O Sumário
Executivo
CCE: Estabelecimento de
Metas.
www.cordeiroeaureliano.com.br
nivea@cordeiroeaureliano.com.br
2012
Dinâmica
• O Norte
– Para quem não sabe
o caminho…..
– qualquer direção
basta!
Sumário Executivo
• O que é e como fazer?
O sumário executivo é um resumo do PLANO
DE NEGÓCIO.
Não se trata de uma introdução ou
justificativa e, sim, de um sumário
contendo seus pontos mais
importantes.
Nele irá constar:
1 SUMÁRIO EXECUTIVO
1.1 Resumo dos Principais Pontos do Plano de Negócio
1.2 Dados dos Empreendedores, Experiência
Profissional e Atribuições
1.3 Dados do Empreendimento
1.4 Missão da Empresa
1.5 Setores de Atividades
1.6 Forma Jurídica
1.7 Enquadramento Tributário
1.8 Capital Social
1.9 Fonte de Recursos
• Embora o sumário
executivo compreenda
a primeira parte do
plano, ele só deve ser
elaborado após a
conclusão do mesmo.
• Ao ser lido por
interessados, ele
deverá deixar clara a
idéia e a viabilidade de
sua implantação.
1.1 Resumo dos Principais Pontos do
Plano de Negócio
Ao descrever o plano, faça um breve relato com suas principais
características. Procure mencionar:
a) O que é o negócio;
b) Quais os principais produtos e/ou serviços;
c) Quem serão seus principais clientes;
d) Onde será localizada a empresa;
e) O montante de capital a ser investido;
f) Qual será o faturamento mensal;
g) Que lucro espera obter do negócio;
h) Qual a lucratividade e rentabilidade
esperadas;
i) Qual o ponto de equilíbrio e em quanto
tempo espera que o capital investido
retorne.
1.2 Dados dos Empreendedores,
Experiência Profissional e Atribuições
Você irá informar os dados dos responsáveis pela
administração do negócio.
Faça uma breve apresentação de seu perfil,
destacando seus conhecimentos, habilidades e
experiências anteriores.
Pense em como será possível utilizar isso
a favor do seu empreendimento.
Fique atento a alguns pontos como:
a) Escolha equivocada de sócios: analise se os
objetivos dos sócios são os mesmos, tendo em vista
o grau de ambição de cada um e a dimensão que
desejam para o negócio;
b) Divida as tarefas antes de montar a empresa;
c) Defina o campo de atuação e
horários de trabalho;
d) Defina, com antecedência, o valor
da retirada pró-labore (remuneração
dos proprietários), como será feita
a distribuição dos lucros e o quanto
será reinvestido na empresa;
e) Estabeleça o grau de autonomia de cada um
e até que ponto um dos envolvidos pode,
sozinho, tomar decisões;
f) Determine se os familiares poderão ser
contratados e quantos por parte de cada
sócio.
g) Sempre escolha funcionários
e parceiros em conjunto;
h) Defina o que acontecerá com a sociedade
quando um dos sócios falecer ou não puder
mais trabalhar.
i) Determine um sistema de sucessão;
j) Escreva todos os pontos que
possam gerar atritos futuros
em um contrato assinado
pelos sócios.
 Tenha claro que o que vai contribuir para a
permanência de uma sociedade é algo tão simples
como o que mantém um casamento: diálogo e
clareza.
 Conflitos são inevitáveis, o que importa é a maneira
de resolvê-los.
 Verifique se seu futuro sócio não possui restrições
cadastrais ou pendências junto a órgãos como a
Receita Federal, Secretaria de Estado da
Fazenda e INSS.
 Situações como essas podem
dificultar o acesso a crédito junto
a fornecedores e bancos, além de
impedir o registro do negócio.
1.3 Dados do empreendimento
Nesta etapa, você irá informar o
nome da empresa e o número de
inscrição no CNPJ (Cadastro
Nacional de Pessoas Jurídicas),
se a mesma
já estiver
registrada.
1.4 Missão da empresa
A missão da empresa é o papel que ela desempenha
em sua área de atuação.
É a razão de sua existência hoje e representa o seu
ponto de partida, pois identifica e dá rumo ao
negócio.
Para definir a missão, procure
Responder às seguintes perguntas:
Para definir a missão, procure responder
às seguintes perguntas:
a) Qual é o seu negócio?
b) Quem é o consumidor?
c) O que é valor para o
consumidor?
d) O que é importante para
os empregados,
fornecedores,
sócios, comunidade, etc.
