distribuição gratuita - nº4 - Novembro 2003
TERCEIRA GERAÇÃO
CRISE = estratégia
For mas de descobrir o sabor autêntico
editorial
Crise generalizada:
novas estratégias
Estamos
na
4ª edição do
. Desde a última edição
a esta, alguns assuntos têm estado no
centro das preocupações do mundo, da
Europa e especificamente de Portugal, em
que as mudanças são a ordem do dia, fruto
da crise generalizada, que provoca o
repensar de estratégias.
Na
as preocupações não são
diferentes, mas as expectativas e a cautela
jogam entre si, de forma a tentarmos atingir
os nossos objectivos. Com persistência,
sentido estratégico e sem nos desviarmos
do que acreditamos vamos continuar em
frente, pois em frente fica o sucesso e o
desenvolvimento da empresa.
Ser
é um privilégio, já que
formamos um grupo de pessoas que faz
coisas. Já o provámos no passado e um
passado com 34 anos e vamos continuar
a demonstrá-lo no futuro, porque o nosso
público o merece, com especial atenção
para o nosso cliente.
Se existem edições ricas de conteúdo, esta
é uma delas!
Há formas especiais para saborear aquilo que mais gosta.
Mas para isso se tornar possível foi preciso dotar a indústria
de uma forma especial capaz de conduzir esse sabor nas mais
rigorosas condições de higiene.
A Heliflex chamou a essa forma heliflex atóxico e helispring.
Tubos muito flexíveis. Não tóxicos. Concebidos para a condução
e aspiração de produtos alimentares.
Uma outra forma de descobrir o sabor autêntico.
Destaque para alguns artigos técnicos que
tentam esclarecer a opinião pública,
nomeadamente a diferença entre a
certificação e a homologação de produtos,
bem como a utilização eficaz dos tubos de
gás, que envolvem riscos graves se não se
respeitarem as regras básicas de
segurança.
Ainda nesta edição antecipamos-lhe o
lançamento da nova gama para águas
quentes e frias em instalações sanitárias
e industriais: o helitherm blue.
Finalmente, é inevitável fazer
referência à entrevista com
os anteriores sócios da
: uma entrevista
animada e, apesar do natural
saudosismo que a situação
criou, ainda houve
oportunidade de afirmar, com
todo o positivismo, que
perspectivam um futuro de
sucesso para a
.
distribuição gratuita - nº4 - Outubro 2003
A fechar este editorial, não
podemos deixar de o(a)
aconselhar a folhear o
,
pois
outros assuntos dominam
esta edição, reflectindo as
últimas no vidades e o
dinamismo da
.
Nós, marcamos encontro na
próxima edição!
TERCEIRA GERAÇÃO
We are currently on our 4th edition
of
.
Since the last edition, some matters
have been the core concern of the
world, of Europe and specifically of
Portugal, in which change is a daily
issue, outcome of the widespread
crisis, which leads to the rethinking
of strategies.
At
the concerns are not
different, however expectation and
caution are mingled, in order to
achieve our goals. With persistence,
sense of strategy and firmly following
what we believe in, we will continue
going ahead - that is where the
success and the development of our
company lies.
It is a privilege to be a part of
- a group of people that
make things happen! We have
proved it in the past 34 years and
we shall continue to prove it in the
future as the public and specially
our customers deserve it.
In this edition some technical articles
are highlighted so as to elucidate
public opinion, namely the difference
between certification and the
approval of products, as well as the
effective usage of the gas tubes,
which encompass serious risks if
safety rules are not complied with.
Still in this edition, we launched a
new range for hot and cold water
in sanitary and industrial facilities,
named helitherm blue
Until our next edition!
Capa: helivyl tecno pu.
sumário
3
4
5
6
8
9
10
11
12
14
16
18
19
20
22
editorial
entrevista
Marrocos e Palop’s
diferença entre homologação e certificação
auscultação dos clientes
protocolo universidade de Aveiro 5º encontro técnico-profissional
feiras
o nosso stand
há tubos e… tubos!
patrocínios
publicidade
comunicados de imprensa
internamente activos
helitherm blue
ficha técnica /technical file
edição /edition
Heliflex Petzetakis Tubos, Lda
departamento de marketing /marketing department
design e arte gráfica /design and graphic art
incograf
periodicidade /periodicity
bianual /biennial
tiragem /circulation
3.000 exemplares /3.000 copies
distribuição gratuita /free delivery
3
ENTREVISTA
os anteriores sócios da
A tomada de 100% do capital da nossa
sociedade por parte da sócia grega A.G
Petzetakis, S.A. leva-nos ousar pedir aos
ex-gerentes e sócios, Acácio Vieira e
Anselmo Santos, a contarem-nos como
nasceu e cresceu esta bonita empresa.
Adianta Acácio Vieira que o primeiro
contacto com os gregos foi um acaso,
numa feira agrícola de Paris, que resultou
na representação, por parte da Henrique
Vieira & Filhos, Lda, dos tubos
,
fabricados por aquela empresa grega.
Conta Anselmo Santos que, outro acaso,
numa passagem acidental pela empresa
dos seus futuros sócios na Costa do Valado,
mostrou-lhe Acácio Vieira o convite para
um congresso de representantes em
Atenas, convidando-o a acompanhá-lo, o
que Anselmo Santos aceitou. Participando
os dois no congresso, conclui-se, após três
dias de trabalhos, que era a produção que
interessava e não a representação.
Foi numa luta dura contra concorrentes
poderosos que Aristovoulos Petzetakis,
fundador da empresa grega e pai do actual
responsável, George Petzetakis, concordou
constituir com Anselmo Santos e Acácio
Vieira aquela que é hoje a actual Heliflex
Petzetakis Tubos, Lda.
