Revitalização de praças em
Teresina tornam a cidade mais bela
e acrescentam um diferencial de
conforto ao dia-a-dia da capital.
Além de dar um colorido especial,
as praças reformadas, como a praça Ministro Pedro Borges, se transformam em um ponto de encontro
da comunidade, de lazer para as crianças e um cenário mais que interessante para namorados. Pág. 4
FOTO: DJALMA LEMOS
Reformas em praças trazem
mais beleza à Cidade Verde
CEUT ganha
novos cursos
O Centro de Ensino Unificado
de Teresina lança novos cursos no
mercado e amplia sua estrutura para
receber novos alunos. O CEUT
aposta agora nas áreas de saúde e
informática mantendo sua qualidade de ensino.
Pág. 6
Como praticar esporte a 40 graus
FOTO: MARGARETH LEITE
Além dos cuidados básicos exigidos na prática de esporte o
teresinense convive com um outro
dilema: como conciliar atividades fí-
sicas com um calor de rachar. A
Avenida Raul Lopes reúne “atletas”
que procuram fugir do calor.
Pág. 8
Política
A utilização de pesquisas eleitorais como ferramenta de marketing
político pode ter seus dias contados. O mago das pesquisas no Piauí,
Prof. João Batistas Teles, do IPOP, comenta as mudanças. Pág. 3
Cidade
As altas temperaturas de Teresina, acentuadas nos meses de setembro a dezembro, forçam os teresinenses a modificarem seus hábitos, buscando alternativas para driblar o calor. Do modo de produzir, ao modo de se divertir, tudo muda no B-R-O BRÓ. Pág. 5
Cultura
O artesanato piauiense expande suas fronteiras e começa a ganhar o mercado internacional. A utilização de peças por arquitetos e
decoradores contribuíram para essa conquista. Eles ajudam a divulgar a cultura piauiense e, de quebra, geram empregos.
Pág. 7
Página 2 - Teresina (PI), novembro/2005
OPINIÃO
Um projeto para marcar a história do
nosso curso de Comunicação Social
O principal lema
da nossa IES é que a
teoria e a prática da
faculdade CEUT são
pontos cruciais para
a performance do
profissional. Não
medimos esforços
para proporcionar
recursos audiovisuais, acervo bibliográfico, laboratórios, salas de aula conHonório José Nunes Bona
Diretor Geral do CEUT
fortáveis, sala dos
professores, etc; no
sentido de melhorar cada vez mais o desempenho
do nosso corpo discente para brilhar no mercado
de trabalho.
Através desses recursos, nosso estudante
vivencia a realidade aplicando com o que lhe é repassado e assimilado em sala de aula. Dentre os
diversos projetos de implantação da faculdade
CEUT está o do nosso Jornal Universitário. A ansiedade que apertava nossos corações, hoje é confirmada com o lançamento do mais novo laboratório
do nosso estimado CEUT. Trata-se do Jornal “Matraca”. É uma realidade. Uma vitória de todos. Mais
um marco em nossa trajetória.
A faculdade CEUT vem sempre implementando
projetos visando também o desenvolvimento prático do seu formando. É através desse mecanismo
que estamos disponibilizando para o discente ferramentas, que vivenciam a realidade para que ao
adentrar no mundo profissional, aquele receio do
“será que eu...” seja abolido de vez da sua mente.
Acreditamos que assim, estaremos contribuindo
muito para a performance do futuro profissional.
Aproveito a oportunidade para agradecer a todos
os componentes do curso de bacharelado em jornalismo, em especial à professora Zilma Martins,
pela dedicação e empenho na consumação desse
projeto. E aos estudantes do curso que aproveitem
bem esse novo mecanismo, essa nova ferramenta.
Que procurem praticar o que é repassado pela nossa brilhante equipe de docentes. Que desde já procurem ser bons jornalistas, sendo desconfiados de
tudo; não tenham medo de perguntar o que não sabem; e sejam lutadores incansáveis na busca da verdade, somente da verdade.
Um instrumento do barulho para
anunciar um novo tempo no jornalismo
Esta é a primeira e histórica edição do Jornal
Matraca. Jornal que se propõe a servir de laboratório para os estudantes do 4º período do Curso de
Comunicação Social – Jornalismo do CEUT. Representa uma importante conquista dos alunos, professores, coordenação e da faculdade que, somando a outros projetos de sucesso, revela-se mais um
espaço para a prática profissional dos discentes,
além de preencher importantes requisitos com vistas ao reconhecimento do curso pelo Ministério da
Educação.
A alegria dos estudantes, aliada à dedicação e motivação dos professores responsáveis, não é
injustificada. Eles agora podem ver seus textos em
outras instituições de ensino superior espalhadas por
este Brasil.
Também nos alegra poder fazer parte desta história. O jornal laboratório é uma conquista do curso, que agrega valor, simpatia, promove o debate das
idéias, proporciona o intercâmbio. Tenho certeza de
que todas as suas edições serão aguardadas com
muita expectativa. E por que Matraca? A história é
interessante. Os
próprios alunos
apresentaram suas
sugestões para o
nome do Jornal. E
Matraca foi eleito
pela maioria. O
nome Matraca possui vários significados e destacamos
aquele que mais
simboliza o espírito
do jornal: chamar a
Zilma Martins Abreu
atenção das pessoCoordenadora do Curso
as. Matraca é um
instrumento sonoro utilizado para anunciar a passagem de uma procissão pelas ruas da cidade no período da Semana Santa, sendo usado especialmente
nas cidades do interior nordestino.
É nosso desejo que você leitor possa ter o prazer de ler matérias sobre a nossa cidade.
Teresina, o Piauí, revelando a cultura e as
potencialidades do nosso lugar.
Jornal Laboratório do Curso de
Comunicação Social,
Habilitação em Jornalismo do
CEUT - Centro de Ensino Unificado de
Teresina.
