Agora você pode desfrutar de falar mais,
por menos dinheiro
PORTUGAL
$5=1000 m
telemóvel
$5=250m.
PINLESS
PRESS 2
*
BRASIL
$5=500 m.
Capitais/Cidades
$5 =700 m.
telemóvel
$5=240m.
com seu
Novo
A VENDA NO COMÉRCIO
Informações
416-727-0817
SUPER
Com o novo cartão pode também ligar
de PORTUGAL e do BRASIL para o CANADA e resto do mundo
Se for de férias, Leve-o consigo
Director: Vasco M. C. Evaristo
PORTUGUESE-CANADIAN NEWSPAPER
Telefone: 416 534-3177
Fax: 416 588-6441
Membro do Grupo de Publicações Sol
Proud Member of the Sol Publishing Group
E-mail: voice@voicenews.ca
$1.50
Ano XXVII – Edição 1407
Terça-feira, 13 de Outubro de 2015
www.voicenews.ca
Santoinho 2015 em Toronto:
Maior arraial minhoto da
América do Norte
13
2 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
canadá
Casos de doping nos
Pan-americanos de Toronto
alarma autoridades
A Agência Mundial Antidopagem (AMA) revelou
ter existido um número elevado de casos de doping nos
Jogos Pan-americanos realizados em Toronto, e ter sido
registada uma inesperada ampla gama de substâncias
utilizadas pelos atletas.
Em comunicado, a AMA refere que foram detectados
18 casos de doping entre as 1.505 recolhas efectuadas
durante os XVII Jogos Pan-americanos, que decorreram
entre os dias 10 e 26 de Julho passado.
Sem entrar em pormenores sobre o nome dos atletas
que acusaram positivo para doping, nem revelar quais
os países ou as modalidades específicas em que foram
registados os resultados, a Agência Mundial Antidopagem
revela que as análises positivas se distribuíram por 13
países e oito modalidades.
Alarmados com este elevado número de casos positivos
de doping durante uma única competição, os dirigentes
da AMA alertam as autoridades nacionais e desportivas
para os elevados riscos que os atletas demonstram estarem
dispostos a correr para conseguirem vantagem sobre os
seus adversários, colocando, no entanto, a sua saúde e
por vezes a própria vida em risco, devido à ampla gama
e perigosidade das substâncias utilizadas.
Conservadores disparam
nas sondagens
A mais recente sondagem de
opinião feita aos eleitores canadianos pela empresa Angus
Reid mostra que o Partido
Conservador conseguiu distanciar-se do Partido Liberal e do
Partido da Nova Democracia,
obtendo 34 por cento das intenções de voto contra 27 por
cento para os Liberais e a Nova
Democracia.
que tem parecido impensável
ao longo das onze semanas de
campanha eleitoral.
Fontes do Partido
Conservador revelaram estar a
ser preparada uma campanha de
publicidade muito dura contra
o líder Liberal, Justin Trudeau,
que será tornada pública no
feriado de Acção de Graças,
12 de Outubro. Recorde-se
Os Conservadores, que tradicionalmente têm conseguido
nos actos eleitorais mais três
pontos percentuais de votos
que o previsto pelas sondagens,
parecem estar a conseguir pôr
fim ao empate técnico entre
os três principais partidos do
espectro político canadiano,
que tem sido revelado pelas
sondagens ao longo da campanha eleitoral.
Se os Conservadores conseguirem chegar aos 37 por
cento dos votos conseguirão
atingir uma maioria absoluta
no Parlamento, um resultado
que os Conservadores têm
consistentemente atacado a
juventude de Trudeau, 43 anos,
como não lhe permitindo ter
a experiência necessária para
liderar os destinos do país.
O aumento do número de
lugares no Parlamento federal,
de 308 para 338, pode também
facilitar a conquista de uma
maioria absoluta por parte do
Partido Conservador.
Fontes da direcção do partido dizem estar convencidos
de que os Conservadores vão
conquistar 20 dos 30 novos
lugares disponíveis.
SEM IGUAL
Stephen Harper promete
4,3 mil milhões de dólares
para sector lacticínio
O Primeiro-ministro, Stephen Harper, revelou que
o governo federal já aprovou um plano para apoiar a
indústria dos lacticínios com 4,3 mil milhões de dólares,
ao longo dos próximos quinze anos, como forma de
proteger os agricultores
canadianos do impacto
do acordo de Associação
Trans-Pacífico (ATP –
TPP, na sigla inglesa).
Harper considerou
que as concessões feitas
pelo Canadá no sector dos lacticínios são
modestas, “apenas um
aumento de 3,25 por
cento nas importações”,
acrescentando que o
fundo de compensação
agora anunciado é mais
do que suficiente para
proteger os produtores
canadianos.
O líder do governo
federal diz não ter dúvidas de que o histórico acordo
estabelece novos padrões para o futuro do comércio
mundial, protege os postos de trabalho canadianos,
hoje, e criará novos postos de trabalho no futuro, uma
vez que garante o acesso dos produtos canadianos a
mercados cruciais.
“Este acordo, sem qualquer espécie de dúvida, tem
todo o interesse para a economia canadiana.”, disse
Stephen Harper, acrescentando: “Prevejo com 100 por
cento de certeza que, daqui a dez anos, as pessoas que
olharem para trás dirão que foi uma grande decisão. Mas
se não ratificarmos este acordo, as pessoas dirão que foi
um erro terrível.”
Novos Democratas apresentaram
programa eleitoral para Toronto
No dia 2 de Outubro o
Partido da Nova Democracia
(PND – NDP, na sigla inglesa)
apresentou o programa eleitoral que tem como objectivo
conquistar os votos dos eleitores da cidade de Toronto.
O programa, apresentado a
17 dias das eleições, chamase “Construir uma Toronto
Melhor” e é classificado pelo
PND como “corajoso e agressivo”. A brochura de apresentação do programa inclui muitas
fotos do líder do partido, Tom
Mulcair, com eleitores canadianos e, basicamente, repete
as posições já conhecidas do
PND sobre um número alargado de temas.
O programa apresentado
não entra em detalhes sobre
políticas específicas para
Toronto, embora cite o nome
da cidade várias vezes, mas
sublinha a ideia já apresentada de que o Partido da Nova
Democracia está em melhor
posição que os Liberais para mil milhões de dólares para
derrotar os Conservadores de investir em infra-estruturas,
durante os próximos vinte
Stephen Harper.
O programa apresenta, no
entanto, promessas feitas a
nível nacional que são também
relevantes para a cidade de
Toronto, como o combate ao
congestionamento do trânsito
nas cidades, e a candidata do
PND pelo círculo eleitoral de
Parkdale - High Park, Peggy
Nash, diz que o partido promete
um pacote financeiro de “12,9
anos, para combater o congestionamento do tráfego nas
cidades”.
O programa para a cidade
de Toronto promete também
manter a proibição de utilização do aeroporto Billy Bishop
pelos aviões a jacto, proteger
os rios da cidade e confirmar a
instituição do Parque Urbano
Rouge National.
13 de Outubro de 2015 | 3
QUALIDADE
SEM IGUAL
portugal
Presidenciais:
Breves de Portugal
Marcelo Rebelo de Sousa,
o comentador que quer chegar a Belém
Aluno brilhante, professor catedrático, comentador,
político, Marcelo Rebelo de
Sousa entrou sexta-feira (9)
na ‘corrida’ a Belém, quase
20 anos depois de ter liderado
o PSD.
Com 66 anos, dois filhos e
cinco netos, Marcelo Rebelo de
Sousa nasceu em Lisboa a 12
de Dezembro de 1948, filho de
um médico e de uma assistente
social. Em Celorico de Basto,
distrito de Braga, onde está
recenseado, apresentou a sua
candidatura à Presidência da
República.
A primeira escola que frequentou foi o Lar da Criança,
para onde entrou com apenas
ano e meio e teve como colega
o cirurgião Alfredo Barroso.
Dali, Marcelo saiu para o
Liceu Pedro Nunes, onde foi o
melhor aluno. Já na Faculdade
de Direito de Lisboa continuou
o percurso de aluno brilhante,
terminando o curso com 19
valores.
Mas, ao contrário de muitos
outros, não foi na faculdade
que teve o primeiro contacto
com a política. Marcelo Rebelo
de Sousa nasceu e cresceu no
meio dela e conviveu desde
cedo com a família do então
primeiro-ministro do Estado
Novo, Marcello Caetano, devi-
do ao envolvimento político do
pai, Baltazar Rebelo de Sousa,
que chegou a ser ministro das
Corporações e do Ultramar.
O seu percurso no PSD também começou cedo. Militante
desde 1974, ficou responsável pela implementação do
então PPD no sul do país.
Vinte anos depois, em 1996,
no pós-cavaquismo, chegou
à liderança do partido, cargo
que ocupou durante três anos,
saindo depois do fracasso da
tentativa de reeditar a Aliança
Democrática, com Paulo Portas
no CDS-PP.
A sua ascensão à presidência
do PSD ficou para sempre marcada por uma frase que até hoje
‘persegue’ Marcelo Rebelo de
Sousa. Pouco tempo antes do
congresso de Santa Maria da
Feira, quando questionado se
algum dia seria candidato à
liderança do partido, o ‘professor’ foi peremptório: “Nem
que cristo desça à terra”.
Antes, em 1989, o agora
candidato presidencial disputou as suas primeiras eleições
como número um da lista do
PSD e do CDS-PP à Câmara
de Lisboa. É nessa campanha
eleitoral que protagonizou um
episódio até hoje recordado.
Confrontado com alguma
falta de notoriedade, Marcelo
decide fazer alguma coisa de
diferente e mergulha no Tejo
em frente às câmaras de televisão para mostrar como o rio
estava poluído. O gesto deu
que falar, mas nem por isso
lhe valeu a vitória.
Mas, além da liderança
do partido e da experiência
autárquica, não só em Lisboa,
como em Cascais e Celorico
de Basto, os ‘corredores do
poder’ são bem conhecidos
de Marcelo Rebelo de Sousa
que foi deputado à Assembleia
Constituinte, secretário de
Estado da Presidência do
Conselho de Ministros do VIII
Governo Constitucional, vicepresidente do Partido Popular
Europeu entre 1997 e 1999
e membro do Conselho de
Estado há quase 10 anos.
Profissionalmente, além
da longa carreira como professor catedrático, não só na
Faculdade de Direito de Lisboa,
mas também na Universidade
Católica, Marcelo Rebelo de
Sousa passou também pelo
Expresso, nos tempos iniciais
do semanário fundado pelo
militante número um do PSD,
Francisco Pinto Balsemão.
Dessa altura vem também
outro episódio caricato, quando foi publicada na secção
‘Gente’ do semanário, no meio
de um texto, uma frase da autoria de Marcelo fora de qualquer
contexto: “O Balsemão é ‘lelé’
da cuca”.
Mais tarde, a relação entre os
dois volta a sofrer novo abalo,
quando Marcelo estava à frente
do Expresso e Balsemão liderava o Governo, com os mais
duros ataques ao executivo a
surgirem precisamente naquele
semanário.
Paulo Portas foi outros dos
alvos das ‘brincadeiras’ de
Marcelo, quando o actual líder
do CDS-PP dirigia o semanário
Independente. À saída de uma
reunião com o então Presidente
da República Mário Soares,
Marcelo terá contado a Paulo
Portas que tinha sido servida
uma ‘vichyssoise’, uma informação que posteriormente
se veio a confirmar ser falsa e
que, anos mais tarde, começou
a ser usada como exemplo de
que Marcelo seria uma pessoa
pouco fiável.
Essa é, aliás, uma das
críticas mais repetidas à sua
personalidade, a par de ser uma
pessoa instável e demasiado
imprevisível.
Simultaneamente todos o
reconhecem como uma pessoa
de grande inteligência, simpático, divertido, emotivo e um
verdadeiro estratega político.
TOMAR: Outubro é mês gastronómico do feijão
A mostra gastronómica Todos com o Feijão, o Feijão
com Todos, promovida pela Câmara Municipal de Tomar
em colaboração com 22 restaurantes do concelho, decorre
aos fins de semana do mês de Outubro.
Nesses dias o menu inclui entradas, sopa, prato principal
e sobremesas confeccionadas com feijão, mostrando a versatilidade desta leguminosa, realça uma nota da autarquia,
que dá como exemplos de entradas a mexilhoada de feijão,
a feijoada de caracóis ou o feijão com barriga de porco.
“Nas sopas, um dos momentos da refeição em que este
ingrediente mais brilha, há-as de feijão com couve, do cozido
com feijão branco, da taberna, à assador, da avó, da pedra,
ou simplesmente de feijão-verde”, acrescenta, destacando
ainda, no prato principal, as feijoadas (à moda da casa, à
transmontana, à portuguesa, de leitão, de polvo ou de chocos)
ou o cozido à portuguesa com feijão branco, entre muitos
outros”, refere a nota da câmara.
Há ainda várias sobremesas.
REGUENGOS DE MONSARAZ: “Mês da Música”
com nove concertos
Um total de nove concertos preenche a programação do
“Mês da Música” em Reguengos de Monsaraz, que arrancou
no sábado e se prolonga até final do mês, em várias localidades do concelho, revelou a Câmara municipal.
O espectáculo de abertura foi protagonizado pela Banda
Juvenil da Sociedade Filarmónica Corvalense, enquanto, no
domingo, actuara a Banda Sarja – Projecto a Levante.
Um concerto de clarinete e flauta, por professores do
Conservatório Regional do Alto Alentejo, é a proposta para
dia 17, e, no dia seguinte, sobe ao palco o Coro Polifónico
da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense e o Coro
Polifónico da Sociedade Filarmónica Corvalense.
O programa inclui também concertos da banda de rock
português Dharma (dia 24) e da Banda Juvenil da Sociedade
Filarmónica Harmonia Reguenguense (dia 25), o espectáculo
“O Fado do Nosso Cante” (dia 30) e as actuações do Quinteto
de Metais do Conservatório Regional do Alto Alentejo e da
Banda de Música da Força Aérea (dia 31).
4 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
portugal
Breves de Portugal
GUARDA: Exposição de trabalhos de alunos de
Design do Instituto Politécnico
A Galeria de Arte do Paço da Cultura da Guarda acolhe
até ao dia 7 de Novembro uma exposição de trabalhos dos
alunos do terceiro ano da licenciatura em Design de equipamento do Instituto Politécnico local.
A mostra, intitulada “Estrela nature+design+craft e
Brinquedo de madeira”, é composta por trabalhos desenvolvidos pelos alunos, no ano lectivo de 2014/15, no âmbito
dos projectos “Estrela nature+design+craft” e “Brinquedo de
madeira”, com a colaboração de artesãos, da Associação de
Artesãos da Serra da Estrela, da Câmara Municipal da Guarda
e da associação de solidariedade social ADM Estrela.
Segundo os promotores, através do projecto “foram estabelecidos laços que cruzam saberes e técnicas, resultando
em peças únicas de inegável valor estético”.
“O projecto é também um excelente exercício na área do
Design Social, através de um olhar atento sobre o território
captando a sua essência”, refere a fonte.
SABUGAL: Comemorações do 9.º aniversário da
Casa do Povo de Bendada
A Casa do Povo de Bendada, no concelho do Sabugal,
vai comemorar, no sábado, o seu 9.º aniversário, com a
inauguração e bênção da nova ala do edifício da Estrutura
Residencial para Pessoas Idosas.
A cerimónia está agendada para as 15:30 e contará com a
presença do bispo da Diocese da Guarda, Manuel Felício.
O programa também inclui um concerto da Sociedade
Filarmónica Bendadense, uma missa e um lanche convívio.
A Casa do Povo de Bendada possui as valências de
Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Centro de Dia e
Apoio Domiciliário.
MARINHA GRANDE: Câmara promove visitas
guiadas ao Teatro Stephens
A Câmara da Marinha Grande promove nos dias 14, 21
e 28, pelas 16:00, visitas guiadas gratuitas a todas as áreas
do Teatro Stephens, no âmbito da comemoração do primeiro
aniversário da reabertura do espaço.
“Cada visita terá a duração de cerca de uma hora e será
guiada pelo arquitecto Miguel Figueiredo, autor do projecto de requalificação do Teatro Stephens, que explicará as
intervenções realizadas”, informa a autarquia.
Os participantes terão acesso à sala, palco, bastidores e
demais áreas funcionais que normalmente estão vedadas
ao público.
O município preparou ainda um programa comemorativo
que inclui teatro, oficina de expressão dramática, exposição
de fotografia de teatro e música.
Maioria do empreendedorismo em Portugal
está assente no auto-emprego, revela estudo
Uma tese de doutoramento da Faculdade
de Economia da Universidade de Coimbra
conclui que a maioria do empreendedorismo em Portugal é de necessidade,
gera turbulência no tecido empresarial e
contribui para o crescimento “anémico”
da economia.
A tese de doutoramento, iniciada em
2012, constata que a maioria do empreendedorismo português surge alavancado
pelo desemprego, o que leva a que esteja
associado a um empreendedorismo “por
necessidade”, ao invés de “por oportunidade”, indiciando que não contribui para o
crescimento da economia, disse à agência
Lusa o autor da tese, Gonçalo Brás.
Segundo o investigador, um dos “traços preocupantes do empreendedorismo
em Portugal” é este ser alimentado
pelo Governo, “em programas como o
‘Empreende Já’”, em que o desemprego
“é condição ‘sine qua non’ [obrigatório]
para haver apoio”.
O desemprego como alavanca para o
empreendedorismo leva a que as pessoas “sejam empurradas para o mercado,
muitas vezes impreparadas, o que pode
resultar no endividamento das pessoas”,
sublinhou.
A consequência de um empreendedorismo assente na necessidade e no
“auto-emprego” (Portugal tem uma taxa
de auto-emprego de 18,4%) leva a “uma
turbulência de empresas que se regista
em Portugal, com um carrossel de entra
e sai de empresas, sem que venha nada
de bom para o crescimento económico
português”, referiu o autor da tese.
A aposta nesse tipo de empreendedorismo através de políticas estatais “não tem
dado resultado”, sendo que a diminuição
no investimento em inovação e desenvolvimento (I&D) e em educação acaba por
ser “preocupante”, indiciando uma “não
aposta no empreendedorismo por oportunidade” - assente na inovação e na criação
de produtos de valor acrescentado.
O investigador, que analisa também
350 empresas exportadoras e, dentro
dessas, 170 de base tecnológica, salienta
que nessas empresas o empreendedorismo
por oportunidade (feito via inovação) está
presente e ajuda-as a internacionalizaremse e a obterem “uma melhor performance
global”.
No entanto, caso Portugal queira fazer
uma viragem do empreendedorismo por
necessidade “para o empreendedorismo
por oportunidade, tem de apostar num
modelo de crescimento endógeno, com
o capital humano e a tecnologia como
alicerces”.
“O país tem de passar de uma óptica
de obsessão de liderança pelo custo, em
que não é possível competir num mundo
global e num país sem política monetária”,
para um modelo assente na diferenciação,
defendeu Gonçalo Brás.
Parte da tese será abordada em Sevilha,
Espanha, entre 5 e 6 de Novembro,
num evento da Rede Internacional de
Investigação Económica.
Autarquia, empresários e trabalhadores esperam
que Autoeuropa escape à crise da Volkswagen
As consequências da fraude nos veículos Volkswagen
para o futuro da Autoeuropa é
motivo de preocupação para
trabalhadores, empresários e
autarcas, mas todos esperam
que o grupo alemão seja capaz
de ultrapassar o problema.
de “acomodar os projectos
para o novo modelo, para a
nova fábrica de cunhos e outras
ampliações que estão previstas
no parque da Autoeuropa”.
“Temos procurado fazer
parte da solução. Esses investimentos - o mais significativo
Para Francisco Carriço,
neste momento as pequenas
e médias empresas da região
não teriam capacidade para
absorver os trabalhadores da
Autoeuropa, ao contrário do
que aconteceu com outras
indústrias da região que fecha-
O presidente da Câmara
de Palmela, Álvaro Amaro,
admite que existe “alguma
apreensão”, mas considera que
o número de viaturas produzidas na Autoeuropa equipadas
com motores dotados de mecanismos capazes de manipular
resultados das emissões de
gases poluentes não terá sido
significativo.
“Por um lado não estamos
preocupados com a dimensão
do fenómeno de alteração dos
motores, porque isso, em bom
rigor, não terá acontecido na
Autoeuropa num volume significativo de viaturas”, afirmou
Álvaro Amaro, em declarações
à Lusa.
O autarca de Palmela salientou ainda que, apesar da
situação actual da Volkswagen,
a autarquia continua a trabalhar
com a Autoeuropa para resolver questões de planeamento e
urbanísticas, com o objectivo
na ordem dos 677 milhões de
euros - para o novo modelo,
esperemos que não venham a
ter qualquer travagem, porque
a importância da empresa é sobretudo para o País, dado o contributo significativo para o PIB
(Produto Interno Bruto). Mas,
sem dúvida, que para a região
e para o concelho [o desinvestimento na Autoeuropa], seria
uma catástrofe. Acreditamos,
temos esperança, de que este
episódio não vá, para já, fazer
parar esta expectativa e esta
dinâmica”, sublinhou.
Preocupados estão também
os empresários do sector do
comércio e serviços do distrito
de Setúbal, que receiam as
consequências de eventuais
despedimentos na Autoeuropa
provocados pela crise do grupo
Volkswagen, como reconhece
o Presidente da Associação
de Comércio e Serviços do
Distrito de Setúbal.
ram as portas nos anos 90 do
século passado.
“Se [o distrito de Setúbal]
tivesse um tecido forte de
pequenas e micro-empresas,
esses postos de trabalho [da
Autoeuropa] seriam absorvidos pelas micro e pequenas
empresas. Mas, devido à ditadura fiscal que o Estado está a
colocar sobre estas empresas,
não será possível”, afirmou.
