FEDERAÇÃO ESPÍRITA CATARINENSE
Vice-Presidência de Educação e Difusão
Seminário em comemoração ao aniversário do C.E. Manoel Francisco da Luz
“O que se espera do estudante do
E.S.D.E. – rotas a seguir – o que
fazer com o conhecimento”
Proposta do seminário


Analisar a importância do conhecimento
espírita para o indivíduo e para a sociedade;
Refletir como podemos contribuir na Casa
Espírita para que esse conhecimento gere
frutos.
O que seria o conhecimento espírita?

O conjunto das obras básicas codificadas por Allan
Kardec e as demais obras de cunho mediúnico ou de
estudo filosófico, científico e religioso condizentes
aos postulados espíritas, publicadas nos 150 anos de
existência do Espiritismo.
Esta resposta é bastante convincente e
parece-nos mesmo óbvia.
Mesmo tendo pertinência ...
A
resposta é por demais
superficial e se atém ao efeito
e não à essência que qualifica
e define o conhecimento
espírita.
Jesus, o Mestre Divino, nos asseverou:
Se vós me amais, guardai meus mandamentos; e eu
pedirei a meu Pai, e ele vos enviará um outro
consolador, a fim de que permaneça eternamente
convosco: o Espírito de Verdade que o mundo não
pode receber, porque não o vê e não o conhece. Mas
quanto a vós, conhecê-lo-eis porque permanecerá
convosco e estará em vós. Mas o consolador, que é o
Santo-Espírito, que meu Pai enviará em meu nome,
vos ensinará todas as coisas e vos fará relembrar de
tudo aquilo que eu vos tenha dito (São João, Cap.
XIV, v. 15,16,17 e 26.
Afirmou Allan Kardec, inspirado pelo
próprio Espírito de Verdade


“O Espiritismo vem, no tempo marcado,
cumprir a promessa do Cristo” (E.S.E.,
Cap. VI, 4)
Portanto, nos esclarece que o Consolador
Prometido não é senão o Espiritismo.
Em que consiste dizer que o Espiritismo é o
consolador prometido?

O fato de ter sido sua instituição
presidida pelo Espírito de Verdade?

Bem sabemos que não.
Pois, como o próprio Kardec asseverou:
(...) o Espiritismo vem abrir os olhos e os
ouvidos, porque fala sem figuras e sem
alegorias; ele ergue o véu deixado
propositadamente sobre certos mistérios, vem,
enfim, trazer uma suprema consolação aos
deserdados da Terra e a todos aqueles que
sofrem, dando uma causa justa e um fim útil a
todas as dores. (E.S.E., Cap. VI, 4).
É o conhecimento espírita
o consolador prometido
pelo Cristo
O Espiritismo é
“ciência nova que vem revelar aos
homens, por meio de provas
irrecusáveis, a existência e a natureza do
mundo espiritual e as suas relações com
o mundo corpóreo” (E.S.E. Cap. I, 5) e é,
deste saber e compreensão, que provém
todo o consolo, esperança, força e obra
para a humanidade do amanhã.
Como lembra a irmã Joanna de Ângelis:
Cada conceito [do Espiritismo] necessariamente
examinado reluz e clarifica o entendimento, facultando
mais amplas percepções, em torno da vida e dos seus
fenômenos. Foram ditas já as palavras primeiras,
favorecendo a multiplicidade de realizações edificantes,
concitando o homem à grandeza e à paz. Seus conceitos
fulgentes são convites ao amor e chamamentos à
sabedoria, cultura do sentimento e da razão num
intercâmbio exitoso para a libertação do coração e da
inteligência, através do que o espírito se alça a Deus. (In:
Estudos Espíritas, p. 13)
É diz o irmão Emmanuel:
O ensinamento espírita é a palavra do Cristo
que nos alcança sem gritar e a obra espírita,
desde as bases primordiais de Allan Kardec, é
a construção do Evangelho, levantando as
criaturas sem rebaixar a ninguém. (In: Livro
da Esperança, 1993)
Logo, considerando o
conhecimento espírita como o
consolador prometido pelo
mestre Jesus, sua abrangência
e importância são
imensuráveis.
Como adquirir o conhecimento espírita?
Para contornar a enorme quantidade
de ensinamentos a aprender e nossa
precária inteligência para tudo
compreender, o conhecimento
espírita precisa de sistematização e
disciplina para ser conquistado.
A realidade dos fatos...
Leitura de obras
básicas e
complementares
Palestras e
atividades
mediúnicas
Tarefas
Assistenciais e
comentários
forma gradual e lenta de adquirir o conhecimento espírita,
com riscos de adoção de dogmatismos e conceitos
equivocados.
Porém...