Diretor Geral:
Honório José Nunes Bona
Diretor de Planejamento e Finanças:
Ranieri Mauro Vilarinho Brito
Diretora Administrativa:
Zizita Dolôres Bona de Carvalho
Diretora Acadêmica:
Maria de Fátima Portela Araújo
Diretora de Pós-Graduação, Pesquisa
e Extensão:
Ceciane Portela Sousa
Assessora Acadêmica:
Lina Rosa de Jesus Bona
Coordenadora do Curso de
Comunicação Social:
Zilma Martins da Silva Abreu
Professores Responsáveis
Edição, Texto e Reportagem:
Américo L. Abreu - DRT 938
Planejamento e Produção Gráfica:
Mercedes Rio Lima - DRT 187/90
Fotojornalismo:
Margareth Leite - DRT
Revisão:
Francisca Neuza Farias - RLP 22.484
Equipe de Redação/Paginação:
Ana Flávia Soares
Ana Paula Rachid
Camilla Rafaella Teive
Carla Cléia Silva
Daniela Amana Dias
Djalma Lemos Ferreira
Èric de Carvalho Costa
Flávio Augusto Rufino
Hélvio Meneses Martins
Ismênia Teles Monteiro
Jamahynna Dyelle Fernandes
Jordan Feitosa Silva
Leonel Bruno Medeiros
Liana Raquel Martins
Lorenna Ramalho Mendes
Marcelo Magno Ribeiro
Maria do Socorro Moura
Marília de Sousa Lustosa
Marina Ribeiro Alencar
Mônica Martins Craveiro
Nielsen Matesco Nunes
Raimundo Prado Neto
Tallita Kelly de Morais
Ítalo Mota
CEUT - Av. dos Expedicionários, 790 São João - Teresina/PI - CEP 64046700fone: 32333136 - Fax: (86)32324888 E-mail : jornalmatraca@ceut.com.br.
POLÍTICA
Teresina (PI), novembro/2005 - Página 3
Nova Lei Eleitoral condiciona uso de pesquisa
SOCORRO MOURA
A Comissão de Constituição e Justiça
do Senado aprovou no dia 19 de agosto
do corrente ano, um projeto que modifica
a legislação eleitoral. Uma das mudanças
nele contida é a proibição da divulgação
de pesquisas nos 15 dias antes das eleições, a pretexto de não influir na vontade
do eleitor.
“Isso é polêmico e inconstitucional
porque fere a liberdade das empresas que
produzem ou veiculam pesquisas”, ressaltou o presidente do Instituto Piauiense de
Opinião Pública (IPOP) João Batista
Teles.
A Constituição, no artigo 220, que cuida da liberdade de informação, no seu parágrafo único diz: Nenhuma lei conterá
dispositivo que possa constituir embaraço
à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação
social.
No período eleitoral as pesquisas de
intenção de votos são realizadas de várias
formas, dentre as quais: pesquisa qualitativa, pesquisa estimulada ou induzida ou
ainda motivada, pesquisa de rejeição, pesquisa espontânea.
Os resultados das pesquisas são apresentados a quem as encomendou, depois
publicados na mídia e têm por objetivo principal informar os eleitores sobre quais candidatos estão na liderança.
Por se tratar de estatísticas e não núme-
ros absolutos, toda pesquisa apresenta
uma margem de erro que depende do tamanho da amostra estudada e dos resultados
obtidos. Isso ocorre porque não é entrevistado todo o universo da população, mas
apenas uma parte representativa deste.
Em todo ano eleitoral recai sobre os institutos de pesquisa a mesma pressão, aquela idéia de que as pesquisas de opinião
são manipuladas e que elas corrompem, de
alguma maneira, o processo eleitoral.
Todo o processo de produção de uma
pesquisa , e principalmente ao apontar as
possibilidades reais que hoje existem nos
Tribunais Regionais Eleitorais de instrumentos de fiscalização, instrumentos estes que podem e são mal utilizados pelos
partidos políticos, mostra que o problema
não está nas pesquisas eleitorais e nem
nos institutos, embora seja possível que
um instituto ou outro possa agir de má fé
em alguns momentos e que uma pesquisa
ou outra pode ter sido feita com resultado
manipulado. O que se faz é produzir flagrantes do processo eleitoral, que são informação.
Ao produzir um jornal num período de
campanha eleitoral, as fontes de informação a que se recorre são várias e uma delas
é a pesquisa eleitoral.
É possível que ao longo do tempo os
jornais tenham ficado reféns de pesquisas
eleitorais e tenham direcionado de uma forma obsessiva o seu noticiário a partir das
Congresso perde prazo
MARCELO MAGNO
Já é quase certo que a reforma política
não sairá do papel em tempo de ser posta
em prática nas eleições de 2006. A Constituição determina que mudanças na legislação eleitoral devem ser feitas um ano antes
do pleito, e o Congresso perdeu este prazo
para votar a matéria, ficando assim
inviabilizada uma reforma política para as
eleições do próximo ano.
De acordo com sua assessoria, o presidente da Câmara Aldo Rebêlo (PC do BSP) tem interesse em votar e aprovar a reforma, mas o assunto ainda gera polêmica
Aldo Rebêlo (PC do B-SP)
em vários setores da oposição. Por outro
lado, Aldo Rebêlo deu a entender em entrevista à Folha de São Paulo que se houver mudanças as mesmas podem ser feitas
para valer apenas a partir das eleições de
2008.
E então, a reforma política pode ou não
ser votada ainda este ano? Bom, em política, para tudo há um jeito. No Congresso
esse “jeito” pode ser dado, pois os governistas já articulam a possível aprovação
de uma emenda à Constituição que prorrogue o prazo para mudanças na legislação
eleitoral até o dia 31 de dezembro do ano
anterior ao pleito. Assim, a reforma poderia sair do papel em tempo hábil para ser
aplicada nas eleições do próximo ano.
Entre várias mudanças propostas na reforma política destaca-se o objetivo de baratear os custos de campanha com medidas como a proibição de show-mícios e
de mega-produções nos programas de TV.
A reforma propõe também que os partidos
tenham de atingir um número mínimo de
votos no país em 2006, caso contrário perderão o direito a mecanismos essenciais à
sua existência, como tempo em rádio e TV
e diminuição no Fundo Partidário, fonte de
recursos mais importante das legendas.
João Batista Teles - IPOP
conclusões das pesquisas eleitorais e com
isso tenham perdido uma parte da sua capacidade de entender a realidade, o que
exigiria outros instrumentos além das pesquisas eleitorais.
Sob o ponto de vista dos jornais, muita coisa se tem buscado ao longo desses
anos. A primeira é que a pesquisa é muito
importante, mas não pode ser o único instrumento do trabalho jornalístico durante
uma eleição. É freqüente no período eleitoral encontrar jornais cujo noticiário esteja
completamente dominado pela pesquisa.
A segunda é como ler uma pesquisa, a
interpretação dos números. Percebe-se que
uma parte da imprensa continua cometen-
do, erros como: “o candidato subiu ou desceu”, sem ter o cuidado de verificar se
aquele resultado novo, em comparação ao
anterior, está dentro da chamada margem
de erro, ou não, se não é um empate técnico, o uso de “cair ou descer”, “desabar”,
“explodir”, se isso não passa, naquele
momento, de um erro jornalístico gerador
de conseqüências políticas, que deformarão, de alguma maneira, o retrato daquela
realidade.
Todas as vezes que os meios de comunicação souberam trabalhar bem com as
pesquisas, cresceram em credibilidade, tornaram-se parceiros importantes dos institutos.