O crescimento da
foi
processado ao longo do tempo sempre por
autofinanciamento, no aproveitamento das
oportunidades de mercado, aceitando os
riscos do negócio e adaptando-se aos
períodos de crise e crescimento da
economia. Foi graças à constituição de
óptimas equipas de colaboradores, com
criatividade, inovação e investigação &
desenvolvimento de produtos, e ainda com
vontade de crescer e de estabilidade, que
se foi processando a diversificação da
produção e a evolução para produtos
únicos no mercado.
Das relações estabelecidas com o Grupo
Petzetakis afirmam que sempre houve uma
boa relação, assente na confiança mútua
absoluta, na cooperação e, mesmo, na amizade.
No sentido de finalizar esta entrevista,
procurou-se saber qual a opinião de ambos
face à actual
e qual o desejo
que têm para a mesma, ao que
responderam: "Vimos hoje uma empresa
com uma estrutura capaz de enfrentar os
obstáculos do mercado, de concorrência
e de continuar a actualizar-se!". É com
orgulho que vêem a
tal como
está, nas mãos de um bom gestor:
Francisco Claramonte. O desejo de Anselmo
Santos e Acácio Vieira é que tenha sempre
melhores dias, que seja sempre uma boa
empresa, proporcionando aos seus
colaboradores a sua realização e satisfação
pessoal e desejando, ainda, que estes
formem e se sintam uma equipa.
A
completou, no dia 1 de
Setembro, 34 anos, Anselmo Santos e
Acácio Vieira viram a Heliflex nascer e
evoluir durante 33 anos. Hoje a
é detida a 100% pelo grupo multinacional
grego A.G. Petzetakis, S.A. e ainda com
muita vontade para evoluir.
Conseguida a licença para a produção,
iniciou-se a laboração no primeiro pavilhão
com 1.000m2 no que seria o começo da
actual Zona Industrial da Mota, que dava
os primeiros passos a 1 de Janeiro de 1971.
The attainment of a 100% of our company capital
by the Greek partner A.G. Petzetakis, S.A encourages
us to ask the former managers and partners about
how this great company emerged and gradually grew.
Acácio Vieira adds that the first contact which was
established with the Greek was by chance and
occurred at an agricultural fair in Paris. As a result,
Henrique Vieira & Filhos, Lda was granted the
representation of the
tubes,
manufactured by the referred Greek company.
Anselmo Santos recalls that on another occasion
and during a sporadic stop at the company of their
future partners at Costa Nova, Acacio Veira showed
him an invitation to a congress for representatives
in Athens. Consequently, Acacio Veira invited Anselmo
Santos to accompany him and attend the congress,
which he accepted. After three days of discussions
and with the attendance of both Acácio Vieira and
Anselmo Santos at the congress, they came to the
conclusion that it is the production itself which
interests them and not the representation.
It was a challenging contest against powerful
competitors, nevertheless Aristovoulos Petzetakis,
founder of the Greek company and father of George
Petzetakis, agreed with Anselmo Santos and Acácio
Vieira to comprise what is today known as Heliflex
Petzetakis Tubos, Lda.
After the license for production was granted, the
working activity began on the 1st of January 1971,
in a pavilion of 1.000m2 located at what is known
today as the Industrial Area of Mota.
The growth of the
was planned as time
went by and was always self-financed, equally taking
advantage of the market opportunities, accepting
the business risks and adapting itself to the periods
of crisis and growth of the economy. It was thanks
to the making up of great teams of collaborators
and their spirit of creativity, innovation and their
research and development of products, which was
successfully combined with stability and the will to
grow that gave rise to a diverse production and the
development of these only products on the market.
Regarding the relationship established with the
Petzetakis Group, it is a pleasant one, based on
mutual confidence, cooperation and friendship.
In a sense of conclusion, we were acquainted with
their opinion and wish, concerning the present
: “Today we perceive the company as a
structure which can cope with market obstacles,
competition and which is capable of up-dating itself”
they asserted. It is indeed with pride that we perceive
just as it is, in the hands of a good manager:
Francisco Claramonte. Anselmo Santos and Acácio
Vieira merely wish that the company be considered
as a good one, sharing its accomplishments and
personal satisfaction with its collaborators and hoping
that these carry out a team spirit.
completed on the 1st of September 34
years of existence. Anselmo Santos and Acácio
Vieira witnessed the birth and development of
Heliflex during 33 years. Presently,
is
100% detained by the Greek Multinational Group
A.G.Petzetakis, S.A with a keen will to develop.
Marrocos
e PALOP’s
Um dos principais objectivos da
sempre foi a expansão do
seu mercado para novos destinos.
O seu espírito de conquista vincula, assim,
a sua capacidade notória de afirmação
como marca e como empresa.
Actualmente, os produtos da
, para além de
marcarem uma forte presença no mercado nacional,
não passam despercebidos ao mercado internacional,
no qual se mantém contactos com diversos países
europeus; africanos e americanos, tais como: África do
Sul; Marrocos; Cabo Verde; Angola; Moçambique; Argélia;
Tunísia; Madagáscar; Ilhas Maurícias; República do
Congo; Senegal; Grécia; Espanha; França; Inglaterra;
Alemanha; Itália; E.U.A e Brasil.
Vamos, aqui, destacar apenas as relações
estabelecidas entre a
, os PALOP's e
Marrocos, como exemplo da nossa aposta em
mercados que se encontrem ainda em crescimento,
como é o caso dos que apresentámos, e à
necessidade de prospecção que se faz sentir.
