Simpósio de Enfermagem
ACESSO VENOSO
Cuidados com o Cateter
Totalmente Implantado
Eliane Partite Nobre Sandoval
Enf. do Centro de Hemofilia HCFMUSP
epnsandoval@yahoo.com.br
Simpósio de Enfermagem
Objetivo
Conhecer o CVC mais adequado à pessoa que tem
hemofilia:
• Suas características;
• Local de implantação;
• Vantagens x desvantagens e riscos;
• Indicação de uso;
• Cuidados na manipulação.
Simpósio de Enfermagem
Definição de CVC de Longa Duração
• Implantados por longo período de tempo;
• Apresentam menos incidências trombóticas e
lesões da parede vascular;
• Implantados e retirados cirurgicamente.
Simpósio de Enfermagem
Tipos de CVC
A)Tunelizados ou semi-implantados:
• Hickman ou Broviac
Simpósio de Enfermagem
Tipos de CVC
A)Totalmente implantados:
• Groshong
Características
•
•
Implantados cirurgicamente;
Acessado por punção através da pele
íntegra;
• Possui reservatório subcutâneo;
(plástico ou titânio com uma ou duas
camadas);
• Com septo de silicone atado ao cateter de
silicone ou poliuretano;
• Ponta valvulada.
Reservatório
• Material plástico;
• Diâmetro da base 24,8mm;
• Altura 10,0mm;
• Peso 3,2 gramas;
• Volume interno 0,3ml;
• Mecanismo de sutura por orifícios.
Membrana
• Diâmetro 24,8mm;
Punções
• Agulha Huber de 22 gauge ou agulha
Huber de 19 gauge;
• Profundidade de penetração da agulha
9.6mm.
Cateteres Disponíveis / Material
• Silicone radiopaco.
Groshong de 7Fr
• Volume de 0,6ml;
• Marcação de profundidade a cada centímetro,
fluxo maior que 500ml.
Consiste em uma válvula anti-refluxo que
impede o retorno do sangue, uma das
principais causas de obstrução dos
cateteres. Porém essa válvula, quando
submetida a uma pressão negativa
permite o refluxo para coleta de material
sanguíneo.
Uma das principais vantagens desse
cateter é a de não necessitar de
heparinização, podendo ser apenas
salinizado, diminuindo o risco de
obstrução e o custo de manutenção.
• A pressão negativa abre a válvula para
dentro, permitindo a aspiração do sangue
• A pressão positiva abre a válvula para
forma, permitindo a infusão
• Em pressão neutra a válvula permanece
fechada, reduzindo o risco de embolia
gasosa, refluxo de sangue e formação de
coágulos.
Local de Implantação
• Uma porção intravascular inserida
na veia subclávia, indo até o átrio;
• Uma porção exteriorizada em um
túnel subcutâneo;
• A câmara do cateter colocada sobre
a aponevrose do músculo peitoral
maior e ou fixada com pontos.
Vantagens
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Menor risco de infecção;
Menor risco de retirada;
Não requer heparinização;
Nenhuma limitação de atividade;
Concentrado de fator ministrado pronta e facilmente;
Conveniente para profilaxia e imunotolerância;
Pode ser usado em casa pelo paciente e / ou familiar;
Menor número de visitas ao hospital;
Menor número de faltas a escola e/ou trabalho;
Pouco visível (pequeno “botão”) – melhor auto imagem.
Desvantagens
• Atravessar a pele para ter acesso ao
reservatório;
• Agulha especial para acessar o reservatório
(Huber);
• Procedimento cirúrgico para inserção;
Arriscado em mãos inexperientes.
• Necessário cirurgião pediátrico e anestesista
experiente.
Riscos Mecânicos
• Obstrução / oclusão parcial.
• Ruptura dos pontos.
• Desconexão do tubo.
• Extravasamento.
Riscos de Infecção
Da pele (menor nos totalmente implantados):
• Micro organismos presentes:
 Na pele do paciente.
 Nas mãos dos profissionais e/ou familiares.
 Nos materiais utilizados.
Indicações de Uso
•
•
•
•
•
Ministrar medicação.
Ministrar hemocomponentes.
Ministrar nutrição parenteral.
Ministrar concentrado de fator.
Procedimentos que necessitem repetidas
punções.
Cuidados de Enfermagem
• Usar material estéril e técnicas assépticas;
• Usar diferentes tipos de seringas para os diferentes
procedimentos (seringas menores tem maior
pressão).
• Quando for necessário desconectar a seringa, faze-lo
sempre abaixo do nível do coração (evitar a entrada
de ar) com o clamp da agulha fechado.
• Lavar o cateter com 3 a 5ml de SF 0,9% antes de
iniciar qualquer procedimento.
Cuidados de Enfermagem
• Aspirar 8ml de sangue e desprezar, quando da coleta
dos exames.
• Lavar o cateter com SF 0,9% após a coleta dos
exames.
• Fechar o clamp da agulha, quando da troca de
seringas.
• Lavar o cateter com 20ml de SF 0,9% quando todo o
procedimento for finalizado e antes da agulha ser
retirada.
• Usar sempre agulha Huber.
• Usar sempre pomada anestésica.
Equipe Multidisciplinar Trabalhando Junto
• Assistente Social e Enfermeira
Visita domiciliar, observação quanto a higiene,
quantas pessoas vivem no local, observar a
geladeira.
• Psicóloga
Atende ao paciente e sua família.
Trabalha a aceitação do cateter.
Checa os conhecimentos do paciente / família.
• Médico
Mostra o cateter e discute riscos e benefícios.
• Enfermeira
Ensina a família quanto a técnica asséptica e
material esterilizado.
Treina com o próprio cateter da criança.
CATETER VENOSO CENTRAL
Nome Idade
Diag.
Complicação
Permanência
Comentários
RPV
4a
HA+inib
cirúrgica
22 m
-
GCG
4a
HA+inib
-
36 m
-
GBSP
2a
HA+inib
infecção
22 m
retirada precoce
10m
Def.VII
-
17 m
-
TSS
Simpósio de Enfermagem
Manuseio do Acesso Venoso Central
Simpósio de Enfermagem
CVC – Conclusão
Para o sucesso do procedimento é preciso:
• Que o CVC escolhido seja o correto;
• Que se use a técnica correta para o manejo;
• Que se trabalhe com um grupo multidisciplinar;
• Que haja um bom relacionamento entre o grupo, a
família e o paciente;
• E que não haja preconceitos.
Obrigado
Download

Acesso venoso - Cuidados com o Cateter Totalmente Implantado