto de estudo foi escolhido a partir de uma seleção prévia realizada no
projeto de pesquisa, “O Social e o Tecnológico nas Estratégias Metodológicas
1
Mestranda pela Universidade de Brasília (UnB), da linha “Teorias e Tecnologias da Comunicação”.
Graduada Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG).
E-mail: maranhao.luisa@gmail.com.
Utilizadas para Compreender a Sociabilidade na Internet”, em 2011, coordenado pela
professora doutora Janara Kalline Leal Lopes de Sousa. O resultado da pesquisa
abrangeu 200 artigos, cujas temáticas de pesquisa estavam relacionadas à Internet,
ciberespaço, web e outras palavras afins.
1 - Porcentaje de artículos publicados y periódicos, Brasil, 2012
Fonte: SOUSA, Janara (2012).
Intercom
1 0%
Galáxia
23%
Matrizes
3%
Contracampo
7%
E-compós
44%
Famecos
1 3%
O gráfico acima sistematiza a porcentagem de cada revista dedicada ao tema
Internet e percebe-se, que a revista E-Compós é a que mais publica artigos científicos
referentes ao tema Internet. Assim, a primeira investigação está delimitada pela
investigação das revistas sem investigação a nenhuma instituição regional, como é o
caso da E-Compós e da Intercom. O objeto de estudo são 3 artigos da revista Intercom e
4, da E-Compós, com eixos temáticos em Internet e democracia, publicados entre os
anos de 2005 a 2010. O material coletado visa compreender quem são os autores que
investigam e discutem estes temas, em que região eles estão inseridos, qual foi a data da
publicação, quais foram as escolhas teóricas e metodológicas escolhidas por cada
pesquisador.
Metodologia
A metodologia utilizada para a elucidação destas dúvidas apresentadas é o
estudo do estado da arte, proposta por Norma Ferreira (2002). De acordo com a autora,
esta pesquisa garante
o desafio de mapear e de discutir uma certa produção acadêmica em
diferentes campos do conhecimento, tentando responder que aspectos
e dimensões vêm sendo destacados e privilegiados em diferentes
épocas e lugares, de que formas e em que condições têm sido
produzidas certas dissertações de mestrado, teses de doutorado,
publicações em periódicos e comunicações em anais de congressos e
de seminários. Também são reconhecidas por realizarem uma
metodologia de caráter inventariante e descritivo da produção
acadêmica e científica sobre o tema que busca investigar, à luz de
categorias e facetas que se caracterizam enquanto tais em cada
trabalho e no conjunto deles, sob os quais o fenômeno passa a ser
analisado (2002, p. 258).
Ao selecionar os 7 artigos, da Intercom e da E-Compós, como objeto de estudo,
num recorte temporal de 2005 a 2010, o estado da arte permitirá a busca de quais são os
pesquisadores e como eles investigam e constroem o conhecimento destes dois eixos
temáticos, Internet e democracia.
A pesquisa será realizada em duas etapas. A primeira consiste em “mapear essa
produção num período delimitado, em anos, locais, áreas de produção” (FERREIRA,
2002, p. 265). Nesta etapa será possível iniciar a descoberta de quando começou a
preocupação dos pesquisadores em publicar sobre o assunto proposto e, assim,
continuar e fomentar as discussões acerca da Internet e da democracia. Em seguida, a
segunda etapa é aquela
em que o pesquisador se pergunta sobre a possibilidade de inventariar
essa produção, imaginando tendências, ênfases, escolhas
metodológicas e teóricas, aproximando ou diferenciando trabalhos
entre si, na escrita de uma história de uma determinada área do
conhecimento. Aqui, ele deve buscar responder, além das perguntas
“quando”, “onde” e “quem” produz pesquisas num determinado
período e lugar, àquelas questões que se referem a “o quê” e “o como”
dos trabalhos. (FERREIRA, 2002, p. 265)
Neste aspecto, a pesquisa se aprofundará, pois irá averiguar quais são os
respectivos objetos de estudo e, por meio das referências bibliográficas dos artigos,
quais autores, os pesquisadores se fundamentaram para desenvolver a investigação
proposta.
