6
Polícia - policia@mirante.com.br
O Estado do Maranhão - São Luís, 20 de janeiro de 2012 - sexta-feira
Biné Morais
Motorista morre imprensado
por estacas de concreto na
cabine da carreta que dirigia
Acidente ocorreu na BR-135; vítima perdeu o controle do veículo ao passar
em lombada, e as estacas que transportava se soltaram e destruíram a cabine
Fotos/Diego Chaves
O
motorista Ronildo Velozo
Lago, de 33 anos, que
conduzia uma carreta
que fazia transporte de estacas de
concreto, morreu na manhã de
ontem preso às ferragens da cabine do veículo, invadida pela
carga. O acidente ocorreu no Km12, da BR-135, na Vila Maranhão.
Três pessoas ficaram feridas, entre elas duas crianças. Segundo
testemunhas, o motorista perdeu
o controle da carreta Wolksvagen
de placas HPV-1474, de São Luís,
ao passar sobre uma lombada e
foi parar no acostamento. Chovia
muito no momento do acidente.
Com a violência do choque
contra a barreira, as estacas de
concreto que eram transportadas
se soltaram e imprensaram a cabine, atingindo o motorista. De
acordo com a Polícia Rodoviária
Federal (PRF), no veículo, que procedia de Teresina, além do motorista, estavam Maria Luzirene Lima, de idade não revelada; Luiza
Santos, de 7 anos, e Lucas Eduardo de 4 anos, que foram socorridos e lavados para o Hospital Socorrão II com ferimentos leves. Segundo a PRF, a velocidade desenvolvida pelo veículo estaria acima
da permitida.
Receio - A cabine da carreta ficou totalmente retorcida e isso
chamou a atenção da comunidade, receosa devido aos constantes acidentes, já que não há
no local a sinalização indicando
a lombada. "São comuns aci-
Júri condena
ex-deputado
a 103 anos
de prisão
MACEIÓ - Depois de um julgamento histórico - até pela duração, já que no último dia consumiu praticamente 24 horas -, o
médico e ex-deputado federal
Talvane Albuquerque foi condenado a uma pena total de 103
anos e 4 meses de prisão em regime fechado. Os jurados, no veredito, confirmaram que Talvane foi o mandante da Chacina da
Gruta, o assassinato da deputada federal Ceci Cunha e de três
parentes dela, em 16 de dezembro de 1996. Ele também foi condenado a pagar indenização de
R$ 100 mil à família das vítimas.
As informações são do portal tudonahora.com.br.
Todos os cinco réus foram
condenados por quatro homicídios qualificados, com diversos
agravantes. Jadielson Barbosa e
José Alexandre, o Zé Piaba, foram
condenados às maiores penas, já
que a acusação conseguiu provar que os dois foram autores dos
tiros que mataram as quatro vítimas. Alécio Alves e Mendonça
Medeiros tiveram penas menos
longas porque o júri considerou
que participação dos dois foi menos importante.
A primeira pena a ser anunciada pelo juiz André Tobias
Granja foi a de Jadielson Barbosa. Ele foi condenado por quatro
homicídios qualificados (por motivo torpe, mediante recompensa, sem possibilidade de defesa
da vítima e, em três deles, para
assegurar a impunidade de outro crime). A pena fixada pelo juiz
é de 105 anos de prisão em regime fechado.
Alécio Alves Vasco foi condenado à pena de 87 anos e três
meses, também em regime fechado. Esse mesmo atenuante
deve ser aplicado a Mendonça
Medeiros, já que os jurados também consideraram que ele teve
participação de menor importância.
José Alexandre dos Santos, o
Piaba, foi condenado a 105 anos
de prisão em regime fechado.
Foi o terceiro condenado pela
Chacina da Gruta a ter a pena
anunciada pelo juiz André Tobias Granja.
Corpo de Bruno é observado por moradores e PMs no local do crime
Dois homicídios
foram registrados
ontem em São Luís
Vigilante da VIP matou uma pessoa na Rua
do Norte e um jovem foi assassinado por
desconhecidos na área da Cidade Operária
Carreta que era conduzida por Ronildo Velozo Lago (detalhe) ficou com a cabine totalmente destruída
dentes por aqui. Temos medo de
que a qualquer momento sejamos surpreendidos com um
desses veículos invadindo nossas casas, como quase aconteceu hoje [ontem]. É necessário
mais atenção dos motoristas",
disse Raimundo Nonato Silva,
morador na área e que por pouco não teve a casa destruída.
