Chuva de Rosas
Informativo Mensal
Basílica Santa Teresinha do Menino Jesus
Mensagem
do
Pároco
Maria: A “Onipotência Suplicante”
No dia 16
de julho, a
Igreja inteira e, de
modo especial, a
Família do
Carmelo
celebram
a Festa litúrgica de
Nossa Senhora do
Carmo. A
origem deste título é ligada ao
Monte Carmelo, situado no norte
de Israel e lugar onde esteve o
profeta Elias (cf. 1Re 18,19). De
fato, desde que se estabeleceram no Monte Carmelo, por volta
do século XII, os primeiros eremitas edificaram uma capela dedicada à Virgem Maria, à qual se sentiam tão intimamente ligados que
a tomaram como modelo da vida
em obséquio de Jesus Cristo. E o
seu mais profundo desejo era o
de viver uma consagração religiosa “mariaforme”, ou seja, uma
vida inteiramente modelada segundo Maria.
Com o passar do tempo, estes
homens de Deus foram chamados de “irmãos da Bem-aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo”. Um título que indica familiaridade e intimidade com a Mãe
de Deus. Maria para os Carmelitas é, portanto, a “irmã” de caminhada que toma pela mão e conduz mesmo em meio às “noites
escuras” do caminhar cristão, pois
ela mesma, que peregrinou na fé e,
aos pés da cruz, esperou contra
toda esperança humana, sabe nos
levar ao porto seguro: Jesus Cristo.
Um dos títulos que a tradição
espiritual atribuiu a Maria é o de
“onipotência suplicante”. E isto porque ela nada quer e nada faz senão em perfeita conformidade com
a vontade de seu Filho e Senhor
Jesus Cristo. Como nas bodas de
Caná (cf. Jo 2, 1-12), ela não impõe, mas propõe e, melhor ainda,
se interpõe, como “onipotência suplicante”, entre o Criador todopoderoso e a frágil criatura, conhecedora tanto da vontade do
primeiro quanto das necessidades da última. Eis por que este título ilustra muito bem a missão
de Maria como intercessora.
No que diz respeito à figura de
Maria, invocada sob o título de
Nossa Senhora do Carmo, uma
consideração merece ser feita
sobre o escapulário, que é um
sinal de consagração e de compromisso na imitação das virtudes da Mãe de Deus. Sendo originalmente uma veste que cobre
os ombros (do latim: “scapulae”), o
escapulário serve para nos recordar que o mais importante é
revestir-se das virtudes de Cristo; ou, utilizando as palavras de
São Paulo em Rm 13,14, que é necessário “revestir-se de Jesus Cristo”, conformando de tal modo nossa vida à Sua, que Ele seja percebido em nós. É isto que desejo
para todos nós ao celebrarmos a
Solenidade da Virgem Santíssima do Carmo.
Boa caminhada a todos, na
companhia de Maria!
Fr. Fábio Magno, OCD, pároco
Ano VIII, nº 63 - jul. 2014
Batizados
Ana Clara, Gustavo Manhães,
Pedro Henrique, Isadora,
João Guilherme, Enzo, Thayna,
Cauã Francisco, João Pedro,
Eduarda, Gustavo Camacho,
Agenda - julho
04, 05 e 06 - Festa Julina - a
partir das 17h
07 a 15 - Novena de Nossa Senhora do Carmo
16 - Solenidade de Nossa Senhora do Carmo, com imposição
dos escapulários - missa das
18h30
20 - Retorno dos encontros da
Iniciação Cristã - salão Nossa Senhora das Graças - 16h30
25 - Quarto encontro da Preparação ao V Nascimento de Santa
Teresa - 19h30 - salão centro
pastoral
26 - 1 ano de JMJ - Quinta da
Boa Vista - das 13h às 18h
Aconteceu por aqui
Cantinho do
Provincial
do Carmelo
realiza
São Sebastião
abençoa
a comunidade
daformação
Capela São José
amar e sempre o trouxer junto a si”
(Livro da Vida, 21,7, Santa Teresa
D'Ávila).
Segundo o frei, através do mistério
de Cristo, o ser humano é capaz de
recriar a sua própria história, aprofundar a comunhão com Deus e viver o
real caminho da salvação. “Se não tirarmos um tempo para viver a experiência com Deus e darmos prioridade a Ele, não iremos conhecê-lo de
fato”, apontou o provincial.
