Publicação da
Cooperativa dos Produtores
Rurais de Abaeté e Região Ltda
10 Março a 10 Abril 14
Ano XVI - N º 184 - Impresso
Distribuição Gratuita
2
10 de Março a 10 de Abril/14
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
Publicação da Cooperativa dos
Produtores Rurais de Abaeté e
Região Ltda.
PARTICIPE DA ASSEMBLEIA DA COOPERABAETÉ
Foto: AGO de 2013
CONSELHO DE
ADMINISTRAÇÃO
Presidente:
Eustáquio Márcio de Oliveira
Diretor Administrativo:
José Soares dos Santos
Diretor Comercial:
Rogério Lage de Oliveira
Conselheiros Vogais:
Arnon José de Araújo
Eugênio Antônio da Costa Filho
José Eustáquio Marcelino
Geraldo Magela de Carvalho
CONSELHO FISCAL
Adelson E. Campos Ramiro
João Mendes Souza Filho
Mauri Soares da Silva
Suplentes:
Elismar Noronha de Lima
Geraldo José Correia
Jair José da Cunha
Jornalista Responsável:
Christiane Ribeiro - MTb 4815/MG
IMPRESSÃO: Fumarc
TIRAGEM: 2.800 exemplares
DISTRIBUIÇÃO GRATUITA
COOPERABAETÉ
CNPJ - 16.505.554/0001-80
IE - 002.088.863-0042
Praça Amador Álvares, 122
35.620-000 - Abaeté - MG
Geral: (37) 3541-5454
Atendimento ao Cooperado:
(37) 3541-5437e 9951-4254
cooperabaete@cooperabaete.com.br
FILIAIS:
Abaeté - R. Francisco Antônio
Rodrigues, 90 - (37) 3541-5456
Paineiras - R. Orestes Cordeiro, 69
Fone (37) 3545-1014
Biquinhas - R. Goiás, 1015
Fone (37) 3546-1145
Morada Nova de Minas
Av. Arnaldo Xavier Cordeiro, 231
Fone (38) 3755-2119
R. João Dayrell P. Ferreira, 518 B
Fone (38) 3755-1273
Neste mês de março, haverá a Assembleia Geral Ordinária da Cooperativa Central dos
Produtores Rurais de Minas
Gerais – CCPR/MG –, no dia
vinte e, no dia vinte e dois, a da
nossa Cooperativa.
Na Cooperativa Central,
acontecerá a eleição da nova
Diretoria, do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal.
Na Cooperabaeté, serão eleitos os membros do Conselho
Fiscal.
Em razão da importância do
evento, reiteramos a convocação aos associados, para que
compareçam à Assembleia,
participem das decisões sobre
os negócios da cooperativa e
exerçam seus direitos, conforme as regras do estatuto.
Queremos cumprimentar as
mulheres da nossa comunidade
pela passagem do Dia Internacional da Mulher, no último dia
oito de março, e convidar para
a Caminhada da Mulher, que
acontecerá no próximo dia 16,
numa parceria entre a Cooperabaeté e do Rotary Club.
Finalizando, pedimos des-
culpas aos nossos leitores,
pela necessária supressão de
matérias técnicas nesta edição,
em razão das publicações do
edital de convocação para assembleia e dos demonstrativos
contábeis, em cumprimento às
exigências estatutárias.
A Cooperativa Somos Todos
Nós.
Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA - 1ª, 2ª e 3ª CONVOCAÇÕES
O Presidente do Conselho de
Administração da Cooperativa dos
Produtores Rurais de Abaeté e
Região Ltda., Eustáquio Márcio de
Oliveira, usando das atribuições
que lhe confere o art. 31 do Estatuto Social, convoca os senhores
associados para comparecerem à
Assembleia Geral Ordinária a ser
realizada em 1ª (primeira) convocação às 16:00 (dezesseis) horas
do dia 22 (vinte e dois) do mês
de março de 2014, no Parque de
Exposições José Ribeiro de Melo
Paiva, “Sindicato dos Produtores
Rurais de Abaeté”, Rua Aníbal
Pires, 70 nesta cidade, devido à
absoluta falta de espaço físico na
sede da Cooperabaeté.
Caso não haja “quórum“, a Assembleia se reunirá, em 2ª (segun-
da) convocação, uma hora após o
término do prazo para a primeira,
ou seja, às 17:00 (dezessete) horas. Se persistir a falta de “quórum“, a Assembleia se realizará,
em 3ª (terceira) convocação, uma
hora após o término do prazo para
a 2ª (segunda), ou seja, às 18:00
(dezoito) horas.
A Assembleia se realizará em
1ª (primeira) convocação com a
presença de 2/3 (dois terços) dos
associados; em 2ª (segunda) convocação com a presença de metade mais 1 (um) dos associados e;
em 3ª (terceira) convocação com a
presença de, no mínimo, 10 (dez)
associados, com a seguinte ordem
dia:
1. Prestação de contas do
Conselho de Administração;
1.1. Relatório da Gestão;
1.2. Balanço;
1.3. Demonstrativo das sobras
apuradas ou das perdas decorrentes da insuficiência das contribuições ou descontos para cobertura
das despesas da Cooperativa;
1.4. Parecer do Conselho Fiscal;
2 Destinação das sobras
apuradas ou rateio das perdas
decorrentes da insuficiência das
contribuições ou descontos para
cobertura das despesas da Cooperativa;
3 Determinação do valor da
Cédula de Presença dos membros
do Conselho Fiscal;
4 Determinação do valor da
Cédula de Presença dos membros
vogais do Conselho de Administra-
ção;
5 Fixação dos honorários da
diretoria executiva;
6 Eleição dos componentes do
Conselho Fiscal.
7 Autorização ao Conselho
de Administração, nos termos do
art. 39, letra P, do estatuto, gravar bens imóveis em garantia de
empréstimos e financiamentos a
serem contratados ou renovados.
Para efeitos legais e estatutários, declara-se que o número de
associados com direito a tomar
parte na assembleia é de 215 (duzentos e quinze).
Abaeté, 19 de fevereiro de 2014.
Eustáquio Márcio de Oliveira
Presidente
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
10 de Março a 10 de Abril/14
3
Pré-Assembleias nos Núcleos Cooperativos
Eustáquio Márcio de Oliveira
Frango com Quiabo e Pequi
De tanto ler as receitas publicadas neste jornal, eu me
inspirei e resolvi dar a minha
contribuição modesta à culinária regional.
Tenho consciência de que
o prato é bastante popular no
nosso meio e não é fácil inventar uma maneira nova de fazê-lo. Por isso, minha receita não
é uma novidade, é apenas variante do mesmo assunto.
Inicialmente, prepara-se o
frango caipira, que deve pesar
cerca de dois quilos, ser bem
depenado, sapecado no fogo
de palha de milho, bem lavado,
cortado nos pontos certos e,
novamente, lavado com água e
caldo de limão.
Para refogá-lo, deve-se
dourar, numa panela com duas
colheres de sopa de óleo, uma
porção de cebola cortada em
cubinhos, três dentes de alho
e meio pimentão, também em
pedaços pequenos. Quando a
cebola estiver fritando, coloca-se o frango, devidamente temperado com sal e refoga-se demoradamente, acrescentando
cebola, sempre que a anterior
desaparecer.
A panela não pode ser tampada durante este processo e
deve se colocar pequenas porções de água, para evitar que o
refogado queime.
Ao perceber que o frango
já está refogado, ou seja, dourado e meio macio, retira-se o
fígado, abre-se uma garrafa de
cerveja Skol bem gelada e, durante a degustação da iguaria
e da cerveja, confere-se o tempero do frango.
