jornal@jornalinconfidencia.com.br
l
O
BELO HORIZONTE, 30 DE SETEMBRO DE 2012 - ANO XVIII - Nº 182
ESTÁ FALTANDO UM...
chamado mensalão, em julgamento rupção escandalosa era o “Ovo da Serpenno STF, é apenas uma pequena parce- te”. César Benjamin conta que, após escutar
la de todo um processo fraudulento de que deveria esquecer o que descobrira,
desvios de recursos públicos, usados para abandonou o Partido.
Nos anos que se seguiram, escândacompra de apoios políticos e para enriquecimento ilícito, ocorrido, de formas diver- los outros, visando carrear dinheiro público
sas, nos níveis federal, estadual e muni- para os cofres do PT, negociatas e enriquecipal, nunca antes em proporção tama- cimentos ilícitos, não apurados devidamennha, na História deste País, tendo à frente te, como os da prefeituras de São Paulo,
o Partido dos Trabalhadores e comanda- destacando-se as mortes nebulosas do
Toninho do PT e de Celso Daniel, ocorredo por Lula e seus asseclas.
O início desse processo veio à tona, ram. Licitações fraudadas nas diversas áretempos atrás, numa entrevista, concedi- as de governos, obras fictícias e inacabadas,
da à TV Bandeirantes, pelo ex-guerrilheiro desvios de recursos públicos em todo o
País, envolvendo goverCésar Benjamin, sociónos do PT, partidos e polílogo e professor, coor- Está faltando aquele que
ticos de sua base de apoio,
denador das duas pricorrompeu, manipulou,
com prejuízos incalculámeiras campanhas de
escondeu,
comandou
veis para o Tesouro NaciLula, em 1989 e 1994. Em
toda a podridão que
onal, se sucederam. O
desacordo com o que
ocorria, ao contrário do envergonha, como nunca mensalão descortinou a
dantes na história desse
podridão que perpassava
que pregava o PT, deos governos Lula e mosnunciou o amplo procesPaís, toda uma Nação.
trou a quadrilha que, de
so de corrupção em gesdentro do palácio do Platação, fonte inesgotável
de recursos que iria alçar e manter, duran- nalto, confirmando a antevisão de César
te anos, o PT e sua camarilha dominante, Benjamin, gestava o “ovo da serpente”.
Entretanto, está faltando alguém...
no Poder.
Contou César Benjamin, que, em 1993, Falta aquele que nada sabia, nada ouvia e
Lula nomeou um desconhecido professor nada via, mas que, hoje, tem grande fortuna
primário, Delúbio Soares, para representan- incompatível com os rendimentos que
te da CUT no conselho do FAT, Fundo de auferiu durante todos esses anos. Aquele
Assistência ao Trabalhador, possuidor, à que mostrou não saber o que significa ser
época, de cerca de 30 bilhões de reais do ético, mentindo a cada passo, deturpanFGTS. Este conselho, do qual fazem parte as do fatos verdadeiros, tentando pressiocentrais sindicais, decide como aplicar o nar ministros do STF para inocentar cridinheiro do FAT. Na campanha de Lula, em minosos, mostrando-se ébrio contumaz,
1994, César Benjamin descobriu que o gros- dando vexames e conspurcando a imaso do dinheiro do PT vinha do FAT, crimi- gem presidencial mundo afora. Aquele
nosamente manipulado por Delúbio e ar- que corrompeu, manipulou, escondeu,
comandou toda a podridão que envergoquitetado por Lula e José Dirceu.
Benjamin não aceitou o desvio de nha, como nunca dantes na história desdinheiro do FAT, discordando de Lula e de se País, toda uma Nação.
ESTÁ FALTANDO UM...
Dirceu, tendo dito a ambos que aquela cor-
l
"ORVIL"
TENTATIVAS DE TOMADA DO PODER
O
lançamento do livro “ORVIL Tentativas de Tomada do Poder”,
na tarde de 20 de setembro, na Sede Central do Clube Militar, pode ser considerado como um dos acontecimentos mais marcantes ocorridos no ano 2012, naquele
tradicional sodalício, intitulado, com
muita propriedade, “A Casa de República”, palco de fatos memoráveis que enriqueceram a História do Brasil, durante os
seus 125 anos de gloriosa existência.
LEIA NA PÁGINA 23
O CENTENÁRIO DE NELSON RODRIGUES
Aplausos a Médici
PÁGINA 26
A DOUTRINAÇÃO, A PROSTITUIÇÃO E A COMUNIZAÇÃO DA
EDUCAÇÃO PROMOVIDA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
O
O MENSALÃO
PÁGINA 27
nosso STF está se mostrando por inteiro nesse julgamento do mensalão.
Vaidades e mais vaidades
desfilam pela TV. Percebe-se nitidamente que há ministros (Toffoli e Lewandowski) que não desejam, de forma alguma, que o
julgamento tenha seu curso normal. Obstáculos se criam a todo
momento para tentar absolver
os mensaleiros.
É de se destacar a frase abaixo, proferida pelo Ministro Joaquim Barbosa, a 15 de agosto, que
merece ser difundida e lida por
todos os brasileiros, pela profundidade que contém. Ela retrata bem o ambiente que viceja
naquele Tribunal. A pura verdade!
“Cada país tem o modelo de Justiça que merece. Uma Justiça que se deixa agredir
ou se deixa ameaçar por uma guilda ou membro de uma guilda sabe o fim que lhe é
reservado. Eu lamento…”
(Ministro Joaquim Barbosa ao ser vencido pelo pleno do Tribunal, em proposição que
pedia que a OAB ouvisse advogados que o ofenderam e ao Tribunal, por extensão.)
AS FORÇAS ARMADAS TÊM O DEVER SAGRADO DE IMPEDIR,
A QUALQUER CUSTO, A IMPLANTAÇÃO DO COMUNISMO NO BRASIL.
Nº 182 - Setembro/2012
22
A BALELA DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO
Tendenciosidades ideológicas vêm manipulando a Constituição, a Lei da Anistia, e até mesmo forjando leis menores,
para que juristas e políticos consigam cometer repulsivo escracho demagógico contra militares que atuaram,
a partir de 1964, na repressão à tentativa de tornar comunista o nosso país.
O
Estado Democrático de Direito bra- autoridades governamentais. Estas acosileiro é destinado a assegurar o bertam ações violentas de associações
exercício dos direitos sociais e individu- ilegais, enquanto procuradores e juízes,
ais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o por manobras jurídicas escusas, portandesenvolvimento, a igualdade e a justiça to, ao arrepio da lei em vigor, fazem com
como valores supremos de uma socieda- que militares, já reformados, sejam exede fraterna, pluralista e sem preconcei- crados perante a opinião pública, por
tos, fundada na harmonia social e com- pretensos crimes, julgados injustamente
prometida, na ordem interna e internaci- e condenados indevidamente. São militaonal, com a solução pacífica das contro- res reformados, mas segundo o Estatuto
vérsias. Tem como fundamentos:
dos Militares, ainda, pertencentes à InsI - a soberania;
tituição e, consequentemente, abandoII - a cidadania;
nados à própria sorte.
III - a dignidade da pessoa humaEstão, esses militares, sendo durana;
mente atingidos em face do revanchismo
IV - os valores sociais do trabalho ideológico daqueles que não os perdoam
e da livre iniciativa;
por terem, em operações de combate,
V - o pluralismo político.
derrotado a subversão armada comunisAssim, tal Estado de Direito deve- ta, nas décadas de 60 e 70, cumprindo,
ria ser caracterizado pelo respeito legalmente, ordens superiores, impedinirrestrito de todo e qualquer cidadão à lei do a instalação, no Brasil, de uma ditadumagna da Nação, a sua Constituição, e às ra sanguinária.
demais leis. Diríamos, ainda, que tal EsO caso do Cel Ustra tem sido emtado traduziria o “Império da Lei”, impé- blemático pela série de processos que
rio este legalmente garantido, em última vem respondendo sem que o Exército, na
instância, pelo emprego dos meios vio- pessoa de seus comandantes, assuma a
lentos de que são possuidoras as Forças responsabilidade respectiva, pois, o Cel
Armadas, cuja destinação constitucio- Ustra, na Ativa, cumpriu o seu dever lenal, de amplo conhecimento, está ex- gal como Agente do Estado, não devenplicitada no Art. 142 da Lei
do responder pelas acusaO caso do Cel Ustra
Magna: “As Forças Armações levianas de que é alvo.
tem sido emblemático
das, constituídas pela MariA lei é explícita quando afirpela série de processos
nha, pelo Exército e pela Aema: “As pessoas jurídicas
que vem respondendo
ronáutica, são instituições
de direito público (no caso
sem que o Exército, na
nacionais permanentes e reo Exército) e as de direito
pessoa de seus
gulares, organizadas com
privado prestadoras de sercomandantes, assuma
base na hierarquia e na disviços públicos responderão
a responsabilidade.
ciplina, sob a autoridade supelos danos que seus agenprema do Presidente da República, e tes, nessa qualidade, causarem a terceidestinam-se à defesa da Pátria, à ga- ros, assegurado o direito de regresso
rantia dos poderes constitucionais e, contra o responsável nos casos de dolo
por iniciativa de qualquer destes, da lei ou culpa.”
e da ordem.”
Por outro lado, está plenamente em
Em seu Art. 5º, afirma, a Constitui- vigor a Lei nº 6.683, de 28 de agosto de
ção, que “Todos são iguais perante a 1979, que em seu art. 1º estabelece: “É
lei, sem distinção de qualquer nature- concedida anistia a todos quantos, no
za, garantindo-se aos brasileiros e aos período compreendido entre 2 de seestrangeiros residentes no País a tembro de 1961 e 15 de agosto de 1979,
inviolabilidade do direito à vida, à li- cometeram crimes políticos ou conexos
berdade, à igualdade, à segurança e à com estes, crimes eleitorais, aos que
propriedade”, segundo os incisos orde- tiveram seus direitos políticos suspensos
nados que se seguem a esta assertiva.
e aos servidores da Administração DiRepito para melhor enfatizar, que o reta e Indireta, de Fundações vinculaEstado Democrático de Direito brasileiro das ao Poder Público, aos servidores
deveria traduzir o “Império da Lei”, mas, dos Poderes Legislativo e Judiciário,
entretanto, em realidade não o traduz, aos militares e aos dirigentes e reprepois, o seu Art. 5º, em diversos de seus sentantes sindicais, punidos com funincisos, vem sendo desrespeitado, impu- damento em Atos Institucionais e Comnemente, com a conivência e estímulo de plementares.
§ 1º Consideram-se conexos, para subordinados à sanha
*Marco Antonio
efeito deste artigo, os crimes de qual- dos revanchistas odiFelício da Silva
quer natureza relacionados com crimes osos) e sincera ou,
políticos ou praticados por motivação acima disso, busca ela outros objetivos
política.”
como a melhoria dos orçamentos, sempre
Essa lei, que concedeu anistia, pres- inadequados, o que é uma obrigação maior
supôs esquecimento recíproco, de modo do Presidente, que encarna a figura de
a apagar todos os fatos que ocorreram em Comandante em Chefe, responsável pela
determinado período e que tipificaram Segurança Nacional?
delitos políticos ou conexos.
Procuradores e juízes,
O ministro do STF, Mar- Procuradores e juízes, com nítido viés ideológico,
com nítido viés
co Aurélio Mello, afirma que
tentam colocar acima da Lei
ideológico, tentam
“a visão é de que há uma lei.
da Anistia, imposições de
E a lei é de Anistia. Anistia, o colocar acima da Lei tratados internacionais que
da
Anistia, imposições tratam de direitos humanos.
que é? É o esquecimento do
de tratados
passado, é o perdão em relaEntretanto, mostrando má
internacionais que
ção ao passado. Evidentemenformação, desconhecimento
tratam de direitos
te, a sociedade está sempre em
ou má fé, esquecem que um
humanos.
evolução. Anistia, pelo pródos fundamentos do Estado
prio significado etimológico, é justamente de Direito é a Soberania e que existe uma
isso: estão anistiados, quer dizer, já não hierarquia das leis, prevalecendo o que
podem mais sofrer agruras. A partir do está na Lei Maior, a Constituição, e na
momento em que houve a Anistia, nós própria Lei da Anistia, anterior à vergopassamos a ter o quê? Situações jurídi- nhosa submissão a leis internacionais.
cas constituídas em decorrência da Lei
Até quando agüentaremos os
de Anistia. Sempre a retroação não con- escrachos e as cusparadas nos rostos de
tribui para a segurança jurídica, para o homens com vastas folhas de bons serviavanço cultural. Precisamos aprender a ços prestados à Nação, nas ruas e nos
virar a página.”
tribunais, sob a acusação de pretensos
Não significa isso a busca da re- crimes, quando os acusadores mentem
conciliação nacional, em prol da qual os para mudar uma estória da qual devem se
diversos comandantes enguliram os cha- envergonhar?
mados “sapos catastróficos”, esquecen“A Instituição será maculada, vido inclusive o que jamais deveriam es- olentada e conspurcada diante da
quecer, parte de nossa gloriosa história leniência de todos aqueles que não pencomo Força Armada, para muitos verda- sam, não questionam, não se importam
deira traição? Qual o motivo, então, pelo e não se manifestam.”
qual são perseguidos militares, como cães
*Cientista Político, ex-Oficial de Ligação ao Comando
danados, sem o respaldo da Força?
e Armas Combinadas do Exército Norte Americano,
ex-Assessor do Gabinete do Ministro do Exército,
Será tal reconciliação apenas unilaAnalista de Inteligência
E-mail: marco.felicio@yahoo.com
teral (o que não justifica o abandono dos
A
PREZADO LEITOR
partir desta edição, somente receberão este jornal os seus assinantes/
associados, as organizações militares do Exército e da Polícia Militar de
Minas Gerais. Tal medida impõe-se pela queda acentuada do número de
assinantes e associados, que julgamos devido ao envio do Inconfidência pela
Internet sem qualquer cobrança. Temos custos operacionais e administrativos,
sem os quais o Inconfidência não poderia ser impresso, nem postado aos seus
destinatários. Será implantado um programa que só permitirá acessar o
jornal aqueles que concordarem com um pequeno pagamento ANUAL de
R$25,00 como assinatura pela internet. Instruções quanto a esse pagamento seguirão o mesmo procedimento para a assinatura do jornal impresso
(cupom da página 16). Com esse pequeno valor de pouco mais do que DOIS
REAIS ao mês, Você estará ajudando não somente o Inconfidência, mas também
a si, sua família e ao nosso país, hoje tão aviltado por aqueles que o governam.
Nº 182 - Setembro/2012
DINHEIRO FÁCIL:
TARA DO MARXISMO CULTURAL
* Ipojuca Pontes
O
O governo petista tem jogado dinheiro público pelo ralo, em
ritmo alucinante, abastecendo regiamente a integração de
“aliados da causa”, bem como na manutenção do já vastíssimo
contingente de aliados de dúbia causa, supostamente dita
socialista pelo governo atual.
utro dia li na coluna “Há 50 anos”,
Não é exagero afirmar que a produpublicada no Segundo Caderno de ção cultural brasileira tornou-se uma
O Globo, a seguinte nota: “A Frente da
cornucópia de fundo infinito. NaturalmenJuventude Democrática denunciou em te, tudo seria compreensível se tais remanifesto que a greve estudantil coman- cursos saíssem da iniciativa privada. Mas,
dada pelo UNE é orientada, conduzida e como reconhecem os próprios atores da
financiada pelo Partido Comunista. Diz o trama, nada se faz nesta área pantanosa
documento que os agitadores, com a sem a mamata do dinheiro público, em
verba de Cr$ 364 milhões do Ministério geral distribuído sob forma de “benefício
da Educação, estão viajando por todo fiscal”.
país, a fim de desmoralizar as autoridaDe fato, a escalada de gastos com
des, confundir os estudantes e provocar
o setor vem preocupando número cresa insurreição”.
cente de especialistas em contas púBons tempos aqueles em que Jango
blicas: é que, ao financiar as excentriGoulart (que, como se sabe, ficou manco cidades do show bizz, o Erário caboclo
de uma perna por contrair sífilis na juven- joga dinheiro pelo ralo em ritmo alutude) doava apenas alguns milhões de
cinante. Sem mencionar os gastos com
cruzeiros dos cofres da Viúva para que
a manutenção da máquina burocrática,
os militantes da subversão ajudassem a em boa parte ocupada pela militância
transformar o Brasil numa República do PT, são estonteantes as verbas ofiPopular-Sindicalista (por meio da fabriciais diluídas em eventos dispensácação de subprodutos como o demagóveis, tais como convescotes, excursões,
gico “Cinco Vezes Favela”, repudiado
encontros, festivais, banquetes, viapor todos, e montar textos teatrais de má
gens internacionais, propaganda, papropaganda, do naipe de “A Mais-Valia lestras, cursos e concursos corporavai Acabar, seu Edgar”, de Oduvaldo tivos, etc. – tudo financiado a fundo
Vianna Filho, um dos mentores do
perdido “para aquecer a demanda do
famigerado CPC da UNE).
setor”.
Só a deficitária
Hoje, a coisa mudou
Neste rondó desmuito – e em proporções coPetrobras transferiu vairado, desde logo uma
lossais! No Brasil da era dos ano passado cerca de pergunta se impõe: o próMensaleiros, encarado mun- R$ 650 milhões para digo financiamento do
dialmente como um “país de
setor seria de fato a “funfinanciar projetos
administração comunista afeido perdido”? Do ponto
to ao capitalismo de Estado”, culturais de qualidade de vista da administrainferior.
o governo do PT, para manção engajada, não. Com
ter a hegemonia do “pensaa produção de tais artemento marxista”, aloca recursos bifatos, ideologicamente programados,
lionários na esfera da cultura oficial. Com o governo pretende não só abastecer
efeito, sem contabilizar os gastos dos regiamente o vastíssimo contingente
estados e municípios, o governo federal de “aliados da causa”, como – o que é
vem derramando na caixa-preta do setor fundamental – intensificar o controle
uma grande soma de dinheiro (algo entre do universo psicossocial da nação, sem
20 e 23 bilhões de reais), quantia suficio qual o planejado embotamento cereente para solucionar boa parte dos probral das massas seria tarefa impossíblemas da habitação popular do país. Só
vel.
com o financiamento da construção da
Só para concluir: o controle do
sede da UNE e o financiamento de suas
inconsciente coletivo brasileiro pelo
“atividades culturais”, o Erário torrou Estado viceja a partir do soar dos atanos últimos meses mais de R$ 40 milhões
baques do “multiculturalismo”, ou plu– grana, claro, sacada do bolso do tolo
ralismo cultural, fenômeno “politicacontribuinte.
mente correto” gerado nos desvãos
Por sua vez, para atender os gastos
acadêmicos da Escola de Frankfurt para
com a escalada do pomposo “audiovisual”, vassalagem, a fortiori, do “intelectual
sempre insolvente, o governo gauche, orgânico”, figura do cenário cultural
atuando de forma pesada nos setores da
inventada por Antonio Gramsci, o teóriprodução, distribuição e exibição, sem fa- co italiano dominado pela demência colar na construção e manutenção de salas
munista.
exibidoras, queima recursos anuais na
Mas já aí a conversa é outra: a tara
ordem de R$ 2,5 bilhões (só a deficitária muda de escala e padrão.
Petrobras transferiu ano passado cerca
Voltaremos ao assunto.
de R$ 650 milhões para financiar projetos
* Cineasta,
culturais de qualidade inferior).
ex-Secretário de Cultura e Jornalista
33
A ENGENHARIA DA DESORDEM
* Olavo de
Carvalho
Na confusão geral das consciências, toda discussão racional
se torna impossível e então, naturalmente, espontaneamente,
quase imperceptivelmente, o centro decisório se desloca para
as mãos dos mais descarados e cínicos.
T
criminalizando criminosos e criminalizando
odo mundo sabe que a
cidadãos honestos por dá cá aquela-palha, chobase eleitoral do ex-preca de tal modo os hábitos e valores da populasidente Lula, bem como a da sua sucessora, está
ção, que equivale a um convite aberto à insolênnas filas de beneficiários das verbas do Fome
cia e ao desrespeito.
Zero. Embora a origem do programa remonte ao
Só o observador morbidamente ingêgoverno FHC, o embrulhão-em-chefe conseguiu
nuo poderá enxergar nesses fenômenos um
fundi-lo de tal maneira à imagem da sua pessoa,
conjunto de erros e fracassos. Seria preciso
que a multidão dos recebedores teme que votar
uma constelação miraculosa de puras coincicontra ele seja matar a galinha dos ovos de ouro.
dências para que, sistematicamente, todos
No começo ele prometia, em vez disso,
os erros e fracassos levassem sempre ao
lhes arranjar empregos, mas depois se absteve
sucesso cada vez maior dos seus autores.
prudentemente de fazê-lo e preferiu, com esperTudo isso parece loucura, mas é loucura
teza de mafioso, reduzi-los à condição de depenpremeditada, racional. É uma obra de engenhadentes crônicos.
ria. Se há uma obviedade jamais desmentida
O cidadão que sai da miséria para entrar
pela experiência, é esta: a desorganização
no mercado de trabalho pode permanecer grato,
sistemática da sociedade é o modo mais fácil
durante algum tempo, a quem lhe deu essa
e rápido de elevar uma elite militante ao
oportunidade, mas no correr dos anos acaba
poder absoluto. Para isso não é preciso nem
percebendo que sua sorte depende do seu prómesmo suspender as garantias jurídicas forprio esforço e não de um favor recebido tempos
mais, implantar uma “ditadura” às claras. Já
atrás. Já aquele cuja subsistência provém de
faz muitas décadas que a sociologia e a ciência
favores renovados todos os meses torna-se um
política compreenderam esse propuxa-saco compulsivo, um serDurante os dois
cesso nos seus últimos detalhes.
vidor devoto do “Padim”, um
Leiam, por exemplo, o
profissional do beija-mão.
mandatos de Lula o
O político que faz carreisistema educacional clássico estudo de Karl Manra baseado nesse tipo de progra- brasileiro tornou-se um nheim, A estratégia do grupo
nazista (no volume Diagnóstima é, com toda a evidência, um
corruptor em larga escala, que dos piores do universo, co do Nosso Tempo, ed. Zahar).
uma fábrica de
A fórmula é bem simples: na
vive da deterioração da moraconfusão geral das consciêncilidade popular. É impossível que
analfabetos e
as, toda discussão racional se
o crescimento do Fome Zero não
delinquentes como
tenha nada a ver com o da cri- nunca se viu no mundo. torna impossível e então, naturalmente, espontaneamente,
minalidade, do consumo de droquase imperceptivelmente, o centro decisório
gas e dos casos de depressão. Transforme os
se desloca para as mãos dos mais descarados
pobres em mendigos remediados e em poucos
e cínicos, aos quais o próprio povo, atônito
anos você terá criado uma massa de pequenos
e inseguro, recorrerá como aos símbolos
aproveitadores cínicos, empenhados em eterderradeiros da autoridade e da ordem no meio
nizar a condição de dependência e extrair dela
do caos. Isso já está acontecendo.
proveitos miúdos, mas crescentes, fazendo do
A ascensão dos partidos de esquerda à
próprio aviltamento um meio de vida.
condição de dominadores exclusivos do panoO assistencialismo estatal vicioso não
rama político, praticamente sem oposição, nunca
foi, porém, o único meio usado pela elite petista
teria sido possível sem o longo trabalho de despara reduzir a sociedade brasileira a um estado
truição da ordem na sociedade e nas almas. Mas
de incerteza moral e de anomia.
também não teria sido possível se o caos fosse
Na mesma medida em que se absteve de
completo. O caos completo só convém a anarcriar empregos, o sr. Lula também se esquivou
quistas de porão, marginais e oprimidos. Quande dar aos pobres qualquer rudimento de educado a revolução vem de cima, é essencial que
ção, por mais mínimo que fosse, para lhes gaalguns setores da vida social, indispensáveis à
rantir a longo prazo uma vida mais dotada de
manutenção do poder de governo, sejam presersentido. Durante seus dois mandatos o sistema
vados no meio da demolição geral.
educacional brasileiro tornou-se um dos piores
Os campos escolhidos para permanecer
do universo, uma fábrica de analfabetos e
sob o domínio da razão foram, compreensiveldelinquentes como nunca se viu no mundo.
mente, a Receita Federal, o Ministério da DeAo mesmo tempo, o governo forçava a
fesa e a economia. A primeira, a mais indispenimplantação de novos modelos de conduta –
sável de todas, porque não se faz uma revolução
abortismo, gayzismo, racialismo, ecolatria,
sem dinheiro, e ninguém jamais chegará a domilaicismo à outrance etc. –, sabendo perfeitamennar o Estado por dentro se não consegue fazer
te que a quebra repentina dos padrões de
com que ele próprio financie a operação. A
moralidade tradicionais produz aquele estaadministração relativamente sensata dos oudo de perplexidade e desorientação, aquela
tros dois campos anestesiou e neutralizou predissolução dos laços de solidariedade social,
ventivamente, com eficiência inegável, as duas
que desemboca no indiferentismo moral, no
classes sociais de onde poderia provir alguma
individualismo egoísta e na criminalidade.
resistência ao regime, como se viu em 1964: os
Por fim, à dissolução da capacidade de
militares e os empresários. Cachorro mordido
julgamento moral seguiu-se a da ordem juríde cobra tem medo de linguiça.
dica: o novo projeto de Código Penal, inver(Publicado no Diário do Comércio 13/09)
tendo a escala de gravidade dos crimes, con* Prof. de Filosofia, Escritor e Jornalista
sagrando o aborto como direito incondiciohttp://www.midiasemmascara.org/
http://www.olavodecarvalho.org
nal, facilitando a prática da pedofilia, des-
Nº 182 - Setembro/2012
DAZIBAO
ASCENSÃO E QUEDA
No poder há mais de dez anos, o PT tornou-se elite política, esquecendo as
críticas que sempre usou para solapar as elites sociais. Mudaram os donos
do poder, mudou, também, o modo de ver os mesmos procedimentos, que
de condenados nas críticas ferozes que faziam, passaram a ser virtudes
políticas “nunca dantes praticadas neste país”.
