ESPECIFICAÇÕES EN81.20 e EN81.50
www.giovenzana.com
A nova EN 81-20 substitui o EN 81-2 & EN 81-1.
EN 81-20: Passageiros e Mercadorias / Elevadores
de Passageiros
Contém requisitos para a instalação completa
de elevadores de passageiros ou mercadorias
independentemente do sistema de condução.
1
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DA EN 81-20
Os seguintes itens devem estar presentes no poço:
1.
caixa
de
inspeção
deve
estar
1 Uma
(permanentemente) disponível. (Também de sobre
o teto da cabine);
2 Dispositivos de parada acessíveis do fundo do
2.
poço e um a cada abertura de porta do elevador;
3.
3 Tomadas (Power Point);
4.
4 Luzes do poço do elevador disponíveis a cada vez
que a porta do elevador estiver aberta;
5 Um dispositivo de aviso luminoso e sonoro.
5.
1
5.2.1.5 Equipamentos elétricos no poço, nos
espaços de maquinário e nos espaços das roldanas
5
5.2.1.5.1 Deve haver no poço:
Dispositivos de parada visíveis e acessíveis ao abrir as
portas para o poço e desde o poço, em conformidade
com as exigências da 5.12.1.11.
Para poços de profundidade menor ou igual a 1,60m
o dispositivo de parada deve estar localizado:
• Em uma distância vertical mínima de 0,40 m acima
do andar mais baixo e máxima de 2,0 m do fundo
do poço;
• Em uma distância horizontal de no máximo 0,75 m
da borda interna.
2
3
2
4
CAIXA DE INSPEÇÃO DO POÇO
A Giovenzana desenvolveu a nova caixa de inspeção de poços chamada TLP5
adequada para a EN81-20 IP65.
CARACTERÍSTICAS GERAIS
• Plataformas do elevador e utilização do cabo do elevador
• Em conformidade com a IEC/EN 60947-5-1, UNI EN 1570
• Caixas termoplásticas resistentes a choque e calor
• Material de dupla isolação com graus de proteção IP 65 IEC/EN 60529
• Disjuntores IP 20 com conexão elétrica
• Disjuntor NC PCW01, disjuntor NO PCW10
• Duas direções mecanicamente interligadas
• Botões gravados a laser
• Fixação por parafusos ou modelo de pendurar
• Conector de cabos M20
5.10.7 Iluminação e tomadas
5.10.7.1 O fornecimento elétrico de iluminação para a
cabine do elevador, do poço, do espaço das máquinas
e das roldanas e painéis de teste e de emergência
(5.2.6.6) devem ser independentes do fornecimento
elétrico do motor, seja através de outro circuito ou
através de conexão com um circuito auxiliar da chave
principal como previsto na 5.10.5.
5.10.7.2 A alimentação para as tomadas que são
necessárias no chão da cabine, nos espaços de
máquinas, no espaço das roldanas e no poço devem
vir dos circuitos referidos na 5.10.7.1.
Estas tomadas devem ser do tipo 2 P + PE, 250 V, de
alimentação direta.
5.11.2.2 Conexões de segurança
As conexões de segurança devem cumprir com as
exigências da EN 60947-5-1:2004, Annex K com
o grau mínimo de segurança da IP4X (EN 60529)
e uma durabilidade mecânica adequada para esse
propósito (pelo menos 106 ciclos de operação) ou
devem preencher as seguintes exigências:
• 5.11.2.2.1 A operação das conexões de segurança
deve ser por separação positiva dos disjuntores. A
separação deve ocorrer mesmo se os conectores
forem soldados juntos.
e abrir o circuito que bloqueará qualquer operação da
máquina.
Este é um importante passo na prevenção de
acidentes e na intervenção de dispositivos de
segurança.
Normalmente
fechado
Com pouco investimento o operador pode ter 100%
da efetividade do dispositivo de segurança.
• A disposição das conexões de segurança deve ser
feita de modo a minimizar o risco de curto-circuito
resultando em uma falha do componente.