No dia 30 de novembro deste ano, a
Câmara de Deputados perdeu uma grande
oportunidade para fazer a reforma política,
por falta de consenso na reunião mantida
entre líderes das bancadas e o presidente
da Casa, deputado Aldo Rebelo (PCdoBSP). Assim, o Congresso Nacional aprovará ainda este ano uma reforma política que
valerá para a eleição de 2006. A garantia foi
dada pelo presidente do Senado, Renan
Calheiros (PMDB-AL), ao assegurar também que será aprovada a Proposta de
Emenda Constitucional (PEC 446/05), do
deputado Ney Lopes (PFL-RN), que garante o prazo até 31 de dezembro deste ano
para a efetivação de mudanças na lei eleitoral em vigor no pleito do próximo ano.
As CPI´s e a nossa vida
CARLA CLÉIA
Nos últimos meses, as atenções do
país, sobretudo daqueles que formam
a opinião pública, se voltaram para a
avalanche de denúncias com origem
nos bastidores do poder, em Brasília.
Muito se falou e provavelmente muito
ainda se falará no assunto. Os comentários já apontam para conchavos políticos, que impedirão a punição dos reais culpados. Das três comissões de
inquérito instauradas, ao menos uma,
a dos Correios, pediu cassação de 18
parlamentares, resta agora os indicados darem os famosos jeitinhos de
driblar a justiça e perpetuarem a impunidade.
Mas, e nós? Em que todo esse furacão afeta nossa vida? Tão pacata,
cheia de dificuldades, afinal todo esse
dinheiro a que a mídia se refere, ninguém nem sabe quanto é mesmo, sabe
que é muito, pra toda hora falarem assim. Pois, acreditem, este dinheiro é
nosso! fruto do nosso trabalho, do suor
que cada trabalhador derrama dia após
dia, para dar conforto aos nossos representantes lá na capital do país, para que
ao menos na frieza do ar-condicionado
possam pensar em saídas mais
eqüânimes para nosso povo tão
“sucateado”.
A corrupção vai dos trocados a
vultuosas somas e só no ano passado
custou ao Brasil R$ 380 bilhões, dinheiro que, se bem aplicado, construiria escolas de boa qualidade para
nossos filhos, hospitais públicos decentes, segurança, habitação, entre
outros itens imprescindíveis para que
qualquer cidadão pudesse ter uma vida
digna. Combater fatores que estimulam esta prática é uma saída lógica, a
burocracia brasileira é comparada a níveis africanos, por ela pagamos um
preço alto de informalidade, falta de
transparência nos processos entre empresas e estado, sem falar nos altos
impostos, verdadeira tentação para
potenciais sonegadores e fiscalização
desonesta, por isso, antes de dizer que
toda esta panacéia que está acontecendo, não tem nada a ver com você,
lembre-se de que parte daquele dinheiro que entra nas contas dos deputados e voa livremente nas malas é seu e
que não existe ninguém melhor do que
nós mesmos, para defendermos o que
é nosso.
Página 4 - Teresina (PI), novembro/2005
CIDADE
LORENNA RAMALHO
Praça Ministro Pedro Borges, no Jóquei: reforma revitalizou a paisagem urbana
Sobre a questão das grades presentes
em algumas praças, Weldon Alves, explica
que: “a idéia era impedir o vandalismo, mas
o efeito foi contrário”. De acordo com ele,
não há mais a intenção de colocá-las. Sobre a possibilidade de tirá-las, ele respondeu: “as praças são tombadas pelo
Patrimônio Histórico e, para mexer em qualquer coisa ali, seria uma confusão”,
FOTO: DJALMA LEMOS
A Prefeitura de Teresina, através da
Superintendência de Desenvolvimento
Urbano – SDU Centro/Norte, vem dando
continuidade ao projeto de revitalização
das praças iniciado na administração do
ex-prefeito Firmino Filho. Os gastos com
as duas praças que estão sendo reformadas – Landri Sales e Marechal Deodoro,
giram em torno de, no mínimo, R$ 320 mil.
O Gerente de Obras da SDU Centro/
Norte, Dr. Weldon Alves, lembra que este
investimento financeiro deveria ser Federal, mas que devido à demora na liberação,
vem sendo realizado com recursos do orçamento popular e ainda, com a ajuda de
parceiros.
Um bom exemplo dessas parcerias é o
caso dos convênios firmados com a
Telemar, que possibilitaram a recuperação
das praças da Liberdade, São Benedito e
João Luis Ferreira. Uma união entre a Prefeitura e o Governo do Estado reformou a
Pedro II. O mesmo se repete entre a Prefeitura e Governo Federal que estão recuperando a Marechal Deodoro – famosa Praça
da Bandeira.
Weldon Alves afirma que, diferente das
outras, a reforma da praça Landri Sales –
mais conhecida como Praça do Liceu, está
sendo feita com recursos próprios. Tem
prazo para ficar pronta em dezembro, mas
segundo ele, pode ser concluída antes disso. O que não é o caso da praça Marechal
Deodoro, cuja previsão de entrega também
foi estipulada para o final do ano, mas encontra-se em atraso gerado pela dificuldade encontrada na negociação com os camelôs que trabalham naquele local.
FOTO: DJALMA LEMOS
Prefeitura recupera praças de Teresina
Praça Landri Sales (Liceu), um dos símbolos da cidade
Praça do Liceu, uma das mais tradicionais da capital
acrescentando que não pretendem mais
trancar os portões.
Ficou claro também, o respeito que é
cobrado dos engenheiros em favor do desenho original e da feitura de alterações
necessárias como, por exemplo, rampas que
facilitem o acesso dos deficientes físicos.
Esta é uma consciência que o próprio prefeito Silvio Mendes parece ter; pois ao
participar da I Conferência Municipal dos
Direitos da Pessoa com Deficiência comprometeu-se a não deixar nada mais ser
construído sem acesso, mostrando-se sensibilizado com a questão.
A verdade é que as praças representam bem mais que um simples local onde
muita gente transita. É sempre comum, em
torno de uma delas, encontrar alguém que
a tenha feito de palco para algum momento
em sua vida. E que hoje, ao passar por aquele local, relembra tal situação: encontros
marcados, beijos trocados, confidências,
traições, algazarras entre amigos.
A praça tem servido também e, principalmente, como cenário escolhido por várias pessoas para trabalhar. Transeuntes
garantem que a praça D. Pedro II ganhou
ar novo após ter sido recuperada.
Os amigos Jarlan, José Carlos, Francisco Olavo, Alex, Mauro, Francisco Alves e
outros que, como eles, vendem frutas e
verduras nas proximidades da praça Marechal Deodoro; costumam se reunir, diariamente, na hora do almoço à sombra de uma
das árvores. Um deles até brinca que a árvore deitou para que eles pudessem sentar.