* Maria Lucia
Victor Barbosa
P
mo grave preconceito. Então, amparado pelos comara simularem uma espanheiros e pelo marketing o guardião do poder
pécie de ideologia de
petista exerceu plenamente o paternalismo pedaesquerda e protegerem seu “pobre operário”,
gógico e a alienação das massas. Ele foi o “líderLula da Silva, que há muito não é pobre nem opepreceptor que precede ao nascimento do Estadorário, ardilosamente os donos do poder inventaNação”. Por isso sempre dizia com prazer: “nunca
ram que elite é aquela entidade suja e rancorosa
antes nesse país”.
composta por ricos impiedosos, que aliados a
Antes de chegar ao cargo mais alto da Reuma imprensa a serviço de monstruosos intepública o PT soube ser oposição. Durante os oito
resses têm como objetivo destruir o magnânianos de mandato de FHC petistas gritaram: “fora
mo pai da pátria e seu partido. Enfim, uma atraFernando Henrique”. Ao mesmo tempo, tudo que
ente versão tropical e populista da luta de clasFHC fazia era estridentemente criticado.
ses, algo que deve ter feito Karl Marx tremer na
Apesar disso, quando Lula finalmente altumba.
cançou a presidência da ReNos estudos clássicos de
pública, Fernando Henrique
Sociologia o termo elite ou esNo Brasil algumas mudanças
inventou a “transição”, ou
col tem sentido bem diferente
estão acontecendo. Uma coisa
seja, colocou a disposição
como os vistos nas primeiras
boa e que trás um raio de
de Lula seus melhores técniabordagens elaboradas pelos
esperança
é
o
julgamento
do
cos para que ensinassem aos
chamados “maquiavelistas”,
mensalão a demonstrar a
neófitos do PT como se goVilfredo Pareto, Gaetano Mosverna.
ca, Robert Michels e Georges
independência do Poder
Então, o PT copiou as
Sorel. Em vez da luta de classes
Judiciário e, portanto, o
politicas econômicas e socieles consideravam que a históresguardo da democracia.
ais de FHC, mas sempre as
ria das sociedades é a luta das
criticando como herança maldita. Mesmo assim o
elites pelo poder.
PSDB foi o grande auxiliar de Lula, muito mais do
Pareto (1848-1923) entendia elite de modo
que parte do PT que cindiu e formou o PSOL e
positivo, pois fariam parte do escol pessoas de
mais ainda do que a base aliada. E quando Lula
qualidades excepcionais tanto pelo seu trabalho
poderia ter sofrido o impeachment à época da CPI
quanto por seus dotes naturais e, de forma reados Correios, FHC sustentou o amigo no poder.
lista afirmou: “Todo escol que não se dispõe a
Aliás, com raras exceções, os tucanos sempre detravar batalha para defender suas posições está
monstraram um imenso encantamento por Lula e
em plena decadência; só lhe resta deixar o lugar
nunca souberam ser oposição enquanto o PT, de
a outra elite que tenha as qualidades viris que lhe
modo implacável, atacava como ainda ataca Ferfaltam”.
nando Henrique e sua herança maldita.
Gaetano Mosca (1858-1941) preferiu o terO resultado é o que se vê no momento em
mo classe dirigente ou dominante em vez de elite
São Paulo: José Serra em queda e Celso Russopara designar a distinção entre dirigentes e dirimanno subindo nas pesquisas de intenção de
gidos.
voto.
Sem aprofundar a discussão sobre tais teNa verdade, o PSDB não soube ocupar seu
orias lancemos um olhar sobre o quadro das eleilugar como oposição. Deixou um vácuo que vai
ções municipais lembrando que, pelo fato do PT
sendo ocupado por outro ator político. O PT, que
se manter na presidência da República há quase
nunca brilhou muito na capital paulista entrou em
10 anos se pode dizer que é a classe dirigente,
rota de desgaste com o julgamento do mensalão
dominante ou elite sem, é claro, as boas qualidano STF, a doença de Lula, a emergência de outras
des de que falou Pareto.
lideranças políticas, a insatisfação do funcionalisPosto isso, recorde-se que na sua longa tramo público e dos ditos movimentos sociais com
jetória para lograr Lula lá os petistas desenvolvea presidente Rousseff.
ram certas táticas que continuam usando, tais
Ascenção e queda são ciclos inevitáveis na
como: Jamais aceitar críticas por menores que sevida pessoal e na dinâmica das sociedades. No
jam e reagir às mesmas com maior agressividade
Brasil algumas mudanças estão acontecendo.
possível; encarar o adversário como inimigo;
Uma coisa boa e que trás um raio de esperança é
invés de argumentar desqualificar quem não reza
o julgamento do mensalão a demonstrar a indepor sua cartilha como incompetente, rancoroso,
pendência do Poder Judiciário e, portanto, o resinvejoso, membro da famigerada e suja elite; usar
guardo da democracia.
a sedutora e comovente imagem de vitima transNo mais, como disse Pareto, perdem os que
formando suas vítimas em seus algozes; distorcer
não se dispõe a travar batalha para defender suas
ao máximo os fatos; usar de meios baixos para
posições. Isto é bem mais importante do que
atacar adversários como, por exemplo, falsos
apresentar renovação de candidatos. Que o PSDB
dossiês ou compra de apoios.
aprenda a lição se quiser chegar de novo à preEssas táticas foram usadas à exaustão para
sidência da República. * Socióloga e articulista.
resguardar a figura de Lula tornada excelsa. Para
ele só o elogio, qualquer crítica é considerada co-
mlucia@sercomtel.com.br
www.maluvibar.blogspot.com 44
N
* Clovis Purper Bandeira
a China antiga, os jornais não circulavam nas
cidades e aldeias distantes, onde o pequeno
número de alfabetizados não justificava a despesa da
distribuição dos periódicos. Nesses locais, existiam – existem? –
painéis colocados em locais públicos, onde eram dispostos os avisos,
editais, proclamas, notícias etc. Eram os dazibaos.
Diariamente, ao passar pe- suicida dos alunos é resultado
lo extinto Canecão, em franca de anos de doutrinação sociadecadência e correndo perigo lista e da verdadeira lavagem
de ruir, pois agora é “do povo”, cerebral que nossos estudantes
ou seja, não será usado nem sofrem desde o ensino fundasofrerá manutenção até cair, leio mental.
meu dazibao sobre a intermináAbaixo da frase, vejo os lovel greve das universidades fe- gotipos das várias associações
derais.
de classe, sindicatos e centrais
Dois cartazes, em especi- pelegas que organizaram e imal, chamam minha atenção.
põem a greve.
O primeiro,
O segundo carmuito bem feito, A conduta suicida dos taz não tem a beleza
trabalho de profis- alunos é resultado de plástica do primeiro.
sionais, anuncia: anos de doutrinação Escrito a mão livre,
socialista e da
“A Universidade
com letra irregular,
está viva! A Uni- verdadeira lavagem numa faixa de plástiversidade está em cerebral que nossos co amarela, exige:
estudantes sofrem
greve!”.
“Dilma e Reitor, nedesde o ensino
Vejam que
gociem já!”. Além de
fundamental.
preciosa afirmanão admitirem nenhução, que contrasma contraproposta, os
senso bem colocado, que atrai grevistas ainda jogam no colo das
pelo aparente paralelismo entre autoridades a responsabilidade
“ vida” e “greve”. No entanto, na- pelo fracasso das discussões,
da mais enganoso. Uma Universi- como se as mesmas é que não
dade viva está em ebulição por quisessem negociar. Por negociar
outros motivos: pelas aulas, pa- entendem ceder, submeter-se à
lestras, discussões, debates, pes- vontade dos todo poderosos sinquisas, monografias, publicações; dicalistas, donos da verdade, enseus corredores fervilham de viados divinos para estabelecer
pessoas indo e vindo, dirigin- sua justiça entre os homens.
do-se às aulas, bibliotecas, laAs autoridades, porém,
boratórios, áreas de lazer, cen- merecem o impasse pelo qual
tros de tecnologia e de informá- são também responsáveis. Entica, produzindo e difundindo quanto esteve na oposição, o
conhecimento, arte, ciência, dú- partido da Presidente estimulou
vidas, soluções...
e defendeu o grevismo radical
Uma Universidade em gre- sempre que pode. No poder, forve, e em greve há mais de dois taleceu e encheu de privilégios
meses, é o oposto da vida: nada os sindicatos e associações de
produz, a não ser confronto e ra- classe, pensando, com certeza,
dicalismo ideológico. Ainda não em usá-los como companheiros
morreu, mas está moribunda.
de viagem em sua intenção de
E, por incrível que possa perpetuar-se no poder. Mas os
parecer, as principais vítimas da sindicalistas têm agenda própria,
greve, os alunos que perdem e caminham a passos largos para
seu ano letivo, um ano precioso estabelecer a República Sindide sua juventude e de sua vida, calista do Brasil. Logo veremos
aplaudem e justificam o movi- quem usou ou quem foi usado.
mento intransigente, que alega
O governo, agora, toma um
querer negociar mas não aceita pouco do remédio amargo que
nenhuma proposta diferente de produziu para os outros.
suas exigências e impede, até de
Como diz o velho ditado,
forma violenta, o acesso às ins“quem semeia ventos,
talações das faculdades por
colhe tempestades”.
aqueles que não concordam com
* Gen Div - Assessor do
a greve. Por certo a conduta
Presidente do Clube Militar
Nº 182 - Setembro/2012
MUITO ALÉM DOS CAMINHOS
DE CIRCOS, FICÇÕES E REALIDADE
Heitor De Paola
D
55
A “educação sexual” através do kit gay, iniciada nos anos FHC e aprofundada
nos petistas é de uma criatividade destrutiva – se me permitem o paradoxo –
imensa, como o terrível ENCONTRANDO BIANCA (Bianca é um travesti gay).
Podem estar certos: a liberação da pedofilia virá a reboque através de um projeto,
que já existe, de “direitos da criança à plena satisfação sexual”.
O CIRCO
esde o início do julgamento do ‘mensalão’ denunciei-o como um espetáculo circense para, como na antiga
Roma, desviar a atenção da população de seus reais problemas. Minha opinião não mudou com algumas vitórias dos gladiadores togados contra o outro time. Muito embora haja grandes diferenças entre o que sucedia na
Roma das Sete Colinas com a nova Roma Planaltina. Na primeira, Cidade Eterna, berço de um dos maiores Impérios
da Antiguidade e desde então Sé Católica, era a plebe que era enganada. Na atual, triste caricatura criada por um Presidente
megalômano desatinado em conluio com um arquiteto comunista, cuja existência é absolutamente desnecessária, senão
maléfica, são os letrados (sic) que assistem com mais atenção ao espetáculo, riem e aplaudem efusivamente o Gigante Núbio
que quer abater todos os adversários, e apupam o Leão Polonês que luta com menos furor. Igualzinho aos antigos Romanos
que se enfureciam quando o Imperador ou as Vestais levantavam os polegares, salvando os perdedores, pois queriam
ver muito sangue. A plebe mesmo, além de enfrentar as mazelas do transporte público para ganhar minguados
trocados que os togados faturam em alguns segundos do sua confortável “faina”, está interessada no Brasileirão
– Flamengo cai ou não para a ‘segundona’? – na luta entre Carminha e Ritinha e o futuro do Tufão, do Max e do
Jorginho ‘Batata’, e nos programas do Ratinho, do Huck e do Faustão.
A FICÇÃO
Além deste circo começa a tomar corpo uma obra de ficção Hollywoodiana para aterrorizar a Humanidade como
um todo, mas particularmente aos brasileiros: a invenção gerada pela ONU sem nenhuma evidência científica de uma
futura falta d’água potável no mundo e a necessidade de proteger nosos ‘aquíferos’ dos “alienígenas”.
Há muitos anos, aficionado por ficção científica, assisti a um filme sobre um planeta nos confins do Universo
onde a água estava acabando. Como eram povos altamente desenvolvidos possuíam avançada tecnologia interplanetária
e mandaram naves gigantescas para procurar água em outros planetas. A Terra, obviamente foi um dos escolhidos.
Naves enormes se postaram sobre o Atlântico e o Pacífico e sugavam toda água. Finalmente, os terráqueos conseguem
ganhar a parada, comandados por aqueles heróis que sempre surgem.
Na falta de alienígenas de outros planetas, servem os do Norte deste aqui mesmo, despertando a obsessão
antiamericana subjacente na mente da comunalha e infelizmente de nossos nacionalistas, militares e civis, como já
expressei anteriormente. Pretende-se com esta desculpa impedir a decisão soberana do Paraguai de assinar convênio
com os EUA permitindo a instalação de uma base no território paraguaio do Chaco.
Em 28 de agosto o Notícias Terra relatou: Analistas geopolíticos da América do Sul estão apreensivos
com a situação do Paraguai, principalmente pela relação do país latino com os Estados Unidos. A
intensificação de atividades rotuladas como "humanitárias" e de "cooperação" da embaixada americana em
Assunção e a regularidade de visitas de militares ianques de alta patente ao país são dois dos principais
motivos. Um professor (sic) argentino levantou a velha arenga nacionalisteira ao declarar que os EUA "têm
interesse na manutenção de sua hegemonia na região, em detrimento de uma integração latino-americana e
o estabelecimento da suposta base permitiria maior proximidade com os países sul-americanos e respostas
imediatas na hipótese de confrontos, devido a sua localização geográfica estratégica.
A Embaixada Americana em Assunción revela que a pista foi concluída ainda no governo Stroessner e
por paraguaios e nada tem a ver com apoio atual ao governo de Federico Franco. Que os EUA queiram vigiar
de perto a Tríplice Fronteira, o narcotráfico e os grupos terroristas islâmicos que indubitavelmente atuam por
lá, deveriam merecer agradecimentos dos três países, mas eis que surge a paranóia dos ‘aquíferos’, pois ali se encontra
o Guarani. São invasores que pretendem roubar nossa água, como de dela precisassem: no Meio Oeste dos Estados
Unidos situam-se a Grande Bacia Artesiana com 1.7 km² e o aquífero Ogallala (452 mil m²) somando 2.152 km² maiores
do que a soma dos dois aquíferos brasileiros, o Guarani (1.2 km2) e do Alter do Chão (437 mil km²)=1.637 km², sendo
que o primeiro ainda é dividido com outros três países ! Além do que a própria Embaixada responde à pergunta que
eu fiz: ao afirmar que os EUA não têm interesse no Aquífero, diz que não haveria meio possível de transportar
tal quantidade de água. Os EUA não possuem naves gigantescas com tal capacidade!
L
ançado no início da noite de
12 de setembro, em Porto Alegre, na Livraria Cultura do
Shopping Bourbon, que se prolongou até às 22 horas, contou
com a presença de mais de uma
centena de amigos civis e militares, entre os quais, os oriundos da
Arma de Engenharia, superando
as melhores expectativas.
O Livro aborda a atuação dos
Batalhões de Engenharia Rodo-ferroviários, na década de 1960 e as
histórias vividas por seus integrantes, destacados nos trechos
Coronel Figueira e
o Capitão Emerson
Ao Comandar a 3ª Cia/3º BRv (Vacaria/RS), nos idos de 1965,
encontrei o então Sargento Emerson, destacado no "Fim do Trecho",
onde iniciou sua carreira num autêntico "batismo de fogo", conforme
conta em seu livro e com o meu testemunho. Enfrentou os acidentes que
ocorriam eventualmente nos trabalhos dos túneis e as mazelas decorrentes da grande enchente do rio Pelotas, em agosto de 1965, com
drásticas consequências. Gostei imensamente do livro, sobretudo
pela autenticidade dos relatos e pela exaltação aos trabalhos peculiares à Engenharia Militar, nem sempre divulgados pela mídia.
Pedro Figueira Santos
Coronel de Engenharia - Assessor do Presidente do Clube Militar
A TRISTE REALIDADE DO PAÍS
Enquanto preocupam-se com as condenações de mensaleiros e acalentam uma guerra – suicida – contra os “invasores
do norte”, a realidade é bem outra. A degeneração moral da agenda Fabiano-Marxista (no Brasil: tucano-petista)
segue impávida. O País está infestado de vadias, vagabundas, gays e drogados de toda espécie só esperando que
o projeto ONU-SOROS-FHC-GAVÍRIA de liberação das drogas seja aprovado. A “educação sexual” através do
kit gay, iniciada nos anos FHC e aprofundada nos petistas é de uma criatividade destrutiva – se me permitem o
paradoxo – imensa, como o terrível Encontrando Bianca (Bianca é um travesti gay)*. Podem estar certos: a
liberação da pedofilia virá a reboque através de um projeto, que já existe, de “direitos da criança à plena satisfação
sexual”. Falta pouco para ser introduzido no já nefasto ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Num país
de dinheiristas só se pensa na corrupção financeira – o Circo – e não na corrupção moral e da alma. Ora, deixa pra
lá, põe o Dirceu na cadeia e ficaremos todos felizes! Como já dizia o poema de E. E. Cummings:
Everybody happy?
WE-WE-WE
& to hell with the chappy
Who doesn’t agree
Do estado da economia e das mentiras da PresidAnta escrevo outra hora.
*I - Fonte: Movimento CYAN (AMBEV)
II - Muito cuidado ao acessar esta página: http://blog.antinovaordemmundial.com/2011/04/video-indignacao-tres-filmes-em-do-kit-gay-vazam-noyoutube/. Afaste as crianças do computador.
Médico, escritor e analista político. hdepaola@terra.com.br
http://www.heitordepaola.com
em construção - estradas, pontes,
canais, túneis, residências- principalmente ao longo do TPS –
Tronco Principal Sul. Uma verdadeira odisséia vivida pela Engenharia Militar Brasileira e que merece ser divulgada para conhecimento dos mais jovens.
O autor, Capitão Emerson
Rogério de Oliveira, ao término
do lançamento de sua 4ª obra,
foi também cumprimentado pelo
Gerente de Eventos da Livraria,
por ter sido um dos mais concorridos deste ano.
O livro, editado por sua conta, sem qualquer
patrocínio, pode ser adquirido por R$ 39,00
nos seguintes locais.
Livrarias Cultura e pela internet:
www.livrariacultura.com.br
Martins Livreiro – Rua Riachuelo,
1291/Porto Alegre –tel (51) 3226-7779.
l Com o autor, pelo e-mail:
emersonroli@terra.com.br
(mais despesas postais).
l Na tradicional Feira do Livro, em
Porto Alegre, em cujo estande também
poderá ser encontrado o livro “Médici”.
O Inconfidência agradece o
exemplar presenteado e
cumprimenta o Cap Emerson pelo
merecido sucesso alcançado.
l
l
Nº 182 - Setembro/2012
6
MINAS TÊNIS CLUBE
A CASA DO ADJUNTO
Cerimônia de Encerramento do
2º Turno do Curso de Aperfeiçoamento
de Sargentos / 2012.
O
correu a 23 de agosto
de 2012, na Escola de
Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas – EASA,
a Cerimônia de Encerramento do 2º Turno do Curso de
Aperfeiçoamento de Sargentos / 2012.
Em solenidade presidida pelo General de Brigada PEDRO ANTÔNIO
FIORAVANTE SILVESTRE NETO, Diretor de Especialização e Extensão,
Entrega da Quaderna
Símbolo do Aperfeiçoamento
Entrada da Guarda Bandeira
apresentado um refinado repertório musical, finalizando com o clássico da
música popular brasileira Carinhoso,
agradando sobejamente
aos assistentes, que aplaudiram e pediram bis ao Coral. O MTC, com seus 70
mil sócios, talvez seja um
dos poucos clubes no Brasil, quiçá o único, a promover tal solenidade em comemoração à data Magna
da Nação.
Autoridades e convidados
A formatura teve como finalidade marcar de forma solene o encerramento do 2º Turno do CAS/
2012, na qual concluíram com aproveitamento 252 (duzentos e
cinquenta e dois) Sargentos Alunos
procedentes de todo território brasileiro.
A cerimônia contou com a concessão da mais alta condecoração
de mérito escolar, a Medalha Mare-
estavam presentes, os General de Brigada ÁLVARO GONÇALVES
WANDERLEY, Comandante da Artilharia Divisionária da 3ª Divisão de
Exército e da Guarnição de Cruz Alta,
o Senhor ANTÔNIO EDSON
CABRAL DE OLIVEIRA, Vice-Prefeito da cidade de Cruz Alta, o Cel Cav
PAULO ANTÔNIO BRIGNOL
PACHECO, Comandante da EASA,
autoridades civis e militares e familiares dos formandos.
À
s 10.30h, no parque aquático do Minas Tênis Clube 1, mais uma vez foi
lembrada e festejada, como acontece
anualmente, a data magna do Dia da Independência do Brasil. A Diretora Cultural, Sílvia Rubião, coordenou e apresentou a já tradicional cerimônia cívica, que
foi iniciada com o hasteamento das Bandeiras do Brasil, pelo presidente do clube, Sergio Bruno Zech Coelho; de Minas Gerais, pelo sócio Coronel Carlos
Claudio Miguez e a do MTC, pela conselheira Marília Gianetti, quando foram
executados pelo coral do Minas, regido
pela Maestrina Eliana Fajioli, os Hinos
Nacional e da Independência, vibrantemente cantados pelos associados.
Dando prosseguimento à cerimônia,
durante aproximadamente uma hora, foi
Concessão da Medalha Marechal Hermes
chal Hermes, Aplicação e Estudo, aos 2º Sargentos Alunos
pri-meiros colocados em cada
Arma. Foram agraciados o 2º
Sgt CELCINO MOREIRA DE
SOUZA, Arma de Infantaria, 2º Sgt
FLÁVIO QUEVEDO DE LEON,
Arma de Cavalaria, 2º Sgt RANDAL JULIANO ESPANHOL, Arma de Artilharia, 2º Sgt NEEMIAS
JOSÉ DA SILVA, Arma de Engenharia e 2º Sgt CLÓVIS LEANDRO LEMES DA SILVA da Arma
de Comunicações.