"Foi um susto. De repente, só
olhamos as estacas de concreto
em nossa direção. Graças a Deus,
nada sofremos", disse o carpinteiro Edison da Silva Santos. Ele
“
Nunca mais quero
presenciar o que olhei
hoje. Uma cena triste"
Edison da Silva Santos, carpinteiro, que ajudou as vítimas.
acrescentou que retirou as pessoas da cabine do caminhão, mas
não foi possível ajudar o motorista que ficou preso nas ferragens.
"Fui até a carreta e retirei a mu-
lher com as duas crianças. O homem pedia por socorro. Porém,
não podia vê-lo, pois estava debaixo dos ferros retorcidos", lamentou.
Bando de ladrões de joias
é descoberto pela polícia
Quadrilha era liderada por um ex-policial civil e PMs; um empresário teve
prejuízo de mais de R$ 500 mil em um assalto planejado pelo ex-agente
Fotos/Reprodução
Depois de manter em sigilo desde o início da semana a prisão de
um ex-policial civil suspeito de
integrar uma quadrilha responsável por roubar mais de R$ 500
mil de um empresário do ramo
de joias, em São Luís, a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) divulgou,
ontem, os nomes de três membros do bando. Além do ex-agente, foi divulgada a participação
de dois policiais militares, lotados no 9º Batalhão, que já estão
com prisões decretadas, mas ainda não cumpridas.
O ex-policial civil, preso quarta-feira, 18, na Cidade Operária,
é Leonard Lopes da Silva, de 35
anos, que foi expulso da Polícia
Civil do Maranhão em 2007 por
matar com um tiro na cabeça
um preso dentro do xadrez da
Delegacia Especial da Cidade
Operária (Decop), na qual era lotado. Segundo a polícia, ele teria
arquitetado o crime e recrutado
os demais integrantes da quadrilha para atacar o joalheiro Leonardo Bruno Silva Rodrigues, de
30 anos. A vítima foi atraída para a casa do agente Lopes, como
era conhecido.
"Lopes se passou por cliente
interessado nas joias e marcou
um encontro com a vítima em
sua casa. O empresário levou o
mostruário com as peças de
maior valor, conforme pediu o expolicial, e no imóvel passaram
horas olhando as joias. Antes de
deixar a vítima sair de sua casa, o
ex-policial ligou para os cúmplices, fingindo estar marcando outro encontro. Era o sinal que o criminoso passava aos militares,
que aguardavam do lado de fora", resumiu o superintendente
da Seic, Augusto Barros.
Abordagem - Assim que saiu da
casa do agente Lopes, o joalheiro foi abordado por outros três
homens, armados de revólveres
e pistolas, que estavam em um
veículo Fiesta branco. Um deles
foi Cézar Junior de Souza, de 33
anos, também residente na Cidade Operária. Foi a partir da pri-
Cézar Júnior, um dos envolvidos
Leonard Lopes, ex-policial civil
Dois homicídios foram registrados ontem em São Luís. O primeiro, na Rua do Norte, Centro,
onde Jotaci Pereira do Lago, morador do bairro Coroadinho, foi
alvejado por um vigilante da empresa VIP, identificado como José Henrique Rocha Gomes. Segundo informações, o segurança guardava um terreno pertencente à Secretaria Adjunta de
Modernização de Patrimônio
(Samop), onde a vítima teria entrado para fazer necessidades fisiológicas. Ao ser descoberto,
acabou discutindo com o funcionário.
Jotaci do Lago morreu antes
de chegar ao Hospital Municipal
Djalma Marques (Socorrão I).
Após efetuar os dois disparos
contra a vítima, o vigilante fugiu
do local. Em nota, o Governo do
Estado lamentou o fato e informou que já tomou providências
acerca do caso, no que tange às
investigações sobre o caso. O governo também esclarece que
acionou a empresa VIP Vigilância, terceirizada pela Secretaria
de Planejamento, Orçamento e
Gestão (Seplan), e que, de acordo com cláusula contratual, é a
responsável pelos atos do vigilante acusado do ocorrido.
O segundo homicídio foi registrado na Cidade Operária. Por
volta das 15h45, um jovem identificado apenas como Bruno, de
são deste que a polícia descobriu
que o restante do bando era formado por policiais. "Prendemos
Cézar um dia após o crime, na
sexta-feira, 13. Em depoimento,
ele entregou os demais, sendo
dois deles policiais militares",
acrescentou Barros.
