XIV Curso de Formação e
Aperfeiçoamento de Profissionais
Para o Mercado de Capitais
Geraldo Soares
Presidente Executivo do IBRI
Superintendente de RI do Banco Itaú
11 agosto 2007
Programa/Objetivos da Apresentação
Agenda:
1) A evolução da Governança Corporativa
no Brasil
2) Revolução do Mercado de Capitais no
Brasil.
3) O que é RI (Relações com Investidores)?
4) Desafios da Governança Corporativa
Conselho de
Monitoramento
destes
Administração
relacionamentos com estruturas
e ações de modo a minimizar o:
CONFLITO DE INTERESSE
=
Diretoria
GOVERNANÇA CORPORATIVA
Acionistas
Executiva
Evolução da Governança Corporativa no Brasil
 Fortalecimento da supervisão bancária no Brasil em toda a década de
90;
 Criação do IBGC ( Novembro de 1995);
 Princípios de Disclosure e Governança - BIS (1998);
 Diretrizes do FMI para melhorar a transparência do sistema financeiro
internacional (1999);
 Nova Lei das S.As. (2001);
 Níveis diferenciados de Governança - BOVESPA (2001);
 Instrução CVM nº 358 (2002): Política de Divulgação (obrigatória) e de
Negociação (facultativa)
 Lei Sarbanes-Oxley (2002);
 Empresas brasileiras listadas na Bolsa de Nova Iorque, sujeitas às
mesmas exigências do que as empresas americanas.
Evolução da Governança Corporativa no Brasil
 Fortalecimento da supervisão bancária no Brasil em toda a década de
90;
 Criação do IBGC (Novembro
de 1995); é
1. Transparência


uma
Princípios de Disclosuremedida
e Governança
- BISno
(1998);
de valor
Diretrizes do FMI para melhorar
transparência do sistema financeiro
mundoaglobalizado
internacional (1999);
O valor
 Nova Lei das S.As. 2.
(2001);


de mercado é
diferencial
Níveis diferenciados de um
Governança
- BOVESPA (2001);
competitivo
Instrução CVM nº 358 (2002):
Política de Divulgação (obrigatória) e de
Negociação (facultativa)
 Lei Sarbanes-Oxley (2002);
 Empresas brasileiras listadas na Bolsa de Nova Iorque, sujeitas às
mesmas exigências do que as empresas americanas.
Programa/Objetivos da Apresentação
Agenda:
1) A evolução da Governança Corporativa
no Brasil
2) Revolução do Mercado de Capitais no
Brasil
3) O que é RI (Relações com Investidores)?
4) Desafios da Governança Corporativa
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Valor de Mercado das Cias.Listadas
Jan/2007 – 77,3% do PIB
2.121
1995 a 2004 – 33% do PIB (média)
EM BILHÕES
1.545
R$
1128
US$
906
722
676
144 148
1995
1.130
225 217
1996
285 255
1997
409
194 161
1998
228
1999
441
226
2000
482
438
430
186
2001
127
2002
234
2003
337
2004
2005
2006 jul/07
Fonte: Bovespa
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Volume Médio Diário Negociado na Bovespa
4.087
US$
EM MILHÕES
R$
2.056
1.221
397 395
259 282
1995
1996
829763
658569 626
1997
1998
748
346
1999
411
2000
558
264
2001
197
2002
1.346
949
818
611
2.171
272
2003
416
2004
589
2005
2006
jul/07
Fonte: Bovespa
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Evolução dos IPO’s
60
50
7
REALIZADO EM ANDAMENTO
40
30
46
20
10
26
2
1
0
19 9 5
19 9 6
19 9 7
19 9 8
1
1
19 9 9
2000
1
2001
2002
7
2003
2004
9
2005
2006
jul/ 0 7
Fonte: Bovespa
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Nº de Empresas nos Segmentos Diferenciados de Governança
Corporativa da Bovespa
Os Segmentos Diferenciados de Gov.Corporativa