Comecemos por Marrocos... Nos anos 70, o Grupo
Multinacional grego A.G. Petzetakis, S.A. resolveu
ceder o mercado de Marrocos à, ainda, Heliflex
Portuguesa (Tubos Flexíveis), Lda, com o objectivo
desta o explorar e rentabilizar. Foram estabelecidos
os contactos e as transacções sucederam-se com
aumentos graduais de relações comerciais.
A conquista do mercado de Marrocos ocorreu em
duas fases distintas: a primeira consistiu no
conhecimento das potencialidades e na penetração
do mercado; a segunda consistiu na consolidação e
afirmação definitiva da marca
neste
mercado.
A
foi a primeira empresa nacional a marcar
presença na Feira Internacional de Casablanca.
Em 2000, este mercado representava 5% da
facturação total da
, conferindo-lhe a
posição de maior cliente de exportação e de terceiro
melhor cliente da empresa.
Quanto às relações comerciais com os PALOP's, estas existem
mesmo antes da independência destes territórios em relação
a Portugal. No entanto, foi a partir do momento em que a
começou a dedicar-lhes mais tempo e atenção que
este mercado adoptou uma expressão razoavelmente
significativa, que até então era muito diminuta.
Angola e Cabo Verde destacam-se, uma vez que o seu mercado
tem vindo a crescer. São países receptivos, onde as negociações
são facilitadas pela ligação entre países e pela língua (em termos
de comunicação). No caso de Angola, temos ainda mais facilidade,
uma vez que as empresas possuem escritórios em Portugal e,
por isso, toda a negociação e exportação é tratada por estes
mesmos escritórios. Já no que diz respeito a Moçambique, o
seu mercado estagnou, afectando, consequentemente, as
vendas. Para isto, muito contribui uma certa instabilidade
económica e a sua proximidade com a África do Sul.
Ao longo deste tempo de transacções, desenvolveu-se uma
relação de confiança e estima: "... estou convencido que os
nossos clientes estão, de facto, fidelizados connosco, gostam
e querem os nossos produtos...", (afirma o nosso responsável
dos mercados Palop’s, José Augusto Santos).
One of the main goals of
has always been the expansion of
its market to new destinations. Its spirit of conquest is linked with its
capability to be successfully noticed as a trademark and as company.
Beginning at Morocco…
During the seventies, the Greek Multinational Group A.G. PETZETAKIS. S. A.
decided to impart the Morocco market to the, still, Heliflex Portuguesa
(Tubos Flexíveis) Lda, with the goal of exploring and making it profitable.
Contacts were established and with the gradual increase of commercial
relationships, transactions were made.
In the year 2000, this market represented 5% of the total invoicing of
, taking up the position of highest export customer and
considered the third best customer of the company.
Regarding the commercial relationships with the PALOP´s, these prevailed
before the independence of these territories in relation to Portugal.
However, this once minute market, grew significantly on account of
’s devotion of time and attention towards it. .
A relationship of trust and esteem was developed during this period of
transactions:
“...I am convinced that our customers are in faithful and they are fond of
and want our products…” refers José Augusto Santos, the person in
charge for the Palop market.
internacional
5
As Normas evoluem
e as Empresas... também!
A Heliflex foi das primeiras empresas
em Portugal a concluir a transferência
do seu sistema de qualidade para a
n o va n o r m a I S O 9 0 01 : 2 0 0 0 .
Diferença entre
Homologação
e Certificação
de Produtos
Quando se ouve falar em produtos homologados
ou certificados, a primeira pergunta que nos
vem à mente é: Mas afinal, qual é a diferença?
Não será tudo a mesma coisa?
A resposta não é difícil. Embora tenham
parecenças /semelhanças não são iguais! Para
melhor compreendermos do que se trata a
homologação e a certificação de produtos,
prosseguimos com as suas definições.
Homologação de produtos consiste na
aprovação de um determinado produto pelo
Laboratório
Na c i o n a l d e
Engenharia Civil
(LNEC) para o
fim a que se
destina. Essa
apr ovação,
feita pelo
L N E C ,
baseia-se na
realização
de ensaios
laboratoriais ao produto em causa e traduz-se
na emissão de um documento de Homologação.
Certificação de produtos consiste, também, na
aprovação baseada em normas internacionais,
por parte de entidades acreditadas para o efeito
dentro do Sistema Português da Qualidade (por
exemplo: CERTIF; APCER; SGS). A certificação
tem por base ensaios laboratoriais e, em alguns
casos, auditorias do sistema da qualidade da
empresa fabricante do produto, traduzindo-se
na emissão de um certificado.
A aplicação de cada um destes certificados
depende das áreas e dos produtos, isto é,
existem sectores de actividade onde é
obrigatória a certificação aos produtos aplicados
e outros onde é exigida a homologação. Na
grande maioria dos casos existentes em
Portugal, a certificação acaba por ser uma
opção das empresas, como forma de as
distinguir no mercado, no que diz respeito a
qualidade e apresentação. Neste sentido, existe
um grande trabalho de sensibilização por parte
dos fabricantes, Instituições de Fiscalização e
clientes finais, de forma a aumentar, cada vez
mais, o número de produtos Certificados e
Homologados.
Contudo, a sua distinção assenta na comparação
das duas: Homologação e Certificação. Deste
The approval of products encompasses therefore, the approval of a certain product,
according to the purpose it is required for, by the National Laboratory of Civil
Engineering (NLCE). The referred approval, which is carried out by NLCE, is base
on the accomplishment of laboratory tests on the required product and is followed
by the issuing of a document of approval.