Em seguida, coloca-se
água quente sobre o refogado,
tampa-se a panela e aguarda-
-se o cozimento. O frango deve
ficar no ponto certo de cozimento em meia hora, aproximadamente.
Quando isso acontecer,
desliga-se o fogo, coloca-se
bastante cheiro verde e um
pouco mais de cebola cortada
em tiras finas.
Durante o cozimento do
frango, deve ser preparado o
complemento, ou seja, o quiabo com pequi. Para isso, os
quiabos devem ser bem selecionados, com preferência
para os mais macios, lavados
e enxutos, cortados em rodelas pequenas, e refogados em
muito óleo bem quente, com
cebola e pimentão dourados
previamente, além de tempero
de sal a gosto.
Quando o refogado estiver
no ponto, pode-se retirar o
quiabo e colocar em outra panela, para eliminar o excesso
de óleo. Em seguida, coloca-se
água quente para o cozimento,
que deve durar de dez a quinze
minutos, sem tampar a panela,
para evitar o escurecimento do
legume.
Na última etapa de preparo,
adiciona-se ao quiabo já pronto uma porção de vinte a trinta
pequis previamente aferventados. Nesse momento, coloca-se uma tampa sobre a panela
e, sobre a tampa, coloca-se
uma pedra de cinco quilos ou
mais, para evitar que o cheiro do pequi se espalhe pela
casa. Leva-se à mesa apenas
o frango, com arroz branco e
farinha de milho e, naturalmente, mais cerveja, porque, afinal,
um frango tão bem preparado
dispensa qualquer outro complemento.
A primeira pré-assembleia foi realizada no Núcleo de Santa Maria, dia 28 de fevereiro.
Neste mês de março, estão
sendo realizadas, nos Núcleos
Cooperativos, reuniões preparatórias para a Assembleia Geral Ordinária da Cooperabaeté,
marcada para o próximo dia 22.
Nesses encontros, os cooperados têm a oportunidade de
compreender melhor os principais relatórios contábeis da
Cooperativa, como taxa de crescimento, receitas operacionais,
sobras à disposição da assembleia, ativos totais, patrimônio
dos associados, dentre outros
- o que possibilita uma participação mais ativa na assembleia e
na própria Cooperabaeté.
VENDE-SE FAZENDA de 60 hectares, a 38 Km de Abaeté: (37)
8806-0674 / 9954-4038.
VENDE-SE ÓTIMA CASA no centro de Abaeté. Ou troca-se por
imóvel rural: (37) 3541-4261 (Sindicato) / 9939-4946 (Plácido).
VENDE-SE UM SOFÁ de três lugares: (37) 3541-1482.
VENDE-SE SITIO de 9 hectares a
20 km de Abaeté, em Santa Maria
dos Cunha: (37) 9942-0125.
VENDE-SE TANQUE de 200 litros Plurinox. Ou troca-se por um
maior: (37) 9937-1012 (Itamar).
VENDE-SE TOURO Gir Leiteiro
de 4 anos. Filho de Vale Ouro (não
registrado): (37) 9862-7777.
VENDE-SE POTRO de três anos
Campolina: (37) 9953-0387.
VENDEM-SE TOURINHOS reprodutores (inseminação) de 2 a
3 anos: (37) 9119-4730 (Geraldo).
VENDE-SE UMA CASA na rua 13
de maio, 674, centro de Abaeté:
(37) 8806-0674 / 9954-4038.
VENDE-SE ÓTIMA CASA de 5
quartos na rua 13 de maio 584,
centro, Abaeté. Aceita-se carro no
negócio: (37) 9946-8217 / 99298377 (Dora).
ALUGA-SE UM LOTE (fundo) em
frente ao Hospital, área 400 mts:
(37) 3541-1801 (Gringo).
VENDE-SE UMA BICICLETA nova
Caloi feminina: (37) 9958-2254.
VENDE-SE UMA MÁQUINA de
costura reta e pontinhos Singer
Flex ponto: (37) 9956-6198.
VENDEM-SE UMA CAMA de madeira legítima, UM COLCHÃO
novo e UM CRIADO: (37) 35411191.
VENDE-SE UM SOFÁ de três lugares: (37) 9862-7068.
VENDEM-SE UMA CARROÇA E
UMA CANGA: (37) 9811-0517.
VENDEM-SE UMA ENSILADEIRA
PP47; UMA BASE Pinheiro; UM
MOTOR WEG 10,CV. Acompanha
material usado em ótimo estado
de conservação: (37) 9804-2503 /
9957-9844 / 3546-1145.
COMPRA-SE CARRETA de 4 rodas para transporte de cana de
trator: (37) 9801-3027.
VENDEM-SE 6 COCHEIRAS de 2
m por 70 cm de cimento, bem conservadas: (37) 9952-1174 (José
Maria de Souza).
ANUNCIE: (37) 3541-5437
4
10 de Março a 10 de Abril/14
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda
COOPERABAETÉ - CNPJ 16.505.554/0001-80
Senhores
Associados,
Em cumprimento das
obrigações
estatutárias, o
Conselho de
Administração
submete à
consideração
de V. Sas. o
balanço
patrimonial, a
demonstração
das sobras e
perdas, a
demonstração
das mutações
do patrimônio
líquido, a
demonstração
do fluxo de
caixa, as notas
explicativas às
demonstrações
contábeis, o
parecer do
conselho fiscal
e o relatório
dos auditores
independentes
da Cooperativa
dos Produtores Rurais de
Abaeté e
Região Ltda.,
referentes
ao exercício
findo em 31 de
dezembro
de 2.013
Abaeté, 28 de
fevereiro de
2.014
Eustáquio
Márcio de
Oliveira
Presidente do
Conselho de
Administração
DEMONSTRAÇÃO DAS SOBRAS OU PERDAS - COMPARATIVA
BALANÇO PATRIMONIAL PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO
Valores em R$
ATI V O
ATIVO CIRCULANTE
DISPONÍVEL
Caixa
Bancos Conta Movimento
Aplicações Mercado Financeiro
REALIZÁVEL A CURTO PRAZO
Contas Correntes
Outras Contas a Receber
Adiantamento P/Funcionários
Adiantamento P/Viagens
Adiantamento P/Fornecedores
Impostos Federais Retidos
Impostos Federais Estimados
S/Resultado
Contribuições Previdenciárias
Impostos a Recuperar
Estoques para Revenda
Estoques de Matéria Prima
Estoques de Produtos Acabados
Dispêndios Antecipados
ATIVO NÃO CIRCULANTE
REALIZÁVEL A LONGO PRAZO
Depósitos Judiciais
INVESTIMENTOS
Investimentos em Outras Empresas
IMOBILIZADO
Imobilizado em Uso
(-) Depreciações Acumuladas
Construção Civil
INTANGÍVEL
Software
(-) Amortizações Acumuladas
DIFERIDO
Gastos Pré-Operacionais
(-) Amortização do Diferido
PAS S I V O
PASSIVO CIRCULANTE
Fornecedores
Recebimentos Antecipados
Salários a Pagar
Encargos a Recolher
Provisão de Férias/Encargos
Impostos a Recolher S/Faturamento
Impostos a Recolher S/Resultado
Financiamentos P/Investimentos
/Capital de Giro
Outras Obrigações
PASSIVO NÃO CIRCULANTE
Financiamento P/Investimento