Os PMs foram identificados
como cabo Wellington de Jesus
Costa e o soldado Thales Enésio
Campos Almeida. O Comando
Geral da PMMA informou que
o cabo teria seu processo de deserção contado a partir de ontem, enquanto o soldado a contar de hoje, caso não comparecessem à suas escalas de serviço. Após várias diligências, a polícia recuperou R$ 150 mil em
Soldado Thales Enésio Campos
Mais
Todos deverão responder pelos crimes de roubo a mão armada e formação de quadrilha. A Seic está à procura de
outros três integrantes do
bando, dois deles identificados apenas como Neto e Oton.
O terceiro, de acordo com a
polícia, também seria um policial militar.
joias, metade em poder de Cézar de Souza, e a outra parte
com o ex-agente Lopes. Todos
são investigados por sequestro
relâmpago e extorsão.
A empresa VIP Vigilância esclareceu que a reação do vigilante foi um gesto de autodefesa,
já que o homem alvejado simulou sacar uma arma da cintura.
De acordo com a empresa, o
profissional agiu em pleno
acordo com os procedimentos
de segurança previstos para esse tipo de ocorrência.
aproximadamente 20 anos, foi
morto com um tiro na cabeça e
outro no ombro direito. O crime
ocorreu na Rua 101, da Unidade
101, na porta de um estabelecimento comercial de nome Congresso Marakutaia, onde a vítima estava sentada. Segundo informações de policiais militares
do 6º Batalhão, o jovem pode ter
sido assassinado por engano. "O
irmão da vítima seria traficante
e muito parecido com ela", informou o sargento Samarone.
Testemunhas informaram
que os disparos teriam partido
de dentro de um Corsa Classic
preto, ocupado por dois homens.
"Alguns populares informaram
que um dos atiradores seria um
homem identificado apenas como Amaral, gerente de uma boca de fumo, liderada pelo traficante Bob.
Mulher é assassinada a
golpes de faca e martelo
em bairro de Imperatriz
Crime foi praticado
pelo companheiro da
vítima durante uma
crise de ciúmes
Cabo Wellington de Jesus Costa
Mais
IMPERATRIZ - Uma crise de
ciúmes foi a motivação para o
assassinato a facadas e a golpes
de martelo da dona de casa Ismarly Pereira da Silva, de 38
anos, ontem, no setor Entroncamento, em Imperatriz. O suspeito é o companheiro da vítima, Adão Fernandes Santos,
que foi levado ao Hospital Municipal (Socorrão) após ter tentado o suicídio com golpes de
faca nos braços. Esse é o segundo caso de assassinato a mulher
em que o autor tenta cometer
suicídio em um período de pouco mais de um mês na cidade.
Segundo informações de vizinhos, Ismarly e Adão eram casados, mas nos últimos dias vinham se desentendendo. Na
quarta-feira à noite, vítima e
suspeito teriam travado uma
discussão acirrada. O delegado
regional Assis Ramos informou
que as investigações apontam
que o crime ocorreu por volta
das 4h de ontem. A mulher foi
morte com pelo menos seis golpes de faca e várias marteladas
na cabeça.
Os vizinhos ainda ouviram os
gritos da vítima e chamaram a
Polícia Militar, mas quando a
patrulha chegou à Rua Bom Jesus, no Entroncamento, a mulher já estava morta. O suspeito
foi encontrado ainda no local,
ensanguentado. Ele foi socorrido pelos policiais, que em seguida fizeram a comunicação da
ocorrência à Polícia Civil.
O assassinato de ontem é o
segundo envolvendo mulheres
em pouco mais de um mês, em
Imperatriz. No dia 9 de dezembro do ano passado, moradores
do bairro Bacuri foram surpreendidos com o bárbaro homicídio a tiros que teve como
vítima a também dona de casa
Tátia Queiroz Barbosa, de 33
anos.
O autor foi o operador de máquinas pesadas Aníbal da Silva
Lima Neto, de 45 anos, que tentou se matar com um tiro na cabeça. Depois de receber alta do
hospital, ele também foi autuado em flagrante pelo crime. O
assassinato ocorreu depois de a
mulher ter se negado a reatar o
relacionamento com o acusado.
Em âmbito regional, também foi registrado no dia 1º deste mês o brutal assassinato de
Patrícia Alves de Assunção, de
28 anos, no povoado Vila Alice
Nunes, em Senador La Rocque.
Ela foi morta a golpe de faca no
meio da rua por Paulo de Andrade, que está preso.
Download

Motorista morre imprensado por estacas de concreto