“Nos anos 90 houve uma crise muito grande na indústria do
distrito de Setúbal. Fecharam,
entre outras, a Movauto,
Aríston, Peugeot, HR, Control
Data, todas empresas com
mais de 800 postos de trabalho. E nessa altura o tecido
empresarial de Setúbal estava
forte - foram investidos muitos milhões de euros através
do primeiro QREN (Quadro
de Referência Estratégico
Nacional) que começou em
1992 - e todos esses postos de
AROUCA: Passadiços do Paiva galardoados
O Prémio do Salão Imobiliário de Lisboa, na categoria
“Reabilitação Urbana – espaços públicos”, foi atribuído ao
projecto dos Passadiços do Paiva, de Arouca.
O Conselho Estratégico do evento e a Fundação AIP foram “unânimes” na atribuição do prémio aos Passadiços do
Paiva pelo seu “contributo para o desenvolvimento do sector
imobiliário, na vertente da reabilitação de espaços públicos”,
informa um comunicado da Câmara de Arouca.
A cerimónia de entrega dos prémios insere-se na programação do Salão Imobiliário de Lisboa, que decorre domingo
na FIL (Parque das Nações), em Lisboa.
ALJUSTREL: Câmara comemora Dia Mundial da
Alimentação
A Câmara de Aljustrel promove, desde segunda-feira,
um programa de actividades para sensibilizar a população
para hábitos alimentares mais saudáveis e comemorar o
Dia Mundial da Alimentação, que se assinala no dia 16
deste mês.
Até ao final do mês, uma dietista e uma engenheira alimentar vão realizar sessões de esclarecimento sobre boas práticas
alimentares juntos de alunos das escolas do concelho.
SEM IGUAL
trabalho foram integrados nas
micro e pequenas empresas,
sem problemas para a região e
para a população”, frisou.
Os trabalhadores das empresas instaladas no Parque
Industrial da Autoeuropa, por
seu lado, também manifestam
preocupação relativamente ao
futuro, mas garantem estar a
encarar o problema com muita
“serenidade”.
“Existe alguma serenidade,
até porque o investimento
que a Autoeuropa anunciou
- os 677 milhões de euros está a avançar. Fisicamente
podemos verificar que na
Autoeuropa as coisas estão a
acontecer”, justificou Daniel
Bernardino, da Comissão
Coordenadora das Comissões
de Trabalhadores do Parque
Industrial da Autoeuropa.
“Os trabalhadores como
também sabem que, de todos
os investimentos que estão
previstos, este representa um
por cento daquilo que é o investimento global da Volkswagen,
acham que, a serem cortados
quaisquer investimentos, poderão ser alguns que ainda estão por decidir, onde ainda não
se começou a gastar dinheiro.
Este, como já vai num estado
avançado, acreditamos - e esperamos que assim seja - que vá
continuar e que o novo modelo
[a produzir pela Autoeuropa]
venha para cá em 2017, como
está previsto”, acrescentou.
Contactados pela Lusa, os
responsáveis da Associação
da Industria da Península
de Setúbal, que integra a
Autoeuropa e algumas empresas de fornecedores da mesma,
limitaram-se a divulgar uma
nota de imprensa em que garantem não ter recebido, até agora,
qualquer manifestação de preocupação ou sinal de alteração
do ritmo da produção quer de
clientes quer de fornecedores
da fábrica de Palmela.
13 de Outubro de 2015 | 5
QUALIDADE
SEM IGUAL
Naufrágio na Figueira da Foz:
Encontrado último
corpo que se encontrava
desaparecido
O corpo do último pescador que faltava encontrar na
sequência do naufrágio do arrastão Olívia Ribau, na terçafeira, foi domingo (11) encontrado no rio Mondego, junto
à marina da Figueira da Foz, disse fonte da Autoridade
Marítima.
De acordo com Nuno Leitão, a Autoridade Marítima
confirmou que se trata do corpo do pescador natural da
Figueira da Foz, tendo o cadáver sido recolhido do rio
por meios da Polícia Marítima e a família notificada de
imediato.
Fonte portuária disse à Lusa que corpo foi detectado a
boiar no rio pelo rebocador que acompanhava o primeiro
navio cargueiro que teve autorização de saída do porto,
cerca das 12:45 de domingo.
No arrastão Olívia Ribau naufragado na terça-feira
passada à entrada do porto da Figueira da Foz, seguiam
sete pescadores.
Dois foram resgatados vivos na terça-feira e nesse dia
foi recuperado um corpo. Na quinta-feira, no interior do
arrastão, foram encontrados mais dois corpos, e outro na
sexta-feira, também dentro da embarcação que está afundada no rio Mondego, junto à foz, e o último desaparecido
foi domingo encontrado.
portugal
Câmaras de Nisa, Sousel e Campo Maior
reduzem imposto para famílias com filhos
As Câmaras municipais de
Sousel, Nisa e Campo Maior,
no Alto Alentejo, aprovaram
a redução, entre 10 a 20%,
do Imposto Municipal sobre
Imóveis (IMI) para famílias
com filhos, informaram as
autarquias.
Os três municípios do distrito de Portalegre vão aplicar,
no próximo ano, reduções de
10%, 15% e 20%, respectivamente, para famílias com um,
dois e três ou mais filhos.
Em simultâneo, as autarquias de Nisa e Campo Maior
decidiram ainda aplicar, em
2016, a taxa mínima de IMI
(0,3% face ao máximo de
0,5%), enquanto a de Sousel
aprovou uma taxa de 0,4%.
Em declarações à agência
Lusa, o presidente do município de Sousel, Armando
Varela, justificou a decisão
da autarquia como sendo “um
estímulo” para os munícipes
aumentarem o agregado familiar.
“Financeiramente não é um
problema para o município.
A vantagem é claramente
maior do que o esforço”,
sublinhou.
Com o chamado IMI
Familiar, a Câmara de Campo
Maior alega que vai receber, no
próximo ano, menos “cerca de
10 mil euros”, mas o autarca
rejeita que seja um valor
“significativo” para os cofres
municipais.
Ricardo Pinheiro destaca
que a decisão foi tomada pelo
município para “incentivar a
natalidade”.
Em comunicado enviado
sexta-feira à Lusa, a Câmara de
Nisa, que vai aplicar também a
taxa mínima de 0,3%, diz estar
“consciente” da crise económica que o país atravessa e que
“abdica de parte da receita” dos
impostos municipais a favor
das famílias residentes.
Ainda no Alentejo, as câmaras de Ferreira do Alentejo, no
distrito de Beja, e de Castelo de
Vide, no distrito de Portalegre,
também vão reduzir as taxas
do IMI a pagar em 2016 por
famílias com filhos, entre 10
a 20%.
Sines, no litoral alentejano,
também vai reduzir as taxas do
IMI, embora as reduções propostas pela câmara e aprovadas
pela assembleia municipal,
sejam de 5%, 10% e 15% para
famílias com um, dois e três ou
mais filhos, respectivamente.
A Assembleia da República
aprovou alterações ao
Orçamento do Estado, permitindo que as autarquias
diminuam o IMI em função
do agregado familiar.
Apesar de o chamado IMI
Familiar constar do Orçamento
do Estado para 2015, será
pela primeira vez aplicado no
próximo ano.
A redução prevista na lei
assenta apenas sobre prédios
destinados a habitação própria e permanente e varia
consoante o número de dependentes que compõem o
agregado familiar, devendo ser
comunicada pela Assembleia
Municipal à Autoridade
Tributária e Aduaneira até 30
de Novembro.
Portugal foi o país da UE com
maior crescimento no emprego
no 2.º trimestre, revela Bruxelas
Portugal foi o Estado-membro que teve o maior crescimento na taxa de emprego (1,3%) entre Abril e Junho,
segundo a mais recente análise trimestral do emprego e da
situação social, sexta-feira divulgada em Bruxelas.
Segundo o estudo, realizado pela Direcção-geral de
Emprego, da Comissão Europeia, depois de Portugal,
foram a Grécia (1,2%) e a Espanha (0,9%) que registaram
os maiores crescimentos na taxa de emprego, no segundo
trimestre.
Segundo o mesmo estudo, os mercados de trabalho e os
indicadores sociais continuam a melhorar gradualmente.
Comparando com o nível mais baixo, registado no
primeiro trimestre de 2013, o número de pessoas que têm
um emprego aumentou 2% na UE, o que representa mais
4,5 milhões de empregados.
No que respeita ao Produto Interno Bruto (PIB), este
aumentou 1,9% face ao período homólogo de 2014 e 0,4%
na comparação com o primeiro trimestre do ano.
6 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
opinião e cultura
Duas vítimas da República: Os padres Vieira e Azevedo Maia
A Primeira República Portuguesa
ficou conhecida pela perseguição desenfreada ao clero. Não foram só os padres
que sofreram tratos de polé. Pastores
Evangélicos foram, igualmente, vítimas
do ateísmo republicano.
Todavia, pela dimensão e influência,
o alvo preferido do populacho sem escrúpulo foi a Igreja Católica.
Entre os numerosos padres expatriados
havia o Pª Vieira, da diocese do Algarve,
e o Pª Dr. António D’Azevedo Maia, do
Porto. O primeiro natural de Portimão; o
segundo de Modivas (Vila do Conde).
O Dr. Azevedo Maia era pároco de
Santa Marinha (Gaia) e assíduo colaborador do semanário “Paz”. Sacerdote
cultíssimo e excelente orador.
As homilias, profundamente cristãs,
não agradavam à raia miúda – nem
graúda – republicana.
Várias vezes foi preso e ameaçado de
morte, mas o bom sacerdote, destemido
como era, não deixava de pregar desafogadamente a doutrina de Cristo e o
desvario do governo ateu.
Certa vez, foi avisado que planeavam
matá-lo. O Dr. Azevedo Maia temeu.
Após muito pensar, resolveu pedir auxílio ao farmacêutico estabelecido na rua
Direita (Gaia).
Era o Dr. Américo Augusto Ribeiro
Gonçalves, republicano de sete costados,
mas honesto e justo. Assentou recolhê-lo
em sua casa, já que ninguém pensaria que
o padre iria acolher-se a casa de conhecido
ateu e republicano.
Decorrido semanas, vestido à civil, o
abade, de madrugada, rumou à estação
Por Humberto Pinho da Silva
“A Primeira República
Portuguesa ficou conhecida
pela perseguição desenfreada
ao clero. Não foram só os
padres que sofreram tratos de
polé.”
ferroviária da Devesas, com destino a
Paris.
Dias depois, a “Paz” publicava “Cartas
do Exílio”, assinadas pelo famoso Dr.
Azevedo Maia.
Sorte pior teve o Pª Vieira, pároco de
Loulé. A Carbonária (organização secreta
republicana) não deixava de rondar-lhe a
casa, no intuito de prendê-lo ou matá-lo,
como já fizera a muitos sacerdotes menos
influentes.
Resolveu fugir de barco para Espanha,
e daí para o Brasil, onde foi recebido,
com carinho, pela colónia portuguesa
do Rio.
Partiu, depois, no vapor Cordiliere,
para a Baia, em Setembro de 1912, ao
encontro de jesuítas amigos.
O Arcebispo de S. Salvador, depois de
verificar as referências, colocou-o na Ilha
de Itaparica, onde se tornou conhecido
pelas excelentes práticas que proferia.
Entretanto, regressa a S. Salvador,
para paroquiar. O clero brasileiro não
gostou que estrangeiro fosse colocado
na Capital. Temiam, certamente, serem
ofuscados pela inteligência e dinamismo
do sacerdote.
Num desabafo o Pª Vieira disse: “A
Santa Igreja, penso e sempre assim
pensei, não tem fronteiras e dentro dela
não deve haver estrangeiros”.
A frontalidade, levou-o a ser expulso
da Arquidiocese.
Exilado, sem dinheiro, valeu-lhe patrício, que lhe ofereceu meios para levar
vida decente, fora da Igreja.
Mas Pª Vieira não queria deixar o sacerdócio. Recebendo chamado do Bispo
da Barra do Rio Grande, para paroquiar
Barreiras, aceitou.
Tanto amou Barreiras que se entregou
de alma e coração ao seu povo, não só
evangelizando, mas erguendo estruturas
para que a Igreja pudesse crescer: como
a construção da Matriz de São João
Baptista, em Maio de 1921, e a criação
de Centros de Apostolado.
Colaborou, como pioneiro, na educação do povo, participando na abertura do
Aprendizado Agrícola de Barreiras e no
Ginásio Padre Vieira.
Durante dez anos paroquiou Barreiras,
entregando-se de tal modo à cidade que,
embora gostasse da sua Pátria e da terra
onde nascera, considerava-se como se
filho fosse de Barreiras, tanto amor dedicara à encantadora povoação baiana e
à sua gente.
Telefonaram-me, mas era um sonho
Num destes dias recentes acordei
sem saber bem o que estava a passarse. Lembrava-me bem de estar a dialogar com Pedro Passos Coelho, no
seu gabinete de trabalho, momentos
antes de acordar, mas a verdade é que
o Primeiro-Ministro não estava ali,
em pleno meu quarto, e já pelas dez
da manhã, de modo que de pronto me
apercebi de que havia estado a sonhar.
E, contra o que me é corrente, até me
fui lembrando de tudo.
Neste meu sonho eu havia chegado a
casa, tendo recebido de minha mulher
a notícia de que haviam telefonado
do gabinete do Primeiro-Ministro,
que solicitava uma conversa comigo.
Claro que não acreditei, mas a garantia da minha mulher acabou por ser
suficientemente credível. E assim me
preparei para almoçar, até que voltei a
ser chamado: era do tal gabinete.
Bom, tudo era como me havia dito a
minha mulher, sendo que o PrimeiroMinistro mandava perguntar se eu
poderia ir ao seu gabinete pelas três
da tarde, o que aceitei com toda a
naturalidade. Não sei se falei depois
com a minha mulher, mas recordo bem
a minha presença e a conversa que
mantive com o Primeiro-Ministro.
Tudo girava, afinal, ao redor da
pasta da Administração Interna, que
já tinha titular escolhido e aquiescido,
e que me tinha recomendado como
Por Hélio Bernardo Lopes
“Afinal das contas, tudo na
vida humana é essencialmente relativo: uma coisa
é governar certos sectores
da Administração Interna,
por delegação do PrimeiroMinistro e do meu amigo da
tutela, outra, os pensamentos
sobre ópera, bailado, teatro,
futebol ou União Europeia.”
seu secretário de Estado. E, de facto,
havíamos sido colegas em diversos
momentos, e sempre bons e leais
amigos. Simplesmente, razões muito
inadiáveis haviam-no levado a Paris
por um dia e pouco, pelo que deixou
o caso à apreciação do PrimeiroMinistro. Também por outras razões,
este pretendeu conhecer-me.
Também me recordo de ter exposto
ao Primeiro-Ministro o facto de sempre
ter visto a nossa adesão à Europa como
perigosa e errada e de muito já estar
publicado sobre tal realidade. Só que
o governante de pronto me respondeu
que tal nada tinha de mal, até porque
estamos num país livre e porque a área
em causa era completamente alheia à
União Europeia. No fundo, acabava,
até, por ser mesmo universal.
Ora, foi quando esta conversa estava no seu melhor momento, comigo
a expor pontos de vista de princípio,
aqui muito mais próximos do PSD que
do CDS/PP, que acabei por dar-me
conta de que tudo não havia passado
de um sonho. De resto, e por razões
que aqui não referi, também não era
possível, embora fosse até deveras
conveniente.
Mas o que este sonho me mostrou
foi um Primeiro-Ministro com o
pleno alcance das consequências da
liberdade de pensar e de exprimir esse
pensamento. Afinal das contas, tudo na
vida humana é essencialmente relativo:
uma coisa é governar certos sectores da
Administração Interna, por delegação
do Primeiro-Ministro e do meu amigo
da tutela, outra, os pensamentos sobre
ópera, bailado, teatro, futebol ou União
Europeia.
Pelo menos naquele meu sonho o
Primeiro-Ministro compreendeu esta
realidade muitíssimo bem. Enfim, um
sonho.
SEM IGUAL
Correspondente do Brasil:
Que trem é esse trem?
Por Mário Eugénio Saturno
“Se brasileiros e políticos de
bem não derem as mãos e defenderem o Trem, continuaremos a ser o país do desperdício
e dos ladrões.”
O Brasil não tem jeito mesmo. Está a banir os trens
da sua vida quotidiana, parece não haver interesse
para os comboios sobre trilhos, nem no transporte de
cidadãos nas cidades nem entre cidades.
E, observem, o Brasil começou bem. Tinha um
imperador apaixonado pela tecnologia, Dom Pedro
II, que introduziu esse conceito revolucionário no
Brasil em 1854 quando, no dia 30 de Abril, a locomotiva nomeada “Baronesa” começou a funcionar e
passou a ligar a Baía de Guanabara a Raiz da Serra,
em Petrópolis – um percurso de 14 km.
Já em 9 de Fevereiro de 1858, entrou em operação
a segunda ferrovia brasileira, ligando Recife e São
Francisco. Até à Proclamação da República, em 1889,
foram construídos 10 mil quilómetros de ferrovias.
E, entre 1911 e 1916, mais cinco mil quilómetros de
linha foram construídos.
Pode parecer muito, mas nos Estados Unidos da
América, foi um verdadeiro fenómeno. Lá, a primeira
estrada de ferro começou a operar em 1830, com locomotiva “Tom Thumb” (Pequeno Polegar) a ligar as
cidades de Baltimore e Ohio, um percurso de 21 km.
Em 1833, a segunda ferroviária já fazia 219 km, ligando
Charleston e Hamburgo, na Carolina do Sul.
No inicio da Guerra da Secessão, os Estados
Confederados detinham 29% das ferrovias, 8.800
milhas, contra 21.800 do Norte. O presidente Lincoln
(aquele que é citado como lenhador, mas que esquecem que ele estudou e graduou-se advogado antes
de ser deputado e presidente, ao contrário de outros
por aí) viu o potencial da tecnologia e construiu
ainda mais estradas de ferro e telégrafos. Em 1864,
final da guerra civil, o Norte tinha 29.100 milhas,
ou 98% do total.
As estradas de ferro contribuíram muito com o
desenvolvimento económico do Brasil até à década
de 1950, quando os governos atraíram as fabricas
de automóveis e investiram fortemente em estradas,
em detrimento dos caminhos de ferro. Com o golpe
militar, a situação intensificou-se.
Na década de 1990, os caminhos de ferro paulistas
foram privatizados. Sem exigências de se transportar
pessoas, esse serviço foi extinto no estado mais rico
e desenvolvido do Brasil. Enquanto isso, na Europa,
mais de quarenta milhões de pessoas viajam confortavelmente e com mais segurança por mais de 100
mil quilómetros de linhas.
Para o transporte metropolitano, são poucas as
cidades brasileiras que dispõem de trens. São Paulo
é a que detém a maior extensão do Brasil, menos de
100 km, cerca do dobro das demais cidades mais
importantes, como Rio de Janeiro, Porto Alegre,
Recife e Brasília. Nem se comparam com os metros
de Pequim, Nova York e Londres que têm mais de
400 km de extensão cada.
Se está mal, melhorar não vai, basta observar o
VLT, Veículo Leve sobre Trilhos, de Cuiabá, obra que
deveria estar pronta para a Copa, já custou mil milhões
de reais – isso mesmo, mil milhões – e está parada, a
enferrujar sob a acção do tempo. Para terminar, estimase que sejam necessários outros mil milhões.
Outra com problemas é a Ferrovia Norte-Sul, entre
Palmas, no Tocantins, e Anápolis, em Goiás, com 855
km. Depois de cinco anos de atraso e 600 milhões
em superfacturamentos apurados pelo Tribunal de
Contas da União (TCU), a obra está pronta, mas não
tem movimento.
Se brasileiros e políticos de bem não derem as mãos
e defenderem o Trem, continuaremos a ser o país do
desperdício e dos ladrões.
Mário Eugénio Saturno (cienciacuriosa.blog.com) é
Tecnologista Sénior do Instituto Nacional de Pesquisas
Espaciais (INPE) e congregado mariano.
13 de Outubro de 2015 | 7
QUALIDADE
SEM IGUAL
portugueses no mundo
Paris presta “homenagem à
comunidade franco-portuguesa”
A Câmara Municipal de
Paris prestou sábado “homenagem à comunidade francoportuguesa” numa gala que
assinalou os 105 anos da
República Portuguesa, explicou à Lusa Hermano Sanches
Ruivo, vereador na capital
francesa.
A “Noite da Gala”, lançada
em 2011 e oferecida pela autarquia de Paris à comunidade
portuguesa, juntara cerca de
650 convidados do meio artístico, empresarial, político,
associativo e académico em
torno de um concerto, entrega
de prémios e de uma prova
gastronómica.
“É um conjunto de actividades em que o público português, mas também francês,
pode descobrir certas vertentes
da primeira como da segunda
geração [de portugueses em
França]. É também uma maneira de prestar homenagem à comunidade franco-portuguesa”,
explicou Hermano Sanches
Ruivo, que, em 2010, propôs
a ideia deste evento ao então
autarca parisiense Bertrand
Delanoë e ao homólogo lisboeta António Costa.
Este ano, subiram ao palco
a fadista portuguesa Luísa
Rocha - que apresentou o mais
recente álbum, “Fado veneno”
- e os cantores Sérgio Godinho,
Tiago Bettencourt e Paulo
Praça em duetos com artistas
luso-descendentes.