Encargos a Recolher
Obrigações Tributárias
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social
(-) Capital a Realizar
Reservas Estatutárias
Reserva Conting. Tributária 2004
Reserva Conting. Tributária 2005
Sobras/Perdas Acumuladas
2013
37.013.084,84
20.872.622,69
4.331.355,79
270.397,40
1.176.200,53
2.884.757,86
16.541.266,90
9.108.816,64
2.133.526,80
13.445,32
350,00
49.943,54
110.163,47
AV%
100,00
56,39
11,70
0,73
3,18
7,79
44,69
24,61
5,76
0,04
0,00
0,13
0,30
129.557,94
735,79
70.709,81
4.251.025,23
531.273,34
101.133,25
40.585,77
16.140.462,15
454.766,98
454.766,98
8.511.995,33
8.511.995,33
7.078.086,88
7.395.094,34
(2.782.172,34)
2.465.164,88
95.612,96
121.006,40
(25.393,44)
-
0,35
0,00
0,19
11,49
1,44
0,27
0,11
43,61
1,23
1,23
23,00
23,00
19,12
19,98
(7,52)
6,66
0,26
0,33
(0,07)
-
37.013.084,84
17.808.273,00
7.344.717,09
855,71
236.529,49
256.710,19
436.888,06
193.869,22
-
100,00
48,11
19,84
0,00
0,64
0,69
1,18
0,52
-
9.323.758,36
14.944,88
4.241.177,43
3.979.442,24
94.583,68
167.151,51
14.963.634,41
2.974.969,79
(40.022,59)
10.363.146,65
798.719,30
400.939,06
465.882,20
25,19
0,04
11,46
10,75
0,26
0,45
40,43
8,04
(0,11)
28,00
2,16
1,08
1,26
2012
AV%
38.955.755,80 100,00
23.439.495,75 60,17
8.632.996,30 22,16
180.320,45
0,46
302.339,42
0,78
8.150.336,43 20,92
14.806.499,45 38,01
5.168.555,57 13,27
4.730.120,40 12,14
7.880,07
0,02
350,00
0,00
68.308,16
0,18
55.377,72
0,14
AH%
95,01
89,05
50,17
149,95
389,03
35,39
111,72
176,24
45,11
170,62
0,00
73,12
198,93
99.813,36
77,43
91.131,51
3.910.163,31
595.846,02
35.824,72
43.051,18
15.516.260,05
440.628,88
440.628,88
8.507.300,00
8.507.300,00
6.536.149,41
6.689.642,47
(2.378.491,70)
2.224.998,64
32.181,76
50.450,20
(18.268,44)
54.297,74
(54.297,74)
0,26
0,00
0,23
10,04
1,53
0,09
0,11
39,83
1,13
1,13
21,84
21,84
16,78
17,17
(6,11)
5,71
0,08
0,13
(0,05)
0,14
(0,14)
129,80
0,00
0,00
108,72
0,00
0,00
94,27
104,02
103,21
103,21
100,06
100,06
108,29
110,55
116,97
110,79
297,10
239,85
139,00
0,00
0,00
0,00
38.955.755,80 100,00
19.237.304,36 49,38
7.811.109,05 20,05
0,01
3.464,53
0,46
181.124,84
0,52
201.681,10
0,89
345.887,28
0,43
168.183,30
0,31
120.559,47
95,01
92,57
94,03
24,70
130,59
127,29
126,31
115,27
0,00
26,67
0,04
12,36
11,44
0,24
0,67
38,26
6,82
(0,09)
27,81
2,05
1,03
0,65
89,74
0,00
88,11
89,30
0,00
0,00
100,39
112,02
112,37
95,65
100,00
100,00
185,28
10.389.738,15
15.556,64
4.813.364,33
4.456.200,02
94.583,68
262.580,63
14.905.087,11
2.655.691,94
(35.616,11)
10.833.899,75
798.719,30
400.939,06
251.453,17
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis
Rogério Lage de Oliveira
Eustáquio Márcio de Oliveira
Diretor Comercial
Presidente
José Soares dos Santos
Kelcilenei Antônia de Azevedo,
Diretor Administrativo
CRC/MG 069750/0-4
(+) Ingressos/Receitas c/Vendas
(+) Ingressos/Receitas c/Serviços
(=) Ingressos/Rec. Brutas Operacionais
(-) Dev. de Ingressos/Receitas c/Vendas
(-) Impostos s/Ingressos/Receitas
(-) Impostos s/Ingressos/Receitas Serviços
(=) Ingressos/Rec. Líquida Operacional
(-) Dispêndios/Custos de Mercad. Vendidas
(-) Dispêndios/Custos c/Serviços
(=) Sobra/Lucro Bruto
(+) Ingressos/Receitas Financeiros
(+) Ingressos/Rec. Operacionais
(-) Dispêndios/Despesas com Vendas
(-) Dispêndios/Despesas Financeiras
(-) Dispêndios/Despesas com Pessoal
(-) Dispêndios/Despesas Tributárias
(-) Dispêndios/Despesas Gerais
(+) Outros Ingressos/Rec.Operacionais
(-) Outros Dispêndios/Desp. Operacionais
(-) Provisão P/Devedores Duvidosos
(+) Reversão Provisão Deved.Duvidosos
(=) Sobra/Lucro Oper. do Exercício
(+) Reversão Conting Fiscais Srf-2000/2001
(+) Reversão Res p/Amortização Diferido
(=) Sobras antes das Transf P/Fundos
(-) Transferência p/F.Reserva Art 48 Inc I
(-) Transferência p/Rates Art 48 Inc Ii
(+) AmortiZação F.Reserva Resol. CFC 920/01
(=) Sobras Líquidas
(-) Juros s/Capital Social Cf Art 50 Letra "A"
(=) Sobras à Disposição da Assembleia
31/12/2013
97.183.991,77
8.513,22
97.192.504,99
(1.080.455,33)
(5.994.600,14)
(213,88)
90.117.235,64
(79.477.107,94)
10.640.127,70
828.213,76
820.042,83
(1.672.520,71)
(1.381.010,97)
(4.745.790,77)
(240.736,26)
(3.984.406,25)
18.500,00
(17.900,60)
(135.094,98)
44.203,53
173.627,28
131.457,60
207.399,00
512.483,88
(80.547,55)
(80.547,55)
292.991,60
644.380,38
(178.498,18)
465.882,20
AV%
100,00
0,01
100,01
(1,11)
(6,17)
(0,00)
92,73
(81,78)
10,95
0,85
0,84
(1,72)
(1,42)
(4,88)
(0,25)
(4,10)
0,02
(0,02)
(0,14)
0,05
0,18
0,14
0,21
0,53
(0,08)
(0,08)
0,30
0,66
(0,18)
0,48
Valores em R$
AV%
31/12/2012
AH%
86.652.802,04 100,00
0,01 112,15
11.066,15
86.663.868,19 100,01 76,93
(704.698,55) (0,81) 112,15
(5.677.682,42) (6,55) 153,32
(276,41) (0,00) 105,58
92,65 77,38
80.281.210,81
(70.870.180,13) (81,79) 112,25
- 112,14
10,86 113,06
9.411.030,68
0,84 114,21
725.188,08
0,84 113,19
724.456,31
(1.335.495,01) (1,54) 125,24
(1.052.150,18) (1,21) 131,26
(4.201.764,37) (4,85) 112,95
(598.391,72) (0,69) 40,23
(3.141.554,34) (3,63) 126,83
0,07 31,97
57.868,21
(46.192,62) (0,05) 38,75
(190.385,26) (0,22) 70,96
0,05 104,57
42.270,78
0,46 43,97
394.880,56
0,46 129,78
394.880,56
(51.349,34) (0,06) 156,86
(51.349,34) (0,06) 156,86
0,14 156,86
118.612,91
0,47 156,86
410.794,79
(159.341,52) (0,18) 112,02
0,29 185,28
251.453,27
DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA - MÉTODO INDIRETO
PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE 2012
Fluxos de caixa das atividades operacionais
Sobras antes do imposto de renda e da contribuição social Ajustes
Depreciação e amortização
Provisão p/devedores duvidosos
Provisão p/férias e 13º salário
Juros s/Capital Social
Juros, variações monetárias e cambiais sobre empréstimos, contigências e
depósitos judiciais.