No entanto, não possuem muitas expectativas em relação à recuperação da
praça, pois entre eles, há um temor: “Querem tirar as nossas barraquinhas daqui”.
Quanto aos assaltos, eles concordam que
diminuíram com o local mais iluminado e
contam que vêem uma grande quantidade
de casais, namorando. Já o universitário
Giuliano Stefan denuncia que às 18 horas,
a praça João Luis Ferreira “é um breu só”.
Diante dos fatos, os bons momentos
podem estar voltando. A “geração
shopping center” ainda poderá aprender
que as praças possuem sim, o seu valor.
Tanto no quesito emoções quanto como
cartão postal atraindo turistas, sem contar
que praças lindas e limpas levam à agradável sensação de que os teresinenses são
educados.
CIDADE
Teresina (PI), novembro/2005 - Página 5
Teresinense se adapta ao b-r-o-bró
Temperaturas que chegam a 40 graus
e poucas sombras disponíveis. Essa combinação, aliada à queda da umidade do ar,
aumenta ainda mais a sensação de calor
em Teresina. No início do mês de agosto,
a meteorologia de Teresina registrou o perigoso índice de 37% de umidade relativa
do ar, esse período quente e seco, compreendido entre setembro e dezembro, é conhecido no Piauí como b-r-o bró.
Segundo o meteorologista Mainá
Medeiros, a média normal é de, no mínimo,
50%. Ele afirma que isso deve continuar
nos próximos meses. “Durante esse período do ano, o posicionamento do equador
térmico, com a alta incidência de raios
solares e a pouca quantidade de nuvens
contribuem para a elevação das temperaturas. O mais agravante é que no mês de
setembro inicia o período de grandes incidências de queimadas e isso complica a
situação”, explicou.
A queda na umidade do ar é, na verdade, a quantidade de vapor de água na atmosfera em determinada temperatura. Entre as principais causas para esta queda
estão o crescimento urbano desordenado
e a baixa quantidade de árvores em vias
públicas. Asfalto e cimento substituem a
cobertura verde e também contribuem para
o tempo ficar mais quente. Segundo dados
da SDU Centro-Norte (Superintendência de
Desenvolvimento Urbano) o percentual
para o parque arbóreo de uma região deve
ser de 12%. Teresina, apesar de ser consi-
FOTO: MÔNICA CRAVEIRO
MONICA CRAVEIRO
não estar localizada na zona litorânea, diferente das demais capitais nordestinas.“Já
que aqui não tem mar eu vou para um bar”,
declara a turista, após tomar um copo de
cerveja.
O calor escaldante também impulsiona
o mercado de sorvete, sucos, água de
coco, etc. “As vendas de água de coco
mais que duplicaram. Até agosto eu vendia três mil cocos por semana, no b-r-o-bró
estou vendendo oito mil”, declara o comerciante Gildan Sousa. Os ambientes
climatizados também se beneficiam neste
período, tanto que o local preferido do
teresinense nos fins de semana continuam
sendo os shoppings.
Sorvete: altas temperaturas aquecem também as vendas
derada a “cidade verde”, está abaixo desta
faixa, com apenas 8% de extensão verde.
Se forem consideradas as áreas particulares nossa capital alcança a casa dos 13%.
Entretanto alguns setores são beneficiados pelo aumento da temperatura em
Teresina, tais como bares e casas de shows
que são exemplos notórios. “No segundo
semestre o movimento e faturamento do
meu bar cresceu até 50% em relação aos
primeiros seis meses”, diz o empresário da
noite Marco Veloso. A movimentação maior nos bares se dá a partir da noite e as
razões para tal fenômeno são as altas temperaturas que ocorrem durante o dia.
Por esses fatores o teresinense desen-
volveu essa cultura do entretenimento
noturno. “Outro fato curioso é o horário
praticado em festas e eventos. Era comum
observarmos festas em que a chegada do
público só iniciava após 1h da manhã, pessoas de outras regiões ficavam surpresas
ao presenciarem esta peculiaridade nossa”,
complementa Marco Veloso. Isso mudou
depois da implantação do “toque de recolher”, uma medida adotada pela Secretaria
de Segurança que fixou em duas horas da
manhã o prazo máximo para que bares e
restaurantes permaneçam abertos. Para a
estudante de medicina, Beliza Craveiro,
que sempre passa férias em Teresina, esta
característica se devia ao fato de a cidade
Cuidados no B-R-O-BRÓ
Especialistas aconselham alguns cuidados nessa época do ano. Exercícios físicos, principalmente nas horas de sol mais
forte (10 h às 16 h), podem deixar seu corpo debilitado.
Ambientes climatizados com temperaturas muito baixas representam perigo. “As
pessoas frequentam lugares com temperaturas de 20° e quando saem se deparam
com um calor de 40°, esse choque de temperatura pode causar uma série de doenças, como, rinite, asma etc”, declara a médica Regina Terto.
Além desses cuidados, deve-se também usar roupas leves e sempre que sair
ao sol utilizar protetor solar.
Ministro apóia criação da TV Assembléia
DJALMA LEMOS
Promessa de campanha do Deputado
Temístocles Filho (PMDB), durante sua
campanha à presidência do legislativo, a
TV Assembléia está prestes a se tornar
realidade. No último dia 13 de setembro,
durante audiência realizada em Brasília,
o deputado – agora eleito Presidente da
Assembléia Legislativa, acompanhado do
Governador Wellington Dias, ouviu do
Ministro das Comunicações, Hélio Costa
(PMDB), a garantia do encaminhamento
do projeto à Casa Civil da Presidência da
República, de onde seguirá para o
Congresso Nacional que apreciará e
discutirá o projeto de criação da TV
Assembléia na Comissão de Ciência e
Tecnologia para uma posterior aprovação.
Para o ministro, até meados de outubro
deste ano, todo o processo burocrático
estará concluído, para o uso legal do canal
da TV Assembléia. Segundo ele, será um
instrumento da maior importância para o
povo do Piauí. “Digo isso por acompanhar
os relevantes serviços prestados pela TV
Assembléia ao povo de Minas”, comentou
o ministro, que é mineiro.
Além de ser mais uma opção televisiva
para os telespectadores piauienses, o canal
legislativo terá também a finalidade de
levar à população informações sobre as
atividades parlamentares realizadas na
Casa, como os projetos apresentados pelos
deputados, além das discussões políticas,
tornando-se um instrumento de
transparência para o povo.