O Coral do Minas Tênis Clube
Nossos parabéns ao
Minas Tênis Clube!!!
EDIÇÃO HISTÓRICA DUQUE DE CAXIAS
M
ais uma vez, o sucesso alcançado pela Edição Histórica em homenagem ao patrono do Exército Brasileiro, Duque de Caxias, nos deixaram realizados e gratificados.
Da Edição impressa de apenas 10 mil exemplares, em
virtude da falta de recursos financeiros, somente pudemos
distribuí-la aos alunos dos principais estabelecimentos de
ensino militares da região sudeste e ainda, para a EASA –
Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas (Cruz
Alta), Escola de Administração/Colégio Militar, de Salvador e Academia da Polícia Militar de Minas Gerais.
Também foi encaminhada, via postal, para TODAS
as organizações militares do Exército (desde o Alto Comando até os Tiros de Guerra)
Agradecemos os cumprimentos enviados por autoridades civis e militares e particularmente, aos professores e historiadores, que julgaram a nossa edição histórica, como a melhor fonte de consulta existente.
ASMIR
1992 - 20 ANOS - 2012
Em 07 de setembro de 2012 a ASMIR de Três Corações
completou 20 anos de existência, e o mérito é de seu corpo de
Associados que sempre a honrou com sua presença, dedicação
e apoio, tendo muitos obstáculos sido transpostos e batalhas
vencidas para que se pudesse chegar ao estágio atual.
A ASMIR parabeniza e agradece a seus Associados pelo convívio, amizade e
confiança que lhes foi depositada, e espera, daqui a cinco anos, estar comemorando
seu “Jubileu de Prata” com a presença de todos.
Afinal...
"O IMPORTANTE É EXISTIR"
Diretoria da ASMIR
7
Nº 182 - Setembro/2012
CUMPRA-SE A LEI!
*Aileda
de Mattos Oliveira
Há que ser levado ao banco dos réus aquele que realmente
chefiou o mensalão. Que seja apresentado publicamente,
para que todos saibam o quanto essa quadrilha e o seu
poderoso chefão furtaram do trabalho honesto de todos os
brasileiros, principalmente de seus tolos eleitores.
O
O
1. GENERALIDADES
Brasil é um país singular, em especial por sua população,
predominantemente cordial, generosa, alegre, miscigenada
e acolhedora de povos de diversas origens. É a “Nação do Sol”,
onde se encontra, em abundância, a trilogia para a existência da
* Manoel Soriano Neto
vida: ar, água e sol; e o exemplo superlativo é a Amazônia - o nosso
mais recente e grande desafio.
A Pan-Amazônia ou Gran-Amazônia ocupa 1/10 da América do Sul e 3/5 do
Brasil, que detém 60% de toda a sua extensão. A Amazônia brasileira possui seis grandes tesouros:
1) a população amazônida, fortemente mestiça, com “stocks” indígenas de
inúmeras etnias;
2) a sua bacia potamográfica, um verdadeiro mar interior, o “Mare Nostrum
Brasileiro”, como a denominou Gastão Cruls, sendo os principais rios, navegáveis por
navios de qualquer calado;
3) a água doce de seus cursos
d’água (a Amazônia é conhecida como “O Império das Águas”);
4) as jazidas de minérios, muitos
deles estratégicos, como o urânio e o
nióbio;
5) a biodiversidade da floresta, com o maior banco genético do
planeta;
6) a sua posição geoestratégica, eis que cortada pela linha do Equador,
o que enseja o lançamento, em excelentes condições, de artefatos aeroespaciais, como
sondas, satélites, mísseis, foguetes e até naves espaciais (as cosmonaves). Acrescente-se, por ilustração, que o Campo de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão (localizado, diga-se, na Amazônia Legal Brasdileira), é o melhor do mundo,
mercê, fundamentalmente, de sua posição em relação à linha equatorial. Igualmente,
poderão ser feitos lançamentos, a partir de plataformas navais, mesmo do interior da
selva, utilizando-se do longo trecho do rio Negro, ao Sul de São Gabriel da Cachoeira,
paralelo à citada linha do Equador.
te
rn
et
Luiz Inácio
petuarem-se no poder também significa o
respeito ao país, aos seus contribuintes,
que desejam ver a fabulosa soma revertida em seu benefício, em benefício das
instituições mais degradadas nestes últimos tempos: a da saúde, a da educação e
a das Forças Armadas.
Dar um basta na natureza corruptora
desse escravo da escatologia política é o
que espera, do STF, a parte sadia da sociedade.
A PROTEÇÃO DA AMAZÔNIA (I)
In
maior predador
do Brasil, chafurdando na sordidez e na concupiscência, notório estelionatário político, finge
que não lhe dizem respeito as acusações
que lhe são dirigidas pelo ex-parceiro das
tramoias palacianas.
Isso era de se esperar, por ser o
‘cabra’ um cínico de primeira linha. O que
é instigante é o seu nome não ter sido
citado no STF, como se houvesse um
manto encantado encobrindo os olhos
dos ministros que, parece, não se deram
conta de que toda quadrilha tem um
chefão, cuja cara poucos conhecem.
Roberto Jefferson, na época de sua
confissão pública, deixou o ex-torneiromecânico de fora, hoje bilionário, às
custas do Estado Brasileiro. Quando
eu penso que pago imposto de renda
para essa corja vil de comunas execrados levar o dinheiro do meu trabalho para os seus sujos bolsos de ladrões, fico ultraindignada e mais ainda
com as gentes que votaram nessa cambada maldita.
Há que ser levado ao banco dos
réus esse paradigma da antipolítica, do
antinacionalismo, da antibrasilidade. Há
que ser julgada essa vilania andante, antes que fuja, antes que desapareça e surja
num palanque de seus iguais latinos,
articulando contra o país no qual nasceu,
mas ao qual jamais pertenceu.
É dever da justiça brasileira obrigálo a devolver todo o patrimônio do Estado, levado em caminhões para não sei
onde e, no futuro, ser apresentado como
bens de herança familiar, já que escreverão uma nova história para o sujo companheiro.
Obrigá-lo e a sua corja a devolverem o dinheiro do erário desviado para a
compra da ‘base aliada’ com o fito de per-
A AMAZÔNIA É NOSSA?
Que o Baco tupiniquim sente-se no
banco dos réus é o que deseja a parcela
responsável pelo desenvolvimento do
país, atrasadíssimo na sua ascensão internacional, pelo descrédito a que foi
levado pela governança espúria, sem respeito às leis e à ética, herança deixada
pelo energúmeno ex-presidente à sua tutelada e, pelo que parece, aceita de muito
bom grado.
Para que o chefe do mensalão seja
apresentado a seus tolos eleitores, basta
cumprir-se a lei. Que a lei seja cumprida!
Que prevaleça a lei!
*Prof.ª Dr.ª em Língua Portuguesa,
membro da Academia Brasileira de Defesa.
Zé Genoíno
Zé Dirceu
Contem como é chegar ao poder e, em vez de mudar o "sistema", serem
protagonistas do maior esquema de corrupção já montado "na história do país"
2. A DEFESA E GUARDA DA AMAZÔNIA
Para a defesa e guarda desse inestimável patrimônio que é a Amazônia,
alvo, desde sempre, da cobiça internacional de países desenvolvidos, mister se
faz a atenção especial do Governo e, em
particular, das Forças Armadas. A propósito, devemos destacar, por muito relevante, o “Plano Amazônia Protegida”
2º Pelotão Especial de Fronteira
(PAP), com a finalidade de preservação
Querari, São Gabriel da Cachoeira - AM
de nossa Soberania sobre a enorme área.
Para tal, um conjunto de ações estratégicas foi estabelecido, com vistas à articulação
das Organizações Militares do Exército Brasileiro. Estão previstas a implantação de
28 Pelotões Especiais de Fonteira (e a modernização dos atualmente existentes, além
da melhoria do atendimento médico-odontológico), a construção e reforma de pistas
de pouso, a aquisição de novos meios de transporte, de armamentos e equipamentos
de avançada tecnologia, etc, etc, objetivando o aumento da mobilidade das tropas e
uma meelhor qualidade de vida para a família militar.
O Exército vem, diuturnamente, proporcionando a defesa e guarda da imensa
faixa de fronteira, por intermédio de ações de cobertura e vigilância - missões
específicas dos Pelotões de Fronteira -, sendo que o aprofundamento do dispositivo
defensivo é encargo das tropas de emprego estratégico da Força. Esse dispositivo
propicia uma pronta resposta quando de uma real ameaça; e, se necessário, poderemos nos
valer da “estratégia da resistência”, em caso de invasão de nação ou de coalizão de nações
hegemônicas. Tudo isso será facilitado pelo “Projeto Sisfron”, que é um sistema de
vigilância e monitoramento permanente para as FFAA, em especial para o Exército,
com vistas à faixa de fronteira, particularmente a da Amazônia. No próximo artigo,
abordaremos, com detalhes, esse muito importante Projeto. (continua).
* Coronel, Historiador Militar e Advogado
-
msorianoneto@hotmail.com
Nº 182 - Setembro/2012
88
QUE PARTIDO É ESSE?
CORRUPTO$ E MENTIRO$O$
Nota Conjunta
P
PCdoB, PDT, PMDB, PRB, PSB e PT
artidos da maioria repudiam “práticas golpistas” e “tentativas de transformar
em verdade um amontoado de tolices” dos partidos da minoria
O PCdoB, PDT, PMDB, PRB, PSB e PT, representados pelos seus presidentes nacionais, repudiam de forma veemente a ação de dirigentes dos partidos
da minoria PSDB, DEM e PPS que, em nota, tentaram comprometer a honra e
a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Valendo-se de fantasiosa matéria veiculada pela Revista Veja, pretendem
transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de
fontes sem identificação.
As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura.
Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à
denúncia sem prova.
O gesto é fruto do desespero diante das derrotas seguidamente infligidas
a eles pelo eleitorado brasileiro.
Impotentes, tentam fazer política à margem do processo eleitoral, base e
fundamento da democracia representativa, que não hesitam em golpear sempre que
seus interesses são contrariados.
Assim foi em 1954, quando inventaram um “mar de lama” para afastar
Getúlio Vargas. Assim foi em 1964, quando derrubaram Jango para levar o País
a 21 anos de ditadura.
O que querem agora é barrar e reverter o processo de mudanças iniciado por
Lula, que colocou o Brasil na rota do desenvolvimento com distribuição de renda,
incorporando à cidadania milhões de brasileiros marginalizados, e buscou inserção
soberana na cena global, após anos de submissão a interesses externos.
Os partidos da minoria tentam apenas confundir a opinião pública.
Quando pressionam a mais alta Corte do País, o STF, estão preocupados em
fazer da ação penal 470 um julgamento político, para golpear a democracia e reverter
as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula .
A mesquinharia será, mais uma vez, rejeitada pelo povo.
Renato Rabelo, PCdoB
Carlos Lupi, PDT
Valdir Raupp, PMDB
ENTREVISTA: José Eduardo Cardozo
O MENSALÃO EXISTIU
O novo secretário-geral do PT reconhece a existência
de esquema de cooptação de políticos e diz que o partido
precisa retomar a bandeira da ética.
VEJA - o senhor não está minimizando muito o que
aconteceu?
José Eduardo - Vou ser claro: teve pagamento ilegal
de recursos para políticos aliados? Teve. Ponto final. É
ilegal? É. E indiscutível? É. Nós não podemos esconder esse
fato da sociedade e temos que punir quem praticou esses
atos e aprender com os erros.
CORRUPÇÃO E MENSALÃO
A defesa dos acusados insiste na tese de que houve “apenas caixa 2”. Tal não foi
a interpretação do atual ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, que em
fevereiro de 2008 declarou em entrevista à Revista Veja de 20 de fevereiro: “O Mensalão
existiu. Vou ser claro: teve pagamento ilegal de recursos para políticos aliados? Teve.
Ponto final. É ilegal? É. E indiscutível? É. Nós não podemos esconder esse fato da
sociedade brasileira e temos que punir quem praticou esses atos”. Isso foi publicado.
Esperemos que se faça justiça!
João Alfredo Castelo Branco (São Paulo) - telobra@ibest.com.br
NR: Quem está mentindo? O atual ministro da Justiça ou os presidentes dos
partidos políticos que assinaram o ridículo e desesperado manifesto ao lado, que
já foi contestado e rejeitado por diversos "cumpanhêro" desses mesmos partidos?
(Foto: Folhapress)
Antônio Cruz / ABr
Marcos Pereira, PRB
Eduardo Campos, PSB
Rui Falcão, PT
PÔR FIM AO GOVERNO LULA
"Afirmo que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional. Corrupção tanto
mais nefasta por servir à compra de congressistas, à politização da Polícia Federal e das
agências reguladoras, ao achincalhamento dos partidos políticos e à tentativa de dobrar
qualquer instituição do Estado capaz de se contrapor a seus desmandos. Afirmo ser
obrigação do Congresso Nacional declarar prontamente o impedimento do presidente".
Palavras do ex-ministro de Lula, Roberto Mangabeira Unger (15/11/05)
(Foto: Dedoc / Editora Abril)
Aliados
O aperto de mãos antes
inimaginável, e agora
histórico: Lula com Paulo Maluf, ambos felizes
e sorridentes - e Fernando Haddad no meio
Lula com o senador
Renan Calheiros, que renunciou à presidência do
Senado em 2007 para
não ser cassado. Na ocasião, o presidente disse
torcer para que o “amigo” saísse ileso da tormenta que o enredou
Lula e um campeão da
moralidade pública:
Jader Barbalho, que renunciou ao mandato de
senador para não ser
cassado por corrupção
e já sentiu nos pulsos o
aço das algemas da Polícia Federal.
Lula com Severino
Cavalcanti, que renunciou à presidência da
Câmara e ao mandato de
deputado, em 2005, para
não ser cassado por
corrupção
H P T
Otávio Cabral
N U N C A
A CARTA DO LULA
Brasília, 29 de setembro de 2004
Caro (a) segurado (a) da
Previdência Social,
Em maio passado, o Governo Federal
encaminhou ao Congresso um projeto de Lei
para permitir aos aposentados e pensionistas
da Previdência Social acesso a linhas de créditos com taxas de juros reduzidos.
Agora, o Legislativo aprovou o projeto e acabamos de sancioná-lo. Com isso, você
e milhões de outros beneficiários (as) passam
a ter o direito de obter empréstimos cujo valor
de prestação pode ser de até 30% do seu
benefício mensal. Você poderá pagar o empréstimo com juros entre 1,75% e 2,9% ao
mês.
Esperamos que essa medida possa
ajudá-lo (a) a atender melhor às necessidades
do dia-a-dia. Por meio de ações como esta, o
Governo quer construir uma Previdência
Social mais humana, justa e democrática.
Afinal, a Previdência é sua!
C
TA
R
A
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente da República
AMIR LANDO - Ministro de Estado da
Previdência Social
M A I S H
Nº 182 - Setembro/2012
A PAZ NA COLÔMBIA: A QUE PREÇO?
As negociações de paz com as FARC estão sendo feitas sob injustos
acordos, muito favoráveis aos guerrilheiros e, principalmente, de modo a
dar especial destaque à atuação política do presidente da Colômbia.
P
* É jornalista independente, estudiosa do Foro de São Paulo e do regime castro-comunista e de seus avanços na
América Latina, especialmente em Cuba, Venezuela, Argentina e Brasil. É articulista, revisora e tradutora do Mídia
Sem Máscara e proprietária do blog Notalatina.
ELEIÇÕES:
VIVAS AO CAVALETE!
Houve
tempo em
que eleição
e poluição
* Hamilton Bonat
eram palavras sinônimas. Postes, viadutos, passarelas, muros e tudo
mais que servisse para rabiscar
ou colar cartazes tornavam-se
vítimas dos candidatos. Passado o pleito, dá-lhe dinheiro público para limpar a sujeirada! Em
vista disso, a justiça eleitoral
resolveu entrar em ação. A Resolução 23.370 normatizou o assunto.
Hoje, o que se vê é um
oceano de cavaletes. Na direção
em que se olhe, lá estão eles,
sorridentes, pedindo nosso voto. Às vezes, atrapalham
um pouco a locomoção dos
transeuntes. Mas isso não
é nada quando comparado
à sujeira de tempos idos.
Num jogo de pode
versus não pode, quem
saiu ganhando foi o cidadão. Pode, por exemplo,
entre 6 e 22 horas, usar
cavaletes e outros objetos
de fácil remoção que não
atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos. Em contrapartida,
não pode afixar cartazes ou qualquer tipo de propaganda em bens
públicos e de uso comum, como
postes de iluminação, sinais de
trânsito, vias públicas, passarelas e paradas de ônibus. Quem
desrespeitar é multado, num
valor que varia entre R$ 2.000 e
R$ 8.000. Pouco? Aparentemente sim, pelo menos para candidatos de bolsos recheados. Mas
eles sabem que a multa maior
virá das urnas.
O eleitor agradece, a cidade agradece, o contribuinte agradece. Estamos, enfim, livres das
pichações que, em época de eleição, emporcalhavam todos os
espaços, urbanos ou não. Aplausos para a justiça eleitoral! Vivas ao cavalete!
Mas parece que nem todos pensam assim. É o que tem
revelado a moda de destruir cavaletes. Recuso-me a acreditar
que a ordem emane dos candidatos ou dos partidos. Transfor-
mar em lixo o símbolo do aprimoramento da nossa democracia
seria um tiro no pé, além de um
tiro na própria democracia. Provavelmente seja iniciativa individual de quem não gosta de um
ou outro candidato. Nada mais
do que isso.
Inspiração diferente tiveram o diretor de arte Victor Brito
e o ilustrador Marco Furtado.
Como não existem fiscais suficientes para verificar se a lei
está sendo cumprida e a fim de
protestar contra a propaganda
política irregular, criaram a Cavalete Parade, manifestação
que propõe transformar cavaletes irregulares em arte urbana. O nome, segundo eles, faz
EM
TE O
VO PT
O RU
NÃ OR
C
ouco tem-se comentado sobre exterminar as Forças Armadas que, certamente, serão
um suposto “processo de paz” substituídas por seus guerrilheiros. Por outro lado,
que está sendo articulado entre o discute-se no Congresso, a pedido de Santos, o valor
governo colombiano e as FARC. Quando muito fala- do “salário” a ser pago a estes novos “cidadãos”, que
se de raspão, em notinha curta que não chama a já comenta-se ficará em torno de 1 milhão de pesos
atenção de ninguém e, ainda assim, louvando a “boa- (equivalente a R$ 1.000,00), quando o soldo dos
vontade” dos terroristas. Os episódios ocorridos na soldados que arriscam e entregam suas vidas diariaSíria e mundo islâmico, ao contrário, merecem desta- mente em combate não passa dos 600 mil pesos.
As FARC são as novas estrelas midiáticas e
que há semanas, mesmo que seja para perpetuar a
mentira de que o vídeo desimportante sobre Mahomé não há dia em que algum dos “negociadores” não dê
foi o causador do tumulto. E em que aqueles fatos nos entrevista nos canais de televisão, rádio e jornais, e
atingem? Em nada, que eu saiba, entretanto, este posam como respeitáveis personalidades que têm o
falso “acordo de paz” com os terroristas das FARC destino do país em suas mãos. Dentre as infinitas
nos dizem muito mais mas providencialmente não se aberrações ditas por seus representantes está a mais
fala no Brasil, porque há o processo do “mensalão” cruel de todas, de que não têm mais nenhum seqüessendo julgado e as eleições municipais batendo na trado. E as famílias em desespero se perguntam: o quê
porta, eventos muito propícios para se ocultar da fizeram de seus parentes há décadas seqüestrados, e
dos quais não se tem nopopulação as implicatícia? Foram assassinações que isto nos traria.
dos? Onde os enterraA primeira falsifiram? Em caso positivo,
cação deste acordo deupor que não entregam
se com o anúncio messeus corpos? Também
mo, pelo presidente Juan
para estes psicopatas
Manuel Santos, de que
não existe o comércio de
se iniciaram em agosto,
armas e drogas, mesmo
quando na realidade cocom as incontáveis promeçaram em fevereiro
vas que o mundo inteiro
deste ano em Havana. A
conhece.
segunda, é que as FARC
E Santos afirma
estão de fato interessaTerroristas
das
FARC
“Rodrigo
Granda”,
sem se ruborizar que
das em terminar com o
conflito. Para quem não Mauricio Jaramillo, “o médico”, e “Andrés París”: acredita na palavra das
os novos donos da Colômbia
FARC. E com a conivênacompanha, a idéia de
terminar com um conflito existente há mais de 50 anos cia de seu irmão mais velho, Enrique Santos, “ex”
e que já ceifou centenas - senão milhares - de vítimas membro do M-19 e amigo das FARC, deu cobertura
inocentes, como civis - crianças, mulheres e idosos para que os negociadores saíssem do país para Cuba
-, policiais, militares e jovens milicianos que são via Venezuela. E certamente é quem está custeando,
recrutados a força na base da chantagem, a idéia com o dinheiro dos contribuintes, a estada desses
parece atraente. Nenhuma pessoa normal e sensata, terroristas em Cuba desde fevereiro deste ano. Em
em sua sã consciência pode ser contrária à idéia de declaração recente, “Marcos Calarcᔠafirmou que o
paz, entretanto, vejamos a que custo os atores envol- “sucesso” do acordo vai depender da “oligarquia”
aceitar um cessar fogo bilateral e acatar suas proposvidos nas negociações desejam isto.
O presidente Santos tem apenas três fatores em tas que sabemos não vão ao cerne da questão que
mente: ser reconhecido mundialmente como o “fazedor são: fim do narco-tráfico, desmobilização com entreda paz” e com isto abocanhar o cobiçado Prêmio No- ga das armas e julgamento para os crimes de lesabel, ser re-eleito e/ou ser o próximo secretário geral humanidade. Isto não virá, tampouco está na pauda ONU. Tudo girando em torno do seu umbigo e do ta. Em troca, o ex-presidente Gaviria propôs que o
seu imensurável ego, e para isto pouco importa que presidente lhes conceda um “indulto”, enquanto
esteja vendendo o país a um bando terrorista sangui- que militares inocentes, como o coronel Plazas
nário e considerado um dos mais cruéis do mundo. Vega, amargam um condenação a 30 anos de prisão
Para satisfazer seus caprichos, Santos apre- por um crime que não cometeu. Com a lei “Marco
senta um discurso ao povo e à imprensa mas nos para a Paz”, Santos já lhes oferece impunidade
contatos com os terroristas vai cedendo a todas as total e direito a participar da vida política do país.
suas exigências. São eles que dão as cartas e impõem Então, terá êxito seu objetivo desde sempre, de
seu programa estabelecido desde a época dos funda- tomada do poder pela via legal, projeto do Foro de
dores, Jacobo Arenas e Tirofijo. Estão na agenda, por São Paulo, de Lula e Chávez. E será, também, o fim
exemplo, o modelo econômico, educacional, a refor- da democracia e das liberdades não só na Colômbia
ma agrária e a segurança. É de interesse das FARC mas em todo nosso continente.
*Graça Salgueiro
99
H
referência à famosa Cow Parade, mostra que espalha vacas customizadas pelas cidades: “a ideia é pegar emprestado um cavalete em situação
irregular e fazer uma intervenção artística por cima, cobrindo nome, rosto, número”.
A iniciativa parece boa, mas
traz embutido certo risco: além
de tentar fazer justiça com as
próprias mãos, o movimento
poderá vir a ser infiltrado por
gente que só procure “propaganda irregular” de adversários políticos.
A democracia é uma entidade ingênua. Daí a sua fragilidade. Por isso, requer todo tipo
de cuidado. Se um dia conseguirem acabar com os cavaletes,
poderá ser tarde demais para
chamar a cavalaria!