Se a vivência direta de qualquer
experiência produz conhecimento, a
pedagogia foi desenvolvida exatamente
para potencializar o processo de
aprendizagem, otimizar os resultados e
produzir métodos e reflexões que
proporcionam, ao ato de ensinar e
aprender, maior eficiência.
Então,

A abrangência dos ensinamentos da
doutrina espírita reclama uma
metodologia apropriada para o seu
estudo organizado, sob orientação
didática, que permita o correto
entendimento de suas obras básicas e
das que lhe são complementares.
Allan Kardec, em seu projeto de 1868, já
destacava:

Um curso regular de Espiritismo seria professado
com o fim de desenvolver os princípios da Ciência e
de difundir o gosto pelos estudos sérios. Esse curso
teria a vantagem de fundar a unidade de princípios,
de fazer adeptos esclarecidos, capazes de espalhar as
idéias espíritas e de desenvolver grande número de
médiuns. Considero esse curso como de natureza a
exercer capital influência sobre o futuro do
Espiritismo e sobre suas conseqüências.(In: Obras
Póstumas, p.342)
Onde e como adquirir o conhecimento espírita,
apesar de nossas limitações evolutivas?


O Centro Espírita, célula básica do
Movimento Espírita
Tendo por finalidade esclarecer e
consolar as criaturas à luz do
Espiritismo torna-se um centro de estudo
sério e metódico da doutrina que
difunde.
Grupos de estudo sistematizado da doutrina
Ferramentas da
pedagogia
Recursos didáticos
diversos e
Linguagem
acessível
Casa Espírita
=
Laboratório das
virtudes
Maneira ideal de ensinar e aprender o Espiritismo.
Meio de aplicação dos conhecimentos adquiridos, consolidando-os
em nosso íntimo para extravasá-los com segurança na sociedade
em que vivemos.
Decorre de tudo isso a valiosa
importância do estudo da doutrina
Espírita, que será mais eficiente e
produtivo, face nossos objetivos de
evolução espiritual, quanto mais
sistematizado e disciplinado
ocorrer.
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:


1º aspecto: Para o espírito, algumas
vantagens evolutivas.
a) conquista real da saúde.
Espírito esclarecido
Compreensão da lei
de causa e efeito
Perispírito
saneado
Maior
resignação
Mais saúde
Menor sofrimento
Físico e moral
A longo
prazo
A curto
prazo
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
1º aspecto: Para o espírito, algumas vantagens
evolutivas.
b) fluidos benéficos e as companhias espirituais saudáveis.

Paz e amor no íntimo
Não se ocupa de coisas
pouco dignas
Cultivo das idéias
e atos morais
Não se
Simpatiza
com o
mal
Reforma íntima
perene
Não é alvo fácil
de influências
negativas
A longo
prazo
A curto
prazo
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
1º aspecto: Para o espírito, algumas vantagens
evolutivas.
c) segurança para agirmos no bem, praticarmos a caridade e
vencermos as adversidades.

Sintonia permanente no
Bem
Razão e lógica do
ensinamento
Prática do Amor
Entrada na 2ª.
Ordem dos Espíritos
Fé
raciocinada
Maior convicção e
Prática das leis
divinas
A longo
prazo
A curto
prazo
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
2º. Aspecto: Para a Doutrina Espírita e o
Movimento, a unidade doutrinária e a certeza da
expansão com segurança.
 Trabalhadores atuantes e compromissados
 Integração entre os trabalhadores
 Preserva a pureza doutrinária
 Contribui para a unificação do Movimento Espírita
 Impede a expansão de líderes nocivos à causa.
 Crescimento em quantidade e qualidade
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
3º. Aspecto: Para a sociedade em geral, aceleração para um
mundo melhor.
a)
Cidadão mais
consciente de
seus deveres
e direitos
Espírito esclarecido
de sua origem e destino
Construção de
sociedade
mais justa e cristã
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
3º. Aspecto: Para a sociedade em geral, aceleração para um
mundo melhor.
b)
Ciente dos compromissos
da reencarnação
Maior
responsabilidade
diante da
família
A família construída com
solidez
dá a base de uma sociedade
feliz
Alguns aspectos que revelam a
importância do estudo da D.E.:
3º. Aspecto: Para a sociedade em geral, aceleração para um
mundo melhor.
c)
Segurança dos princípios
cristãos e espíritas
adotados
Ações na vida em
sociedade coerentes
com o bem e o
amor às criaturas
Transformação dos modelos culturais de
comportamento e instituição dos
valores sociais, políticos e econômicos coerentes
com as leis divinas
=
Terra, planeta de Regeneração
Concluindo:
Como Paulo nos alertou:
“Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará
para a batalha?” (I Co – 14:8),

