A ONG 4 CANTOS DO MUNDO, fundada por jovens de Belo
Horizonte em 2002, tem como compromisso promover o
desenvolvimento sustentável e construir novos paradigmas
para um mundo melhor. Para tanto visa sensibilizar e mobilizar
a sociedade para a necessidade de preservar o meio
ambiente, a cultura e a soberania dos povos.
Nossa visão
REDE SUSTENTABILIDADE DE BIOCOMBUSTÍVEIS
A Rede Sustentabilidade dos Biocombustíveis reúne organizações
que compartilham a convicção de que o atual processo de
progressiva expansão da produção e do mercado da agroenergia
requer maior informação, transparência e capacidade instalada no
âmbito da sociedade civil. Isso se aplica a toda a cadeia (à indústria,
à logística e à infra-estrutura de distribuição, ao financiamento e ao
consumo).
gerar transparência no
debate público
oferecer
oportunidades de
debate aos grupos
menos favorecidos
expor ao público
práticas
inaceitáveis do
ponto de vista
socioambiental
Rede de Conhecimentos sobre Biocombustíveis:
Bacia do Rio Prata
Espaço de cooperação entre ONGs e Academia para estudo e
monitoramento da produção dos biocombustíveis.
Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Apoio Comitê Holandês.
Câmara 10 – Organizações da sociedade civil baseadas em
comunidades (Pequenos produtores rurais, organizações da sociedade
civil locais e regionais)
Projetos realizados
Consulta da versão zero da Minuta da RTSB.
Apoio: DOEN / Reino Unido
Diagnóstico da expansão dos biocombustíveis na Bacia do Rio
Grande, porção Triângulo Mineiro.
Apoio: Fundação Ford / ECOA
Estudo da expansão e seus impactos na Bacia do Rio Grande,
três sub-bacias (Turvo Grande, Sapucaí Grande e Baixo Pardo) –
em andamento
Apoio: IUCN-NL
Macroefeitos na expansão dos biocombustíveis no Brasil
Apoio: Both Ends
Diagnóstico Sócio Ambiental e econômico da
área de expansão da cana-de-açúcar na Bacia
do Rio Grande
Sub-bacias Turvo Grande, Sapucaí Grande e
Baixo Pardo Grande.
Objetivos do diagnóstico
- estudar quais são os fatores biogeográficos,
econômicos e políticos que permitiram a forte inserção da
cultura da cana-de-açúcar na região;
- conhecer melhor os impactos econômicos, sociais e
ambientais que a cultura canavieira traz à comunidade
local.
Com a idéia de que aprendendo com o “passado”
(antigas áreas), podemos nos preparar melhor para o
“futuro” (novas áreas).
Metodologia
Delimitação da área de estudo (3 sub-bacias da Bacia
do Rio Grande);
Estudos sobre as características biogeográficas da
região;
Levantamentos secundários (IBGE) sobre dados de área
ocupada pela cana-de-açúcar, em relação à 5 outras
culturas agrícolas (arroz, feijão, milho, soja e sorgo) em
todos os municípios das sub-bacias selecionadas;
Entrevistas a atores locais;
Reunião de apresentação do relatório.
Brasil e a cana-de-açúcar
O Brasil, em toda sua extensão territorial, conta com
851 milhões de hectares, sendo 340 milhões de
hectares (ou 40% do total) considerados como área
agricultável
Na safra 2009/2010, a cana-de-açúcar ocupou uma área
de 7,5 milhões de hectares
São Paulo, com 4,101 milhões;
Paraná, com 590,1 mil;
Minas Gerais, com 587 mil;
Goiás, com 520,3 mil; e
Alagoas, com 448 mil.
Produção nessa área:
25,5 bilhões de litros
de etanol em 2009
Projeção de Consumo de Álcool Carburante no
Brasil (2008-2016) (EPE, 2008)
60,00
53,2
55,00
49,7
46,2
50,00
42,5
Billions of liters
45,00
38,7
40,00
35
35,00
31,13
27,1
30,00
25,00
22,54
20,00
15,00
10,00
2008
2009
2010
2011
2012
Production
2013
2014
2015
2016
90% da produção de cana-de-açúcar no Brasil concentra-se principalmente na
Bacia do Rio Paraná. Bacia do Rio Grande (58,5%) Bacia do Rio Tietê (21,3%).
Bacia do Rio Grande e
Sub-bacias
Escolha das áreas para estudo
Características biogeográficas
Geologia
marcada pela formação de latossolos férteis, originados
de derrames basálticos jovens, onde estes solos ainda
preservam
uma
grande
fertilidade
mineral,
principalmente a “terra roxa” que historicamente sempre
proporcionou ótimos resultados em todas as culturas ali
estabelecidas.
Relevo
marcado por áreas de planaltos, em sua maioria de
baixa declividade, que se estendem da região na direção
Sudoeste. Viabiliza a mecanização das colheitas e
barateia o custo de transporte da cana.
