UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE
Auto CAD
Principais ferramentas:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Ambiente de Trabalho
Sistemas de Coordenadas
Ferramentas de precisão
Visualização e Seleção
Organização do Desenho
Criação de Elementos
Edição de Elementos
Dimensionamento
Blocos
Plotagem
CAPÍTULO 01 – INICIANDO O AUTOCAD
1. INTRODUÇÃO
CAD – Computer Aided Design ou Desenho Auxiliado por Computador, São sistemas
computacionais, desenvolvidos especificamente para o desenho e a construção de
projetos das mais diversas áreas da ciência, como a Matemática, a Engenharia Civil,
Arquitetura, Mecânica, Agrimensura, entre outras.
Tais sistemas iniciaram-se na década de 60, com o advento da indústria aeroespacial
e automobilística, onde, até então, todos os desenhos eram realizados de forma manual.
Ainda nessa época, essas ferramentas erram de utilizadas apenas por grandes empresas,
e viria a se tornar doméstica, com o surgimento dos PCs, e a primeira versão do
AutoCAD, em 1982.
Atualmente, existem inúmeros programas CAD, desde os comerciais e mais utilizados
AutoCAD, agora em sua versão 2002, o MicroStation, o MiniCAD, até softwares Cad
gratuitos, como o ITTISCAD.
A interação entre os projetistas e estas ferramentas atualmente, é imprescindível, pois
a facilidade para o desenvolvimento e, principalmente, para as correções, e ampliações
tornam os projetos muito mais eficientes e precisos.
2. ARQUIVOS DE DESENHO
Os principais formatos de arquivos de trabalho do AutoCAD são o DWG e o DXF.
DWG - Formato de arquivo nativo do AutoCAD
DXF - Formato de transferência do AutoCAD.
O AutoCAD, ainda permite a entrada e saída de arquivos de imagens raster,
ASCII, e outros softwares CAD e GIS.
3. CARREGANDO O PROGRAMA
No menu INICIAR, Selecione a Opção PROGRAMAS - AUTODESK MAP 5.
4. AMBIENTE DE TRABALHO
O ambiente de trabalho do AutoCAD é organizado e amigável, apresenta várias
seções, desde a tela gráfica até menus flutuantes, barras de tarefas e linha de comando.
É muito válida nossa atenção nesta etapa, pois é neste ambiente que
desenvolveremos nossos projetos, e o conhecimento desta área permite a otimização da
produção e a racionalização dos recursos disponíveis no programa.
4.1 Barra de Título - É a barra superior horizontal que mostra o nome do desenho no qual você está
trabalhando no momento. Ali, você também encontra três pequenos ícones para minimizar o
programa, o arquivo, e sair do programa.
4.2 Barra de Menu - A barra de menu contém os nomes dos menus mais utilizados no AutoCAD
2000, é uma das três opções de entrada de comandos do programa.
4.3 Barra de Ferramentas Padrão - Esta barra agiliza o gerenciamento de seus arquivos, desenho e
visualização do AutoCAD. Ali você pode alterar o desenho em que está trabalhando, salvar,
imprimir, etc.. Você também pode voltar um comando com os ícones undo e redo, e movimentar-se
pelo desenho com os ícones zoom e pan. Nesta barra também contém o ícone da ajuda do
AutoCAD.
4.4 Barra de Propriedades do Objeto - Essa barra é composta por diversos elementos. Na lista
suspensa na barra, você pode alterar a camada (layer) do objeto atual, e modificar suas
propriedades, alterar a cor dos objetos, e o seus tipos de linha. Você também poderá mudar as
características de seu texto, como altura, posicionamento e valor.
4.5 Barra de Ferramentas Flutuantes - Também chamada de menu de ícones, a barra de ferramentas
flutuantes é outra modo de entrada de comandos no AutoCAD. Ali se encontram as principais
ferramentas que você poderá utilizar, os menus draw e modify. Esta barra é flutuante, você poderá
movê-la para qualquer parte da tela, e poderá também, configurá-la de acordo com o seu método de
trabalho.
4.6 Barra de Status - Esta barra se encontra na parte mais baixa da tela, e lhe fornece diversas
informações importantes, como as coordenadas atuais do cursor do mouse, se os modos snap, grade
e ortho estão ligadas ou desligadas, e qual espaço de trabalho está ativo.
4.7 Área Gráfica - É nesta área que as imagens que você cria no desenho tomam forma, nela você
constrói e edita os objetos, tanto no espaço de modelagem como na preparação dos layouts de
impressão. Para uma maior eficiência na interação do usuário com o software, é possível definir
algumas configurações importantes que alteram a tela gráfica, como a resolução do vídeo, e os
limites da área de trabalho.
