REDE NIT-PARÁ
Articulação das ICT´s para uma ação em Rede
• Desde 2002 as iniciativas voltadas para a proteção ao
conhecimento e transferência tecnológica no Estado do
Pará tem agregado instituições locais para atuação em
Rede - o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) , o
Centro Universitário do Pará (CESUPA) e a
Universidade Federal do Pará (UFPA) têm articulado as
iniciativas locais principalmente para a sensibilização e
qualificação local de profissionais.
SITUAÇÃO ATUAL
• A Rede esta funcionando informalmente por meio da
apresentação de projetos conjuntos, mais recente –
UFPA, UEPA e CESUPA, apresentaram um projeto
conjunto para apoiar prospecção tecnológica nas ICT´s
e posterior incubação de empresas ou Spin-off, gerados
a partir da prospecção. Embrapa, IFPA e Museu Goeldi
apoiaram a iniciativa.
SITUAÇÃO ATUAL
• A REDE conta com o apoio da Secretaria de
Desenvolvimento Ciência e Tecnologia do Estado
(SEDECT), e da Fundação de Amparo a Pesquisa no
Estado do Pará (FAPESPA), por meio da alocação de
bolsas a serem implementadas em contrapartida aos
recursos repassados pelo MCT/FINEP, para o
desenvolvimento do Arranjo Local de NIT´s
PROBLEMAS ENFRENTADOS:
• Intensa atividade científica desenvolvida tanto de forma
endógena como exógena - inúmeros projetos de
cooperação científica sem regras sobre o uso dos
resultados e repartição de benefícios;
• Carência de maior estrutura e suporte governamental
se comparado as demais regiões do país
PROBLEMAS ENFRENTADOS:
• Ausência de informações sobre o que cada ICT têm
desenvolvido, seus potenciais para a atuação em
parceria com o setor produtivo;
• Inexistência de NITs institucionalizados e de Políticas
Institucionais;
• Ausência de quadro efetivo nos NIT´s – as atividades
são feitas por bolsistas que ao findo da bolsa e não
tendo como mante-los por outras vias deixam os NIT`s.
SOLUÇÕES ENCONTRADAS:
POSSIBILIDADES GERADAS
A PARTIR DA REDE NIT-PARÁ
• Identificação das condições físicas e estruturais das ICT´s
• Melhor interlocução entre as ICTS e entre os Agentes de
fomento
• Integração das ICTS para a proposição de políticas locais
e nacionais, relativas às áreas de Proteção ao
Conhecimento, Inovação e Transferência Tecnológica –
Atuação em Rede local e regional.
• Fortalecimento das ICTS Amazônicas no âmbito Local e
Nacional
• ARRANJOS LOCAIS DE NIT´S - Adesão ao Fórum de
Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia FORTEC
SOLUÇÕES ENCONTRADAS:
POSSIBILIDADES GERADAS
A PARTIR DA REDE NIT-PARÁ
• Na proposta apresentada a FINEP para a criação do
Arranjo Local de NIT´s coube ao Museu Goeldi a
coordenação da Rede.
• Os NIT´S, instalados e com as equipes qualificadas, serão
responsáveis pela iniciativa da institucionalização da
POLÍTICA INSTITUCIONAL DE INOVAÇÃO. Nesta política
estarão definidas as formas de proteção aos
conhecimentos e sua transferência ao setor produtivo, a
repartição dos benefícios, conforme o que estabelece a Lei
de Inovação.