(...) A gala portuguesa
é organizada pela Câmara
de Paris em parceria com a
associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan,
a qual vai atribuir prémios
a um projecto associativo,
a uma iniciativa cidadã e a
jovens franco-portugueses
que se tenham distinguido no
percurso escolar, empresarial
ou artístico.
“A ideia é pôr em relevo
personalidades que se tenham
destacado” este ano, mas
também dar uma lufada de
ar fresco à “maneira de ver a
Portugalidade”, disse à Lusa
Anna Martins, a presidente da
Cap Magellan.
“Cá, a comunidade de
jovens franco-portugueses
reúne-se, muitas vezes, em
volta de símbolos culturais
como o folclore, o futebol
ou a religião. O papel da Cap
Magellan é renovar esses símbolos e ir para além da parte
caricatural”, acrescentou a
dirigente associativa.
Empresa condenada a indemnizar
emigrante português que reclamava
créditos por trabalho em França
Uma empresa do Fundão acusada de
não pagar a trabalhadores que contratou
para obras em França foi condenada
pelo Tribunal do Trabalho de Tomar a
pagar 6.720 euros, mais juros, ao trabalhador que lhe moveu um processo.
Segundo a sentença datada de 29 de
Setembro, a que a agência Lusa teve
acesso, a empresa Joaquim Manuel
Fortunato Unipessoal Lda., com sede
no Fundão, terá de pagar a José Carlos
Tomaz a quantia de 6.720 euros (3.307
de retribuições em atraso, 1.255 relativos a férias não gozadas e à proporção
dos subsídios de férias e de Natal e
2.158 relativos a trabalho suplementar
prestado nos meses de Abril a Junho
de 2014), mais juros de mora até ao
integral pagamento.
Há um mês, os responsáveis da
empresa faltaram à sessão realizada no
Tribunal de Tomar que visava a tentativa
de um acordo com o trabalhador e não
contestaram a notificação que lhes foi
depois enviada, sublinha a sentença, que
dá sem efeito o julgamento que havia
sido agendado para 16 de Novembro.
Em Abril, a Autoridade para as
Condições do Trabalho (ACT) confirmou à agência Lusa estar a acompanhar
a empresa do Fundão, que tem sido
alvo de denúncias por não pagamento
a trabalhadores contratados para obras
em França.
A queixa deste trabalhador seguiu-se
a outra denúncia tornada pública em
Junho de 2014 e José Tomaz afirmou que
há outros operários que se encontram nas
mesmas circunstâncias, alguns dos quais
regressaram entretanto a Portugal.
Contactada pela Lusa na ocasião da
denúncia feita pelo trabalhador, fonte
da empresa negou qualquer dívida,
alegando que José Tomaz “abandonou
o posto de trabalho sem aviso”, o que
“prejudicou a firma”, e que “recebeu
o que tinha a receber”, porque “pedia
vales e adiantamentos”.
José Tomaz disse ter sido contratado
para as obras de remodelação de hotéis
da cadeia Campanile, em França.
As condições prometidas – 1.500
euros líquidos mensais, alojamento,
água e luz – fizeram com que deixasse o
‘part-time’ que tinha como porteiro, mas
a primeira promessa de adiantamento de
algum dinheiro à chegada a Rennes para
a alimentação não aconteceu, tendo o
grupo comido durante duas semanas em
casa de outros trabalhadores, relatou.
O proprietário da empresa foi fazendo
algumas entregas de dinheiro, mas os
atrasos no pagamento mensal foram-se
sucedendo, sem que nunca fossem pagas
as horas extraordinárias e o trabalho aos
sábados, acrescentou.
Na terceira obra, na Normandia, José
Tomaz acabou por aceitar a proposta de
uma empresa francesa de outro português, mas novamente se sentiu “enganado”, pois as condições de alojamento
e de trabalho (todos os dias da semana
das 08:00 às 20:00) eram piores e, ao
fim de um mês, não recebeu (nas suas
contas, 4.410 euros).
Em relação a este caso, disse, está a
decorrer um processo em França após
intervenção da inspecção do trabalho
local.
José Tomaz trabalhou depois três
meses para uma empresa francesa e,
entre Janeiro e meados de Fevereiro,
para um construtor português em Paris,
mas, como era dos contratados mais
recentes, foi dispensado por falta de
trabalho.
No regresso a Portugal, reforçou os
contactos com a empresa do Fundão,
tendo-lhe sido ainda pagos 300 euros,
mas terá sido informado de que nada
mais lhe seria pago, tendo então decidido
avançar para tribunal.
Há duas semanas José Tomaz conseguiu um trabalho numa empresa de
construção na zona de Ponte de Sor,
disse à Lusa.
Poemas de poetisa portuguesa no
festival de música de Leeds em
homenagem a tradutor inglês
Candidato apresenta reclamação contra
lista para o Conselho das Comunidades
Portuguesas na Alemanha
Vários poemas de Sophia de Mello Breyner
Andresen, traduzidos para inglês, vão ser
cantados no Leeds Lieder Festival, certame
de música clássica, na sequência da morte
prematura do tradutor inglês Colin Rorrison,
cuja obra foi publicada postumamente.
“O jardim”, “Navio naufragado” e “A
Forma Justa” serão adaptados para música
pelo compositor britânico Edward Ruston e
interpretados por uma soprano, com acompanhamento de piano no festival dedicado à
canção de câmara (‘lied’), que se realiza de
1 a 3 de Abril do próximo ano, em Leeds, no
norte de Inglaterra.
“A encomenda foi sugerida pela fundadora
do Festival, Jane Anthony, que ouviu dois dos
poemas lidos durante o funeral de Colin”,
contou a mãe do tradutor, Helen Chambers,
à agência Lusa.
Colin Rorrison morreu inesperadamente
aos 28 anos, em 2012, durante uma viagem
à América Latina, deixando traduzidos para
inglês alguns textos de autores de língua portuguesa, nomeadamente os brasileiros Rubem
Fonseca e Lygia Fagundes Telles, ambos
distinguidos com o Prémio Camões.
Traduziu também poemas de Sophia de
Mello Breyner por sugestão da tradutora
Margaret Jull Costa, tutora de um curso de
tradução frequentado por Colin.
O resultado foi publicado postumamente
O líder da lista A, “Voz da
Comunidade”, candidata às
eleições para o Conselho das
Comunidades Portuguesas
(CCP) pelo círculo norte
da Alemanha, apresentou
sexta-feira uma reclamação
relativamente a uma das listas
concorrentes, questionando o
número de elementos.
“Um dos elementos da lista
C, Luís Pacheco, demitiu-se
da lista no dia 1 de Outubro
e, de acordo com a lei, a lista
não poderia ir a eleições porque não tem o número ideal
de suplentes”, disse sábado
Alfredo Stoffel após o envio de
uma reclamação ao Secretário
de Estado das Comunidades
Portuguesas e à Embaixada de
Portugal na Alemanha.
Em declarações à agência
Lusa, Alfredo Stoffel referiu
que a lista C, “Comunidade entre Gerações”, “não cumpre os
requisitos previstos na Lei n.º
66-A/2007 de 11 de Dezembro,
com alterações introduzidas
pela lei n.º 29/2015 de 16 de
Abril, que diz que as listas
em “The Perfect Hour”, que inclui 69 poemas de duas colectâneas de Sophia - “O dia
do mar” e “O nome das coisas” - que foram
revistos por Jull Costa, tradutora para inglês
de obras de Eça de Queirós e José Saramago,
entre outros.
“É uma homenagem ao nosso filho Colin,
ao seu amor pela cultura portuguesa e ao seu
trabalho como tradutor, o qual só tinha realmente começado quando morreu”, declarou
a progenitora.
Tanto Helen como o pai de Colin, Hugh
Rorrison, são tradutores reconhecidos, especializados na língua germânica.
“The Perfect Hour”, publicado pela editora
neozelandesa Cold Hub Press, será apresentado na próxima terça-feira, na Universidade
de Edimburgo, pela Biblioteca de Poesia
da Escócia, que promove regularmente o
lançamento de livros e eventos de poesia
estrangeira.
Alguns dos poemas incluídos serão também
lidos por Margaret Jull Costa, no Festival de
Poesia Internacional StAnza,que decorre em
St. Andrews, na Escócia, de 2 a 6 de Março
do próximo ano.
A Embaixada de Portugal em Londres
acolherá, em Maio, um recital de canto com
os três poemas, de Sophia de Mello Breyner
Andresen, a par da leitura de outros poemas
traduzidos.
que vão a eleições têm de ter
o número de suplentes igual ao
número de efectivos”.
A agência Lusa tentou,
sem sucesso, contactar a
Embaixada de Portugal na
Alemanha e a Secretaria de
Estado das Comunidades
Portuguesas.
O secretário de Estado das
Comunidades Portuguesas,
José Cesário, convocou a
repetição das eleições pelo
círculo norte da Alemanha para
o dia 11 de Outubro devido
a um empate nas eleições no
passado dia 6 de Setembro
entre as listas B, “Comunidade
Solidária”, e C, “Comunidade
entre Gerações”.
Nas eleições de 6 de
Setembro para o CCP pelo
círculo norte da Alemanha, a
Lista A conseguiu 58 votos,
a Lista B reuniu 54 votos e a
Lista C alcançou igualmente
54 votos.
O CCP é um órgão consultivo do Governo da República
no que diz respeito a tópicos
relativos às comunidades portuguesas no estrangeiro.
8 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
MADEIRA
Madeira quer reformular
destino turístico Porto Santo
O secretário regional da Economia, Turismo e Cultura da
Madeira considera que o destino turístico Porto Santo, habitualmente associado à praia, tem de ser reformulado para
ser também “terapêutico, de descanso e de tradição”.
“Estrategicamente, queremos que o Porto Santo se
afirme como destino de praia e sol, mas também como
um destino activo que oferece um sem número de actividades ao longo de todo o ano, uma ilha com potencial
terapêutico que pode ser usufruído pelos turistas, um
destino com identidade, história e tradição”, afirmou
Eduardo Jesus à Lusa.
O governante realçou que a aposta que está a ser feita
“na genuinidade” e nos elementos que diferenciam a
ilha de outros destinos concorrentes acaba por reforçar
“a atractividade do destino nas épocas tradicionalmente
mais baixas”.
O executivo madeirense pretende ainda mostrar o
Porto Santo “como puro descanso”, um conceito “cada
vez mais procurado”.
Há muito que o problema da sazonalidade do turismo
da ilha preocupa os governos regionais, com hotéis cheios
no Verão e vazios ou fechados no Inverno.
A estratégia implementada recentemente - com o anúncio de duas ligações aéreas provenientes da Dinamarca
- pode começar a inverter a tendência, estando em aberto
outras possibilidades que serão, a seu tempo, “oficialmente
comunicadas”.
É intenção do executivo de Miguel Albuquerque
dinamizar o Porto Santo para além da estação de Verão,
quando a população, habitualmente de 5.000 pessoas,
tende a triplicar.
As condições da ‘operação Dinamarca’ “foram negociadas com todos os parceiros públicos e privados” e “estão
asseguradas para o futuro, havendo interesse do operador
na sua manutenção”, dado que o pacote apresentado aos
operadores inclui actividades desportivas e de lazer, num
conceito considerado inovador, afirmou Eduardo Jesus.
O governante sublinhou a necessidade de o município
do Porto Santo se envolver nesta estratégia assumindo
uma posição importante na gestão do destino, “uma vez
que muita da sua actividade está directamente relacionada
com a qualificação do mesmo e dos serviços que ali se
prestam”.
“O sucesso do destino dependerá sempre do cumprimento das funções específicas de cada uma das entidades
envolvidas e, neste caso, é notória a importância que
assume a edilidade”, referiu.
SEM IGUAL
Festival da Natureza da Madeira regista
ocupação hoteleira superior à prevista
O Festival da Natureza da
Madeira, que terminou domingo depois de uma semana
de actividades, contribuiu
para a região registar uma
ocupação hoteleira na ordem
dos 82%, valor superior ao
inicialmente previsto, disse
o Governo Regional.
“A sondagem levada a
cabo, em meados da semana
que agora finda, veio confirmar o aumento da ocupação
hoteleira regional, neste período do Festival, que cresceu
três pontos percentuais face à
previsão avançada na conferência de imprensa, passando
de 79% para 82%”, informou a Secretaria Regional
da Economia, Turismo e
Cultura, numa nota divulgada
na região.
No mesmo documento, o
Governo madeirense refere
que, comparativamente a
2014, também se registou “um
crescimento de seis pontos
percentuais” na ocupação
nas unidades hoteleiras por
ocasião da realização deste
evento.
Para o secretário Regional
da Economia, Turismo e
Cultura, Eduardo Jesus, a
“concentração de várias actividades numa única semana
tem o objectivo de despertar o
interesse e as atenções para o
muito que a Madeira oferece,
a este nível, ao longo de todo
o ano”.
animação turística, de modo
a ir ao encontro de turistas
cada vez mais activos e interventores”.
No seu entender, este even-
O governante considera
que esta estratégia promocional cumpre vários propósitos
em simultâneo, nomeadamente “afirma a Madeira
como destino de turismo
activo, divulga e valoriza as
diferentes actividades que
se podem praticar, tanto na
Madeira quanto no Porto
Santo, ao longo do ano e de
forma complementar”.
A estratégia também “reforça a projecção do destino,
associa a natureza ao desporto” e “renova a oferta de
to proporciona “uma oferta de
actividades que é única, para
um território tão pequeno e
cuja envolvente natural é extraordinariamente vasta, rica
e diversificada, esta finalidade
é facilmente cumprida”.
Para a secretaria do executivo insular, durante a
passada semana, “a natureza
foi rainha e conquistou as
atenções dos muitos turistas e
residentes que se envolveram,
directamente, nas actividades
promovidas, um pouco por
toda a região, numa festa que,
mais uma vez, exaltou o nosso
património natural e afirmou
a Madeira, como destino de
turismo activo”.
O Governo madeirense
investiu 45 mil euros no V
Festival da Natureza, que
decorreu entre 6 e 11 de
Outubro.
O programa inclui actividades como um encontro
de bicicletas de montanha,
visitas guiadas, um conjunto
de experiências náuticas,
experiências de escalada, um
acampamento de escuteiros,
uma festa sobre os ‘jogos da
nossa terra’, demonstrações
de jogos tradicionais e um
mini-arraial madeirense.
Ainda ocorreu o XVI Open
de Orientação e Prova de quilómetros vertical, na zona do
Fanal (Porto Moniz) e a prova
Madeira Ocean Race, em que
vários nadadores efectuaram
a travessia entre a Ribeira
Brava (zona oeste da ilha) e
o Funchal.
Até 31 de Outubro, decorre o concurso fotográfico
‘Natureza em Festa’, para
profissionais e amadores que
queiram registar os momentos
vivenciados e ajudar a promover a região colocando as
imagens nas redes sociais.
Governo Regional revogou acto de adjudicação
de empreitada das iluminações de Natal
A Luzosfera, a empresa a quem foi
atribuída, por ajuste directo, a empreitada das iluminações de Natal e Fim do Ano
na Madeira 2015/2016, foi notificada da
revogação do acto de adjudicação, disse
sábado a gerência à agência Lusa.
“A Luzosfera confirma que foi
sexta-feira notificada de um projecto de
revogação do acto de adjudicação das iluminações de Natal e Fim do Ano, sobre
o qual se tem de pronunciar no prazo de
10 dias”, afirmam os responsáveis numa
nota enviada à Lusa.
No mesmo documento, a gerência
considera ser “completamente falsa a
falta de pagamento da caução”, motivo
que está na base da decisão da Secretaria
Regional da Economia, Turismo e
Cultura (SRETC) madeirense, conforme foi sábado avançado pelo Diário de
Notícias, que se publica nesta região.
As iluminações de Natal e Fim do Ano
são um dos elementos mais importantes
nos cartazes turísticos da Madeira.
A gerência da Luzosfera assegura
que aquela caução “foi prestada dentro
do prazo legal, através de depósito de
cheque bancário, emitido em 30 de
Setembro a favor da SRETC (34.980
euros)” e que este valor foi “ retirado
da conta da empresa nesse mesmo dia”,
tendo a transação sido comunicada a
este departamento do governo regional,
“no dia 6 de Outubro, um dia antes de
terminar o prazo legal”.
A Luzosfera argumenta que o prazo
legal, inicialmente terminava nesse dia e
que, “devido a um erro na comunicação
sobre o valor da caução obrigatória (…),
a SRETC estaria legalmente obrigada a
alargar mais um dia”.
A empresa garante que “entregou
a prova da caução efectuada um dia
antes do fim do prazo”, referindo que
os documentos comprovativos “foram
exibidos ao director dos Serviços de
Aprovisionamento da SRETC, como
membro do júri do concurso”.
A Luzosfera declara “que não se
compreende que razões movem os
responsáveis” desta secretaria contra a
empresa, considerando “o ‘timing’ não
decorre a favor do maior cartaz turístico
da Região”.
Para a Luzoesfera, é igualmente incompreensível “a razão por que o júri
manteve irregularmente em concurso
a outra concorrente, Luxstar, sabendo
que a sua proposta é inválida por falta
de assinatura nos documentos, conforme
determina a lei, razão pela qual esta
deveria ter sido excluída”.
A empresa diz que, face à “estranha
intenção da SRETC, na revogação da
adjudicação, remeteu todo o processo
para os tribunais e o Ministério Público
e ficará a aguardar que o mesmo decorra
juridicamente.”
A Luzosfera conclui que, “caso a
SRETC insista em adjudicar ilegalmente
o projecto à Luxstar, aguardará o decorrer das montagens, recorrendo a uma
equipa de peritagem exterior que avalie
a escrupulosa execução do caderno de
encargos”, e dará “conta às autoridades
judiciárias competentes”.
A 20 de Agosto, o Conselho do
Governo da Madeira avançou com o
ajuste directo para a empreitada das
iluminações nas Festas e Natal e do
Fim do Ano 2015/2016 e nas Festas
de Carnaval 2016, na região, depois de
terem sido excluídas as quatro empresas
que foram a concurso público, cujo valor
base de adjudicação era de dois milhões
de euros, que acabou por ser atribuído
à Luzosfera.
A Lusa contactou a Secretaria
Regional da Economia, Turismo e
Cultura, mas não obteve resposta à
situação até ao momento.
Madeira é a região da UE
com mais mulheres jovens
do que homens a trabalhar
A Região Autónoma da Madeira
é, na União Europeia (UE), a que
tem mais mulheres jovens (68,2%)
do que homens (62,4%) a trabalhar
na faixa entre os 25 e os 34 anos, divulgou sexta-feira (9) o Eurostat.
Depois da Madeira, onde a taxa
de emprego das mulheres entre os
25 e os 34 anos é superior à dos
homens, na mesma faixa etária, em
5,8 pontos percentuais (pp), surgem
as regiões de Friesland (1,7pp) e
Groningen (1,5pp), na Holanda, o
principado das Astúrias (0,8pp) e
ilhas Baleares (0,3pp), em Espanha,
bem como Chipre (0,5pp).
Em todas as outras regiões NUTS,
segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, a taxa de emprego das
mulheres é inferior à dos homens,
sendo o Algarve a que, em Portugal,
tem maior diferença a favor dos
homens (7,2pp).
O Eurostat publicou neste dia o
Anuário regional 2015, assinalando
a 13.ª semana europeia das regiões
e das cidades.
13 de Outubro de 2015 | 9
QUALIDADE
SEM IGUAL
açores
Comandante critica relatórios feitos
após acidentes em portos dos Açores
Ambiente não compete com a economia
nos Açores, afirma Brito e Abreu
O comandante da Marinha Mercante
Lizuarte Machado, especialista em transportes marítimos, considerou na sexta-feira (9)
infundados e contraditórios alguns relatórios
feitos na sequência de quatro acidentes, um
deles mortal, em que rebentaram estruturas
de amarração em portos açorianos.
O também deputado socialista foi ouvido
neste dia em Ponta Delgada, após lhe ter sido
levantada imunidade parlamentar, na comissão de inquérito ao transporte marítimo de
passageiros da Assembleia legislativa, criada
para analisar investimentos públicos e apurar
responsabilidades políticas nos acidentes de
2014 na Horta, em São Roque do Pico e na
Madalena do Pico.
Em São Roque, um homem morreu a bordo
de um transporte de passageiros, depois de ter
sido atingido por um cabeço de amarração que
se soltou quando a embarcação atracava. Dos
outros incidentes não resultaram vítimas.
O comandante referiu que alguns estudos
são “um misto de arranjinhos e falta de conhecimentos técnicos”, deixando fortes críticas
aos documentos do Gabinete de Prevenção
e de Investigação de Acidentes Marítimos
(GPIAM), da Rinave – Registro Internacional
Naval e do Instituto Superior de Engenharia
de Lisboa (ISEL).
Lizuarte Machado disse não fazer sentido
ter sido a empresa pública Transmaçor (que
opera ligações marítimas no grupo Central)
a pedir à Rinave uma análise das condições
técnicas do porto de São Roque, quando essa
função caberia à Portos dos Açores (gestora
destas infraestruturas), e considerou o documento “absolutamente irrelevante”.
O Secretário Regional do
Mar, Ciência e Tecnologia destacou sábado, no ilhéu de Vila
Franca do Campo, a importância das campanhas ambientais
destinadas a sensibilizar os
Açorianos para a necessidade
de proteger o ambiente marinho do arquipélago.
Fausto Brito e Abreu, que
falava durante uma acção de
limpeza costeira e subaquática
de lixo marinho, organizada
pelo Clube Naval de Vila
Franca do Campo, em que
participou como voluntário,
salientou, para além da importância ecológica destas
iniciativas, a envolvência
das pessoas “em actividades
que são relevantes para a
comunidade local, mostrando
também a importância das reservas naturais como um foco
importante de sensibilização
ambiental”.