4.8 Linha de Comando - A linha de comando é um recurso importantíssimo no AutoCAD, e muito
difícil de se acostumar, Esta é a terceira opção de entrada de comandos que o programa dispõe, e
talvez a mais rápida, mais aí depende de cada usuário. Nesta linha, você poderá entrar com todos os
comandos possíveis do AutoCAD, o que você não poderá nunca fazê-lo através de ícones
flutuantes, ou mesmo da barra de ferramentas padrão ou da barra de menu. Mas mesmo para quem
utiliza essas duas últimas opções, a linha de comando é importante, pois é ali que você digitará as
coordenadas dos pontos que irá criar, e nela você poderá observar o último comando dado, e
garantir que este foi realmente executado.
4.9 Ícone UCS - O sistema da coordenada de usuário (UCS) é um sistema utilizado para a entrada
de coordenadas, operação, e visão dos eixos de posição de cada elemento. A maioria de comandos
de edição de figuras geométricas de AutoCAD são dependentes da posição e orientação do UCS.
4.10 Espaço de Trabalho (Modelagem e Lay-out) – Nesta área você navega entre dois importantes
planos de trabalho do AutoCAD, O Model Space e o Lay-out, No espaço de modelagem, o usuário
realizará toda as operações para a construção do desenho, e no Lay-out, o usuário irá configurar a
página de impressão do projeto, incluir tabelas de outros programa, selo, legenda e demais
metadados.
5. CONFIGURAÇÕES DA ÁREA DE TRABALHO
Antes de iniciarmos o uso do Auto CAD, podemos configurar algumas ferramentas disponíveis
no programa, de forma a otimizar nosso trabalho, as principais são:
5.1 Definição do tamanho do cursor – No menu tools- options – display , a opção crosshair size,
define a abertura das linhas perpendiculares que orientam o sistema de coordenadas do AutoCAD,
através do cursor.
5.2 Customização do botão direito – O botão direito do mouse possui poderosos recursos que
oferecem agilidade na construção dos desenhos, como os comandos enter e repeat last comand,
essas duas opções permitem o encerramento de comandos e a repetição automática do último
comando realizado. Para acessar esta opção, no menu tools- options – user preferences – shortcut
menus in drawing área e clique no botão right click customization. Em default mode, selecione
repeat last comand; em edit mode, selecione repeat last comand; e em command mode, selecione
enter.
5.3 Definição da cor de fundo da tela – A escolha da cor de fundo da tela gráfica pode ser alterada
na caixa de diálogo options do menu tools, selecionando o botão colors. Selecione o espaço de
trabalho e escolha a cor desejada.
6. MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS
A barra de ferramentas padrão do AutoCAD, localizada na parte superior da tela, logo abaixo
da barra de menus, disponibiliza vários comandos de manipulação de arquivos, entre eles,
destacamos alguns principais:
New – Permite abrir uma nova seção de desenho;
Abrir – Permite abrir um arquivo de desenho já existente em qualquer drive do Micro ou através de
uma rede intranet;
Save – Permite salvar as atualizações realizadas no desenho ativo;
Plot – Abre a caixa de diálogos “Plot”, para a impressão de desenhos;
Cut – Permite recortar objetos;
Copy – Permite copiar objetos;
Paste – Permite colar objetos;
Undo – Volta os últimos comandos;
Redo – Refaz somente o último retorno.
CAPÍTULO 02 – VISUALIZAÇÃO E SELEÇÃO DE OBJETOS
1. VISUALIZAÇÃO DE OBJETOS
Adaptado de José Maurício de Barros (Curso de AutoCAD 2002).
Uma das principais funções do AutoCAD é a visualização de objetos, fundamental
para a criação e edição dos desenhos gerados pelos usuários. A visualização ou o “zoom”
é essencial em qualquer projeto, é através deste comando que podemos visualizar todos
os elementos de um desenho, permitindo enquadrar na área gráfica toda uma construção,
ou os seus menores detalhes.