GESTÃO DA REDE
• As ações da Rede serão executadas a partir da Unidade de Gestão
do Projeto (UGP) composta pela Coordenação Geral e a
Coordenação Técnica(Coordenadores Institucionais dos NIT´s )
•
•
•
•
•
•
•
IFPA - www.ifpa.edu.br/
CESUPA - www.cesupa.br
MPEG - www.museu-goeldi.br
UEPA - www.uepa.br
UFPA – www.portal.ufpa.br/
UFRA - http://www.ufra.edu.br/
EMBRAPA Amazônia Oriental - www.cpatu.embrapa.br/
METODOLOGIA
• O fator humano é considerado o eixo estratégico assim a
metodologia para as ações coletivas da Rede NIT – Pará
tem como foco a formação de multiplicadores
• CAPACITAÇÃO deve expressar uma qualificação teórica
que envolva a Proteção ao Conhecimento, a gestão da
Inovação Tecnológica e a transferência tecnológica conexa
com ações instrumentais e atividades práticas
• As atividades práticas estão relacionadas à prospecção e
descrição das tecnologias de cada instituição; construção
de plano de negocio e negociação culminando em vitrine
tecnológica com a apresentação do mapeamento das
tecnologias de cada instituição e sua negociação.
METODOLOGIA
• Regulamentação proteção ao conhecimento e aos
procedimentos adotados pelas instituições no processo de
identificar e proteger as tecnologias que serão alvo de
transferência por meio do NIT´s das instituições
participantes com o auxílio de consultoria
• Informação instrumentação continua de atores para a
geração de informações sobre as tecnologias, as formas
de proteção para viabilizar as transferências e negociação
de tecnologias junto ao mercado.
METODOLOGIA
• ARTICULAÇÃO será a forma de facilitar a transferência das
tecnologias através do intercâmbio com as Incubadoras de
empresas, Parques Tecnológicos locais, nacionais e
internacionais.
• PROSPECÇÃO TECNOLÓGICA elemento essencial para a
manutenção do processo continuo de capacitação,
regulamentação, informação e articulação; pois estes são
elementos catalisadores da ação continua de identificação de
novos produtos, processos e/ou serviços que renovem o
Portfolio do capital Intelectual das ICT´s, e da base de dados on
line;
• NEGOCIAÇÃO visa a geração de negócios com setor público
e/ou privado em atividades voltadas para a inovação e a
pesquisa científica e tecnológica
METODOLOGIA
• O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT – Pará fortalecerá
o processo de formação e qualificação de recursos
humanos para o Estado capazes de subsidiar ações de
Proteção ao conhecimento, Gestão e Transferência
tecnológica, diminuindo a distância entre a pesquisa e sua
a aplicação prática.
RESULTADOS
• Qualificação e Profissionalização dos NITs do Pará
• Institucionalização das políticas de proteção ao
conhecimento, inovação e transferência de tecnologia;
• NITs estruturados e implantados, funcionando em
consonância com a Lei de Inovação
RESULTADOS
• Base de dados institucionalizada e atualizada de P,D & I,
PI, tecnologias disponíveis e tecnologias transferidas;
• Maior integração entre as ICTs e o setor produtivo;
• Grupo de pesquisa “Proteção a conhecimento, Gestão em
Ciência, Tecnologia e Inovação na Amazônia,
reestruturado”;
• Criação da Revista Rede – NIT/Pa.
• Capacitação de profissionais das ICT´S do Estado (um
percentual das vagas serão destinadas para as demais
ICT´S da Amazônia).
PERFIL DAS ICT´S
ENVOLVIDAS
UNIVERSIDADE FEDERAL
DO PARÁ
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Em 1996 instalou seu programa de Incubadora de
Empresas – PIEBT
• Em 1999 instituiu o Setor de Propriedade
Intelectual (SPI/UFPA);
• Em 2008 – Criou a Agência de Inovação
Tecnológica da UFPA como um órgão
suplementar, vinculado ao Gabinete do Reitor;
• Coordena o processo de instalação do Parque
Tecnológico Guamá, com previsão de
funcionamento para o ano de 2010.
UNIVERSIDADE FEDERAL
RURAL DA AMAZÔNIA
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Criada 2002 em substituição a Faculdade de
Ciências Agrárias, a Universidade Rural da
Amazônia possui uma Incubadora de Empresa a
ITRA e aderiu a Rede NIT- Pará como forma de
instalar seu NIT e institucionalizar sua Política de
Proteção ao Conhecimento e Transferência de
Tecnologia.
• Sua missão é de “Formar profissionais de nível
superior; desenvolver e compartilhar cultura
técnico-científica através de perspectiva e
extensão; oferecer serviços à comunidade e
contribuir para o desenvolvimento econômico,
social e ambiental da Amazônia.”
