Dalva de Barros – Garimpos da Memória
1
Aline Figueiredo
2
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
3
Detalhe da tela “Retrato de Francelina“ “Portrait of Francelina“, Detail
Dalva de Barros
GARIMPOS DA MEMÓRIA
In Search of Memories
Aline Figueiredo
© Figueiredo, Aline. 2000
Tradução/Translation
Beatriz Sant’Anna Coningham de Siqueira
Fotografia/Photography
José Maurício de Mello
Produção Fotográfica/Photography Production
Gervane de Paula
Editora/Publisher
Entrelinhas
Design Gráfico/Graphic Design
Maria Teresa Carrión Carracedo
Revisão/Proofreading
Cristina Campos
Editoração/Desktop Publishing
Ricardo Miguel Carrión Carracedo
Capa/Cover
Cândida Bitencourt • Helton Pereira Bastos
Agradecimentos/Acknowledgements
Humberto Espíndola • Carlos Medeiros • Marta Catunda • Verônica Boscov
Agente Cultural/Cultural Agent
Mário Olímpio Medeiros Filho
Catalogação na Fonte do Departamento Nacional do Livro da Biblioteca Nacional
Catalogued at the Departamento Nacional do Livro da Biblioteca Nacional
F475d Figueiredo, Aline.
Dalva de Barros: garimpos da memória /
Aline Figueiredo. - Cuiabá, Mato Grosso:
Entrelinhas, 2001.
126 p. : il. Color.
ISBN 85-87226-03-7
CDD – 759.981
Índice para catálogo sistemático
1. Barros, Dalva Maria, 1935 -- Bibliografia
2. Pintura Moderna - Século XX - Brasil
entrelinhas editora
☎
Av. Senador Metello, 3773 – Jardim Cuiabá
78030-710 Cuiabá MT Brasil
(65) 624-5294 • e-mail: entrelin@terra.com.br • www.entrelinhaseditora.com.br
Aline Figueiredo
6
Dalva de Barros
GARIMPOS DA MEMÓRIA
In Search of Memories
Aline Figueiredo
entrelinhas
Cuiabá, Mato Grosso, 2001
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
7
Todos os direitos reservados.
Nenhuma parte desta edição pode ser reproduzida ou
utilizada – em qualquer meio ou forma, seja mecânico
ou eletrônico, fotocópia, gravação, etc. – nem apropriada
ou estocada em sistema de banco de dados sem expressa
autorização da autora e/ou artista, no caso das imagens das
obras aqui reproduzidas.
All rights reserved.
No part of this publication may be reproduced, stored in a retrieval
system or transmitted in any form or by any means electronic,
mechanical, photocopying, recordings or otherwise, without the
permission of the author and/or artist, in the case of images
reproduced here.
Aline Figueiredo
8
Apresentação
Foreword
Há mais de trinta anos, a pintora mato-grossense,
Dalva Maria de Barros, vem desenvolvendo uma
pintura de fina sensibilidade. Hoje, seguramente,
podemos dizer que seu trabalho representa uma
contribuição à arte brasileira, tanto pela qualidade
plástica quanto pelo valor iconográfico da sua pintura.
Quando o advento de Brasília desencadeava, nos
anos sessenta, o processo migratório da expansão das
fronteiras internas do País, Dalva, filha de garimpeiros,
abria os olhos para a percepção sensível daquele
mundão vazio de dentro que se ocupava. Entre as
andanças pelo garimpo, toma noções de pintura por
correspondência, recebe um estojo de aquarelas e
então começa a interpretar e registrar suas emoções
de vida no interior do interior, brabo e surdo, mas já
não cego devido então à sua presença.
É bom olhar com calma os trabalhos de Dalva, estrela
que brilha pela simplicidade, pois neles o impacto
visual não acontece às escâncaras. Na diversidade
de enfoques, a questão humana é um grande
assunto na sua pintura. Compõe grupos humanos
em expressivos conjuntos plásticos, e, atraída pela
concentração popular, sabe captar a vibração das
For more than thirty years, Dalva Maria de Barros, the
painter from Mato-Grosso, has developed a painting of
fine sensibility. Today we can certainly say that her work
represents a contribution to Brazilian art not only for its
plasticity but also for the iconographic value of her painting.
When the advent of Brasília triggered off, in the 1960’s, the
migratory process through which the internal borders of the
country would be expanded, Dalva, daughter of prospectors,
opened her eyes onto the sensitive perception of that large
empty inner world that was beginning to be occupied. On
her wanderings around the prospecting sites, she decides to
take a correspondence course on how to paint, receives a set
of watercolours and thus, begins to interpret and register her
emotions about life in the inner, wild and deaf , but no longer
blind interior region because, then, of her presence.