No AutoCAD, pode-se acessar o comando zoom, a partir da barra de tarefas padrão, do
menu view, ou através da linha de comando, digitando “z” e pressionando a tecla enter.
redraw – Redesenha os objetos na tela
regen – Redesenha os objetos na tela e suaviza suas faces.
zoom – Visualiza todos os objetos na tela
zoom all – Visualiza a área total do desenho na tela
zoom center – Visualiza os objetos a partir do centro da janela
corrente
zoom dynamic – Define uma janela de visualização interativa,
mostra o limite do desenho (janela azul), janela atual (janela
verde) e próxima janela (janela móvel)
zoom extents – Ajusta a janela afim de enquadrar todos os
objetos do desenho
zoom previous – Volta à janela de visualização anterior
zoom scale – Ajusta a janela variando de acordo com a escala
(aproximação, afastamento)
zoom window – Visualiza os objetos a partir de uma janela
definida pelo usuário
zoom real time – Aproxima ou afasta a visualização dos
objetos de acordo com o movimento do mouse
pan – Movimenta o desenho na tela sem alterar o
posicionamento dos objetos
EXERCÍCIOS: Caderno de Atividades – CAP.02 Nº 01
2. SELEÇÃO DE OBJETOS
A seleção de objetos no AutoCAD, é um procedimento utilizado praticamente em
todas as operações, principalmente na criação e edição de dos desenhos.
O conhecimento dos modos de seleção é premissa básica para que um usuário
tenha êxito na utilização do sistema. O uso adequado de cada modo de seleção, de
acordo com as funções realizadas é fundamental para a agilidade na construção dos
objetos.
O AutoCAD possibilita ótimos recursos para a seleção de objetos, alguns muito
potentes como o filter, que veremos nos seminários, e outros mais simples e rotineiros,
como os descritos nesta apostila.
pick – é o principal conceito de seleção do AutoCAD, pick é um click com o ponteiro
esquerdo do mouse diretamente sob uma parte de um objeto ou na parte vazia da área gráfica do
AutoCAD, nesse caso, o cursor se transforma numa janela de seleção, que pode ser aplicada de
dois modos: window e crossing:
window – Na janela de seleção window, serão selecionados apenas os objetos que estiverem
totalmente inseridos dentro do retângulo. Neste modo, a janela é criada da esquerda para a direita.
crossing – Nesta opção, todos os objetos “cortados” pela janela serão selecionados,
independentemente de estarem inseridos total ou parcialmente no retângulo. No modo crossing, a
janela é criada da direita para a esquerda.
previous – Seleciona o último objeto ou conjunto de objetos selecionados anteriormente.
all – Seleciona todos os elementos do desenho, cujos layers não estejam “congelados”.
add (a) – Adiciona elementos à seleção atual
remove (r) – Remove elementos à seleção atual
CAPÍTULO 03 – ORGANIZAÇÃO DO DESENHO
1. LAYERS
Os níveis de informações (Layers), no AutoCAD, se encontram na barra de ferramentas object
properties, ou são acessados através do menu format. Pela linha de comando, a caixa de diálogo
layers é ativada quando digitamos o comando: la e teclamos enter.
Através desta caixa, podemos controlar o nível de separação e classificação de cada elemento,
alterar suas características como: cor, tipo de linha, espessura da linha, estilo de plotagem, nome,
além de trancar, congelar ou desligar as camadas.
Propriedades da caixa de diálogo layer properties manager:
Quadro Superior:
New – cria um novo plano de informação;
Delete – apaga o layer selecionado, desde que ele não esteja sendo utilizado;
Current – torna o layer corrente ou ativo;
Details – ativa ou tranca o quadro de detalhes dos layers;
Named layer filter – seleciona o layer desejado para visualização;
Quadro Principal:
Name – Exibe o nome do layer;
On – Liga ou desliga o layer selecionado;
Freeze – Congela ou Descongela o layer selecionado;
Lock – Trava ou destrava o layer selecionado;
Color – Altera a cor do layer selecionado;
Linetype – Altera o tipo de linha do layer selecionado;
Lineweigth – altera a espessura da linha do layer selecionado;
Plot style – Define um estilo de plotagem para a camada;
Plot – Permite imprimir ou não o layer selecionado;
Quadro de Detalhes
Name – Exibe o nome do layer;
Color – Altera a cor do layer selecionado;
Lineweigth – altera a espessura da linha do layer selecionado;
Linetype – Altera o tipo de linha do layer selecionado;
Plot style – Define um estilo de plotagem para a camada;
Off for display – Liga ou desliga o layer selecionado;
Lock for editing – Trava ou destrava o layer selecionado;
Do not plot – Permite imprimir ou não o layer selecionado;
Freeze all viewports – Congela ou Descongela todos os viewports;
CAPÍTULO 04 – SISTEMA DE COORDENADAS
O AutoCAD possui um sistema de coordenadas cartesianas, com dois eixos: X e
Y, que representam o espaço bidimensional, e Z, perpendicular ao plano x,y, que
representa a elevação dos objetos. É através deste sistema, que localizamos um ponto no
espaço.