Por falar em cavalaria, você já escolheu seu candidato?
Não precisa ser, exatamente, de
Cavalaria...
* General da Reserva
http://www.bonat.com.br
Nº 182 - Setembro/2012
DITADURA MILITAR?
*Aristóteles
PODER, MEIO AMBIENTE E
GOVERNO MUNDIAL
É bastante questionável referir-se como
“ditaduras” aos governos militares pós 64.
Que ditadura promove eleições e dá posse à oposição?
Somente mesmo no Brasil...
T
odos os presidentes lhães, da Bahia, Ernesto Dornelles, do Rio
Drummond
militares foram elei- Grande do Sul, Costa Cavalcanti, de Pertos pelo Congresso Nacional e, por fim, a nambuco, Gilberto Marinho e Caiado de
chapa Tancredo Neves-José Sarney, pelo Castro, estes dois últimos do Rio. O geColégio Eleitoral, proposto pelo presidente neral Amaury Kruel, depois de passar à
Ernesto Geisel. Na eleição de Castello Bran- Reserva do Exército, foi eleito deputado
co, ele competiu com o ex-presidente Eurico pelo Rio de Janeiro, em 1966, e no partido
Gaspar Dutra e o general Amaury Kruel. de oposição. O vice-governador de São
Venceu com o voto de JK e tendo como Paulo foi o general Porfírio da Paz.
vice-presidente o ilustre político mineiro,
Permaneceram os que já estavam afasdo PSD, José Maria Alckmin, que foi minis- tados do serviço ativo, como os senadores
tro da Fazenda de JK.
fluminenses Marechal Paulo Torres e CoAgora essa desonestidade de só mandante Amaral Peixoto. Os que optaram
se referirem ao período que vai de 64 a 85 pelas funções públicas e se afastaram da
como “ditadura militar”, quando o Con- vida militar – Mário Andreazza, César Cals,
gresso esteve aberto quase todo o tem- Haroldo Correa de Matos –, que poderiam
po, as eleições para os legislativos sem- ter permanecido na vida pública, ao final do
pre foram realizadas, ilustres brasileiros regime, já estavam com idade avançada..
compunham as bancadas de oposição.
Alguns dos mais importantes minisEntre eles: Paulo Brossard, Tancredo tros do período 64/85 eram civis e marcaram
Neves, Roberto Saturnino, Itamar Franco, positivamente a vida nacional daqueles
Franco Montoro, Nelson Carneiro e Danton anos, como os casos de Delfim Netto, Mário
Jobim. Os governadores eram todos ci- Henrique Simonsen, Roberto Campos,
vis, políticos em sua grande maioria.
Alfredo Buzaid, Murilo Badaró, José Israel
É claro que a democracia era relativa, Vargas, Armando Falcão – foi líder de JK na
como disse Geisel, mas lonCâmara dos Deputados –,
ge de uma ditadura que impe- As prerrogativas das Hélio Beltrão, Nascimento e
disse o direito do ir e vir, que forças de segurança, Silva, Antonio Dias Leite,
a censura fosse total – a que como o próprio Ato 5, Eliseu Rezende, Leitão de
existiu foi localizada e, como
Abreu, João Camilo Pena e
foram criadas em
toda censura, burra. E as preruma lista imensa de notáveis.
função da ação de
rogativas das forças de seLogo, o regime 64/85
terrorismo pela via de
gurança, como o próprio Ato
foi civil-militar, lançado em
sequestros,
execuções,
5, foram criadas em função
Minas pelo governador
assaltos e até a
da ação de terrorismo pela
Magalhães Pinto com o
via de sequestros, execu- tentativa de ocupação apoio de seus colegas de
ções, assaltos e até a tentati- de parte do território São Paulo, Adhemar de Barva de ocupação de parte do
ros e Carlos Lacerda, da
nacional.
território nacional. O último
Guanabara, entre outros.
presidente, o da abertura e da anistia, Foi autoritário e impôs atos discricionáJoão Figueiredo, governou sem atos de rios em função de uma luta armada instaexceção, sem censura e com a abertura lada no país, orientada de fora, da URSS,
política, permitindo a eleição, em 82, de através de Cuba, assim como o fizeram em
adversários históricos do regime, como outros países do continente. Mas, difeLeonel Brizola, Miguel Arraes e Valdir rentemente de nossos vizinhos, aqui,
Pires. Além de outros da oposição mode- houve uma “ditabranda”, pois os poderada, como Tancredo Neves e Franco Mon- res funcionaram na maior parte das questoro. Ditadura curiosa esta, não?
tões que tocam a economia e a vida do
O regime de 64 cometeu um erro po- cidadão comum. Portanto, não se justifilítico grave, por excesso de escrúpulos do ca a violação da anistia, o assanhamento
presidente Castello Branco, quando alte- no sentido de colocar mal os militares.
rou o regulamento das Forças Armadas e Inclusive, pelo fato de boa parte das
proibiu o afastamento para funções fora da ações de repressão aos atos de violência
caserna por mais de dois anos. O militar ou praticados pelos membros da chamada
reincorporava ou ia para a reserva. Assim, “luta armada” ter ficado a cargo dos esficamos sem a presença militar, por exem- tados, governados por civis.
plo, no Congresso Nacional. Antes de 64 e
* Jornalista - Vice- Presidente da ACM/RJ
depois de 46, era significativa a presença de
aristotelesdrummond@mls.com.br
www.aristotelesdrummond.com.br
militares no Parlamento, como Juraci Maga-
10
* Osmar José de
Barros Ribeiro
Para as grandes potências, seria ideal que nos limitássemos
à condição de grandes exportadores de alimentos e
importadores de bens de alta tecnologia. São atuais
ameaças à economia e à soberania do nosso país, que o
Brasil precisa saber rejeitar, para que no nosso solo não
prevaleçam interesses estrangeiros.
Desde que o atual, vale citar a “novela” da construção
mundo é mundo, da Usina de Belo Monte que, quando
existe a disputa pelo poder entre as na- pronta, será de fundamental importância
ções. Muito embora ontem como hoje as para a produção de energia limpa e não
motivações variem, sempre estão presen- poluente, geradora de empregos e de
tes razões políticas, econômicas, psicos- atividade industrial, além de concorrer
sociais, militares e científico-tecnológicas. decisivamente para a ocupação de vaTal assertiva tornou-se ainda mais real zios demográficos no interior brasileiapós a 2ª Grande Guerra Mundial, quando ro. E qual a desculpa para os entraves
a busca pelo poder, encoberta pela dis- interpostos por uma Justiça envenenaputa ideológica, quase levou a humani- da pelo ecoxiismo? Belo Monte prejudade à hecatombe nuclear.
dicará o meio ambiente, inundará terras
Não cabe aqui disindígenas, matará os
Vale citar a “novela” da
correr sobre os problemas
peixes, provocará auconstrução da Usina de Belo mento populacional e
hoje existentes no mundo
Monte que, quando pronta,
e que vão, salvo melhor
coisas desse jaez. E
será de fundamental
juízo, do reacendimento
note-se que a geração
de velhas dissensões re- importância para a produção de energia será feita
de energia limpa e não
ligiosas entre o Ocidente
por um processo que
poluente, geradora de
e o Oriente, da transfornão utilizará toda a sua
empregos e de atividade
mação da China em popotencialidade.
industrial, além de concorrer
tência econômica e miliNada que seja
decisivamente para a
tar e do anseio russo de
idealizado é posto em
ocupação de vazios
voltar à antiga importânprática
de uma hora
demográficos no interior
cia mundial.
para a outra. Há que
brasileiro.
Esposados pelo
recordar a existência
socialista Willy Brandt quando chanceler de tentativas anteriores, em particular
da então Alemanha Ocidental, os funda- quanto à Amazônia Brasileira, tais como
mentos da pretendida Nova Ordem Mun- o projeto do Hudson Institute para a
dial hoje são tratados com o eufemismo criação de um Lago Amazônico; a verde “globalização da economia”. Tal glo- gonhosa tese francesa de “soberania
balização, considerando que as jazidas compartilhada”; a velada ameaça do
minerais de mais alto valor estão nos emprego de força armada em defesa da
países em desenvolvimento, torna os mais biodiversidade; a criação (com o aplaudesenvolvidos dependentes dos humo- so de muitos) de enormes reservas inres políticos dos menos adiantados. De dígenas que estão, por mera casualidaque forma eliminar tão incômoda depen- de, em áreas ricas em recursos minerais;
dência, já que a questão reside, além do etc.
mais, nos problemas relativos ao acesso
Para as grandes potências, seria
às mesmas?
ideal que nos limitássemos, juntamenA solução está em cercear o desen- te com outras nações, à condição de
volvimento das nações que buscam um grandes exportadores de alimentos e
lugar ao sol, através um virtual “apartheid” importadores de bens de alta tecnotecnológico que dificulte ou impeça seu logia, inclusive para a agricultura. Esta
acesso às tecnologias de ponta ou, caso é a globalização que buscam impingirtal não seja totalmente possível, pela cri- nos e em cuja defesa muitos, talvez de
ação de dificuldades promovidas por gru- boa fé, se alinham. O presente artigo
pos que, atuando no interior dos mes- está longe, muito longe, de abordar semos, esposem posições extremadas em quer as fímbrias da questão. Muito mais
defesa do meio ambiente.
pode e deve ser feito, para esclarecer
Sendo um tema de forte impacto nosso povo das ameaças que enfrentaemocional, a conservação do meio ambi- mos. Se tal não acontecer, estaremos
ente é empregada para retardar ou mesmo caminhando para a lamentável condiimpedir toda e qualquer ação voltada para ção de colônia, submetida ao controle
o desenvolvimento de países ou regiões. de um governo mundial.
*Coronel
Assim, apenas como exemplo recente e
Nº 182 - Setembro/2012
A DIFERENÇA ENTRE ESQUERDA E DIREITA
Há diferenças significativas entre Esquerda e Direita políticas?
Esquerda e Direita não seriam apenas exageros radicais?
Haveria entre elas muito mais semelhanças do que divergências?
Quais os reais antagonismos?
* A. C. Portinari
Greggio
N
o último artigo, falávamos da falsa Direita, corrente política
que tem surgido sub-repticiamente no
cenário brasileiro nos últimos três ou
quatro anos, com a finalidade de confundir a crescente massa de desiludidos com a Esquerda no poder, ocupar
o vazio e impedir o crescimento da
Direita autêntica. Mas o artigo não
esclarece a questão principal: se existe
a falsa Direita, como distingui-la da
verdadeira? Afinal, que é Direita? Que
é Esquerda?
Essas talvez sejam as questões
mais cruciais dos últimos 200 anos.
Em consequência da divisão entre Esquerda e Direita, dezenas de milhões
de pessoas morreram em guerras, revoluções, atentados terroristas, expurgos, genocídios e campos de trabalho; sem contar os muitos mais que
tiveram suas vidas arruinadas sob ditaduras totalitárias, mais centenas de
milhões irremediavelmente imbecilizados e depravados por tantas décadas de intoxicação ideológica.
Muito bem: qual a diferença,
então, entre Esquerda e Direita? Surpreendentemente, pouquíssimas pessoas sabem discernir exatamente entre
as duas, inclusive os mais fanáticos
militantes de um ou de outro lado.
Qual a diferença? A resposta
mais comum seria a velha dicotomia
entre socialismo e capitalismo. De
acordo com esse critério, a Esquerda
seria socialista, favorável ao planejamento central, à estatização da produção, etc.; e a Direita, logicamente, defenderia o livre mercado, a livre iniciativa, a não interferência do Estado na
economia, e assim por diante. Essa
interpretação herdada do século 19
não resiste aos fatos. As economias de
regimes “de direita” como a Alemanha
de Hitler e da Itália de Mussolini, por
exemplo, eram francamente socialistas. Do lado oposto, a economia da
República Popular da China, país oficialmente “comunista”, governado
pelos herdeiros de Mao Tse-tung, é o
mais selvagem e desregulado dos capitalismos. Se esses dois exemplos não
bastarem, vejam o caso do Brasil. O
regime militar, direitista da linha dura,
foi o mais estatizante, controlador e
centralizador da nossa História, tanto
que chegou a ser elogiado como “bom
exemplo” por economistas soviéticos. Paradoxalmente, vejam os atuais
governantes do Brasil, terroristas ligados aos regimes de Moscou, Pequim
e Havana, que nunca renegaram suas
ideologias. Aprenderam a mamar e a
surfar no capitalismo e hoje, além de
privatizar até mesmo os setores considerados mais “estratégicos”, estão
aí, open for business, na maior promiscuidade com a antes odiada “burguesia”. Definitivamente, não é a economia que faz a diferença entre Esquerda e Direita.
Descartado a falsa contradição
entre sistemas econômicos, como fica
a diferença entre Esquerda e Direita?
Há uma série de tópicos que poderiam
servir de critério. A Esquerda é tolerante em matéria de moral; a Direita é
mais rígida. A Esquerda é avançadinha,
pra-frente, liberal; a Direita é conservadora. A Esquerda é chegada a terceiro-mundo, gosta de antropologices e
sociologismos e odeia a civilização
ocidental; a Direita, não. A Esquerda
sonha com um mundo sem fronteiras;
Qual a diferença, entre
Esquerda e Direita?
Surpreendentemente,
pouquíssimas pessoas
sabem discernir
exatamente entre as
duas, inclusive os mais
fanáticos militantes de
um ou de outro lado.
a Direita considera a Nação como arcabouço da vida civilizada. A lista vai
longe, e abrange infinitas diferenças de
estilo e opinião entre Esquerda e Direita.
Mas, reparem bem: nenhum
desses pontos de divergência exclui
por completo o seu contrário. Se forem essas as distinções entre Direita
e Esquerda, não há diferença nítida
entre elas. Toda uma escala de posições intermediárias é possível. Esquerda e Direita seriam, nesse caso,
como esses catálogos de tintas de
parede, onde o freguês tem dezenas
de quadradinhos de cores cambiantes que vão dum extremo a outro. E
como, segundo Aristóteles, a Virtude está no meio, conclui-se tanto
a Esquerda como a Direita não passam de exageros radicais. O certo é
o Centro. Ou melhor: o negócio é
não ficar em lugar nenhum, e ao
mesmo tempo estar em todos. Não
é desanimador? Tanta teoria para
chegar à conclusão de que o ápice da
sabedoria política é o partido do
Kassab? Não dá vontade de fazer
haraquiri?
Como dizia Cole Porter, isso é
ruim demais para ser verdade. Alguma coisa não se encaixa. Sabemos e
sentimos, quase por instinto, que Esquerda e Direita são diferentes, antagônicas e incompatíveis, e não se trata
de mera picuinha de atitudes e opiniões que possam eventualmente ser
mediadas pelo tal Centro. Será que
existe algum inconciliável princípio
fundamental que as defina e separe;
alguma premissa ou axioma que, se for
aceito ou negado, automaticamente
classificará o sujeito como esquerdista ou direitista, sem possibilidade de
meio termo.
Resposta do jornal Inconfidência: sim, existem pelo menos dois
princípios fundamentais inconciliáveis que separam Direita e Esquerda. Dizemos pelo menos porque, como
consequência da deterioração cultural
da Esquerda nos últimos 50 anos,
surgiram outros, dos quais trataremos
no devido tempo.
Vejamos, caro leitor, a sua posição com relação a esses dois princípios.
O primeiro é o da igualdade. A
grande maioria das pessoas, seja de
Direita ou de Esquerda, aceita esse
princípio. A igualdade moral de
todos os seres humanos perante Deus
é dogma das principais religiões. A
constituição de 1988 consagra a igualdade jurídica no seu artigo 5º: Todos
são iguais perante a lei, sem distinção
de qualquer natureza. Mas será que
esses preceitos morais e jurídicos
implicam que todos os seres humanos
são, de fato, iguais em inteligência,
caráter, talento, coragem, e outras virtudes? Será que a evidente variedade
de compleições físicas e as diferenças
psicométricas entre indivíduos nada
significam? De acordo com o igualitarismo, a resposta é: isso mesmo,
nada significam.
O segundo princípio é o da
tabula rasa, ou folha em branco: todos os indivíduos nascem com a mente
inteiramente vazia, sem nenhuma predisposição inata ou herdada dos pais.
Todo o conteúdo da mente, tudo o que
o indivíduo virá a ser no futuro, é
adquirido ou aprendido. O indivíduo
pode herdar a cor da pele, dos olhos,
a ossatura, o tipo de sangue, uma
infinidade de caracteres físicos e condições genéticas. Mas não herda nada
em matéria de inteligência, caráter,
índole ou vocação. Tudo isso é aprendido, ou seja, tudo é escrito pelo mundo, pela escola, pelas influências, na
folha de papel em branco.
Esses dois princípios – igualitarismo e tabula rasa – definem a
Esquerda, e separam-na inconciliavelmente da Direita. É a partir dessa
diferença que será possível construir
uma doutrina coerente e científica da
Direita.
Voltaremos ao tema
no próximo artigo.
* Economista, ex-aluno da Escola
Preparatória de Cadetes de São Paulo
11
“Consta que o Exército destacou os
melhores e mais preparados oficiais da
inteligência para dar proteção diuturna
ao Ministro Joaquim Barbosa, relator do
processo do Mensalão do PT”.
*Valmir Fonseca
Azevedo Pereira
S
MAS COMO ACONTECEU?
eguidamente, recebemos mensagens indagando sobre a pretensa
(?) subalternidade que grassa nas Instituições Militares.
Algumas indignadas alegam que mais do que o sepulcral
silêncio, assombra a subserviência e mesmo a passiva convivência,
mesmo diante de atitudes e medidas do desgoverno que ferem
profundamente o que seria a dignidade militar.
Outras mais veementes fazem alusões à passividade pelo
expurgo de datas significativas para o Estamento Militar que foram
sumariamente execradas do seu calendário, como a Intentona Comunista de 1935 e a histórica Contrarrevolução de 31 de Março de
1964.
Cala fundo a falta de amparo aos militares que cumpriam missão à época nos Órgãos de Repressão, seja como simples agentes
seja como chefes ou responsáveis pelas medidas contra a subversão. O Cel. Ustra e outros são os exemplos vergonhosos do descaso
e do abandono.
Diante de tanta leniência, muitos perguntam, mas como aconteceu?
Especulando, podemos responder que a submissão não foi
repentina, ela foi construindo - se imediatamente após o término dos
governos militares. E os governos não eram do PT, eram de outros
partidos de triste memória.
À época, sob a batuta dos radicais da esquerda, os então Ministros Militares, e logo alguns Comandantes Militares, numa demonstração de extremada benevolência, talvez envergonhados pela vigência dos governos militares, diante das mais estapafúrdias solicitações ou determinações daqueles governichos, acediam sem
qualquer muxoxo.
Assim, na medida em que o tempo passava, novas imposições
e escabrosas restrições foram sendo acumuladas e assimiladas, de
forma a colocar as Instituições Militares como a quinta roda da
carroça, como dizia a nossa saudosa avozinha, e o pior, com o traseiro
à mostra.
A desmoralização foi num crescendo e atingiu o seu auge sob os
auspícios e ferrenho empenho da esquerda petista.
Acompanhamos o “tsunami” do revanchismo. Foram prédios
“batizados” em nome da luta subversiva, foram homenageados “heróis” terroristas de nomeada, foram construídos monumentos ao “embuste”, foram patrocinados livros que atacavam os defensores da
democracia e enalteciam os ignóbeis subversivos.
E foi “parido” o Ministério da Defesa sob a batuta de alguns abomináveis ministros civis, cidadãos de questionáveis qualidades para o
honroso cargo.
Viva Marighella, viva Dirceu e tantos outros e outras bem conhecidas.
Mas não era o suficiente, era preciso que a sociedade brasileira
sofresse na carne o seu apoio à contrarrevolução. E no bolso, também.
E ser subversivo, sequestrador, assaltante mostrou - se lucrativo,
pois mais de 04 bilhões de reais foram pagos aos patifes. E não apenas
em nível federal, pois alguns Estados, como o desgoverno federal,
também aquinhoaram os heróicos terroristas com benesses financeiras.
Hoje, quando alguém pergunta, mas como aconteceu? A resposta
é uma só, o descalabro foi construído paulatinamente na boa vontade,
na esperança de preservar a democracia, no receio de antigos chefes
militares que temeram que a sua justa reação pudesse soar como uma
tentativa ou esboço de uma nova contrarrevolução.
A sua benevolência ou fraqueza foi a motivação para que o solerte
inimigo se agigantasse, e hoje chegássemos ao cúmulo de aguentar uma
execrável Comissão da Verdade.
Que os futuros chefes aprendam a lição de que a dignidade, os
decantados Valores Militares repousam na excelência de suas Virtudes,
e que não “dar as costas” para o inimigo reconhecidamente traiçoeiro,
se não é uma Virtude, pelo menos não é uma retumbante idiotice.
* General - Presidente do TERNUMA
12
Nº 182 - Setembro/2012
BOLETIM DAS BAIAS
POSSO VOTAR NO PT?
(UMA QUESTÃO MORAL)
E
A
Padre Paulo Ricardo
ngana-se aquele que pensa que não
é da alçada da Igreja opinar em questões políticas. O Catecismo da Igreja Católica é bem claro ao dizer que “faz parte
da missão da Igreja emitir juízo moral
também sobre as realidades que dizem
respeito à ordem política, quando o
exijam os direitos fundamentais das
pessoas e das almas, empregando todos
os recursos - e somente estes - que estão
de acordo com o Evangelho e com o
bem de todos, conforme a diversidade
dos tempos e das situações.”
Assim, não só é lícito, mas como
imperativo que a Igreja se manifeste
acerca do posicionamento daqueles partidos que trazem em suas diretrizes a
obrigação e compromisso de seus candidatos com a aplicação de condutas
contrárias à lei moral, aos direitos fundamentais das pessoas e das almas, como
bem disse o CIC.
O PT é um deles. Seu estatuto reflete exatamente essa realidade, pois está
comprometido com a implantação da cultura de morte - em todas as suas nunces
- em nosso país. Por causa disso, o cristão católico não deve votar em candidatos pertencentes a esse partido.
suporte@padrepauloricardo.org
UMA CENA DE BRASÍLIA
E
Contado por quem presenciou esta cena
na Tratoria do Rosário na QI 17 do Lago Sul
is então que chega aquele senhor (JB) com alguns poucos acompanhantes e se dirige para uma mesa, apenas com mais um dos que para lá foram.
Passados alguns dez minutos um dos presentes levantou-se e olhando para a mesa
onde estava o senhor (JB), iniciou a bater palmas. Os presentes identificando do que se
tratava aderiram levantando-se e batendo palmas também (todos). Em pouco tempo o
restaurante parou, pois garçons e funcionários faziam parte do coro. E lá ficou ele (JB)
agradecendo de forma singela e educada essa marcante manifestação. (24/09). Internet
MINISTRO JOAQUIM BARBOSA
DIZ O QUE O POVO TEM VONTADE DE DIZER
por jorgemoacir
Um ministro que honra a Corte Suprema.
AOS DESINFORMADOS
Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais.
Prestou concurso público para Procurador da República, e foi aprovado. Licenciouse do cargo e foi estudar na França, por quatro anos,
tendo obtido seu Mestrado em Direito Público pela
Universidade de Paris-II (Panthéon-Assas) em 1990 e
seu Doutorado em Direito Público pela Universidade
de Paris-II (Panthéon-Assas) em 1993. Retornou ao
cargo de procurador no Rio de Janeiro e professor
concursado da Universidade do Estado do Rio de
Janeiro. Foi Visiting Scholar no Human Rights Institute
da faculdade de direito da Universidade Columbia em
Nova York (1999 a 2000), e Visiting Scholar na Universidade da California, Los Angeles School of Law (2002
a 2003). Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos
Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha. É fluente em francês, inglês e alemão.
(fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Joaquim_Barbosa)
QUADRILHA VOLTA A ATACAR
15 de junho, conforme publicado neste jornal (pág 19 - n° 179 de 30 de junho de
2012), levamos ao conhecimento do Chefe da SIP/4ª Região Militar, informações
sobre a quadrilha que atua em Minas Gerais, procurando aplicar golpes em pensionistas, aposentados e militares da Reserva, que foram repassadas ao Chefe da 2ª Seção do Estado Maior. Passados quase 3 meses, fomos cobrados por aqueles que nos
denunciaram o golpe, desejando saber o andamento das providências tomadas junto
à Secretaria Estadual de Segurança Pública/ delegacia policial.
A 12 de setembro, após orientação do Chefe da SIP/4, em contato telefônico com
o coronel Chefe da 2ª seção, fomos surpreendidos com a resposta:
"- Encaminhamos as informações para o CIEx - Centro de Informações do
Exército!"
ACREDITE, SE QUISER!
Será que teremos que procurar uma Delegacia de Polícia Cívil e fazer em B.O. Boletim de Ocorrência, quando tudo poderia já estar resolvido? !
OUTRA QUADRILHA
Essa age nos Correios. Faz tempo que temos cheques extraviados (mas não
depositados e descontados), sedex violado, AR não entregue e diversas outras falhas.
A 14 de agosto, uma assinante postou no Rio de Janeiro, uma carta registrada contendo o cupom de assinatura e um cheque nominal e cruzado. A 29, a carta foi entregue,
violada, sem o cheque, ao destinatário, Jornal Inconfidência, 14 dias após postada.
O cheque foi depositado a 22 de agosto em outro banco, constando no verso um carimbo (!) e assinatura do Jornal Inconfidência e os números do telefone da emitente rasurados e falsificados, conforme xerox em nosso poder.
A 12 de setembro, na 1ª Delegacia de Polícia Especializada de Defesa do Consumidor, este Editor, registrou em B.O - Boletim de Ocorrência (REDS 2012 - 001885321001) que foi encaminhado para 4ª Delegacia de Polícia Cívil, a quem compete tomar as
devidas providências, que serão acompanhadas por nós.
Também foi feito o registro da ocorrência na agência dos Correios, onde não
cremos que tomem quaisquer providências.
Não sabemos onde encontramos mais bandidos / ladrões
nas ruas ou em Brasília.
“Quando você perceber que, para produzir precisa obter a autorização de
quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia
não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno
e por influência, mais que pelo trabalho; que as leis não nos protegem deles mas,
pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a
corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, então
poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.”
(Ayn Rand)
O APEDEUTA E O BANCO
O presidente da República, na prática, atua como lobista e garotopropaganda de um banco, sob o patrocínio do dinheiro público. É a mesma
instituição envolvida no escândalo do valerioduto. Lula assinou uma carta aos
aposentados brasileiros relatando-lhes os passos que seu governo havia dado
para “construir uma Previdência Social mais humana, justa e democrática”.
O documento é de 29 de setembro de 2004. Auditores do TCU - Tribunal
de Contas da União concluíram que tanta bondade passou por uma ajuda
presidencial para “melhorar o fluxo de caixa das instituições financeiras”, em
especial o do BMG. Primeira Leitura - Nº 50 (Abril - 06)
A
ELEIÇÕES - REAÇÃO JÁ
lô minha gente, estamos cansados
de reclamar por melhores salários,
de greves, de reivindicações sem sucesso. O governo se faz de cego e surdo. Nossa arma é o voto. Brasileiros, uní-vos! Policiais civis e militares, militares das Forças
Armadas, servidores públicos, bancários, demais categorias, aposentados e
pensionistas e familiares, vamos reagir e
mostrar nossa eficiente arma: O VOTO!
Vamos mostrar a esses políticos que temos força. Unidos somos uma potência
de milhões de votos e a hora de começarmos a reagir é agora nas próximas eleições municipais como uma prova de fogo
aos governantes e politiqueiros. Não
votem em candidatos petistas ou da base
aliada ao governo ou anulem seu voto,
queremos mudança para uma nova esperança. REAÇÃO JÁ !!!
A IMPRENSA NOTICIOU
Nº 182 - Setembro/2012
13
DILMA E A ENERGIA ELÉTRICA
Belo Horizonte, domingo, 22 de abril de 2012
JORNALISTA MENTIROSO
Jornalista Marcelo da Fonseca do Estado de Minas
mente deslavadamente deturpando notícia e
incriminando o Exército Brasileiro
A MENTIRA
Publicado no Inconfidência nº 180, de 31 de julho de 2012
C
omo não pudemos concretizar o pedido de direito de resposta ou interpelação
judicial ao Jornal Estado de Minas, pela reportagem mentirosa e ofensiva ao
Exército Brasileiro, publicada em 22 de abril deste ano e julgarmos que essa
oportunidade não pode ser perdida, a 20 de setembro, expedimos ao Comando da
4ª Região Militar, com cópia para o CML - Comando Militar do Leste e
CCOMSEX- Centro de Comunicação Social do Exército, a seguinte mensagem.
Ao Comandante da 4ª Região Militar
Como já deve ser do conhecimento desse Comando, o publicado
no jornal Estado de Minas (vide anexo), com sede nesta cidade de
Belo Horizonte, deturpa evento ocorrido em Ipatinga, em outubro de
1963, incriminando o Exército Brasileiro, que deixou pelo menos 30
MORTOS e 3 MIL FERIDOS. Considerando, segundo parecer de
nosso advogado, que o Jornal INCONFIDÊNCIA não tem legitimidade nem competência para pleitear o exercício do direito de
resposta ou qualquer outra ação, uma vez que foi o nome do Exército
maculado e ofendido, cabendo somente a ele tomar as providências
julgadas oportunas e necessárias. Em consequência, por ser esse
Comando sediado nesta mesma cidade, compete a ele exigir uma
retratação e o direito de resposta, e talvez, até uma indenização
financeira por danos morais. Do exposto, aguardamos ansiosos a
decisão desse Comando, a fim de publicá-la em nossa próxima
edição.
Atenciosamente, Carlos Claudio Miguez / Editor do Inconfidência
CHEGA DE ENGANAÇÃO!
I
sso mesmo. Em rede nacional, a Presidente da República anunciou um
atípico pacote de bondades, resumido na
redução das tarifas referentes à conta de
luz. Pois bem: A COBRANÇA É INDEVIDA DESDE 2002, COMO CONSTATA O TCU, E O GOVERNO SERIA
INVARIAVELMENTE OBRIGADO A
DEVOLVER O VALOR – hoje calculado
em 7 BILHÕES!
“Conta de luz: relator do TCU pede
R$ 7 bilhões – Ministro vê cobrança
indevida e defende devolução a consumidor – O ministro Valmir Campelo, relator
do processo em curso no Tribunal de
Contas da União (TCU) que analisa distorções em reajustes das tarifas de ener-
gia elétrica no país, é favorável à devolução de pelo menos R$ 7 bilhões cobrados
indevidamente dos consumidores. –
Caberá à Aneel (Agência Nacional de
Energia Elétrica) decidir se a devolução será feita de forma individualizada
aos consumidores ou se será definida
com base nos próximos reajustes
tarifários – afirmou o ministro, que ressaltou que o TCU tem uma atribuição
constitucional para tomar essa decisão.
É isso aí! Sete BILHÕES de “ganhos indevidos”, valor pertencente aos
CONSUMIDORES. A “redução na tarifa”
é obviamente uma falácia, conversa-mole.
Fomos todos feitos de idiotas.
http://www.implicante.org/blog/sabe-a-reducao-da-conta-de-luz-a-dilma-te-fez-de-trouxa/
NR: Até a presente data, 30 de setembro, não recebemos qualquer
retorno, nem mesmo foi acusado o recebimento da mensagem, o que
lamentamos profundamente.
ESSE É DOS MEUS... GUERREIRO URBANO
Sabe a redução da conta de luz?
A Dilma te fez de trouxa!
A
GOVERNO DO PT LANÇA
BOLSA-FAMÍLIA PARA HOMOSSEXUAIS
tentativa de ganhar votos fáceis não tem tamanho. A Secretaria Nacional de
Direitos Humanos do Governo Federal acaba de lançar o Plano Nacional de
Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais,
que pasmem, promove o “Bolsa-Família Gay”, o “Bolsa de Estudos Gay” e Cotas para
professores gays. Os que antes se intitulavam perseguidos pelo preconceito, hoje
não nos deixam dúvidas, são vorazes destruidores de famílias e sedentos pelo Poder
e pela dinheiro público. DEUS, SALVE NOSSAS CRIANÇAS. (17/03/2011).
Vejam o video: http://www.youtube.com/watch?v=qd0wiII9k-Y
Temos que lutar contra essa viadagem institucionalizada pelo governo petista.
DEFESA NO MENSALÃO
M
NOTA DA COLUNA DO CLAUDIO HUMBERTO
inistro da Defesa faz declaração (em sua página oficial online em defesa de Réu no
processo do “Mensalão”. A página do ministro Celso Amorim (Defesa) nas redes
sociais sapecou: - “Defender o Zé Dirceu é defender fundamentalmente a consolidação
democrática em nosso pais. Chega de ditadura midiática”.
NR: O que é isto, cumpanhêro? O ministro da Defesa defendendo o ex-ministro José Dirceu,
considerado pelo Procurador Geral da República como chefe de uma "sofisticada organização
criminosa", criada para manter o PT no poder. E mantém como seu assessor outro corruPTo, José
Genoíno, ex-presidente do PT, também indiciado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. E ainda
vemos dois ministros da presidente Dilma, apoiarem a candidatura a prefeito de outro corruPTo, João
Paulo Cunha, felizmente não concretizada. É uma vergonha!
Nº 182 - Setembro/2012
14
OLHA OS CORRUPTO
Vale a pena ler de novo
O BRASIL PERDEU A PACIÊNCIA
COM A CORRUPÇÃO
L
ancetado com vigor no epílogo da
Era Collor, o tumor da corrupção
institucionalizada não foi removido do
organismo nacional. Despertou do sono
curto e reparador já no governo de
Itamar Franco. Nos dois mandatos de
Fernando Henrique Cardoso, recuperou boa parte da musculatura perdida.
Parece cada vez mais forte neste inquietante outono de 2005.
Está claro que não foi suficiente
lancetar o tumor. A hora, por tanto, é da
remoção cirúrgica. Basta de conversa fiada,
chega de mentiras, basta de filigranas, chega de sofismas espertos. Em nenhuma época os corruptos que sempre infestaram o
país exibiram tanta desfaçatez.
Nunca os brasileiros puderam ver
com tamanha nitidez o pântano dos ladrões federais. Dificilmente haverá momento mais adequado para a guerra de
extermínio. Que os acusados de todos os
governos sejam julgados sem demora. Se
condenados, presos sem tardança.
O país já não suporta ser humilhado pela procissão dos patifes impunes:
lalaus, silveirinhas, malufs, nayas, cacciolas, waldomiros, jucás ou edmares
afrontam a nação sobre andores escoltados por vampiros da saúde, prefeitos que
furtam merendas e ladrões postais. Agora
não dá mais.
Levado ao canto do ringue, o Brasil
saiu das cordas, paradoxalmente, depois
de dois golpes quase simultâneos que
anunciaram a iminência do nocaute. O
primeiro foi a tentativa governista de
Sabiam dos horrores divulgados
pelo JB em setembro e agora
confirmados por Jefferson.
É hora de falar. Delúbio Soares,
tesoureiro do PT, comprou votos
de deputados. Quanto e com
quem gastou?
evitar a CPI dos Correios. O segundo seria a cafajestagem criminosa chamada
“mensalão”.
“Se preciso, vamos cortar na carne”, prometeu Lula. É bom cumprir a promessa - e logo. Já deixou de defender Roberto Jefferson. É bom parar de solidarizar-se com gente como Romero Jucá, recitando que todos são inocentes até prova em contrário.
Sobram evidências contra Jucá.
Presidente que só demite ministros
depois de presos não merecer ter renovado o voto de confiança e o Brasil precisa
ser poupado da
discurseira dos advogados de delinqüentes de estimaJornalista
ção. José Genoino,
Augusto Nunes
José Dirceu, João
Paulo Cunha, Aldo Rebelo, Aloizio Mercadante: algumas horas de silêncio, por
caridade. E que falem os políticos honestos (não são poucos) silenciados pelo
corporativismo ou por conveniências.
Eles sabem bastante. Sabiam dos horrores divulgados pelo JB em setembro e
agora confirmados por Jefferson. É hora
de falar. Delúbio Soares, tesoureiro do
PT, comprou votos de deputados. Quanto e com quem gastou? Conseguiu o dinheiro no PT, abastecido por contribuições dos ocupantes de cargos de confiança, ou no governo? Sabe-se que a deputada Raquel Teixeira (PSDB-GO) recusou o “mensalão”. Quem fez a proposta?
Outros aceitaram. Quem são?
A nação quer saber o que houve e
o que há. Que as respostas não tardem.
Esperamos demais.
(Publicado no Jornal do Brasil - 12/06/2005)
NR: Atentem para a data deste artigo: 12 de junho! E o autor não sabia o que
estava por vir.
Publicado no Inconfidência, nº 83 de 12 de julho de 2005
PLANALTO PAGA
MESADA A DEPUTADOS
C
ontribuições em dinheiro em troca de
apoio a projetos foram controladas
pelo ex-assessor Waldomiro Diniz
Um esquema de distribuição de verbas mensais para assegurar a fidelidade
de deputados a projetos do Planalto está
ativo na Câmara. Foi inicialmente operado pelo ex-assessor Waldomiro Diniz e
ganhou sofisticação. O ex-ministro Miro
Teixeira e a senadora Heloísa Helena
confirmam a denúncia. Miro tentou convencer parlamentares inconformados com
a prática a levar o caso a Lula. Falhou e
preferiu deixar a liderança do governo.
(JB - 24 de setembro de 2004)
Em 24 de setembro de 2004, o JB
denunciava o pagamento de propina para
deputados apoiarem projetos de governo.
Será que o Gabinete de Segurança Institucional e a ABIN não tomaram providências por saber que a finalidade, seria um
projeto político do PT para alcançar o Poder
e de posse desse poder, chegar ao sonhado
socialismo, objetivo do Foro de São Paulo?
Ou não tomaram por pura incompetência ou
não quiseram desagradar o Presidente?
Felizmente em boa hora, o deputado Roberto Jefferson, talvez ameaçado
ou pressionado pela rede de corrupção
implantada pelos quadros do PT, houve
por bem denunciar os escândalos.
Teria razão de denunciar mesmos sem
provas? Parece que sim, pois a debandada
foi geral, começando com a queda do chefe
da casa civil, José "Daniel" Dirceu, seguindo-se diretores dos Correios, de Furnas,
do Banco do Brasil, do tesoureiro do PT,
Delúbio Soares; do secretário geral do
PT, Sílvio Pereira e outros, culminando
com a saída do presidente do PT, José
"Geraldo" Genoíno. E ainda vai cair muita
gente, quando o "homem da mala", Marcos
Valério for acuado e seus sigilos forem
liberados. O fio da corrupção começou a ser
desenrolado graças ao deputado Roberto
Jefferson que passou a ser admirado pela
sua coragem e ironia como enfrenta os
corruptos. Qual será seu destino?
Governador do Rio de Janeiro ou
candidato a Presidente da República?
Nº 182 - Setembro/2012
15
S AÍ, MINHA GENTE!!!
CORRUPTOS E MENTIROSOS
MENSALÃO
Revista
RevistaVeja
Veja -- 1908
1908
Mensalão - é o suborno pago a deputados corruptos
Show de Zezé de
Camargo e
Luciano para
arrecadar
recursos para o
PT, em 13 de
julho de 2004,
em Brasília
SANDRO MABEL, líder do PL
na Câmara, apontado pelo
deputado Roberto Jefferson
(PTB-RJ) como um
desenvolvidos como "mensalão"
Sandro Mabel Ofereceu à
deputada
(licenciada)
Raquel Teixeira
(PSDB/GO) R$
1 milhão de
reais como
luvas e R$ 30/
50 mil para
trocar de
partido. Líder do
PL, após debate
com o deputado
Roberto
Jefferson sumiu
de circulação.
ANDERSON ADAUTO,
é do PL, ex-ministro dos
Transportes, pasta responsável
do Dnit, órgão sobre o qual
recaem suspeita de corrupção.
Anderson Adauto
- Presidente da Assembléia Legislativa/MG, em 1999/
2000, aumentou
seu próprio salário
e de todos os deputados, alcançando
90 mil reais mensais. Apesar da
ação judicial impetrada pelo Mistério
Público, até hoje o
dinheiro recebido ilegalmente não foi
restituído pelos deputados.
JOSÉ GENOÍNO, presidente
nacional do PT, acusado por
Jefferson de ter conhecimento
do esquema de mesadas a
parlamentares
José Genoíno Nega constantemente que o PT
não tem nada
com a corrupção,
do mesmo modo
como nega que o
“Geraldo” não entregou todos os
guerrilheiros no
Araguaia. Como
acreditar, se ele
diz ter assinado
um contato de
empréstimo de
R$ 2,4 milhões,
sem ler e sem
discutir,
DELÚBIO SOARES,
tesoureiro do PT que,
segundo Jefferson,
ofereceu o "mensalão"
aos parlamentares do PTB
VALDEMAR COSTA NETO,
presidente do PL, acusado de
recebe e repassar recursos a
deputados em troca de apoio
ao governo
EUNÍCIO OLIVEIRA (PMDB),
min. Comunicações,
responsável pelos Correios,
órgão onde surgiram
denúncias envolvendo o PTB
Delúbio Soares
- Ligado a José
Dirceu, comandou a arrecadação
de dinheiro para a
campanha eleitoral de 2002. Registrou terras em
Goiás, com valores inferiores ao
mercado. É acusado pelo MP de
Goiás de enriquecimento ilícito.
Amigo de Marcos
Valério no suposto mensalão.
Waldemar
Costa Neto Presidente do
PP - Para desmenti-lo, nada
como sua exmulher que sabe das operações fraudulentas e dos milhares de dólares
recebidos. Roberto Jefferson
deu-lhe um cala
boca. Também
sumiu.
Eunício Oliveira - Autorizou a
veiculação, no dia
26 de junho, nos
principais jornais
do país um anúncio institucional de
página inteira com
o título CORREIOS - PATRIMÔNIO DO BRASIL,
para rebater acusações de corrupção. O MP deveria
responsabilizar o
autor da propaganda enganosa.
BOBO DA CORTE
Sabia ou não sabia?
Comprovadas as denúncias - corrupção, mensalão, lavagem de dinheiro,
formação de quadrilha, tráfico de influência, evasão de dívidas, falsidade
ideológica, como fica o presidente Lulla?
N
ão entendemos como alguns jornalistas e comentaristas políticos estão
tentando livrar as barbas de Lulla, dizendo-o inocente e que nada sabia.
Simplesmente ridículas tais afirmações. Temos 3 hipóteses:
1 - Sabia de tudo e para proteger
seus "cumpanhêro" Kamaradas dos tempos de sindicalista no ABC, fechou os
olhos, ficando de acordo.
2 - Sabia e não tomou providências tornou-se conivente com a corrupção.
3 - Nada sabia!!! E inacreditável! Os
órgãos de informações não apresentam relatórios; não lê jornais; não escuta rádio;
não assiste televisão; não utiliza computador; não conversa com qualquer assessor,
parlamentar, parente ou amigo; sua esposa nada lhe confia; não despacha com
ministros; não escuta ou vê as vaias que
lhe são dirigidas. Nesse caso, está explicado: como não é a rainha da Inglaterra,
é o Bobo da Corte!
Impedimento, já!
(Publicado no Inconfidência nº 83 de 12 de julho de 2005)
É
tanta bandalha neste (des)governo e
tanta corrupção e mentiras, que se torna
difícil escolher um assunto para esta página
dedicada ao PT.
Poderíamos ter como tema principal o
ex primeiro ministro José “Daniel” Dirceu,
mas ele já apanhou tanto do deputado Roberto
Jefferson e acabou nocauteado com a mentira
deslavada sobre a Portugal Telecom.
Outro, poderia ser José "Geraldo"
Genoíno, que mais parecia um teleguiado, de
tanta mentira produzida para tentar defender
seus “chefes” e depois, desmascarado, pelo
assessor de seu próprio irmão, sumiu.
Como é um grande mentiroso, desde os
tempos da guerrilha do Araguaia, não merece
qualquer outro comentário.
Marcos Valério deve ser um gênio (do
mal) por conseguir conviver por tanto tempo
com os corruptos e corruptores do PT, PL,
PP, PTB e PMDB, administrar todas maracutaias e ainda estar vivo.
Seria Lulla, mas é perda de tempo, ele
não sabe de nada, nem quem lhe paga as contas
e deve estar muito preocupado com o possível “impedimento”.
Elegemos então como figura principal,
o deputado João Paulo Cunha (PT/SP), pelo
que anda aprontando há muito tempo.
Sua mulher foi ao banco (Rural) acertar
o pagamento de uma conta de TV a cabo no
valor de R$400,00 e saiu com R$50 mil! Mas
isto é uma gota d‘água, comparado com o
tsunami que ele armou quando candidato e
como presidente da Câmara dos Deputados.
Nada melhor do que o comentário da
cientista política Lúcia Hippólito:
”Um personagem vem sendo esquecido, nesta avalanche de lama que parece engolir a tudo e a todos. No PT, no governo Lula
e na Câmara dos Deputados. Por que será
que o deputado João Paulo Cunha tem sido
poupado de perguntas, dispensado de dar
explicações, exonerado mesmo de qualquer
responsabilidade?
Vamos aos fatos. João Paulo Cunha
candidatou-se a presidente da Câmara dos
Deputados, em 2003, e contratou uma agência de publicidade para fazer sua campanha.
Até aí, tudo bem, tudo normal. Mas por que
cargas d’água alguém contrata uma agência
para fazer uma campanha em que não há
competidores? Isso mesmo. João Paulo concorreu em chapa única. Podia ter poupado a
Câmara ou o PT, sei lá quem pagou, dessa
despesa inútil. E quem foi o publicitário escolhido? Ele mesmo, Marcos Valério, atualmente o brasileiro mais conhecido e mais
presente na mídia e nas conversas.
Sem adversários, João Paulo Cunha
foi eleito presidente da Câmara dos Deputados. E decidiu, vejam só, contratar uma agência de publicidade para cuidar da imagem da
Câmara dos Deputados. E qual foi a agência
escolhida? Ela mesma, a agência de Marcos
Valério, que tinha feito aquela campanha eleitoral inteiramente desnecessária. Desnecessária,
é preciso repetir, porque João Paulo era
candidato único à presidência da Câmara.
Vamos em frente. Em 2003, a Câmara
dos Deputados pagou à agência de Marcos
Valério cinco milhões e 900 mil reais. E em
2004, segundo ano do mandato de João Paulo
Cunha como presidente da Casa, dez milhões
e 500 mil reais. Ou seja, um pequeno aumento
de 177%. Tudo isso para fazer propaganda
da Câmara dos Deputados.
Será que os 513 deputados federais
tinham conhecimento disso? E será que os
513 deputados sabiam que João Paulo encomendou ao amigão Marcos Valério pesquisas sobre suas chances na disputa pelo governo de São Paulo?
Tudo pago pela Câmara, naturalmente.
A pergunta é: por que diabos a Câmara precisa fazer propaganda de sua imagem,
se possui a TV Câmara, a Agência Câmara de
Notícias, site na Internet, espaço diário na
Voz do Brasil e pode requisitar cadeia de
rádio e TV a qualquer momento?
Porque será que o deputado João Paulo Cunha se considera acima de qualquer
suspeita?
Duda Mendonça
depõe à CPI dos
Correios e diz que
caixa 2 pagou a
campanha presidencial.