It feels good to calmly gaze at the works of Dalva, a star
that shines for her simplicity, for their visual impact does not
happen in an obvious manner. In her diversity of focuses, the
human issue is a strong subject. She composes human groups
to form expressive aesthetic combinations and, attracted to
popular gatherings, knows how to capture the vibration
of the crowds. Humour or an occasional critical comment,
when she wants them inserted, appear discreetly together
with the expression of the composition, the sensibility of the
brushwork, and the distribution of the coloured masses. The
small canvases with small figures include almost everything,
but only the indispensable is detailed.
multidões. O humor ou algum comentário crítico,
quando os quer inseridos, aparecem discretos junto à
expressão compositiva, à sensibilidade das pinceladas
e à distribuição das massas coloridas. As pequenas
telas de pequenas figuras abrangem quase tudo, mas
só o imprescindível se minucia.
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
9
As artes plásticas em Mato Grosso têm importante
representatividade na cena da arte brasileira. A
plástica mato-grossense, enquanto força expressiva,
foi capaz de organizar um movimento, desde a
primeira metade dos anos sessenta, que
descentralizou o circuito da arte brasileira para o
interior do País. A propósito, o panorama cultural
de Mato Grosso muito deve a esta artista. Além de
nos legar o mais puro retrato desta sociedade em
trânsito e em expansão, sua arte se situa com a
mesma qualidade indelével ao longo da melhor arte
mato-grossense. Arte essa que ela, Dalva, enquanto
artista e personalidade, contribuiu profundamente
para a formação e desenvolvimento. A pessoa e
a obra revelaram-se suportes básicos no processo
de formação e desenvolvimento das artes plásticas
desencadeado pelo Museu de Arte e de Cultura
Popular da Universidade Federal de Mato Grosso e da
Fundação Cultural do Estado, tanto no relacionamento
com os jovens artistas locais revelados, quanto como
fonte de inspiração visual, formal e reflexiva.
Dalva levou os ateliês às ruas, aos lugares pitorescos,
organizou verdadeiras expedições urbanas de pintura
em prol do registro de uma iconografia da cidade,
ampliando, dessa forma, com sua contribuição
plástica, os assuntos culturais da cuiabania. Embasa
discussões do patrimônio histórico urbano da cidade.
Ganha adeptos. Cresce o registro de uma Cuiabá
The visual arts in Mato Grosso have an important impact in
the scene of Brazilian art. The State’s characteristic plasticity,
as an expressive force, has been able to organize itself
into a movement, since the first half of the 1960’s, and
to decentralise the circuit of Brazilian art, bringing it to
the inner regions of the country. By the way, the cultural
panorama of Mato Grosso owes a lot to this artist. Besides
leaving us a legacy of the purest portrait of this expanding
and in-transit society, her art is situated, with the same
indelible quality, along with the best art of Mato Grosso. As
an artist and as a personality, Dalva has contributed greatly
towards the formation and development of art here. The
person and the work have revealed themselves as a basic
means of support to the process of promoting the visual arts
movement triggered off by the Museu de Arte e Cultura
Popular da Universidade Federal de Mato Grosso and by the
Fundação Cultural do Estado, both through their relationship
with young locally revealed artists, and as a source of visual,
formal and reflexive inspiration.
Dalva took the art studios onto the streets, to the picturesque
places. She organized true urban painting expeditions on
behalf of the register of an iconography of the city, widening,
in this way, with her aesthetic contribution, the cultural
themes of the “Cuiabania” (the people from Cuiabá). She
provides the foundations for discussions on the urban historic
heritage of the city. She attracts followers. The register of
a Cuiabá that would become extinct, now grows. Even if
others did not continue to simply repeat such a kind of record
keeping with this great spirit of sincerity and unattachment,
it still served the purpose of creating a local foundation for
the leap that these artists would make in their work, without
abandoning the origin of their roots.
que desapareceria. Se outros não continuaram a
simplesmente repetir tal tipo de registro com esse
grande espírito de sinceridade e despojamento, serviu
para criar um embasamento cuiabano para o salto
que esses artistas dariam em seus trabalhos sem
abandonar a origem de suas raízes.