SISTEMA DE COORDENADAS ABSOLUTAS
Os pontos são localizados no sistema a partir de um
clique na tela, ou de um par de coordenadas digitadas no
teclado. Cada eixo do sistema deve ser separado por vírgula.
Ex.: P1= 3,1 P2= -4,3.5
SISTEMA DE COORDENADAS RELATIVAS
Os pontos são localizados a partir das informações
relativas ao último ponto gerado.
Neste sistema, soma-se ao ponto de referência os
valores das coordenadas x,y,z.
Para utilizar este método, usa-se o [email protected], antes do
deslocamento.
Ex. P1= 3,1
P2= @-2,1
SISTEMA DE COORDENADAS POLARES
São coordenadas polares, relativas ao último
ponto localizado no sistema, através da indicação de
ângulo e distância.
Ex.: P1= 3,1
[email protected]<45
Sistemas de ângulos do AutoCAD
FERRAMENTAS DE AUXÍLIO AO DESENHO
O AutoCAD possui uma série de funções que permitem auxiliar a construção dos
desenhos. Veremos aqui as opções SNAP, GRID e OSNAP.
1. SNAP
O modo SNAP, força o cursor do mouse a saltar uma distância pré-determinada
pelo usuário, facilitando o desenho de objetos de precisão, como uma grade ou uma
tabela.
O comando SNAP, pode ser acessado pela caixa de diálogo drafting settings, ou através da
tecla F9.
2. GRID
A função GRID, constrói uma grade de pontos na tela, a partir de uma distância de
coordenadas x e y, definidas pelo usuário.
Este modo pode ser ativado ou desativado através da caixa de diálogo drafting settings, ou
através da tecla F7.
3. OSNAP – Object Snap
Este é um modo importantíssimo, muito utilizado no programa, que facilita e agiliza a
criação e modificação de elementos.
O OSNAP permite “pegar” os elementos com precisão, a partir de uma região específica de
sua geometria, como aresta, centro, vértice, etc.
Esta função pode ser ativada ou desativada através da caixa de diálogo drafting settings, ou
através da tecla F3.
Endpoint – Pega o ponto final de um
elemento;
Midpoint – Pega o ponto médio de
um elemento;
Center – Pega o ponto central de
arcos e círculos;
Node – Pega o elemento ponto;
Quadrant – Pega os quadrantes de
arcos e círculos;
Intersection – Pega a interseção de
dois elementos;
Extension – Encontra a extensão de
uma linha;
Insertion – Pega o ponto de inserção
de blocos e textos;
Perpendicular – Pega o ponto
perpendicular em referência a uma
reta a partir do último ponto
marcado;
Tangent – Pega o ponto de um arco ou círculo tangente ao último ponto marcado;
Nearest – Pega o ponto qualquer de um elemento;
Aparent Intersection – Pega a interseção aparente de dois elementos;
Parallel – Desenha linhas paralelas a outras linhas existentes;
Select all – Seleciona todos os comandos OSNAP;
Clear all – Desativa todos os comandos OSNAP;
BARRA DE MENU FLUTUANTE OBJECT SNAP
CAPÍTULO 05 – CRIAÇÃO DE OBJETOS
Adaptado de Ezequiel Mendonça Rezende (1999).
Pode-se utilizar os comandos de criação de objetos no AutoCAD, além da linha de
comando, no menu e barra de ferramentas draw.
Line – Desenha linhas, indicando os pontos inicial e final. Finaliza-se o comando com enter ou esc.
A tecla de atalho u, desfaz o último segmento de linha, e a tecla c, fecha um polígono;
Ray – Desenha uma linha com início e sem fim. Utiliza-se como linha de auxílio ao desenho;
Construction line – Desenha uma linha infinita, é utilizada como ferramenta de auxílio ao desenho;
Multiline – Desenha linhas múltiplas e paralelas;
Opções de multililne:
Justification: Define a posição da linha de referência da multilinha;
Top – linha superior
Zero – linha central
Botton – linha inferior
Scale: Define a escala ou largura da multilinha
Style: Define o estilo de linha utilizado
From point: Define o ponto inicial da multilinha.
Polyline – Desenha linhas contíguas, e permite a criação de arcos e linhas conectados. Todos os
segmentos de linha são identificados como um único elemento.
Opções de Polyline:
Arc – Cria trechos em arcos;
HalfWidth – Define metade da espessura dos próximos segmentos;
length – Define o comprimento da linha dos próximos segmentos;
width – Define a espessura da linha dos próximos segmentos;
end point of line – Ponto final da polilinha.