A Primeira Etapa
A investigação dos artigos científicos, do primeiro projeto de pesquisa, e a
efetivação de uma nova triagem restringiram o estudo apenas às publicações que
vinculassem à Internet com a democracia, sendo esta última entendida também como:
poder, deliberação, participação política, políticas de comunicação, cidadania,
mobilização mundial, esfera pública, biopolítica, manifestos, ativismo, engajamento
social, opinião pública, espaço público, esfera pública, transpolítica, Estado e política.
A presente pesquisa passou a contar com 2 artigos da revista Matrizes, 2 da
Contracampo, 3 da Intercom, 4 da E-Compós, 5 da Galáxia, 9 da Famecos e nenhum da
Comunicação, Mídia e Consumo (Fig. 1). A revista Famecos é a que mais publicou
material sobre o assunto, no entanto, nesta proposta inicial, optou-se por buscar
conhecer o material publicado em revistas sem vinculação a nenhuma instituição
universitária nacional. O objeto de pesquisa são 7 artigos (3 da Intercom, 4 da ECompós).
2. - Porcentagem de artigos publicados sobre Internet e Democracia, no Brasil, de
2005 a 2010.
Fonte: Elaboração Própria.
A sistematização dos artigos permitiu a primeira delimitação proposta por
Norma Ferreira (2002). E, em seguida, a descoberta de como são elaboradas as
publicações e a que instituições acadêmicas e profissionais, conforme a última
atualização do Currículo Lattes de cada um, estão vinculadas os autores de cada
pesquisa.
3. Tabela dos artigos selecionados como objeto de estudo.
Nome
Autor
Revista
Ano
Blogosfera, Espaço Público e
Campo Jornalístico. O caso das
eleições presidenciais de 2006.
César Ricardo
Siqueira Bolaño,
Valério Cruz
Brittos
Edson Fernando
Dalmonte
Intercom
2010
Intercom
2007
Vol. 30
No. 1
Francisco Paulo
Jamil Almeida
Marques
Intercom
2010
Vol. 33
No. 1
Erick Felinto;
Mauro Schulz de
Carvalho
E-compós
2005
Vol. 3
Inovações Tecnológicas,
Webjornalismo e fluxos
informacionais: entre novas
possibilidades e velhos ideais
Participação, instituições políticas
e internet: um exame dos canais
participativos nos portais da
câmara e da Presidência do Brasil
Como ser pós-humano na rede: os
discursos da Transcendência nos
Manifestos Ciberculturais
Vol./
Núm.
Vol. 33
No. 1
Cooperação, colaboração e
Mercado na cibercultura
Internet e Parlamento: Um estudo
dos mecanismos de participação
oferecidos pelo Poder Legislativo
através de ferramentas online
Resistência Nômade: arte,
colaboração e novas formas de
ativismo na Rede
Henrique Antoun
Francisco Paulo
Jamil Almeida
Marques, Edna
Miola.
Fernando do
Nascimento
Gonçalves
ECompós
E-compós
2006
Vol. 7
2007
Vol. 9
ECompós
2007
Vol. 9
Fonte: Elaboração própria.
A sistematização indica que houve uma onda maior de preocupação dos
cientistas com os dois eixos temáticos, percebidos na publicação da Intercom e da ECompós. Em 2005 e 2006, existem apenas 1 artigo para cada ano respectivo, em 2007,
este número alavanca para 3 e, em 2010, diminui para 2.
4. Tabela de localização espacial dos pesquisadores.
Autor
César Ricardo Siqueira Bolaño2
Valério Cruz Brittos3
Produção
Parceria
Instituição Atual
Universidade Federal de Sergipe
Universidade do Vale do Rio dos Sinos
(RS)
Universidade Federal da Bahia
Universidade Federal do Ceará
Edson Fernando Dalmonte4
Francisco Paulo Jamil Almeida
Marques5
Individual
Individual
Henrique Antoun6
Erick Felinto7
Mauro Schulz de Carvalho8
Francisco Paulo Jamil Almeida
Marques
Edna Miola9
Individual
Parceria
Parceria
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Petrobrás - Mestrado na UERJ
Universidade Federal do Ceará
Fernando do Nascimento Gonçalves10
Individual
Doutoranda pela Universidade Federal de
Minas Gerais
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Fonte: Elaboração Própria.
