PLANEJAMENTO FAMILIAR NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE NO
ÂMBITO DE GÊNERO E RAÇA.
Emanuelle Nunes da Cunha¹
Amália Nascimento Sacramento²
Patrícia Figueiredo Marques²
RESUMO
Um pequeno resgate histórico da formulação e implementação das políticas de
planejamento familiar foi elaborado, entendendo que a saúde da mulher nos anos 70, era
considerada em sua dimensão procriativa voltada ao ciclo gravídico-puerpal, e só a
apartir da consolidação do movimento feminista essa visão foi se alterando já que o
mesmo priorizava a autonomia da mulher na escolha dos seus destinos e não
manifestava juízos de controle populacional. O processo de luta pelos direitos
reprodutivos originou em 1983, com o Programa de Assistência Integral à Saúde da
Mulher. Este programa é um marco na história das políticas de gênero no país, pois
alterou valores e práticas de saúde de caráter sexista, e priorizou ações de promoção da
saúde das mulheres e não apenas da saúde de seus filhos. O objetivo foi traçar a
evolução do programa de planejamento familiar, visto que ele está aliado ao processo de
uma melhor qualidade e perspectiva de vida, enfatizando a questão de gênero e raça
(negra). O presente trabalho trata-se de uma revisão integrativa da literatura, visto que
esse método proporciona a síntese de conhecimento e a incorporação da aplicabilidade
de resultados de estudos significativos na prática. Foram encontrados 12 artigos nas
bases de dados Scielo e Lilacs e desenvolvido um quadro sinóptico com a síntese dos
artigos que atenderam aos critérios de inclusão que foram artigos publicados em
português e com os resumos disponíveis na base de dado selecionado, no período
compreendido entre (1990-2010). A discussão de políticas públicas voltadas à atenção
integral à saúde da mulher trouxe o termo "planejamento reprodutivo" ampliando a
Este trabalho é um recorte do Projeto “Caracterização do atendimento à mulheres negras
no Programa Saúde da Família em Santo Antônio de Jesus-BA”.
¹ Discente de Enfermagem da Universidades Federal do Recôncavo da Bahia. E-mail:
emanuellecunha@gmail.com
² Orientadoras e Docentes de Enfermagem da Universidades Federal do Recôncavo da
Bahia. E-mail: pfmenf@yahoo.com, amaliasacramento@hotmail.com.
Página 1
noção de atenção para além de mulheres com parcerias estáveis, além das que se
preparavam para iniciar sua vida sexual. Assim, amplia a noção exclusivamente
reprodutiva do planejamento para a vivência da sexualidade saudável. E, para que esse
direito possa ser efetivamente exercido, é necessário que os indivíduos tenham
conhecimento das possibilidades de influir no ritmo da procriação e tenham acesso às
informações e aos meios para que possam intervir se assim o desejarem. No entanto
inúmeras negligências ocorrerem e as mulheres continuam enfrentando sérias
dificuldades no que diz respeito à sua saúde reprodutiva; os resultados apresentaram
uma perspectiva voltada aos contraceptivos que induzem a política controladora,
limitando a autonomia da mulher sobre o seu corpo, sobre os seus desejos, existe
também à falta de acesso aos meios para regular a fertilidade efalta-lhes ainda a
presença da figura masculina em todo processo reprodutivo.
Foram
verificadas
diferenças individuais na forma de atendimento que monstram que a despeito da
determinaçäo social, a subalternidade de gênero é um fenômeno bastante evidenciado
em todas as classes sociais e, à semelhança da subalternidade de classe, influencia no
perfil reprodutivo das mulheres. Ressalta-se a escassez de dados sobre o estado de saúde
das mulheres e, sobretudo, da população negra. Consideramos que o profissional de
saúde pode ser o agente mobilizador de mudança na prática contraceptiva por meio da
orientação.
Palavras - chave: Planejamento familiar, planejamento reprodutivo, gênero, raça.
Este trabalho é um recorte do Projeto “Caracterização do atendimento à mulheres negras
no Programa Saúde da Família em Santo Antônio de Jesus-BA”.
¹ Discente de Enfermagem da Universidades Federal do Recôncavo da Bahia. E-mail:
emanuellecunha@gmail.com
² Orientadoras e Docentes de Enfermagem da Universidades Federal do Recôncavo da
Bahia. E-mail: pfmenf@yahoo.com, amaliasacramento@hotmail.com.
Página 2
Download

Este trabalho é um recorte do Projeto “Caracterização do