Polygon – Desenha polígonos, definido pelo lado, inscrito ou circunscrito por um círculo.
rectangle – Desenha retângulos, indicando os pontos inicial e final em diagonal.
Opções de rectangle:
First Corner - especifica um retângulo através de dois pontos quaiquer definidos pelo
mouse;
Chamfer - coleta uma distância horizontal e uma vertical para “chamfrear”o retângulo;
Elevation - cria uma elevação para o retângulo;
Fillet - cria arestas arredondadas no retângulo;
Tickness - Define a densidade do retângulo;
Widht – Define a espessura das linhas que formam os lados do retângulo.
Arc – Cria arcos – Sentido anti-horário.
Opções de arc:
arc continue – continua a criar arcos a partir do último arco criado.
Circle – Cria círculos
Donut – Cria circunferências com espessura.
Spline – Cria linhas curvas, através de pontos de referência
Desenho: José Maurício Barros
Elipse – Cria elipses através do centro e eixo (s).
Point - Cria pontos. O AutoCAD permite criar pontos de dois modos: Simples e Múltiplo.
Opções de point:
Single – Cria um ponto por vez;
Multiple – Cria uma seqüência de pontos.
Text – Permite criar textos. Os textos no Autocad são
criados a partir de dois modos: Simples e Múltiplo.
Opções de text:
Multiple – Permite criar textos múltiplos, através de uma caixa de diálogo que permite
configurar suas propriedades;
Single Line Text – Cria textos simples e dinâmicos
Hatch – Permite preencher os objetos com hachuras pré-definidas pelo usuário. É um recurso muito
utilizado para especificar diferentes classes de objetos e identificar as feições do desenho.
A caixa de diálogo Boundary Hatch, gerencia as propriedades da hachura, como o tipo de
hachura, a escala, ângulo e objetos a serem preenchidos.
pattern: Permite escolher o padrão da hachura;
Swatch – Visualiza o padrão de hachura selecionado;
Angle – Indica o ângulo de inclinação em casos de hachuras lineares;
Scale – Indica a escala de afastamento das linhas que compreendem as hachuras;
Pick points – Define a região a ser hachurada
através de um clique do mouse no interior dessa
área;
Select objects – Define a região a ser hachurada
através de um clique do mouse diretamente
sobre o objeto desejado;
Remove islands – Remove os objetos internos ao
objeto selecionado;
Preview – Visualiza a hachura configurada.
CAPÍTULO 06 – MODIFICAÇÃO DE OBJETOS
Adaptado de Ezequiel Mendonça Rezende (1999).
O AutoCAD possui uma gama de ferramentas para edição de objetos, desde funções
simples como mover ou rotacionar até modificações mais criteriosas como espelhar ou criar um
arranjo de elementos.
Todas essas opções encontram-se no menu ou na barra de ferramentas MODIFY.
Erase Apaga uma entidade ou um grupo de entidades selecionadas.
Copy Copia uma entidade ou um grupo de entidades selecionadas de um ponto base
para um ponto final. A opção multiple permite a cópia do mesmo objeto várias vezes.
Mirror Espelha uma entidade ou um grupo de entidades selecionadas por uma linha de
espelho definida por dois pontos. A distâcia dos objetos a linha de espelho são iguais. O
comando pergunta se mantém ou apaga o objeto original.
Offset Faz a cópia para o lado (offset) de linhas, polilinhas, arcos e círculos. O comando
inicialmente pergunta pela distância do offset.
Array Gera um arranjo com uma entidade ou um grupo de entidades selecionadas. Tendo
como opção o array retangular, onde as entidades se alinham em torno de colunas e
linhas, ou o array polar, onde as entidades se organizam em torno de um eixo. O array
polar ainda pode ser rotacionado ou não rotacionado.
Move Altera a localização das entidades selecionadas. Para a execução do comando,
elecione um grupo de entidades, dê um pick para o ponto início do movimento e um pick
para o fim do movimento.
9
Rotate Rotaciona uma entidade ou um grupo de entidades em torno de um ponto base. O
comando tem a opção reference que permite a mudança da referência (o ângulo default é
zero).
Scale Modifica a escala de uma entidade ou um grupo de entidades selecionadas. O valor
de escala maior que 1 aumenta, e menor que 1 diminui. O comando pede um ponto de
base para a partir dele executar a ação.
Stretch Estica as entidades selecionadas. Só podem ser utilizados os modos de seleção
crossing e window (também WC e CP) para este comando.
Lengthen Modifica o comprimetro do objeto selecionado
Trim Corta linhas, polilinhas e arcos em relação a uma outra entidade (fronteira). As
fronteiras devem estar cruzando as entidades.
