Vigilância de
Tabagismo
em Escolares
ORGANIZAÇÃO
Ministério da Saúde
Instituto Nacional de Câncer (INCA)
Coordenação de Prevenção e Vigilância (CONPREV)
Divisão de Controle do
Tabagismo e outros
Fatores de Risco de
Câncer
Divisão de
Epidemiologia
Secretaria Estadual de Saúde
VIGESCOLA
 Iniciativa
mundial: OMS e CDC (GYTS)
 Sistema
de vigilância: inquéritos
periódicos em escolares
 Justificativa:
melhorar a capacidade
dos países para desenhar, implementar
e avaliar programas de prevenção e
controle do tabagismo em jovens
O GYTS tornou-se o maior
sistema global de vigilância de
saúde
VIGESCOLA é parte de um processo
continuado de acompanhamento e
análise oportuna da situação do
tabagismo em escolares
Sistema de Vigilância
Inquéritos repetidos
GYTS - VIGESCOLA
A cada 3 anos
Países que estão implementando o VIGESCOLA
Completed 1999, 2000, 2001, 0r 2002
Albania
American Samoa
Anguilla
Antigua & Barbuda
Argentina
Armenia
Azerbaijan
Bahamas
Bahrain
Bangladesh
Barbados
Belize
Benin
Bhutan
Bolivia
Botswana
Brazil
Bulgaria
Burkina Faso
Cambodia
Cameroon
Chad
Chile
China
Colombia
Commonwealth of Northern
Mariana Islands
Congo
Cook Islands
Costa Rica
Cote d'Ivoire
Cuba
Czech Republic
Democratic People's
Republic of Korea
Democratic Republic
of the Congo
Djibouti
Dominica
Dominican Republic
Ecuador
Egypt
El Salvador
Eritrea
Estonia
Ethiopia
Federated States
of Micronesia
Fiji
French Guiana
Gaza Strip/West
Bank
Georgia
Ghana
Greece
Grenada
Guadeloupe
Guam
Guatemala
Guinea
Guinea-Bissau
Guyana
Haiti
Honduras
Hong Kong
Hungary
India
Indonesia
Iran
Jamaica
Japan
Jordan
Kenya
Kuwait
Kyrgystan
Laos
Latvia
Lebanon
Lesotho
Libya
Lithuania
Macau
Malawi
Malaysia
Maldives
Mali
Martinique
Mauritania
Mauritius
Mexico
Mongolia
Montserrat
Morocco
Mozambique
Myanmar
Namibia
Nepal
New Zealand
Nicaragua
Niger
In field/planned for 2003
Nigeria
Oman
Pakistan
Palau
Panama
Paraguay
Peru
Philippines
Poland
Portugal
Puerto Rico
Qatar
Republic of Korea
Romania
Russian Federation
Rwanda
Saudi Arabia
Senegal
Seychelles
Singapore
Slovenia
Solomon Islands
South Africa
Spain
Sri Lanka
St. Kitts & Nevis
St. Lucia
St. Vincent & the
Grenadines
Sudan
Suriname
Swaziland
Syria
Tanzania
Thailand
The Gambia
Togo
Trinidad & Tobago
Tunisia
Turkey
Uganda
Ukraine
United Arab Emirates
United States
Uruguay
Venezuela
Viet Nam
Virgin Islands (Am)
Virgin Islands (Br)
Yemen
Zambia
Zimbabwe
Brasil: capitais participantes*
Tabagismo:
problema de saúde pública
O tabagismo está associado a:

40 a 45% das mortes por câncer

90 a 95% das mortes por câncer de pulmão

75% das mortes por DPOC/Enfisema

25% das mortes por doenças cardiovasculares
Maior causa evitável de adoecimento e morte no mundo
O que faz as pessoas se tornarem fumantes?
Publicidade
50% dos
experimentadores serão
fumantes
Aceitação social
Fácil acesso
Modelos de comportamento
Suscetibilidade individual
90% dos Fumantes
começaram a
fumar até
os 19 anos
Tabagismo:
problema de saúde pública na população jovem

Jovens: grupo mais vulnerável

Iniciação precoce (10-12 anos)

Fatores que influenciam a experimentação:
•
promoção e publicidade da indústria do tabaco
•
acesso: baixo custo, facilidade de obtenção
•
pressão do grupo de colegas
•
modelo de comportamento dos pais, irmãos e outros