Um bom exemplo da importância do
trabalho realizado por um canal de
comunicação público, é o que vem sendo
realizado pela TV Senado. Por conta das
transmissões das sessões que apuram as
denúncias de corrupção a emissora tem
alcançado grande audiência e tem sido
fonte de informação para boa parte da
imprensa brasileira. “Tenho absoluta
certeza que será de grande importância
para a comunidade piauiense que terá à
sua disposição um canal exclusivo para
acompanhar os trabalhos realizados nesta
Casa, e também o desempenho e
compromisso do seu deputado para com a
coisa pública e os interesses do Estado”,
comentou o Deputado petista João de
Deus Sousa, Líder do Governo na
Assembléia.
Geração de emprego
A criação da TV Assembléia, tem
gerado grande expectativa no meio
jornalístico profissional e acadêmico, já
que serão criadas várias oportunidades de
emprego, tanto na área técnica e
operacional (câmeras, auxiliares, editores,
sonoplastas), quanto para jornalistas
(repórteres, redatores, produtores).
Segundo informações colhidas por
nossa reportagem, é pensamento da
direção da Assembléia, aproveitar na TV,
jornalistas que trabalham na Casa, fato
que não comprometerá a necessidade de
contratação de novos profissionais.
TV Assembléia de
Minas
No Brasil, a experiência da obtenção e
operacionalização de um veículo de
comunicação de massa por parte do Poder
Legislativo em um Estado da Federação
pôde ser visto em Minas Gerais, onde
desde o dia 30 de novembro de 1995,
funciona a TV Assembléia de Minas. Tratase da primeira emissora legislativa criada
após a publicação da Lei 8.977/95, que
regulamenta o serviço de TV a cabo no
Brasil. Ela entrou em operação com o canal
40, em Belo Horizonte, hoje canal 11.
Atualmente, a TV Assembléia de
Minas está presente em mais de 180
municípios mineiros.
TV Senado
Outro bom exemplo do uso da TV para
levar informação política aos cidadãos
brasileiros, conforme mencionado
anteriormente, é o desenvolvido pela TV
Senado. Inaugurada no dia 5 de fevereiro
de 1996, pelo senador José Sarney, então
presidente do Senado, a emissora possui
hoje uma das melhores estruturas técnica
e operacional do país, e está presente com
seu sinal em todo o território nacional
através de emissoras a cabo, antenas
parabólicas digitais e analógicas, além de
transmissão UHF com sinal aberto.
Página 6 - Teresina (PI), novembro/2005
CEUT
CEUT abre novos cursos em 2006
O Centro de Ensino Unificado de
Teresina - CEUT, vai abrir novos cursos.
Já para o próximo vestibular, realizado no
final deste ano de 2005, foram abertas vagas para Ciência da Computação e, para o
segundo semestre de 2006, teremos Enfermagem, Fisioterapia e Nutrição.
Segundo a professora Fátima Portela,
Diretora Acadêmica do CEUT, dois motivos levaram a faculdade a apostar nos
novos cursos. Em primeiro lugar a excelente estrutura, que conta com auditório,
biblioteca e vários laboratórios. Em segundo lugar, pela ociosidade do turno diurno.
Além disso, a faculdade resolveu continuar a crescer.
Com esse objetivo, a direção resolveu
não medir esforços para a implantação
desses cursos que exigem laboratórios de
custo elevado. Esses laboratórios já estão em fase final de estruturação, aguardando a última visita da comissão do Ministério da Educação para a liberação de
portaria que autoriza o funcionamento dos
novos cursos.
Fátima Portela também explicou que
para a abertura do curso Ciência da Com-
putação foi feita uma pesquisa de mercado para avaliar a necessidade e a procura
pelo curso. Já os da área de saúde resultaram de uma opção da faculdade, tendo em
vista que são cursos tradicionais, cuja demanda é sempre satisfatória. Cada curso
oferecerá 100 vagas anuais, com duas entradas, tendo início em janeiro de 2006.
O Diretor de Planejamento da faculda-
de, Ranieri Brito, informou que foram abertos novos laboratórios de informática,
cada um com computadores de última geração, “contemplando todas as áreas do
curso de Ciência da Computação”, durante o qual o aluno terá noções gerais sobre
montagem e conserto de computadores
(hardware), incluindo estudos sobre programação (software). Para a área de saúde
FOTO: LIANA RAQUEL
FLÁVIA SOARES
Fátima Portela: laboratório de saúde em fase final de implantação
foram realizados investimentos de alta
monta: foram adquiridos equipamentos
como microscópios, autoclaves, estufas,
peças anatômicas e tudo o que foi exigido
para a instalação e o bom funcionamento
dos novos cursos.
E o projeto de expansão não pára por
aí: novos cursos já estão em fase de planejamento. A faculdade já pensa na incursão pela área tecnológica, bem como na
implantação do disputado curso de Medicina.
Há onze anos atuando no segmento
da educação superior o CEUT já formou
profissionais de diversas áreas, preparados para a concorrência e inserção no
mercado de trabalho. Além dos cursos de
graduação em Direito, Secretariado Executivo, Ciências Contábeis, Administração,
Comunicação Social com habilitações em
Publicidade e Propaganda Jornalismo, e em
TV e Rádio, a faculdade também oferece
cursos de especialização em diversas áreas. Assim, o CEUT empresta todo o seu
know how adquirido ao longo dos anos
na área das ciências humanas para novos
segmentos do conhecimento, nas áreas de
ciências da saúde e tecnologia.
SIFE CEUT representou Projeto social leva ajuda
o Brasil no Canadá
ao bairro São Joaquim
MARCELO MAGNO
Após vencer o campeonato brasileiro
organizado pela SIFE Brasil no dia 29 de
junho em Brasília –DF superando times de
renomadas instituições do nosso país
como: PUC –Campinas, IBMEC- RJ e UNB,
o Time SIFE CEUT representou o Brasil
no SIFE World Cup realizado nos dias 5, 6
e 7 de outubro em Toronto, no Canadá.
Para conquistar o título de campeão
brasileiro, o Time SIFE CEUT desenvolveu
projetos empreendedores com o objetivo
de criar oportunidades econômicas para
comunidades específicas. Dentre esses
projetos destacaram-se o “RECICLAR”,
que propõe o incentivo à coleta de papel
para reciclagem, através de palestras em
escolas proporcionando educação
ambiental e geração de renda à Associação de Cegos do Piauí (ACEP); e o projeto
“MARIA MARIA”, que busca capacitar
mulheres de 16 a 27 anos com a reutilização
de retalhos descartados por confecções.
Outros dois projetos que visam proporcionar qualidade de vida para as pessoas que moram na periferia foram apresentados: “HIP HOP SERIGRAFIA” que
busca fomentar e incrementar as habilidades dos jovens da comunidade piauiense
de Hip Hop na criação de uma marca sustentada pelas ideologias desse movimento; e o “CHOCOLARTE” ensinando a arte
do chocolate às mães desempregadas da
comunidade Betinho.