PUBLICITÁRIO
COMPLICA LULA
(Super Notícias - BH - 12/08/2005)
(Publicado no Inconfidência nº 84 de 12 de agosto de 2005)
NOSSO COMENTÁRIO
Quem poderia imaginar que estas duas páginas foram publicadas em julho e agosto de 2005!
Passados 7 anos, parecem escritas hoje, tal a sua atualidade e oportunidade.
E não estão completas! Faltando a carta expedida pelo então presidente Lula, aos mais de
13 milhões de segurados da Previdência Social, oferecendo o empréstimo consignado a juros mais
baixos, que beneficiou o banco BMG, triplicando o seu lucro em 2004. Circula na internet que
ele está sendo processado pelo Ministério Público Federal de Brasília, que pediu à Justiça, o
bloqueio de seus bens (que devem ser muitos...), acusado de improbidade administrativa por ter
usado verba pública ao expedir aquela correspondência.
16
Nº 182 - Setembro/2012
ASSINATURAS
3ª Parte
Assuntos Gerais e Administrativos
JORNAL INCONFIDÊNCIA
Assinatura anual
A. VIA POSTAL - Recortar (ou xerocar) e preencher o cupom abaixo, anexando
cheque bancário nominal e cruzado ou cheque dos correios, no valor de R$ 100,00,
em favor do Jornal Inconfidência e remetê-los para para Rua Xingu, 497 - Alto Santa
Lúcia – CEP 30360-690 – Belo Horizonte – MG - Não enviar dinheiro.
B. VIA BANCÁRIA - Depositar ou transferir para o Banco do Brasil o valor de R$100,00
– agência 2655-7 - c/c 28172-7 e por e-mail, enviar o quadro preenchido e o
comprovante do pagamento para jornal@jornalinconfidencia.com.br, ou telefax
(31) 3344-1500, ou ainda o cupom citado e o xerox do pagamento para Rua Xingu,
497 - Alto Santa Lúcia - CEP 30360-690 - Belo Horizonte - MG.
C. Valores superiores serão muito bem recebidos.
D. Informações - e-mail: jornal@jornalinconfidencia.com.br.
E. Renovação da Assinatura – a cargo do interessado (idem providências acima).
Verifique no canto superior direito da etiqueta de endereçamento postal, o mês/ano
do vencimento. E RENOVE!!!
PROFISSÃO/POSTO/ GRADUAÇÃO:
NOME COMPLETO:
ENDEREÇO:
RECEBIDAS
Recebemos as assinaturas (contribuições) abaixo, pelas quais agradecemos. Se algum
valor remetido (cheque bancário nominal e cruzado ou cheque dos Correios) ao JORNAL
INCONFIDÊNCIA não constar da relação, verifique onde foi depositado e comunique-nos:
PERÍODO DE 01 A 31 DE AGOSTO
Adv Alcino Barreto Coelho Junior - Belo Horizonte/MG, Adm Ana Paula Soares Carrapatoso - Guarapari/ES, Gen Div
Anápio Gomes Filho - Rio de Janeiro/RJ, Cel Antonio Batista Ferreira - Jaboatão dos Guararapes/PE, Gen Div Armando
Patrício - Rio de Janeiro/RJ, Cel Carlos Annibal Salgado - Santa Maria/RS, Comerc Cleber Murray - Contagem/MG, TCel
Edison Ribeiro - Rio de Janeiro/RJ, Ten Eduardo Caetano da Silva - Lavras/MG, Cap Elmo José Vieira Rocha - Juiz
de Fora/MG, Adv Euclides Alcides Rocha - Curitiba/PR, Fernando Carlos de Figueiredo - Maringá/PR, Juiz Gabriel
Felício Fernandes - Belo Horizonte/MG, TCel Gilberto Zeckliniski - Porto Alegre/RS, Cel Ivan Gomes Cancello - Rio de
Janeiro/RJ, Adv João Carlos Gonçalves Pereira - Lins/SP, TCel José Bastos de Souza - Vitória/ES, Cel Leopoldo Souza
da Silveira - Porto Alegre/RS, Cel Luiz de Alencar Araripe - Rio de Janeiro/RJ, Cel Luiz Philippe Frias - Rio de Janeiro/
RJ, Médico Marcelo Renato Soares Cardoso - Belo Horizonte/MG, Juiz Marcos H. Caldeira Brant - Belo Horizonte/MG,
Profª Univ Maria da Conceição Oliveira Campos - Belo Horizonte/MG, Profª Univ Maria Helena de Amorim Wesley
- Rio de Janeiro/RJ, Major Paulo Antonio Freire - Juiz de Fora/MG, Cel Paulo Fernando Hecht da Fonte - Natal/RN, Cel
Pedro Arnobio de Medeiros - João Pessoa/PB, Cel Pedro Silva do Nascimento - Rio de Janeiro/RJ, Economista Raphael
de Oliveira Rodrigues de Paula - São Paulo/SP, Cel Roberto Otto Popien - Porto Alegre/RS, Romeu Antonio
Martynychen - Curitiba/PR, Cel Rui Pinheiro Silva - Fortaleza/CE, Sgt Severino Gersino Lins Filho - Caxambu/MG, Maj
Vicente Daniel de Paula Silva - Guaratinguetá/SP, Cap Waldemar Monteiro de Azevedo - Juiz de Fora/MG + 1 civil
PERÍODO DE 01 A 29 DE SETEMBRO
Cel PMMG Adilson Bracarense - Uberaba/MG, Cel Aluísio Madruga de Moura e Souza - Sobradinho/DF, Associação
Beneficiente de Cabos e Soldados da PMPR - Curitiba/PR, Cel Délcio Erthal Tardin - Niterói/RJ, Cel Edvaldo Bezerra
Fialho - Brasília/DF, Cel PMMG Ellos Pires de Carvalho - Belo Horizonte/MG, Cap Félix Maier - Brasília/DF, Cel Francisco
de Assis Pinheiro Dias - Belo Horizonte/MG, Sra. Francisca Maia de Oliveira - Rio de Janeiro /RJ, Cel Herbert A.Seixas
Duarte - Rio de Janeiro/RJ, Vet FEB Ten. João Lopes Lambert - Cambuí /MG, Cel Joel de Carvalho Nascimento - Rio
de Janeiro/RJ, , Cel Mario Jorge de Souza Freire - Brasília /DF, Sra Muriel Heloisa Gaertner - Curitiba /PR, Ten. Ney
Tabalipa - Curitiba /PR, Cel Paulo Affonso de Albuquerque - Rio de Janeiro / RJ, Ten Plínio Marcionilo Galvão - Rio
de Janeiro / RJ, Contab. Raphael de Oliveira Rodrigues - São Paulo /SP, Ruralista Renato Nunes Rezende - Barbacena
/MG, Cel. Rubem de Sá Padilha - Campo Grande /MS, Cel. Sidonio Barroso Dias - Belo Horizonte / MG, Cap. Washington
de Souza Gomes - Ituverava / SP, Cel. Wilson Ribeiro Raizer - Brasília /DF
CONTRIBUIÇÃO ESPONTÂNEA
BAIRRO:
CEP:
CIDADE:
UF:
E-MAIL:
Ten R2 Almir Pazzini, Engº Aloisio Sá Freire de Lima, Ex Cmb Ten Ary Victorino Dias, Bady Jorge Caram, Cel Benedito da Silva
Serra Júnior, Adv Calil Jorge Sallum, Maj Aer. Daniel Tavares, Juiz Décio de Carvalho Mitre, Engº Fábio Belgrano Simoni, Cel
Helcio Francisco Silveira de Faria, Cap Iracy Firmino, Vet FEB Ten. João Lopes Lambert, Dr Joaquim Mendes Filho, Engº Licio Cadar,
Cel Av Olavo Nogueira Dell’Isola, Cel Orestes Raphael Rocha Cavalcanti, Sra Rosa Maria M. Abbés, Cel Wilson Ribeiro Raizer.
TEL:
Autorizo a publicação do meu nome
SIM
NÃO
O CRUZEIRO EXTRA
Edição Histórica da Revolução
10 de abril de 1964
Ao fazer ou renovar a sua assinatura, se desejar
receber via postal, um exemplar desta revista com
64 páginas, envie mais R$ 20,00, totalizando o
valor de R$ 120,00 ou peça somente a revista.
Esta revista pode ser encontrada nos seguintes locais: 1 - Loja da Bibliex, instalada no Saguão do Palácio Duque
de Caxias, no Rio de Janeiro. 2 - Banca de Jornais na Av. Olegário Maciel, em frente ao Hotel Platinum, em BH
3 - Martins Livreiro - Rua Riachuelo, 1291 - Centro - Porto Alegre
Visite o Museu da FEB
Aberto ao público de 2ª a 6ª feira de 13:30 / 17:00 h.
Belo Horizonte - Av. Francisco Sales, 199 - Floresta
Juiz de Fora - Rua Hoyan, 40 - Centro
São João Del Rei - Área do Círculo Militar - Centro
PRESTIGIE NOSSOS VETERANOS COM A SUA VISITA
AOS PROFESSORES
Para melhor ilustrar as aulas de História do Brasil, marque uma visita de seus alunos ao
Museu da FEB/BH ou em sua própria Escola. Tel. (31) 3224-9891/ Fax: 3222-8021.
Av. Raja Gabáglia, nº 4.000
Conj. 415 - Bairro Estoril
Cep: 30494-310 - Belo Horizonte/MG
Telefone (PABX): 31 2516-6380
À DISPOSIÇÃO DE NOSSOS LEITORES
PEDIDOS DE ASSINATURA
Em todos os
casos proceder
de acordo com
as instruções do
cupom ao lado
*
*
*
*
*
Jornal Impresso -------------------Jornal e Revista "O Cruzeiro"
Jornal e Livro Médici ------------Jornal, Revista e Livro ---------Jornal pela Internet ---------------
R$
R$
R$
R$
R$
100,00
120,00
130,00
150,00
25,00
Aos assinantes e associados
do INCONFIDÊNCIA.
Favor enviar o seu e-mail para
jornal@jornalinconfidencia.com.br
a fim de que possa ser cadastrado
e receber o Inconfidência pela internet.
Desde já, agradecemos.
NOVO ENDEREÇO DO
GRUPO INCONFIDÊNCIA
Caixa Postal: 7789
CEP: 30380-103 - Belo Horizonte / MG
(31) 3275-4124 / 8844-3592
E-mail: contato@grupoinconfidencia.com.br
LEITOR
OPINIÃO DO
Nº 182 - Setembro/2012
CÓDIGO PENAL
EDUCAÇÃO, SAÚDE E POLÍTICA
Coronel Antonio F. Cunha
E
mbora eu seja desobrigado de votar, especialização, mestrado, doutorado e o
no próximo mês de outubro estarei nojento pós-doutorado), todos custeados
diante da urna para cumprir com esse hábi- pelo aluno ou seu responsável, podendo
to, causado pela realização de eleições ge- ser grátis se comprovada a carência finanrais de dois em dois anos. Como pode um ceira do estudante, de quem por ele responpaís de povo pobre e carente de quase tudo, de ou do próprio profissional; prego ainda,
gastar tanto dinheiro com elas, com os que nenhum curso superior conte com meescandalosos 13º, 14º e 15º ­­­salários dos nos de oito semestres letivos.
deputados federais e senadores, e com o
Em relação à Saúde, é fenomenal o
excesso de desmandos e ainda querer as- crescimento da medicina cirúrgica e da
sento no Conselho Permanenreprodutiva, porém triste o rete de Segurança da ONU? Que os cursos de nível gresso da clínica, ao ponto de
colegial (segundo
Muito antes deste objetivo,
se um leigo portar uma afecção
grau de hoje) sejam
existe uma série desses abuda coluna, por exemplo, ele
profissionalizantes,
sos a resolver, dentre os quais
passa a dispor de três especiavoltados para as
destaco os relacionados com
listas (ortopedista, neurologisrespectivas profissões ta e reumatologista), e o pior é
a Educação e a Saúde.
superiores.
Com referência à Educaque às vezes, não obtém a alção, creio a solução estar na
mejada cura; esta condição, insemelhante decisão tomada pelo saudoso variavelmente, conduz o leigo à suspeita
Presidente Juscelino quando da constru- crença no desleixo do médico ou na aução Brasília; isto é, passar para 10 os meses sência do principal agente terapêutico
letivos do ano, para oito a carga horária formulado e prescrito. Creio convir notardiária com o aluno dentro da escola e para se, ser a Medicina a profissão que mais
30 dias as férias de janeiro e as de julho, parece haver aderido à Política, em supara todos os estudantes de até 15 anos de posta razão da enorme quantidade de méidade, no que ora se convenciona de ensino dicos nos poderes Executivo (Juscelino
fundamental, equivalente aos outrora cur- era médico, além de coronel da PM de
sos de alfabetização com três anos de dura- Minas Gerais) e Legislativo (vereadores,
ção para crianças de 4, 5 e 6 anos, primário deputados estaduais e federais e senacom quatro, para meninos de 7, 8, 9 e 10 dores); às vezes, penso estar a causa desanos, e ginasial também com quatro, para te fenômeno na ideia do coronel Jarbas
garotos de 11, 12 , 13 e 14 anos; deste modo, Passarinho, apresentada aos governos
aos seis anos o estudante estará concluin- dos generais Costa e Silva e Médici e por
do o “alfabetização”, aos 11 anos o “primá- eles aprovada, da instituição do Funrural,
rio” e aos 14 ou 15 o “ginasial”; mais ainda, garantindo ao trabalhador rural o direito
que todos estes cursos sejam gratuitos, à saúde e à aposentadoria no molde dos
mas obrigatórios os correspondentes aos urbanos, o que logicamente lançou médiantigos alfabetização e primário, e o ginasial cos nos pequenos lugares de todo o país
já profissionalizante. Que os cursos de ní- e com isto, o aumento do prestígio destes
vel colegial (segundo grau de hoje) sejam profissionais nos diversos rincões o que,
profissionalizantes, voltados para as res- por dedução, redunda no voto por gratidão
pectivas profissões superiores, e como estas às suas candidaturas.
(Fortaleza, 12 de agosto de 2012)
e os cursos de pós-graduação (residência,
M
ASSIM É MEU PAI
eu pai é gaucho da cidade de Rio
Grande. Sua família é de procedência
humilde. De aspecto físico saudável, cativa, pelo seu modo de tratar, a todos que o
conhecem. Profissionalmente ele é um homem realizado pois seguiu a carreira militar
com que ele sempre sonhou e atualmente é
instrutor da Escola de Comando e EstadoMaior do Exército. De sólida formação moral, tem altamente desenvolvidas as qualidades de nobreza e honestidade. Um dos
seus sentimentos dominantes é o de solidariedade humana. Meu pai é um otimista,
sempre encara uma situação pelo lado melhor. É uma virtude que muito admiro. Dedica suas horas de folga, que são raras, à
família ou ao estudo, pois está sempre atualizado com os assuntos que diz respeito a
Carlos Mello Marshall
sua carreira. Embora não seja um tipo brincalhão, é um sujeito alegre já que raramente
o vemos contrariado.
Normalmente, nem eu nem meus irmãos estudamos em sua companhia mas
sempre nos atende com a máxima presteza
quando solicitamos a sua colaboração. É
estimado por todos os seus companheiros
de trabalho e também pelos seus subalternos porquanto trata a todos com a mesma
atenção.
Sou grato pelo carinho, dedicação,
exemplo e educação que tem me proporcionado e espero no futuro dar um pouco de
mim em troca do muito que tenho recebido.
Carta escrita a 07 de agosto de 1968,
quando aluno do CMRJ, em homenagem ao
seu pai, Cel Isnard Marshall, no Dia dos Pais
17
SENHORES PARLAMENTARES:
* Márcio Luís Chila Freyesleben
Serão lembrados nas urnas aqueles que aprovarem as seguintes aberrações
do novo Código Penal:
1) Uma mulher pode interromper uma gravidez até o terceiro mês se um
psicólogo ou um médico atestar que ela não está preparada para ser mãe. Que
absurdo!
Desde quando um médico ou um psicólogo tem dados científicos para dizer
que uma mulher não está preparada para ser mãe?
A mulher, biologicamente e psicologicamente, já foi formada para ser mãe!
É uma maneira descarada de aprovar o aborto, contrário a princípios constitucionais que protegem a vida.
2) Outro absurdo é a liberação do uso de drogas. Tanto cultivar e transportar drogas para uso pessoal está liberado! Aí tem um dado dos hipócritas:
consumir drogas perto de escolas é crime. E a hipocrisia geral: criminaliza o
traficante.
Por algum acaso quem consome drogas, adquire de quem, um ser extraterrestre
ou um demônio que saiu do inferno para vender drogas?
Uma verdadeira palhaçada! Todo mundo sabe que a liberação de drogas
aumenta o seu consumo, e as drogas são um dos elementos mais terríveis como
produtora de violência.
3) Outro erro é comparar comportamento homossexual com racismo. Raça
você não pede para ser ou não decide ser, é! Homossexualismo é comportamento!
4) Outro absurdo é permitir a baderna de movimentos sociais, tais como
MST, que quebram repartições públicas, privadas e que o novo Código Penal os
protege.
*Procurador de Justiça do Ministério Público/MG
O SAXOFONISTA
H
á um belo conto da escritora Lygia Fagundes Telles narrando a visita de
um caminhoneiro a uma taverna de certa
polaca à beira de uma estrada. É uma pensão de comida horrível e pouca asseada
onde se hospedam anões de um circo
mambembe e gente de poucas posses.
Ali, ele presencia constrangedora cena
onde um exímio saxofonista tira um som
triste e melancólico do seu instrumento,
enquanto a própria mulher, jovem e bonita, com duas covinhas na face, se entrega
à devassidão num quarto vizinho da mesma estalagem. Exasperado com aquela situação, dirige-se ao músico e o questiona
com palavras rudes e severas: “E você
aceita tudo isso assim quieto? Não reage? Por que não lhe dá uma boa sova, não
lhe chuta com mala e tudo no meio da rua?
Se fosse comigo, pomba, eu já tinha rachado ela pelo meio! Me desculpa estar me
is
os Pa
Dia d
Cel Rui Pinheiro Silva
metendo, mas quer dizer que você não faz
nada?” - “Eu toco saxofone”, responde o
homem pálido e abatido, parecendo um
boneco de gesso. Essa triste história está
entre os cem melhores contos brasileiros
do século passado. Ao ler a narrativa, logo me veio à mente a infinidade de saxofonistas que se escondem pelo nosso
país afora. Não somente homens traídos
por suas mulheres, mas boa parte deles
ditos públicos que se sentem confortáveis com a corrupção desenfreada que
vem assolando esta nação. Homens e
mulheres que fogem às suas responsabilidades e, invariavelmente desonestos,
confessam de nada saber, procurando
justificar-se com a desculpa de que a corrupção brasileira é endêmica e está aí
desde D. João VI. Seus sinais de riqueza
logo ficam à mostra e a indignidade passa
a fazer parte de suas vidas. Suas famílias
têm conhecimento dessa desonra e compactuam, aproveitando o dinheiro farto
que jorra até das próprias cuecas... Nada
mais lhes importa a não ser aumentar
suas riquezas e os bens materiais, aparentando serem honestos e dignos. O
caráter que lhes adornava já é uma máscara de palhaço. A sensibilidade, se algum dia tiveram, se desvaneceu. Mas, cultivemos a esperança: um dia há de chegar
um caminhoneiro, rude e severo, para
questionar esta cultura da propina e da
desonestidade, e dessa feita, lhes acertar
um chute com mala e cuia, fazendo a
Justiça imperar para o bem da Nação brasileira. (Fortaleza, 27 de agosto/2012)
Nº 182 - Setembro/2012
18
SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL
RESULTADO DO IDEB/2011
5º a 9º Ano
COLÉGIOS
MILITARES
MANAUS
SALVADOR
FORTALEZA
BRASÍLIA
CAMPO GRANDE
BELO HORIZONTE
JUIZ DE FORA
CURITIBA
RECIFE
RIO DE JANEIRO
PORTO ALEGRE
SANTA MARIA
MILITARES SE DESTACAM NO ENSINO
Colégios mantidos pelo Exército estão no topo do ranking
do Ideb, à frente de 99,8% das escolas públicas.
O
s 12 Colégios Militares mantidos pelo
Exército estão no topo do ranking do
último Índice de Desenvolvimento da educação Básica (Ideb), divulgado no mês passado. Num universo de 30.842 escolas públicas, eles ficaram entre a 6ª e a 70ª posição.
O ranking considera o desempenho dos
alunos das séries finais do ensino fundamental.
Calculado pelo Ministério da Educação, o Ideb é o principal indicador de qualidade do ensino brasileiro. Dentre os 12
Colégios Militares , os de Belo Horizonte e
Salvador alcançaram o melhor resultado 7,2, na escala de 10 - o que lhes rendeu um
empate na sexta colocação nacional.
Considerados em conjunto, os colégios militares integram a elite acadêmica da
educação pública. Estão à frente de 99,8%
das escolas, conforme Ideb de 2011 dos
anos finais do fundamental.
Disciplina, aulas de recuperação e um
variado leque de atividades extraclasse fa-
zem parte da rotina. Além, é claro, de sapatos engraxados e uniformes impecáveis. O
código de conduta é rigoroso: quem for apanhado colando pode ser expulso.
Para o Exército, a rede de escolas
cumpre um papel assistencial: atender filhos de militares em suas constantes
transferências de cidade. Mas a excelência acadêmica fez desses colégios o sonho de muitas famílias brasileiras. Enquanto os filhos de militares têm preferência
na matrícula, um batalhão de crianças e
jovens sem vínculo com a caserna só entra se passar em concurso, os chamados
vestibulinhos.
Os Colégios Militares atendem 14,6
mil estudantes, em turmas do 6° ano do
ensino fundamental ao 3° ano do médio.
Todos seguem os mesmos curriculos e calendários, idênticos em todos os colégios, definidos pela DEPA - Diretoria de
Ensino Preparatório e Assistencial.
(Extrato/ O Globo 24/09)
SOLETRANDO
O
s três finalistas do
SOLETRANDO –
Programa Caldeirão do
Huck, foram os alunos
dos Colégios Militares de
Porto Alegre, Yasmin
Lewis Esswein; de Salvador, Rodrigo Ferreira e
do Recife, Ivan Nunes,
em um emocionante embate entre três unidades
do Sistema Colégio Militar do Brasil.
Yasmin, 14 anos, aluna do 9º Ano,
além do título de campeã nacional e do
prêmio de R$ 100 mil, conquistou também
os milhões de telespectadores por sua
simpatia, graça, beleza, espontaneidade e
competência.
Foi com uma
palavra portuguesa,
com certeza, que a estudante do Colégio
Militar de Porto Ale-
gre, Yasmin Esswein tornou-se, campeã em
soletração: endechador.
Assim, com ‘ch’ mesmo, a palvara
que se refere a um cantor de endechas ou
compositor de fados, segundo o dicionário
Aurélio, deu a Yasmin sua chance de ouro.
Para comemorar o feito, além da torcida organizada e da queima de fogos, foi
confeccionada uma faixa que está afixada na
frente do pavilhão de Comando do CMPA
e também um belo banner alusivo à sua
brilhante vitória.
COMUNICADO Nº 226
Brasília,19 de setembro de 2012
O
JOAQUIM BARBOSA CITA BOLSONARO NO MENSALÃO
CELSO AMORIM - UM NEÓFITO
“ESCOLHA DE MELHORES DEPUTADOS”
Ministro Joaquim Barbosa, do STF, ao proferir seu voto na sessão desta segunda
feira (17/09), para comprovar a existência do “mensalão” do PT demonstrou a
ocorrência de votações de grande interesse do Governo, como a da “Reforma da
Previdência” e a da “Reforma Tributária”, somente aprovadas após repasse de dinheiro
para deputados tendo citado o meu nome como o único a não votar com o Governo.
Embora honestidade seja obrigação de todos, fico confortado com o reconhecimento público e idôneo do Ministro Barbosa de quem já era admirador por sua postura
e conduta e que, agora, cresce ainda mais em meu conceito.
