JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
Tuberculose bovina protraída: Relato de caso
Bovine tuberculosis protracted: Case report
Tuberculosis bovina: Relato de caso
Luiz Eduardo Duarte de Oliveira1, Idelvânia dos Anjos Nonato1,
Gabriel Artur Marciano do Nascimento2, Arthur Augusto Tavares do
Nascimento3, Marco Túlio Lopes Serrano4 e
Gabriel Domingos Carvalho5*
Resumo
A tuberculose bovina é uma doença causada pelo Mycobacterium bovis e
representa um sério problema para a saúde pública. Esta importante
zoonose
é
uma
doença
infecto-contagiosa
de
caráter
crônico,
caracterizada por granulomas. Os sinais clínicos da tuberculose bovina na
maioria das vezes estão ocultos, e quando presentes são representados
por perda de peso, linfadenomegalia, debilidade, caquexia, sinais
respiratórios
e,
com
menor
frequência,
por
sinais
digestivos
e
geniturinários, neurológicos e outros. Este trabalho relata o caso de um
touro de aproximadamente 72 meses de idade, utilizado como reprodutor
em uma pequena propriedade leiteira, situada na Zona da Mata Mineira,
que após sofrer um episódio de intoxicação, manifestou um quadro
disseminado de tuberculose.
Palavras-chave: bovinos, Mycobacterium bovis, tuberculose.
1
Graduando (a) em Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde
(FACISA/UNIVIÇOSA), Viçosa-MG.
2
Médico Veterinário. Graduado em Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências Biológicas e da
Saúde (FACISA/UNIVIÇOSA), Viçosa-MG.
3
Médico Veterinário. Professor do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências
Biológicas e da Saúde (FACISA/UNIVIÇOSA), Viçosa-MG.
4
Médico Veterinário. Especialista. Professor do Curso de Medicina Veterinária da Faculdade de
Ciências Biológicas e da Saúde (FACISA/UNIVIÇOSA), Viçosa-MG.
5
Médico Veterinário. Mestre em Medicina Veterinária. Professor do curso de Med. Veterinária do
Instituto Federal Norte de Minas Gerais - IFNMG Campus Salinas, Salinas-MG. E-mail:
gabriel.carvalho@ifnmg.edu.br
397
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
Abstract
Bovine tuberculosis is a disease caused by Mycobacterium bovis and is a
serious problem for Public Health. An important zoonosis, it is a chronic
infectious disease characterized by specific granulomas. The clinical signs
of bovine tuberculosis in most cases are hidden, and when present are
represented by weight loss, infarction of the lymph nodes, weakness,
wasting, respiratory signs, and less frequently signs of digestive and
genitourinary, neurological and others. This paper reports the case of a bull
approximately 72 months of age, used in small dairy property, located in
the Zona da Mata Mineira, which after suffering an episode of poisoning
showed a disseminated tuberculosis case.
Key words: bovine, Mycobacterium bovis, tuberculosis.
Resumen
La tuberculosis bovina es una enfermedad causada por el Mycobacterium
bovis y representa un grave problema para la salud pública. Esta
importante zoonosis es una enfermedad infecto-contagiosa de carácter
crónico, caracterizada por granulomas. Los signos clínicos de la
tuberculosis bovina en la mayoría de los casos están ocultos, y cuando
están presentes son representados por perdida de peso, linfadenomegalia,
debilidad, caquexia, signos respiratorios, y con menor frecuencia, por
signos digestivos y genitourinarios, neurológicos y otros. Este trabajo relato
el caso de un toro de aproximadamente 72 meses de edad, utilizado como
reproductor en una pequeña propiedad lechera, situada en la zona rural
Mineira, que después de sufrir un episodio de intoxicación manifestó un
cuadro de tuberculosis diseminada.
Palabras-clave: bovinos, Mycobacterium bovis, tuberculosis
398
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
Os ruminantes são infectados
Introdução
A tuberculose bovina, doença
causada pelo Mycobacterium bovis,
ocorre no mundo todo e constitui um
grave problema de saúde pública.
Os prejuízos causados por esta
enfermidade representam barreiras
econômicas significativas1.
por M. bovis geralmente pela via
respiratória e, ocasionalmente, pela
ingestão
bacilos3,4,5,6.
dos
Após
atingir o alvéolo pulmonar, o bacilo
é fagocitado por macrófagos e seu
desenvolvimento
hospedeiro
ou
não
depende
no
da
infectividade do microorganismo, da
A cada ano são diagnosticados
carga infectante e da resistência
dez milhões de novos casos, sendo
oferecida pelo organismo invadido.
que a prevalência maior ocorre nos
As lesões se iniciam nos pulmões e
países
se disseminam para linfonodos e
em
desenvolvimento,
e
menor nos países desenvolvidos,
brônquios,
podendo
onde o controle e a erradicação se
continuarem
encontram em fase avançada1,2,3.
progredir.