The Certification of products equally encompasses an approval derived from
international norms and in accordance with the Portuguese System of Quality, issued
by accredited entities like for example CERTIF, APCER; SGS. The referred certification.
modo, devemos distinguir, primeiramente, os
tipos de certificação existentes em Portugal:
“Certificação de Conformidade” e “Marca de
Produto Certificado”. No que diz respeito à
primeira, pode-se afirmar que é exactamente
igual à homologação, uma vez que se baseia
unicamente em ensaios laboratoriais. A diferença
está no facto desta poder ser emitida por
entidades diferentes, desde que acreditadas no
âmbito do Sistema Português da Qualidade.
Relativamente à “Marca de Produto Certificado”
temos, então, diferenças significativas visto que,
para além dos ensaios que são efectuados quer
na homologação, quer na emissão do Certificado
de Conformidade, é realizada uma auditoria
anual à empresa fabricante, com vista a
confirmar o cumprimento de vários requisitos
da norma internacional de certificação NP EN
ISO 9001:2000, ou seja, podemos afirmar que
se trata de um sistema mais exigente do que
os dois anteriores.
No caso da
, esta é certificada pela
norma ISO 9001:2000, tendo um sistema
Homologado e com a Marca de Produto
Certificado (o helitherm pp.r) e três produtos
com Certificado de Conformidade (o heligás
butano, o heligás propano e heliject s carretéis).
Para nós, a qualidade possui um papel
importante, quer na gestão da empresa, quer
na gestão de produtos ou na gestão de clientes.
Ela garante à empresa que esta consiga atender
às exigências implícitas e explícitas dos seus
públicos, com especial atenção para os clientes.
Com a finalidade de evoluirmos cada vez mais
na qualidade dos nossos produtos e serviços
e na plena satisfação dos nossos clientes, énos fundamental ter conhecimento das suas
necessidades e opiniões.
Assim, de dois em dois anos, preparamos
um questionário por forma a auscultá-los,
cumprindo também um dos requisitos
exigidos pela ISO 9001:2000. O
questionário é composto por itens que
recaem sobre os diferentes
Departamentos e tem o intuito de avaliar
o grau de satisfação proporcionado pelos
nossos produtos e serviços. Este é um
instrumento que pretende ser simples,
rápido, eficaz e sistemático, com vista a
processar todos os dados recolhidos, sejam
estes opiniões e/ou críticas… de modo a
evoluirmos com rumo à excelência!
navegar
Protocolo
Universidade
de Aveiro -
Neste sentido, no passado dia 1 de
Setembro, foi enviado aos nossos clientes
(mercado nacional e internacional) um
questionário, à semelhança do que já se
fez antes, altura em que definimos, pela
primeira vez, um protótipo, o qual, com
breves adaptações, foi reutilizado, de forma
a analisarmos, por comparação, a evolução
do nível de satisfação dos nossos clientes.
"Os tempos são de mudança, uma
vez que vivemos, agora, na era da
digitalização, o que nos obriga a
um esforço complementar para
acompanhar a evolução dos
mercados" - afirma Ana Lavrador
(Analista de Sistemas na
).
Com o intuito de chegar mais perto do nosso
público e difundir melhor a nossa imagem e
os nossos produtos, formou-se a necessidade
de criar um site que correspondesse aos
nossos interesses, uma vez que o anterior já
não possuía capacidade para responder
satisfatoriamente aos nossos objectivos.
Neste sentido, a
estabeleceu, em
Junho deste ano, um protocolo de cooperação
com a Universidade de Aveiro, em que esta fica
com a função de desenvolvimento do novo site.
OUVIR
auscultação dos clientes
Francisco Claramonte, Director Geral da Heliflex, cumprimentando Prof.
Fernando Bico Marquês, vice-reitor da Universidade de Aveiro
Este novo site será inovador e mais dinâmico
do que o anterior. O espaço irá contar com
um catálogo electrónico, notícias referentes
à empresa, entre muitas outras novidades.
Após elaborado, o código-fonte do site é da
e este passa a estar registado
como nosso. Deste modo, temos a
possibilidade de o gerir internamente, podendo
modificá-lo ou, simplesmente, actualizá-lo
sempre que necessário.
Este projecto visa ser um veículo de troca
constante de informação, pelo qual pretendemos
seguir a evolução dos tempos e acompanhar as
novas tecnologias da comunicação, ou seja, estar
mais próximo de si!
Due to the aim of developing the quality of our
products and services and guarantying our
customers' full satisfaction, it is fundamental that
we acknowledge your opinions and needs.
Thus, every two years, a questionnaire is drawn up,
in order to acknowledge your opinions/needs and
equally comply with the requirements demanded by
ISO 9001:2000. The referred questionnaire
encompasses features of the different Departments
and is targeted to assess the degree of satisfaction
provided by our products and services. This medium
intends to be simple, fast, effective and systematic,
with the aim of processing the collected data, be it
opinions and or criticism. It is welcome in order
develop our excellence!
Thus, on the 1st of September this questionnaire
was forwarded to our customers (national and
international market). The referred questionnaire
is based on a prototype, which with brief adjustments,
was reused in order to analyzed and compare the
growth of our customer satisfaction level.
Esteja atento(a): mais novidades sobre o
nosso site serão divulgadas.
In June of the current year,
established a
cooperation protocol with the University of Aveiro, in
which the latter is responsible for the development of
a new web site.
This new site will be innovative and more dynamic than
the previous and will encompass an electronic catalog,
news articles regarding the company, among many
other novelties. Once it is elaborated, the code-source
of the web site will be the property of
, thus
it will registered as ours. Therefore, it will be possible
to internally manage it, either by being able to change
it or simply update it, whenever it is necessary.