2
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783267J1. Data: 09/09/2012.
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786024U5. Data: 09/09/2012.
4
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4766308E7. Data: 09/09/2012.
5
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4765485H2. Data: 09/09/2012.
6
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4723143P4. Data: 09/09/2012.
7
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4791914A1. Data: 09/09/2012.
8
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4759998Z5. Data: 09/09/2012.
9
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4719588D5. Data: 09/09/2012.
10
Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4796340E3. Data: 09/09/2012.
3
Após esta primeira tabulação, pode-se perceber que a primeira publicação cujos
eixos temáticos eram Internet e Democracia foi na revista E-Compós, que é mais
recente, se comparada à Intercom. O único autor que repete o número de publicações é
Francisco Paulo Jamil Almeida Marques, com uma produção individual e outra em
parceria. O maior número de publicações referentes ao tema ocorreu em 2007 e as
produções individuais prevalecem sobre as em parceria.
Com relação à localização dos pesquisadores, predomina a região sudeste do
país, com 4 pesquisadores no estado do Rio de Janeiro, sendo que 1 não continuou a
carreira acadêmica, e 1 em Minas Gerais. No nordeste, há 4 pesquisadores, sendo 2 do
Ceará, 1 de Sergipe e 1 da Bahia; e na região sul, 1 pesquisador do Rio Grande do Sul.
A região centro-oeste e norte do país não contém nenhum representante. Pode-se
perceber também que os estados nordestinos se comunicam com as regiões sul e sudeste
do país.
A Segunda Etapa
Identificado os autores de cada publicação e as respectivas localidades de
trabalho em que estão inseridos. O caminho da investigação aprofunda no intuito de
identificar a origem das obras utilizadas nas referências bibliográficas, em cada
produção. A tabela abaixo sistematiza os dados recolhidos:
5. Número de referências bibliográficas de cada artigo.
Autores
ANTOUN, H.
FELINTO, E.;
CARVALHO, M.S.
GONÇALVES, F.N.
MARQUES, F.P.J.A.;
MIOLA, E.
BOLAÑO, C.R.S.;
BRITTOS, V.C.
DALMONTE, E.F.
MARQUES, F.P.J.A.
Total
Fonte: Elaboração própria.
Referências Bibliográficas
Total Português Inglês Francês Espanhol
77
13
64
0
0
19
6
10
2
1
24
17
17
8
4
9
2
0
1
0
22
20
0
1
1
33
33
19
6
5
27
7
0
2
0
225
89
119
12
5
Desta tabela, elaborou-se um gráfico que calcula a porcentagem de cada
diferente língua nas referências bibliográficas:
6. Gráfico que identificam a língua mais utilizada pelos pesquisadores.
Fonte: Elaboração Própria
Diante do cenário em que, as obras de língua inglesa estão mais presentes,
procurou-se averiguar quais seriam os autores mais citados em cada publicação e
constatou-se:
7. Quadro de análise das referências bibliográficas.
Autores
ANTOUN, H.
FELINTO, E.;
CARVALHO, M.S.
GONÇALVES, F.N.
MARQUES, F.P.J.A.;
MIOLA, E.
BOLAÑO, C.R.S.;
BRITTOS, V.C.
Auto-Citação
Sim Não Qtd.
X
1
X
Autores com Maior Número de Obras
Qtd.
ARQUILA, J. e
3 cada um.
RONFELDT, D.;
FOUCAULT, M.;
NEGRI.A.
0
X
X
1
1
DELEUZE, G.
3
X
6
BOLAÑO, C.R.S. e
BRITTOS, V.C.;
BOLAÑO, C.R.S.;
3, 2 e 1,
respectivamente.
BRITTOS, V.C.
DALMONTE, E.F.
X
MARQUES, F.P.J.A.
3
DALMONTE, E.F.;
FREIRE, P.
3 cada um.
X
Fonte: Elaboração própria.