O Ministro Celso Amorim declarou no jornal “O Globo”, do domingo passado (16/
09), que “OS MILITARES ESTÃO FESTEJANDO O REAJUSTE” a eles concedido.
Ainda que me exaltando, em alguns momentos, fui obrigado a dar-lhe resposta à altura
desta mentirosa afirmação. Certamente muitos militares gostariam de ter a mesma
oportunidade para, melhor do que eu, também demonstrarem suas indignações.
O site www.congressoemfoco.com.br está promovendo a escolha do que denomina “os melhores parlamentares do Brasil”. Fui alertado da impossibilidade de
votação do meu nome, o que me fez contatar seus responsáveis (Tel. 61 3322-4568) para
saber o motivo, sendo informado que era pelo fato de ser homofóbico.
Resumindo: Deduz-se que para ser eleito bom parlamentar deve-se defender o
homossexualismo e lutar para a distribuição de kit gay em escolas de ensino fundamental,
isto é, para crianças a partir de 6 anos de idade.
Acessem aos vídeos:
JOAQUIM BARBOSA CITA BOLSONARO NO MENSALÃO
CASCUDO NO MINISTRO DA DEFESA
Atenciosamente,
JAIR BOLSONARO
DEPUTADO FEDERAL / RJ
www.bolsonaro.com.br
Nº 182 - Setembro/2012
CHICO PARAÍBA
19
*Irapuan Costa Junior
Tenente Ithamar! A Polícia do Exército americana veio aqui e prendeu o Chico Paraíba. Dizem que vai ser julgado pela corte marcial.
Quem falava era o sargento Arlindo, encarregado do alojamento de uma companhia do 11º Regimento de Infantaria da FEB-Força Expedicionária Brasileira.
E
stavam próximos à cordilheira dos
Apeninos e era o inverno italiano, no
começo de 1945. O Tenente Ithamar, com
seu grupo de reconhecimento, estava chegando de uma missão noturna junto às
linhas alemãs. Não tinham havido baixas,
felizmente. Mas nem por isso o humor do
tenente era dos melhores. Para a perigosa
missão, em terreno desconhecido, e à noite,
só contava com um guia italiano, em quem,
aliás, não confiara muito, desde o início.
Soldados em combate desenvolvem um
sexto sentido, e o seu não falhara. O italiano
era um covarde, que os abandonara na
escuridão de uma encosta, em meio a restos
de neve, quando uma sentinela alemã, percebendo os ruídos do grupo, rolara uma
granada morro abaixo; que felizmente não
explodira muito perto. Escafedera-se o
carcamano, e os brasileiros não mais haveriam de ouvir falar nele. Também pudera...
Se o encontrassem depois daquilo, iriam
moê-lo de pancada, no mínimo.
O tenente, quando pensava nele, praguejava entre dentes. Sem orientação, tivera que arriscar uma retirada que só era
segura morro abaixo. No sopé, sem direção,
poderia cair numa trincheira inimiga e seria
um desastre. O jeito fora esperar o inicio da
manhã e se guiar, mal e mal, pela bússola. Foi
o que fez, e conseguiram retornar, embora
os alemães, como todos os combatentes veteranos, tendo desenvolvido uma visão mais
acurada, os tivessem percebido, e disparado algumas rajadas de metralhadora quando se deslocavam. Mas nessa altura já
estavam fora de alcance.
Era, pois, um tenente Ithamar tenso,
sujo, com frio, fome e cansaço quem recebia
a má notícia.
- O que o Chico fez para ser preso?
- Disse que estava cansado dessa
ração americana e queria fazer uma sopa.
Deu um tiro de fuzil numa galinha e fez a
sopa. O italiano dono da galinha foi no
quartel dos americanos e deu queixa. Eles
vieram aqui e levaram o Chico. Tentei discutir com eles, mas não adiantou. Disseram
que é crime e está previsto nos regulamentos.
- Mas também está nos regulamentos
que quem julga nossos soldados somos
nós mesmos. Você não disse isso a eles?
Arlindo traduziu, e o capitão mudou lo. Disse que não sairemos daqui sem ele.
-Sim, disse, mas não quiseram me
Isso significa que, se preciso for, combateouvir. Eu não sabia o que fazer, eram muitos. um pouco sua postura, ao notar o olhar canremos para levá-lo, embora sejamos minoria
sado do tenente.
Achei melhor esperar o Sr. chegar.
- Ele pergunta em que pode ajudar, e provavelmente morramos aqui.
-Você, Arlindo, que fala inglês, venha
O americano ouvia com espanto cresmeu tenente.
comigo. Chame o Gaúcho, e pegue o jipe.
- Venho buscar um soldado meu co- cente a tradução. Já se preparava para o
-Vamos só nós?
mandado, indevidamente preso pela Polícia pior, quando olhou bem no fundo dos olhos
-Não é preciso mais ninguém.
do atarracado tenente brasileiro. O que viu
do Exército americana que, segundo ela,
- Vamos desarmados?
cometeu transgressão disciplinar, e a parte lá não foi do seu agrado. Também não foi o
-Não, armamento completo.
que não viu. Não viu medo. Não viu raiva
No trajeto, Ithamar, também parai- correspondente, para que possamos julgánem hesitação. Viu uma calma determinação
bano, ia pensando no seu subordinado e lo e puni-lo, se for o caso, em corte brasileira,
que não deixava margem a dúvidas. Viu que
conterrâneo. Chico era um cidadão muito como manda o regulamento.
- Ele diz que o soldado preso já tem a afirmação que ouvira com espanto era a
popular na tropa. Sem muita instrução, era,
pura expressão da verdade. Prova é que o
contudo um ás na música nordestina, can- processo em andamento, e pode ser julgado
tenente estava aferrado à sua Thompson, e
tor, tocador de sanfona, dançarino, conta- pelos americanos, pois o chefe do comando
por certo faria um estrago antes de morrer,
dor de causos e piadas.
se um tiroteio começasse ali. E ele estava
Seu sotaque carregado ajudiretamente na frente, enquadrado na linha
dava. Desinibido e folde tiro. Ou então – quem sabe? – sentiu
gazão. Sei que conhecem o
admiração por aquele tenente exausto que,
tipo. Faz sucesso também
como ele, lutava longe de casa pela liberdaem política. Chico era, além
de e não abandonava um dos seus nas mãos
disso, bom soldado. Faziade estrangeiros, ainda que aliados.
se respeitar no momento
O silêncio era gritante. Dizia muitas
do combate.
coisas. Mas não durou muito, embora pare-Arlindo, por que
cesse não acabar mais. Um minuto? Menos.
você não impediu o Chico
O americano virou-se para um subordinado:
de fazer essa besteira? Per- Busque aquele caipira e entregue a
guntou Ithamar.
eles!
-Quando vi, já tinha
Pracinhas do 11.º RI em uma trincheira
Ninguém falou mais nada. Nem quanfeito. Disse a ele que ia ter
do Chico Paraíba, risonho, sem saber da
problema, mas ele disse que estávamos conjunto é americano. Assim, não pode entragédia que quase tinha provocado, ennuma guerra de matar homens, e que proble- tregá-lo. - traduziu Arlindo a resposta.
trou na sala. Ithamar fez a continência de
- Diga a ele que não sairemos daqui
ma ia ter matar uma galinha?
praxe, voltou-se e saiu, com seus soldados
-Bem próprio da simplicidade do sem o meu soldado, pois não aceito a inChico, pensou Ithamar, quando já estavam terpretação dele e sou inteiramente res- e um Chico já tagarelando de alegria. Ouviu
o americano falar algo para seus compaponsável por cada um dos meus.
chegando no quartel americano.
O americano ouviu, esboçou um sor- nheiros. Mas nem perguntou a Arlindo o
- Arlindo, quero que você traduza
exatamente o que eu disser, seja lá o que for. riso, olhou para os outros americanos e que era. Já não interessava mais. Se tivesse
pedido a tradução, seria: “Esses brasileiros
perguntou, logo traduzido por Arlindo:
Entendido?
- Só vocês três? E como vocês pensam são loucos. Morreram às dúzias para tomar
- Entendido, meu tenente.
o Monte Castello. Verdadeiros heróis.”
O sentinela americano relutou em le- em levá-lo?
- Arlindo, traduza exatamente, repevar até o oficial de dia aquele tenente com o
* Foi governador de Goiás, prefeito de
fardamento sujo e seus dois acompanhan- tiu Ithamar: - Eu não disse que iremos leváAnápolis, senador e deputado federal
tes, mas não podia fazer diferente. Foram
NR: Esta crônica é uma homenagem ao Coronel Ithamar Viana da Silva, que recebeu
recebidos por um capitão americano com
várias condecorações por bravura na Itália. Na volta da guerra, fez o curso de engenheiro
quase dois metros de altura, bem fardado,
no IME- Instituto Militar de Engenharia. Foi professor universitário em Brasília e ocupou,
saudável, acompanhado de quatro outros
com dedicação e honestidade exemplares, vários cargos públicos em Goiás. Faleceu em 1999.
ianques, que os olhou com certo enfado.
- Diga a ele que lamento aqui comparecer sem estar devidamente fardado, mas
que acabo de chegar de missão recebida
do comando conjunto e não tive tempo de
me trocar.
Os Veteranos e as Enfermeiras da FEB, desfilando em Belo Horizonte,
a 7 de Setembro, no Dia da Independência
Nº 182 - Setembro/2012
ROBERTO FREITAS
Brasília - DF
Pacificação na Colômbia?
A presidente apoia o tratado de paz entre
o governo colombiano e as Farc porque esse
grupo de narcotraficantes e terroristas vem, ultimamente, sendo derrotado e cercado pelas
Forças Armadas daquele país. Se fosse o contrário eu duvido que ela apoiaria. Ia querer que
esses bandidos tomassem de vez o poder no
país vizinho o que facilitaria e muito a transformação do Brasil numa nova Cuba pela
proximidade das fronteiras. Quem duvidar
disso é só procurar ver as diretrizes do Foro
de São Paulo, arquitetado por Fidel Castro,
Lula, Zé Dirceu, Hugo Chavez e partidos revolucionários de esquerda da América do Sul. Quando esses vermelhos encontram-se em desvantagem apelam para a democracia a fim de enganar
os trouxas até o golpe final. (05/09)
VET FEB TEN JOÃO LOPES LAMBERT
Cambuí/MG
O Mensalão
Até quem enfim, sete anos depois, o Mensalão entra em julgamento. Os acusados finalmente irão sentar-se no banco dos réus e sentir
em suas cabeças o peso da espada da Justiça.
Durante a espera desse julgamento constatamos
que todos estes crimes e muitos outros continuaram a ser praticados e os envolvidos são os
mesmos dos partidos esquerdistas. O ministro
Lewandowski ao ler o seu voto, afirmou que um
juiz não pode se pautar pela opinião pública.
Nele se encarnou a figura do nazista Goebbels,
querendo transformar mentiras em verdades.
Afinal de contas, esse julgamento é para
por ordem à nação, ou para validar a corrupção?
Já é tempo de dar um basta em tanta roubalheira
do dinheiro do contribuinte. Com os meus noventa anos bem vividos já acredito que enquanto
a população não chegar a um consenso de que
devemos nos revoltar em massa contra essa
patifaria, essa roubalheira, implantada em nosso
Brasil pelo Lulismo e pelo Fórum de São Paulo,
não vai melhorar, visto que os acusados jamais
temeram a Justiça.
No dia 24 de agosto estive no meu Velho
Quartel do 8º R.A.M em Pouso Alegre. Atualmente 14º G.A.C – Grupo Fernão Dias, onde
comemoramos o Dia do Soldado (01/09)
Obs: Segue cheque nominal no valor de R$
300,00 (trezentos reais) para renovação da assinatura e R$ 200,00 (duzentos reais) como doação
para o nosso jornal
CEL JACINTO RODRIGUES FRANCO
Brasília/DF
As cotas e o Ideb
IDEB escancara o problema
das cotas no ensino superior.
Hoje o MEC publicou o IDEB, Indice de
Desenvolvimento da Educação Básica. A nota
das escolas públicas brasileiras de ensino médio
é 3,4. Estes alunos terão direito a 50% das vagas
nas universidades federais.A nota das escolas
privadas de ensino médio é 5,7. Estes alunos
disputarão os restantes 50%. Os alunos da rede
privada tem média 67% mais alta do que os
alunos da rede pública. Quando um professor de
Medicina, de Engenharia ou de Administração
encontrar estes dois perfis de aluno na sala de
aula da universidade, terá que fazer uma escolha: baixar o nível para que os alunos mais
fracos possam assimilar o conteúdo ou optar
por uma reprovaçao maciça. Alunos são como
atletas, não evoluem sem dominar os fundamentos. Qualquer professor sabe disso. Todo
CAIXA POSTAL
ADM. ALMIR PAZZINI LOBO DE FREITAS
Belo Horizonte/MG
O lunático é o mentor do mensalão
No demagógico desgoverno do ex-presidente, aconteceu os mais variados
crimes de corrupção todos acobertados num silêncio crepuscular pelo então presidente da República brasileira, que como sempre não sabia de nada.
Apontados pelo relator do mensalão, o Exmº sr.Ministro do Supremo Tribunal federal (STF), mencionou os crimes de corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
Fortunas foram amealhadas pelos participantes do então presidente, num esquema de corrupção de propinas oriundas dos desvios de verbas públicas.
Em principio foram denunciados por toda esta lambança política os seguintes corruptores de exclusivo plantão, os partidários José Dirceu, José Genoino,
Delúbio Soares, Marcos Valério e seus asseclas, o deputado Waldemar Costa Neto, o ex-deputado Roberto Jefferson, Romeu Queiroz, Bispo Rodrigues e, José
Borba. Porém, podemos estar certos de que acompanhado esta quadrilha tem muita
gente ainda a ser denunciada.
Um alerta deve ser dado, de acordo com que pregam os acusados em alto e
bom tom, “JAMAIS SEREMOS PENALIZADOS COM A PRISÃO”, mas o povo
brasileiro exige dos tribunais uma retomada do dinheirama amealhado pelos
desvios de verbas, o mais rápido possível, e alguns bons anos de cadeia, para
pagarem pelos assaltos financeiros praticados.
professor é um treinador. A decisão será
técnica ou ideológica. Técnica, reprovação.
Ideológica, aprovação mentirosa. Os resultados, em dez anos, serão alarmantes, em termos de qualidade. Basta olhar o IDEB e
projetar o futuro. (14/08)
ST VICENTE MUNIZ BARRETO
Cruzeiro/SP
Réus do Mensalão
O que assistimos nas alegações da defesa dos réus do mensalão, é a mais pura
desfaçatez orquestrada pelo ex-Ministro da
Justiça do 1º governo Lula. Nessa esteira, os
demais advogados seguem pari-passu a mesma estratégia, objetivando desdenhar a acusação do PGR. Concomitantemente, trabalham
para retardar o julgamento a fim de escluir o
Ministro Cezar Peluso, temido por eles por
ser especialista em Direito Criminal. Se conseguirem poderão sonhar com a absolvição
dos mensaleiros e camuflar a cumplicidade de
Lula nesse sórdido esquema. Na sequência,
certamente irão recorrer ao Vaticano para que
seus clientes sejam beatificados, e ao Lula,
que por descuido do Procurador Geral da
República ficou fora do processo, pedirão a
santificação. Porém, na enquete pela escolha
do maior brasileiro de todos os tempos, Lula
não foi laureado e amargou uma espetacular
derrota para o saudoso Airton Sena, ícone de
patriotismo, honradez e sem mácula de corrupção.
(dabmunizbarreto@hotmail.com)
CEL RUI PINHEIRO SILVA
Fortaleza/CE
Acabo de ler emocionado a edição do
Jornal 'INCONFIDÊNCIA', via internet, homenageando o maior militar brasileiro - Duque
de Caxias, nosso Patrono, o que só pode nos
tornar cada vez mais orgulhosos. A edição está primorosa, o conteúdo dignifica a imprensa
nacional e só lastimo que ´essa publicação não
seja distribuída por todos os soldados brasileiros e por todas as escolas do nosso território, o que seria ainda muito pouco , para que
todos os brasileiros ,por pequenos que fossem, também pudessem se orgulhar de que
nosso país foi berço de um homem de tal
magnitude. Isto posto, queira aceitar meus
cumprimentos e meu forte abraço pelo desvelo
com que edita esse dinâmico e incomparável
jornal. (30/08)
GEN LUIZ A. R. MENDES RIBEIRO
Belo Horizonte/MG
Mensalão
Que o Ministro Revisor no julgamento do
Mensalão exponha, com os detalhes que entender necessários e pertinentes, as razões de seu
voto nas questões em que discordar do Relator,
tudo bem !!! Perfeitamente compreensível !
Mas que ele exponha também todos seus
argumentos, todos os mínimos detalhes e todas
as razões que embasam seu voto, mesmo
quando ele concorda com o voto do Relator, será
isto realmente necessário, imprescindível...tudo
leva a crer que não!!!
E pior, este procedimento vem provocando seguidos e prejudiciais atrasos no andamento
do processo...e já há quem veja nisto algo intencional, retardar o desfecho deste julgamento !!!
Estes atrasos, retardando o desenrolar
e as conclusões deste processo, podem acarretar consequências... dizem que só a favor dos
réus?
Se é assim, com certeza essas delongas
tem de ser rigorosamente evitadas, pra não prejudicar o julgamento e a justiça que a Sociedade
espera!!! - Carta pub em 16 Set 12, com cortes
(negrito)
ODOALDO VASCONCELOS PASSOS
Belém/PA
Diga não ao massacre
Enquanto a CPMI do Cachoeira e o julgamento do mensalão tomam conta de mídia, os
aposentados e pensionistas que recebem benefícios acima de um salário mínimo continuam
amargando uma defasagem de 46,9% nos seus
parcos rendimentos. O presidente da Câmara,
deputado Marco Maia, continua engavetando os
Projetos de Lei 01/07, 3299/08 e 4434/08, e o
governo continua se beneficiando dessa subserviência da Câmara dos Deputados que não vota
os projetos que põem fim a esse verdadeiro
massacre. Negar-lhes os nossos votos é preciso! (08/08)
20
CAP FÉLIX MAIER
Brasília/DF
Patrioticamente repassando!
Prezados ministros do STF,
Por que ficaram de fora Lula, Lulinha e o
BMG (Banco Mensalão do Governo)? Serviço
mal feito do procurador-geral da república,
Roberto Gurgel, para livrar o verdadeiro Chefe
do Mensalão, Lula da Silva, o Ali Babaca (aquele
que finge que não sabia de nada sobre os “40
ladrões” que comandava), que o SBT quer transformar em “o maior brasileiro de todos os tempos”?
Como dizia aquele âncora expulso da TV
Record por trazer a público as maracutaias
petistas: “Isto é uma vergonha!”
Infelizmente, essa Ação Penal 470, vulgo
“Processo do Mensalão”, não passa de um circo
montado na Suprema Corte para enganar os
incautos, como já afirmou com muita propriedade Heitor de Paola em seu site. (14/08)
Cap Corv JOSÉ SILVA GAZAR
Salvador/BA
Lewandowski
Um juiz de uma alta corte de Justiça tem
que discutir, sim. Contestar, sim. Votar de acordo com a sua convicção, sim. Mesmo contrariando as expectativas dos cidadãos comuns. Mas
tudo tem limite, e o limite sempre começa quando
está em jogo a credibilidade da Corte na qual está
ele inserido. No caso do Mensalão quem estarão
sendo julgados não serão tão somente os réus,
mas a própria Corte. Não se acredita que depois
de tantos anos de investigações, todas convergindo para uma condenação, haja qualquer indício de
prevaricação por parte dos órgãos investigativos.
Enquanto no nosso país – não sei como se nomeiam juízes em outros países - for deste jeito,
todos eles se tornarão suspeitíssimos como é
o caso do juiz Toffolli, que teima em não
julgar-se impedido de julgar seus “ex-patrões”. No caso do ministro Lewandowski,
ele vinha se mostrando tendencioso. Deu uma
esperança de que seria linear, mas já se mostra
tendencioso a levar colegas de toga a
acompanhá-lo. Esperemos, pois.
zegazar@gmail.com
ENGº GERALDO DE CASTRO FILHO
Belo Horizonte/MG
A arapuca armada por Barbosa
A atuação do Ministro Joaquim Barbosa ao longo dos anos, enfrentando colegas
desonestos no STF e no Governo Central;
Colocando sua inteligência, ímpar, a
serviço da justiça enche de orgulho e de esperança aos brasileiros que professam a ética, a
honestidade a integridade moral a civilidade
e o patriotismo.
Ao mesmo tempo assusta a nação petista, pela eficiência com que ele apresenta
seus relatórios e votos desnudando a corrupção
deslavada e os planos diabólicos de conquista
do poder,
Que vem sendo paulativamente engendrado pelos comunistas ávidos de enriquecimento ilícito em alternativa a cubanização do
Brasil.
Temos um guardião no STF, lutando
contra uma quadrilha de juizes, antiéticos e
desavergonhados que trabalham em prol dos
petistas.
Existem dois tipos de petistas:
Os petistas autênticos, que são ladrões
autênticos e autênticos ladrões.
E os petistas disfarçados, que roubam
disfarçadamente fingindo que não são petista.
Nº 182 - Setembro/2012
campanha de endoutrinamento, visando forçar e
desvirtuar a natureza das crianças, com finalidades político-partidárias, bem como visando
atender objetivos egoístas e depravados.
O projeto de autoria de Marta Suplicy,
que em princípio visava evitar perseguições
aos homossexuais, transformou-se em uma
campanha de favorecimento total aos mesmos e
estímulo à homossexualidade. Basta ver um dos
itens do projeto, que proíbe aos psicólogos
tratar de homossexuais, mesmo que eles queiram mudar sua orientação. (20/09)
CEL JORGE CAETANO NASCIMENTO
Resende/RJ
Aumento
Hoje-16 de setembro- soube pelo jornal O GLOBO que os militares estão festejando o aumento de 9%,para o ano que vem,
que lhes foi concedido, segundo entrevista do
senhor Ministro da Defesa. kkkkkk
Comungo com a satisfação de vocês e,
principalmente, pela dos companheiros da
Ativa...(16/09)
CEL CÉLIO SANZ SOARES
Rio de Janeiro/RJ
Olho no olho,vocês não tem certeza
absoluta que o criador do mensalão foi o extodo poderoso LULA.
Não é possivel que qualquer cidadão com
um mínimo de inteligência e discernimento, possa
aceitar de maneira diferente essa versão.
Estamos tomando conhecimento, através do julgamento do mensalão, que a
roubalheira que envolveu muitos milhões de
reais, eram feitas a luz do dia, no próprio Palácio do Planalto, com movimentação intensa
de corruptos e corruptores nas barbas do
LULA, sem que o presidente soubesse de
nada.É muita ingenuidade pensar nisso.
Me engana que eu gosto.Não adianta
os partidos da base blindá-lo através de notinhas ao público. No fringir dos ovos ele vai
ser responsabilizado e preso.
Quem viver verá. (23/09)
STEN JOÃO CARLOS
GONÇALVES PEREIRA
Lins/SP
Comissão da Verdade
Foi criada a tão propalada Comissão da
Verdade. Que seja, de fato, pautada pela imparcialidade, sob os ditames da verdadeira
democracia, pois será composta de pessoas
que conhecem os fatos e a atuação de ambos
os lados. Que tragam à tona também os erros,
os abusos e o desrespeito aos direitos humanos cometidos pela facções de esquerda . Que
a Lei da Anistia seja respeitada, como já
decidiu o STF.
CEL FRANCISCO J. DOMINGUEZ
Brasília/DF
O Kit Gay já chegou
nas escolas privadas
Um alerta importante: Fiscalizem a
educação de seus filhos e netos.
Não deixem a tolerância e a compreensão descambarem para um perigoso desvirtuamento da sexualidade.
