COMO
PRODUZIR UM
PERIÓDICO
ELETRÔNICO
CIENTÍFICO
Benedito Barraviera
Professor Titular de Infectologia
da Faculdade de Medicina de
Botucatu e Pesquisador do Centro
de Estudos de Venenos e Animais
Peçonhentos CEVAP - UNESP
...DO PAPEL À Web PASSANDO
PELO DISQUETE, CD-Rom e
DVD-Rom...
...Não se esqueça: O papel tem cerca de
500 anos de vida... O formato digital não
mais que 15... Cautela é a palavra de
ordem! Por outro lado, no momento
ousar é preciso e necessário !!!
HISTÓRICO DAS REVISTAS ELETRÔNICAS
-Até o final de 1995 existiam cerca de 100 revistas
eletrônicas no mundo.
-Histórico no Brasil:
-Abril de 1995: The Journal of Venomous Animals
and Toxins foi lançado e distribuído em disquetes
de 3.5”
-Julho de 1996: Online Journal of Plastic and
Reconstructive Surgery é publicado e distribuído no
formato online.
Em 1996 a Internet comercial é implantada
definitivamente no Brasil!
VANTAGENS DOS PERIÓDICOS ELETRÔNICOS
1-Rapidez na produção e na distribuição
2-Acessibilidade de qualquer lugar do mundo
3-Custos de assinatura reduzidos
4-Suporte integral à multimídia
5-Suporte a hiperlinks internos e externos
6-Disponibilidade de consulta a todos os
volumes (Banco de dados)
7-Disseminação da informação de forma mais
rápida e eficiente
DESVANTAGENS DOS PERIÓDICOS
ELETRÔNICOS
1-Barreiras socioculturais – resistências às
mudanças – ler a tela do microcomputador
2-Barreiras econômicas – equipamentos para
acesso e armazenamento dos dados
3-Barreiras tecnológicas – velocidade nas
redes, dificuldade de visualização de recursos
multimídia, etc.
Conceito de periódico científico
O termo técnico “seriado” ou “periódico” significa
tudo aquilo que se repete em intervalos regulares de
tempo.
Desde o princípio, ou seja, por volta de 1672 quando
apareceram os primeiros periódicos, estes foram
distribuídos sempre em papel.
O conceito de publicação em papel é que ela tem a
navegação do tipo LINEAR, isto é, página por página.
Conceito de periódico eletrônico
É toda publicação seriada distribuída por meio de mídias
diferentes do papel, ou seja, disquete, CD-Rom, DVD-Rom
ou mesmo pela Web (Internet).
Este formato de publicação tem recursos de navegação do
tipo NÃO LINEAR. Isto permite “saltos” para documentos
referenciados, inclusive publicados em outros países.
Para conhecermos melhor uma publicação digital ou
eletrônica precisamos definir três conceitos básicos:
Hipertexto
Multimídia
Hipermídia
O que é o Hipertexto?
Este conceito foi desenvolvido por Ted Nelson em 1965. Ao
se ler um artigo científico encontramos com certa freqüência
as citações das referências.
Estas indicam informações adicionais ao assunto tratado,
embora estejam contidas numa outra página ou até em outro
livro. Ao se obter este outro livro, são encontradas
informações adicionais às que se estava inicialmente lendo.
Ao final desta informação encontra-se uma outra referência,
desta vez sugerindo uma nova consulta.
À medida que se buscam essas informações correlatas,
criam-se LIGAÇÕES MENTAIS que resultarão, ao final, uma
base de conhecimento sobre o assunto que se está lendo.
O que é a Multimídia?
A palavra vem do inglês multimedia, que significa o uso de
multimeios. A multimídia contempla o texto (papel), as
imagens estáticas ou em movimento (vídeos e animações),
o som e a possibilidade de impressão, além da
interatividade.
A multimídia permite a recuperação de informações de
maneira multi-sensorial, integrada, intuitiva e interativa.
É um sistema multi-sensorial integrado, pois pelo menos
os órgãos da visão e da audição estão contemplados de
forma coordenada num único ambiente que é o
computador.
O que é a Hipermídia?
Um sistema hipermídia é um Banco de dados constituído
de muitas informações com referências cruzadas por
vários tipos de vínculos, acessíveis para um grande
número de pessoas e admitindo várias atividades de
navegação.
Vários autores sugerem que o termo “sistema de
hipermídia” seja reservado para sistemas multimídias
gigantes e conectados em rede, que suportem anotação,
personalização e cooperação.
Na prática: como seria um sistema de
hipermídia?
Poderíamos responder: é o sistema que descreve
as aplicações de multimídias interativas e não
seqüênciais, além de possuir ligações de
hipertexto entre diversos elementos como texto,
gráficos, ilustrações, sons, vídeos e animações.
Em resumo: a hipermídia é a somatória das
propriedades do hipertexto às da multimídia.
Os periódicos eletrônicos científicos
seriam sistemas de hipermídia!
Escolhendo o Título e obtendo o ISSN?
Título – por princípio deve ser abrangente...
Periódico em língua portuguêsa – Revista de(a)...
Periódico em língua inglêsa – Journal of....
ISSN - Número Internacional Normalizado para
Publicações Seriadas ou International Standard
Serial Number. É o identificador aceito
internacionalmente para individualizar o título de
uma publicação seriada, tornando-o único e
definitivo. Para cada mídia e idioma um ISSN!