A próxima formação ocorrerá no dia 25 de julho às 19h30. O tema será:
Eucaristia, e o lema: “Quando comungava, sabia com certeza que o Senhor
estava ali dentro de mim e Colocavame a seus pés” (Livro da Vida 40,12).
Natassha Cotts
Dizimista
Aniversariantes do mês
Após um ano de muita dedicação,
desde a participação na Semana Cultural da Jornada Mundial da Juventude, a Oficina de Artes San Juan de la
Cruz apresentou sua 4ª exposição,
entitulada “Era uma vez...”, na noite do
dia 7 de Junho. Supervisionados pela
coordenadora Lenora Carraro e pelo
professor Hugo Désio, os alunos Bianca Luna, Fred Caldas, Lygia de Pau-
la, Clara e Clarisse Lessa expuseram
pinturas sob um forte viés conceitual,
unindo técnica e emoção.
Como o próprio título sugere, o tema que norteava todos os quadros eram os personagens da literatura comumente relacionados à infância, como a Chapeuzinho Vermelho, porém subvertidos de seu imaginário coletivo para tratarem de temas da atualidade. Drogas, preconceito, exclusão social estampados em quadros que ultrapassavam o moralismo e o didatismo.
Ao final, a Oficina de Teatro apresentou uma esquete criada com base
na exposição e dirigida pelo professor
Marcos Paulo Oliveira, dando vida aos
per-sonagens das telas.
Rodrigo Tiradentes
1 - Cleber Ferreira Fernandes/ José
Waldemar Labre de Lemos Filho
3 - Maria José Falci Pinto
4 - Irany da Silva Prates/ José Odilon
Borges/ Maria Assis Espíndola/
Maria Dalila Sousa de Araújo/ Milton
Teodoro Irias/ Rita Isabel de Oliveira
5 - Isabel Rocha de Souza/ Neyde
Anieri Pereira
6 - Maria Ines Reis Filizola
7 - Paulo Roberto de Araujo
8 - Matheus Goulart Pereira
9 - Roberto Tolomei
10 - Eline Meno dos Santos Tavares/ Lucia Sobral Pinto
11 - Alice Vanderlei Andrade
12 - João Mariano Silva Neto/ Rita
Siqueira da Cunha
13 - Teresinha Maria dos Santos
16 - Heridee Neves do Nascimento
17 - Márcia Valiade Baptista
18 - Marlene Rodrigues da Silva
19 - Raimunda Maria do Sacramento Reis/ Violeta Correia de Oliveira
20 - Antonio Araujo Pinho de Lima
Souto
22 - Anne Margareth de Oliveira
23 - Jorge Antonio Moura do Valle
24 - Lindomar Fernandes Braga
25 - Eunice Medina da Silva
26 - Luciana Garcia/ Pedro Paulo
Miranda Miguez
27 - Iramaia Xavier Ferreira Migon
28 - Cidalina Gomes de Jesus/ Haroldo Vieira da Costa/ Maria Aparecida de Medeiros Muniz/ Núbia
Cristina Baptista Figueiredo
30 - Glória Ornelas/ Wanda Vieira
de Carvalho
31 - Maria Izabel de Souza Borges/
Hylva e Hervalina Roberta da Silva
Pastoral
Pastoral da
da Comunicação
Comunicação
Refletindo sobre a sexualidade
Paróquia comemora sucesso
Frei Cleber dos Santos, provincial
de São José dos Frades Carmelitas,
conduziu a terceira formação em preparação ao V Centenário de Nascimento de Santa Teresa D'Ávila. O encontro ocorreu no dia 29 de maio no
salão do Centro Teresiano de Formação às 19h30; e abordou o seguinte
tema: A pessoa de Jesus Cristo. A palestra foi conduzida a partir do lema:
“Bem aventurado quem de verdade o
Oficina de Artes organiza sua 4ª exposição
Diretor espiritual e pároco:
Frei Fábio Magno, OCD
,
Coordenação e edição de texto:
Rodrigo Pinto Tiradentes
Diagramação:
Rodrigo Pinto Tiradentes
Reportagem:
Angélia Cavour, Berna Oliveira, Luciana
Weyne e Natassha Cotts.
Webmaster:
José Antonio Oliveira
Basílica Santa Teresinha
Rua Mariz e Barros, 354 - Tijuca Rio de Janeiro - RJ - CEP 20270-001
Tel.: 2569-8904
Expediente: Segunda a sábado - das 8h às 12h
e das 14h às 18h; domingo – das 8h às 12h.