Juros pagos
Subtotal Variações nos ativos e passivos
(Aumento)/Redução de Contas a receber
(Aumento)/Redução de Estoques
(Aumento)/Redução de Tributos a recuperar
(Aumento)/Redução de Outros Ativos
Aumento/(Redução) de Fornecedores
Aumento/(Redução) de Salários e encargos sociais
Aumento/(Redução) de Tributos a pagar
Aumento/(Redução) de Outros Passivos
Caixa Proveniente da operações Juros pagos
Caixa líquido proveniente das (aplicado nas) atividades operacionais
Fluxos de caixa das atividades de investimentos
Variação do Realizável de Longo Prazo
Depósitos judiciais
Variação do Permanente
Aquisições de bens do ativo imobilizado
Caixa líquido aplicado nas atividades de investimentos
Fluxo de caixa das atividades de financiamento Contratação Empréstimos/Financiamentos
Desembolso Empréstimos/Financiamentos
Caixa líquido (aplicado nas) proveniente das atividades de financiamentos
Aporte de Capital
Transferência de resultados
Aumento (redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa
Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício
Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício
Variação do Saldo de Caixa
Valores em R$
2013
2012
2.884.091
2.699.713
173.627
394.881
466.994
135.327
548.634
178.498
345.939
190.385
557.016
159.342
269.559
1.111.452
2.710.464
231.981
820.169
2.304.832
(1.478.994)
(341.598)
(64.767)
15.264
(647.499)
(347.199)
(94.874)
(10.807)
(2.970.474)
(1.111.452)
(1.197.835)
37.442
(1.083.464)
(143.246)
10.204
982.422
(617.494)
183.393
10.807
(619.936)
(820.169)
1.259.608
(14.138)
(14.138)
(1.077.058)
(1.077.058)
(1.091.196)
(34.384)
(34.384)
(401.602)
(401.602)
(435.986)
19.857.762
(21.755.290)
(1.897.528)
314.871
(429.952)
(4.301.640)
8.632.996
4.331.356
(4.301.640)
12.602.770
(7.471.080)
5.131.690
872.277
(1.498.874)
5.328.715
3.304.281
8.632.996
5.328.715
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
10 de Março a 10 de Abril/14
5
SALDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011
Integr. Capital Social em Dinheiro
2.145.619,01 (349.202,78) (48.617,45) 9.804.720,98
- 13.001,34
6.098,77
698.116,52
207.399,00
-
-
131.457,60 460.333,83
-
-
587.649,54 211.069,76
-
-
206.924,64 194.014,42
-
-
TOTAL
Sobras à
Disposição
AGO
Reserva
Contingência
Terceiros-2005
Reserva
Contingência
Assoc. -2005
Reserva
Contingência
Terceiros-2004
Reserva
Contingência
Assoc.- 2004
Contingências
Fiscais - INSS
1995/2005
Contingências
Fiscais -SRF
2000/2001
Reserva p/
Amortização
Diferido
RATES
Fundo de
reserva
(-) Capital a
Realizar
Capital
Social
(-) Devolução
Capital
DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012
887.318,21 15.136.803,28
-
19.100,11
-
107.784,98
Integr. Capital Social Juros S/Capital Social 2011
107.784,98
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
Integr. Capital Social Sobras 2011
887.318,21
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
- (887.318,21)
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(141.926,25)
Apuração Resultado com Terceiros
- (141.926,25)
-
- (118.612,81)
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(118.612,81)
Apuração Resultado Exercício - 10 % sobras
-
-
-
51.349,34
-
-
-
-
-
-
-
-
-
51.349,34
-
-
-
-
51.349,34
-
-
-
-
-
-
-
-
51.349,34
Apuração das Sobras Líquidas de 2012
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
251.453,17
251.453,17
Utilização Rates
-
-
-
- (333.943,33)
-
-
-
-
-
-
-
-
(333.943,33)
-
-
-
- (118.270,72)
-
-
-
-
-
-
-
-
(118.270,72)
Devolução de Capital Social
Apuração Resultado Exercício - 10 % sobras
Ajustes Rates
SALDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012
3.146.820,97 (491.129,03) (35.616,11) 9.737.457,51
- (4.406,48)
10.199,77
297.251,81
207.399,00
131.457,60 460.333,83
587.649,54 211.069,76
206.924,64 194.014,42
-
251.453,17 14.905.087,11
-
-
-
-
-
-
-
-
-
5.793,29
Integr. Capital Social Juros S/Capital Social 2012
159.341,52
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
159.341,52
Integr. Capital Social Sobras 2012
251.453,17
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
- (251.453,17)
-
- (101.716,61)
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(101.716,61)
- (292.991,60)
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(292.991,60)
-
80.547,55
-
-
-
-
-
-
-
-
-
80.547,55
Integr. Capital Social em Dinheiro
Devolução de Capital Social
Apuração Resultado com Terceiros
Apuração Resultado Exercício - 10 % sobras
-
-
Apuração Resultado Exercício - 10 % sobras
-
-
-
-
80.547,55
-
-
-
-
-
-
-
-
80.547,55
Apuração das Sobras Líquidas de 2013
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
465.882,20
465.882,20
Reversão Contingências Fiscais SRF-2000/2001
-
-
-
-
-
- (131.457,60)
-
-
-
-
-
-
(131.457,60)
3.567.815,43 (592.845,64) (40.022,59) 9.525.013,46
-
-
-
-
-
(207.399,00)
377.799,36
Reversão Reserva p/Amortização Diferido
SALDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013
- (207.399,00)
-
-
-
- 460.333,83
587.649,54 211.069,76
206.924,64 194.014,42
465.882,20 14.963.634,41
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS
1) Contexto Operacional
A Cooperativa dos Produtores Rurais de
Abaeté e Região Ltda. – COOPERABAETÉ,
fundada em 19 de novembro de 1928, é uma
sociedade de pessoas (produtores rurais),
com forma e natureza jurídica próprias, não
sujeita a falência, constituída para prestar serviços aos associados. A sua área de atuação
é todo o Estado de Minas Gerais, para efeito
de admissão de associados. A administração
da Cooperativa está sediada à Praça Dr.
Amador Álvares, 122, Centro de Abaeté - MG,
CEP 35.620-000. A cooperativa possui filiais
nas cidades de Abaeté, Paineiras, Biquinhas
e Morada Nova de Minas, sendo atuante
em todo o entorno da região. Sua finalidade
preponderante é a intermediação da produção
rural do leite in natura de seus associados junto à Cooperativa Central – Itambé – tendo em
vista a conservação do leite e a diminuição das
despesas deste processo. Dentre os objetivos
sociais destacam-se:
• Comércio atacadista de leite e derivados
(laticínio);
• Comércio varejista de mercadorias
em geral, com predominância de produtos
alimentícios (supermercados);
• Comércio atacadista de mercadorias
em geral, com predominância de insumos
agropecuários (lojas de insumos);
• Comércio varejista de combustíveis
para veículos automotores (postos de com-
bustíveis);
• Padaria e confeitaria com predominância de revenda (loja de conveniência);
• Fabricação de alimentos para animais
(fábrica de ração).
2) Principais Diretrizes Contábeis
As demonstrações contábeis da Cooperabaeté foram elaboradas de acordo com as
práticas contábeis adotadas no Brasil em conformidade com a Lei 6.404/76 adaptadas às
peculiaridades da atividade cooperativista, em
consonância com a Lei 5.764/71 e Resoluções
nº 920/01 e 1.013/05, do Conselho Federal de
Contabilidade - CFC.
a) Apuração do resultado
O resultado é apurado obedecendo ao
princípio da competência e está sujeito à
tributação do imposto de renda com base no
lucro real. As operações com não associados
foram devidamente destacadas na escrituração contábil, em observância ao art. 87 da
Lei 5.764/71.