No Canadá, o Time SIFE CEUT formado por 10 universitários e uma professoraconselheira da instituição representou
muito bem a nossa nação. Além da apresentação dos projetos idealizados, mereceram destaque dentre todos os países
participantes o “Country Display”. No
estande do Brasil elementos como o couro, o mel, a castanha de caju, o folclore e o
artesanato piauiense encantaram o público presente, devido à maneira como foram
dispostos, através de cortinas iluminadas
que exibiam fotografias dos principais pontos turísticos do nosso país.
O aluno do curso de Publicidade e Propaganda e líder do grupo, Paulo Solano,
declarou: “A SIFE nos tornou pessoas mais
humanas, preocupadas com nossa comunidade e com o mundo. Hoje somos mais
pro-ativos e aptos para o mercado de trabalho”. Esse é o espírito do projeto.
A SIFE - Students In Free Enterprise
(Estudantes em livre iniciativa) é uma
ONG norte-americana presente em mais
de 40 países que estimula alunos universitários a desenvolver e executar projetos com o intuito de gerar renda a comunidades carentes, e assim dar valorosa contribuição para mudar o mundo.
LEONEL MEDEIROS
O Centro de Ensino Unificado de
Teresina – CEUT comemorou 11 anos
de atividade perto da comunidade. No
último domingo de outubro, a creche
comunitária Padre Eduardo, do bairro
São Joaquim, recebeu a visita do projeto social CEUT Ajuda.
Durante a manhã e parte da tarde,
professores de Direito, Administração,
Ciências Contábeis e Comunicação Social, atenderam e orientaram pessoas da
comunidade. As crianças receberam
atenção especial e disputaram espaço
para assistir a filmes infantis.
O CEUT Ajuda, no bairro São Joaquim, teve uma razão especial: a participação na terceira edição do movimento Tambores pela Paz, um evento que
conta com o esforço comunitário pela
cidadania e inclusão social. Ao todo,
foram atendidas mais de 200 pessoas
entre casos de divórcios, pensão alimentícia, aposentadoria, declaração de
isento de imposto de renda e orientação sobre o jornal do bairro. As crianças assistiram às produções do
“Garfield” e “Procurando Nemo”.
O diretor geral do CEUT, professor
Honório Bona, acrescentou que o papel do CEUT é proporcionar melhorias
na vida das comunidades. “É para elas
que estamos formando profissionais
que atuem nos mais diversos setores
para tornar uma cidade e o país um local digno para viver”, afirma.
O CEUT oferece cursos de graduação em Direito, Ciências Contábeis, Secretariado Executivo, Publicidade e Propaganda, TV e Rádio, Jornalismo e Administração.
A luta dos irmãos Hilson e Honório
Bona resultou em uma das mais sólidas
e bem-equipadas faculdades do Piauí.
Hoje com mais de 2.500 alunos, busca a
interação entre o ensino formal e a prática através de ações sociais como o
CEUT Ajuda e núcleos práticos como a
Empresa Júnior Controller &
Consultoria, o Núcleo de Prática Jurídica, Escritório Escola Dr. “Hilson Bona”
e a Agência Júnior Inove, que recentemente comemorou quatro anos de existência. Além disso, conta com projetos
desenvolvidos por alunos e a participação deles em ong’s, como a SIFE,
onde a equipe SIFE CEUT foi campeã
nacional e representou o Brasil em Toronto - Canadá. Assim, a filosofia do
CEUT é aliar teoria e prática através da
interação e desafios com a comunidade
e prima sempre pela excelência do ensino.
CULTURA
Teresina (PI), novembro/2005 - Página 7
FOTO: ANA FLÁVIA
Artesanato piauiense é reconhecido no mundo
JORDAN FEITOSA
Conhecido e admirado pela criatividade de suas peças, o artesanato piauiense
tem ganho espaço e se destacado de forma significativa no contexto nacional e internacional. Esta realidade vem apenas
evidenciar o quanto o artesanato local tem
crescido e contribuído para a divulgação
da cultura piauiense em diversos países
como Itália, Chile, Portugal, Argentina, dentre outros, além, é claro, de ser responsável pelo sustento direto de várias famílias
carentes que vivem da produção de peças
e artigos artesanais. Aproximadamente 60
mil artesãos do estado sustentam direta e
indiretamente quase 300 mil pessoas, o que
representa 2,8% do PIB estadual, um valor
superior a diversas outras categorias da
nossa economia.
São vários os pontos de divulgação e
comercialização da arte artesanal dentro do
estado do Piauí. Dentre eles se destacam a
central de Artesanato Irmãs Cordeiro, em
Pedro II, Galeria de Artes – Central de Artesanato Porto das barcas, em Parnaíba,
loja Cabeça de Cuia III, em Floriano, o artesanato do bairro Poty Velho, em Teresina
e, é claro, a Central Artesanal de Teresina,
que é um dos maiores referenciais da arte
no estado. Além destes pontos, o artesanato piauiense se faz presente em outras
localidades como Buriti dos Lopes, Campo Maior, Ilha Grande, Piracuruca, São
Raimundo Nonato, entre outras que se
Exposição de peças na Central de Artesanato
destacam nesta área.
A Central de Artesanato Mestre
Dezinho, assim chamada desde a reforma
de 25 de novembro de 1994, possui, além
do indescritível acervo de peças artesanais,
uma grande riqueza histórica, cultural e
patrimonial para o estado do Piauí. Construída para ser a sede da Polícia Militar do
Piauí e exercendo esta função durante muitos anos, o Centro de Artesanato passou a
abrigar, desde 1983, obras de artesãos de
todo o estado que necessitavam de um
espaço apropriado que lhes servisse como
entreposto comercial e, ao mesmo tempo,
Rock na Praça: juventude
interligada em ação
JAMA DYELLE
Diante do cenário cultural que a capital piauiense respira, mais um evento alternativo resolveu eletrizar a Praça
Raimundo Soldado, zona leste da cidade,
nas noites de sábado. É o “Rock na Praça” . Na sua quinta edição o evento criou
uma corrente que mesclou energia e juventude e resultou em uma manifestação cultural estudantil que embalou a noite ao som
do velho e bom Rock N’Roll.
Da metaleira de plantão à patricinha
despojada; da hippie rasta “paz e amor”
aos cabeludos de atitude; de regueiros
babilônicos à menina de sandália baixa,
todas as tribos se reuniram em nome da
boa música e interação social, moldando a
cara do evento. O mundo alternativo estava lá marcando presença. “A cultura mostra a cara de um povo. Mas não é só a
banda que está tocando que faz cultura, as
pessoas, o cenário, a energia, tudo contribui. Teresina ainda é um pouco provinciana, as pessoas têm medo de se
enturmarem, de descobrir a importância da
relação principalmente com o que é desconhecido. E a gente está aqui tentando quebrar essa barreira. Além disso, o rock sempre estimula”, declarou Victor Costa, um
dos organizadores do evento.
