31
QUARTA-FEIRA, 23 DE ABRIL DE 2014 A GAZETA
Prefeitura de
Cariacica fará
concurso este ano
Pág. 36
EDITORA:
ELAINE SILVA
ecferreira@redegazeta.com.br
Tel.: 3321.8327
agazeta.com.br/dinheiro
gazetadinheiro
CARESTIA NAS ALTURAS
INFLAÇÃO DEVE ESTOURAR
TETO DA META ESTE ANO
BC e mercado preveem que o índice deve chegar aos 6,51%
RIO
Economistas do mercado financeiro já preveem
que a inflação deste ano
estoure o teto da meta do
governo. Segundo o Boletim Focus, divulgado ontem pelo Banco Central, a
medianadasprojeçõespara o IPCA em 2014 foi elevada a 6,51%, 0,1 ponto
percentual acima do limite de 6,5%.
Foi a sétima vez consecutiva que a previsão para
a alta de preços aumentou. A expectativa de que a
inflação feche o ano acima
do teto da meta já havia sido apontada pelo grupo
de cinco economistas que
mais acertam estimativas
de longo prazo.
Há cerca de um mês, a
mediana das projeções do
chamado “top 5” chegou a
6,57%. Segundo a edição
do Focus, esse mesmo grupo espera que a o IPCA feche o ano em 6,59%.
Com a expectativa de
que a inflação pressione
mais, os analistas continuam apostando em mais
uma alta de 0,25 ponto
percentual da taxa básica
de juros, com a mediana
das projeções apostando
que a Selic, atualmente
em 11% ao ano, encerre
2014 em 11,25% ao ano.
A divulgação do relatório ocorre a pouco mais de
um mês da próxima reunião do Comitê de Política
Monetária (Copom), que
decide, no fim de maio, o
destino da taxa.
Após a última elevação,
o BC sinalizou que poderia
interromper o ciclo de altas, iniciado em abril do
ano passado, mesmo com
a surpreendente inflação
de março, que, puxada pelos alimentos, subiu a
0,92% e acumulou alta de
6,15% em 12 meses.
PIB
Em relação ao crescimentoeconômico,osespe-
cialistas consultados pelo
BC reduziram a projeção
de alta do Produto Interno
Bruto (PIB) para 1,63%.
Na semana passada, a previsão era de avanço de
1,65% e, há um mês, de
1,7%. Para 2015, a estimativa de expansão se manteve em 2%, mesmo valor há
oito semanas.
O cálculo para o crescimento do setor industrial
em 2014, no entanto,
apresentou aceleração;
passou de 0,70% para
1,40%. Para 2015, economistas mantiveram a previsão em 2,95%.
Quatro semanas antes,
o Focus apontava estimativa de expansão de 1,41%
para 2014 e de 3% em
2015 para o setor. Os analistas mantiveram estável,
em 34,80%, a previsão para o indicador que mede a
relaçãoentreadívidalíquida do setor público e o PIB
em 2014. Há quatro sema-
ANÁLISE
cômodo desde o início
do atual governo, quando claramente sinalizou
menor independência do
Banco Central e falta de
comprometimento com o
modelo de metas. Nunca
houve o cumprimento
da meta de 4,5%, com
índices ficando sempre
em torno dos 6%. O fato de as projeções ultrapassarem o teto não
é novidade nem é o
núcleo do problema. A
principal preocupação
deve ser restabelecer a
credibilidade do siste-
IGP-DI E IGP-M
A projeção para o Índice
Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) em
2014 aumentou de 7,28%
para 7,35% na pesquisa. O
Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos contratos
de aluguel, no entanto, ficou estável em 7,20%.
Indústria:IBGE
mudacálculo
“O sistema de metas perdeu a credibilidade”
A crescente fragilidade
da economia brasileira já
vem sendo demonstrada
por indicadores macroeconômicos, como a taxa
de crescimento, mas o
primeiro índice a apontar esse problema foi a
inflação. A taxa é um in-
nas,estavaem34,75%.Para 2015, segue em 35,00%
há 18 semanas.
ma de metas e do próprio BC, para que no
futuro a inflação fique
no centro da meta e
não siga a tendência
de crescimento.
—
BRUNO FUNCHAL
ECONOMISTA E PROFESSOR DA FUCAPE
À OMVhIçãV `WhILKM`nZ
fY nlM`Zô NIf Ln`Má h`n Ýô
hfHf KfM MfLIZKnhVL Yfò
ZbVMfL OVM jnILn hn YIò
hnWçn hn YfKVhVZVd`n hV
³¿¸»ô NIf nlMnWdfMá
Yn`L OMVhIKVL $OnLLn hf
Ýàà OnMn Üéà" f LfKVMfLï
‹n` YIhnMô n`Whnô V OfLV
hf jnhn IY hfZfL WV Mfò
LIZKnhV dfMnZï
Download

Confira a matéria publicada