As receitas, os custos de mercadorias
e impostos s/vendas provenientes das operações com não associados estão contabilizadas em seus próprios grupos de contas. O
resultado positivo originado dessas operações
com não associados, após a dedução dos respectivos impostos são levados à conta RATES
conforme art. 87 da Lei 5.764/71.
Quanto aos dispêndios/despesas são
inicialmente alocados no grupo de operações
com associados e rateados para o grupo de
operações com não associados na proporção
da receita bruta. O resultado positivo com os
atos cooperativos, após as deduções das
reservas legais, é levado à AGO, para a devida
destinação, conforme art. 50 letra”b” do Estatuto Social e art. 4º, inc. VII da Lei 5.764/71.
b) Crédito de ICMS, PIS e COFINS (regime não-cumulativo)
Os valores de ICMS, PIS e COFINS são
apurados pelo regime não-cumulativo.
Em 2013 foi constituída provisão para
possíveis perdas relativas aos valores dos
créditos recuperáveis de PIS e COFINS,
provenientes das operações de compra e revenda de mercadorias, apurados pelo regime
da não-cumulatividade.
c) Estoques
Os estoques de mercadorias para revenda são demonstrados ao custo médio de
compras, deduzindo-se os impostos recuperáveis, as quebras e as devoluções. Para
acompanhamento e controle dos estoques,
foram realizadas contagens físicas cíclicas
por departamentos e contagem geral. Quando aplicados, foram realizados os devidos
ajustes.
d) Imobilizado/Intangível/Investimentos
Os valores são demonstrados pelo custo
de aquisição. Foram evidenciadas as contas
de depreciação e amortização acumuladas.
DESCRIÇÃO
Total
Investimentos
CCPR MG Ltda.
Cemig S/A
Coop. de Crédito do Oeste de MG Ltda.
Telemig S/A
Ass Ver Def Agr S Joaquim de Bicas e Reg
Coop. de Crédito do Lago Três Marias Ltda.
Imobilizado
Imobilizado Em Uso
Terrenos
Máquinas e Equipamentos
Edificações e Construções
Veículos
Móveis e Utensílios
Equipamentos De Informática
Imobilizado a Setorizar
Imobilizações em Andamento
(-) Depreciações Acumuladas
(-) Máquinas e Equipamentos
(-) Edificações e Construções
(-) Veículos
(-) Móveis e Utensílios
(-) Equipamentos de Informática
Intangível
Softwares
(-) Depreciações Acumuladas
Diferido
Gastos Pré-Operacionais
Gastos de Implantação a Setorizar
Dispêndios Pré-Operacionais
(-) Amortização do Diferido
(-) Gastos de Implantação
(-) Dispêndios Pré-Operacionais
SALDO R$
31/12/2013
31/12/2012
15.685.695,17
15.075.631,17
8.511.995,33
8.507.300,00
8.438.979,66
8.438.979,66
265,60
265,60
67.167,26
65.169,07
835,67
835,67
2.000,00
2.000,00
2.747,14
50,00
7.078.086,88
6.536.149,41
9.860.259,22
8.914.641,11
617.090,38
617.090,38
2.874.575,83
2.834.991,44
1.101.487,71
1.101.487,71
944.478,71
796.260,28
1.090.775,75
877.151,51
595.819,05
462.661,15
170.866,91
2.465.164,88
2.224.998,64
(2.782.172,34)
(2.378.491,70)
(1.372.852,16)
(1.167.060,34)
(138.108,39)
(119.543,67)
(475.559,18)
(431.012,90)
(438.663,86)
(372.729,22)
(356.988,75)
(288.145,57)
95.612,96
32.181,76
121.006,40
50.450,20
(25.393,44)
(18.268,44)
54.297,74
44.274,87
10.022,87
(54.297,74)
(44.274,87)
(10.022,87)
6
10 de Março a 10 de Abril/14
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (continuação)
e) Taxas de depreciação e amortização utilizadas em 2013
As depreciações dos bens integrantes do ativo imobilizado
são calculadas pelo método linear, que consiste na aplicação
de taxas constantes considerando a vida útil econômica
estimada dos bens, a saber:
Descrição dos bens
Edificações
Instalações
Móveis e Utensílios
Máquinas e Equipamentos
Equipamentos de Informática
Veículos transporte de passageiros
Veículos transporte de mercadorias
%
4
10
10
10
20
20
25
Prazo
25 anos
10 anos
10 anos
10 anos
5 anos
5 anos
4 anos
• As amortizações do intangível e do diferido são
calculadas conforme quadro abaixo:
Descrição
Gastos de Implantação
Dispêndios pré-operacionais
Software
%
20
20
20
Prazo
5 anos
5 anos
5 anos
f) Provisões
No ano de 2013 foi constituída a provisão para devedores duvidosos no valor de R$ 135.326,98 (cento e
trinta e cinco mil, trezentos e vinte e seis reais e noventa
e oito centavos) sendo R$ 61.513,42 (sessenta e um mil,
quinhentos e treze reais e quarenta e dois centavos) com
associados e R$ 73.813,56 (setenta e três mil, oitocentos
e treze reais e cinquenta e seis centavos) com terceiros. O
valor dos títulos baixados da provisão se refere ao período
de vencimento de 01/07/2012 a 30/06/2013.
• Reserva para Contingências Fiscais SRF-2000/2001
no valor de R$131.457,60 (cento e trinta e um mil, quatrocentos e cinquenta e sete reais e sessenta centavos),
constituída no ano de 2005 e não utilizada para a finalidade para a qual foi constituída.
• Reserva para amortização do diferido no valor de
R$ 207.399,00 (duzentos e sete mil e trezentos e noventa
e nove reais), constituída em 2008 e que não foi utilizada
para a finalidade para a qual foi constituída.
j) Depósitos Judiciais
Os depósitos judiciais estão apresentados pelo valor
original, a saber:
Depósito
1) A CCPRMG Ltda., entrou
com recurso, em nome
de todas as cooperativas
associadas pleiteando a
inconstitucionalidade da cobrança do PIS e da COFINS
instituída pelo art. 15 da MP
1858/99, cuja base de cálculo alcança as operações
com associados, ao mesmo
tempo em que se julga o
mérito depositar-se-ia judicialmente as importâncias
devidas pelas cooperativas
em relação às operações
com associados.
2) Honorários periciais
referentes ao processo
2007.3812.000212-5
3) Processo 389676.2012.4.01.3812
- Despacho Decisório
015021086
TOTAL
Saldo em Saldo em
31/12/2013 31/12/2012
k) Aplicações Financeiras
O saldo da conta de Aplicações Financeiras em
31/12/2013 é de R$2.884.757,86 (dois milhões, oitocentos e oitenta e quatro mil, setecentos e cinquenta e sete
reais e oitenta e seis centavos), aplicados nas seguintes
instituições bancárias:
2013
1.772.603,10
33,41
1.112.121,35
2.884.757,86
2012
2.823.303,02
33,41
2.000.000,00
3.327.000,00
8.150.336,43
l) Financiamentos
Curto Prazo: Vencíveis em 2014
LINHA
BANCO
Banco do Brasil S/A
Total
Banco Itaú S/A
422.898,43 408.760,33
Descrição
Banco Safra S/A
Sicoob Credioeste
Banco Itaú S/A
Banco do Brasil S/A
Total
VR ORIGINAL
ProCap Agro
ProCap Agro
ProCap Agro
Finame
Finame
Finame
5.000.000,00
2.000.000,00
1.500.000,00
48.000,00
39.500,00
166.000,00
Finame
Leasing
Crédito Rural
988.692,00
52.910,64
2.000.000,00
Total
Crédito Rural
Banco Safra S/A
Cta Garantida
Total
Leasing
Sicoob Credioeste
Valor Total Curto Prazo
Longo Prazo:Vencíveis de 2015 a 2019
Banco do Brasil S/A
ProCap Agro
ProCap Agro
Finame
Finame
Finame
Total
Sicoob Credioeste
Leasing
Valor Total Longo Prazo
VALOR TOTAL DOS FINANCIAMENTOS
3.000.000,00
4.437,45
42.407,04
5.000.000,00
2.000.000,00
48.000,00
39.500,00
166.000,00
VENCIMENTO ENCARGOS
SALDO EM
31/12/2013
6,75% a.a
1.275.081,34 15/05/2017
9,00% a.a
1.342.659,83 15/05/2015
5,5% a.a.