Veja alguns exemplos de missão:
Criar produtos e serviços que enalteçam a
beleza e promovam o
bem-estar das pessoas, traduzindo
essa intenção em valores percebidos
pelos clientes, para conquistar
a sua fidelidade e assegurar o
crescimento e a
rentabilidade do negócio.
Refrescar o mundo - em corpo, mente e
espírito.
Inspirar momentos de otimismo - através de
nossas marcas e ações.
Criar valor e fazer a diferença - onde
estivermos, em tudo o que
fizermos.
Desenvolver, produzir e comercializar
carros e serviços que as pessoas
prefiram comprar e tenham orgulho de
possuir, garantindo a criação de valor e a
sustentabilidade do negócio.
Contribuir para o crescimento
nacional, trabalhando para
desenvolver atividades inovadoras e
de excelência no campo do ensino e
pesquisa.
1.5 Setores de Atividade
• Defina qual é o negócio de sua empresa:
– Agropecuária (negócios cuja atividade principal diz respeito ao
cultivo do solo: vegetais (legumes, hortaliças, sementes, frutos,
cereais, etc.) e/ou a criação e tratamento de animais (bovino,
suíno, etc.).
Exemplos: plantio de pimenta, cultivo de laranja, apicultura,
criação de peixes ou cabras).
– Indústria (são as empresas que transformam
matérias-primas em produtos acabados, com
auxílio de máquinas ou manualmente.
Abrange desde o artesanato até a moderna
produção de instrumentos eletrônicos.
Exemplos: fábrica de móveis,
confecção de roupas, marcenaria).
1.5 Setores de Atividade
– Comércio (são as empresas que vendem mercadorias
diretamente ao consumidor (comércio varejista) ou aquelas que
compramdo fabricante para vender para o varejo (comércio
atacadista).
Exemplos: papelaria, lanchonete, loja de roupas,
distribuidora de bebidas.
– Prestação de serviços (são as empresas cujas atividades
não resultam na entrega de mercadorias e, sim,
no oferecimento do próprio trabalho ao consumidor.
Exemplos: lavanderia, oficina mecânica, escola infantil).
1.6 Forma Jurídica
O primeiro passo para que uma empresa exista é a sua
CONSTITUIÇÃO formal.
Para tanto, é necessário definir sua forma jurídica.
A forma jurídica determina a maneira pela qual ela será tratada
pela lei, assim como o seu relacionamento jurídico com
terceiros.
Poderá ser:
1.6 Forma Jurídica
Sociedade Limitada:
Nesse tipo de empresa duas ou mais pessoas associam-se para a
criação de uma pessoa jurídica, com existência e patrimônio
distintos da pessoa física dos sócios.
Quem exerce a atividade empresarial é a sociedade (representada
pelos seus administradores), e quem responde pelas dívidas
contraídas é o patrimônio da sociedade.
Em síntese, a responsabilidade dos sócios é limitada.
Mas cuidado!
Havendo indícios de abuso ou confusão patrimonial,
a personalidade jurídica pode ser desconsiderada,
respondendo então os sócios e administradores
pelos débitos.
1.6 Forma Jurídica
Empresário:
É aquele que exerce individualmente e de maneira organizada
atividades voltadas para a produção ou comercialização de bens e
serviços, sendo obrigatório seu registro na Junta Comercial.
Não há a presença de sócios e o proprietário assume
integralmente a responsabilidade pelos resultados e riscos.
Nesse tipo de empresa, o dono responsabiliza-se pelas
obrigações da empresa, que são ILIMITADAS,
isto é, o patrimônio pessoal pode ser exigido para
o pagamento de certas dívidas, como por exemplo:
débitos trabalhistas, com fornecedores, tributos,
danos ao consumidor, danos ambientais, etc.
1.7 Enquadramento tributário
Basicamente, a pequena empresa pode adotar duas
formas diferentes para o cálculo e o recolhimento
dos impostos:
• Junto ao Governo Federal: o REGIME NORMAL (lucro
real, lucro presumido) ou o REGIME SIMPLES
NACIONAL;
• Junto ao Governo Estadual: ICMS (no simples Nacional
já está incluso) ou Débito e Crédito;
• Junto ao Governo Municipal: ISS.
1.8 Capital Social
O capital social é representado por todos
os recursos (dinheiro, equipamentos,
ferramentas, etc.) colocado(s) pelo(s)
proprietário(s) para a montagem do
negócio.
No caso de uma sociedade, será
preciso determinar o valor do
capital que cada sócio irá
investir e o seu percentual.