This project seeks to be a vehicle of constant
interchange of data, always accompanying time and
the revolution of the new communication technologies.
Thus, we will be closer to you!
9
FACIM - Feira
de Moçambique
canalizadores
José Augusto Santos com o 1º ministro de Moçambique
A 39ª edição da Feira Internacional de
Comércio e Indústria de Maputo (FACIM),
com o lema: “Rumo à Consolidação da
Integração Económica”, teve lugar entre
os dias 1 e 7 de Setembro, sendo
inaugurada por Carlos Morgado, Ministro
da Indús tr ia e do Comér cio de
Moçambique.
A FACIM contou com a presença de onze
países, como: Portugal, Alemanha, GrãBretanha, Espanha, Índia, Macau,
Emirados Árabes Unidos, Quénia e Brasil.
Presidente da República, Joaquim Chissano
E NC O N T RO
técnico-profissional
Já vamos no 5º encontro helitherm.
Inscreva-se! Participe!
The 39th edition of the International Fair of Trade and Industry
of Maputo (FACIM) with the theme: “Heading for Consolidation of
Economic Integration“, was held during the 1st and 7th of
September and inaugurated by Carlos Morgado, the Minister of
Trade and Industry of Mozambique.
Portugal e Alemanha foram os maiores
expositores, ocupando uma área de 1400
m2 cada. Representaram Portugal 45
empresas e instituições dos sectores
alimentar; bens de equipamentos;
serviços e projectos; materiais de
construção; artigos para o lar; formação
profissional; entre outros.
facim & filda
FILDA - Feira
Internacional
de Luanda
Entre os dias 14 e 20 de Julho teve lugar
em Angola a 20.ª Edição da FILDA (Feira
Internacional de Luanda), organizada pela
Associação Industrial de Angola (AIA) e
Expo-Angola. Este certame teve como lema
“Uma Porta para Angola – Uma Janela
para o Mundo” e contou com a presença
de 600 expositores, sendo 337 angolanos
e os restantes de diversos países.
Entre os países estrangeiros encontravamse representados Portugal, Espanha, Itália,
Alemanha, Botswana, Brasil, África do Sul,
entre muitos outros. No entanto, Portugal
foi, sem dúvida, o país com o maior número
de expositores: 111.
Dada a grande afluência de representações,
a FILDA bateu todos os recordes, ocupando
totalmente os 16000m2 que compõem as
suas instalações.
Des t a forma, a FILDA 2003 foi
considerada a maior e mais
representativa de todas as edições deste
certame. A Paz que Angola vive desde
Abril do ano passado em muito contribuiu
para o aumento de confiança dos
investidores estrangeiros, que visam assim
alargar o seu mercado. Daqui surgiu um
grande optimismo por par te dos
expositores, cumprindo-se o principal
objectivo deste evento: o estabelecimento
de contactos entre as diversas entidades
presentes com vista à formação de
futuras parcerias. Assim, reforçou-se a
ideia de que a FILDA é a “maior Bolsa de
Negócios em Angola”.
Esta última edição da FILDA destaca-se
ainda das restantes pela elevada qualidade
dos produtos apresentados, bem como
pela atribuição de dias essenciais
dedicados aos países e sectores mais
representativos.
Thus, FILDA 2003 was considered the largest and
the most represented of all the editions of this
exhibition. The peace that Angola is presently living
since April of the passed year, contributes towards
the increase of trust of foreign investors, who seek
to enlarge its market. Strong optimism emerged
from the exhibitors, thus accomplishing the main
goal of this event: the setting up of contacts among
the several attending entities with the purpose of
establishing future partnerships. Thus, the idea
that FILDA is the “largest business stock exchange
in Angola” was reinforced.
Estas duas feiras são
acontecimentos impor tantes
nestes países, movimentando
grandes massas. Estes eventos
contam com a presença dos
Presidentes da República e vários
Ministros dos países em questão
(Angola e Moçambique).
A
é já uma presença
habitual nestas feiras,
estabelecendo uma boa relação
com a organização e a sua imagem
reconhecida pelos visitantes.
Comparativamente, das duas feiras
(FILDA e FACIM) obtiveram-se
resultados diferentes. Quanto à
FILDA, em Angola, o número de
visitantes é muito superior ao da
FACIM, o que influenciou o volume
dos negócios. Assim, esta última
não se revelou tão proveitosa como
a anterior, aspecto justificado pela
instabilidade económica existente
em Moçambique.
No entanto, a crise mundial fez-se
sentir
nestas
feiras,
nomeadamente em Moçambique
(país que depende, em parte, do
apoio internacional).
A nível nacional, no 2º semestre de
2003, a
marca
presença na Concreta, Exponor.
Both these fairs are major events in these
countries, which move great masses. These
events encompass the presence of several
Presidents and Ministers of the countries
in question. (Angola and Mozambique)
The presence of
at these fairs
is usual, thus taking the advantage of
establishing a good relationship with the
organizing entities.
’s image is
successfully recognized by the all visitors.
shall be present at Concreta,
Exponor – a fair which is held nationally
during the 2nd semester of 2003.