Cabe ao movimento espírita não apenas defender que
o conhecimento que nossa doutrina proclama é o
consolador prometido por Jesus, mas, fazê-lo
conhecido em sua integridade filosófica, científica e
religiosa para que, na sua substância divina, possa de
fato operar como o consolador que nos educa e
transforma para as etapas sucessivas de nossa
evolução espiritual.
Mas não sejamos acadêmicos:



O conhecimento espírita não dispensa
jamais a prática do amor, da fraternidade
e da vivência evangélica em sua
plenitude;
Somente as virtudes do coração
diplomam;
O conhecimento é operante da
transformação espiritual
Alerta inolvidável que o missionário
Bezerra de Menezes nos fez:
Ensinar, mas fazer;
crer, mas estudar;
aconselhar, mas
exemplificar;
reunir, mas alimentar”
(Reformador – Dez. 1975).
Jesus que reúne em si todos os nossos parâmetros de
perfeição, felicidade e amor, afirmou-nos:
“Eu sou o caminho, a
verdade e a vida; ninguém
vai ao Pai senão por mim”
(João, XIV, v.6)
Desta forma, para viabilizar nossa reforma
íntima é necessário o conhecimento da
doutrina espírita à luz do Evangelho de Jesus.
Passemos para uma dinâmica de
grupo.
Vamos refletir como usar o
conhecimento adquirido nos
trabalhos doutrinários.
Pesca milagrosa 5, 1:11
Certa vez em que a multidão se comprimia ao redor dele para ouvir a palavra a palavra
de Deus, à margem do lago de Genesaré, viu dois pequenos barcos parados à margem
do lago; os pescadores haviam desembarcado e lavavam as redes. Subindo num dos
barcos, o de Simão, pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra; depois, sentando-se
ensinava do barco ás multidões.
Quando acabou de falar, disse a Simão: “Faze-te ao largo; lançai vossas redes para a
pesca”. Simão respondeu: “Mestre, trabalhamos a noite inteira sem nada apanhar; mas,
porque mandas, lançarei as redes”. Fizeram isso e apanharam tamanha quantidade de
peixes que suas redes se rompiam. Fizeram então sinais aos sócios do outro barco para
virem em seu auxilio. Eles vieram e encheram os dois barcos, a ponto de quase
afundarem. À vista disso, Simão Pedro atirou-se aos pés de Jesus, dizendo: “Afasta-te
de mim, Senhor, porque sou um pecador!” O espanto, com efeito, se apoderara dele e de
todos os que estavam em sua companhia, por causa da pesca que haviam acabado de
fazer, e também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão.
Jesus, porém, disse a Simão: “Não tenhais medo! Doravante serás pescador de homens”.
Então, reconduzindo os barcos à terra e deixando tudo, eles o seguiram.
Lucas 19: 1-10
E, tendo Jesus entrado em Jericó, ele atravessava a cidade. Havia lá um homem
chamado Zaqueu, que era rico e chefe dos publicanos. Ele procurava ver quem
era Jesus, mas não o conseguia por causa da multidão, pois era de pequena
estatura. Correu então à frente e subiu num sicómoro para ver Jesus que iria
passar por ali. Quando Jesus chegou ao lugar, levantou os olhos e disse-lhe:
“Zaqueu, desce depressa, pois hoje devo ficar em tua casa”. Ele desceu
imediatamente e recebeu-o com alegria. À vista do acontecido, todos
murmuravam, dizendo: “Foi hospedar-se na casa de um homem!”. Zaqueu, de
pé, disse ao Senhor: “Senhor, eis que eu dou metade dos meus bens aos pobres,
e, se defraudei a alguém, restituo-lhe o quadruplicado.Jesus lhe disse: “Hoje a
salvação entrou nesta casa, porque ele também é um filho de Abraão. Com
efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que se estava perdido.
Lucas 9, 1: 6