Os Açores são uma região
pioneira, a nível nacional e internacional, na designação de
áreas marinhas protegidas, tendo Brito e Abreu afirmado que
a Região “dá bons exemplos
de como podemos valorizar o
património natural e ter desenvolvimento económico”.
“O Ilhéu de Vila Franca
é uma das paisagens mais
emblemáticas dos Açores e
muito visitado por turistas,
trazendo, por isso, mais-valias
económicas à Região mantê-
“A Rinave não faz a mínima ideia do que
é a análise a um cabeço, em Portugal só o
Instituto de Soldadura e Qualidade sabe”,
afirmou, acrescentando que um segundo
relatório da Rinave é “muito pobre e mal
fundamentado”.
Entre os erros, apontou, estão contradições
relativas às capacidades de carga dos cabeços
e dos cabos de amarração e a apresentação de
coeficiente de segurança para cabos, quando
nas atuais regras esse indicador não existe.
O documento do GPIAM, no seu entender,
tem “as mesmas asneiras”, com a diferença
de poder ser consultado em todo o mundo:
“É confrangedor para um homem do mar
como eu quando um gabinete oficial publica
um relatório destes”.
Lizarte Machado sublinhou, entre outras
questões, que o relatório aponta diferentes
valores para o tamanho das ondas num dos
acidentes e que no cenário colocado o navio
nem teria condições para estar a operar no
porto, devido à reduzida altura da maré.
No documento refere-se uma ausência de
manutenção dos cabeços em São Roque, mas
o comandante questionou que outros portos
no país fazem uma manutenção que não se
baseie na inspecção visual e afirmou que não
é olhando para um cabeço que se percebem
fracturas anteriores.
Insistindo na desadequada relação entre
as capacidades dos cabos e dos cabeços
utilizados, Lizuarte Machado realçou na
audição que o porto de São Roque é “o pior
dos Açores em termos operacionais” e repetiu
que os mestres das embarcações “fazem as
manobras sempre correctas”.
Centro Regional de Apoio ao
Artesanato promove Mercado de
Doçaria Açoriana na ilha Terceira
O Centro Regional de
Apoio ao Artesanato (CRAA),
organismo dependente da
Vice-presidência do Governo,
promove, pela primeira vez, a
realização de um Mercado de
Doçaria Açoriana.
A iniciativa, intitulada
“Dias Doces”, vai decorrer,
entre 16 e 18 de Outubro, na
Academia da Juventude e das
Artes da Ilha Terceira, na Praia
da Vitória.
Este mercado, para além da
promoção e comercialização
da doçaria açoriana, pretende
também dar visibilidade aos
licores, ao mel, ao chá e a
alguns artigos de cerâmica
que são utilizados na cozinha
regional açoriana.
O evento inclui um concurso de doces, com o objectivo
de sensibilizar a população
para a importância estratégica
dos produtos regionais, no
contexto das políticas que têm
vindo a ser desenvolvidas pelo
Governo dos Açores, mas também para incentivar a inovação
e o empreendedorismo ao nível
do aproveitamento da produção local, designadamente
da banana, que se pretende
Selagem da lixeira do Corvo arranca “antes
do final do ano”, diz Governo dos Açores
A empreitada de selagem da lixeira e construção de um
aterro de inertes na ilha do Corvo, nos Açores, orçada em
cerca de 400 mil euros, arranca “antes do final do ano”,
informou o governo açoriano.
A Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente, através
da Direcção Regional do Ambiente, adjudicou a empreitada, com um prazo de execução de sete meses, à empresa
Tecnovia Açores, Sociedade de Empreitadas S.A., segundo
uma nota do executivo. Fonte governamental disse à Lusa
que a obra terá início antes do final de 2015.
A nota de imprensa do Governo Regional adianta que
a construção do aterro de inertes vai dotar o Corvo das
condições necessárias para a deposição dos resíduos de
construção e demolição não perigosos, que não podem ser
reutilizados ou reciclados noutras obras.
O Corvo, classificada como Reserva da Biosfera pela
UNESCO, é a mais pequena ilha dos Açores.
destacar neste Mercado de
Doçaria.
Os “Dias Doces” incluem
ainda a realização de concertos de bandas e grupos
locais, nomeadamente os TI
– NOTAS, os Diáspora, cantadores de Cantigas ao Desafio
e as ‘Velhas’, além de exposições, concursos, workshops e
showcookings, que estarão a
cargo da Escola Profissional da
Praia da Vitória e da Escola de
Formação Turística e Hoteleira
de Ponta Delgada.
O programa prevê também
a realização de palestras que
abordarão temáticas sobre a
doçaria conventual e burguesa
dos Açores, a partir de um
trabalho de investigação de
Ana Maria Costa, e uma sessão
de nutrição sobre o açúcar,
a cargo de Cláudia Valadão
Meneses, nutricionista do
Hospital de Santo Espírito da
Ilha Terceira.
As inscrições para o concurso de doces e para os
workshops podem ser feitas na
delegação da Vice-presidência
do Governo, na rua Direita, n.º
76, em Angra do Heroísmo,
ou através dos números de
telefone 295 215 134/5 ou 910
209 367.
O Mercado de Doçaria
Açoriana estará aberto ao público na sexta-feira, das 17h00
às 23h00, e no sábado e domingo, das 14h00 às 23h00.
lo limpo e bem preservado”,
acrescentou.
O Secretário Regional lembrou ainda que o Governo dos
Açores alargou, este ano, até
14 de outubro o período de
viagens frequentes ao ilhéu,
“mantendo os valores naturais
bem protegidos”.
“Queremos o Ilhéu de
Vila Franca o mais limpo
possível para proporcionar aos
visitantes uma experiência de
natureza prístina e bem conservada”, disse, sustentando
que, “nos Açores, o ambiente
não compete com a economia,
sendo ele próprio um activo
económico”.
O Secretário Regional
do Mar alertou ainda para
a questão do lixo marinho,
enquanto “problema a nível
global”, lembrando que “a
maior parte do lixo que existe
no mar provem de terra”.
“A sensibilização para a
problemática do lixo marinho
tem sido uma prioridade para
o Governo dos Açores em
2015”, frisou, recordando
a campanha ‘Açores Entre
Mares’, que teve como temática ‘Lixo Zero no Mar dos
Açores’, e o Plano de Acção
de Lixo Marinho dos Açores
(PALMA), que visa mitigar o
problema do lixo oceânico no
arquipélago.
A acção ambiental sábado
realizada no Ilhéu de Vila
Franca contou com mais de
cinco dezenas de voluntários
na limpeza costeira, a maioria Escuteiros Marítimos do
Agrupamento 1223 do concelho de Vila Franca, enquanto a
limpeza subaquática envolveu
cerca de três dezenas de mergulhadores voluntários.
O evento contou com a parceria do Governo dos Açores,
através das direcções regionais
dos Assuntos do Mar e do
Ambiente, do Parque Natural
da Ilha de São Miguel, da
Sociedade Portuguesa para o
Estudo das Aves, da Câmara
Municipal de Vila Franca do
Campo, da Associação de
Operadores de Mergulho dos
Açores e de várias empresas
de mergulho locais.
10 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
cplp – lusofonia
SEM IGUAL
Moçambique:
Líder da oposição diz que entregou armas para evitar banho de sangue
O líder da RENAMO, Afonso
Dhlakama, disse sexta-feira (dia
9), que mandou entregar armas da
sua guarda para evitar um banho de
sangue junto da sua casa na Beira,
centro de Moçambique, e exigiu a
libertação imediata dos seus homens
detidos.
“Estou a pedir que sejam libertados
incondicionalmente agora. Porque
não quero fazer aproveitamento
político, chamar a população, fazer
manifestações, destruir a Beira”,
afirmou o presidente da RENAMO
(Resistência Nacional Moçambicana)
aos jornalistas ao fim da tarde na sua
residência, que neste dia foi invadida
por forças policiais alegadamente
para reclamar a entrega de armamento, numa operação que resultou
na detenção de elementos da guarda
do dirigente de oposição.
Afonso Dhlakama confirmou a
entrega de 16 armas aos mediadores
do processo de diálogo entre Governo
e RENAMO, que por sua vez o dei-
xaram à responsabilidade da polícia,
mas admitiu que esteve perto de dar
ordem de retaliação.
“Subiu a tensão. Queria mesmo
dar ordem para rebentar com isto
tudo, ocupar isto tudo, porque temos
capacidade para isso”, declarou,
acrescentando que depois acabou por
se conter: “Como cristão, arrefeci e
comecei a rir-me”.
SegundoopresidentedaRENAMO,
“não há guerra, não há confusão”, mas
uma ordem de fogo podia ter deixado
dezenas de mortos, sublinhando que
neste dia de sexta-feira proibiu uma
suposta intenção da população local
de iniciar acções violentas com paus
e machados.
O líder da oposição disse que os
incidentes de sexta-feira começaram com uma alegada intenção da
polícia de recuperar três armas que
terão sido capturadas pelos homens
da RENAMO, no incidente com as
forças de defesa e segurança no passado dia 25 em Gondola, província
de Manica.
A RENAMO disse na ocasião
que foi emboscada pelas forças de
defesa e segurança, que, por sua vez,
negaram qualquer ataque e indicaram
que apenas se dirigiram ao local
para repor a ordem pública, após a
morte de um motorista civil e pela
qual responsabilizam os homens de
Dhlakama.
“Confirmo que no dia 25 capturámos armas em Amatongas
[Gondola]. Afinal foi o Ministério [do
Interior] que nos atacou. Ainda bem,
pensava que tinham sido bandidos.
Fiquei mesmo satisfeito”, ironizou
Dhlakama, que reapareceu na quintafeira na Gorongosa, ao fim de quase
duas semanas em lugar desconhecido,
na sequência daquele episódio.
Sexta-feira (9) na Beira, segundo
Dhlakama, houve empurrões entre
os seus homens e agentes da polícia,
que, nessa altura já tinha cercado a
sua casa com um forte dispositivo, e
que um dos militares da RENAMO
se preparava para disparar com uma
arma Ak-47.
“Eu gritei ‘não faça isso’, não
arranje problemas, a guerra acabou
há muito tempo’”, descreveu o líder
da RENAMO, insistindo que não
quer retaliações nem “banho de
sangue”.
Ainda na sua narração dos acontecimentos, Afonso Dhlakama afirmou
que a reivindicação das armas dos
homens da RENAMO foi posterior
e que recebeu também a ordem de
dispensar a sua guarda pessoal e
aceitar a protecção da polícia.
Ao fim da manhã, Dhlakama estava reunido na sua residência com os
mediadores e com a governadora da
província de Sofala e ficou decidido
que as armas eram entregues aos
observadores, enquanto a oferta de
protecção policial ficava ignorada.
O líder da RENAMO frisou que
se recusava a entregar as armas
à polícia, acusando-a de servir a
FRELIMO (Frente de Libertação de
Moçambique), partido no poder, e
que rejeita igualmente “ser guarnecido em casa como um prisioneiro”.
Remetendo uma posição de fundo
para uma conferência de imprensa
em breve, Dhlakama sinalizou que
o próximo passo deverá ser a reintegração dos homens armados do
movimento nas forças de defesa e
segurança.
“Para mim, [o incidente de
hoje] é o começo da reintegração.
Estamos a insistir que, depois disto,
o passo seguinte, já para a semana,
haja unidades da RENAMO e da
FRELIMO a serem treinadas na
polícia”, assinalou.
Moçambique vive novos momentos de incerteza política, provocada pela recusa da RENAMO
em reconhecer os resultados das
eleições gerais de 15 de Outubro do
ano passado e pela sua proposta de
governar nas seis províncias onde
reclama vitória, sob ameaça de tomar
o poder pela força.
Exportações de Portugal para Angola caem 27% em Agosto para 171 milhões de euros
As exportações de Portugal para Angola desceram 27% em
Agosto, para 171 milhões de euros, quando comparadas com as
vendas nacionais para Angola, de acordo com os dados sextafeira divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
Segundo os números, Portugal exportou produtos e bens no
valor de 171,2 milhões de euros em Agosto deste ano, quando
no ano passado tinha vendido a Angola o equivalente a cerca
de 234 milhões de euros.
A quebra de 27% está mais ou menos em linha com as descidas registadas nos meses anteriores, e segue a tendência de
abrandamento registada nas vendas para Cabo Verde e Guiné
Equatorial, cujas vendas desceram 13,6 e 52,2%, respectivamente.
Em sentido inverso, as exportações portuguesas para
Moçambique aumentaram 28,6% em Agosto face ao período
homólogo do ano passado, subindo de 28,6 milhões de euros
para 36,8 milhões, o mesmo acontecendo com as vendas para
São Tomé e Príncipe (19,4%), para 4,9 milhões, e para TimorLeste, que registou uma subida exponencial de 409,1%, tendo
aumentado de 506 mil euros para 2,5 milhões de euros.
No total, as exportações de bens aumentaram 5,8% e as
importações 2,4% no trimestre terminado em Agosto de 2015,
face a igual período do ano passado, segundo os dados divulgados sexta-feira (9).
De acordo com o INE, em termos das variações homólogas
mensais em Agosto as exportações de bens aumentaram 3,3%
e as importações de bens subiram 1,7% face ao mês homólogo
(+4,8% e -0,9% em Julho de 2015, respectivamente).
O défice da balança comercial diminuiu 331,1 milhões de
euros para 2.425,7 milhões de euros e a taxa de cobertura
aumentou para 83,9%, mais 2,7 pontos percentuais face ao
período homólogo.
Em Agosto, o comércio internacional de bens regista tradi-
cionalmente um abrandamento face ao mês anterior, devido à
paragem de laboração de algumas empresas durante o período
de férias, sublinha o INE.
Analisando apenas o comércio intra-comunitário, no trimestre terminado em Agosto, as exportações aumentaram
6,8% e as importações 7,8%, face ao período homólogo, a que
correspondeu uma taxa de cobertura de 78,8% e um défice de
2.409,5 milhões de euros.
Em Agosto, as exportações intra-UE aumentaram em termos
homólogos 5,1% (5,6% no mês anterior), devido fundamentalmente ao aumento das máquinas e aparelhos, outros produtos
e veículos e outro material de transporte, assim como as importações subiram 4,3% (4,2% no mês anterior), reflectindo a
evolução generalizada de quase todos os grupos de produtos.
Face a Julho, as exportações intra-UE caíram 32,1%, comportamento registado na quase totalidade dos grupos de produtos, assim como as importações 24,7%, o que traduz a queda
verificada na generalidade dos grupos de produtos.
Quanto ao comércio extra-comunitário, no trimestre em
causa as exportações subiram 3,4% e as importações caíram
11,3%, em termos homólogos, o que resultou num défice de
16,2 milhões de euros e numa taxa de cobertura de 99,6%.
Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações
Extra-UE aumentaram 5,8% e as importações avançaram
5,5% atingindo o saldo da balança comercial um excedente
de 1.014,9 milhões de euros, a que correspondeu uma taxa de
cobertura de 148,6%.
Em Agosto, as exportações para os países terceiros diminuíram 0,5% face a Agosto de 2014, sobretudo devido ao
comportamento dos combustíveis minerais e metais comuns
e as importações caíram 4,8%, principalmente devido aos
combustíveis minerais.
Em termos de variações mensais, em Agosto as exportações
extra-UE diminuíram 20,3% face a Julho, devido ao comportamento da quase generalidade dos grupos de produtos,
destacando-se os combustíveis minerais, veículos e outro
material de transporte e madeiras e cortiça
Brasil:
Estreia mundial de novo filme
de João Nicolau na Mostra de
Cinema de S. Paulo
A segunda longa-metragem de João Nicolau, “John
From”, vai ser estreada na Mostra Internacional de Cinema
de S. Paulo, que decorrerá de 22 de Outubro a 4 de Novembro,
foi sábado anunciado pela produtora do cineasta.
O filme irá ser apresentado na secção Competição
Novos Directores, tendo, depois, exibições confirmadas no
Cinemed, Festival Internacional de Cinema de Montpellier,
em França, a realizar de 24 a 31 de Outubro, e no Festival
de Cinema de Sevilha, a decorrer de 6 a 14 de Novembro,
segundo comunicado da produtora O Som e a Fúria.
Em Portugal, “John From” será apresentado, em
ante-estreia, a 4 de Dezembro, às 21:30, na Cinemateca
Portuguesa, em Lisboa, estando a estreia comercial prevista
para 3 de Março de 2016, data em que a longa-metragem
também deverá estrear-se no Brasil.
“John From” é co-produzido pela portuguesa O Som e a
Fúria e pela Shellac Sud, de França, onde o filme chegará
ao circuito comercial em Abril de 2016.
13 de Outubro de 2015 | 11
QUALIDADE
SEM IGUAL
actualidade
Caldas da Rainha cria Rota Bordaliana com figuras à escala humana
Por Tiago Petinga
Duas dezenas de figuras de Rafael Bordalo Pinheiro, à escala
humana, vão ser espalhadas pelas ruas das Caldas da Rainha
integrando uma Rota Bordaliana que recria o percurso que o
artista fazia até à fábrica.
Sardão de loiça
A rota, que será inaugurada no dia 17, terá início em frente
à estação da CP – Comboios de Portugal, onde, segundo o presidente da câmara, Fernando Tinta Ferreira, “Bordalo chegava
às Caldas, vindo de Lisboa, no comboio, e percorria as ruas da
cidade até à sua fábrica”.
tratégicos: “O Zé Povinho junto à câmara municipal, o padre
junto à Igreja, a ama junto ao Centro Cultural e de Congressos
ou a saloia junto à praça”,
exemplificou o autarca.
Às figuras humanas, com
mais de um metro de altura,
juntam-se um lobo em cima
de um quiosque, um gato
assanhado a olhar para 60
andorinhas penduradas numa
fachada, sardões e folhas de
couve gigantes nas fachadas
de outros edifícios, caracóis,
cogumelos, seis macacos (com
direito a aldeia no parque D.
Carlos I) e uma rã em cima de
um nenúfar numa fonte, esta
última a primeira peça da rota
Polícia de loiça
a ter sido concluída.
A Rota Bordaliana é, segundo o município, “a afirmação da
magia de Bordalo Pinheiro através das Caldas da Rainha, local
onde produziu a maioria das suas peças”. A ligação do artista
à cidade levou a autarquia a encomendar à fábrica Bordallo
Pinheiro a produção destas figuras.
rota mais longa, que integra, para além das peças, os edifícios
com azulejos de Bordalo Pinheiro”, os quais serão identificados
e explicados, tal como acontece com as figuras espalhadas pela
cidade, que serão acompanhadas de um texto.
Parte da estátua de loiça “Ama”
Rã de loiça
Rã de loiça
O projecto da Rota Bordaliana teve um custo global de 122
mil euros, dos quais cerca de 70 mil euros foram aplicados
nas peças. Uma verba entre 45 mil e 50 mil euros foi investida
num conjunto de protecções em vidro para acompanhar as
peças maiores.
Foi um trabalho ”minucioso” e “difícil” reproduzir as peA Rota Bordaliana integra-se no projecto de regeneração
“Saloia” de loiça
quenas figuras em peças de grandes dimensões, mas o autarca urbana candidatado pela autarquia a fundos comunitários e que
O percurso é agora recriado pela autarquia com a colocação considera ter resultado “num elemento muito apelativo para as representou um investimento de 10 milhões de euros.
A autarquia estima que o périplo pelas peças tenha a duração
de “um conjunto de peças gigantes, de tamanho humano - ou pessoas e para a promoção da arte e da cerâmica”.
A par da rota figurativa, a Câmara apostou na criação de “uma de duas horas.
de grande dimensão” -, que vão ser colocadas em locais es-
12 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
SEM IGUAL
13 de Outubro de 2015 | 13
QUALIDADE
SEM IGUAL
comunidade
Santoinho 2015 em Toronto:
Quim Barreiros anima o maior arraial minhoto da América do Norte
Por Isabel Alves, António
Perinú e Noémia Gomes
A 18.ª edição do maior arraial minhoto na América do
Norte decorreu no domingo
(11) num dos salões de festas
sem terem qualquer ligação
formal à Associação.
Em particular, enalteceu
a actividade daqueles que,
sem qualquer remuneração,
estiveram toda a tarde em
frente às grelhas a preparar
e fez questão de saudar a or- tes típicos das festividades
ganização deste certame que, minhotas.
também ele, qualificou como
Mais tarde, o momento
“o maior arraial minhoto fora da desfolhada levou os mais
de Portugal”.
Ao longo do dia a boa comida tradicional portuguesa
velhos a reviverem a sua
juventude nas eiras, onde o
momento de descamisar o
milho e separá-lo das espigas
era um convívio para toda a
família, vizinhos e amigos.
Os mais jovens, sobretudo,
demonstravam grande entusiasmo, desfolhando o milho
como se de uma brincadeira
se tratasse, alheios à dureza
as iguarias que foram ser- não faltou, sobretudo com fe- da lide do campo vivida pelos
vidas no certame, naquela bras grelhadas e a tradicional seus antepassados.
que considerou a tarefa mais “sardinha a pingar na broa” a
A riqueza das músicas,
das danças e dos trajes do
folclore minhoto esteve representada pelos ranchos da
Casa do Minho de Newark
e da Associação Cultural do
Minho de Toronto, enquanto
que a animação da concertina ficou a cargo do jovem
do parque Downsview, espaço que atingiu a sua capacidade máxima contabilizandose 1800 pessoas sentadas,
vindas um pouco de todo o
Ontário e de outras regiões
do Canadá.
Um programa diversificado, centrado na recriação
de tradições minhotas e com
muita música, teve como
cabeça de cartaz o artista
Quim Barreiros que colocou
a multidão a dançar com
os seus êxitos de cariz bem
popular.
