XML (eXtensible Markup Language)
W3C - World Wide Web Consortium
Url: www.w3c.org/
Documentos TXT estruturados?
Por que XML?
XML, ou eXtensible Markup Language, é uma linguagem
definida para que o usuário possa criar suas próprias
marcações. Foi criada pelo consórcio “World Wide Web
Consortium (W3C)” para solucionar limitações da HTML, a
Hypertext Markup Language que é a base para páginas
Web.
HTML
Dados HTML podem ser transferidos e visualizados em
palmtops, mainframes, podem ser convertidos em voz e em
outros formatos também.
<p><b>José de Almeida</b>
<br>
Rua Januário, no. 1401
<br>
São Carlos, SP, 13562-310
</p>
<p><b>José de Almeida</b>
<br>
Rua Januário, no. 1401
<br>
São Carlos, SP, 13562-310
</p>
José de Almeida
Rua Januário, no. 1401
São Carlos, SP, 13562-310
Como pesquisar o CEP em uma aplicação?
<p><b>José de Almeida</b>
<br> Rua Januário, no. 1401 <br>
São Carlos, SP, 13562-310
</p>
<endereco>
<nome>
<primeiro-nome> José </primeiro-nome>
<sobrenome> de Almeida </sobrenome>
</nome>
<rua> Januário </rua>
<numero> 1401 </numero>
XML
<cidade> São Carlos </cidade>
<estado> SP </estado>
<CEP> 13562-310 </CEP>
</endereco>
XML
≠
HTML
1.Novas marcas podem ser definidas à vontade;
2.Estruturas podem ser aninhadas a profundidades arbitrárias;
3.Um documento XML pode conter uma descrição opcional de
sua gramática.
HTML - preocupação com a apresentação!
XML - preocupação com o conteúdo!
Sintaxe Básica XML
Elementos
Elemento
<elemento> ....
</elemento>
<pessoa>
<nome> Natália
<idade> 25
</pessoa>
</nome>
</idade>
Subelementos
Elementos são utilizados como receptores de conteúdo para descrever texto;
•
•
Elementos são utilizados para construir a estrutura dos documentos;
E1
Elemento
<tabela>
<descrição>
Pessoas
na
</descrição>
<pessoas>
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
</pessoa>
<pessoa>
<nome> Maria </nome>
<idade> 26 </idade>
</pessoa>
</pessoas>
</tabela>
platéia
E2
<tabela>
<descrição> Pessoas na platéia </descrição>
<pessoas>
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
</pessoa>
<pessoa>
<nome> Maria </nome>
<idade> 26 </idade>
</pessoa>
</pessoas>
</tabela>
Marcas devem ser armazenadas adequadamente;
•
•
•
Marcas são sensíveis à sintaxe;
Todo documento XML tem que ter uma marca raiz;
Obs: podem ocorrer elementos vazios!
<elemento/>
Sintaxe Básica XML
Atributos
Atributos
<elemento nome_atributo=“valor”> Conteúdo </elemento>
<produto>
<nome origem=“Brasileira” > Celta </nome>
<preco moeda=“real”> 13.000 </preço>
</produto>
•
•
Atributos são utilizados para descrever características de elementos;
•
Atributos podem ocorrer em marcas iniciais ou marcas vazias;
Atributos podem conter vários valores, mas devem ser únicos;
<elemento nome_atributo=“valor”/>
Exemplos:
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
Ou
<pessoa nome=“Natália” idade=“25" [email protected]/>
Ou
<pessoa idade=“25">
<nome> Natália </nome>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
E4
Sintaxe Básica
Referências de entidade
&amp;
&lt;
¯ usado para mostrar o caracter &
¯ usado para mostrar o caracter <
&gt;
¯ usado para mostrar o caracter >
&apos;
¯ usado para mostrar o apóstrofo ‘
&quot;
¯ usado para mostrar o caracter “
São entidades pré-definidas!
XML e Dados Semi-estruturados
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
XML
{pessoa: {nome: “Natália”, idade: 25, e-mail:
[email protected]}}
Dados Semi-estruturados
Referências de XML
<organizacao>
<estado codigo_est =“e2">
<código_e> SP </código_e>
<nome_e> São Paulo </nome_e>
</estado>
<cidade codigo_cid = ”c2">
<codigo_c> SCar </codigo_c>
<nome_c> São Carlos </nome_c>
<estado codigo_ref=”e2"/>
</cidade>
</organizacao>
Construtores
<?xml version="1.0" encoding="ISO-8859-1" ?>
Indicação da versão da XML
<?xml version = "1.0"?>
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
Construtores
<?xml version="1.0" encoding="ISO-8859-1" ?>
Indicação do conjunto de
caracteres possíveis.
<?xml version="1.0" encoding="ISO-8859-1 "?>
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
Construtores
Comentários
<!-- isto é um comentário -->
<?xml version="1.0"?>
<!-- Natália é estudante de Filosofia -->
<pessoa>
<nome> Natália </nome>
<idade> 25
</idade>
<e-mail> [email protected] </e-mail>
</pessoa>
Uso da XML
XML simplificam troca de dados.
Diferentes organizações (ou ainda, diferentes partes de uma mesma
organização) raramente padronizam um conjunto de ferramentas;
usando XML, cada grupo cria um utilitário simples que transforma
seus dados internos para formato XML e vice-versa;
XML possibilita código inteligente.
Documentos podem ser estruturados para identificar toda peça
importante de informação (assim como os relacionamentos entre as
peças), tornando possível o processamento de código de
documentos XML sem a intervenção humana.
XML possibilita pesquisas inteligentes
Documentos Inválidos, válidos e bem-formados
Existem três classes de documentos XML:
1.Inválidos – documentos que não seguem as regras de
sintaxe da especificação XML;
2.Válidos - documentos que seguem as regras de sintaxe
da especificação XML e as regras definidas em sua DTD
ou Schema (esquema);
3.Bem formados – documentos que seguem as regras de
sintaxe da especificação XML, mas que não têm uma DTD
ou um Schema;
<?XML version="1.0">
<!-comentários e instruções de processamento>
<!DOCTYPE livros SYSTEM "http://dc.ufscar.br/~mauro/livros.dtd">
<!-comentários e instruções de processamento>
<livros>
<livro categoria="referência">
<autor>Serge Abiteboul</autor>
<título> Gerenciando Dados na Web </tíulo>
<preço> 40 reais </preço>
< /livro>
<livro categoria="Botânica">
<autor>Inês Araújo</autor>
<título> Árvores para reflorestamento </título>
<preço> 25 reais </preço>
< /livro>
</livros>
<!-comentários e instruções de processamento>
Prólogo
Corpo
Epílogo
Download

pessoa