32% do total das empresas listadas

57% da capitalização de mercado

68% do volume negociado
80
44
18
2
3
2
3
10
14
33
37
36
40
2004
2005
2006
2007*
0
18
24
31
2001
2002
2003
N1
* até 31/jul
18
7
7
N2
NM
Fonte: Bovespa
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Participação de pessoas físicas* nos negócios da Bovespa – em %
1997
1999
2000
10%
16%
20%
2001
22%
2002
22%
26%
2003
28%
2004
2005
25%
2006
25%
2007
2007 até julho
24%
Fonte: Bovespa * Inclui clubes de investimento
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Contas de pessoas físicas na CBLC
2000
76.607
2001
75.003
2002
85.249
2003
85.478
2004
2005
2006
2007*
116.914
155.183
219.634
243.036
Fonte: Bovespa – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia * Julho/07
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
COMPARAÇÃO - IGC x IBOVESPA x IBRX50
5.373
3.920
2.732
Fonte: Bovespa
Programa/Objetivos da Apresentação
Agenda:
1) A evolução da Governança Corporativa
no Brasil
2) Revolução do Mercado de Capitais no
Brasil.
3) O que é RI (Relações com Investidores)?
4) Desafios da Governança Corporativa
Responsabilidade do RI
Empresa
Mercado de Capitais
Áreas da
Empresa
Coletar,
analisar,
sintetizar e
uniformizar
informações
internas
RI
Disseminar
informações
transparentes
democráticas
tempestivas
acessíveis
Analistas
Acionistas
Investidores
Mídia
Raters
Academia
Outros
Retroalimentação
O RI é a voz do mercado dentro da empresa e a voz
da empresa no mercado de capitais.
O que é RI ?
Conselho de Administração e Diretoria
Relações com
Investidores
Criação de Valor para o
Acionista
Redução do Custo de
Capital
Objetivo: Fornecer ao mercado de capitais informações transparentes,
tempestivas e confiáveis sobre as operações da empresa.
Públicos diferentes, demandas
diferentes
Investidores Profissionais
Investidores Não-profissionais
•Enfoque analítico nas
demonstrações financeiras
•Enfoque analítico no aspecto
operacional
•Foco em recompra de ações
•Foco em dividendos
•Relatório On-line
•Relatório Impresso
•Análise Gerencial da Operação
•Glossário, FAQ
•Grande importância à
tempestividade da informação,
visão trimestral
•Menor importância à
tempestividade (algumas
informações!)
Nove Mandamentos para estruturar um
bom programa de RI
“Seja transparente - sempre!”
“Comunicação é a alma do negócio!”
“Conheça seu público! Segmente!”
“Apresente-se. Vá ao mercado!”
“Não perca tempo. Seja tempestivo!”
“Não invente. Seja a cara da sua empresa”
“Reconheça oportunidades.”
“Inove!”
“Seja estratégico. Pense no longo prazo!”
Sustentabilidade
Dimensão
Econômica
 Performance
Financeira
 Criação de Valor
 Perpetuidade
A empresa somente é sustentável
quando clientes, fornecedores,
Dimensão
Dimensão
Sustentabilidade
Ambiental
Social
investidores...são sustentáveis.
 Competitividade
 Cidadania Corporativa
 Responsabilidade social
 Conservar e reciclar recursos
(Eco-eficiência)
 Aumentar a equidade
 Reduzir desperdícios
 Minimizar impactos ambientais
Código de Conduta e Princípios
Éticos do Profissional de RI
• Quatro Princípios:
1 – Transparência
2 – Equidade
3 – Franqueza e Independência
4 – Integridade e Responsabilidade
http://www.ibri.com.br/conheca/Codigo_de_etica.pdf
RI baseado na Governança Corporativa
TRANSPARÊNCIA
Compromisso com a Informação espontânea, ágil e direta
PRESTAÇÃO DE CONTAS
Responsabilidade na prestação de informações
EQÜIDADE
Tratamento justo e indiscriminado aos grupos minoritários
SUSTENTABILIDADE
Responsabilidade Social nas práticas Corporativas
Programa/Objetivos da Apresentação
Agenda:
1) A evolução da Governança Corporativa
no Brasil
2) Revolução do Mercado de Capitais no
Brasil.
3) O que é RI (Relações com Investidores)?
4) Desafios da Governança Corporativa
Desafios
1 – Pulverização de Capital
2 – Insider Trading
3 – Entrada de Pessoas Físicas (minoritários)
4 – Participação de Estrangeiros nas Cias abertas
(principalmente IPO)
5 – Auto Regulação
6 – Aculturamento da empresa aos princípios de
GC
7 – Valorando a Governança (quanto vale a GC?)
EVOLUÇÃO DAS OFERTAS DE AÇÕES
(IPO’s e Ofertas Públicas)
45
40
35
41,2
30,4
30
25
20
15
10
5
0
13,6
13,9
9,2
8,8
5,4
5,9
1995
1997
Valores em bilhões de Reais
1999
2001
2003
2005
2007
Fonte: Bovespa – jul/07
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
Participação do Home Broker na Bovespa – em %
7,0
1,3
2001
2002
2003
2004
No número de
negócios
10,5
2,6
3,5
13,2
5,5
16,9
2005
20,5
2006
20,1
2007
No volume
financeiro
5,9
5,0
27,2
8,2
Fonte: Bovespa – jun/07
A Revolução do Mercado de
Capitais no Brasil
PARTICIPAÇÃO DOS INVESTIDORES
EMPRESAS
2%
INSTITUCIONAIS
28%
INSTITUIÇÕES
FINANCEIRAS
10%
ESTRANGEIROS
35%
PFs
24%
Fonte: Bovespa – Jul/07
O CODIM
Criado com o objetivo de ser uma nova e eficiente ferramenta de
trabalho para o aperfeiçoamento do mercado de capitais.
Compromisso : oferecer orientação e sugestões às companhias abertas,
profissionais de relações com investidores, analistas, investidores,
administradores de recursos e outros profissionais de investimentos,
dentre outros; a respeito das alternativas mais adequadas de divulgação
de informações para um público diversificado que exige maior qualidade,
transparência, tempestividade, acessibilidade e detalhamento desses
dados.
A missão do CODIM inclui a elaboração de pareceres de orientação que
devem alinhar as Melhores Práticas de Divulgação, estabelecendo
princípios básicos e a utilização de recursos tecnológicos compatíveis
com as necessidades dos agentes do mercado de capitais.
O CODIM
O Que é o CODIM
MISSÃO: elaborar pareceres de orientação alinhando as Melhores
Práticas de Divulgação, estabelecendo princípios básicos e a utilização
de recursos tecnológicos compatíveis com as necessidades dos agentes
do mercado de capitais.
Compromisso: orientar e sugerir às companhias abertas, profissionais
de relações com investidores, analistas, investidores, administradores
de recursos e outros profissionais de investimentos, dentre outros; a
respeito das alternativas mais adequadas de divulgação de informações
para um público diversificado que exige maior qualidade,
transparência, tempestividade, acessibilidade e detalhamento desses
dados.
CODIM – Entidades Membro
Visite o nosso portal
www.ibri.com.br
OBRIGADO!
Geraldo Soares
Presidente Executivo do IBRI
Superintendente de RI do Banco Itaú
11 agosto 2007
Download

Módulo Comunicação Corporativa