1 - Seleciona-se as fronteiras
2 - Seleciona-se as entidades a serem cortadas
Extend Extende uma linha, polilinha ou arco em direção a uma outra entidade (fronteira).
As fronteiras devem estar no alcance das entidades.
1 - Seleciona-se as fronteiras
2 - Seleciona-se as entidades a serm extendidas
Break Quebra linhas, polilinhas, círculo ou arco em um ou dois pontos.
Fillet Faz a união das pontas de duas linhas, polilinhas ou arcos. Também permite fazer a
concordância de linhas através de um arco, com raio definido pelo comando.
Chanfer Semelhante ao fillet, faz a união das pontas de duas linhas, polilinhas ou arcos.
Também permite fazer a concordância de linhas através de um chanfro, com as distâncias
definidas pelo comando.
Explode Explode (desagrupa) as entidades como: blocos, polilinhas, hatch,
dimensionamento, malhas e sólidos. Não se deve explodir dimensionamento (cotas).
Pode existir no desenho blocos aninhados, isto é, blocos criados com outros blocos. Para
explodi-los será necessário explodi-lo várias vezes, inicialmente o bloco principal, depois
os outros demais blocos internos.
CAPÍTULO 07 – BLOCOS
por: Ezequiel Mendonça Rezende (1999).
A manipulação de blocos é uma das ferramentas mais poderosa do AutoCAD,
permitindo a construção de bibliotecas de desenhos padrões para posterior utilização. Os
blocos nada mais são que simples desenhos feitos normalmente no editor do AutoCAD.
Eles devem ser salvos no disco rígido (HD) para posterior utilização.
Bmake Este comando cria uma entidade “bloco” com as entidades selecionadas.
Este bloco criado existe somente no desenho em edição Ex.: Para fazer o bloco de uma
porta de 80 cm, desenhe uma polilinha fechada e um arco. Entre com o comando Bmake e
aparecerá o quadro de diálogo ao lado. De um
nome ao bloco, por exemplo P-80, selecione o
ponto de base, como indicado no desenho ao
lado, este será o ponto de inserção do bloco,
quando você utiliza-lo.
Selecione os objetos que compõe o
bloco, e click no OK. O seu bloco está Pronto,
mas lembre-se que ele existe somente neste
seu desenho que esta sendo editado.
Wblock Entre com este comando
no prompt para criar um bloco e grava-lo
no H.D como um desenho DWG.
Insert block (ddinsert) Este comando insere no desenho os blocos existentes no desenho
ou no disco rígido. Permite ainda a mudança de escalas no x, y, z e rotação. Selecione todas
as três opções Specify on screen, senão o programa vai inserir o bloco no ponto, escala e
rotação especificado dentro do quadro de diálogo. Também pode explodir um bloco,
desagrupando suas entidades, durante ou depois de sua inserção no desenho.
CAPÍTULO 08 – DIMENSIONAMENTO
por: Ezequiel Mendonça Rezende (1999).
22
DimLinear Executa um dimensionamento linear, podendo ser horizontal, vertical
ou alinhado a dois pontos.
DimRotated Permite fazer um dimensionamento rotacionado. Primeiro indica o
ângulo de inclinação da cota, e depois faz o dimensionamento.
DimOrdinate Fornece os valores de X ou de Y em relação ao ponto cotado.
DimRadius Dimensiona o raio de arcos e círculos com o símbolo R.
DimDiameter Dimensiona o diâmetro de arcos e círculos com o símbolo .
DimAngular Dimensiona ângulos.
DimBaseline Faz as medidas a partir de um ponto de base. Normalmente utilizado para
desenho mecânico.
DimContinue Permite continuar os dimensionamentos DimLinear, DimAligned,
DimOrdinate e DimBaseline.
DimLeader Coloca linha e seta com texto explicativo, utilizando o Multitext.
Tolerance Cria anotações de tolerância.
DimCenter Marca o centro de arcos e círculos com uma cruz (+).
DimEdit-Home Força o texto da cota a voltar ao seu local original.
DimEdit-New Muda o texto de uma cota para um outro valor desejado. Para retornar ao
texto original, entra com um texto nulo (tecla enter) e seleciona as cotas.
DimEdit-Rotate Rotaciona o texto da cota.
DimEdit-Oblique Posiciona o texto de forma inclinada.
Dim.Updade Força as cotas antigas a mudarem para o estilo de dimensionamento corrente.
Dimensiom Style Abre o quadro de configuração de dimensionamento. Neste quadro
várias configurações deverão ser ajustadas para um perfeito dimensionamento. Na
realidade, este quadro modifica as variáveis de dimensionamento (Dimvar) que mantém
controle sobre as cotas.