NOTA: A abertura direta é feita quando todos os
disjuntores são postos para a posição aberta e
quando por uma parte significante do percurso não há
elementos de resistência (molas, por exemplo) entre
os contatos móveis e a parte do motor onde a força
é aplicada.
Normalmente
aberto
• 5.11.2.2.2 As conexões de segurança devem suportar uma isolação para uma taxa de voltagem de
250 V se o invólucro fornece um grau de proteção
de pelo menos IP 4X (EN 60529) ou 500 V se o
grau de proteção do invólucro for de pelo menos IP
4X (EN 60529).
Todos os dispositivos de parada Giovenzana
(cogumelos) vão de encontro à novas regras para a
sala de máquina EN 60204-1 guarnecidos do nosso
novo disjuntor de interruptor rápido PCW01FT.
O conector NC abrirá em caso de soltura acidental do
disjuntor com a base. No improvável evento de um dos
suportes perder contato, ele foi projetado para intervir
Normalmente
fechado
5.12.1.5 Operação do controle de inspeção
5.12.1.5.1 Exigências do design
5.12.1.5.1.1 Para facilitar a inspeção e a manutenção, uma estação de fácil acesso de controle de
inspeção deve estar permanentemente instalada:
a) No teto da cabine;
b) No poço;
c) Na cabine;
d) Na plataforma (se houver áreas de trabalho na plataforma).
5.12.1.5.1.2 A estação de inspeção deve consistir
em:
Um interruptor (interruptor operacional de inspeção)
que deve satisfazer as exigências dos dispositivos de
segurança elétrica (5.11.2). Este interruptor, que
deve ser bipolar, deve estar protegido de acionamento
involuntário;
1. Botões apertáveis de direção “UP” e “DOWN”
protegidos contra acionamento acidental com a
direção do movimento claramente indicada;
2. Um botão apertável “RUN” protegido contra
acionamento acidental;
3. Um dispositivo de parada em conformidade com a
5.12.1.11.
A estação de controle deve também apresentar
interruptores especiais protegidos contra acionamento
acidental para o controle do mecanismo das portas
desde o teto da cabine.
RETORNAR À OPERAÇÃO DO ELEVADOR
O retorno à operação normal do elevador deve
acontecer apenas com o retorno do interruptor de
inspeção à posição normal. O retorno à operação
normal do elevador deve ocorrer apenas sob as
seguintes condições:
a) As portas de acesso ao poço estiverem fechadas e
trancadas;
b) Todos os dispositivos de parada do poço estiverem
inativos;
c) O dispositivo de restabelecimento elétrico do lado
de fora do poço estiver acessível:
1. Em conjunção com a chave de destrancamento
de emergência da porta dando acesso ao poço
ou
2. Acessível apenas a pessoas autorizadas, por
exemplo: dentro de uma cabine fechada próxima
à porta que dá acesso ao poço.
Precauções devem ser tomadas para prevenir o
movimento involuntário da cabine em situação de
operação de inspeção. O movimento da cabine nas
operações de inspeção deve depender unicamente de
constante pressão em um botão de direção e o botão
“RUN”. Deve ser possível operar o botão “RUN” e um
botão de direção simultaneamente com apenas uma
mão.
b) Um dispositivo de segurança de acordo com a
5.11.2 que a operação correta de monitoração dos
botões de direção e do botão “RUN”.
DETALHES
Dispositivo
de PARADA
Botão
ALARME
NORMAL
O dispositivo de inspeção de operação elétrica deve
passar por uma das seguintes soluções:
a) Uma conexão seriada do botão de direção e do botão
“RUN”. Estes botões devem pertencer às seguintes
categorias definidas na EN 60947-5-1:2004
• AC-15 para conexões de segurança in circuitos A.C.
• DC-13 para conexões de segurança em circuitos
D.C.
A durabilidade deve ser de pelo menos 1.000.000 de
ciclos de operação mecânicos e elétricos em relação
à carga aplicada.