Organizado
pela
Associação Cultural do
Minho, este evento anual pretende recriar as festividades
do Santoinho, em Portugal,
como explicou à nossa reportagem Olivia Rites, presidente da colectividade.
árdua.
Exemplo do apelo universal desta festa anual foi o
que encontrámos em Carlos
Farinha, vindo de Montreal
e que se deslocou a Toronto
de propósito para assistir ao
Nesta edição de 2015, a
dirigente salientou o trabalho
de todos os voluntários que
trabalharam para o sucesso
da iniciativa, sobretudo os
mais jovens, muitos dos quais
evento, como salientou à
nossa reportagem.
Originário do distrito
de Castelo Branco, este
imigrante disse sempre ter
“andado com os minhotos”
deliciarem o público.
A popularidade do evento
atraiu também os políticos
luso-canadianos, incluindo
o ministro das Finanças do
Ontário, Charles Sousa,
que se fez acompanhar pelo
pai, António Sousa, um dos
pioneiros da imigração portuguesa para o Canadá.
Com 90 anos de idade,
António Sousa confessou
à nossa reportagem: “estou
feliz, sou feliz; isto é Portugal
a cantar. Estas são as nossas
tradições, tradições do nosso
torrão chamado Portugal”,
perante o espectáculo a que
assistia.
Presentes estiveram também a deputada provincial Cristina Martins, bem
como o vereador da Câmara
Municipal de Brampton,
Martin Medeiros.
Ao som dos bombos e
concertinas da Associação
Cultural do Minho iniciou-se
por volta das 18h00 o desfile
de cabeçudos, bonecos gigan-
“Paulinho do Minho”, que ansiosamente aguardado
encantou o público com o neste evento.
seu domínio do popular insNuma animada actuação,
trumento.
o popular cantor e tocador de
concertina apresentou vários
êxitos do seu extenso repertório e surpreendeu a plateia
com algumas canções novas,
como sempre caracterizadas
por um pouco de “pimenta”
nos seus versos.
Quim Barreiros, que já por
diversas vezes se deslocou a
Toronto em digressão, diria
à nossa reportagem que a
“receita” para os seus mais
de quarenta anos de sucesso
na música são a humildade e
A música portuguesa con- o profissionalismo.
Nessa noite não faltou
tinuou ao longo da tarde, com
actuações de Jéssica Amaro e champarreão, a bebida mais
da banda Mexe-Mexe, à qual típica do Minho, e caldo verse juntou também a voz do de, ambos servidos no final
cantor Henrik Cipriano, mas do serão enquanto tocava
seria o “mestre da culinária”, ainda a banda Mexe-Mexe,
Quim Barreiros, o artista mais que encerrou o arraial.
14 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
actualidade
Castanheiro “sobe” 200 metros de altitude
e testemunha aquecimento global
A zona da Terra Fria
Transmontana está a assistir
a um fenómeno impensável
há 40 anos, com plantações
de castanheiros a 900 metros
de altitude, mais 200 do que
o limite que impunham os
manuais.
O cenário foi sexta-feira (9)
traçado por Abel Pereira, presidente da associação de produtores florestais ARBOREA,
que não tem dúvidas de que
a agricultura transmontana
está a sofrer transformações
devido ao aquecimento global
e às alterações climáticas das
últimas décadas, de que o
castanheiro é um testemunho
natural.
“As alterações climáticas
estão a afectar a produção
e estão a fazer com que nós
tenhamos castanheiros já a
900 metros de altitude, o que
provavelmente há 40 anos era
impossível: ficava-se pelos
700, 800 metros, que era o
que se dizia nos manuais escolares. Acima dos 800 metros
não havia castanheiro, hoje há
castanheiros a 900 metros”,
afirmou.
Para o dirigente da associação que se dedica sobretudo
a esta cultura, “o castanheiro
é um grande indicador de que
as coisas estão a mudar”, com
as temperaturas a subir e a
precipitação média anual a
descer.
Os dados estatísticos, segundo apontou, indicam
que há 20 anos o distrito de
Bragança tinha 900 milímetros de precipitação anual,
enquanto hoje tem 700.
Estes factores originam, na
opinião do dirigente, aquilo
que “toda a gente, se calhar
teme”.
“Onde temos castanheiro,
provavelmente daqui a 40
anos temos oliveiras”, exemplificou comparando uma
cultura associada à Terra Fria
Transmontana (o castanheiro)
com a oliveira típica da chamada Terra Quente, mais a sul
do distrito de Bragança.
A menor precipitação leva
também a “uma descida muito
grande a nível de humidade
dos solos”, o que implica a
necessidade de regar culturas
como o castanheiro, tipicamente de sequeiro.
As alterações preocupam
os responsáveis por esta cultura, já chamada de “o ouro”
de Trás-os-Montes, tendo em
conta que a castanha é actualmente o produto agrícola
mais rentável.
O concelho de Vinhais é o
maior produtor nacional de
castanha, com uma produção
média anual de 15 mil toneladas que movimentam 25
milhões de euros.
O castanheiro é também
a referência paisagística da
região com extensos soutos
e cada vez mais atractivo
para novos investidores com
a área a duplicar em apenas
uma década, no concelho de
Vinhais.
Além do clima, a produção
está confrontada com outras
ameaças como as doenças da
tinta, cancro e, mais recentemente, a vespa das galhas do
castanheiro.
A Câmara de Vinhais e a
ARBOREA realizaram há
alguns meses vistorias às novas plantações de soutos, as
mais susceptíveis de estarem
contaminadas com a praga do
insecto, e destruíram todas as
árvores infectadas.
As possíveis consequências
desta praga só serão conhecidas na Primavera, época em
que o insecto fica activo.
O presidente da ARBOREA
defende que são necessários
mais estudos sobre o sector e
troca de conhecimento entre
investigadores e produtores, o
que pretende com as jornadas
que decorrerão no fim de semana de 23 a 25 de Outubro,
integradas na Feira Rural
Castanea, em Vinhais,
Abel Pereira alertou que
“não há alternativa agronómica ao castanheiro” nesta zona
de Trás-os-Montes.
“Se deixarmos de ter castanheiro passaremos a ter áreas
desertas”, afirmou.
SEM IGUAL
Estremoz apresenta mostra de
bonecos em barro para promover
candidatura à UNESCO
Uma exposição de bonecos de Estremoz
abriu sexta-feira na cidade alentejana para
promover a candidatura da Produção do
Figurado em Barro de Estremoz a Património
Cultural Imaterial da Humanidade, da
UNESCO, divulgou o município.
Intitulada “Bonecos de Estremoz de
Ricardo Fonseca”, a mostra, patente até ao
dia 5 de Dezembro na Galeria Municipal D.
Dinis, no centro histórico de Estremoz, no
distrito de Évora, está integrada no Plano
de Salvaguarda e Valorização do Boneco
de Estremoz.
A exposição, composta por 30 figuras em
barro, divididas em três grupos temáticos, os
bonecos de Carnaval, os bonecos do mundo
rural e os bonecos de devoção, está inserida
na promoção da candidatura da “Produção de
Figurado em Barro de Estremoz” à inserção
na lista representativa do Património Cultural
Imaterial da Humanidade, da Organização
das Nações Unidas para a Educação, Ciência
e Cultura (UNESCO).
O boneco modelado ao modo de Estremoz
é uma produção artística de carácter popular,
com mais de 300 anos de história, que era
maioritariamente executada por mulheres
nos primeiros séculos de existência da arte
e que tem sido um elemento de divulgação
da cidade no país e no estrangeiro.
A arte consiste na modelação de uma figura em barro cozido, policromado e efectuada
manualmente, segundo uma técnica com
origem pelo menos no século XVII.
Natural de Estremoz, Ricardo Fonseca
iniciou-se no figurado ainda durante a
infância e pré-adolescência, frequentando
regularmente a oficina de barrística das suas
tias, “Irmãs Flores”.
Actualmente, trabalha em bonecos que
vão do figurado cerâmico mais contemporâneo, àqueles de raiz mais local como os
bonecos de Estremoz.
Ricardo Fonseca ganhou em 2011 o
Concurso de Barrística de Estremoz “Rainha
Santa Isabel”, promovido pelo município.
Agricultor de Lousada criou aplicação gratuita
para ajudar produtores a vender
Um antigo bancário de
Lousada, que agora se dedica
à agricultura, desenvolveu
uma aplicação informática,
sem custos para o utilizador,
destinada à promoção e venda
de produtos biológicos.
O projecto chama-se “sa-
char.pt” e está disponível há
várias semanas, exibindo produtos de cerca de 40 pequenos
agricultores da região que se
têm registado na aplicação.
O conceito é simples: quem
quiser regista-se, gratuitamente, e pode colocar, para além
dos seus contactos, fotografias
e características dos produtos
que pretende divulgar e vender.
A aplicação tem um motor
de busca que permite indicar
os produtores mais próximos
da região onde se encontra o
potencial interessado.
13 de Outubro de 2015 | 15
QUALIDADE
SEM IGUAL
religião e cultura
Santuário de Fátima acolhe
uma família de refugiados mas
transitoriamente pode receber outras
O Santuário de Fátima disponibilizou uma
casa para acolher uma família de refugiados e
ofereceu-se para, nas suas instalações, instalar
transitoriamente outros que cheguem ao país,
disse domingo o reitor da instituição.
“O santuário tem concretamente uma casa
em vista (…), que pode acolher uma família
com alguns elementos”, afirmou o padre
Carlos Cabecinhas, referindo, sem precisar,
que a habitação se situa na Cova da Iria.
Segundo o sacerdote, a casa pode acolher de
forma estável e prolongada “uma família um
pouco mais alargada” e não, necessariamente,
até quatro pessoas.
À família que vai acolher, o santuário
propõe-se dar condições de alojamento e vai
estudar “todo o contributo” que pode dar ao
nível da integração, embora neste âmbito o
reitor entenda que tal “dependerá de outras
instituições”.
“Não nos pomos de forma alguma de
fora, estamos disponíveis a colaborar, a dar
o nosso contributo. Não queremos ser impositivos em qualquer perspectiva de inserção
destes refugiados”, garantiu o padre Carlos
Cabecinhas.
A instituição, que na segunda e na terçafeira acolhe mais uma peregrinação internacional aniversária, a última grande celebração
do ano, está igualmente disponível para,
“no momento de transição entre a chegada
de refugiados e a colocação em alojamento
permanente”, ceder as suas estruturas para
acolhimento temporário.
“A este nível estaremos sempre limitados
por aquilo que é a nossa capacidade de acolhimento, mas por outro lado disponíveis para
acolher aquilo que forem as necessidades que
venham ao nosso encontro”, declarou o reitor
do santuário.
O responsável referiu que o espaço São
Bento Labre, nas imediações do santuário,
“transitoriamente é um dos lugares possíveis,
porque é um dos lugares de acolhimento” do
templo.
Neste caso, não se trata do acolhimento de
longa duração “porque o santuário precisa de
instalações para acolher peregrinos”, esclareceu o padre Carlos Cabecinhas, reiterando
que pode dispor das suas instalações para num
“período de transição” acolher refugiados até
haver uma colocação definitiva.
“A nossa capacidade é relativamente
grande, com alguma flexibilidade, mas a esse
nível estamos dependentes daquilo que forem
as necessidades que surgirem”, acrescentou
o sacerdote.
Além do santuário, uma congregação religiosa de Fátima informou a Caritas de LeiriaFátima, entidade coordenadora do trabalho
de acolhimento de refugiados na diocese, da
cedência de uma casa que pode acolher uma
família numerosa, até 15 pessoas.
“Há uma paróquia que disponibiliza dois
apartamentos para instalar igual número de
famílias, tendo outras paróquias da diocese
manifestado também interesse em acolher
refugiados”, afirmou à Lusa fonte da Caritas
Diocesana, adiantando que “há particulares
que têm feito donativos para esta causa e
procedido à entrega de bens”.
“Neste momento, estamos à espera de que
haja indicações sobre o número de famílias
que possam vir para a região para acelerar
este processo”, acrescentou.
No final de Setembro, o ministro-adjunto
e do Desenvolvimento Regional, Miguel
Poiares Maduro, anunciou a chegada de 30
refugiados, que se encontram em Itália, durante a primeira quinzena deste mês.
No total, o país deverá receber 4.500
pessoas e 70 milhões de euros até 2020 em
fundos comunitários para receber e integrar
refugiados e migrantes.
Fátima:
Prefeito Emérito da Congregação para os
Bispos na última grande celebração do ano
O prefeito emérito da
Congregação para os Bispos,
cardeal Giovanni Battista Re,
preside às cerimónias religiosas de ontem, segunda, e hoje,
terça-feira (13) no Santuário
de Fátima, a última grande
peregrinação do ano ao templo
mariano. A peregrinação tem
como tema “Vigiai e Orai” e
é a que habitualmente maior
número de pessoas leva à Cova
da Iria depois da de Maio.
Segundo dados do santuário, até quinta-feira estavam
inscritos nos seus serviços
105 grupos de fiéis para participar na missa de hoje, dia 13,
terça-feira, coincidente com
o Dia Nacional Peregrino. A
Itália é o país estrangeiro com
maior número de grupos, 21 e
quase mil pessoas, seguido da
Polónia e Alemanha.
A peregrinação internacional aniversária, 98 anos após
os acontecimentos na Cova
da Iria, começou às 18:30 de
segunda-feira, na Capelinha
das Aparições, com o acolhimento pelo Bispo de Leiria-
Fátima, António Marto, e
saudação pelo presidente das
celebrações, Cardeal Giovanni
Battista Re.
Três horas mais tarde foi
rezado o terço e, logo depois,
teve lugar a procissão das velas
e a missa.
Após uma noite de vigília,
as cerimónias são retomadas na
manhã de hoje, terça-feira, com
o terço, às 09:00, na Capelinha,
e uma hora depois começa a
principal celebração, a missa
que inclui bênção dos doentes
e procissão do adeus.
Em entrevista à sala de
imprensa do Santuário de
Fátima, o prefeito Emérito da
Congregação para os Bispos
e também presidente emérito
da Pontifícia Comissão para a
América Latina, afirmou que
vai estar “como peregrino entre
os peregrinos” e que à Virgem
vai pedir “ajuda e protecção”
para si, para a Igreja e para as
famílias, tema do Sínodo dos
Bispos que está a decorrer em
Roma até ao dia 25.
O Cardeal italiano, de 81
Fátima:
Basílica de N.ª Sr.ª do Rosário reabre em
Janeiro após obras de restauro e limpeza
A Basílica de Nossa Senhora do Rosário, no
Santuário de Fátima, encerrada desde Maio de
2014 para obras de restauro e limpeza do interior, reabre em Janeiro de 2016, disse domingo
o reitor da instituição.
Universidade de Évora atribui Honoris
Causa a Siza Vieira e José Cutileiro
O arquitecto Álvaro Siza Vieira e o embaixador José Cutileiro vão ser distinguidos
com o grau de Doutor Honoris Causa pela
Universidade de Évora (UE), numa cerimónia agendada para dia 16 deste mês.
A academia alentejana, em comunicado,
justificou sexta-feira (9) a atribuição do título
a Álvaro Siza Vieira pelo “seu mérito artístico e cultural, no contexto da arquitectura
nacional e internacional”.
O doutoramento ao arquitecto acontece
também, realçou a academia, “no momento
em que a UE reequaciona e reforça a sua
implantação no domínio das Artes” e em
que “Évora, como cidade, se encontra num
processo de robustecimento do seu estatuto
de Património Mundial”.
“A relevância do arquitecto Siza Vieira
na construção do sentido urbano de uma
cidade é mais do que reconhecida e dela é
exemplo a sua obra construída em Évora”,
acrescentou a universidade.
Já a outorga do doutoramento Honoris
Causa a José Cutileiro, pretende “prestigiar
o antropólogo, diplomata, embaixador, alentejano, nascido em Évora e uma das figuras
maiores da intelectualidade da segunda
metade do século XX português”.
“Com uma carreira internacional de prestígio e importantes serviços prestados ao país
na área da política externa e ao Alentejo, em
particular, sobretudo no domínio das ciências
sociais, o seu trabalho magistral ficará para
sempre como uma obra de referência nos
estudos da Antropologia social do século
XX”, enalteceu a UE.
A sessão solene agendada para dia 16, a
partir das 15:00, vai decorrer na Sala de Actos
do Colégio do Espírito Santo, o principal
edifício da UE.
O título de Doutor Honoris Causa, lembrou sexta-feira a academia, é atribuído a
“individualidades que tenham contribuído
de forma excepcional para o progresso da
ciência, da técnica, da arte ou ainda para o
bem-estar social e cultural dos povos”.
Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira
nasceu em Matosinhos, em 1933, e estudou
Arquitectura na Escola Superior de Belas
Artes do Porto, entre 1949 e 1955, tendo a sua
primeira obra sido construída em 1954.
Foi professor na Faculdade deArquitectura
da Universidade do Porto, cidade onde exerce
a sua profissão, ganhou o Prémio Pritzker,
em 1992, e é membro de várias organizações nacionais e internacionais, ligadas à
arquitectura e às artes.
Quanto a José Cutileiro, nasceu em
Évora, em 1934, e estudou Arquitectura e
Medicina em Lisboa, diplomando-se em
Antropologia Social e doutorando-se em
Oxford (Inglaterra), em 1968.
Em 1974, juntou-se ao serviço diplomático, sendo embaixador em Maputo e Pretória
e desempenhando, ao longo dos anos, várias
funções, além de, entre 2005 e 2014, ter
sido Conselheiro Especial do Presidente da
Comissão Europeia, José Durão Barroso.
anos, adiantou que já esteve
em Fátima, no distrito de
Santarém, por devoção pessoal
e em momentos “importantes
na história de Fátima e da
Igreja”, referindo neste último
caso as duas últimas peregrinações do Papa João Paulo II
a Fátima, em 1991 e no ano
2000.
“Regresso a esse santuário
com grande alegria, será um
momento muito importante
na minha vida”, acrescentou,
citado pela sala de imprensa
do templo.
Para estas cerimónias, a
GNR reforçou na passada
quinta-feira o patrulhamento
nas principais vias de acesso
à cidade de Fátima.
Numa primeira fase da
operação, o esforço de policiamento é orientado para as
vias utilizadas pelos peregrinos
em direcção a Fátima e, numa
segunda fase, está centrado
na segurança das celebrações
no santuário, refere o sítio
na Internet da força de segurança.
“A previsão é a de que os trabalhos se
prolonguem até Dezembro e que a reabertura
será em Janeiro. E mantemos totalmente esses
prazos”, afirmou à agência Lusa o padre Carlos
Cabecinhas, explicando que “estão a realizarse os trabalhos conclusivos da intervenção”,
destacando a montagem do órgão, com cerca
de 12 mil tubos, que foi também objecto de
restauro.
O responsável explicou que, depois, “será
necessário fazer a afinação e entonação do
instrumento”, trabalho igualmente previsto.
Para o reitor do santuário, no distrito de
Santarém, templo que acolhe na segunda e
na terça-feira a peregrinação internacional
aniversária de Outubro, 98 anos após os acontecimentos na Cova da Iria, a “grande surpresa”
para os peregrinos da renovação da basílica será
“a claridade do espaço”.
“(…) Os peregrinos vão notar que, de facto,
há uma claridade diferente, porque foi feita uma
limpeza profunda da pedra, uma vez que desde
a construção nunca se tinha feito essa limpeza e
a acumulação de humidades no próprio edifício
foi escurecendo a pedra internamente”, referiu
Carlos Cabecinhas.
O sacerdote apontou ainda a “limpeza
profunda e recuperação” dos vitrais, acreditando que as infraestruturas preparadas vão
possibilitar que “os peregrinos possam auferir
dessa beleza e riqueza de forma muito mais
evidente”.
O presbitério e os túmulos dos videntes foram
também alvo de intervenção, adiantou o reitor,
referindo que, no último caso,
contemplou uma reestruturação que visa propor aos fiéis
“percursos devocionais que
preparem e conduzam à visita
aos túmulos”.
A primeira basílica de
Fátima encerrou para obras
em Maio de 2014.
Na ocasião, o santuário
explicou que o objectivo era
“realizar uma profunda intervenção de limpeza e restauro
no interior da basílica”, justificando que “a
utilização continuada do edifício ao longo de
várias décadas levou ao escurecimento das
superfícies interiores e ao desgaste de alguns
materiais”.
“Muito embora os trabalhos a levar a
efeito sejam, fundamentalmente, de carácter
conservativo e de limpeza, aproveitar-se-á a
ocasião para desenvolver outras importantes
intervenções como, por exemplo, ao nível da
iluminação e do som”, referiu o templo.
A obra, no âmbito do centenário dos acontecimentos da Cova da Iria, que se assinala em
2017, contempla ainda a melhoria das condições de segurança dos peregrinos, sobretudo
as acessibilidades, assim como o património
artístico, prevendo-se igualmente a melhoria
dos espaços anexos, nomeadamente a sacristia
e a capela de S. José.
Segundo o sítio na Internet do santuário, o
projecto da Basílica de N.ª Sr.ª do Rosário de
Fátima foi concebido pelo arquitecto holandês
Gerard Van Kriechen e continuado pelo arquitecto João Antunes. A sagração do templo
ocorreu a 07 de Outubro de 1953 e o título
de basílica foi-lhe concedido por Pio XII um
ano depois.
O santuário tem outra Basílica, da Santíssima
Trindade, título atribuído em 2012.
