DIAGRAMAÇÃO
Margens
 Margens
são mais do que pedaços de papel
morto emoldurando e circundando a área
de página viva. A tentação é reduzi-las a
uma largura mínima, para desperdiçar o
menor espaço possível, mas elas podem
agregar valor se usadas com uma intenção
definida.

As margens não
precisam ter a
largura padrão
de meia
polegada. Isso é
apenas o padrão
mínimo para
garantir que nada
importante seja
cortado fora depois
que a publicação
estiver
encadernada.

Uma moldura
generosa dignifica
o que envolve, dandolhe uma aura de valor
e uma conotação de
luxo. Um anel de
diamantes parece
especial ao ser exibido
sozinho numa bandeja
forrada de veludo. Um
objeto único, isolado,
parece mais
importante (e mais
caro) do que se estiver
mergulhado entre
dúzias de outros.

As margens
externas criam
um padrão de
moldura esperado
conforme as páginas
são folheadas e
varridas pelo olhar.
Sua regularidade
controlada,
consistente, defineas como parte do
pacote editorial
maior. Isso contrasta
com os anúncios,
cujos perímetros
costumam ser mais
irregulares.

As partes de
fora das
páginas são as
áreas mais
vistas. Quando
seguramos as páginas
na mão, apenas as
metades de fora são
reveladas a quem
folheia. Aproveite-as
ao máximo. Coloque
o melhor material
onde seja mais
visível e possa trazer
mais benefícios. As
pessoas são atraídas
por fotos, tipologia
grande (que diga algo
interessante) e
fragmentos de
qualquer coisa. É
para onde elas
querem ir.

A largura das margens internas é afetada pelo modo de
encadernação. Facilite as coisas para o leitor: evite que a tipologia se
esconda na dobra em publicações mais volumosas deixando a margem
interna ("dobra") mais larga que o normal. Publicações de lombada
grampeada e de lombada quadrada podem ter margens internas mais
estreitas, mas as de espiral na lateral precisam quase do mesmo espaço
generoso que as de três furos ou de encadernação mecânica.

O sangramento
produz uma
ilusão que faz com
que a imagem pareça
se estender para o
espaço além do
limite da página. A
parte impressa é
percebida apenas
como uma pequena
fatia de um todo
maior. O
sangramento
aumenta a página na
imaginação do
observador, e isso
fortalece o impacto
não só da página,
mas também do
assunto da foto.
Não utilize os sangramentos em fotos de produtos, cujo
fundo neutro é apenas um fundo. Reserve-os para
situações em que essa expansão faça sentido. Aqui, o
céu se prolonga para além da parte de cima da página, o
primeiro plano para baixo, o horizonte para os lados
esquerdo e direito .

Chame atenção
com um forte
sangramento.
Ele destrói uma parte
da moldura e assim
elimina uma pequena
parte do padrão que
o observador
esperava encontrar.

O valor da imagem
justifica prejudicar o
padrão. Por isso evite
míni-sangramentos
insignificantes e
sangre grande.

Não se dê ao
trabalho de
interromper
uma moldura
estreita com uma
pequena foto - não
faz muito sentido
incluir uma pequena
ilustração que
ninguém irá notar.
Para conseguir o
máximo efeito
espalhe grandes
fotos na moldura.

Abaixe a
margem
superior
quando achar
necessário. Isso
não é desperdiçar
espaço, mesmo que este
pudesse ser preenchido
com mais um par de
linhas de texto. Quanto
mais o texto sobe para o
alto da página, mais esta
parece opressiva e
agressiva.

Uma margem superior
generosa ("afundada") dá
uma sensação leve e
relaxada ao produto
editorial. Também
constitui um fundo mais
adequado para sinais,
que são mais perceptíveis
quando há mais espaço.

A maneira
tradicional de
definir margens
de livros bem
proporcionadas:

1) desenhe linhas
diagonais;

2) coloque as margens
externas onde achar
que devem ir;

3) onde elas cruzarem
as diagonais devem
ficar as margens
inferiores;

4) a margem da dobra
deve ter metade da
largura da margem
externa;

5) nos pontos em que
suas linhas cruzarem a
diagonal, devem ser
posicionadas as
margens superiores.

Deixe uma faixa
de espaço extra
larga (como a
antiga "margem
acadêmica" para
fazer anotações nos
livros) como um
espaço aberto para
material acessório – o
boneco do autor,
biografia, linhas
marginais, notas,
referências cruzadas,
mapas etc. .

Atravesse a
área
emoldurada
atraindo o
olhar para o
elemento enfatizado
ali situado. Assim
como um fio puxado
de um gráfico
focaliza o olhar no
elemento indicado,
também a página
pode ser manipulada
para aproveitar esse
truque despertando
curiosidade

Crie contraste
entre o alto
das colunas
alinhado e o pé
desalinhado.
Cuidado!!
As diferenças de comprimento das colunas devem
ser grandes o suficiente para mostrar que você teve a
intenção de que ficassem desse jeito.
Uma linha ou duas de diferença parecerá falta de
precisão, mas meia dúzia de linhas já dá a impressão
de algo proposital.
Atividade

Escolha uma das 4 proposta de layout já desenvolvidos e
aplique as teorias apresentadas sobre margens
Download

DIAGRAMAÇÃO