Aline Figueiredo
10
Detalhe da tela “Igreja do Rosário“ Detail
Olhando o conjunto de sua obra podemos, hoje,
perceber que a cultura cuiabana, especificamente,
seria muito menos enriquecida sem a pintura de
Dalva. Ela pintou sua arquitetura, religiosidade,
seus tipos característicos e seus eventos sociais e
políticos. Portanto, não seria demais considerá-la a
grande intérprete da alma cuiabana. Ao apreciarmos
a extensão de sua abordagem, sentimos a riqueza
desta terra e sua pintura nos deixa orgulhosos. Sua
pintura nos faz sentir que neste coração do Continente
Sulamericano palpita um Brasil diferente, resistente e
novo. Ela nos presenteia com a tradição. Conquista
para Cuiabá, no tempo e no espaço, uma história na
Looking at the whole of her work, we can, today, notice
that the culture of Cuiabá, specifically, would be a lot
less enriched without Dalva’s painting. She painted its
architecture, its religious feelings, its characteristic human
types, its social and political events. Therefore, it would not
be too much to consider her the great interpreter of the local
people’s soul. As we appreciate the extent of her approach,
we feel the wealth of this land and her painting makes us
proud. It makes us feel that here, in the heart of the SouthAmerican continent, a different Brazil lives, resilient and new.
She gives us tradition as a present. She conquers, for Cuiabá,
in time and in space, a history in the language of aesthetics,
turning it into a city that has not left everything behind on
the path between leaving isolation and arriving at the year
2000 as a metropolis.
linguagem da plástica, tornando-a assim uma cidade
que nem tudo deixou pelo caminho, entre sair do
isolamento e chegar metropolitanamente no ano 2000.
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
11
Detalhe da tela “Igreja de Santa Luzia“, no RJ Church of Santa Luzia, Detail
Aline Figueiredo
12
Sumário
15
17
Roteiro Biográfico
Summary
Biographical Itinerary
Dalva, Infância e Juventude, entre os
Garimpos da Memória (1935-1959)
Dalva, Childhood and Youth, in Search of Memories (1935-1959)
29
No Universo do Garimpo, Pinta uma Estrela (1960-1972)
In the Universe of Prospecting, a Star Shines (1960-1959)
37
Dalva em Cuiabá – A Afirmação da Pintura
e a Importância da sua Contribuição (1973-2000)
Dalva in Cuiabá – Consolidation of Painting
and the Importance of her Contribution (1973-2000)
102
104
Verbete
Entry
Contribuições Bibliográficas
Bibliographical Contributions
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
13
Aline Figueiredo
14
Biographical Itinerary
Roteiro Biográfico
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
15
Detalhe da tela “Praça de Rosário Oeste“ Square of Rosário Oeste, Detail
Aline Figueiredo
16
Dalva, Infância e Juventude,
entre os Garimpos da Memória
1935-1959
Dalva, Childhood and Youth,
in Search of Memories
1935–1959
Em meados da década de 1930, quando Dalva
Maria de Barros nasceu em Cuiabá, o velho
Mato Grosso e mesmo todo o Centro-Oeste eram
ainda um mundão vazio de dentro a desafiar a
expansão ocupacional brasileira.
By the mid-1930’s, when Dalva Maria de Barros was born,
in Cuiabá, the old Mato Grosso and even the whole of the
Mid-West were still a large empty inner world which defied
the country’s population expansion.
Surely the immense Mid-West, with approximately 1.6 million
Km2, nowadays spread among the States of Goiás, Mato
É certo que o imenso Centro-Oeste, com
aproximadamente 1,6 milhões de Km2, hoje
Grosso and Mato Grosso do Sul, has lived an important
distribuídos pelos Estados de Goiás, Mato Grosso
e Mato Grosso do Sul, tenha vivenciado um
passado histórico importante no processo de
alargar e garantir as dimensões das fronteiras
do País. Evidentemente que, nas lonjuras destas
terras riquíssimas em minerais preciosos, só
mesmo a aventura do garimpo poderia alimentar
ambições capazes de motivar o início do
povoamento da região, ainda na primeira
metade do século XVIII. Cuiabá, em Mato Grosso,
Vila Boa e outros sítios no sertão de Goiás, são
exemplos de núcleos mineradores que atraíram,
de um momento para o outro, um grande
contingente populacional do litoral e de alémmar para tão remoto interior.
the dimensions of the country’s borders. Clearly, in these far-
historical past in the process of enlarging and guaranteeing
off lands rich with precious minerals, only the adventure of
gold prospecting could feed ambitions capable of motivating
the beginning of the region’s occupation, still in the first half
of the eighteenth century. Cuiabá, in Mato Grosso, Vila Boa,
and other sites in the backwoods of Goiás, are examples of
gold prospecting centres which attracted, overnight, a large
number of people from the coast and from overseas to such
a remote interior.
Dalva de Barros – Garimpos da Memória
17
Download

Dalva de Barros – Garimpos da Memória 1