INSPEÇÃO
Botão
UP
Botão
RUN
Botão
DOWN
A INOVAÇÃO
Giovenza International B.V., amplamente reconhecida
como a líder em tecnologia de elevadores e o nome
que os operadores associam com segurança e qualidade, criou a nova Série GM de caixas de inspeção
(cumprindo o Padrão internacional EN 81.20 e o
EN 81.50).
O design ergonométrico garante ao operador o
máximo de segurança. A Giovenzana aplicou a nova
filosofia de design incorporando as seguinte regras:
• Dispositivos de parada em formato de cogumelos de
acordo com a IEC/EN 60947-5-5
• Botão obrigatório RUN
• Os operadores são protegidos contra impactos acidentais durante todo o tempo
• Interruptores excêntricos (não seletores) vinculados
à norma de inspeção operando com direção sólida
e sem margem de erro na troca
• Disjuntores com travas de mola conforme EN
60068-2-6 e EN 60068-2-27 e resistência à vibração com grau de proteção IP20
• Disjuntores AC-15 e DC-13 de acordo com EN
60947-5-1:2004 (1M de ciclos)
A Giovenzana cria e implementa componentes de segurança para a maior cadeia de manufatura de elevadores do mundo.
5.12.1.8 Dispositivo de patamar e de desvio das
portas da cabine
5.12.1.8.1 Para a manutenção da porta do patamar,
porta da cabine e das conexões de trancamento das
portas, deve ser instalado um dispositivo de desvio no
painel de controle ou no painel de teste e emergência.
5.12.1.8.2 O dispositivo deve conter um interruptor
protegido contra acionamento acidental pelo
movimento mecânico (capa ou cobertura de segurança)
permanentemente instalado, ou uma combinação
de tomada e pinos que satisfaça as exigências para
dispositivos de segurança elétrica de acordo com a
resolução 5.11.2.
5.12.1.8.3 Os dispositivos de desvio da porta do
patamar e da cabine devem ser identificáveis pela
palavra “BYPASS” escrita próxima ou neles. Além
disso, os contatos a serem desviados devem ser
indicados com identificadores de acordo com os
diagramas elétricos.
Podem ser usados símbolos alternativos mostrados
na figura 23 junto com identificadores de acordo com
os diagramas elétricos.
DS Exemplo de desenho encontrado no diagrama de
fiação
Figura 23 — Desenho de Desvio
O estágio de ativação do dispositivo de desvio deve ser
claramente indicado. As seguintes condições para o
funcionamento devem ser satisfeitas:
GMS056
a) Os controles normais de operação, incluindo a
operação de qualquer porta automática deve ser
neutralizada;
b) Desvio das conexões das portas de patamar
(5.3.9.4, 5.3.11.2), trancas das portas de patamar
(5.3.9.1), as portas da cabine (5.3.13.2) e as trancas
das portas da cabine (5.3.9.2) devem ser possíveis;
c) Não deve ser possível desviar os contatos da porta
da cabine e das portas dos patamares ao mesmo
tempo;
d) Deve ser instalado um monitor separado de sinal
para checar se a porta da cabine está em posição de
fechamento na intenção de permitir o movimento com
os contatos fechados da porta da cabine desviados.
Isso é aplicável também caso os contatos fechados da
porta da cabine e os contatos fechados da tranca da
porta forem combinados;
e) Em caso de operação manual das portas de
patamar (5.3.9.4) e das trancas das portas de
patamar (5.3.9.1) ao mesmo tempo;
f) O movimento da cabine deve apenas ser possível
em operação de inspeção (5.12.1.5) ou operação de
emergência elétrica (5.12.1.6);
g) Um sinal audível na cabine e uma luz debaixo da
cabine devem estar ativadas durante o movimento. O
volume do som do aviso sonoro deve ser de no mínimo
55bB(A) a 1 m de distância abaixo da cabine.
GMS057
GIOVENZANA INTERNATIONAL B.V.
www.giovenzana.com
Email : giovenzana@giovenzana.com
Download

EN81.20 Giovenzana PORTUGUES Rev02_2015.indd