Dependência à nicotina: em 2 a 3 anos

Maior dependência no futuro
Tabagismo:
problema de saúde pública na população jovem
Distribuição da população segundo a faixa etária que começaram a
fumar por sexo
Faixa Etária
Sexo masculino
%
10-12 anos
3475
18,2
8688
31,3
13-15 anos
1738
9,1
17375
62,5
16-18 anos
13900
72,7
1738
6,3
19113
100
27800
100
Total
Sexo feminino
%
Fonte: Comportamento de fumar em adolescentes
entre 15 e 19 anos no
MRJ - Costa L, 2002
Tabagismo: problema de saúde pública
na população jovem
100.000 novos jovens fumantes/dia no mundo
100
12 capitais brasileiras: prevalência (%) de
fumantes entre jovens
80
Sexo Masculino
Sexo Feminino
60
40
19,0
16,0
20
0
Fonte: Vigescola, 2002-2003
Documentos
secretos da
Indústria
O que eles dizem...
“Atingir o jovem pode ser mais
eficiente mesmo que o custo para
atingí-los seja maior, porque eles estão
desejando experimentar, eles têm mais
influência sobre os outros da sua idade
do que eles terão mais tarde, e
porque eles são muito mais leais a sua
primeira marca”
Escrito por um executivo da Philip
Morris em 1957
Objetivo Geral
Estimar a prevalência e descrever o
perfil do tabagismo entre escolares
da 7ª e 8ª séries do
ensino fundamental e da 1ª série do
ensino médio das capitais
brasileiras
Objetivos Específicos
1. Estimar a prevalência de tabagismo incluindo cigarro,
fumo de mascar, charutos e cachimbos entre
escolares de 7ª e 8ª séries do ensino fundamental e da
1ª série do ensino médio da rede pública e privada das
vinte e seis (26) capitais brasileiras e DF.
2. Descrever o perfil de consumo do tabaco na
população alvo.
3. Descrever conhecimento, crenças e atitudes da
população alvo quanto a exposição ativa e passiva ao
tabaco.
4.
Identificar fatores associados a iniciação
tabagismo na população alvo do estudo.
ao
Tipo do estudo
População - Amostra

Estudo Transversal/Populacional: inquérito

População alvo: alunos das 7ª e 8ª séries do
Ensino Fundamental e do 1ª série do Ensino
Médio de escolas federais, estaduais, municipais
e particulares das capitais brasileiras

Amostra: seleção aleatória da população:
• 25 escolas de cada cidade
• De 1 a 4 turmas por escola
Questionário