1.500.000,00 07/12/2014
4,5% a.a.
6.000,00 15/09/2019
3% a.a
7.899,96 15/10/2018
3% a.a
33.200,04 15/10/2018
4.164.841,17
4.4 % a.a.
22.706,44 15/01/2014
15.006,45 15/11/2014
5,5% a.a.
2.007.053,39 20/11/2014
2.044.766,28
5,5% a.a.
3.100.356,16 16/05/2014
4.437,45 01/01/2014
3.104.793,61
9.357,30 15/02/2015
9.323.758,36
3.125.000,00
666.666,68
28.500,00
30.283,38
127.266,62
3.977.716,68
1.725,56
3.979.442,24
13.303.200,60
15/05/2017
15/05/2015
15/09/2019
15/10/2018
15/10/2018
6,75% a.a
9,00% a.a
4,5% a.a.
3% a.a
3% a.a
g) Apuração Resultado de Operações com Não
12.597,50 12.597,50
Associados
No ano de 2013, com a reabertura do parcelamento
pela Lei 11.941/2009, a entidade fez a opção pelo
19.271,05 19.271,05
parcelamento e a desistência do parcelamento simpli42.407,04
15/02/2015
ficado consolidado em 2012, do processo tributário nº
10665.000349/96-42, relativo a dívida ativa do IRPJ do
454.766,98 440.628,88
exercício de 1993.
O resultado negativo resultante de operações com
2) Passivos Contingentes
não associados, no valor de R$ 292.991,60 (duzentos e
No desenvolvimento normal das atividades, a Cooperativa está sujeita a certos riscos, representados por eventuais processos tributários e reclamações trabalhistas.
noventa e dois mil, novecentos e noventa e um reais e
a) Tributários - Conforme posicionamento dos assessores jurídicos da Cooperabaeté não haviam demandas passivas com possibilidade de perdas prováveis na data do ensessenta centavos) foi coberto pelo Fundo de Reserva cerramento do balanço de 31 de dezembro de 2013, uma vez que os dois processos que apresentavam essa possibilidade foram parcelados, um pelo benefício do parcelamento
conforme art. 89 da Lei 5.764/71.
da Lei. 11941 de 2009 e consolidado em 07/2011 e outro pelo parcelamento simplificado em 02/2012.
A Cooperativa possui processos tributários, onde figura como ré e, conforme posicionamento de assessores jurídicos, incorre na possibilidade de perdas possíveis, perfazendo
h) Apuração Resultado de Operações com Asso- um total de R$ 5.372.999,08 (cinco milhões, trezentos e setenta e dois mil, novecentos e noventa e nove reais e oito centavos) em valores corrigidos pela Selic até a data de
ciados
01/12/2013, a saber:
Em 2013 foi apurada uma sobra bruta de R$
b) Trabalhistas - A Cooperativa possui
consideradas suficientes pela Administração
Vr atualizado
Descrição
Processos Tributários
805.475,48 (oitocentos e cinco mil, quatrocentos e setenta
reclamações trabalhistas com possibilidade
e agentes seguradores, frente aos riscos
Fase Judicial:
e cinco reais e quarenta e oito centavos) que, de acordo
de perda possível considerada pela assesenvolvidos. As premissas de riscos adotacom o Estatuto Social, será assim distribuída:
0002.06.011.570-2 (0115702- Execução fiscal- cobrança
soria jurídica, cujo valor estimado da condedos, dada a sua natureza, não fazem parte
• R$ 80.547,55 (oitenta mil, quinhentos e quarenta e
1.566.487,24
crédito fiscal INSS
44.2006.8.13.0002)
nação é de R$ 44.863,41.
do escopo de auditoria das demonstrações
sete reais e cinquenta e cinco centavos) destinados ao
Ação Anulatória de vínculo
2007.38.12.000219-5
contábeis e, consequentemente, não foram
Fundo de Reserva conforme Art. 48, inc I;
1.531.520,89
(0000218-29.2007.4.01.3812) jurídico
3) Capital Social
examinadas por nossos auditores indepen• R$ 80.547,55 (oitenta mil, quinhentos e quarenta e
21.149,48
0003896-76.2012.4.01.3812 Ação anulatória
O capital social é formado por cotas
dentes.
sete reais e cinquenta e cinco centavos) destinados ao
Mandado de segurança
4204-81.2013.4.01.3811
partes que estão distribuídas entre os cooRATES (Reserva para Assistência Técnica, Educacional
50.000,00
Contribuição Previdenciária
perados. De acordo com o Estatuto Social,
5) Transações com Partes Relacionadas
e Social) conforme Art. 48, inc. II;
cada cooperado tem direito a um único voto,
Ação
Monitória
Fertilizantes
0006048-78.2013.8.13.0002
As partes relacionadas existentes são as
• R$ 178.498,18 (cento e setenta e oito mil, quatroindependentemente do número de suas
pessoas físicas que tem autoridade e res383.175,52
Heringer
centos e noventa e oito reais e dezoito centavos) retirados
cotas partes. Há previsão estatutária de paponsabilidade de planejar, dirigir e controlar
3.119.157,61
Sub total
das sobras líquidas, conforme art. 50 letra “a” do estatuto
gamento de juros de até 6% ao ano sobre
as atividades da cooperativa e membros da
Fase
Administrativa:
social e decisão do Conselho de Administração, referente
o valor integralizado das cotas partes do
família de tais pessoas.
Auto infração CSLL s/venda
à remuneração de juros sobre o capital social à alíquota de
capital social.
As operações com tais partes relaciona1.736.122,14
mercadorias a associados
6%, sendo integralizado aos associados na proporção do
10.665.001041/2005-76
das não são relevantes no contexto global
valor de suas quotas de capital existentes em 31/12/2013;
Auto infração IRPJ s/venda
4) Seguros
das operações da Cooperativa, e caracteri• R$ 465.882,20 (quatrocentos e sessenta e cinco mil,
441.299,11
mercadorias a associados
10.665.001040/2005-21
A Cooperabaeté mantém contratos de
zam-se basicamente por transações finanoitocentos e oitenta e dois reais e vinte centavos) serão
Saldo negativo de CSLL Ma10.665.900028/2008-44
seguros para os bens patrimoniais de diceiras em regime normal de operações.
levados à disposição da Assembleia Geral Ordinária para
32.250,77
nifestação de inconformidade
versas modalidades, cujas coberturas são
Abaeté – MG, 31 de dezembro de 2013.
deliberação, conforme artigo 50 letra “b” do Estatuto Social
Saldo negativo de IRPJ Mani10.665.900029/2008-99
e Art. 4º inc. VII da Lei 5.764/71.