Características biogeográficas
Clima
regime de chuvas abundante, de forma bem distribuída ao
longo das estações do ano. O curto período de estiagem
na região (média de 40 dias) favorece o acúmulo de
sacarose na planta (produção de açúcar).
Hidrografia
A abundância no fornecimento e acesso aos recursos
hídricos potencializa a expansão de qualquer cultura
agrícola, e em especial a de cana-de-açúcar nessa região.
Características biogeográficas
Vegetação
A região encontra se em uma área de transição entre
Mata Atlântica e Cerrado, o que muitas vezes indica
diferença entre manchas de solo, microclimas e outros
fatores determinantes para o estabelecimento de
espécies nativas de um ou outro bioma.
Historicamente a região já havia encontrado períodos de
remoção extensiva da mata nativa para o plantio do café,
apesar de relatos de cidadãos a respeito da rápida
tomada de remanescentes de áreas de mata nativa pela
cana-de-açúcar na última década.
Remanescentes de vegetação nativa
Unidades de Conservação e áreas para
incremento da biodiversidade.
Preservar quais remanescentes?
Zoneamento Agroambiental para o setor sucroalcooleiro
do Estado de São Paulo
Diagnóstico por Sub-bacias
Sub-bacia do Sapucaí Mirim/Grande
área de 10.873 km2, distribuída entre 23 municípios, e com uma
população de cerca 625 mil habitantes.
400000
350000
Arroz
300000
Área plantada de culturas temporárias de 1990 a 2008
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
Trigo
2001
0
2000
Sorgo
1999
50000
1998
Soja
1997
100000
1996
Milho
1995
150000
1994
Feijão
1993
200000
1992
Cana
1991
250000
1990
Área Plantada (em hectares)
Plantio de Culturas - Sapucaí Mirím Grande
Sub-bacia do Sapucaí Mirim/Grande
Efetivo dos rebanhos bovinos de 1990 a 2008, nos municípios com sede na
sub-bacia do Sapucaí Mirim/Grande.
500000
450000
400000
350000
300000
250000
200000
150000
100000
50000
0
19
90
19
91
19
92
19
93
19
94
19
95
19
96
19
97
19
98
19
99
20
00
20
01
20
02
20
03
20
04
20
05
20
06
20
07
20
08
Efetivo dos rebanhos bovinos
Sapucaí Grande
Sub-bacia do Sapucaí Mirim/Grande
Área plantada de culturas permanentes e área plantada de cana de açúcar entre
1990 e 2008, nos municípios com sede na bacia do Sapucaí Mirím Grande
Sub-bacia do Sapucaí Mirim/Grande
8 Usinas de Etanol e Açúcar Instaladas na região
NOME FANTASIA
RAZÃO SOCIAL
CIDADE
Alta Mogiana
Usina Alta Mogiana S/A - Açúcar e São Joaquim da Barra
Álcool
Batatais
Usina Batatais S/A - Açúcar e Álcool Batatais
Buriti
Pedra Agroindustrial S/A
Cevasa
Central Energética Vale do Sapucaí Patrocínio Paulista
Ltda
Colorado
Açúcar e Álcool Oswaldo Ribeiro de Guaíra
Mendonça Ltda
Guaíra
Usina Açucareira Guaíra Ltda
Guaíra
Mandu
Usina Mandu S/A
Guaíra
COSAN – Junqueira
Cosan S/A Indústria e Comércio S/A Igarapava
- Unidade Igarapava
Buritizal
Algumas preocupações levantadas pelos
entrevistados
Uso indiscriminado de recursos naturais (uso excessivo de
água),
Queimada da cana
Desmatamento
Dificuldade na recuperação de APPs e reservas legais
Necessidade de diversificação de atividades econômicas
Fortalecimento ou criação de cooperativas de outras
culturas agrícolas
Diagnóstico por Sub-bacias
Sub-bacia do Baixo Pardo Grande
Ocupa uma área total de 7.091 km2, com 12 municípios e uma população de
312.064 habitantes.