As bandas Sophiah, Dínamo, Kalango
Joe, Lady Macbeth e Sr. Wilson fizeram
seus instrumentos trabalharem a todo vapor em um cenário espontâneo e criativo.
Mostraram o que palco musical
teresinense tem de melhor. Esbanjando um
repertório eclético, com grandes nomes do
rock, as bandas fizeram o público ir ao delírio. De forma descontraída, até homenagearam o local do evento cantando uma
versão bem underground de “Nuquinha”,
música de Raimundo Soldado, que virou
cult. Os baladeiros apenas curtiam e registravam na memória aquele momento de intensa interação que os faziam saudar a cultura piauiense.
“O Rock na Praça é um retrato fiel da
energia e espírito social do jovem
teresinense. São eventos como esse que os
impulsionam e dão força às suas mensagens”, afirma a atriz Willena Weronez que
prestigiou a noite do início ao fim.
Uma viatura da Polícia Militar também
estava presente para garantir segurança a
toda a diversão proporcionada. Pouco antes de meia noite, a última banda fechou o
evento com grande estilo, sensação de missão cumprida. A despedida deixou um
gostinho de saudade em clima de viva a
sociedade alternativa, carimbando o evento
como o porta voz de um grito de manifestação, liberdade e atitude.
referenciasse o artesanato piauiense dentro e fora do estado. Compreendida numa
área de 5.111,00m² a central de artesanato
dispõe de cerca de trinta e duas lojas, pátio interno para estacionamento, palco
para shows artísticos e culturais, um auditório com 210 lugares, entre várias outras
atrações que embelezam o cenário e encantam os visitantes que aqui chegam.
O artesanato piauiense, através de sua
história e cultura, vem demonstrar de forma
concreta toda a religiosidade do povo deste estado por meio da arte santeira, que se
destaca como uma das mais intensas for-
mas de manifestação artesanal do estado. O
artesanato piauiense caracteriza-se como
uma das mais puras formas de expressão dos
sentimentos, dos aspectos culturais e do
cotidiano dos artesãos, deste, que é um dos
estados mais católicos do país.
No estado, além das esculturas em cerâmica e madeira, da confecção de bolsas, jóias, cestas, trançados, flores, pinturas e outros, existe uma vertente que não se preocupa apenas em produzir peças como acessórios decorativos, ou seja, há um grande interesse, por parte de arquitetos, em aliar artesanato e arquitetura, fazendo, assim, uma
parceria de sucesso entre o indispensável e
a criatividade artesanal, ocasionando uma
mistura que agrega sofisticação e bom gosto, um efeito que tem agradado a muitos consumidores, tanto do Piauí quanto de outros
estados da federação.
A arte artesanal do Piauí traz consigo
uma forte carga ideológica, auxiliando no
resgate da sensibilidade do público e ratificando a importância que este segmento
tem na conscientização do que, verdadeiramente, se caracteriza como cultura popular. Afinal de contas, “a arte é mais um
respirar natural do que uma atitude de concessão. Faz parte do fluxo da vida. (Nestor
Garcia Cancline)”, e esta filosofia, embora
de forma inconsciente, está implícita e se
faz presente na vida e nas obras destes
grandes artistas que são os artesãos
piauienses.
Hélvio Meneses
bichoescroto@hotmail.com
nada: tudo se transforma. gritos ressoam de esgotos clandestinos perdidos
entre signos proibidos. o contrário de vocês passeia na noite da saraiva
assoviando furacão. corra contra a tv e quebre o controle remoto. esses filmes
sempre se repetem na sessão das dez, sucata de tuppaware requentada. denuncie a comunicação por propaganda falsa e enganosa. não atrapalhe o sono profundo de zé da norma. olhos carnívoros percorrem enquadramentos históricos
querendo saber porquê porque por que por quê. de todas essas bocas nenhuma
se garante: lite rato petrificado, múmia das cavernas.
jato super sônico estratosférico joga os primeiros socorros para quem quer
viagem. alô imbecis no hospital do sus. preferem um comprimido a cada refeição que terceira dimensão. moscas nas paredes brancas do papel. que o futuro
faça a ponta do lápis de chumbo do poeta sentado no desespero. a história é
uma formatura de figurinhas histéricas perdidas entre o presente e o passado,
compreensão gosmenta da massa pegajosa.
reginaldo (p/ K.D de J.S.): a máquina dos meus olhos vislumbra podres
consciências/ consome rostos consumidos/ a máquina dos meus olhos calcina a
carne democrática nômade/ destrói as sobras do teu sexo cristão/ rodopia no
vazio da tua podridão/ ofende tua certeza inconseqüente e fúnebre.
acácio: passando a colher flores nos cérebros/ via uma mão a correr no
horizonte/ cintilações vagarosas explodiam em vaga-lumes gosmentos/ habitava línguas e dentes/ comia percevejo com tinta/ tábuas moles e escuridão./ um
dia escutei um coração pedindo lápis e papel pra escrever/ lavando frases e
comentários pra esquecer.
marsone: estou aqualouco uma esquizofrenia estereofônica me envolve
pela vertigem epifenomenal e melódica de uma gaita em gestos panaméricos
na batina do tempo.
mariano denificador das certezas: trabalhar é traficar/ você trabalha?/
você trafica?/ você trabalha pra traficante?/ você de alguma forma é funcionário público?/ chega de ser funcionário de traficante público/ de louvar traficante prefeito/ traficante governador/ traficante empresário/ traficante religioso./
com o poema ainda em punho chega de funcionar publicamente.
Página 8 - Teresina (PI), novembro/2005
SAÚDE
Prática esportiva sob 40 graus exige cuidados
A vida de atleta em Teresina não é fácil. A temperatura muitas vezes beira os
40 graus e a umidade do ar muitas vezes
fica abaixo de 50%. Esse clima exige cuidados especiais na prática de esportes. Se
você está começando a encaixar a atividade física na sua rotina, opte pela caminhada, vá aumentando a intensidade e a duração aos poucos.
No começo da atividade o organismo
não está adaptado ao esforço exigido. O
coração começa a bater mais forte e as células necessitam de mais oxigênio e nutrientes para funcionar a pleno vapor.
Na tentativa de sair desse estado de
stress, o corpo manda uma mensagem que
leva a pessoa a desistir. Quem consegue
vencer essa sensação é recompensado
depois de alguns minutos.
No verão nada é mais agradável que
praticar atividades esportivas ao ar livre.
O problema é que o verão, com sua temperatura elevada, raios do sol e umidade baixa pode demandar esforços muito grandes
dos mecanismos de controle fisiológico do
corpo.