Site: www.basilicasantateresinha.org.br
pascom@basilicasantateresinha.org.br
Impressão: Gráfica Valmar
No dia 01 de Junho, das 8h30 às
18h, houve um Encontro de Afetividade e Sexualidade organizado pela
JUMTE, com o apoio do Retiro de Sexualidade e Afetividade. Houve muita
música, adoração, partilha, dinâmica e palestra, além do testemunho
de dois casais da Comunidade Shalom, que falaram sobre suas experiências de castidade e santidade.
Com a presença de cerca de 20 jovens, o Encontro foi uma fonte de bênçãos, concluindo com a missa das
18h30.
Angélia Cavour
Nos últimos meses, nossa paróquia comemorou duas conquistas
muito significativas no meio das artes.
Em abril, os jovens Leandro Ferreira e
Paulo Victor e Pedro Borges, muito
atuantes nas atividades da igreja
relacionadas à música, chegaram a
uma das últimas fases do festival
Chama Jovem, da Arquidiocese do
Rio de Janeiro, concorrendo com a
música “Seu olhar, meu horizonte”,
de autoria de Paulo Victor. E em
junho, a Oficina de Teatro San Juan
de la Cruz conquistou um prêmio no
Festival de Esquetes do Rio de
Janeiro (FESTE), com a esquete “Os
Erráticos”, dirigida pelo professor
Marcos Oliveira. Com merecido
destaque, a aluna Nicole Lemos foi
premiada na categoria de melhor
atriz coadjuvante.
Rodrigo Tiradentes
Deus Caritas est
"25. Chegados aqui, registremos
dois dados essenciais tirados das reflexões feitas:
a) A natureza íntima da Igreja exprime-se num tríplice dever: anúncio
da Palavra de Deus (kerygma-martyria), celebração dos Sacramentos (leiturgia), serviço da caridade (diakonia).
São deveres que se reclamam mutuamente, não podendo um ser separado
dos outros. Para a Igreja, a caridade
não é uma espécie de atividade de
assistência social que se poderia mesmo deixar a outros, mas pertence à sua natureza, é expressão irrenunciável
da sua própria essência.
b) A Igreja é a família de Deus no
mundo. Nesta família, não deve haver
ninguém que sofra por falta do necessário. Ao mesmo tempo, porém, a ca-
Expediente Paroquial
ritas-agape estende-se para além das
fronteiras da Igreja; a parábola do bom
Samaritano permanece como critério
de medida, impondo a universalidade
do amor que se inclina para o necessitado encontrado "por acaso" (cf. Lc
10, 31), seja ele quem for. Mas, ressalvada esta universalidade do mandamento do amor, existe também uma
exigência especificamente eclesial —
precisamente a exigência de que, na
própria Igreja enquanto família, nenhum membro sofra porque passa necessidade. Neste sentido, se pronuncia a Carta aos Gálatas: "Portanto, enquanto temos tempo, pratiquemos o
bem para com todos, mas principalmente para com os irmãos na fé" (6,
10)."
*trecho da Encíclica Deus
Caritas Est, do Papa Bento XVI
Espiritualidade de Santa Teresinha
Elias
Julho é um mês especial para os carmelitas. Celebramos não só a Festa de
Nossa Senhora do Carmo, mas também o
dia 20, dedicado a Santo Elias, a quem se
vincula mais remotamente a origem da
Ordem do Carmelo, por ter ele habitado
no monte santo durante o período mais
fecundo de sua vida (1 Rs 17-21; 2 Rs 2).
Santo Elias viveu no século IX a.C. e,
embora não tenha deixado nenhum escrito, foi um dos maiores profetas de Israel. Exerceu corajosamente o seu ministério durante o reinado de Acab, rei ímpio casado com a idólatra Jesabel. Foi,
aliás, no combate implacável ao culto de
Baal que Santo Elias alcançou o maior de
seus feitos: enfrentou quatrocentos falsos profetas do deus pagão e, por meio
da oração, fez descer fogo do céu sobre
o altar que preparara ao lado do altar de
seus adversários (1 Rs 18). Dessa forma, reavivou a fé dos israelitas em Deus e
feriu de morte a idolatria que gras-sava
entre o povo.