23.964,38
festação de inconformidade
Eustáquio Márcio de Oliveira
Rogério Lage de Oliveira
Saldo negativo de IRPJ Mani10.665.907.422/2011-17
i) Reversão dos Fundos
Presidente
Diretor Comercial
20.205,07
festação de inconformidade
Conforme deliberação da Assembleia Geral Ordinária
José Soares dos Santos
Kelcilenei Antônia de Azevedo
2.253.841,47
Sub total
de 23/03/2013 foram revertidas às sobras as seguintes
Diretor Administrativo
CRC/MG 069750/0-4
5.372.999,08
TOTAL
reservas:
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
10 de Março a 10 de Abril/14
RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES
PARECER DO CONSELHO FISCAL
Os abaixo assinados, membros
do Conselho Fiscal da Cooperativa
dos Produtores Rurais de Abaeté e
Região Ltda., no desempenho de
suas funções, procederam rigoroso
exame ao Balanço Patrimonial, Demonstração das Sobras e Perdas,
Demonstração das Mutações do
Patrimônio Líquido, Demonstração
do Fluxo de Caixa e Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis do
exercício findo em 31 de dezembro de
2013, encontrando tudo em perfeita
ordem.
Assim sendo, declaram que os
referidos relatórios refletem adequadamente a situação patrimonial e
financeira, bem como a observância
aos princípios contábeis, legais e estatutários, sendo de parecer favorável
à aprovação das contas pela Assembleia Geral Ordinária.
Abaeté, 28 de fevereiro de 2.014.
Adelson Eustáquio Campos Ramiro
João Mendes Souza Filho
Mauri Soares da Silva
Ilmos. Srs.
Conselheiros, Diretores e Associados da
COOPERATIVA DOS PRODUTORES
RURAIS DE ABAETÉ E REGIÃO LTDA.
- COOPERABAETÉ
Abaeté – MG
Examinamos as demonstrações financeiras individuais da COOPERATIVA DOS
PRODUTORES RURAIS DE ABAETÉ
E REGIÃO LTDA. - COOPERABAETÉ,
que compreendem o balanço patrimonial
em 31 de dezembro de 2013 e de 2012 e
as respectivas demonstrações de sobras
ou perdas, das mutações do patrimônio
líquido e dos fluxos de caixa para os
exercícios findos naquelas datas, assim
como o resumo das principais práticas
contábeis e demais notas explicativas.
Responsabilidade da administração pelas demonstrações contábeis
A Administração da COOPERATIVA DOS
PRODUTORES RURAIS DE ABAETÉ E
REGIÃO LTDA. - COOPERABAETÉ é
responsável pela elaboração e adequa-
Contagem Bacteriana
PRODUTOR (MATRÍCULA)
José Augusto Álvares da Silva (62)
José Vieira de Moura (3657)
Paulo Roberto F Andrade (2066)
Efanil Ramiro (3602)
Efren de Sousa Machado (2018)
Valdir Vicente de Sousa (3078)
Luiz Carlos de Araújo (683)
Anivaldo José de Freitas (4506)
João Carlos de Oliveira (670)
Edvar Antônio de Amorim (3549)
Josée Pereira de Lima 1942 (1558)
Eustáquio Márcio de Oliveira(797)
Durval Alves Pimenta (2716)
Salmo Roberto de Oliveira (697)
Carlos Antônio de Andrade (3125)
Fabio Eugênio Lemos Costa (441)
Elismar Noronha Lima (3459)
Delibe Cordeiro de Menezes P (3551)
José Júlio de Faria (266)
Aguinaldo Ferreira da Silva (421)
Adelino José C Sobrinho (1611)
Geraldo José Correa (3656)
Onésio Ferreira Maia (3430)
João Eustáquio de Lima (3130)
Ildeu José Ferreira (235)
Luiz Alberto de Oliveira (811)
Felipe Alberto Xavier Oliveira (358)
Gaspar Leandro da Silva (3523)
Geraldo Donizete da Silva (3655)
Adelson e Campos Ramiro (3157)
7
CBT
1.732
1.732
2.000
2.236
2.449
2.646
2.828
3.162
3.464
3.742
3.873
4.000
4.243
4.243
4.472
4.472
4.899
4.899
5.000
5.000
5.196
5.196
5.292
5.477
5.477
5.477
5.477
5.477
5.477
5.657
da apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as
práticas contábeis adotadas no Brasil e
pelos controles internos por ela determinados como necessários para permitir
a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorções relevantes,
independentemente se causadas por
fraude ou erro.
Responsabilidade do auditor
Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa
auditoria, conduzida de acordo com as
normas brasileiras e internacionais de
auditoria. Essas normas requerem o
cumprimento de exigências éticas pelos
auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter
segurança razoável de que as demonstrações financeiras estejam livres de
distorções relevantes.
Uma auditoria envolve a execução
de procedimentos selecionados para
obtenção de evidência a respeito dos
valores e divulgações apresentados
nas demonstrações financeiras. Os
procedimentos selecionados dependem
do julgamento do auditor, incluindo a
avaliação dos riscos de distorções relevantes nas demonstrações financeiras,
independentemente se causadas por
fraude ou erro.
Nessa avaliação de riscos, o auditor
considera os controles internos relevantes para a elaboração e a adequada apresentação das demonstrações
financeiras da instituição para planejar
os procedimentos de auditoria que são
apropriados nas circunstâncias, mas
não para expressar uma opinião sobre
a eficácia dos controles internos da COOPERATIVA DOS PRODUTORES RURAIS DE ABAETÉ E REGIÃO LTDA. COOPERABAETÉ. Uma auditoria inclui
também a avaliação da adequação das
práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas
pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto.
Acreditamos que a evidência de audito-
ria obtida é suficiente e apropriada para
fundamentar nossa opinião.
Opinião sem ressalva
Em nossa opinião, as demonstrações
financeiras referidas acima apresentam
adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial
e financeira da COOPERATIVA DOS
PRODUTORES RURAIS DE ABAETÉ
E REGIÃO LTDA. - COOPERABAETÉ
em 31 de dezembro de 2013 e de 2012,
o desempenho de suas operações, as
mutações do patrimônio líquido e os fluxos de caixa para os exercícios findos
naquelas datas, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.
Belo Horizonte - MG, 03 de março de
2014.