Apenas a publicação do pesquisador Henrique Antoun apresenta os autores
ARQUILA, J. e RONFELDT, D., com publicações em língua inglesa; os demais
apresentam autores traduzidos para o português e autocitações. Perante este novo
panorama, surge a última pergunta proposta por este artigo: como os autores realizaram
cada proposta de estudo? A identificação do objetivo do estudo evidencia como cada
autor pretendeu elaborar as considerações finais de cada artigo:
8. Quadro com a descrição dos objetivos de cada artigo.
Artigo
Cooperação, colaboração e
Mercado na cibercultura
Como ser pós-humano na
rede: os discursos da
Transcendência nos
Manifestos Ciberculturais
Resistência Nômade: arte,
colaboração e novas formas
de ativismo na Rede
Internet e Parlamento: Um
estudo dos mecanismos de
participação oferecidos pelo
Poder Legislativo através de
ferramentas online
Objetivo
[...] vamos examinar o estranho paradoxo que parece opor o poder
da informação ao poder da comunicação nas práticas sociais (DyerWitheford, 1999, p. 85-86). (ANTOUN, 2006, p. 03)
Este artigo visa, portanto, evidenciar e descrever os pontos de
articulação entre pós-humanismo e religiosidade tecnológica nos
discursos apresentados em um conjunto de oito sites investigados
no decorrer da pesquisa. (FELINTO, E.; CARVALHO, M.S., p.
04)
O presente artigo tem como objetivo discutir a emergência de
práticas artísticas que se apoiam no uso crítico de tecnologias de
informação e comunicação para produzir resistência a discursos e
práticas de poder, através de ações virtuais e em espaços públicos.
(GONÇALVES, 2007, p. 02)
Este artigo busca, assim, diagnosticar que tipos de instrumentos e
recursos são efetivamente oferecidos por determinada categoria de
websites e de agentes políticos no que se refere ao provimento de
mecanismos de participação política a serem empregados pela
esfera civil. (MARQUES; MIOLA, 2007, p. 03)
Blogosfera, Espaço Público e Para atingir-se o objetivo deste estudo – demonstrar como, na blogosfera,
foi formado um ambiente para circulação de informações em sentido
Campo Jornalístico. O caso
diferenciado
do fluxo da grande mídia, especialmente a partir da pesquisa
das eleições presidenciais de
do
segundo
turno da eleição para a Presidência da República de 2006,
2006.
que reelegeu Luiz Inácio Lula da Silva – foram utilizados dois principais
instrumentos: de captura e análise de dados, revisão bibliográfica e
análise de blogs que, a partir de levantamento preliminar, foram
considerados representativos da abordaram da temática eleitoral, durante
o mês do pleito em foco. (BOLAÑO; BRITTOS, 2010, p. 240)
Inovações Tecnológicas,
Webjornalismo e fluxos
informacionais: entre novas
possibilidades e velhos ideais
A comunicação, ao ser mediada tecnologicamente, impulsiona uma série
de modificações na sociedade. Aproxima espaços e realidades, possibilita
a busca e troca de informações. O surgimento e desenvolvimento dos
meios de comunicação de massa possibilitam mudanças de ordem
prática, como o aumento da circulação da informação, mas é possível
observar também toda uma efervescência no campo das ideias. A
sociedade, em forte processo de mudança desde a Revolução Industrial, a
partir dos então novos meios de comunicação, como o rádio, passa a ser
marcada por uma série de discursos, movidos por um interesse de
analisar tal realidade. Depreende-se, então, que se pode falar do discurso
das mídias (CHARAUDEAU, 1997), como proposto pela análise do
discurso, ou do discurso sobre a mídia. Para as reflexões a serem
desenvolvidas, opta-se pelo discurso sobre a mídia. (DALMONTE,
2007, p. 131)
Participação, instituições
políticas e internet: um
exame dos canais
participativos nos portais da
câmara e da Presidência do
Brasil
O presente trabalho, dedicado a explorar parte dos resultados de uma
pesquisa doutoral, apresenta como objetivo, então, examinar aqueles
canais de participação efetivamente presentes em determinados portais de
instituições que integram a estrutura do Estado brasileiro. (MARQUES,
2007, p. 56)
Cada trecho apresentado acima mostra que os trabalhos publicados realizaram
análises qualitativas dos respectivos objetos de estudo, o que, de certa maneira,
contradiz o enorme uso de autores de língua inglesa, com tradição em pesquisas
quantitativas.
