O Design e a Produção de
Material Didático para EAD
(Tópicos Selecionados)
2º. Ciclo de Capacitação em EAD – CEFETCE – MEC/SETEC - Projeto Inter-Red
Núcleo de Tecnologias Educacionais e Educação a Distância – NTEAD-CE
Professores/Autores: Cassandra Ribeiro Silva e Fabrice Joye – cassandra@cefetce.br joyefabrice@yahoo.fr
Roteiro de Apresentação
 Conceitos chave (EAD & outros)
 EAD: Um método para implementação de um curso
on line
 As questões sobre cenarização pedagógica em EAD
 Por uma ergopedagogia dos materiais didáticos
 Perguntas que não querem calar...
 Metodologia de ajuda à criação de conteúdos
interativos (notas de curso) em 5 etapas
Questões de partida
Como o design (e a cenarização) dos cursos e materiais didáticos
podem contribuir para a eficácia da aprendizagem
ao mesmo tempo em que atenda as necessidades
e peculiaridades do indivíduo que aprende remotamente
Como produzir conteúdo “sob medida” em
quantidade industrial e/ou para uso massificado?
EAD: Conceitos chave
 Design e Design gráfico
 Design Instrucional
 Didática e Pedagogia
 Granularização dos conteúdos e objetivos pedagógicos
URL
 Materiais e objetos pedagógicos?
 Os objetos pedagógicos
WWW
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
 A avaliação
 engenharia pedagógica
 Interface e IHC
 Interação e Interatividade
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Et alors jhkje iuoléj
iuhziue wluizliuh luhgl
jlierug uegh hjegkjh kej
kjkjhgkj kkjhgkjhg
iéupéiuoi
Design e Design gráfico
Design
(dizajn ou design) n.m. (origem inglesa), é uma disciplina que
visa a criação de objetos, de ambientes, de obras gráficas, etc.,
que sejam funcionais, estéticos e conformes aos imperativos de
uma produção industrial (Petit Larousse 1989).
Design Gráfico
Refere-se à área de conhecimento e à prática profissional
específica relativas ao ordenamento estético-formal de
elementos textuais e não-textuais que compõem peças gráficas
destinadas à reprodução com objetivo expressamente
comunicacional.
(André Villas-Boas:
http://www.designgrafico.art.br/abreaspas/index.htm)
Design Instrucional
“Ação intencional e sistemática de ensino”
“Processo sistemático e reflexivo de traduzir
princípios de cognição e aprendizagem para o
planejamento de materiais didáticos, atividades,
fontes de informação e processos de avaliação”
Smith & Ragan (1999)
e/ou
Metodologia para o Desenho da Instrução didática- planejamento do processo ensinoaprendizagem,
incluindo
atividades,
estratégias, sistemas de avaliação, métodos,
recursos e materiais instrucionais..
Etapas do Design Instrucional
Analise
Design
Desenvolvimento
Implementação
Avaliação
Didática e pedagogia
Didática é...
O processo de ensinar
(relação professor X saber)
Pedagogia é...
O processo de formar
(relação professor X
aluno)
Didática ou didáticas?
Uma Didática Geral é problemática porque os
problemas de ensino e aprendizagem estão relacionados
às especificidades dos conteúdos
Assim:
•
•
•
•
•
•
•
Da Língua (português, inglês, francês....)
Da matemática
Das ciências experimentais
Da informática
Das ciências Humanas
Das artes
Didática e dificuldades de aprendizagem
Granularização de conteúdo e Objetivos
Pedagógicos
Esses pedaços (grãos) de conteúdo que vão formar o
percurso pedagógico - UM CENÁRIO de acesso a um
objetivo pedagógico
Materiais e objetos pedagógicos?
É todo documento disponibilizado para o aluno visando atender
objetivos de formação.
Um conteúdo, material ou recurso digital, sem dúvida NÃO É
PEDAGÓGICO senão tiver, de maneira intríseca e/ou extrínseca,
uma intenção ou objetivo pedagógico ou se inserir em um
cenário de aprendizagem
Têm que ser acompanhado das
indicações/condições/identificadores de uso ou de inscrição em
um cenário de formação
Daí a noção de OBJETOS DE APRENDIZAGEM
(ou grãos pedagógicos!)