16 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
SEM IGUAL
13 de Outubro de 2015 | 17
QUALIDADE
SEM IGUAL
internacionais
Nobel da Paz:
Prémio atribuído ao
Quarteto para o Diálogo
Nacional na Tunísia
O Comité Nobel Norueguês
atribuiu o Prémio Nobel da Paz
ao Quarteto para o Diálogo
Nacional na Tunísia pela contribuição para a construção
de uma democracia pluralista
após a Revolução de Jasmim
de 2011, anunciou sexta-feira
a instituição.
O Quarteto integra quatro
“organizações chave” da
sociedade civil tunisina: A
União Geral dos Trabalhadores
d a Tu n í s i a ( U G T T ) , a
Confedera-ção de Indústria,
Comércio e Artesanato da
Tunísia (UTICA), a Liga dos
Direitos Humanos da Tunísia
(LDHT) e da Ordem Nacional
dos Advogados da Tunísia
(ONAT).
O Quarteto, lembrou o
Comité Nobel Norueguês, foi
formado no Verão de 2013
após o processo de democratização ter ameaçado colapsar
após uma onda de assassínios
políticos e de manifestações
de protesto.
Para o Comité Nobel, as
quatro instituições criaram um
processo político alternativo e
pacífico numa altura em que
o país estava à beira de uma
guerra civil.
“Foi um instrumento essencial para permitir que a
Tunísia, no espaço de poucos
anos, constituísse um sistema
constitucional de Governo,
garantindo os direitos fundamentais para toda a população, independentemente do
género, convicção política
ou crença religiosa”, lê-se no
documento.
As quatro organizações representam diversos sectores e
valores da sociedade tunisina,
como o direito ao trabalho e ao
bem-estar e os princípios do
primado da lei e dos Direitos
Humanos.
Nesta base, prossegue o
comunicado do Comité Nobel
Norueguês, o Quarteto desempenhou “com grande autoridade moral” o seu papel de
mediador e de força condutora
em direção ao desenvolvimento democrático e pacífico da
Tunísia.
“O Prémio Nobel da Paz de
2015 é atribuído ao Quarteto
e não individualmente a cada
uma das quatro organizações”, frisa o Comité Nobel,
lembrando que a “Primavera
Árabe” começou precisamente
na Tunísia em 2010 e 2011,
espalhando-se rapidamente a
outros países norte-africanos
e do Médio Oriente.
“Em muitos destes países,
a luta pela democracia e pelos
direitos fundamentais chegou
a impasses ou sofreu inúmeros
reveses. A Tunísia, porém,
assistiu a uma transição democrática baseada numa vibrante
sociedade civil, com pedidos
sucessivos de respeito pelos
Direitos Humanos”, lê-se no
documento.
Segundo a argumentação
do Comité Nobel, um factor
essencial para a revolução
pacífica na Tunísia foi a realização de eleições democráticas
após os esforços do Quarteto
para apoiar os trabalhos da
Assembleia Constituinte e garantir a aprovação do processo
constitucional envolvendo a
população tunisina.
O Quarteto, prossegue o
Comité Nobel, abriu caminho
ao diálogo pacífico entre os
cidadãos, partidos políticos e
autoridades e ajudou a encontrar um consenso sobre um
vasto leque de desafios entre as
divisões políticas e religiosas
então existentes.
“O diálogo nacional promovido pelo Quarteto teve
sucesso e permitiu conter a
violência na Tunísia e o seu
papel enquadra-se nas premissas de paz a que Alfred Nobel
se referiu no seu testamento”,
justifica o Comité.
O curso dos eventos ocorrido no país desde a queda
do regime autoritário de Ben
Ali, em Janeiro de 2011, “é
único e notável” por várias
razões, considerou o júri, que
destaca, em primeiro lugar, a
possibilidade, comprovada,
de os movimentos políticos
seculares e representantes
do Islão podem trabalhar em
conjunto para obter resultados
significativos para o melhor
interesse da Tunísia.
“O exemplo da Tunísia
sublinha, por isso, o valor do
diálogo e do bom senso nacional numa região marcada
por conflitos”, acrescenta-se
no documento, que dá como
segundo exemplo o facto de a
transição tunisina ter demonstrado que as instituições e as
organizações da sociedade
civil podem ter um papel
“crucial” na democratização
de um país.
“Deve ser dado ao Quarteto
muito do crédito pelo feito
e pela garantia de que os
benefícios da «Revolução de
Jasmim» não serão perdidos”,
argumenta ainda o Comité
Nobel Norueguês.
Segundo o comunicado, a
Tunísia enfrenta ainda desafios
“significativos” nas áreas política, económica e social, pelo
que o Comité estima que, com o
prémio Nobel que hoje atribuiu
possa também contribuir para
salvaguardar a democracia na
Tunísia e possa inspirar todos
os que estão igualmente a promover a paz e a democracia no
Médio Oriente, norte de África
e no resto do mundo.
“Mais do que qualquer
outra coisa, o prémio visa
encorajar o povo tunisino que,
apesar dos desafios pela frente,
criou uma plataforma para
a fraternidade nacional que,
espera o Comité, possa servir
de exemplo a seguir por outros
países”, concluiu.
Polícia carrega contra multidão
que homenageava vítimas de
atentado na Turquia
A polícia turca dispersou domingo à bastonada e com gás
lacrimogéneo uma multidão que se concentrou junto à praça
de Ancara onde no sábado um duplo atentado suicida vitimou
95 pessoas, para homenagear as vítimas e deixar flores.
As forças de segurança turcas barricaram as ruas que
conduzem à praça Sihhiye, no centro da capital turca, junta
à estação de comboios onde se registaram as explosões que
provocaram o atentado mais mortífero da história da Turquia,
onde se estão a reunir milhares de pessoas.
Alguns dos manifestantes gritam palavras de ordem contra
o governo, mas a polícia não permitiu a passagem das delegações de vários partidos políticos e organizações cívicas
que pretendiam celebrar um ato de homenagem no local.
Segundo um comunicado do partido de esquerda prócurdo, a quarta força política do Parlamento turco, a carga
policial fez alguns feridos entre a delegação política onde se
encontravam igualmente altos dirigentes do social-democrata
CHP, o principal partido da oposição.
Após dialogar com outros membros da delegação, a polícia acabou por permitir a passagem de alguns grupos para
deixarem as flores.
Breves Internacionais
Vigília em Igreja de Luanda desmobilizada após
momentos de tensão com a polícia
As mais de 100 pessoas que estavam em vigília junto à
Igreja das Sagrada Família, em Luanda, pedindo a libertação
de 15 activistas detidos desde Junho, desmobilizaram para
evitar o choque com a polícia junto ao templo.
Donald Trump diz que é “loucura” Alemanha
receber refugiados
O pré-candidato republicano à presidência dos Estados
Unidos da América Donald Trump classificou de louca
a posição da chanceler alemã Angela Merkel, de acolher
refugiados e disse que essa política apenas irá provocar
motins no país.
Novas tensões na Holanda após ataque a centro
de acolhimento para refugiados
A polícia holandesa interrogou os presumíveis autores de
um ataque contra um centro de refugiados, denunciado pelo
Primeiro-ministro Mark Rutte como um acto “cobarde” e
“inaceitável”.
18 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
CLASSIFICAÇÕES / DESPORTO
Judoca Jorge Fernandes (-73 kg)
conquista medalha de bronze
no Open de Glasgow
Programa da terceira eliminatória
da Taça de Portugal em futebol:
- Sexta-feira, 16 Out:
Vianense (CNS) - Benfica (I), 20:30
- Sábado, 17 Out:
Casa Pia (CNS) - Oriental (II), 14:00
Coruchense (CNS) - Vitória de Setúbal (I), 15:00
Louletano (CNS) - Chaves (II), 15:00
Famalicão (II) - Feirense (II), 15:00
Olhanense (II) - Belenenses (I), 15:00
Desportivo de Aves (II) - Moreirense (I), 17:00
Vilafranquense (D) - Sporting (I), 17:30
Académico de Viseu (II) - Sporting de Braga (I), 18:00
Varzim (II) - FC Porto (I), 20:15
- Domingo, 18 Out:
União FC (D) - Rio Ave (I), 14:00
Sanjoanense (CNS) - Académica (I), 14:00
Gondomar (CNS) - Estoril-Praia (I), 14:00
Coimbrões (CNS) - Fafe (CNS), 14:00
Cova da Piedade (CNS) - Alcananense (CNS), 14:00
Angrense (CNS) - Torre de Moncorvo (D), 14:00
Atlético dos Arcos (D) - Caldas (CNS), 14:00
Pampilhosa (CNS) - Portimonense (II), 14:00
Operário (CNS) - Salgueiros 08 (CNS), 14:00 (horas locais)
Farense (II) - Rio Tinto (D), 15:00
Trofense (CNS) - Santa Clara (II), 15:00
Loures (CNS) - Boavista (I), 15:00
Leixões (II) - Arouca (I), 15:00
Gil Vicente (II) - Tondela (I), 15:00
Naval (CNS) - Paços de Ferreira (I), 15:00
Mosteirense (D) - Nacional (I), 15:00
Sertanense (CNS) - União da Madeira (I), 15:00
Lusitânia de Lourosa (CNS) - Marítimo (I), 15:00
Amarante (CNS) - Bragança (CNS), 15:00
Atlético da Malveira (CNS) - Praiense (CNS), 15:00
Leiria e Marrazes (D) - Benfica e Castelo Branco (CNS), 15:00
Penafiel (II) - Vitória de Guimarães (I), 19:15
O judoca português Jorge
Fernandes (-73 kg) garantiu
sábado a medalha de bronze no European Open de
Saraiva teve que se contentar
com um quinto lugar, apesar
de ainda ter chegado às meiasfinais.
Glasgow, ao vencer o polaco
O judoca português perdeu
Damian Szwarnowiecki por no combate que lhe daria a
‘ippon’.
presença na final também
Jorge Fernandes realizou frente a Guillaume Chaine
cinco combates (quatro vitó- (por ‘ippon’) e na luta pela
rias e uma derrota) até chegar medalha de bronze com outro
ao bronze, numa categoria em gaulês, no caso Benjamin
que caiu para a repescagem, Axus, por ‘waza-ari’.
após perder com o francês
Em Glasgow estiveram
Guillaume Chaine, que viria ainda Diogo César e Antoine
a conquistar a medalha de Massart, ambos em -66 kg e
ouro.
que foram eliminados logo ao
Na
mesma
categoria,
Nuno
primeiro combate.
A p o r t u g u e s a J o a n a da terceira e última etapa do
Schenker revalidou sábado circuito europeu, que decorreu
em São Vicente, Madeira.
Joana Schenker já tinha
triunfado nas duas etapas anteriores, disputadas em La Salie,
França, e em Ílhavo.
Sábado, na praia da Fajã
D’Areia, o apuramento para
as meias-finais foi suficiente
para a portuguesa garantir a
revalidação do título.
o título de campeã europeia
de bodyboard feminino, ao
Nacional Seniores – Resultados e classificação –
apurar-se para as meias-finais
Joana Schenker revalida
título de campeã europeia
de bodyboard
Série A
II LIGA
Jogos em atraso
Resultados e classificação
Domingo, 11 Out:
Jogo em atraso da 7.ª jornada:
Mafra - Sporting da Covilhã,
Jogos em atraso da 9.ª jornada:
Oliveirense - Freamunde,
Desportivo das Aves - Leixões,
1-2
0-0
1-0
Programa da 12.ª jornada:
Domingo, 25 Out:
Atlético - Desportivo das Aves
Benfica B - Feirense
Famalicão - Farense
Freamunde - Mafra
Olhanense - Académico de Viseu
Oriental - Portimonense
Santa Clara - Sporting B
Leixões - Sporting de Braga B
Varzim - Desportivo de Chaves
Penafiel - Sporting de Covilhã
Vitória de Guimarães B - Gil Vicente
FC Porto B – Oliveirense
Classificação:
1 FC PORTO “B”
2 DESPORTIVO CHAVES
3 SPORTING “B”
4 PORTIMONENSE
5 ATLÉTICO
6 GIL VICENTE
7 SPORTING BRAGA “B”
8 DESPORTIVO AVES
9 PENAFIEL
10 ACADÉMICO VISEU
11 BENFICA “B”
12 FARENSE
13 SANTA CLARA
14 OLHANENSE
15 SPORTING COVILHÃ
16 VARZIM
17 MAFRA
18 FAMALICÃO
19 FEIRENSE
20 FREAMUNDE
21 LEIXÕES
22 VITÓRIA GUIMARÃES “B”
23 ORIENTAL
24 OLIVEIRENSE
Mirandela – Minas Argozelo,
Marítimo B – Vianense,
Camacha – Limianos,
Neves – Bragança,
Vilaverdense – Juvent. P. Salgadas,
Série B
5-0
1-1
0-0
3-4
0-0
Classificação:
P
1 BRAGANÇA
14
2 VILAVERDENSE
12
3 MIRANDELA
10
4 LIMIANOS
10
5 JUV. PEDRAS SALGADAS
10
6 NEVES
7
7 MARÍTIMO “B”
5
8 VIANENSE
4
9 CAMACHA
3
10 MINAS ARGOZELO
3
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Mirandela – Marítimo B
Vianense – Camacha
Limianos – Neves
Bragança – Vilaverdense
Minas Argozelo – Juvent. P. Salgadas
Série E
P
24
18
18
17
17
15
15
15
15
15
14
14
14
14
13
13
12
12
11
9
9
8
8
6
Pampilhosa – Nogueirense,
Ideal – Operário, Oliveira do Hospital – Sabugal,
Angrense – Praiense,
Académica SF – Tourizense,
Oliveirense – Vizela,
Arões – Trofense, Fafe – São Martinho, Mondinense – Felgueiras,
Varzim – União Torcatense,
Série C
1-0
2-1
2-1
1-2
0-1
Classificação:
P
1 FAFE
14
2 FELGUEIRAS
13
3 VIZELA
11
4 OLIVEIRENSE
10
5 S.MARTINHO
9
6 ARÕES
7
7 TROFENSE
7
8 TORCATENSE
7
9 MONDINENSE
6
10 VARZIM
1
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Oliveirense – Arões
Trofense – Fafe
São Martinho – Mondinense
Felgueiras – Varzim
Vizela – União Torcatense
Série F
Coimbrões – Amarante,
Vila Real – Sobrado,
Tirsense – Cinfães,
Gondomar – Pedras Rubras,
Sousense – Salgueiros 08,
Classificação:
P
1 PEDRAS RUBRAS
12
2 CINFÃES
11
3 GONDOMAR
10
4 COIMBRÕES
9
5 AMARANTE
8
6 SOUSENSE
8
7 VILA REAL
7
8 SOBRADO
7
9 SALGUEIROS 08
4
10 TIRSENSE
4
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Coimbrões – Vila Real
Sobrado – Tirsense
Cinfães – Gondomar
Pedras Rubras – Sousense
Amarante – Salgueiros 08
Série G
Sintrense – Sacavenense,
1.º de Dezembro – Eléctrico,
Real – Malveira,
Loures – Coruchense,
União Torreense – Casa Pia,
Classificação:
P
1 PAMPILHOSA
13
2 NOGUEIRENSE
12
3 IDEAL
11
4 ANGRENSE
10
5 PRAIENSE
10
6 OLI.HOSPITAL
9
7 OPERARIO
7
8 ACADÉMICA SF
3
9 SABUGAL
2
10 TOURIZENSE
2
Classificação:
P
1 UNIÃO DE LEIRIA
16
2 BEN.C.BRANCO
12
3 CALDAS
11
4 SERTANENSE
8
5 NAVAL 1.º MAIO
8
6 PENICHE
7
7 V. SERNACHE
6
8 ALCANENENSE
6
9 CRATO
5
10 AGUIAS MORADAL
2
Classificação:
P
1 1º DEZEMBRO
12
2 SINTRENSE
11
3 REAL
10
4 CASA PIA
9
5 LOURES
9
6 MALVEIRA
8
7 TORREENSE
7
8 ELÉCTRICO
6
9 SACAVENENSE
6
10 CORUCHENSE
3
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Caldas – União de Leiria
Naval 1.º de Maio – Benfica C. Branco
Crato – Águias Moradal
Peniche – Sertanense
Vitória Sernache – Alcanenense
2-2
3-1
2-1
1-3
0-1
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Sintrense – 1.º de Dezembro
Eléctrico – Real
Malveira – Loures
Coruchense – União Torreense
Sacavenense – Casa Pia
- Domingo, 7 Set 2014:
Dinamarca – Arménia, 2-1
Portugal – Albânia, 0-1
- Sábado, 11 Out:
Arménia – Sérvia, 1-1
Albânia – Dinamarca, 1-1
- Terça-feira, 14 Out:
Dinamarca – Portugal, 0-1
Sérvia – Albânia, 0-3 (por decisão do TAS).
- Sexta-feira, 14 Nov:
Portugal – Arménia, 1-0
Sérvia – Dinamarca, 1-3
- Domingo, 29 Mar 2015:
Albânia – Arménia, 2-1
Portugal – Sérvia, 2-1
- Sábado, 13 Jun:
Arménia – Portugal, 2-3
Dinamarca – Sérvia, 2-0
- Sexta-feira, 4 Set:
Dinamarca – Albânia, 0-0
Sérvia – Arménia, 2-0
- Segunda-feira, 7 Set:
Arménia – Dinamarca, 0-0
Albânia – Portugal, 0-1
- Quinta-feira, 8 Out:
Albânia – Sérvia, 0-2
Portugal – Dinamarca, 1-0
- Domingo, 11 Out:
Arménia – Albânia, 0-3
Sérvia – Portugal, 1-2
Classificação:
P
1. Portugal
21
2. Albânia
14
3. Dinamarca
12
4. Sérvia
4 (*)
5. Arménia
2
Portugal e Albânia apurados para a fase final.
(*) Foram retirados três pontos à Sérvia.
Nota: Os dois primeiros classificados qualificam-se
directamente para a fase final do Euro2016, bem como
o melhor terceiro dos nove grupos de apuramento. Os
restantes terceiros classificados disputam um ‘playoff’.
6.ª jornada
Europeu2017 sub-21
(Gr. 4, qual.)
Estarreja – Gafanha,
Bustelo – Oliveira Frades,
Cesarense – Lusitânia Lourosa,
Lus. Vildemoinhos – Sanjoanense,
Anadia – Mortágua,
Resultados e classificações
3-0
0-2
0-0
2-3
2-3
Classificação:
P
1 ESTARREJA
12
2 LUSIT.VILDEMOINHOS
11
3 LUSITANIA
11
4 SANJOANENSE
10
5 ANADIA
10
6 CESARENSE
9
7 OLIVEIRA DE FRADES
8
8 MORTAGUA
8
9 GAFANHA
2
10 BUSTELO
0
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Série H
União Leiria – Naval 1.º de Maio, 0-0
Benfica de Castelo Branco – Crato, 3-0
Águias Moradal – Peniche,
0-2
Sertanense – Alcanenense,
2-0
Caldas – Vitória Sernache,
1-2
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Resultados e classificação do Grupo I da
qualificação para o Campeonato Europeu de
futebol de 2016:
Estarreja – Bustelo
Oliveira Frades – Cesarense
Lusitânia Lourosa – Lus. Vildemoinhos
Sanjoanense – Anadia
Gafanha – Mortágua
3-2
3-0
1-0
3-2
4-1
Pampilhosa – Ideal
Operário – Oliveira do Hospital
Sabugal – Angrense
Praiense – Académica SF
Nogueirense – Tourizense
Resultados e classificação do
Euro2016 (Qual., Gr. I)
Série D
0-2
1-0
0-3
1-1
1-0
SEM IGUAL
Almancilense – Barreirense,
Lusitano de VRSA – Castrense,
Moura – Louletano, Pinhalnovense – Cova da Piedade,
A. Regueng. Monsaraz – J. Évora,
1-1
4-1
4-2
2-4
2-2
Classificação:
P
1 ALMANCILENSE
12
2 COVA PIEDADE
12
3 JUVENTUDE EVORA
10
4 LUSITANO VRSA
10
5 BARREIRENSE
9
6 MOURA
8
7 CASTRENSE
8
8 A. MONSARAZ
6
9 LOULETANO
3
10 PINHALNOVENSE
3
Programa da 7.ª Jornada (25 Out):
Almancilense – Lusitano de VRSA
Castrense – Moura
Louletano – Pinhalnovense
Cova Piedade – Atl. Reguen. Monsaraz
Barreirense – Juventude de Évora
Resultados e classificação do Grupo 4
de qualificação para o Campeonato da
Europa de futebol de sub-21 de 2017:
- Disputados (2015):
28 Mar: Liechtenstein - Albânia, 0-2
7 Jun: Liechtenstein - Israel, 0-4
3 Set:
Liechtenstein - Hungria, 0-6
Albânia - Israel, 1-1
7 Set: Liechtenstein - Grécia, 0-2
8 Set: Albânia – Portugal, 1-6
9 Out: Portugal - Hungria, 2-0
Classificação:
P
1. Portugal
6
2. Israel
4
3. Albânia
4
4. Hungria
3
5. Grécia
3
6. Liechtenstein
0
Nota: Os vencedores dos nove grupos
de apuramento qualificam-se directamente para a fase final, enquanto os
quatro melhores segundos disputam
um ‘play-off’.