A
regredir,
estabilizadas
ou
disseminação
para
outros órgãos pode ocorrer durante
A tuberculose bovina é uma
zoonose
que
vem
destaque
assumindo
ganhando
tardiamente, em função de uma
de
queda na imunidade do animal.
mais
Quando generalizada, a tuberculose
frequentemente relatada entre os
bovina pode se apresentar sob duas
indivíduos que lidam diretamente
formas: miliar (quando acontece de
com animais infectados ou com
forma
produtos provenientes destes, como
entrada de um grande número de
tratadores, magarefes, veterinários
bacilos na circulação), ou protraída,
e
que
doença
profissional,
laboratoristas,
não
caráter
o desenvolvimento da doença mais
somente
manifestando-se
na
forma
de
abrupta
é
a
e
mais
maciça,
comum
com
(a
disseminação se dá por via linfática
tuberculose intestinal ou escrofulose
ou
(transmitida por alimentos) mas,
pulmões, linfonodos, fígado, baço,
principalmente, na forma pulmonar
úbere, ossos, rins, sistema nervoso
3
sanguínea,
acometendo
os
(transmitida por aerossóis) .
399
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
central, e dissemina-se por quase
1,3
todos os tecidos .
idade, utilizado como reprodutor em
uma pequena propriedade leiteira,
Somente
na
doença
avançada os sinais clínicos são
evidentes, e bovinos com lesões
extensas podem apresentar-se em
bom estado de saúde. A perda da
condição física torna-se evidente à
situada na Zona da Mata Mineira no
município de Viçosa-MG. O animal
foi atendido pelo Serviço de Clínica
Médica
de
Grande
Animais
e
Patologia do Hospital Veterinário da
UNIVIÇOSA.
medida que a doença progride1,3,7.
O relato inicial do proprietário
Alguns animais podem apresentar
se resumia na perda progressiva de
perda de peso, debilidade, anorexia,
peso sofrida pelo animal, relutância
caquexia,
respiratórios,
ao exercício, andar cambaleante e
temperatura
tosse crônica. Durante a anamnese
oscilante. A doença pode acarretar
o proprietário relatou que o inicio
perdas de 10 a 25% na produção de
dessa
leite e carne3,6.
aproximadamente
apetite
sinais
seletivo
Este
objetivo
e
trabalho
relatar
um
tem
por
quadro
de
tuberculose protraída em um bovino
adulto
de
meses
aproximadamente
de
idade
em
72
uma
propriedade situada na Zona da
Mata
Mineira
no
município
de
Viçosa- MG.
sintomatologia
era
8
de
meses,
coincidindo com um possível quadro
de intoxicação medicamentosa por
um produto usado como endectocida,
preparado
artesanalmente
na
propriedade a partir de pesticidas
utilizados na agricultura. Ainda de
acordo com o seu relato, foram
utilizados vários medicamentos no
intuito de reverter o quadro de
intoxicação. Após esse episódio, o
animal
Relato de caso
recuperação,
O presente trabalho relata o
atendimento
de
aproximadamente
um
bovino
de
72
meses
de
apresentou
com
uma
retorno
à
alimentação, mas sem alcançar o
escore corporal inicial, ocorrendo
ainda perda da condição corporal.
400
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
Ao exame clínico o animal
apresentava
severa
nodulares, variando de três a 30
dispnéia,
centímetros
de
seguida de tosse improdutiva e
consistência
firme
constante, resistência ao exercício e
variando do branco ao cinza ou
dificuldade
movimentar
amarelo, de aspecto caseoso e com
associada à incoordenação motora
presença de cápsula fibrosa. Ao
dos
corte,
em
se
membros
pélvicos.
As
o
diâmetro,
centro
e
de
coloração
dos
nódulos
frequências cardíaca e respiratória
apresentava necrose caseosa, com
estavam aumentadas e arrítmicas.
áreas de calcificação. As lesões
A temperatura real apresentava-se
foram
levemente
aumentada.
frequência
movimentos
ruminais
Os
estavam
encontradas
com
nos
(mediastínicos,
maior
linfonodos
retrofaríngeos,
diminuídos, as mucosas normocoradas
bronquiais
e o tempo de preenchimento capilar
pulmões e no fígado. Os linfonodos
normal. À auscultação pulmonar era
mediastínicos estavam aumentados,
evidente os sons anormais em
medindo
todos os pontos auscultáveis. Os
apresentavam
linfonodos
material caseoso (Figura 1). No
superficiais
palpáveis
estavam normais.
animal foi submetido ao teste de
tuberculinização,
o
reativo
qual
com
se
reação
inflamatória inespecífica no ponto
de inoculação da tuberculina bovina,
através da intradermoreação. O
órgão de Defesa Sanitária Animal
local foi notificado e o animal foi
eutanasiado e necropsiado.