Você pode perder urna quantidade considerável de água enquanto pratica exercícios físicos. Caso você não substitua estes líquidos pode ter dores, cansaço, cãi-
Alzheimer cresce
entre os idosos
FOTO: MARAGARETH LEITE
PRADO NETO
LIANA CAMPELO
Atividade física em Teresina deve aliar saúde e segurança
bras musculares, náusea e tontura, apenas
alguns sinais da desidratação. A perda de
dois a três por cento do seu peso corporal
devido à desidratação pode atrapalhar sua
performance durante os exercícios.
Um corpo em movimento vive mais e
para se ter o maior rendimento possível em
cada treino, é recomendado o acompanhamento de um nutricionista especializado em
esporte.
Segundo o professor de uma academia
particular na zona leste de Teresina, Fábio
Américo, praticar atividades físicas, como
a musculação e aeróbica, traz alguns benefícios à saúde, prevenindo doenças e
elevando a auto estima.
Benefícios da
prática esportiva
• Aumento das artérias coronárias, melhorando a circulação sanguínea.
• Melhora da habilidade do organismo em dissolver coágulos.
• Melhora da imunidade.
• Melhora da resposta à insulina.
• Melhora da tolerância ao stress.
• Aumento da atividade de enzima
antienvelhecimento.
• Aumento da captação de oxigênio.
• Prevenção da ansiedade, depressão,
insônia, câncer e constipação.
• Diminuição da massa de gordura.
• Fortalecimento dos ossos.
Obesidade infantil preocupa médicos
ISMÊNIA TELES
Crianças gordinhas e bochechudas são
consideradas para alguns, um símbolo de
beleza e de saúde. Mas gordura em excesso não é sinônimo de saúde, mas de doença.
Este é um fato que muitos pais não sabem ou se sabem, não dão importância. A
conseqüência disso é que a criança poderá sofrer de diabetes, doenças cardíacas,
elevação dos triglicérides e do colesterol,
alterações ortopédicas, pressóricas,
dermatológicas e respiratórias. O problema é que essas alterações só se tornam evidentes na fase adulta.
Os médicos alertam para o fato de que,
se os pais das crianças e adolescentes pos-
suem hábitos alimentares rudimentares
como conseqüência a criança tenderá a seguir o mesmo ritmo.
Eles recomendam que as crianças pratiquem algum tipo de esporte. Segundo
Alice Amaral, médica nutróloga, “na escola, a aula de educação física não é suficiente para a criança gastar o tanto de calorias
que ingeriu”.
Essa mudança de hábito é imprescindível, pois não apenas a saúde física da criança é abalada, como também a psíquica.
Um exemplo disso é que na escola os coleguinhas chamam a criança obesa por vários apelidos e isso resulta numa baixa autoestima, levando a criança a se afastar do
grupo e ficar cada vez mais dentro de casa,
Guloseimas irresistíveis para as crianças
na frente da televisão e do computador, e
mais próximo da geladeira.
Segundo Jeana Maria Moura, 32 anos,
mãe de Jeremias (nome fictício), a situação de um filho obeso é triste. Muitas vezes ela já presenciou o filho chorar por conta dessas “brincadeirinhas”. “Os meninos
da Igreja não gostam dele. Chamam ele de
gordo, baleia-fora-d’água, não querem
brincar com ele de jeito nenhum” afirma.
A escola também deverá se conscientizar dos hábitos alimentares das crianças.
Na hora do recreio, as cantinas oferecem
diferentes opções de salgadinhos industrializados, frituras e refrigerantes. Hoje, a
alimentação é mais calórica e parece hipnotizar as crianças que exigem R$ 1,50 dos
pais para merendar todos os dias. “O
Jeremias chora quando não tem dinheiro
para ele merendar”, desabafa Jeana.
Para a nutróloga, Alice Amaral, a prevenção da obesidade deve começar no útero da mãe. Nos seis primeiros meses de
vida, a médica diz que a criança precisa
somente do leite materno. A partir dos seis
meses, o bebê pode ser alimentado também com papinhas, frutas e continuar mamando no peito.
O tratamento ao combate da obesidade faz-se com uma dieta balanceada que
determina o crescimento adequado e manutenção do peso, exercícios físicos controlados e apoio emocional.
O número de pessoas que apresentam
algum tipo de demência na faixa etária de
65 anos varia de cinco a dez, em cada grupo de 100. Em 60% desses casos, aproximadamente, é constatada a doença de
Alzhaimer. Segundo o Presidente da Associação Brasileira de Alzhaimer - ABRAZ,
o neurologista João Carvalho, o número
de portadores da doença no Piauí varia
entre sete de 14 mil pacientes.
O mal de Alzheimer destrói as células
do cérebro lenta e continuamente afetando o funcionamento mental, como a memória, a fala e o pensamento. A doença provoca alterações de comportamento gerando ansiedade, agressividade, desorientação, mudanças de humor, etc. Ela não deve
ser preocupação restrita apenas àquelas
pessoas de mais idade, apesar de geralmente serem as mais afetadas. João Carvalho alerta que os mais jovens também devem se cuidar, já que algumas vezes pessoas por volta dos 40 anos de idade podem também ser afetadas.
A aposentada Neusa Teixeira Noronha
da Silva, 81 anos é portadora do mal de
Alzheimer. De acordo com sua filha
Raimunda Teixeira Martins, 49 anos, responsável pela mãe, a doença começou há
mais ou menos seis anos.
“O passado dela antes da doença, ela
lembra tudo e conta sempre muitas histórias. Já o que se passou depois da doença,
como conversas ao telefone, passeios com
parentes, datas comemorativas, já não consegue lembrar. Às vezes até nas coisas mais
simples, como ir ao banheiro, ela se confunde entrando no quarto ou na dispensa
da casa. Engraçado é que o dia do pagamento de sua aposentadoria ela raramente
esquece”. Descreve dona Raimunda.
Existem exames para descartar ou confirmar a doença, tais como Eletrocardio-grama, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética e exames psiquiátricos,
afirma Bernadete Ferraz. Descoberta a tempo, as chances de tratamento e estabilização da doença são maiores.
Estudos e pesquisas mostram que fatores genéticos, vida sem estabilidade, má
alimentação, alcoolismo, tabagismo, obesidade e principalmente fatores ambientais
como poluição, podem provocar a formação de radicais livres. Eles são fortes aliados contra o aparecimento de doenças
degenerativas em um indivíduo, como é o
caso do Alzheimer.
“Existe a perspectiva de cura com o avanço das pesquisas com células tronco,
assim como também existe uma maior expectativa com a Imunoterapia que funciona como uma vacina, mas ambos ainda estão apenas no campo da pesquisa”, afirma
o Dr. João Carvalho.
Download

Reformas em praças trazem mais beleza à Cidade Verde