CENTRO UNIVERSITARIO
DO PARÁ
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Desde 2000 o CESUPA desenvolve atividades
voltadas para o fomento de novos
empreendimento por meio da sua Incubadora de
Empresa.
• Em 2003 instalou o Núcleo de Propriedade
Intelectual (NUPI) enquanto responsável pela
gestão institucional da propriedade intelectual .
Afora estas duas ações conta ainda com a fabrica
de Software e com a Farmácia Escola.
• Sua inserção na Rede NIT – Pará lhe
proporcionará a instalação do Núcleo de Inovação
Tecnológica e Empreendedorismo (NITE) por
meio da integração do NUPI, ICBT, Fábrica de
software e da Farmácia Escola, formatando uma
ponte entre a ICT e o setor produtivo.
UNIVERSIDADE DO ESTADO
DO PARÁ
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• A UEPA em 1998 instalou seu Centro de Ciências
Naturais e Tecnologia com os Curso de
Engenharia Ambiental, Engenharia de produção,
Tecnologia de Alimentos e Design. A partir destes
criou a Rede de Incubadora Tecnológica da UEPA
– RITU; em 2006, atendendo as diretrizes do
Plano de Desenvolvimento Institucional, foi criada
a Assessoria de Propriedade Intelectual, com o
objetivo de gerir a política de inovação da
Universidade e adequar a instituição às exigências
da “Lei de Inovação”.
• A implantação do NIT/UEPA está prevista para
2009 com a efetivação da REDENIT/PARÁ.
Instituto Federal de Ciência
e Tecnologia do Pará
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Ao ser implantado em 2008 o IFPA herda toda
uma trajetória de 99 anos de formação de
Técnicos no Pará.
• O IFPA mantém a ofertar de educação tecnológica
a partir da trilogia, Ensino, Pesquisa e Extensão,.
visando a formação e qualificação do profissional
para o mundo produtivo, e do o desenvolvimento
tecnológico de novos processos, produtos e
serviços em articulação com setores produtivos e
a sociedade.
• Sua Inserção na rede NIT – Pará se dá em um
momento estratégico para a Instituição frente o
desafio de ser capaz de atuar de forma
transformadora no âmbito político e social.
Embrapa Amazônia Oriental
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Esta é reconhecida como um centro de referência
por sua contribuição técnico-científica para o
avanço do conhecimento e gestão dos recursos
naturais, redução das desigualdades sociais e
pela capacidade de viabilizar soluções
adequadas, competitivas, sustentáveis e
oportunas para o agronegócio da Amazônia
Oriental.
• Se insere na Rede NIT – Pará por meio de sua
Área de Negócio. Tecnológicos.
Museu Paraense Emilio Goeldi.
O arranjo estadual de NIT´s – Rede NIT - Pará
• Realizar pesquisas, promover a inovação
científica, formar recursos humanos, conservar
acervos e comunicar conhecimentos nas áreas de
ciências naturais e humanas relacionadas à
Amazônia. Esta é a Missão do Museu Paraense
Emílio Goeldi.
• Em 2002 criou o Núcleo de Propriedade
Intelectual, para cuidar de questões relacionadas à
propriedade intelectual e o acompanhamento das
atividades de pesquisa.
• Em 2006 - Meta do Plano Diretor de Unidade
(PDU) institucionalização do Núcleo de Inovação e
Transferência de Tecnologia. A Ordem Interna
050/2006 Implanta o Núcleo de Inovação e
Transferência Tecnológica (NITT) bem como
designa a equipe responsável pelo seu
funcionamento
CONTATO
• REDE NIT – PARÁ
• [email protected]
• Coordenação
• Museu Paraense Emílio Goeldi
• Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia
• Campus de Pesquisa. Avenida Perimetral da Ciência,
1901- Bairro Terra Firme – CEP: 66077530 – Belém Pará
• Telefone(91) 3274-4593 –
• E-mail [email protected]
Download

possibilidades geradas a partir da rede nit-pará