Boltelho Vasconcelos, Ministro Petróleos
FILDA (Luanda, Angola)/2003
11
TEMPOS
O Nosso Stand de Feiras… um pouco de história…
Conforme os tempos evoluíram, também as feiras em
que participamos e os stands que montamos. Deste
modo, fomos seguindo as tendências da moda e
acompanhando o desenvolvimento dos anos.
braga 1989
fna 1980
agrouvouga 1989
agrobraga 1990
agrobraga 1991
agrobraga 1993
agrobraga 1992
agrobraga 1994
zaragoza 1996
presidente da républica General Ramalho Eanes
Partindo do pressuposto que a participação
não
numa feira exige um stand, a
é excepção e faz por marcar presença nas
feiras destinadas à sua área.
Há mais de trinta anos, desde o início da
, que esta expõe os seus produtos
em feiras. No começo, apresentou-se em
feiras pequenas. O país, na altura, não
conhecia grande desenvolvimento e, por isso,
estas eram desenvolvidas em espaços
abertos de terra batida e em estruturas
muito rudimentares. Assim, o nosso primeiro
stand era apoiado numa palette de madeira
que servia de estrado.
Com o desenvolvimento, tudo mudou! Neste
momento, o país tem parques de exposições
com óptimas condições. O nosso stand
passou de madeira para alumínio e, agora,
é pensado e construído com critérios
rigorosos de design, tendo sempre em conta
a área de actividade onde actuamos.
Hoje, participamos em feiras nacionais e
internacionais e temos consciência que
existem mais materiais, mais oferta, mais
empresas especializadas na construção
de stands. Assim, a configuração do nosso
stand tem em conta principalmente a
facilidade de circulação, o impacto e a
proximidade aos nossos produtos expostos.
Ainda nos lembramos, com orgulho, do
tempo em que se premiavam os melhores
, vários
stands em cada feira. A
anos consecutivos, chegou a ser
considerada a empresa com melhor stand.
Embora já não se premeie mais, zelamos
sempre por agradar o nosso público. Visitenos! Teremos todo o gosto em recebê-lo(a)
no nosso stand.
has been displaying it’s products in
fairs, since it’s very beginning, that is for more
than thirty years. At first, Heliflex was present at
small fairs. During that time , the country was
lacking development and therefore, the referred
fairs were held in sandy open spaces and very
rudimentary structures. Thus, our first stand was
built from a wooden box, which was used as a
platform.
Nowadays, we partake in national and international
fairs and are aware of the existence of other
materials, a larger market offer, and the wide
number of companies specialized in the
construction of stands. Thus, the arrangement
of our stand is based on the easy circulation of
people, the impact and the proximity to our
displayed products.
silleda 1997
tektónica 1999
stand actual
13
The intrinsic risks of a bad application or choice of
a gas hose are various, some of which are highlighted
below:
- the bursting out of the hose when being applied
under pressures superior to what is permitted (it
should be pointed out that in the market there are
hoses, which are used with maxim pressures of
0,2 bar and others with 20 bar, thus the incorrect
application of a hose can cause it’s burst out. ).
- a gas leak . The production of hoses in accordance
with the correspondent standards implies that
special raw materials are used, which don't allow
the passing on of gas through the hose walls. This
phenomenon is named permeability and is rather
easy to be verified. All that has to be done is, place
the hose in water under pressure and observe
the liberation of bubbles.
- fast aging. The flexible hoses have a validity of 4
years starting from it’s manufacturing date,
according to the relevant standard. Thus, it is
necessary to pay attention to the validity of the
hose during the purchase and not to forget its
periodical maintenance. In fact, if the manufacturer
has not used the appropriate materials, the hose
will not resist the chemical damage caused by the
gas for very long.
And how do you avoid these risks? Easily: purchase
a certified hose! In this case, the user will be
guarantied that the hose was manufactured in
accordance with the present legislation.
Notice, that the labelling on the hose with the relevant
standard doesn't mean that it is certified. Indeed,
this is the biggest problem: all hoses are labelled
with the relevant standard, however merely two or
three are in fact certified. To make sure that the
hose is in fact certified, ask the supplier for the
certificate of registration.
há tubos e… tubos!
On the other hand, one can not ignore the financial
feature related to this subject, due to the fact that
many people consider that a certified hose is
extremely expensive.
Well, one can’t put a price on one’s life; however we
can assert that the difference between a certified
hose and a hose which does not comply with the
safety standards is of only (average amount):
• 0,25 a meter (hose of 0,2 bar)
• 0,60 a meter (hose of 20 bar)
In other words, we usually need 1,5 meters of hose,
which means that we placed our life at risk to save
less than 1 Euro in the canalization of gas. Well,
then your safety and life is worth very little…
As
is concerned about your safety, we have
developed a hose which surpasses the most demanding
tests carried out in this field, being the referred hoses
one of the few certified hoses in Portugal.
When you purchase a hose, request for the
registration certificate, read it carefully and check
its validity. While you at it: ask for a heligas hose from
and you can be sure that you are safe.
Your safety doesn’t have a price!
SEGURANÇA
"Uma utilização segura do fogão,
do esquentador ou do aquecedor
a gás exige o conhecimento de
algumas regras básicas relativas
à combustão (queima) do gás e
também do funcionamento dos
próprios aparelhos.
Desde o acto de compra,
passando pela montagem,
funcionamento e manutenção,
os consumidores devem
consciencializar-se que existem
determinados riscos quando não
se observam as adequadas
regras de segurança."
in: "O Gás em Casa - Guia para
a Segurança na sua utilização"
Instituto do Consumidor
O pequeno excerto acima referido surgiu
na sequência dos muitos acidentes
domésticos com gás que se registam todos
os anos em Por tugal. Apesar de
conhecermos os riscos inerentes à utilização
do gás, muito poucos se preocupam com
as mais elementares regras de segurança,
entre as quais se destacam a utilização de
aparelhos e acessórios devidamente
testados para este efeito.