Nos seus escritos, Santa Teresinha
refere-se algumas vezes a Elias (a quem
chamou de “nosso pai”), especialmente
quando, na ocasião de sua confirmação, relembra o murmúrio da brisa divina que acariciou o profeta: “Enfim, chegou o feliz momento! Não senti um vento impetuoso no momento da descida
do Espírito Santo, mas antes, esta suave brisa, cujo murmúrio o profeta Elias
ouviu no monte Horeb... Recebi, neste
dia, a força de sofrer, pois, pouco tempo depois, devia começar o martírio de
minha alma...”
Peçamos, então, a Santo Elias e a
nossa padroeira que nos ajudem a encontrar a força do Espírito para enfrentarmos o nosso pequeno martírio cotidiano.
* José Grillo
Secretaria
Segunda-feira a Sábado: das 8h às 12h e
das 14h às 18h; domingo das 8h às 12h
Santas Missas
Domingo: 7h, 8h30,10h,11h30,18h30
Segunda:7h, 8h e 18h30
Terça a sexta: 7h, 8h, 12h e 18h30
Sábado: 7h, 8h e 16h
M i s s a d e S a n t a Te r e s i n h a
Todo dia 30 às 16h
Missa do Menino Jesus de Praga
Todo dia 25 às 7h, 8h e 9h. Às 18h Missa e
procissão
Missa de Nossa Senhora de Fátima
Todo dia 13 às 12h
Missa de São José
Todo dia 19 às 8h
Missa de Nossa Senhora do Carmo
Todo dia 16 às 7h
Missa de Nossa Senhora de Schoenstatt
Todo dia 18 às 18h30
Confissões: terça a sábado, das 8h30 às
11h30 e das 15h às 18h
Eventos Permanentes
Adoração ao Santíssimo: quinta, das 8h30
às 20h30
Laudes: segunda a sábado, às 7h30
Vésperas: segunda a sexta, às 18h
Devoção à Sagrada Face: terças, às 17h30
Legião de Maria: quartas, às 15h30
Apostolado da Oração: Missas na primeira sexta do mês, às 8h
Oração do Terço: segunda a sexta, às 17h
Terço dos Homens: terças, às 20h
Pastoral da Saúde: Missas no terceiro sábado do mês, às 16h
Vicentinos: terças, às 19h30
Grupo Zélia e Luís Martin: terceiro sábado do mês, às 17h
Casamentos: sábados, às 18h, 19h e 20h
Batismos: Terceiro sábado do mês,
às 11h (inscrições aos domingos, das 9h30
às 11h)
Bazar Zélia Martin: Todas as quartas, das
9h às 12h e das 15h às 17h
Grupo de Oração Senhor dos Exércitos:
Terças-feiras, às 16h
Grupo Mil Ave-Marias: Segunda quintafeira do mês, às 13h
Liturgia
A celebração no Dia do Sol - A Eucaristia no século II
No dia 1º de Junho a Igreja celebrou a
festa de São Justino de Roma. Por que
estou falando sobre ele? Porque o testemunho dele é o mais importante do século II
no tocante à teologia eucarística e à liturgia.
Justino foi um leigo, samaritano de nascimento, filósofo e que ao se converter ao cristianismo estabeleceu um diálogo entre o pensamento pagão e o pensamento cristão em
suas duas obras, Apologia e Diálogo com Trifão. Nos capítulos 65 e 67 da primeira, Justino vai falar sobre a celebração da Eucaristia.
No cap. 65, o santo afirma que depois de
receber o batismo, o novo cristão é encaminhado até aos outros membros da comunidade que estão reunidos. Eles fazem
orações pelo novo membro e por todos os outros. Após as preces, eles se saúdam com o
ósculo (beijo) da paz. Tem-se inicio o que hoje
chamamos de apresentação das oferendas.
Ao final, o presidente dá graças e, em seguida, os diáconos distribuem o pão e o vinho
eucaristizados a todos os participantes e
levam aos ausentes (doentes).
No cap. 67, Justino afirma que, no chamado "dia do sol" pelos romanos, os cristãos
se reuniam todos num mesmo lugar. Eram lidos os comentários dos apóstolos e/ou as
escrituras dos profetas, se o tempo permitisse. Após isso, o que preside faz uma exortação e convida à imitação das palavras que
foram ouvidas. A partir daí se realiza o que foi
dito anteriormente: as orações e a distribuição da eucaristia. No fim da reunião, os ricos
que desejavam, de acordo com sua vontade,
ofereciam quantias em dinheiro que eram colocadas à disposição do presidente e este
socorria os necessitados, dentre eles os ór-
fãos, as viúvas, os abandonados, os encarcerados e os peregrinos. Tudo isto era celebrado no dia do sol, primeiro dia, em que Deus,
transformando as trevas, fez o mundo, e também o dia em que Jesus Cristo, nosso Salvador, ressuscitou dentre os mortos.