Auto-preenchível
com 70 questões

Folhas de
resposta, sem
identificação, com
opções (letras)
para
preenchimento
com lápis 2b
Resultados
Informação
Conhecer o número de escolares
que utilizam ou já utilizaram
produtos derivados do tabaco,
assim como conhecer as
crenças, conhecimentos e
atitudes desses escolares em
relação ao tabagismo, nas
capitais estudadas.
“É importante saber tanto quanto possível sobre os
padrões de tabagismo dos adolescentes. Os
adolescentes de hoje são os potenciais
consumidores regulares de amanhã, e a grande
maioria dos fumantes começam a fumar na sua
adolescência ... Devido ao nosso grande espaço de
mercado entre os fumantes mais jovens, a Philip
Morris sofrerá mais do que qualquer outra companhia
com o declínio do número de adolescentes fumantes”
Memorando enviado por um pesquisador da Philip
Morris, Myron E. Johnston para Robert B. Seligman,
Vice - Presidente de pesquisa e desenvolvimento da
Philip Morris, 1981
Resultados
VIGESCOLA
Campo Grande, 2002
Gráfico 1: Tamanho da amostra e proporção de
resposta por escolas, por estudantes e total em
Campo Grande, 2002
100
100
95
90
85
86
86
80
75
Proporção de
resposta por escola
Proporção de
resposta dos
estudantes
Proporção de
resposta total
Gráfico 2: Distribuição de estudantes
pesquisados por sexo em Campo Grande, 2002
Total: 1 448 alunos
Masculino
Feminino
n = 773
53%
n = 675
47%
Gráfico 3. Distribuição dos estudantes
pesquisados por série em Campo Grande, 2002
Total: 1 446
7ª Série do Ensino Fundamental
8ª Série do Ensino Fundamental
1ª Série do Ensino Médio
n = 442
30,2%
n = 412
28,1%
n = 612
41,7%
Gráfico 4: Distribuição dos estudantes
pesquisados por idade em Campo Grande, 2002
12 anos
13 anos
Total: 1 454
14 anos
n = 29
2%
n = 185
12%
15 anos
16 anos
17 anos
n = 424
26%
n = 273
17%
n = 306
19%
n = 391
24%
Gráfico 5: Percentagem de escolares que já
experimentaram fumar cigarros*, por sexo em
Campo Grande, 2002
Sexo Masculino
Sexo Feminino
100
Total
80
48,9
48,1
60
40
20
0
*mesmo uma ou duas tragadas
48,9
“... um cigarro para o iniciante é um ato
simbólico. Eu não sou mais a criança
da minha mãe, eu sou forte, eu sou um
aventureiro, eu não sou quadrado... A
medida em que a força do simbolismo
psicológico diminui, o efeito
farmacológico assume o papel de
manter o hábito”
Rascunho de relatório do Quadro de Diretores da
Philip Morris, 1969
Gráfico 6: Percentagem de escolares que
experimentaram cigarros até os 13 anos de
idade, entre aqueles que já experimentaram em
Campo Grande, 2002
Entre 12 e 13 anos
100
54,4
80
60
32,0
40
20
0
25,7
Até 11 anos
Gráfico 7: Prevalência de fumantes* de
cigarros entre os escolares, por sexo em
Campo Grande, 2002
Sexo Masculino
Sexo Feminino
Total
100
80
60
40
20,6
18,3
19,6
20
0
*fumou pelo menos 1 dia nos últimos 30 dias
“Eles representam o negócio de
cigarros amanhã. À medida que o
grupo etário de 14 a 24 anos
amadurece, ele se tornará a parte
chave do volume total de cigarros,
no mínimo pelos próximos 25 anos”
J. W. Hind, R.J. Reynolds Tobacco, internal
memorandum , 23 January 1975
Gráfico 8: Percentagem de escolares fumantes atuais
que fumaram mais de 100 cigarros na vida, por sexo
em Campo Grande, 2002
100
Sexo Masculino
Sexo Feminino
80
Total
60
32
40
20
0
22
27
Gráfico 9: Características dos escolares
fumantes, por sexo em Campo Grande, 2002
Masculino
46%
Feminino
54%
Gráfico 10: Características dos escolares fumantes,
por escolaridade em Campo Grande, 2002
100
90
80
70
60
50
40
34,1
38
27,9
30
20
10
0
7ª Série
8ª Série
1ª Série
Gráfico 11: Idade em que os escolares fumantes
passaram a fumar diariamente em Campo
Grande, 2002
100
80
60
40
30,7
31,9
18,2
13,6
20
5,6
0
9 anos ou menos
entre 10 e 11 anos
entre 12 e 13 anos
entre 14 e 15 anos
16 anos ou mais
Gráfico 12: Escolares fumantes que possuem
um ou os dois pais fumantes, Campo Grande,
2002
100
80
60
39,5
41,2
40,3
40
20
0
Masculino
Feminino
Total
Recentemente, foi promulgada a Lei
número 10.702/2003, que alterou a Lei
número 9.294/1996, que dispõe sobre
as restrições ao uso e à propaganda
de produtos fumígeros. Esta nova Lei,
de 14 de julho de 2003, proíbe a venda
de produtos fumígeros a pessoas
menores de 18 anos. A Souza
Cruz publica em suas embalagens a
seguinte advertência: produto para
maiores de 18 anos”
Acesso e disponibilidade – fumantes
atuais
88,8% dos escolares fumantes, com idade entre 12
e 16 anos, que compraram cigarros em lojas, não
foram impedidos de comprar por causa de sua
idade em Campo Grande, 2002
Mídia e propaganda
Oferta gratuita de cigarros por representantes da
indústria: a distribuição gratuita referida alcança
8,8% dos escolares em Campo Grande, 2002
“Em função dos riscos
associados ao ato de fumar, a
Souza Cruz acredita que fumar é
uma escolha exclusiva para
adultos. Por esta razão, a empresa
apóia programas para prevenir e
reduzir o ato de fumar entre
crianças e adolescentes”
Philip Morris
UMA ESCOLHA PARA ADULTOS
Download

LancamentoCG