Os objetos pedagógicos
Grãos de conteúdos
Que se revertem nas possibilidades tecnológicas e pedagógicas
de reutilização, atualização, customização e distribuição on line
e/ou off line
Minimizam os custos de produção utilizados nos diversos
modelos pedagógicos e nos formatos de entrega dos conteúdos
por causa da sua característica de
modularização/granularidade (componente, lição, módulo,
processo, curso, recursos, exercícios, atividades...)
Que evidencia a presença dos – ÁVEIS: adaptáveis, abordáveis,
avaliáveis, acessíveis, duráveis, intercambiáveis, interoperáveis,
geráveis, confiáveis, reutilizáveis.
Avaliação
Seja do produto ou processo, observar:
Modalidade
Função
Diagnóstico
Diagnóstico
Controle
Formativa
Classificação
Somativa
Engenharia Pedagógica
Conjunto dos processos utilizados para produzir, de
maneira sistêmica e planificada, um produto ou ambiente
de aprendizagem
Objetivos
Pré-requisitos
Necessidades
Conteúdo
Avaliação
Estratégia
Pedagógica
Desenvolvimento
Material
...vai da análise inicial das necessidades até a entrega,
manutenção e atualização contínua do produto acabado.
Interface e Ergonomia de IHC
Interface
São todos os aspectos dos sistemas
informáticos que influenciam na participação do
usuário nas tarefas informatizadas – aspectos
gráficos, objetos e objetivos da interação e do
usuário.
É a zona de comunicação em que se realiza a
interação entre o usuário e o programa
Conceber uma interface é resolver um problema de
Comunicação
Interface e Ergonomia de IHC
A área de estudos da ergonomia de software interessa-se
ao mesmo tempo à:
• Utilidade (adequação a tarefa)
• Usabilidade (facilidade de uso)
• Utilizabilidade (utilidade + usabilidade)
(facilidade de aprendizagem e de utilização)
Adequação
dos
software,
particularmente
das
interfaces, às tarefas e objetivos de interação do
usuário.
Interação e Interatividade
Aluno
Conteúdo
Aluno
Professor
Aluno
Aluno
Aluno
Interface
Ead: um método para a implementação
de um curso online
Definição de uma arquitetura pedagógica
Sequenciamento e decomposição dos conteúdos
Concepção das atividades pedagógicas
Definição dos modos de aprendizagem
Seleção dos recursos a implementar
Avaliação da formação
As questões sobre Cenarização pedagógica em
EAD
O que é a cenarização
Importância da cenarização
Porque cenarizar?
Como cenarizar uma atividade de formação?
Cenarizar para qual modelo pedagógico?
O que é a cenarização Interativa
As etapas da implementação da cenarização
interativa
Cenarizar...
Seqüência
Roteiro
Necessidades
Cliente
Multimidia
Interatividade
Suas
Necessidades
Fase central do projeto
Idéia
Projeto
Cenarização
Implementação
Cenarização: equipe
FORMADOR
INFORMADOR
Assistência
pedagógica
Informação
Produção
Colaboração
APRENDIZ
Assistência
organizacional
Autogestão
ADMINISTRADOR
CONCEPÇÃO
Cenarização: os recursos
mediateca
expert
Espaço
Informação
homepages
videoconf
Servidor
multimidia
Motor
pesquisa
Espaço
Colaboração
editores
Espaço
Produção
Anotação
Cenário
atividades
Espaço
Autogestão
Plano
trabalho
trabalhos
modelização
fórum
chat
E-mail
Estrutura
conhecimento
Perfil
individual
modelos
Espaço
grupo
Perfil
grupo
Estado
progressão
Fichas
guias
formador
Virtual
Agents
FAQ
Espaço
Assistência
Ajuda
contextualizada
Cenarização: de uma lógica linear para não
linear (Tipo hipermídia)
Instructional
designer
Learning
scenario
editor
R
Test presenter
I/P
I/P
Structure the
evaluation
space
Pass the
tests
Tool to present
evaluations
Learner
R
I/P
Obtain
evaluation
results
Completed
tests
I/P
I/P
Learning
scenario and
evaluation
activities
Test
editor
I/P
I/P
I/P
Author
Tests
evaluated and
transmitted
I/P
I/P
I/P
R
I/P
R
Build
evaluation
tests
Tests in learning
I/P
object
repository
Analyse
and
evaluate
Summary of
evaluation
results
R
I/P
Evaluation
assistant
Trainer evaluator
Para que cenarizar?