Convocando os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os
demônios, bem como para curar doenças, e enviou-os a proclamar
o Reino de Deus e a curar. E disse-lhes: “Não leveis para a
viagem, nem bastão, nem alforje, nem pão, nem dinheiro;
tampouco tenhais duas túnicas. Em qualquer casa em que
entrardes, permanecei ali até vos retirardes do lugar. Quanto
àqueles que não vos acolherem, ao sairdes da cidade sacode a
poeira de vossos pés em testemunho contra ele”. Eles então
partiram, indo de povoado em povoado, anunciando a Boa Nova e
operando curas por toda a parte.
Lucas 6,36:42
Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, para
não serdes julgados; não condeneis, para não serdes condenados; perdoai, e vos
será perdoado. Dai, e vos será dado; será derramada no vosso regaço uma boa
medida, calcada, sacudida, transbordante, pois com a medida com que
medirdes sereis medidos também”. Disse-lhe ainda uma parábola: “Pode acaso
um cego guiar outro cego? Não cairão ambos num buraco? Não existe
discípulo superior ao mestre; todo discípulo perfeito deverá ser como o mestre.
Por que olhas o cisco no olho de teu irmão, e não percebes a trave que há no
teu? Como podes dizer a teu irmão: Irmão deixa-me tirar o cisco do teu olho,
quando não vês a trave em teu próprio olho? Hipócrita, tira primeiro a trave de
teu olho, e então verás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão. Não há
árvore boa que dê fruto mau, e nem árvore má que dê fruto bom; com efeito,
uma árvore é conhecida por seu próprio fruto; não se colhem figos de
espinheiros, nem se vindimam uvas de sarças. O homem bom, do tesouro do
coração tira o que é bom, mas o mau, de seu mal tira o que é mau; porque a
boca fala daquilo que está cheio o coração.
Lucas 7, 36:50
Um fariseu convidou-o a comer com ele. Jesus entrou, pois, na casa do fariseu e reclinou-se à
mesa. Apareceu então mulher da cidade, uma pecadora. Sabendo que ele estava á mesa na casa do
fariseu, trouxe um frasco de alabastro com perfume.
E, ficando por detrás, aos pés dele, chorava; e com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, a
enxugá-los com os cabelos, a cobri-los de beijos e ungi-los com o perfume.
Vendo isso, o fariseu que o havia convidado pôs-se a refletir: “Se este homem fosse profeta,
saberia bem quem é a mulher que o toca, porque é uma pecadora!” Jesus, porém, tomando a
palavra, disse-lhe: “Simão, tenho uma coisa a dizer-te” – “Fala, mestre, respondeu ele. “Um credor
tinha dois devedores; um lhe devia quinhentos dinares e o outro cinquenta. Como que não tivessem
com que pagar perdoou a ambos. Qual dos dois o amará mais?” Simão respondeu: “ Suponho que
aquele ao qual mais perdoou”. Jesus lhe disse: “Julgaste bem”. E voltando-se para a mulher, disse a
Simão: “Vês esta mulher?” Entrei em tua casa e não me derramaste água nos pés; ela, ao contrario,
regou-me os pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. Não me deste ósculo; ela, porém,
desde que eu entrei, não parou de cobrir-me os pés de beijos. Não me derramaste óleo na cabeça;
ela ao invés, ungiu-me os pé com perfume. Por esta razão, eu te digo, seus numerosos pecados
estão perdoados, porque ela demonstrou muito amor. Mas aquele a quem pouco foi perdoado
mostra pouco amor.” Em seguida, disse à mulher: “Teus pecados estão perdoados”. Logo os
convivas começaram a refletir: “Quem é este que até perdoa os pecados?” Ele, porém, disse á
mulher: “Tua fé te salvou; vai em paz”.
Download

seminario sobre o estudante do esde