BAUER AUDITORES ASSOCIADOS
CRC MG 6427
FÁBIO EDUARDO DE ALMEIDA
Contador Responsável
CRC MG 077699/O
Contagem de Células Somáticas Porcentagem de Matéria Gorda Porcentagem de Proteína Total
PRODUTOR (MATRÍCULA)
CCS
José Gonçalves de Freitas (4602)
19.442
José Lino da Cunha (1577)
32.078
José Carlos dos Santos (4056)
34.857
José Vicente de Oliveira (2650)
45.717
Leni de Castro Cordeiro (1664)
56.000
Francisco Brandão (205)
59.000
Geraldo Fernandes Damascena (3594) 60.399
Efren de Sousa Machado (2018)
79.599
João Leivindo da Cunha (1518)
82.873
Bento José de Oliveira (562)
89.432
Gaspar Leandro da Silva (3523)
91.804
Evandir Ferreira (1556)
94.573
Isaelmon César Damasceno (4110)
97.000
Anivaldo José de Freitas (4506)
98.793
Ronaldo Antônio Silva e Outro (4111) 104.432
Sílvio Antônio da Costa (588)
107.000
Amador Raul de Barcelos (1221)
107.303
Altivo Rodrigues Pereira (4234)
117.499
Laércio Fernandes Pereira (56)
124.804
José Maurício da Silva (2704)
128.775
Júlio Ricardo Ferrão (2117)
134.164
Manoel Francisco Carvalho Fº (177) 142.113
João Lourenço da Silva (1602)
144.444
Paraíso Augusto da Silva (2181)
147.397
João Gomes de Almeida-1942 (2167) 150.705
Efanil Ramiro (3602)
152.604
João Batista Ferreira (3474)
153.447
Carlos César da Cunha (4406)
161.802
Waldemar Rodrigues Pereira (4299) 165.409
Altino de Souza Machado (4591)
167.952
PRODUTOR (MATRÍCULA) % GORDURA
Luiz Gonzaga de Lima (3046)
4,45
Carlos Pereira Bueno (3169)
4,33
Altamir José T Sousa (3216)
4,29
Sebastião Lucas Pereira (1403)
4,26
José Maria da Silva (3522)
4,24
Adelson Santiago de Sousa (3146)
4,24
Rafael Romeiro Lopes Cansado (3591) 4,24
José Simão Ferreira (1586)
4,23
Libério Jeovando Ferreira (2719)
4,23
Elizete Coutinho Nogueira e (255)
4,20
Edson Morato (4460)
4,19
Geraldo Donizete Mendes (4638)
4,14
João Eustáquio de Lima (3130)
4,13
Sebastião José de Freitas (3573)
4,11
Carlos Antônio de Andrade (3125)
4,10
Ari José da Cunha (1530)
4,10
Edi Ferreira da Silva (284)
4,10
Fábio Eugênio Lemos Costa (441)
4,04
Jacob de Vargas - Espólio (4019)
4,04
Emídio Pereira Neto (3660)
4,03
Marconi Afonso de Avelar e Outro (243) 4,01
Mariana Arruda Avelar (387)
4,01
Joaquim Osvaldo de Oliveira (2030)
4,00
Elismar Noronha Lima (3459)
4,00
Rogério Lage de Oliveira (370)
4,00
Jane Pedro José de Sousa (4610)
3,99
Carlos Antônio Carvalho (365)
3,98
Bráulio José dos Passos Correa (198)
3,98
Higino Cunha Valadares (782)
3,97
Marco Antônio Arruda (677)
3,95
PRODUTOR (MATRÍCULA) % PROTEÍNA
3,75
Jane Pedro José de Sousa (4610)
3,73
Luiz Gonzaga de Lima (3046)
3,72
Daniel Gonçalves Rios (3137)
3,72
Sebastião Alves da Silva (772)
3,71
José Maria da Silva (3522)
3,62
Carlos Pereira Bueno (3169)
3,62
Geraldo Donizete Mendes (4638)
3,61
Carlos Antônio Carvalho (365)
3,59
Ivagro Agropecuária Ltda (4625)
3,58
Sebastião de Campos Cordeiro (3530)
3,56
Waldemar Rodrigues Pereira (4299)
3,55
Osvaldo Luiz de Oliveira (321)
3,54
Edson Morato (4460)
Geraldo Fernandes Damascena (3594) 3,53
3,53
Carlos Antônio de Andrade (3125)
3,52
Carlos César da Cunha (4406)
3,52
Anibal Vicente dos Santos (4605)
3,52
Geraldo Leão do Amaral (4100)
3,52
Carlos Antônio Leão do Amaral (4595)
3,51
Valdemar Pereira da Silva (3520)
3,51
Rogério Lage de Oliveira (370)
3,51
Geraldo Mendes Morato Filho (452)
3,51
Deusderio Pinto da Silva (435)
3,51
Maria A V de Sousa Cruz e Ou (145)
3,50
Emídio Pereira Neto (3660)
3,49
Célia Xavier da Silva (4104)
3,49
Oscar Liandro da Cunha (4617)
3,48
Manoel Francisco Carvalho Fº (177)
3,48
João Eustáquio de Lima (3130)
3,47
Bráulio José dos Passos Corr (198)
José Gonçalves Pereira (1552) empatou em 30º lugar na Matéria Gorda com 3.95%. João César da Cunha Sobrinho (1574) e Aloisio Antônio Cunha (3429) ficaram em 30 lugar na Proteína, com 3,47%
8
10 de Março a 10 de Abril/14
Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais de Abaeté e Região Ltda.
Cooperabaeté comemora sucesso do
Núcleo de Mulheres Cooperativistas
“Neste ano, as participantes do
Núcleo de Mulheres Cooperativistas da Cooperabaeté têm um motivo a mais para comemorar o dia
8 de março. Nos próximos meses,
será formalizada a constituição da
associação que irá potencializar a
produção e a comercialização de
alimentos e artesanatos produzidos por elas”. Assim começa uma
matéria especial escrita pela jornalista Mônica Salomão e publicada em março pela Revista Itambé.
A reportagem destaca como o
Núcleo de Mulheres, fundado em
2011, tornou-se um importante
aliado da diretoria da Cooperabaeté junto aos seus associados.
Segundo o presidente Eustáquio
Márcio de Oliveira, “a diretoria
entende que a mulher é uma
formadora de opinião e exerce
muita influência em casa. Então
essa parceria é muito produtiva,
porque seus maridos, e também
o associado de modo geral, não
têm tempo de vivenciar o dia a dia
da organização. Como elas estão
sempre aqui participando de reuniões conosco, levam as informações a eles. Com isso, temos
percebido que a relação da diretoria com o associado melhorou
muito depois da criação do núcleo
de mulheres”.
Na reportagem, o diretor administrativo José Soares dos Santos lembra que outra importante
contribuição trazida pelo núcleo
é o incentivo à sucessão no meio
rural. “Há um costume de dizer
que a vida no campo é muito dura
e que o melhor a fazer é ir para
os grandes centros urbanos. Entendemos que não é necessário,
os jovens podem ir para a capital
estudar e depois retornar para a
fazenda”, defende. “E neste sentido, as mulheres do núcleo têm
nos ajudado a disseminar a ideia
de educação cooperativista, a fim
de mostrar que é possível ser bem
sucedido com a atividade rural”,
acrescenta o diretor comercial,
Rogério Lage de Oliveira.
Algumas das participantes do
Núcleo também foram entrevistadas na matéria. A coordenadora
Ivone de Faria agradeceu o total
respaldo da diretoria da cooperativa, o que já permitiu ao núcleo
realizar campanhas de apoio à
Apae, à Vila Vicentina, além de
uma participação ativa no Dia C,
o Dia de Cooperar, promovido em
parceria com a Ocemg.
Com o título “Mulher de Fé”, a
Revista Itambé publicou, ainda,
uma reportagem com a associada
Maria Matilde de Sales, produtora
de 300 litros de leite na Fazenda
Fuzil, em Abaeté. Na matéria, ela
avalia que conseguiu alcançar todos os objetivos que traçou: “Nós
mulheres somos guerreiras por
natureza e, não desfazendo dos
homens, muito mais perseverantes. Quando traçamos um objetivo,
vamos até o fim. Como costuma
dizer um sobrinho meu, o mundo
sem mulher não tem beleza”.
As mulheres têm presença marcante também
nos trabalhos dos outros
Núcleos Cooperativistas,
como o do Paredão, onde
se destacam (da esquerda para a direita) Luciana,
Giovana, D. Nini, Adriana,
Maria Antônia, Maristene,
Diane e Jose
O DIA INTERNACIONAL DA
MULHER será celebrado com a
II Caminhada promovida em parceria com a Casa da Amizade do
Rotary Club, no dia 15 de março,
sábado.
O grupo vai sair às 8 horas da
sede da Cooperativa e caminhar
até o Rotary, onde será oferecido
um almoço aos participantes com
sorteio de brindes. Maiores informações sobre o evento podem ser obtidas com Marcos
Rodrigues pelo telefone (37)
3541-5454.
Download

Publicação da Cooperativa dos Produtores Rurais