Ao
exame
observaram-se
de
coração,
Diante da suspeita clínica, o
apresentou
e
20
a
em
30
seu
havia
nos
cm
e
interior
pericardite
granulomatosa, estando o pericárdio
espessado
e
com
acúmulo
de
material de aspecto granulomatoso
e calcificado, preenchendo o saco
pericárdico em uma espessura de
cinco a sete centímetros. Havia
também
endocardite
atrioventricular
(Figura
2).
aumentado
valvular
esquerda
(mitral)
Pulmão
estava
O
de
volume
e
consistente, com espessamento de
necroscópico,
inúmeras
parotídeos),
lesões
pleura, superfície irregular e com
inúmeros
nódulos
de
tamanhos
401
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10):
(10 397 - 405.
variados. Havia áreas nodulares na
histológicas. As lesões histológicas
superfície pulmonar, com aderência
observadas são características
caract
de
das pleuras viscerais e parietais,
tuberculose, pois foram visualizados
além da presença de nódulos na
vários focos
cos de reação inflamatória
superfície pleural da caixa torácica
crônica do tipo granulomatosa, com
(Figura
áreas
3).
granulomas
Havia
nas
t
também
superfícies
hepática e renal.
Durante a necropsia foram
for
coletados fragmentos de pulmão,
fígado, rim e linfonodo, fixados em
solução aquosa de formol a 10%,
para posterior confecção de lâminas
de
necrose
caseosa,
calcificação central, rodeadas
rodeada por
um halo de células epitelióides e
também de células gigantes. Na
periferia
da
macrófagos,,
proliferação
ão
lesão
observou
observou-se
linfócitos
de
tecido
e
a
fibroso
encapsulando a lesão.
Figura 1: Superfície de corte de linfonodos mediastínicos
mediast nicos de bovino,
apresentando necrose caseosa. Viçosa – MG.
402
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10):
(10 397 - 405.
Figura 2: Coração de bovino com pericárdio espessado,
espessado conteúdo
granulomatoso e calcificado (*) e nódulos na válvula mitral
itral (setas).
Viçosa – MG.
Figura 3. Superfície pulmonar irregular, com presença de nódulos,
espessamento de pleura, e aderência das pleuras viscerais e
parietais (seta). Nodulações na superfície pleural da caixa torácica
(*). Viçosa – MG.
403
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
favorecido a disseminação do bacilo
Conclusões
O quadro clínico apresentado
de
forma
que
justifique
pelo animal é compatível com os
intensidade
dados apresentados pela literatura,
apresentadas pelo animal, uma vez
e os achados de necropsia e
que o quadro de intoxicação leva a
histopatológicos
uma imunossupressão que favorece
confirmam
o
quadro de tuberculose.
a
O fato de o animal ter sofrido
das
a
patogenicidade
lesões
do
agente
etiológico.
um episódio de intoxicação pode ter
Referências bibliográficas
1. Brasil (2006). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual
Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da
Tuberculose Animal (PNCEBT). Organizadores: Vera Cecilia Ferreira de
Figueiredo,
José
Ricardo
Lôbo,
Vitor
Salvador
Picão
Gonçalves.
MAPA/SDA/DAS. Brasília: 188p.
2. Kleeberg HK (1984). Tuberculosis humana de origen bovino y salud pública.
Rev Sci Tech, 3: 55-76.
3. Radostits OM et al. (2002). Clínica Veterinária: Um tratado de doenças dos
bovinos, ovinos, suínos e equinos. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
817-827.
4. Carter GR (1988). Fundamentos de bacteriologia e micologia veterinária. São
Paulo: Roca, 186-191.
5. Corrêa WM, Corrêa CNM (1992). Enfermidades Infecciosas dos Mamíferos
Domésticos. 2. ed. São Paulo: MEDSI, 317-335.
404
JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2012 5 (10): 397 - 405.
6. Smith BP (1993). Tratado de medicina veterinária interna de grandes animais:
Moléstias de equinos, bovinos, ovinos e caprinos. Vol. 1 e 2. São Paulo:
Manole, 620, 621 e 1218.
7. Beer J (1988). Doenças Infecciosas em Animais Domésticos. São Paulo:
Roca, 380p.
Recebido em: Agosto de 2012
Aceito em: Setembro de 2012
Publicado em: Dezembro de 2012
405
Download

Ler na íntegra em PDF