Se você utiliza um protótipo Template já configurado com um estilo de
dimensionamento, e deseja criar mais um novo estilo, basta dar um click no botão New e
especificar um novo nome para este novo estilo (Ex: base-50) e será criado como uma
cópia identica do estilo existente. Para modificar este estilo, click no botão Modify e edite
as configurações conforme o desejado.
CAPÍTULO 9 - CONFIGURAÇÃO DE LAYOUTS
9.1 ADICIONAR DRIVE DE PLOTER
No menu tools, selecione options
Clique na guia plotting, e selecione o botão add or configure plotters, aparecerá a caixa de
diálogo plotters.
Clique sobre o ícone add-A-plotter wizard.
Na página de Introdução, clique em avançar, depois escolha a origem das configurações de
seu plotter, use os principais drives de plotters instalados com o AutoCAD MAP 2000, em My
Computer, depois selecione avançar.
Na caixa plotter model, escolha a marca e o modelo de seu ploter, depois, clique em avançar.
Clique novamente em avançar, no quadro de importação de configurações de ploter.
Na caixa Ports, escolha a porta de entrada do ploter. (Ex. LPT1), e clique em avançar.
Na caixa plotter name, nomeie a configuração corrente, e selecione avançar.
Na caixa finish, clique em concluir.
Clique em ok para fechar a caixa de diálogo Options.
9.2 CONFIGURANDO LAYOUTS
Após o término do desenho e a configuração dos drives de ploters, estamos prontos para
configurar o layout de nosso projeto. É nele que constarão as viewports com os desenhos e
detalhes de nosso projeto, a máscara com o selo, legenda e convenções, mapas de localização e
configurações de escala e posicionamento da prancha.
No canto inferior esquerdo da barra de rolagem scroll, clique na guia Layout 1, aparecerá a
caixa de diálogo Page Setup. (caso você já tenha entrado no layout anteriormente, você poderá
acessar esta caixa de diálogo, no menu file – Page Setup.
Na guia Plot Device, acesse a caixa de listagem name e selecione o nome de seu ploter.
Depois clique no botão Properties, para configurar as propriedades do papel. Aparecerá a caixa
de diálogo plotter configuration editor.
Selecione a área Custon Paper Size.
Clique no botão ADD. Aparecerá a caixa de diálogo Custon Paper Size. Selecione Start from
scratch e clique em avançar. Indique as dimensões da folha e a unidade de medidas e clique em
avançar. Indique as dimensões da área de impressão a partir das bordas e clique em avançar.
Escreva o nome de sua folha e clique em avançar. Confirme o nome da configuração do ploter
e clique em avançar. Em Finish, clique em concluir. Sua folha está configurada e aparecerá na
área de listagem.
Clique em OK, duas vezes para voltar para a caixa de diálogo Page Setup.
Agora configuraremos a tabela de penas, na área plot style table, clique em New. Aparecerá a
caixa de diálogo Add Color-Dependent Plot Style Table. Selecione Start from scratch e clique
em avançar. Escreva o nome da tabela de penas e clique em avançar. Em finish, clique no
botão Plot Style Table Editor. Aparecerá a caixa de diálogo para a edição da tabela de estilos de
plotagem.
Para editar um estilo, clique sobre a cor na área Plot Styles, depois, em Properties – color,
selecione a cor que será representada na plotagem. Em Properties-Lineweight, selecione a
espessura da linha. Após toda a edição, selecione o botão Save e Close , e depois em Concluir
para voltar para a caixa de diálogo Page Setup.
Para escolhermos as propriedades do papel, orientação, unidades e escalas, selecionamos a guia
layout settings, apresentada abaixo.
Na caixa de listagem Paper Size, selecionaremos a folha configurada para o desenho.
Na área de Orientação da folha, escolha Portrait ou Landscape. Ná área Plot Scale, escolha a
escala 1:1. Selecione ok para fechar a caixa de diálogo.
9.3 CRIANDO VIEWPORTS
Para trazermos o desenho para a área de layouts, devemos criar viewports. Digite mv <enter>,
ou vá no menu View-Viewports-1 Viewport.
Selecione a área que será ocupada pelo viewport (semelhante ao processo de se construir um
retângulo).
Para definir a escala, entre no model space floatting, digitando ms <enter>, ou dando um clique
duplo dentro da view. Digite 1000/100 xp, para colocar o desenho na escala 1/100, por
exemplo. O número 1000, converte a unidade de metros para milímetros. O numero 100, define
a escala do desenho e o símbolo xp, define a variável de sistema que adotará o fator de escala
estabelecido.