Ao contrário dos clássicos documentos PDF, exige-se outros
tipos de tratamento tecnopedagógico (do lado produtor e do
aprendiz)
Ilustrações
Animações
Modulos
Comunicações
Cenarização: etapas básicas
Definição Projeto
Conteúdo, Publico-alvo, equipe projeto
Cenarização Seqüências
Story-board, Recursos, Implementação
Avaliação
Análise das Necessidades
Especificações dos Objetivos
de Comunicação
Maquete Geral
com Justificativa
Descrição do Conteúdo
Categorias
Exemplos de Informações
Formatos
Validação pelo cliente
Desenvolvimento
Estrutura de Interação
Telas & Funcionalidades
Avaliação Usabilidade
Cenarização: papel chefe de projeto
Selecionar os recursos materiais e
humanos necessários
Organizar e supervisionar as etapas de
implementação
Manter uma avaliação periódica com todos os
membros
Cenarização: plano de trabalho
 Público-Alvo
 Objetivos gerais e específicos
 Exigências, limitações (contraintes)
 Descritivo do curso
 Quadro Pedagógico
 Recursos necessários
 Avaliação pelos aprendizes
 Gastos
 Prazo
 Acompanhamento
Cenarização: o aprendiz deve identificar
Pre-requisitos
Objetivos Pedagógicos
Conteúdo Interativo
Auto-avaliação
Para saber mais...
Por uma ergopedagogia dos materiais didáticos para
EAD
O consumidor de tecnologias de ao modo
multi/hipermidiática para a educação possui um triplo
status:
 Usuário - Ergonomia
 Aprendiz – Pedagogia
 Leitor
– Comunicação
Por uma ergopedagogia dos materiais didáticos
para EAD
O Aprendiz
A tarefa de aprendizagem
As caractéristicas do ambiente
As limitações técnicas
Perguntas que não querem calar...
 Preciso mesmo fazer um planejamento?
 Como me organizar para transpor um
curso/material impresso para a mídia digital?
___________________________________________
 Outras questões (do tipo faça você mesmo)
Ver atividade no material impresso!
Metodologia de ajuda a criação de
conteúdo interativos (notas de
curso) em 5 etapas
Evolução dos conteúdos Interativos (NCI)
Livros
Eletrônicos
Online
Multimídia
Formação
(hipermídia interativo)
Notas Curso Interativas
(áudio, vídeo, gráfico, animação)
Notas Curso Interativas
(exemplos, exercícios, problemas, resumos)
Adaptação para a tela + elementos hipermídia
Cópia eletrônica da versão impressa original
Notas Interativas (Ex.layout)
Responsável
Introdução
Página inicial
Realizador
Objetivos
Definição
Sumário
Lista do
conteúdo
Exemplos
Glossário
Problemas
Síntese, Ajuda
Método para elaboração notas
interativas
I - Análise
II - Estrutura do Conteúdo
III - Maquete
IV - Produção / Avaliação
V - Publicação & Atualização
I - Analise (1)
Formato das notas de curso
Utilidade
Pedagogia
Pertinência
Perfil dos usuários e Necessidades
I - Analise (2)
Formato das notas de curso
Aplicação & Formato Arquivo
Segurança
I – Analise - Organização
Planejamento
Recursos Humanos
II - Estruturação Conteúdo
Cenário
Mapas Conceituais
Enunciados, materiais, recursos
III - Maquete
Organização e redação final do conteúdo
Integração das partes midiatizadas
Estrutura hipertextual e Navegação
Ergonomia da Interface
Protótipo & Teste
Maquete
PI
Maquette
P2
P3
SUBTITULO
1.1 ooo
1.2 oooo
1.3.....
1.4 .....
Natal
Modificado o 15.03.05
Corpo
P4
IV - Produção & Avaliação
Realização Técnica
Ajustes e Midiatizaçaõ do Conteúdo
Teste em Produção
Resultado e Correções
Continuação da Produção
V – Publicação & Difusão
Publicação e lançamento das notas
Planejamento e início do ciclo atualização
Retroação dos usuários
Armazenamento
Mais uma vez
obrigada
pela paciência!
Cassandra & Fabrice
Download

Cassandra