- Por disputar (2015):
- 13 Out:
Grécia – Portugal / Hungria – Albânia
- 12 Nov:
Portugal – Albânia / Israel - Hungria
- 16 Nov:
Hungria – Grécia
Albânia – Liechtenstein
- 17 Nov: Israel – Portugal
2016
- 24 Mar:
Portugal – Liechtenstein
Hungria – Israel / Albânia – Grécia
- 01 Set: Hungria – Liechtenstein
- 02 Set:
Portugal – Israel / Grécia – Albânia
- 06 Set:
Portugal – Grécia
Liechtenstein – Israel
- 06 Out:
Hungria – Portugal
Israel – Grécia
- 10 Out:
Israel – Albânia
Grécia – Hungria
- 11 Out:
Liechtenstein – Portugal
13 de Outubro de 2015 | 19
QUALIDADE
SEM IGUAL
desporto
Europeu de futebol de 2016:
Novo golo de João Moutinho dá vitória a Portugal na Sérvia
Uma selecção portuguesa de ‘recurso’, com sete alterações,
venceu domingo em Belgrado a Sérvia, num jogo do grupo I de
apuramento para o Euro2016 de futebol em que João Moutinho
saiu do banco para fazer o 2-1.
A selecção lusa adiantou-se cedo no marcador, com um tento
de Nani logo aos cinco minutos, ainda permitiu que os sérvios
igualassem, aos 65, por Tosic, mas João Moutinho, aos 78, fez
o 2-1 e garantiu, a exemplo da
vitória de quinta-feira passada
sobre a Dinamarca, em que
marcou o único tento do encontro, o triunfo.
O seleccionador Fernando
Santos tinha dito que em causa
estava o nome de Portugal,
com o apuramento garantido
na quinta-feira (8), mas não
teve receio de fazer profundas
alterações, além daquelas que
seriam expectáveis.
Sem Cristiano Ronaldo,
Tiago, Ricardo Carvalho ou
Fábio Coentrão, o técnico
português arriscou e tirou
também do ‘onze’, em relação
aos titulares com a Dinamarca,
Cédric, João Moutinho e
Bernardo Silva.
De um jogo para o outro
mantiveram-se Rui Patrício, Bruno Alves, Danilo e Nani.
Em Belgrado, promoveu as entradas de Nelson Semedo, uma
estreia absoluta nos AA, José Fonte e Eliseu, para a defesa,
Miguel Veloso e André André, no meio-campo, e Quaresma e
Danny, na frente.
Coube aliás a Danny ser a peça-chave na vantagem madrugadora de Portugal, ao receber um cabeceamento de Bruno
Alves e arranjar espaço pelo meio para avançar entre os centrais
sérvios e rematar. O antigo guarda-redes do Sporting Stojkovic
não segurou essa bola, aos cinco minutos, e Nani, rápido, fez
o 1-0na recarga.
Sem fazer muito por isso, Portugal foi gerindo essa vantagem,
numa primeira parte em que a Sérvia procurou ter mais bola e
chegar junto da baliza de Rui Patrício, mas sempre sem grande
perigo, com exceção de um remate de Ljajic, aos 38 minutos.
Perto do intervalo, Danny viu amarelo, por protestos, por
falta sobre Matic, e Nani, alegadamente por palavras, também
foi advertido, o que deixará o extremo fora do primeiro jogo
do Euro2016.
No reatamento, apesar de um remate de Quaresma (57 minutos), foi a Sérvia a mostrar mais perigo, com lances próximos
da baliza de Patrício: Ljajic (53 minutos), Toši’ (remate frontal,
defesa de Rui Patrício) e Matic, de longe, por cima (61).
Com o meio-campo de Portugal a perder capacidade de
segurar a bola, o empate surgiu naturalmente por Zoran Tosi’,
aos 65 minutos.
O capitão Kolarov, no lado esquerdo, cruzou atrasado para
Zoran Tosi’, que apareceu na zona central a rematar, livre de
marcação, e sem hipóteses para Rui Patrício, num lance em
que os centrais Neto (entrou para o lugar de Bruno Alves, 46)
e Fonte acompanhavam o avançado Mitrovic.
Fernando Santos ‘serenou’ a equipa com a entrada de João
Moutinho (para o lugar de Miguel Veloso) e, após uma oportunidade para a Sérvia, em que Rui Patrício salvou com o pé
(73), seria Portugal a marcar.
A equipa portuguesa garantiu o pleno de vitórias (sete) sob
o comando de Fernando Santos, com João Moutinho – que já
marcara à Dinamarca (1-0) – a rematar em arco à entrada de
área, aos 78 minutos, após assistência de Eliseu.
Foi uma vantagem que ‘desequilibrou’ os sérvios: Kolarov,
que tinha sido substituído, fui expulso no banco, e Matic viu
cartão vermelho directo, o que deixou Portugal com o triunfo
praticamente seguro.
A vitória tem ainda o bónus de dar a Portugal um lugar privilegiado no ‘ranking’ da UEFA, fundamental para ser cabeça
de série no sorteio da fase final do Euro2016, em França.
Declarações:
Fernando Santos (seleccionador): “Esta vitória era a prenda
que queria para os meus anos. Foi um jogo muito difícil, em que
Europeu de futebol de 2017:
Portugal derrota Hungria e assume liderança
no grupo de qualificação dos sub-21
A selecção portuguesa de sub-21
ascendeu sexta-feira (9) à liderança do
grupo 4, repetindo o triunfo da primeira
jornada de qualificação rumo ao Europeu
de futebol de 2017, ao bater a Hungria por
2-0, num jogo disputado em Penafiel.
O ‘capitão’ Bruno Fernandes quebrou
a resistência dos húngaros aos 35 minutos, com um remate forte e colocado à
entrada da área, e Gonçalo Paciência,
já na segunda parte, aos 56, confirmou
o triunfo, a concluir uma jogada de
compêndio, que envolveu ainda Rony
Lopes, Bruma e Rafa.
O merecido triunfo dos vice-campeões
europeus em título peca até por escasso
e explica-se pela melhor qualidade dos
seus executantes, face a uma Hungria
forte fisicamente, que povoou o meiocampo e procurou fechar espaços nas
laterais, por onde Bruma e Iuri Medeiros
faziam estragos, mas revelando uma
claro défice de qualidade.
A excepção na equipa magiar chamase Kleinheisler e fez jus à camisola 10
que enverga, pertencendo-lhe o lance
mais perigoso da equipa em todo o jogo,
quando, aos 16 minutos, numa jogada
individual em diagonal, da direita para
o meio, deixou para trás três adversários
e errou por pouco a baliza de Bruno
Varela.
Esta ameaça ainda com o resultado
em branco fez despertar os comandados
de Rui Jorge, que neste dia alcançou o
18.º triunfo no comando dos sub-21,
que na primeira fase de jogo usaram e
abusaram dos lançamentos longos para os
extremos, acusando a falta de um Rony
Lopes mais em jogo, que fizesse a ligação
entre o meio-campo e o ataque.
Iuri Medeiros e Gonçalo Paciência
combinaram por duas vezes com perigo,
aos 18 e 34 minutos, mas o golo acabou
por não surgir, tal como já tinha acontecido num livre de Bruno Fernandes,
aos 27, que atirou directo quando todos
pensavam no centro para a área, obrigando o guarda-redes húngaro a uma
defesa de recurso.
Este lance foi um teste para o tento
inaugural, resultante de uma arrancada
de Cancelo pela direita, com o passe
para Bruma interceptado pela defesa
para a entrada da área, zona onde Bruno
Fernandes, na passada, ‘encheu’ o pé e
desfez a igualdade.
Antes do intervalo, Gonçalo Paciência
testou os reflexos de Gergely Navy, após
triangulação com Bruma.
Rui Jorge corrigiu posicionamentos ao
intervalo, fazendo recuar Rony, para organizar o jogo ofensivo, beneficiando do
trabalho de cobertura defensiva de Rúben
Neves e ainda de Bruno Fernandes, e os
resultados não se fizeram esperar.
Aos 56 minutos, o futebolista do
Mónaco arrancou do meio-campo em
velocidade, deixou vários adversários
pelo caminho, combinou com Bruma,
num lance em que Rafa também foi interveniente antes do esforçado Gonçalo
Paciência emendar o centro, estabelecendo o resultado final.
Até ao final, a Hungria, sem nunca
entregar os pontos, tentou mais não sofrer
mais golos do que reduzir a desvantagem,
face ao caudal de ataque de Portugal, com
o estreante Gonçalo Guedes, do Benfica,
a enviar ainda uma bola ao poste, num
dos últimos lances do jogo.
entrámos bem, a pressionar alto e roubar a bola, a criar situações
com mobilidade. Fizemos o golo com um desses roubos de
bola, era essa a estratégia que tínhamos montado.
Passámos a ter dificuldades por culpa própria, porque em
vez de controlar o jogo jogámos muita bola para trás. Nós é que
pusemos a Sérvia para cima, não foi possível ganhar a bola e
tivemos muitas dificuldades, mas a equipa trabalhou muito.
Tivemos dificuldades no meio campo, na frente também
não conseguimos segurar. Quando entrou o João Moutinho,
deu uma clarividência muito grande à equipa. Ele não tinha
condições para jogar de início, mas tinha para 20, 25 minutos.
O golo apareceu numa fase muito difícil para nós e permitiu
que tivéssemos mais posse de bola até ao final.
Agora, vamos procurar trabalhar mais opções antes do
Euro”.
Nani (jogador de Portugal, marcador do primeiro golo): “É
sempre bom marcar, estamos todos de parabéns. Cumprimos
mais um objectivo, terminar o grupo com sete vitórias consecutivas. O treinador trocou muitos jogadores e demos uma boa
resposta. Foi complicado, a Sérvia mostrou muita qualidade
no seu futebol.
Entrámos positivos no jogo, mas o início foi menos bom.
Soubemos dar uma boa resposta e fizemos história, com a
qualificação a ser feita desta maneira.”
João Moutinho (jogador de Portugal, marcador do segundo
golo): “Encarámos este jogo com a máxima seriedade, mesmo
sabendo que já estávamos apurados. Jogámos contra uma grande selecção, como é a Sérvia, e conseguimos fazer um grande
resultado e um bom jogo. Tive a felicidade de arriscar no golo,
de entrar no espaço correcto e na primeira vez que consegui um
espaço chutei. Estávamos a pressionar a equipa da Sérvia e o
Eliseu colocou muito bem a bola para o meu remate.”
Nelson Semedo (jogador de Portugal, estreia na selecção):
“Foi um sonho tornado realidade. Nunca tinha sido chamado
à selecção, nem mesmo nas camadas jovens. Entrámos bem
no jogo e conseguimos marcar cedo, mas, a partir do meio da
primeira parte, a Sérvia esteve melhor, a trocar bem a bola.
Não desistimos e continuámos a tentar pressionar e chegámos
mesmo à vitória.”
20 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
TEMPOS LIVRES
HORÓSCOPO
Cataplana de Tamboril
SEM IGUAL
PALAVRAS CRUZADAS
CARNEIRO 21 de Março a 20 de Abril
Amor: Tente ser mais positivo/a, não se revelando
sempre insatisfeito/a ou volúvel. Evite acusações
ou desconfianças. Finanças: Actue de forma convencional tanto nas questões sócio-profissionais
como nas económicas. Saúde: Período poderá ser
complicado na saúde.
TOURO 21 de Abril a 20 de Maio
Amor: Não conseguirá contornar obstáculos, e resolver diferenças existentes numa relação. Finanças:
Fragilidades da sua vida virão agora ao de cima e
de nada lhe vale não as assumir. Saúde: Podem surgir contrariedades que tendem a alterar muito o seu
sistema nervoso.
GÉMEOS 21 de Maio a 20 de Junho
Amor: Tenha atitudes coerentes; cumpra promessas feitas e mantenha-se fiel aos seus princípios.
Finanças: Faça todas as perguntas que achar por bem
fazer; acabará por ficar mais esclarecido/a. Saúde:
Pode sentir-se inexplicavelmente indisposto/a; faça
uma alimentação mais leve.
CARANGUEJO 21 de Junho a 22 de Julho
Amor: Saberá tomar as melhores decisões e acabar com restrições ou entraves à sua liberdade.
Finanças: Está com força suficiente para iniciar
uma nova fase, pondo mesmo o passado para trás
das costas. Saúde: Necessita de alterar alguns hábitos; faça uma vida mais saudável.
LEÃO 22 de Julho a 22 de Agosto
Amor: Não deixe que interfiram na sua vida; os seus
sentimentos devem ser levados em frente. Finanças:
Sabe exactamente qual o rumo que deve seguir, só
tem de mostrar acção e convicção. Saúde: Não se
desvie dos seus propósitos; tratamentos e terapias
devem ser levados até ao fim.
VIRGEM 23 de Agosto a 22 de Setembro
Amor: Não continue conversas ou comportamentos
que trazem instabilidade; procure novas situações.
Finanças: Uma situação precária tende a acabar; a
partir deste momento pode saber melhor com o que
conta. Saúde: Pequenos problemas podem surgir
nomeadamente algumas lesões podem acontecer.
IngredienteS:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
8 pedaços de tamboril com 50 g cada
1/2 kg de batatas
1/2 kg de cebolas
1/2 kg de tomate
1 pimento verde
11/2 dl de azeite
125 g de miolo de mexilhão
125 g de miolo de berbigão
150 g de camarão
500 g de amêijoas com conchas
80 g de presunto
50 g de linguiça
2 dentes de alho
1 copo de vinho branco
sal
piripiri
salsa
coentros
CONFECÇÃO:
Picar a cebola, o alho e metade dos coentros. Cortar em
cubos os tomates, pimento
verde, o presunto e a linguiça.
Numa caçarola levar a refogar em lume brando com o azeite.
Colocar o refogado no fundo da Cataplana, sobrepor o tamboril, as amêijoas, os camarões e os coentros. Espalhar o miolo do
mexilhão e o berbigão. Deitar o vinho branco.
Fechar a Cataplana e deixar cozinhar durante 15 minutos em
lume médio, rodando ligeiramente a Cataplana de vez em quando. Abrir a Cataplana na mesa.
Acompanhar com pão caseiro e vinho branco bem fresco.
Horizontais: 1- Filósofo grego, patrão; 2- Liame, andar;
3- Colocar abas, meio ente; 4- Aquele que viu; 5- Brisa,
a primeira mulher, Jobim; 6- Localidade, dica; 7- Manda,
Ana confusa; 8- Romanos, despido (inv.); 9- Punhado, sarilho (inv.); 10- Angústias, braço de mar (inv.).
VERTICAIS: 1- Acordo; 2- Desobrigar, meia anta; 3- Nome
de letra (pi.), rancores; 4- Nome de uma receita de culinária, vogais; 5- Aqui (inv.), avião (inv.), em partes iguais; 6Contr. (inv.), carta geográfica, as pontas do dois; 7- Vogais;
8- Penetra; 9- Natural do Minho, romanos; 10- Letra grega
(inv.), assim seja, aparência.
ONDE ESTÃO AS DIFERENÇAS
Estes dois desenhos parecem iguais. Na realidade, existem pelo
menos 6 diferenças entre eles. É um teste à sua capacidade de
observação. Descubra-as.
BALANÇA 23 de Setembro a 22 de Outubro
Amor: Período de bons entendimentos e melhorias
sentimentais; faça algumas cedências. Finanças:
As situações profissionais tendem a desenvolverse dentro dos parâmetros esperados; promoções ou
mudanças não serão oportunos. Saúde: Desenvolva
mais cuidados com a sua pele.
www.voicenews.ca
ESCORPIÃO 23 de Outubro a 21 de Novembro
Amor: A conjuntura potencia o aparecimento de
pequenos problemas; o amor sairá reforçado pela
forma como conseguirá lidar com os assuntos.
Finanças: Podem repetir-se situações de tensão ou
alguns atrasos; não baixe braços. Saúde: Neste sector está mais fragilizado; procure poupar energias.
SAGITÁRIO 22 de Novembro a 21 de Dezembro
Amor: São possíveis bons entendimentos; uma surpresa pode ser muito agradável. Finanças: Tudo vai
correr bem se actuar dentro de todas as regras e
com pulso firme. Uma viagem será bem sucedida.
Saúde: As pernas poderão ser indicadores de cansaço; reduza o ritmo de vida.
CAPRICÓRNIO 22 de Dezembro a 19 de Janeiro
Amor: Neste momento está muito inquieto/a o que
pode levá-lo/a a actos dominados em exclusivo pela
emoção. Finanças: Conduza os assuntos com determinação para que os resultados não se percam.
Saúde: Controle melhor o seu peso mas tente fazêlo de forma saudável.
AQUÁRIO 20 de Janeiro a 18 de Fevereiro
ANEDOTAS
Amor: Dê espaço à pessoa de quem gosta e não se
torne obsessivo/a; deve aprofundar laços afectivos.
Finanças: Organize bem o seu dia-a-dia; algumas
tarefas não devem nem podem ser adiadas. Saúde:
Tome atenção a problemas circulatórios; preste
atenção a pequenos derrames.
Discussão entre um casal,
à beira de se casarem.
Diz ele:
- E tu pensas, meu amor,
que, depois de casarmos,
poderás viver só com o
meu ordenado?
Responde ela:
- Eu posso! Terás é de
arranjar outro para ti…
PEIXES 19 de Fevereiro a 20 de Março
Amor: Se está pesado/a e desmotivado/a é agora a
altura ideal de dar uma volta à sua vida. Finanças:
Seja um pouco actor para conseguir perceber as
intenções dos outros sem revelar as suas. Saúde:
Terá boas energias; o momento é estável e de boa
disposição.
HORIZONTAIS: 1- Platão, amo; 2- Ligação, ir; 3- Abar, en; 4- Testemunha; 5- Ar,
Eva, Tom; 6- Fão, aparte; 7- Ordena, aan; 8-Il, un; 9- Mão, adahla; 10- Ânsias, air.
VERTICAIS: 1- Plataforma; 2- Liberar, an; 3- Agás, ódios; 4- Tarte, eí; 5- Ac, evan, aa;
6- Oa, mapa, ds; 7- Ua; 8- Entranha; 9- Minhota, LI; 10- Or, amén, ar.
SOLUÇÕES DAS PALAVRAS CRUZADAS
- Maria Gabriela Llansol (1931), escritora portuguesa
SOLUÇÕES DAS DIFERENÇAS
“Num país tão seco e caótico, a
linguagem quebra-se contra altas
vedações e barreiras.”
Lata mais pequena | Vaso mudou de posição | Um dos botões desapareceu |
Candeeiro mais pequeno | Homem tem menos cabelo | Móvel da televisão diferente
Pensamento da Semana
SOLUÇÕES PASSATEMPOS
Numa roda de amigos,
observa um:
- Ó Luís, tens estado para
aí muito pensativo! Algum
problema?
O amigo:
- Estou a pensar no
dinheiro gasto com a
boda do meu casamento.
Ele agora dava-me muito
jeito…
O outro:
- Algum negócio?
O amigo:
- Não! Despesas de
divórcio…
Um bêbado morre e vai
para o Inferno. Chegado
lá, encontra o Diabo e
pergunta-lhe:
- Onde é que param as
mulheres?
- Mulheres?! – Exclama
o Diabo – Aqui não há
mulheres!
E diz o bêbado:
- Olha… olha… Não há
mulheres!!! Vais-me dizer
que esses cornos saíram-te
numa rifa, não?!
13 de Outubro de 2015 | 21
QUALIDADE
SEM IGUAL
CLASSIFICADOS | EVENTOS
ORAÇÕES
ORAÇÃO AO DIVINO ESPÍRITO SANTO
Ó Divino Espírito Santo! Vós que esclareceis tudo, que iluminais todos os meus caminhos para que eu possa atingir a felicidade; Vós que me concedeis o sublime dom de perdoar e
esquecer as ofensas e até o mal que me têm feito. A vós que
estais comigo em todos os instantes, eu quero humildemente
agradecer por tudo o que tenho e que sou e confirmar uma vez
mais a minha intenção de nunca me afastar de vós, por maiores
que sejam a ilusão, ou as tentações materiais, com a esperança
de um dia merecer e poder juntar-me a Vós e a todos os meus
irmãos, na perpétua glória e paz. Amém. Obrigado mais uma
vez. (Rezar um Pai Nosso e uma Avé-Maria.) Obrigado pela
graça recebida. (A pessoa deverá rezar esta oração por três dias
seguidos, sem dizer o pedido. Dentro de três dias será alcançada a graça, por mais difícil que seja. Publicar a oração assim
que receber a graça.)
– D.J.
ORAÇÃO DOS AFLITOS
Aflita se viu a Virgem Maria aos pés da Cruz, aflita me vejo eu,
valei-me Mãe de Jesus. Confio em Deus com todas as minhas
forças, por isso peço que ilumine os meus caminhos, concedendo-me a graça que tanto desejo. Faça o pedido, mande publicar
no terceiro dia, aguarde o que acontecerá no quarto dia. - S.P.
www.voicenews.ca
CLUBES & ASSOCIAÇÕES
ACADEMIA DO BACALHAU DE TORONTO
289 Dundas Street East, Unit 7, Mississauga. Tel.: 905-281-2000
Sábado, 17 de Outubro: Jantar Anual de Gala de angariação de fundos para
“Autism Services Waterloo Region”, às 18h00, no Clube Português de Kitchener. Actuação de Mário Marinho e música com Atlantic DJ. Informações:
416-254-7060, 416-279-0100, 416-414-9186, 416-830-4610, 519-748-6191
ou 519-570-1506.
AMOR DA PÁTRIA
1136 College Street, Toronto. Tel.: 416-535-2696
Sábado, 24 de Outubro: Baile das Vindimas e Apresentação dos novos
corpos Administrativos, às 18h30. Música com “The Ritz Musical Group”.
Informações: 905-274-9488 ou 416-782-1087.
ARSENAL DO MINHO OF TORONTO - S.C.B.
1166 Dundas Street West, Toronto. Tel.: 416-532-2328
Sábado, 17 de Outubro: Festival de Folclore. Informações: 416-841-6679
ou 416-841-1676 ou 416-532-2328.
ASAS DO ATLÂNTICO S.S. CLUB
1573 Bloor St West, Toronto. Tel.: 416-531-7771
Sábado, 17 de Outubro: Festa das Vindimas, às 19h00. Música com Paradise.