Considerações Finais
Ainda que consciente do restrito recorte temporal e espacial objeto de estudo
proposto nesta análise pode-se perceber o escasso número de artigos científicos, sobre
Internet e Democracia, publicados em duas das principais revistas de comunicação
brasileiras. Este resultado talvez possa ser explicado devido ao recente processo de
democratização da República Federativa do Brasil, assim como a inserção da rede
mundial de computadores nos anos 90. As mudanças acadêmicas não têm os mesmos
ritmos das mudanças sociais, há um processo de reflexão a amadurecimento dos
primeiros acerca dos segundos.
Os pesquisadores que publicam na Intercom e na E-Compós, duas das revistas
mais importantes em comunicação do país, sem vinculação a nenhuma instituição
acadêmica, continuam centrados nas mesmas regiões que foram citados na pesquisa de
Janara Sousa (2012), na região sudeste, principalmente no estado do Rio de Janeiro. Ou
seria a centralização do conhecimento, ou as outras regiões não se preocupam com estes
dois eixos temáticos?
Com relação aos autores em que os brasileiros se fundamentam, 53% deles são
de língua inglesa. Ainda que a língua inglesa seja universal, as referências bibliográficas
indicam, explicitamente, que 54 das publicações são de editoras norte-americanas. Esta
situação seria a influência do pensamento dos Estados Unidos como pais da
democracia? Ou por eles terem desenvolvido a rede mundial de computadores?
Influências estas que não se estenderam para a opção de análises. Todos os artigos
selecionados optaram por análises qualitativas e não quantitativas, como são
predominantes nos estudos americanos. Como explicar este paradoxo?
As dúvidas são respondidas e reelaboradas. O percurso para a elaboração da
dissertação de mestrado apenas começou. Ainda há outros objetos de estudo a serem
pesquisados e novas perguntas a serem respondidas. Esta apresentação apresenta apenas
um pouco daquilo que ainda está por vir: mais respostas, mais perguntas, mais
contradições, mais incertezas e mais buscas por conhecimento.
Referências Bibliográficas
ANTOUN, Henrique. Cooperação, Colaboração e Mercado na Cibercultura. In.: Revista
da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Dez. 2006.
BOLAÑO, C.R.S.; BRITTOS, V.C. Blogosfera, espaço público e campo jornalístico: o
caso das eleições presidenciais brasileiras de 2006. In.: Intercom – Revista Brasileira de
Ciências da Comunicação. São Paulo, v.33, n. 1, p. 237-256, jan./jun. 2010.
DALMONTE, E.F. Inovações tecnológicas, Webjornalismo e fluxos informacionais:
entre novas possibilidades e velhos ideais. In.: Intercom – Revista Brasileira de Ciências
da Comunicação. São Paulo, v. 30, n. 1, p. 129-149, jan./jun. 2007.
FELINTO, Erick; CARVALHO, Mauro S. Como ser Pós-Humano na Rede: os
Discursos da Transcendência nos Manifestos Ciberculturais. Revista da Associação
Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Agosto/ 2005.
FERREIRA, Normas Sandra de Almeida. As Pesquisas Denominadas “Estado da Arte”.
In.: Educação & Sociedade. Ano XXIII, nº79, Agosto/2002.
GONÇALVES, Fernando do N. Resistência Nômade: arte, colaboração e novas formas
de ativismo na Rede. In.: Revista da Associação Nacional dos Programas de PósGraduação em Comunicação. Agosto/2007.
MARQUES, FRANCISCO. Participação, Instituições Políticas e Internet: um exame
dos canais participativos nos portais da Câmara e da Presidência do Brasil. Intercom –
Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 33, n. 1, p. 53-79,
jan./jun. 2010.
MARQUES, Francisco P. J.A.; MIOLA, Edna. Internet e Parlamento: um estudo dos
mecanismos de participação oferecidos pelo Poder Legislativo através de ferramentas
online. In.: E-Compós. Agosto de 2007.
SOUSA, Janara. Periodismo e Internet: un análisis de los procedimientos metodológicos
utilizados por los investigadores brasileños. Comunicação apresentada ao I Congreso
Internacional sobre Estudios de periodismo: Identidad, cambios y desafíos de la
profesión en el siglo XXI. Santiago, Chile, 2012. [Apresentação Oral]
Download

18. Estado da Arte de Comunicação e Democracia