Tudo isto não teria grande importância se
não estivesse em causa a nossa vida e a
de todos aqueles que estão ao nosso lado,
em casa ou junto a uma instalação de gás.
Para os que não se preocupam com isso,
não se justifica continuarem a ler este
artigo, pois aqui tentamos alertar para a
escolha e instalação correcta de um dos
principais acessórios numa canalização de
gás: o tubo ou mangueira de ligação.
De facto, ao nível dos aparelhos de queima
e das garrafas de gás, já se verifica uma
preocupação generalizada quanto às regras
de segurança e à comercialização de
produtos certificados que garantem a
qualidade dos mesmos. Infelizmente, o
mesmo já não podemos dizer quanto à
comercialização das mangueiras flexíveis
para ligação dos aparelhos a gás, onde a
esmagadora maioria não está conforme
as normas existentes que regulamentam
(ou deviam regulamentar) a sua fabricação.
Os riscos inerentes a uma má aplicação
ou escolha da mangueira de gás são
diversos, dos quais podemos destacar:
• rebentamento da mangueira ao ser aplicada
com pressões superiores às permitidas (de
salientar que existem no mercado
mangueiras para trabalhar com pressões
máximas de 0,2 bar e outras para 20 bar,
ou seja, a aplicação errada de uma mangueira
poderá implicar o seu rebentamento);
• fuga de gás. A fabricação das mangueiras
de acordo com as normas implica a
utilização de matérias-primas especiais
que não permitam a passagem do gás
através das paredes da mangueira. A este
fenómeno chama-se "permeabilidade". Esta
é, aliás, uma verificação muito fácil de
efectuar, bastando para o efeito mergulhar
a mangueira em água sob pressão e
observar a libertação de bolhas.
• Envelhecimento acelerado. As mangueiras
flexíveis têm uma validade de 4 anos desde
a data de fabrico, conforme indicação da
norma, ou seja, é necessário ter muita
atenção à validade durante o acto de
compra e não esquecer a manutenção
periódica. De facto, se o fabricante não
tiver utilizado as matérias apropriadas, a
mangueira não irá resistir muito tempo
ao ataque químico provocado pelo gás.
De notar que a simples marcação da norma
na mangueira não significa que esteja
certificada. Este é, de facto, o maior
problema: todas as mangueiras apresentam
a marcação da norma, mas só duas ou três
estão certificadas. Para ter a certeza de
que realmente, a mangueira em causa, é
certificada, basta pedir ao fornecedor o
certificado de conformidade.
Por outro lado, não podemos deixar de referir
o aspecto financeiro da questão, visto que
muitas pessoas consideram que uma
mangueira certificada é muito cara. Bom,
aqui não se sabe o valor da vida de cada
pessoa, mas pode-se afirmar que a diferença
entre uma mangueira certificada e uma que
não respeita, minimamente, as normas de
segurança é de apenas (valor médio):
• 0,25 por metro (mangueira de 0,2 bar);
• 0,60 por metro (mangueira de 20 bar).
Por outras palavras, normalmente
precisamos de 1,5 metros de mangueira, o
que significa que colocamos a nossa
segurança em risco para poupar menos de
1 numa canalização de gás. É caso para
dizer que a sua segurança vale muito pouco...
se preocupa com a
Porque a
sua segurança, desenvolvemos uma
mangueira que responde aos mais
exigentes testes efectuados nesta área,
sendo das poucas mangueiras para gás
com certificação em Portugal.
Quando comprar, peça sempre para ver o
cer tificado de conformidade: leia-o
atentamente e certifique-se da sua validade.
Já agora: peça mangueira da marca heligás
da
e fique descansado(a). A sua
segurança não tem preço!
E como evitar estes riscos? Muito simples:
basta comprar uma mangueira certificada!
Neste caso, o utilizador terá a garantia que
a mangueira foi fabricada de acordo com
a legislação em vigor.
15
Desde sempre que a
sentiu necessidade
de se inserir no meio social onde actua, com vista
a manter uma relação de proximidade, evoluindo
assim de acordo com as aspirações auscultadas.
Para o estabelecimento deste contacto, a
tem vindo a associar-se aos mais diversos eventos.
Inicialmente, apostámos em patrocínios desportivos,
recreativos, culturais ou de desenvolvimento
tecnológico. Mesmo assim, não estávamos
satisfeitos! Sendo uma empresa presente no mundo,
ansiávamos por impor a nossa imagem,
principalmente a nível nacional, facilitando, deste
modo, a nossa identificação, tanto no que diz respeito
aos nossos produtos, como no que concerne à
própria organização.
Apesar de todo este investimento a nível nacional,
não esquecemos as raízes do local onde estamos
sediados. Como tal, este ano, apoiámos alguns
eventos que se desenrolaram na nossa região, tais
como a Semana Internacional de Vela (organizada
pelo Clube de Vela da Costa Nova); o 2.º Torneio de
Malha de Ílhavo (organizado pela Confraria
Camoniana Associação de Ílhavo), entre outros.
PATROCÍNIOS
In order to arrange this contact
has been taking
part in several events. Initially, we supplied sport, cultural,
recreational or technology development sponsorships. Even
so, we were not satisfied! Being a company with great presence
throughout the world, our wish was to enforce our image
nationally, thus facilitating our identification regarding our
products and the organization itself.
futebol & basket
CALENDÁRIO ÉPOCA 2003/2004
(Novembro a Fevereiro)
CALENDÁRIO ÉPOCA 2003/2004
(Março a Junho)
Então, eis-nos
aqui! Hoje, com
todo o espírito
desportivo,
orgulhamo-nos
de apoiar a Liga
de Clubes de
Basquetebol.
