B.1.1 – Engenharia
Inovação tecnológica: análise de TCCs em um curso de Engenharia Química
1
2
Débora Federici dos Santos , Vagnér R. A. Pereira .
1. Estudante de engenharia química do Centro Universitário da Fundação
*debora_federici_@hotmail.com
2. Professor do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos - UNIFEB.
Educacional
de
Barretos
-
UNIFEB;
Palavras Chave: inovação, tecnologia, engenharia química.
Introdução
A
crescente
tendência
de
globalização
e
a
interdependência
das
economias
mundiais
têm
proporcionado um ambiente turbulento e altamente
competitivo, no qual a inovação tornou-se uma peça
fundamental. Apesar de não haver consenso nas
definições, a inovação pode assumir diversos aspectos, de
acordo com Silva et al. (2012) elas podem ser:
 De produto: novo serviço ou produto cuja venda
implica na prestação de serviço;
 De processo: mudança no modo de produzir e prestar
serviços;
 Organizacional: novo aspecto na gestão e organização
da empresa;
 De mercado: transformação do produto existente em
uma nova invenção;
 Ad hoc: apresentação de uma solução para o
problema do cliente;
 Radical: criação de produto sem relação com o
existente;
 De melhoria: criação de produto a partir do
melhoramento de um já existente;
 De recombinação: criação de produto com diferentes
combinações de características de produtos existentes
ou não;
 De formalização: Processo de nomear e organizar a
sequência de produção de determinado produto.
O objetivo deste trabalho foi realizar uma pesquisa
documental para analisar os trabalhos de conclusão de
curso (TCCs) de um curso de engenharia química,
defendidos no ano de 2014, em uma instituição privada do
interior do Estado de São Paulo, para identificar se
apresentavam algum aspecto de inovação tecnológica.
Resultados e Discussão
A seguir serão apresentadas as análises de quatro
trabalhos de conclusão de curso (TCCs), de um total de
16, envolvendo 43 alunos, em termos do tipo de inovação.
Tema 1: Iogurte grego funcional com redução do teor de
gordura e aumento do teor de proteína bicompartimentado
com goiabada zero.
Tipo de Inovação: de melhoria.
Justificativa: Realizou-se um experimento com iogurte
grego funcional e adição de leite em pó, a fim de substituir
a inulina, que apresentou ótimas características sensoriais
e de viscosidade, contribuindo para uma alimentação
saudável, pois é uma fonte de absorção de cálcio no
organismo, auxilia o metabolismo de lipídios e na
prevenção do câncer.
Tema 2: Efeito da adição de diferentes fibras alimentares
na viscosidade aparente e aceitação de iogurte de leite de
cabra com geleia de amora.
Tipo de inovação: de melhoria.
Justificativa: Houve a modificação de um iogurte de leite
de cabra com adição de farinha de chia e casca de
maracujá favorecendo aqueles que possuem intolerância à
lactose, com a adição de polpa e geleia de amora para
obtenção de um sabor mais agradável.
Tema 3: Reuso de água de sistemas de limpeza de
evaporadores aplicados na indústria sucroalcooleira.
Tipo de inovação: ad hoc.
Justificativa: Devido o alto consumo de água para a
operação de limpeza de evaporadores, houve a ideia de
reutiliza-la através de um tratamento simplificado de
coagulação, floculação e decantação. Sendo testados
como coagulantes, o sulfato de zinco e o cloreto férrico.
Os resultados indicaram que o cloreto férrico é mais
eficaz, pois aglomerou melhor os sólidos em suspensão.
Tema 4: Obtenção de biocombustível (etanol) à partir de
resíduos sólidos da indústria de suco de laranja.
Tipo de inovação: de processo.
Justificativa: Uma forma de reaproveitar as sobras da
laranja foi reutiliza-las para a produção de biocombustível,
sendo benéfica ao planeta, pois o uso da biomassa pode
diminuir a poluição atmosférica e aumentar a mão de obra.
Dos 16 TCCs analisados, 11 foram de melhoria, 1 ad hoc
e 4 de processo. Os demais tipos de inovação não foram
encontrados.
A partir da análise dos TCCs, pode-se notar que todos
eles apresentaram algum tipo de inovação, indicando
potencial ao empreendedorismo, entretanto, nota-se a
ausência de inovações que geram maior impacto na
sociedade, como por exemplo, de mercado, de produto ou
radical, como afirma Ferrari (2010). Isto mostra que são
necessário maior investimento e incentivo nesses
aspectos de inovação.
Conclusões
A pesquisa indicou que a inovação de melhoria foi a mais
frequente entre os TCCs analisados, uma vez que esta
inovação envolve a criação de um produto a partir do
melhoramento de um já existente.
Isso aponta para o fato de que outras formas de inovação
apresentam maiores dificuldades, em termos de criação e
execução, ou seja, apresentam diversos empecilhos em
planejamento, custo, tempo, investimento etc., para o seu
desenvolvimento.
Assim, essa pesquisa teve a finalidade de contribuir para
uma reflexão sobre inovação tecnológica, já que, as
empresas podem se beneficiar investindo nas instituições
de ensino, para obterem ganhos econômicos por contribuir
para
a
melhoria
do
processo
produtivo
e,
consequentemente, da vida das pessoas envolvidas, de
forma geral. Investir no ensino e pesquisa, entre empresas
de pequeno e médio porte, é uma nova maneira de pensar
a realidade no Brasil.
Agradecimento
Agradecemos o apoio financeiro, por meio da bolsa
institucional Unifeb no programa PIBIC.
Referências
FERRARI, R. Empreendedorismo para computação: criando negócios em
tecnologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
SILVA, M. J. et al. Determinantes internos e externos da capacidade inovadora
das empresas de serviços portuguesas: modelo logit. REGE. São Paulo, Brasil, v.
19, p. 39-54, 2012.
67ª Reunião Anual da SBPC
Download

Inovação tecnológica: análise de TCCs em um curso de Engenharia