400000
350000
Arroz
300000
Área plantada de culturas temporárias de 1990 a 2008
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
Trigo
2001
0
2000
Sorgo
1999
50000
1998
Soja
1997
100000
1996
Milho
1995
150000
1994
Feijão
1993
200000
1992
Cana
1991
250000
1990
Área Plantada (em hectares)
Plantio de Culturas - Baixo Pardo Grande
Sub-bacia do Baixo Pardo Grande
Efetivo dos rebanhos bovinos de 1990 a 2008, nos municípios com sede na
sub bacia do Baixo Pardo - Grande
350000
300000
250000
200000
150000
100000
50000
20
08
20
06
20
04
20
02
20
00
19
98
19
96
19
94
19
92
0
19
90
Efetivo dos rebanhos bovinos
Baixo Pardo Grande
Sub-bacia do Baixo Pardo Grande
Área plantada de culturas permanentes e área plantada de cana de açúcar entre
1990 e 2008
Sub-bacia do Baixo Pardo Grande
6 Usinas de Etanol e Açúcar Instaladas na região
NOME FANTASIA
RAZÃO SOCIAL
Açúcar Guarani - Unidade Companhia
São José
José
Energética
CIDADE
São Colina
Continental
Usina Continental S/A
Colômbia
MB
Santelisa Vale Bioenergia S/A
Morro Agudo
Vale do Rosário
Usina Vertente Ltda
Morro Agudo
Vertente
Usina Vertente Ltda
Guaraci
CBBA - Icém
Companhia
Brasileira
Açúcar e Álcool
de Icém
Algumas preocupações levantadas pelos
entrevistados
Economia
enfraquecida,
baseada
exclusivamente na indústria da cana,
quase
que
Impactos ambientais como desmatamento e queimadas
Pouca articulação da sociedade civil para discutir o tema
Trabalho escravo/degradante
Uso exagerado de agrotóxicos
As novas gerações das famílias de antigos fazendeiros
que já não tem interesse em perpetuar a atividade
econômica dos pais, facilitando a venda/arrendamento de
áreas para cana
Diagnóstico por Sub-bacias
Sub-bacia do Turvo Grande
Ocupa uma área de 18.215 km2, contendo 66 municípios e 1.238.251 habitantes.
Plantio de Culturas - Turvo Grande
500000
Área Plantada (em hectares)
450000
400000
Arroz
350000
Cana
300000
Feijão
250000
Milho
200000
Soja
150000
Sorgo
100000
Trigo
50000
0
1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
Área plantada de culturas temporárias de 1990 a 2008
Sub-bacia Sub-bacia do Turvo Grande
Efetivo dos rebanhos bovinos de 1990 a 2008, nos municípios com sede na
sub bacia do Turvo Grande
1.600.000
1.400.000
1.200.000
1.000.000
800.000
600.000
400.000
200.000
0
19
90
19
91
19
92
19
93
19
94
19
95
19
96
19
97
19
98
19
99
20
00
20
01
20
02
20
03
20
04
20
05
20
06
20
07
20
08
Efetivo dos rebanhos bovinos
Turvo Grande
Sub-bacia Sub-bacia do Turvo Grande
Área plantada de culturas permanentes e área plantada de cana de açúcar
entre 1990 e 2008
16 Usinas de Etanol e Açúcar Instaladas na região
NOME FANTASIA
RAZÃO SOCIAL
CIDADE
São Domingos
Usina São Domingos Açúcar e
Álcool S/A
Catanduva
Açúcar Guarani – Unidade
Cruz Alta
Açúcar Guarani S/A - Usina Cruz
Alta
Olímpia
Açúcar Guarani – Unidade
Severínia
Usina Açucareira Guarani S/A
Severínia
Açúcar Guarani – Unidade
Tanabi
Açúcar Guarani S/A - Tanabi
Tanabi
Álcoeste
Alcoeste Destilaria Fernandópolis
S/A
Fernandópolis
Bertolo
Bertolo Agroindustrial Ltda
Pirangi
Virgolino de Oliveira S/A - Açúcar e
Álcool
Ariranha
Catanduva
Usina Cerradinho Açúcar e Álcool
S/A
Catanduva
Cerradinho
Usina Colombo S/A - Açúcar e
Álcool
Ariranha
Colombo
Colombo – Unidade Palestina
Usina Colombo S/A Açúcar e
Álcool
Palestina
Colombo III
Usina Colombo S/A Açúcar e
Álcool
Santa Albertina
Guariroba
Razão Social: Usina Guariroba
Ltda
Pontes Gestal
Usina Moema - Açúcar e Álcool
Ltda
Orindiúva
Moema
Nardini
Nardini Agroindustrial Ltda
Vista Alegre do Alto
Usina Ouroeste Açúcar e Álcool
Ltda
Ouroeste
Ouroeste
Vale
Onda Verde Agrocomercial S/A
Onda Verde
Algumas preocupações levantadas pelos
entrevistados
80% da área agricultável da região é ocupada pela cana
Os produtores que ainda persistiam na citricultura, que
era atividade econômica mais forte, se renderam a cana
em 2007/2008
Os arrendamentos que existiam na localidade foram
devolvidos para os proprietários devido a pouca
compensação financeira com o baixo preço da cana na
última safra
Dificultado o acesso às informações sobre a expansão
da cana e seus impactos pelas usinas (somente
através da ÚNICA)
Lições aprendidas
A cadeia produtiva da cana-de-açúcar é a principal
atividade econômica da região de estudo. Entretanto, os
benefícios gerados por essa cadeia não são distribuídos
a todos, como o são os impactos negativos.
A diversificação da economia e a conformação de
cooperativas são instrumentos necessários, pois a
concentração em uma única atividade é de grande risco
para a segurança econômica de toda a região.
A sociedade civil precisa se organizar para ter acesso às
informações e participar ativamente da mitigação e
adaptação aos impactos gerados pela indústria
sucroalcooleira.
[email protected]!
ONG 4 Cantos do Mundo
www.4cantosdomundo.org.br
Download

Diagnóstico por Sub-bacias