Depois, digite PS, para voltar ao Layout.
CAPÍTULO 10 - CORTES
São projeções verticais representadas por linhas imaginárias. São longitudinais
quando feitas no sentido de maior comprimento da obra e transversais quando
perpendiculares a esta.
O local de representação das linhas de corte na planta baixa, é escolhido de
acordo com a necessidade de detalhamento de partes da obra, e é visualizado por uma
linha interrompida e de boa espessura, contendo as letras AA’ ou AB.
Os cortes, contendo as dimensões, devem conter: altura dos cômodos ou pé
direito; altura dos peitoris; espessura de lajes e alvenarias; perfil do terreno,
engradamento do telhado e diferenças de nível.
Em nosso projeto criaremos um corte AA’, no sentido transversal, que passa pelos
cômodos: Cozinha, Área de Serviço e Cômodo. Fig. 01
ETAPAS:
a) Trace a linha horizontal para formar o nível do solo;
b) Trace as linhas de referência a partir da planta baixa;
c) Crie a linha horizontal que define a laje do piso (espessura: 15 cm);
d) Desenhe a laje do piso (altura: 35 cm);
e) Hachure a laje do piso: (hachura sólida);
f) Crie a representação do solo (afastamento: 5 ou 10 cm./ espessura: 80 cm a 1 metro);
g) Hachure o solo (hatch type: NET, angulo: 45, escala: .01 );
h) Crie a linha que representa o pé direito (altura: 2.80 metros)
i) Corte as linhas que ultrapassam este limite;
j)
Desenhe a laje do teto (espessura e altura:10 cm);
k) Hachure a laje do teto;
l) Desenhe o quadro que representa a porta (altura: 2,10 metros);
m) Desenhe os quadros que representam as janelas (Altura do peitoril: 1,70 metros, altura da
janela 40 cm.);
n) Insira os blocos das janelas (60 x 40 cm);
o) Desenhe a representação das portas que são projetadas nas paredes; (espessura: 6cm)
p)
Desenhe o engradamento do telhado (nº vãos: 10, Altura: 1,10 metros - Base horizontal:
50cm, espessura: 10 cm. – Largura Beiral: 80 cm. – Espessura Beiral: 5 cm.;
q) Desenhe o telhado (Altura 75cm)
r) Hachure o telhado (Hatch type: AR-RSHKE, ângulo:0, escala: .001);
s) Para finalizar o desenho do corte, Insira os textos indicativos as cotas.
CAPÍTULO 11 - FACHADA OU ELEVAÇÃO
É a projeção em plano vertical de uma ou mais faces externas, geralmente
representando com maior detalhamento e acabamento a fachada principal, ou seja a
frente da edificação. A fachada não deve ser cotada.
Fachada Frontal – Obs. Incluiu-se no projeto da planta baixa, uma varanda,
conforme a figura a seguir.
ETAPAS:
a) Rotacionar a planta baixa em 180 graus para servir de base na construção da fachada
frontal;
b) Criar a linha horizontal para formar o nível do solo;
c) Trace as linhas de referência a partir da planta baixa;
d) Crie a representação do solo (afastamento: 5 ou 10 cm./ espessura: 80 cm a 1 metro);
e) Hachure o solo (hatch type: NET, angulo: 45, escala: .01 );
f) Desenhe o piso (altura 50cm.);
g) Projete o pé direito (altura 2.65 metros) e desenhe os pilares;
h) Desenhe o quadro da janela (altura piso: 1,00 metros, altura janela: 1,20 metros) e da porta
(altura: 2,20 metros);
i)
Insira os blocos da janela (1.20x1.00x1.20) e da porta de vidro (1.20x2.20);
j) Desenhe o telhado (altura 1,85m);
k) Hachure o telhado (Hatch type: AR-RSHKE, ângulo:0, escala: .001);
l) Para finalizar, insira os textos indicativos.
CAPÍTULO 12 - PLANTA DE SITUAÇÃO
Estabelece a situação da edificação em relação ao terreno e ao entorno, deve
indicar:
•
•
•
•
Distância das divisas;
Orientação topográfica;
Demais instalações, se houver;
Se possível, cotas altimetricas do terreno.
Planta de Situação
ETAPAS:
a)
b)
c)
d)
e)
Recorte de uma janela de aproximação, localizando a obra no mapa do município;
Elimine os elementos desnecessários;
Dimensione as divisas do terreno;
Indique a orientação topográfica (Norte);
Insira os textos indicativos.
Download

Auto CAD Auto CAD