CAINDR - Comissão da Amazônia, Integração e de Desenvolvimento Regional
CTD - Comissão de Turismo e Desporto
O TRANSPORTE AÉREO
NA
AMAZÔNIA
- O Passado, o Presente e a Visão Perspectiva dos Aeronautas -
UMA AFIRMAÇÃO
O Sindicato Nacional dos Aeronautas sempre advogou pela
criação de Políticas Públicas para o transporte aéreo do país,
especialmente para as regiões mais carentes de acessibilidade e
apoio sócio-financeiro-cultural, alertando, ao longo do tempo,
vários Governos da urgência de ações desta natureza.
A Aviação Civil, no entender do SNA, tem papel importante no
desenvolvimento regional da Amazônia, no oferecimento de
condições para a socialização dos benefícios que o Estado e os
investimentos privados podem proporcionar às populações da
região e na criação de novos empregos.
O PASSADO
A ausência histórica de uma Política Pública definida para o
transporte aéreo do país sempre fez com que as autoridades
tivessem uma visão deturpada da necessidade de se incentivar a
regionalização da Aviação Civil no país. Ao longo do tempo, isto
dificultou a atração de novos investimentos e geração de novos
empregos na região Amazônica e não incentivou o estudo de
uma vascularização apropriada da malha aeroviária brasileira,
de tal forma que hoje não há acessibilidade a este modal de
transporte por parte das populações mais afastadas dos
grandes centros urbanos, além da falta de um intercâmbio
produtivo da Amazônia com outras regiões do país que já têm
economias consolidadas.
O PRESENTE I
A Amazônia, por encontrar-se em patamar intermediário no
que se refere ao impacto econômico no PIB do país, nunca foi
prioridade quando da formulação de HUB’s aeroportuários
(Centros Distribuidores de Vôos Comerciais) pelas autoridades
aeronáuticas. Isto não ocorreu nem mesmo no período áureo da
Zona Franca de Manaus.
Esta situação, somada à característica geográfica da região, que
dificulta a preparação adequada das infra-estruturas
aeroportuária e de navegação aérea, encarece e as vezes
impossibilita a acessibilidade dos aviões comerciais.
O PRESENTE II
É fato que a Amazônia nunca teve um apelo turístico tão
significativo como nos tempos atuais, considerando-se a
energia ora canalizada pelos povos para as questões de
caráter ambiental.
Isto tem facilitado a criação e aprovação de projetos de
investimentos em áreas que demandam conservação do seu
patrimônio natural, com apoio financeiro e supervisão da
comunidade internacional.
VISÃO PERSPECTIVA DO SNA
A criação de um HUB Caribenho/Norte-americano em
Manaus que possibilite acesso à Região Norte do país de
usuários estrangeiros do transporte aéreo internacional que
estejam a uma distância máxima equivalente a um vôo de
Manaus a Miami, e vice-versa.
Isto proporcionaria também aos passageiros dessa região
do país acesso ao Caribe (incluindo o Colombiano e
Venezuelano) e aos EUA, sem terem que viajar para a
Região Sudeste do Brasil.
Miami
Cancun
Manaus
ANÁLISE DE CONDIÇÕES ESPECÍFICAS
• Considerar a receita proveniente do PL – 7199/2002 (1%) como fator para o
equilíbrio financeiro das operadoras regionais, para o equilíbrio sócio-econômico
das regiões atendidas, para a priorização do investimento em infra-estrutura
aeroportuária e de navegação aérea e para a formação de recursos humanos
regionais para atender as exigências do transporte aéreo (inclusive internacional);
• Criação de mecanismos eficazes de controle da Aviação Regional como parte de
uma Política Nacional de Transporte Aéreo auto-sustentada;
• Qualquer tipo de investimento deve preservar empregos para os cidadãos
brasileiros;
• Deve-se estudar a possibilidade do uso de aeronaves brasileiras no
empreendimento (EMB – 190);
• A rede hoteleira amazônica deve ser preparada para fazer frente à nova demanda
turística;
• Deve-se estudar a criação de corredores específicos no espaço aéreo caribenho
para agilizar a nova circulação de aeronaves;
• Deve-se considerar a realização de parcerias público-privadas (PPP);
• Deve-se estudar a possibilidade do uso do direito de liberdade da aviação intl.
A ATIVIDADE AÉREA FOI FEITA PARA SER
PENSADA NO FUTURO.
O PASSADO EM AVIAÇÃO É PARA SER LEMBRADO
COMO PERÍODO HISTÓRICO.
O DINAMISMO DO SETOR AÉREO É TÃO
INTENSO QUE PODEMOS ESTAR VIVENDO O
ATRASO NO PRESENTE, PELO SIMPLES FATO DE
NOS FALTAR UMA VISÃO INOVADORA DE
FUTURO.
A AVIAÇÃO EXIGE MODERNIDADE E SÓ
ALCANÇAMOS TAL ESTÁGIO ESTANDO, NO
MÍNIMO, DEZ ANOS A FRENTE DA ATUALIDADE.
GRATO PELA ATENÇÃO
WEB
www.aeronautas.org.br
Emails Institucional
presidencia@aeronautas.org.br
safety@aeronautas.org.br
Email Pessoal
celio.eugenio@gmail.com
Download

Slide 1