Depois de "ouvir" estas coisas de Justino,
temos uma boa lição pastoral: a Eucaristia é
um fato bem engrenado na vida da comunidade. A Eucaristia é a continuação do Batismo e para participar a pessoa deve crer, ser
batizado e viver de acordo com Cristo. Ele
apresenta também as conseqüências da
Eucaristia: prolonga-se na vida através da
ajuda aos necessitados. Desta forma segue-se a linha de pensamento de São Paulo, onde Eucaristia e caridade fraterna estão
intimamente relacionadas.
* Alexandre Britto
Cara da Comunidade
Bazar Zélia Martin
A partir deste mês, nosso boletim
traz de volta a seção "A Cara da
Comunidade", mas agora de cara
nova. Não mais sobre pessoas específicas, mas sim sobre grupos de
nossa paróquia. Nosso objetivo é apresentar aos paroquianos um
pouco da história de nossas
pastorais e
suas atividades. Você sabia que nossa
comunidade
conta com
mais de 40 grupos, entre pastorais, ministérios, associações, movimentos, capelas e serviços?
Eles se dedicam não só ao
serviço da evangelização,
mas também na
ajuda a nossa
comunidade, que não se restringe
aos muros da Basílica.
Como a Arquidiocese do Rio de
Janeiro elegeu 2014 como o ano da
caridade, reiniciamos a Cara da Comunidade com as pastorais que se
dedicam às obras sociais. Uma importante atividade a serviço do próximo desenvolvida em nossa basílica é a do Bazar Zélia Martin. Com-
posto por 12 pessoas, dentre elas
quatro coordenadoras (Bete, Marisa, Ruth Chris e Margarida), o bazar
nos moldes em que existe hoje funciona há seis anos. Todas as quar-
tas-feiras, das 9h às 12h e das 14h
às 17h, a comunidade pode comprar roupas e outros acessórios a
preços populares. Além disso, o
grupo trabalha também durante os
três dias da festa junina e durante
toda a novena de Santa Teresinha.
Para manter o bazar funcionando,
a equipe recebe doações todos ou no
próprio bazar às quartas-feiras. No
Ÿ
entanto, é muito impor-tante que os
itens estejam em boas condições, já
que não é possível colocar à venda
roupas e objetos rasgados ou em
mau estado de conservação.
Todas as
terças, quintas e
sextas-feiras, a
equipe trabalha
na triagem das
doações. Os
materiais são
separados em
dois grupos: o
primeiro é vendido a preços
populares na igreja e o outro
é doado para
comunidades
da arquidiocese e para obras
de caridade, como a Toca de
Assis. Além
disso, roupas e
calçados também são destinados a desabrigados de
tragédias, como a do Morro do Bumba, em Niterói.
A verba arrecadada com o bazar é
totalmente investida na comunidade
pelo nosso pároco. O trabalho da equipe é totalmente voluntário e, apesar de árduo e intenso, é feito com
muito amor. Tudo para ajudar nossos
irmãos necessitados e ajudar a promover a solidariedade.
Luciana Weyne
Avisos e Convites
ü A partir do dia 7 de Julho, damos início à novena de
Nossa Senhora do Carmo. Do dia 7 ao dia 15, as missas
contarão com orações e ladainhas. No dia 16, teremos a
Solenidade, com a imposição dos escapulários.
ü Estão abertas as inscrições para adolescentes, jovens e adultos paras as Oficinas de Artes e Teatro San
Juan de La Cruz. Inscrições pelo facebook da pastoral
ou pelo email (oficina.literaria@hotmail.com).
ü Ainda é possível entrar para a turma de Crisma
deste ano. Mande um email para o núcleo organizador
(inicriststateresinha@hotmail.com) e compareça ao encontro do dia 20 de Julho, no salão Nossa Senhora das
Graças, às 16h30.
ü Todos os casais estão convidados a participarem do
Encontro de Casais com Cristo (ECC), este ano em sua
25ª edição. O encontro será realizado nos dias 30 e 31
de Agosto e as inscrições podem ser feitas na secretaria
ou com a equipe do ECC.
Download

Julho de 2014 - Basílica Santa Teresinha do Menino Jesus