Mais detalhes: www.ibict.br
Domínio: O que é um nome de domínio ?
É um nome que serve para localizar e identificar
conjuntos de computadores na Internet. O nome de
domínio foi concebido com o objetivo de facilitar a
memorização dos endereços de computadores na
Internet. Sem ele teríamos que memorizar uma
seqüência enorme de números.
Onde e como devo registrar meu domínio?
Na página www.registro.br. Domínios não
registrados, não podem ser encontrados na Internet.
Todos os domínios com extensão .BR são
registrados, exclusivamente, no www.registro .br.
Este domínio pertence à Fundação Lucentis
de Apoio à Cultura, Ensino, Pesquisa e
Extensão conforme descrito acima.
Quando o domínio é inexistente você pode
reservá-lo. As informações adicionais estão na
página www.registro.br. Os investimentos são da
ordem de R$ 30,00 por ano!
Onde hospedar e Onde NÃO hospedar
meu periódico...
Conceito de servidor: É um computador que
encontra-se ligado 24 horas por dia e conectado
na Internet de maneira permanente.
Hospede seu periódico em um Provedor de
confiança, ou seja, àquele que nunca “sai do ar”.
Invista nesta possibilidade, terceirize, vale a pena!
Os investimentos não ultrapassam R$ 500,00 por
ano! Evite os tais serviços “gratuitos”!
Evite hospedar as páginas dentro da Universidade
ou no Servidor da Empresa....
Onde hospedar e Onde NÃO hospedar
meu periódico...
As empresas que hospedam páginas oferecem
serviços adicionais gratuitos importantíssimos:
-Estatística de visitação mensal
-E-mail personalizados
-Sistemas de Antivírus
-Suporte técnico às páginas
-Divulgação, etc.
Onde hospedar e Onde NÃO hospedar
meu periódico...
As empresas que hospedam páginas oferecem
serviços adicionais gratuitos importantíssimos:
-Estatística de visitação mensal
-E-mail personalizados
-Sistemas de Antivírus
-Suporte técnico às páginas
-Divulgação, etc.
Identidade visual – É necessária?
É primordial para o sucesso de um periódico
científico o estabelecimento de uma Identidade
Visual forte.
Há uma definição que diz o seguinte: "Marcas
vencedoras não apresentam somente benefícios
funcionais. Seu objetivo é criar também benefícios
emocionais que levam à sua fidelização".
A logomarca é a assinatura institucional do
periódico. Desenvolva a sua ou peça para alguém
desenvolver! Isto agrega valor!
Programação visual de um periódico
Cores
-para impressão – utiliza-se o sistema CMYK
-para tela de computador – utiliza-se o RGB
Texto
-para impressão – utilizam-se diversas fontes
(Arial, Times New Roman, etc)
-para tela de computador – utilizam-se Arial e
Verdana – dão melhor visibilidade e cansam
menos a visão. Sugere-se este padrão!
Imagens – analisar se quer uma boa qualidade na
impressão e/ou uma boa visualização na tela.
A capa do periódico
Formato impresso – Ver padronização da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)
www.abnt.org.br
Formato eletrônico - Não existe padronização!
A capa é a primeira tela da sua publicação. Deve
ser limpa, leve, pouco poluída e conter o mínimo
de informações necessárias.
Na prática: O usuário tem que “bater o olho” e
encontrar o que procura! Portanto, simplicidade...
A capa do periódico eletrônico
Título da publicação (extenso e abreviado)
ISSN, Cidade, Estado e País de origem
Entidade responsável (Universidade, Empresa, etc)
Endereço postal e eletrônico, Telefones, Fax
Logomarca do periódico, da Entidade responsável,
dos eventuais patrocinadores (com hiperlinks)
Sistema de navegação por meio de botões
interativos (no máximo 2 cliques do mouse)
Instruções, Banco de dados, Futuras publicações,
Fale conosco, Submissão online, Corpo editorial,
etc.
Esta criatividade fica a cargo dos Editores!
A Língua escolhida e a Abreviatura do
nome do periódico
As línguas mais faladas no mundo: 1a. Chinesa e
dialetos, 2a. Inglesa, 3a. Espanhola. A Portuguesa
é a sétima mais falada no mundo!
A língua da Web é o inglês. Escolha, portanto, a do
seu periódico....
Abreviatura do nome do periódico:
A norma NBR 6032:1989 da ABNT - Abreviação de
títulos de periódicos para publicações seriadas
está disponível no site www.abnt.org.br
Escolha da mídia (papel, disquete, CDRom, DVD-Rom, Internet), Periodicidade e
Público alvo
A língua escolhida deverá estar em consonância
com o seu público alvo. Se pretender que a sua
publicação tenha impacto internacional a língua
escolhida deverá recair sobre o Inglês!
Se você estiver começando uma nova publicação,
pense na semestralidade. Se estiver convertendo
do papel para a forma digital deverá manter a
mesma periodicidade!
Pela atenção, Muito obrigado !!!
Benedito Barraviera
bbviera@jvat.org.br
bbviera@cevap.org.br
Esta conferência está disponível no
site http://www.barraviera.med.br
Download

Editoração eletrônica científica