1.9 Fonte de Recursos
Determinar de que maneira serão obtidos os recursos para a
implantação da empresa.
Para o início das atividades, o empreendedor pode contar com
recursos próprios, de terceiros ou com ambos.
Recursos próprios envolvem a aplicação por parte do(s)
proprietário(s) do capital necessário para a abertura
da empresa;
Recursos de Terceiros compreende a busca
de investidores ou de empréstimos junto
a instituições financeiras.
Para encerrar….
Os japoneses sempre
adoraram peixe fresco.
Porém, as águas perto do Japão não
produzem muitos peixes há décadas.
Assim, para alimentar a sua população, os
japoneses aumentaram o tamanho dos
navios pesqueiros e começaram a pescar
mais longe do que nunca.
Quanto mais longe os pescadores iam, mais
tempo levava para o peixe chegar.
Se a viagem de volta levasse mais do que
alguns dias, o peixe já não era mais
fresco.
E os japoneses não gostaram do gosto
destes peixes.
Para resolver este problema, as empresas
de pesca instalaram congeladores em
seus barcos.
Eles pescavam e congelavam os peixes em
alto-mar.
Os congeladores permitiram que os
pesqueiros fossem mais longe e ficassem
em alto mar por muito mais tempo.
Os japoneses conseguiram notar a
diferença entre peixe fresco e peixe
congelado e, é claro, eles não gostaram
do sabor do peixe congelado.
Entretanto, o peixe congelado tornou os
preços mais baixos.
Então, as empresas de pesca instalaram
tanques de peixe nos navios pesqueiros.
Eles podiam pescar e enfiar esses peixes nos
tanques, como sardinhas.
Depois de certo tempo, pela falta de espaço,
eles paravam de se debater e não se moviam
mais.
Eles chegavam vivos, porém
cansados e abatidos.
Infelizmente, os japoneses ainda podiam
notar a diferença do gosto.
Por não se mexerem por dias, os peixes
perdiam o gosto de frescor.
Os consumidores japoneses preferiam o
gosto de peixe fresco e não o gosto de
peixe apático .
Como os japoneses resolveram este
problema?
Como eles conseguiram trazer
ao Japão peixes com gosto de puro frescor?
Antes da resposta, leia o que vem abaixo:
Quando as pessoas atingem seus objetivos, tais como:
quando encontram uma namorada(o) maravilhosa(o),
quando começam com sucesso numa empresa nova,
Quando pagam todas as suas dívidas, ou o que quer que
seja, elas podem perder as suas paixões, elas podem
começar a pensar que não precisam mais trabalhar
tanto, então, relaxam.
Elas passam pelo mesmo problema dos ganhadores de
loteria, que gastam todo seu dinheiro, o mesmo
problema de herdeiros, que nunca crescem, e de donasde-casa, entediadas, que ficam dependentes de
remédios de tarja preta.
Para esses problemas,
inclusive no caso dos
peixes dos japoneses, a
solução é bem simples..
L. Ron Hubbard observou, no começo dos anos 50: “O homem
progride, estranhamente, somente perante a um ambiente
desafiador”.
Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é, mais você
gosta de um bom problema.
Se seus desafios estão de um tamanho correto e você consegue,
passo a passo, conquistar esses desafios, você fica muito feliz.
Você pensa em seus desafios e se sente com mais energia.
Você fica excitado e com vontade de tentar novas soluções.
Você se diverte.
Você fica vivo!
Para conservar o gosto de peixe fresco, as
empresas de pesca japonesas ainda colocam
os peixes dentro de tanques, nos seus barcos,
mas, eles também adicionam um pequeno
tubarão em cada tanque.
O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos
peixes chega muito vivo e fresco no
desembarque.
Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos
tanques.
Portanto, como norma de vida, ao invés de evitar
desafios, pule dentro deles.
Massacre-os.
Curta o jogo.
Se seus desafios são muito grandes e numerosos,
não desista! Se reorganize!
Busque mais determinação, mais conhecimento e
mais ajuda.
Uma vez que suas necessidades pessoais ou
familiares forem atingidas, vá ao encontro
dos objetivos do seu grupo, da sociedade e,
até mesmo, da humanidade.
Crie seu sucesso pessoal e não se acomode
nele.
Você tem recursos, habilidades e destrezas
para fazer a diferença.
Ponha um tubarão no seu tanque e veja quão
longe você realmente pode chegar...
Até a próxima aula!
Download

Happy stars template - Cordeiro e Aureliano