Não ficando por
aqui... marcamos
também
presença num
dos maiores
estádios do país,
o de Alvalade,
tendo renovado o
patrocínio para a
época desportiva
2003/2004.
So, here we are! Today, with a sporty spirit, we are
proud to support the Basketball League. However, that
is not all! We are equally present at one of the largest
stadiums of the country, the Stadium of Alvalade, with
the renewed sponsorship of the season 2003/2004.
época desportiva 2002/2003
época desportiva 2002/2003
17
PUBLICIDADE
rádio renascença
Com a conclusão da
campanha na rádio Comercial
no início de 2003, a presença
estratégica da
nas
rádios de maior audiência com
cober tura nacional foi
orientada para a Renascença
Canal 1, com início no passado
dia 21 de Abril. De segunda a
sexta-feira, nos blocos das 7h11h, 11h-13h, 13h-16h, em
horários alternados, sintonize
106FM e ouça
.
The campaign on “Rádio Comercial” since the
beginning of 2003 has come to an end.
’s strategic presence on the radio
channels with the biggest audience was handed
over to “Renascença Canal 1” which began on
the 21st of April. From Monday to Friday, from
7:00 to 11:00, at 11:00, at 13:00 and from
13:00 to 16:00 and during alternated timetables,
tune in to 106FM and listen to
.
Nos últimos
anos, a Heliflex
tem vindo a
organizar, para
os seus
colaboradores,
uma Festa de
Verão. Esta é
uma forma
simpática e
divertida de
promover um
convívio
descontraído
entre todos.
On the 2nd of August was the day chosen for
’s
the event: the second edition of
fishing competition. During lunchtime and after
the selection of fishing competition winners, all
participants and their families gathered around
on
’s greens to enjoy a tasty meal,
which lasted throughout the whole afternoon
with plenty of entertainment.
Like at all gatherings of the kind, the leftovers
were plenty, thus at the end of the day they were
given to some charities in the local area: “A obra
da Criança e o Lar do Divino Salvador “
2 de Agosto foi o dia escolhido este ano
para o evento, em conjunto com a
segunda edição do Concurso de Pesca
da
. Pela hora do almoço e
após o apuramento dos vencedores do
Concurso de Pesca, todos os convivas e
suas famílias reuniram-se nos espaços
verdes da
para usufruir de
um saboroso repasto, que se prolongou
pela tarde fora com muita animação.
Como em qualquer festa, os excedentes
alimentícios foram alguns, pelo que no
final do dia foram entregues a algumas
instituições de solidariedade da região:
a Obra da Criança e Lar do Divino
Salvador, ambos em Ílhavo.
FESTA DE VERÃO
CONCURSO DE PESCA
21
Não está nas suas mãos controlar o fogo
NOV I DA D E
helitherm blue
Sempre apostada numa aproximação
constante às exigências dos nossos
clientes, a
prepara-se para
lançar no mercado uma nova gama de
produtos para a condução de águas
quentes e frias em instalações sanitárias
e industriais: o helitherm blue.
Tal como o helitherm pp.r, esta nova
gama é t ambém pr oduzida em
polipropileno (PP–r), para a classe de
pressão PN20, e está disponível nos
três principais diâmetros: 20mm, 25mm
e 32mm.
Consistently trying to meet
the customers demands,
gets ready to
launch on to the market a
new range of products for
the conduction of hot and
cold water in sanitary and
industrial facilities:
Helitherm Blue
O helitherm blue apresenta-se numa
cor atractiva (o azul) e pretende ser um
produto ainda mais competitivo e
económico pois a linha de acessórios é
mais reduzida que a exis t ent e.
Similarly to Helitherm ppr,
this new range is also
produced in polypropylene
(PP-R), for pressure class
of PN20, and it is available
in the three main
diameters: 20mm,
25mm, and 32mm.
A
aumenta, assim, a sua
oferta de produtos, apostando sempre
na qualidade que a caracteriza. Neste
momento, o helitherm blue encontrase em fase de Homologação.
Helitherm Blue comes in
an attractive bluish colour
and it aimed to be an even
more competitive and
economic product, as the
range of fittings are more
reduced than the existent.
Para melhor conhecer este produto
participe nos próximos Encontros
helitherm ou informe-se junto do nosso
Departamento Comercial e/ou equipa
de Gestores de Clientes, bem como
Gabinete de Assistência técnica
([email protected])
, therefore,
increases its offer of
products and perfects it’s
quality- a feature which fully
characterizes Heliflex. At
this moment, Helitherm
blue is in it’s approval
phase.
In order to become aware
of this product, you should
partake in the following
helitherm encounters or
enquire about it at our
commercial Department
and/or at our client
Manager teams, as well
as our technical
attendance office. ([email protected])
Deixe nas mãos dos especialistas o controlo do fogo.
Para apoiar os serviços de protecção a incêndios, a Heliflex produz o tubo heliject si para
sistemas fixos de combate a incêndios, de elevada resistência, preparado para combater o
fogo.
A sua ajuda também é bem vinda, mas o que os bombeiros lhe vão mesmo agradecer é uma
ajuda na prevenção.
heliject si (carretel)
Heliflex Petzetakis Tubos, Lda
Zona Industrial da Mota, Ap. 525
3830-000 Gafanha da Encarnação • Portugal
Telf. 234 32 90 20 • Fax 234 32 90 45 • Fax Dep. Com. 234 32 39 81
www.heliflex.pt
[email protected]
MG.001.4-hp
ISO 9001
Download

Quarta Edição