Informações: 416-532-8154, 647-771-4818 ou 416-457-4135.
CASA DA MADEIRA COMMUNITY CENTRE
1621 Dupont Street West, Toronto. Tel.: 416-533-2401
Sábado, 17 de Outubro: Children’s Fall Festival, às10h00, no Madeira Park
(24120 ON Hwy 48, Baldwin). Música a cargo de Paulinha Meira. Sábado, 24
de Outubro: Festa de Halloween, às 18h00. Música com M.A.N Entertainment.
Haverá prémios para os melhores mascarados. Informações: 416-795-7553
CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DE MISSISSAUGA
53 Queen Street Norte, Mississauga.Tel: 905-286-1311
Sábado, 17 de Outubro: Aniversário do Rancho Folclórico do CCPM.
Actuações do conjunto Alem Mar e do Rancho Folclórico “Os Tradicionais”
do Clube Português de London, Ontario.
CONSULADO GERAL DE PORTUGAL EM TORONTO
438 University Avenue, 14th floor, Toronto. Tel.: 416-217-0966 ext. 227
De 19 a 24 de Outubro: 3.ª Semana Ibero-Americana da Saúde, com a adesão
de cerca de 30 profissionais disponíveis para oferecer consultas gratuitas e
participar em palestras com foco na saúde preventiva.
FRIENDS FOREVER
Sábado, 17 de Outubro: 8.º Jantar para angariação de Fundos para o Hospital
Princess Margaret. Informações: 416-818-5710 ou 416-587-5436.
LUSO CANADIAN CHARITABLE SOCIETY
2295 St. Clair Avenue West, Toronto. Tel.: 416-761-9761
Sábado, 24 de Outubro: Jantar de Gala Anual de Angariação de Fundos para
o Centro, no Le Treport Banquet Hall (1075 Queensway E., Mississauga), às
18h00. Informações: 416-761-9761 ext. 201.
OPERÁRIO SPORTS CLUBE OF TORONTO
1136 College Street. Tel.: 416-720-0731
Sábado, 24 de Outubro: Jantar de Gala, no Oasis Convention (1036 Lakeshore
Rd. E.), às 18h00. Actuação de Allan Castro. Som a cargo de Nova Moda Entertainment. Informações: 905-891-7777,416-795-9774 ou 416-439-2311.
PORTUGUESE CULTURAL CLUB OF VAUGHAN
Sábado, 17 de Outubro: Aniversário dos Ranchos Folclóricos, no salão da
LIUNA Local 183, às 17h30. Actuações dos RF “As Estrelas” e “Os Antigos”
do PCCV. Música com o conjunto Sagres. Informações: 416-319-7545.
REAL CANADIAN PORTUGUESE HISTORICAL MUSEUM
Concurso “Ser Português” para estudantes entre os 8 e os 22 anos. Enviar um
vídeo com a duração de 5 minutos que fale sobre a chegada ao Canadá, a árvore
genealógica da família ou a origem da sua organização favorita no Canadá.
Explica como as tuas origens Luso Portuguesas influenciaram a tua maneira de
ser e modo de vida e o impacto tido na vida de outras pessoas. Enviar o vídeo
até dia 25 de Outubro por email: info@realcphmuseum.ca ou por correio: 44
Atomic Ave. Etobicoke, Ontario M8Z 5L1. Informações: 647-993-6876
ALUGA-SE |
FOR RENT (Residential)
KEELE & ROGERS
Apartamento na cave aluga-se, todo renovado, com
1 quarto e 2 entradas (uma à frente e outra a atrás).
1406-07
Contactar John Delima: 416-402-2677
JANE & WESTON RD. – One bedroom basement
apartment. Close to coin laundry, street parking. Utilities
1407
included. Please call: 416-220-9201
COMPRA-SE/VENDE-SE |
BUY/SELL (Misc.)
EQUIPAMENTO de bricklayer para venda
Composto por forklift marca Load-Lifter (4 weels), misturador de cimento, 2 serras de cortar cimento, 2 caixas
para cimento, 1 caixa para recolha de lixo, 100 andaimes e todo o material relacionado com andaimes. Todo
o material está localizado em Sandford. Favor contactar:
1407-08
905-431-9443
PRECISA-SE |
HELP WANTED
COMPANHIA ligada à construção civil procura condutores com carta AZ, com companhia própria. Companhia
1404-07
dá treino. Favor contactar: 416-409-2961
EXPERIENCED landscapers and general labours needed. Must have own transport. Please call (leave a message): 647-430-9356 or e-mail: a1landscaping@bellnet.ca
PESSOAS com experiência de jardinagem e trabalho geral precisam-se. Têm que ter transporte próprio.
Contactar (deixar mensagem): 647-430-9356 ou e-mail:
1405-08
a1landscaping@bellnet.ca
CARPINTEIRO PARA FÁBRICA de cozinhas precisa-se, com pelo menos 2 anos de experiência e carta de
condução válida. Começar de imediato. Favor contactar:
1406-09
416-356-2212
SENHORAS precisam-se para limpeza de casas, durante
o dia. $13.00/hora. Têm que ter cartão de trabalho e carta
de condução canadiana. Para mais informações é favor
1406-07
contactar: 416-781-5324
COMPANHIA de restauração de prédios precisa de trabalhadores com experiência em swingstage. Favor contactar Danny: 416-616-1575 ou Rogério:
1407
905-872-5379
CARPENTERS WANTED – Skilled, Hardworking
& Reliable? Work with us! Must have experience
and a driver’s licence! Apply to Doors & Trim Corp.:
doorstrimcorp@gmail.com or call: 416-747-8746 1407-08
CLEANING lady wanted to clean our house every 2
weeks. Must have own transportation to Mississauga and
1407
like pets. Call: 416-200-1944
MOTORISTAS precisam-se com carta de condução
G válida, de segunda a sexta-feira, das 7h00 ao meio
dia. Ideal para pessoa reformada ou semi-reformada.
Para mais informações visite-nos no 1444 Dupont Street,
1407
unidade 25, em Toronto.
Director: Vasco M. C. Evaristo
PORTUGUESE-CANADIAN NEWSPAPER
Weekly Newspaper | Jornal Semanário
Published, owned and operated by:
VOICE PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER PUBLISHING INC.
Contributing Writers/Corpo Redactorial: Alexandra Faria, Alice
Perinú, António Perinú, Fátima Martins, Francisco G. Amorim, Hélio B.
Lopes, Humberto P. da Silva, Isabel Alves, Joaquim F. António, Manuel
Fernandes, Mário Saturno, Noémia Gomes, Vasco M. C. Evaristo
Todo o trabalho literário e de arte gráfica neste jornal é da pertença
exclusiva de Voice newspaper o qual se reserva todos os direitos de autor.
Publications Mail Registration No. 7333
O Jornal Voice declina toda a adesão ideológica, política e responsabilidades legais. Assim, todos os artigos (opiniões emitidas e
teses expostas) serão sempre e exclusivamente da inteira responsabilidade dos seus signatários, não reflectindo necessariamente as
ideias deste jornal. Contudo, o Jornal Voice reserva-se o direito
de não publicar textos (ou omitir trechos de textos) que possam,
de qualquer forma, ferir intencionalmente a integridade moral de
quem quer que seja e ainda de dar ou não resposta às opiniões
emitidas.
977 College Street – Toronto, ON M6H 1A6 | T: 416 534-3177 | F: 416 588-6441 | E-mail: voice@voicenews.ca | www.voicenews.ca
22 | 13 de Outubro de 2015
QUALIDADE
saúde e ciência
Especialistas debatem em Gaia como ajudar
amputados a não desistir dos seus sonhos
A Associação Nacional de
Amputados vai reunir, em Vila
Nova de Gaia, especialistas de
várias áreas com o objectivo de
“fazer com que os amputados
não desistam dos seus sonhos
e aprendam a viver com a sua
condição física”.
A sócia fundadora e presidente da associação, Paula
Leite, disse à Lusa que a
conferência “O amputado,
novas etapas, novos rumos,
nova vida” vai realizar-se no
próximo dia 17, para responder a questões como “O que
fazer perante uma amputação?
Continua a existir vida? Como
fica a vida?”.
“A acção vai valorizar todas
as etapas pelas quais a pessoa
amputada deveria passar,
desde a recém-amputação até
à reintegração na sociedade”,
afirmou.
Será discutida “a importância do voluntariado específico,
logo no hospital, a ajuda
imprescindível do psicólogo,
o saber do médico fisiatra e a
minuciosidade do fisioterapeuta e do ortoprotésico no
aconselhamento dos produtos
de apoio e a utilidade dos
mesmos para a sua qualidade
de vida”.
Abordar-se-á também “a
relevância da reabilitação psicossocial e profissional, como
apoio para a reintegração
familiar, social e profissional
dos amputados”.
“Temos de tirar as pessoas
amputadas de casa e mudar
mentalidades, criando um
colectivo de aceitação, não só
social, como focada num objectivo ‘eu próprio me aceitar’.
Romper barreiras, valores,
desbravar caminhos para a
felicidade, abrir horizontes e
afirmar a qualidade de vida”,
defendeu Paula Leite.
A conferência pretende
também “informar e sensibilizar a classe médica” para
a importância que todas as
etapas têm no futuro do amputado.
“É de extrema importância
que a classe médica entenda
que o recém-amputado tem de
se reinventar para sobreviver
na sua nova condição e para
isso tem de ter acompanhamento especializado e faseado
para que o seu futuro e a sua
mobilidade sejam o melhor
possível”, disse Paula Leite.
Paula Leite foi amputada
há oito anos, na sequência de
um acidente de viação e, desde
então, foi-se apercebendo das
“várias lacunas” que existem,
tendo, por essa razão, decidido
avançar com a criação desta
associação.
“Ainda no seio hospitalar
senti uma falta de apoio moral
muito grande, falta de apoio
psicológico e de apoios técnicos, quando saí do hospital.
Muitas vezes tive de procurar
ajuda na internet porque não
há ninguém que nos ajude
nesse sentido. Decidi, ao fim
de oito anos de amputação, que
tinha que fazer alguma coisa
para ajudar pessoas que estão
a viver a mesma situação que
eu”, explicou, em declarações
à Lusa.
A presidente da ANAMP
pretende “ajudar as pessoas
amputadas que sentem algum
pudor de sair à rua, de conviverem, de serem empreendedoras e de quererem ter um
emprego”.
“Como eu decidi, ao fim
de seis meses de amputação,
aceitar-me, para viver e ser
feliz, acho que tenho por
obrigação fazer alguma coisa
para ajudar essas pessoas,
tentar mudar mentalidades e
ajudar”, frisou.
Paula Leite foi amputada aos 34 anos. O acidente
aconteceu quando colocava a
sinalização de avaria do seu
carro. Foi atropelada e esteve
hospitalizada durante quatro
meses.
A ANAMP é uma associação sem fins lucrativos criada
em Dezembro de 2014 e que
neste momento está na fase
de angariação de sócios e de
parceiros com vista à oferta de
serviços específicos dirigidos
aos amputados e familiares/
amigos.
Elefantes raramente têm cancro devido
aos seus genes, revela estudo
Apesar de terem mais células do que os
humanos, os elefantes raramente têm cancro,
devido aos seus genes, concluíram cientistas,
num estudo publicado na revista Journal of
the American Medical Association.
Segundo a investigação, os elefantes africanos têm cerca de 40 cópias do gene que
codifica a proteína p53, que inibe a formação
de tumores, enquanto os humanos possuem
apenas duas cópias.
Os investigadores esperam que a descoberta possa conduzir ao desenvolvimento
de novos tratamentos contra o cancro nos
humanos.
Cientistas de três centros de investigação
norte-americanos testaram a resistência do
elefante ao cancro extraindo células de glóbulos brancos do sangue, sujeito a substâncias
que lesionam o ADN (material genético).
As células danificadas do sistema imunitário reagiram “suicidando-se” sob a acção
da proteína p53.
Os elefantes têm sido vistos como um
mistério, uma vez que têm cem vezes mais
células do que as pessoas, o que significaria
um risco acrescido de terem cancro.
Os elefantes vivem em média entre 50
a 70 anos.
SEM IGUAL
Reparação de ADN é fundamental
para prevenção e tratamento de
cancro, destacam peritos
Os estudos dos mecanismos reparadores
do ADN, que valeram, dia 7, o Prémio Nobel
da Química a três cientistas estrangeiros, são
fundamentais para a prevenção e o tratamento
do cancro, realçaram especialistas portugueses ouvidos pela agência Lusa.
“As lesões no ADN são, provavelmente,
a causa mais comum de cancro. Se não
tivéssemos esta capacidade de reparar o
ADN, o que teríamos era cancro por todo
o corpo, tumores a aparecerem em todas as
partes do corpo”, assinalou o investigador
Sérgio Almeida, do Instituto de Medicina
Molecular de Lisboa.
As pessoas que “têm mutações nalguns
dos genes que estão envolvidos nos mecanismos” de reparação da informação
genética “desenvolvem cancro com muita
frequência”, sublinhou.
O investigador esclareceu que as células
“dispõem de várias estratégias para reparar
diferentes tipos de lesões que afectam o
ADN”, permitindo prevenir a acumulação
de mutações ou erros genéticos que podem
levar ao aparecimento de cancro.
Sérgio Almeida, também professor na
Faculdade de Medicina da Universidade de
Lisboa, compara os mecanismos de reparação
do material genético existentes nas células a
uma caixa de ferramentas, em que a chave
de fendas, o alicate ou o martelo são usados
consoante o tipo de falha a consertar.
Se a reparação do ADN previne o aparecimento de cancro, também ajuda no seu
tratamento.
O investigador explicou que a quimioterapia introduz danos no ADN que, depois, “a
célula cancerígena não tem capacidade para
reparar”, não lhe restando outra alternativa
senão morrer.
Pedro Baptista, professor no Departamento
de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências
e Tecnologia da Universidade Nova de
Lisboa, sustentou que a compreensão dos
mecanismos que estão na origem dos erros
genéticos pode ajudar na prevenção, por
exemplo do cancro da pele.
“O excesso de radiação ultravioleta
leva à formação de alterações químicas no
ADN. Se evitarmos a exposição ao Sol e
se a alimentação for rica em antioxidantes,
conseguimos diminuir a probabilidade de
acontecer estes erros, estamos a ajudar estes
mecanismos de reparação a manter o texto
[ADN] sem erros”, afirmou.
O docente compara o ADN a um livro de
instruções, neste caso para as células. As
letras são os genes, sendo que os mecanismos de reparação do ADN funcionam como
corretores ortográficos.
“A célula tenta corrigir o erro, substituir
a letra por uma igual ou por outra que tenha
significado, ou usar uma parte do restante
texto que esteja correcto”, ilustrou.
Para Pedro Baptista, “conhecer estes
mecanismos de reparação, e conhecer
os processos que os desencadeiam,
permite desenvolver novos alvos terapêuticos”.
A Real Academia Sueca das Ciências
distinguiu neste dia com o Prémio Nobel da
Química os investigadores Thomas Lindalh,
Paul Modrich e Aziz Sancar pelos estudos
dos mecanismos que permitem a reparação
de ADN.
Os três investigadores, de acordo com
o Comité Nobel, conseguiram mapear, a
nível molecular, a forma como reparar as
células danificadas, permitindo também
salvaguardar a informação genética.
Investigação da Universidade do
Porto propõe novo tratamento para
doença da próstata
A investigadora da
Universidade do Porto Isabel
Silva foi premiada com um
trabalho que propõe um novo
mecanismo para o tratamento
da hiperactividade vesical
em homens com hiperplasia
benigna da próstata, anunciou no passado dia 7 fonte
académica.
Isabel Silva, estudante do Programa Doutoral
em Ciências Biomédicas
do Instituto de Ciências
Biomédicas Abel Salazar
(ICBAS), foi distinguida
com o prémio da “Melhor
Comunicação-Painel em
Investigação Clínica” apresentada na Reunião Mundial
da International Society for
Autonomic Neuroscience
(ISAN), uma sociedade científica composta por investigadores especializados no
estudo do Sistema Nervoso
Autónomo.
Em comunicado, a
Universidade do Porto esclarece que este mecanismo,
pela primeira vez descrito e
com aplicabilidade prática,
originará o desenvolvimento
de um futuro medicamento.
A hiperplasia prostática
benigna, frequente em ho-
mens com mais de 50 anos,
pode provocar estreitamento
da uretra e dificultar o fluxo
da urina. Como a bexiga não
se despeja por completo em
cada micção, tem de urinar
com maior frequência, sobretudo à noite (nictúria) e a
necessidade torna-se cada vez
mais imperiosa.
Intitulado “Blockage of
UDP-sensitive P2Y6 receptors as a novel therapeutic
strategy to control urine storage symptoms in men with
bladder outlet obstruction”,
o estudo apresentado pela
investigadora portuense foi
realizado no âmbito da colaboração entre o Laboratório de
Farmacologia e Neurobiologia
do ICBAS, o Centro para a
Descoberta de Fármacos e
Medicamentos Inovadores
(MedInUP) do ICBAS e
o Serviço de Urologia do
Centro Hospitalar do Porto
(CHP).
De acordo com a
Universidade do Porto, a
curto/médio prazo o foco
principal deste trabalho, já publicado na revista Autonomic
Neuroscience: Basic and
Clinical, é conseguir tratar
a sintomatologia urinária
persistente associada à irritabilidade da bexiga (mesmo
após a remoção cirúrgica
da próstata) com uma nova
classe de medicamentos
inovadores, eventualmente
mais eficazes e com menos
efeitos adversos que os usados
habitualmente, cujo sucesso
tem sido limitado devido aos
seus efeitos adversos.
O trabalho de Isabel Silva
esteve a concurso com mais
de 300 comunicações provenientes de mais de 30 países, incluindo outras quatro
comunicações do grupo de
investigação liderado por
Paulo Correia de Sá.
Os congressos da ISAN são
reuniões de âmbito mundial.
A edição deste ano decorreu
em Stresa (Itália) entre os dias
26 e 29 de Setembro e contou
com a colaboração/patrocínio
reforçados das Sociedades
Europeia, Federation
of European Autonomic
Societies (EFAS), Americana,
American Autonomic Society
(AAS), e Japonesa, Japan
Society of Neurovegetative
Research (JSNR), de neurociências autonómicas, que
são as mais prestigiadas neste
âmbito do conhecimento.
13 de Outubro de 2015 | 23
QUALIDADE
SEM IGUAL
24 | 13 de Outubro de 2015
tesouros nacionais
QUALIDADE
SEM IGUAL
Minderico, língua ameaçada de
Minde, convidada a integrar
Inventário de Património Cultural
A Direcção Geral do Património Cultural desafiou o
Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento Linguístico
e Social (CIDLeS) a registar as tradições orais veiculadas
pelo minderico, língua ameaçada falada em Minde, concelho de Alcanena, no Inventário Nacional do Património
Cultural Imaterial.
A presidente do CIDLeS, Vera Ferreira, disse à Lusa
que o desafio surgiu de um contacto realizado com a direcção geral no sentido de este organismo estatal divulgar
e promover a campanha de ‘crowdfounding’ (angariação
de fundos através da Internet) que o centro está a promover até 15 de Outubro para garantir a continuidade
do projecto de revitalização do minderico, iniciado nas
escolas em 2012.
Em resposta, a direcção geral condicionou o apoio à
campanha ao compromisso do CIDLeS em promover o
registo das tradições orais veiculadas pelo minderico no
Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial,
por ser “fundamental para a sua valorização pública” e
para a missão de “salvaguarda do património imaterial a
nível nacional”.
Para o organismo estatal, o trabalho que o CIDLeS tem
vindo a realizar para a valorização do minderico facilita o
registo no inventário, disse a investigadora.
Outra condição colocada para que a campanha que
o CIDLeS tem a decorrer tenha o apoio da DGPC é a
integração, nas medidas educativas e didácticas para a
valorização do minderico, de fichas das tradições orais com
recurso à base de dados do Património Cultural Imaterial,
da responsabilidade das direcções gerais do Património
Cultural e da Educação.
Essas fichas devem ser elaboradas pela comunidade
escolar de Minde no ano lectivo 2015/2016.
Vera Ferreira realçou a importância do apoio da Direcção
Geral do Património Cultural na divulgação da campanha
que está em curso na plataforma Hubbub - https://hubbub.
net/p/minderico - e que corre o risco de não se concretizar
caso não seja atingido, até 15 de Outubro, o valor mínimo de 8.900 euros (desde 13 de Agosto e até hoje foram
doados 1.300 euros).
“Não é preciso muito. Basta doar um euro, cinco euros,
o que for. Por um euro podemos ficar sem a totalidade da
verba”, disse à Lusa.
Vera Ferreira é linguista e docente de documentação linguística e línguas ameaçadas na Universidade de Munique
(onde fez o doutoramento), tendo fundado o CIDLeS, com
outros investigadores de diversas áreas, para a documentação, estudo, promoção e revitalização de línguas ameaçadas
na Europa e para o desenvolvimento de tecnologias da
linguagem para línguas sem recursos.
O minderico, reconhecida internacionalmente em Maio
de 2011 como uma língua individual autónoma e viva (de
um socioleto surgido no século XVII entre cardadores e
comerciantes das mantas de Minde generalizou-se à comunidade e complexificou-se), foi uma das primeiras línguas
trabalhadas pelo CIDLeS, que tem a sua sede em Minde.
Com o financiamento da campanha em curso, o CIDLeS
assegurará uma aula por semana a cada um dos quatro anos
do primeiro ciclo, criará o manual de apoio às aulas e dará
formação a professores.
Download

Santoinho 2015 em Toronto