Progressivamente, a campanha contra
a homofobia está sendo transformada em uma
CEL OSMAR JOSÉ DE
BARROS RIBEIRO
Maringá/PR
Repassando
Agora entendi a rapidez com que o
magistrado Tori Zavaschi foi escolhido por
Dilma para ocupar o lugar que Peluso deixou
vago no STF: parece que seu “filtro interno”
contra corruptos não funciona, visto que ele
mostrou em seus 9 anos de atuação no STJ que
sua prioridade sempre foi garantir o direito
dos réus, um verdadeiro “garantista”.
Foi com seu voto que Palocci se salvou
num processo por improbidade, e Zavaschi
só não conseguiu o mesmo resultado com José
Roberto Arruda porque foi voto vencido.
Significa que, se por ventura, ele passar na
sabatina do Senado (e passará) e depois puder
participar do julgamento do mensalão...será
com seu voto que ele inocentará os petistas
numa situação de possível empate ... A escolha deste ministro foi mesmo de Dilma ou
daquele que jurou provar que o mensalão
nunca existiu? (FONTE - Josias de Souza) 15/09
ECON JOÃO ALFREDO
CASTELO BRANCO
São Paulo/SP
Rota desmoralizada só é bom
para o bandido
Em relação à carta “Governador desmoraliza a Rota e bandidos agradecem” ( A
Voz e a Vez do leitor), de Leandro Rodrigo
Martins, parabenizo o leitor pela sua mensagem oportuna e importante. A onda de violência que toma conta do Brasil é consequencia
da opção dos governos pós 1985 pela
marginalidade, com as políticas de tolerância
e defesa dos criminosos. Quero ser mais um
a apoiar a Polícia Militar e a Rota pelo bom
trabalho que vêm realizando em defesa dos
cidadãos trabalhadores e honestos.
NEI SILVEIRA DE ALMEIDA
Belo Horizonte/MG
Petista e Tucanos,
farinha do mesmo saco
O que deixa os políticos muito à vontade para serem sem-vergonhas é o próprio
povo. Imaginem que José Serra, jamais investigado, apenas de denúncias pesadas sobre ele
referentes á CPI da Privatária Tucana, comunista
ativo na era pré regime militar como presidente
da UNE, asilado político que se escondeu sob as
asas de Salvador Allende, foi o primeiro a buscar
em Paulo Maluf uma composição para as próximas eleições municipais. Quero ver os petistas
longe do governo e se possível até do país, mas
trocá-los por políticos do mesmo quilate como
José Serra, Fernando Henrique e Aécio Neves, seria o mesmo que trocar seis por meia
dúzia ou Tião por Sebastião.
SO GEORGE FERREIRA DA SILVA
Recife/PE
Paraguai
O impeachment aplicado ao governo
do Paraguai continua ocupando espaços na
imprensa, pela ingerência da Argentina, Brasil e Uruguai. Vislumbrandos nessa união uma
reedição do tratado da Tríplice Aliança, firmado em 1865. Todavia, outrora, foi para
combater o ditador Francisco Solano López e,
agora, discordantes do impeachment que afastou um governo inoperante. Nos últimos anos,
temos distribuídos afagos a governos de opressão, como Síria, Líbia, Irã e etc. Perdoamos
dívidas e ajudamos com bilhões, não obstante
nossas necessidades. Não temos dúvidas da
acolhida que seria dispensada ao recémempossado governo do Paraguai se este comungasse da mesma ideologia.
TEN ARISTOGITON FRANÇA
Curitiba/PR
Anistia
Em guerra ou revolução os adversários
não trocam abraços e flores mas sim, balas e
atrocidades. Na 2ª Guerra Mundial os Alemães, Russos, Japoneses, Ingleses, Americanos e outros cometeram atrocidades contra os
21
adversários.
Foram julgados pelas atrocidades os
perdedores ou seja, os do Eixo.
Caso o Eixo vencesse os aliados é que
seriam julgados. Não houve anistia.
Não sei porque na contra revolução de
1964 foi dada anistia aos perdedores, que
agora querem punir os vencedores e ainda
estão recebendo indenizações.
IVAN ZATHAR
São Paulo/SP
Integrar para não entregar
Telecurso 2º Grau, TV Globo
referente ao período de Getúlio de 1930 a 1945.
Observar a influência comunista no
texto apresentado aos alunos do telecursos 2º
grau às 05:30h do dia 14/08/12.
1 - Mentiram, vergonhosamente, referente a INTENTONA COMUNISTA em 1935 no
Rio, Recife e Natal, trataram, como de hábito, o
Sr Prestes como inocente angelical...
2 - Omitiram, completamente, a vinda
do citado Prestes, Olga Benário, Ghioldi,
Ewert e outros agentes da Internacional Comunista (Komintern) para o Rio de Janeiro e
o morticínio promovido pelos vermelhos contra colegas de farda;
3 - Surgeriram que o plano Cohen era
um pretexto do Getúlio para o encerramento
dos comunistas, colocados no telecursos,
como vítimas do Exército.
Os comunistas brasileiros sofrem de
uma enfermidade PARANÓICA ou seja, uma
doença mental onde sempre a culpa é sempre
do outro e o criminoso apresenta-se, a sí
mesmo e aos outros, como inocente, a caminho de estado santificado... angelical;
4 - observar como os criminosos do
MENSALÃO PETISTA apresentam-se como
vítimas inocentes, nada fizeram e contando
com outras quadrilha de advogados mentirosos e falsários no STF.
O Brasil foi transformado em um mar
de lama infecta demonstrando que o seu sistema político institucional está falido e em
estado terminal...
Forças Armadas do Brasil: o momento
se aproxima, pois quem serve a Deus e segue
os preceitos bíblicos, nada deve temer.
O Brasil espera que cada um cumpra
seu dever.
CEL. CARLOS DE SOUZA SCHELIGA
Rio de Janeiro/RJ
Custa-me crer que o ministro
Lewandowski não tenha percebido, ainda, que está ficando nítida, para aqueles
que acompanham seus votos a presença
de uma intenção deliberada de contribuir
para o alongamento do processo em curso
no STF. Sempre destacando, de início, que
procurará abreviar sua exposição, todas
suas intervenções têm destoado dessa sua
assertiva, uma vez que se fazem longas,
repetitivas e redundantes. Hoje levou uma
hora para discordar do voto do ministro
Joaquim quanto à Geiza Dias e uma outra
hora para concordar com a condenação de
Kátia Rabelo. Enfim, o ilustre ministro longe
de convencer aos que o ouvem, tem contribuído para deixar no ar a imagem de
quem está protelando intencionalmente
o julgamento, de um processo que a nação está ansiosa por ver concluído. 13/09
Nº 182 - Setembro/2012
22
MÉDICI: A VERDADEIRA HISTÓRIA
TRÊS CORAÇÕES/MG
E
ASMIR e a Câmara Municipal lançam
Médici, a Ver
dadeir
a História”
o livro “Médici,
erdadeir
dadeira
m Três Corações, a 17 de agosto, foi realizado mais um lançamento do Livro
"Médici – A Verdadeira História", em três
distintos locais:
Generais Pereira Gomes e Caldeira
e o Vereador Vilela
Sessão Especial e a seguir, o Coronel Miguez,
fez a apresentação do livro, dissertando sobre
os lançamentos anteriores e as realizações do
Governo Médici, quando aconteceu o maior
crescimento social e econômico de toda História do Brasil. O General Caldeira havia anteriormente presenteado cada um dos 10 vereadores com um exemplar do livro.
l A partir das 20 horas, na sede social da
ASMIR, por ocasião dos festejos pelo transcurso do Dia dos Pais, durante a já tradicional "Noite
dos Caldos", com o comparecimento de mais de
200 associados e familiares, aconteceu a apresentação do livro "Médici" com grande sucesso.
É de se destacar o ambiente de sã camaradagem e de alegria, concorrendo para isso, o
saxofone do Capitão-Músico Darci da Silva
que abrilhantou a noite com sofisticado repertório musical.
l Às 14 horas, em visita ao Comandante
da Escola de Sargentos das Armas – EsSA,
General de Brigada Luiz Carlos Pereira
Gomes, o Presidente da Associação dos
Militares da Reserva de Três Corações –
ASMIR/TC, General de Brigada José
Amaral Caldeira, acompanhado de seu
Vice-Presidente Capitão Luiz Antonio
Valim, do Diretor de Comunicação Capitão-de-Mar-e-Guerra Paulo Sérgio
Rezende de Carvalho e deste Editor,
quando foram oferecidos para a Biblioteca da EsSA 15 livros "Médici – A
Verdadeira História", 15 Revistas "O
Senhoras Marlise Pereira Gomes, Sylvia de Brito,
Cruzeiro/Extra" , os livros "Verdade,
Somente Verdade" e "Cadernos da Liber- Vanja Ferreira, Graça Lisboa e Manna Maria da Costa
dade", de autoria do Coronel PMMG Ellos Pires
Presentes os Generais Caldeira, Pereira
de Carvalho e do General Sergio de Avellar Gomes e Jarbas Bueno da Costa, os Coronéis
Coutinho, respectivamente, a coletânea do Jor- Flávio Sândoli de Brito, Francisco Ozéas Coenal Inconfidência/2011, e ainda, 400 exemplares lho, o Capitão-de-Mar-e-Guerra Paulo Sergio
da Edição Histórica do Duque de Caxias.
Rezende de Carvalho, os Capitães Olíbio Nunes
de Oliveira, Idário Olivo, os Tenentes Modesto de Castro e
Benedito Sérgio de Morais, o
Sargento Ramon Celso de Oliveira, todos acompanhados de
suas esposas, dentre outros.
Os nossos mais sinceros agradecimentos à Escola de
Sargento das Armas, à Câmara
Municipal de Três Corações, e
em especial à ASMIR de Três
Corações, pelo apoio incansáGeneral Caldeira oferecendo o livro "Médici" ao General
vel e divulgação do evento,
Pereira Gomes, Comandante da EsSA sob as vistas do
sem os quais não teríamos alcançado o nosso objetivo prinCapitão Valim, Comandante Carvalho e Coronel Miguez
cipal, apresentar a verdadeira
l Às 16 horas, em Sessão Especial promoHistória do Brasil.
vida pelo presidente da Câmara Municipal de
Três Corações, Vereador Altair Nogueira, que
expediu o convite para o lançamento, ao qual
compareceram o General Pereira Gomes, Comandante da EsSA, acompanhado de uma representação de cerca de 30 militares, o General
Caldeira, Presidente da ASMIR de Três Corações juntamente com sua Diretoria, membros
associados, militares da reserva, professores,
estudantes e representantes da sociedade
tricordiana. Na ocasião, o Vereador Antônio
Roberto Vilela, representando a Presidência da
General Caldeira oferecendo uma
Câmara Municipal, solicitou ao Tenente Molembrança ao Jornal Inconfidência
desto de Castro que procedesse a abertura da
RESENDE/RJ
Academia Militar das Agulhas Negras
E
m visita ao Comandante da AMAN- Academia Militar das Agulhas
Negras, general de Brigada Júlio Cesar de Arruda, no início da tarde de
20 de agosto, após os cumprimentos de praxe, foram oferecidos à biblioteca
e aos diversos cursos, 25 livros “MÉDICI”; 25 revistas “O Cruzeiro/
Extra- Edição Histórica da Revolução de 1964” na qual é apresentada uma
reportagem sobre a atuação da Academia Militar, então comandada pelo
general de Brigada Emílio Garrastazu Médici, que foi decisiva, evitando o encontro entre as tropas
do I e II Exércitos; 900 jornais Inconfidência/ edição histórica do Duque de Caxias; os livros “Cadernos
da Liberdade” e “Verdade,somente Verdade” e ainda a coletânea do Inconfidência / 2011. Finalizando
a visita, após os agradecimentos do general Arruda, foi formalizado o convite ao Comandante para
o lançamento do livro, a noite, na Faculdade Dom Bosco.
NA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO (AEDB)
Na noite de 20 de agosto, o Jornal Inconfidência lançou o livro Médici - A Verdadeira História
e distribuiu a edição histórica do Inconfidência em homenagem ao Dia do Soldado e dedicado ao Duque
de Caxias, o Patrono do Exército, na Associação
Educacional D. Bosco (AEDB), a convite desta Universidade, constituída de 3 faculdades e 15 cursos
superiores, possuindo aproximadamente 2.500 alunos. Esta entidade foi fundada em 1994 pelo Cel.
Professor Antonio Esteves e Oficiais professores da
AMAN. O lançamento foi a convite da AEDB e da
Delegacia da FAHIMTB – Federação das Academias
de História Militar Terrestre do Brasil que funciona
em seu interior e leva o nome do seu fundador e
também do ensino superior civil em Resende, a Delegacia Cel. Prof. Antônio Esteves, que tem por delegado o acadêmico Cel. Estevão Correia Neto.
O lançamento foi prestigiado por oficiais da
Reserva, na maioria professores da AEDB. Usaram da
Coronéis Miguez, Bento e Esteves
palavra o historiador militar e jornalista Cel. Cláudio
Moreira Bento, biógrafo militar do General Médici na obra História da 3ª Região Militar.
O orador destacou a contribuição do General Médici na preservação da História, ao iniciar a
construção em Tramandaí/RS, do Parque Histórico Marechal Manoel Luiz Osório, como comandante
do III Exército ( atual Comando Militar do Sul) e, a seguir, como Presidente, o Parque Histórico
Nacional dos Guararapes, no Recife, trabalho que coube a ele, coordenar pelo então IV Exército, o
seu projeto, construção e inauguração.
Destacou o Cel. Bento que ao Presidente Médici se deve
a majestosa sede no Rio, do Instituto Histórico e Geográfico
Brasileiro /IHGB, quando o seu Presidente era o Professor
Pedro Calmon. E ao ser recebido naquele Instituto, que desde
1925 guarda a espada invicta de Duque de Caxias, afirmou, “Não
se governa bem sem História e historiadores”. E lembrou o
Barão do Rio Branco, ex-presidente do IHGB, quando Ministro
das Relações Exteriores conseguiu com apoio em seus sólidos
conhecimentos de História do Brasil, aumentar o território
brasileiro em mais de 900 mil Km² pacificamente, sem disparar
um só tiro.
Coronéis Miguez e Esteves
Falou a seguir o Cel.Prof. Antonio Carlos, vice Presidente da AEDB e Diretor da Faculdade de Educação, filho do fundador dessa Associação, dizendo da
satisfação de receber este Editor para o lançamento do Jornal sobre o Duque de Caxias comemorativo
do Dia do Soldado e o livro sobre o Presidente Médici, segundo ele “valioso instrumento de Justiça,
na voz da História, como instrumento para que lhe seja feita justiça na História do Brasil.” Foi muito
destacado pelos presentes os textos e ilustrações, do Inconfidência abordando a vida e obra de Duque
de Caxias, uma tradição anual do jornal. A AMAN e seu comandante Gen Bda Júlio Cesar de Arruda
foram representados por seu assessor especial Cel Carlos Roberto Peres, historiador e vicepresidente da FAHIMTB, coordenador do projeto da história institucional da AMAN, comemorativo de seu bicentenário sob o titulo Academia Militar- dois séculos formando oficiais para o
Exército.
Ao final, a AEDB ofereceu um coquetel, durante o qual, foram adquiridos os livros sobre o
Presidente Médici e as revistas, distribuídos os jornais para a AEDB e
FAHIMTB, sendo ainda a biblioteca da
Associação presenteada com 10 livros e
duas centenas de exemplares do Inconfidência para a leitura dos universitários.
Os nossos agradecimentos aos
coronéis Cláudio Moreira Bento e Antonio Carlos Esteves pela inestimável
colaboração ao evento e pela cessão das
dependências do Espaço Cultural.
Nº 182 - Setembro/2012
ORVIL
LIVROS RECEBIDOS
TENTATIVAS DE TOMADA DO PODER
A FILOSOFIA E SEU INVERSO
Autor: Olavo de Carvalho
Descrição: O que é pensar? O que une Kant às decisões da ONU em
favor de um governo global? Por que o culto da ciência “ começa na
ignorância do que seja a razão e culmina no apelo explícito à
autoridade do irracional” ? Essas e outras questões são respondidas
por Olavo de Carvalho neste livro que reúne alguns de seus textos
produzidos nos últimos anos.
Ficha Técnica:
Editora: Vide Editorial
264 páginas - 16 x 23 com
Preço : R$39,00
D
O livro pode ser adquirido pela
internet, acessando http://
livraria.seminariodefilosofia.org e
nas Livrarias Cultura, em São Paulo.
O DUQUE DE CAXIAS DIA A DIA
e autoria do historiador Coronel Luiz Ernani Caminha Giorgis,
presidente da Academia de História Militar Terrestre do Brasil/ RS
e do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul, este livro foi
editado em Porto Alegre/2011 e apresenta relevantes registros históricos
em perfeita interconexão cronológica sobre a vida e obra do Duque de
Caxias.
E agora, publicado em e-book pela editora de PUCRS (Edipucrs),
podendo ser acessado pelo endereço: PAGINA DE EBOOKS:
http://www3.pucrs.br/portal/page/portal/edipucrs/Capa/PubEletrEbook
LINK DIRETO: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/Ebooks/Web/978-85397-0211-4/Index.html
O livro impresso pode ser adquirido por R$15,00, diretamente com o autor, Cel Caminha, pelo email lecaminha@gmail.com, onde se encontra ‘a
disposição dos leitores.
PRÓXIMOS LANÇAMENTOS
O
SALVADOR
presidente do Grêmio Marechal Cantuária, Cel José Morelli, contará com
o apoio e a divulgação da AMIRFA/BA, AREB/BA e da Associação de
Oficiais da Reserva/Reformados da Polícia Militar da Bahia.
Data e local: a definir.
O
FORTALEZA
presidente da ASORFAC – Associação dos Oficiais da Reserva e Reformados da Forças
Armadas do Ceará, coronel Francisco José Chaves de Oliveira, expedirá convite aos integrantes
do Grupo Guararapes, das Associações de Ex-alunos do Colégio Militar de Fortaleza e dos Oficiais
da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Ceará, aos sócios do Círculo Militar e do Instituto
Histórico e Geográfico e ao Comando da 10ª Região Militar, para o lançamento a ser realizado durante
o tradicional almoço mensal no Circulo Militar, às 12 horas de 9 de novembro.
A
NATAL
cargo do presidente da UNO – União Norterriograndense dos Oficiais da Reserva das Forças
Armadas e Forças Auxiliares, coronel Erland Correia Mota, que deverá receber o apoio da
Associação de Ex-alunos do NPOR e da ADESG.
Local: IATE CLUBE - Data/hora: 19/outubro - A confirmar
O LIVRO PODERÁ SER ADQUIRIDO POR R$ 30,00
NOS LOCAIS ABAIXO:
URUGUAIANA/RS
Livraria Mundo do Livro – Galeria Barcelona – Rua Duque de Caxias, 1748 – loja
15 – Centro - Tel. (55) 3412-3932
PORTO ALEGRE/RS
l Martins Livreiro – Rua Riachuelo, 1291
Centro - Tel.(51) 3019.4624
PIRASSUNUNGA/SP
l Cel Wagner Kourrouski
Tel.(19) 3562.8544
SÃO PAULO/SP
l ADESG/SP – R. Álvaro de Carvalho, 48 –
4º andar - Centro - Tel.(11) 3159.2933
(Sandra / 14 às 20 horas )
RIO DE JANEIRO/RJ
l Clube Militar - Av: Rio Branco, 251
Biblioteca - 6ª andar
l
www.livrariacultura.com.br
SANTA MARIA/RS
Coronel Leocir Dalla-Lana (Gorila) Rua
Riachuelo, 60 - Centro - Tel: (55) 3211-3630
BELO HORIZONTE/MG
l Banca na Av. Olegário Maciel
em frente ao Hotel Platinum
l Buquinar Livros Tel: (31) 3287-5166
BAGÉ/RS
l LEB - Livraria Editora Bageense
Av. Sete de Setembro, 1314 - Centro
Tel: (53) 3242-6142
leb2@terra.com.br
SÃO LUÍS/MA
l Livraria Resistência Cultural
liv.resistenciacultural@gmail.com
Av. dos Holandeses, QD 09, N-02
Calhau
l
jornal@jornalinconfidencia.com.br
23
Coronel Licio Maciel
O
do a eventos semelhantes.
A atual Administração, no entender de seu Presidente, Gen. Ex Renato
Cesar Tibau da Costa, cabe manter o legado imaterial e patrimonial herdado daqueles tantos que a antecederam. Essa
realidade ficou patente no marcante encontro vivido a 20 de setembro, por todos
os que participaram do lançamento de tão
admirável e oportuna obra.
Parafraseando o notável cineasta,
jornalista e escritor Ipojuca Pontes, “Tentativas de Tomada do Poder” ou Projeto
“Orvil”, livro às avessas no dizer dos
pesquisadores militares que o escreveram, passa a se constituir na obra especializada, extremamente bem escrita,
singularmente objetiva, com um acervo
de ilustrações relatos e registros históricos altamente relevantes.
O livro poderá ser adquirido
por R$ 72,00 na Editora Schoba:
www.editoraschoba.com.br ,
atendimento@editoraschoba.com.br,
telefones (11) 4029-0326 / 4021-9535.
Informamos que os próximos lançamentos dar-se-ão nas cidades de Brasília,
Fortaleza, Natal, Recife, Salvador, Belo
Horizonte, Juiz de Fora, Resende, São
Paulo, Santos, Curitiba, Porto Alegre e
Santa Maria, em datas a definir.
local do lançamento, correspondente a toda a área do 18º andar, foi
tomado pelos que acorreram ao Clube na
busca de uma obra de leitura obrigatória
para aqueles que pretendem conhecer,
com profundidade, as quatro tentativas
de tomada do poder pelos comunistas em
nosso país.
Trata-se de um trabalho de valor
incomensurável, elaborado por uma equipe de analistas do Centro de Informações
do Exército, no período 1985-1987, sob a
coordenação do então Coronel, mais tarde General de Divisão, Agnaldo Del Nero
Augusto, autor, também, dos já consagrados livros “A Grande Mentira” e ”Médici - a Verdadeira História”.
Das 16 às 19 horas, esgotaram-se os 250 livros postos à disposição de aproximadamente 400
convidados que ali compareceram, destacando-se os presidentes dos Clubes Naval, Militar e
Aeronáutica, militares da Ativa e
da Reserva, inúmeros generais,
asssociados, amigos civis,
famíliares, professores e estudanCoronel Licio e Leda Maciel, João Lucas Schoba e
tes, verdadeiro récorde compara- Flávia Stringa, diretores da Editora e Ten Conegudes
O texto do ORVIL foi fielmente mantido, atualizado de acordo com
a nova ortografia, sendo algumas fotografias substituídas por outras
mais nítidas.
O livro possui 920 páginas, capa dura, formato 16,3x23, e contém,
além do índice remissivo, extenso índice onomástico e os seguintes
acréscimos:
Apresentação: Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.
Prefácio: General Geraldo Luiz Nery da Silva.
Necrológio do General Del Nero: General Valmir Fonseca Azevedo Pereira.
Palavras de um Amigo de Infância: Dep. Federal / PTB-SP Nelson Marquezelli.
Epílogo: Brigadeiro Ivan Frota.
Contracapa: General Aricildes de Moraes Motta.
Organizadores:Tenente-Coronel Licio Maciel
Tenente José Conegundes do Nascimento.
Nº 182 - Setembro/2012
CAXIAS, A VERDADE E A
PACIFICAÇÃO DOS ESPÍRITOS
N
*Carlos Augusto Fernandes dos Santos
este reduzido espaço, não cabe o tamanho da indignação da família militar do
país. Ouso afirmar que não há, hoje, nas
Forças Armadas (FFAA) brasileiras, na ativa e, muito menos na reserva, um só soldado que não se sinta em desconforto com a
orquestrada campanha que, maliciosa e sorrateiramente , visa revisar a Lei da Anistia,
através da decisão, anunciada recentemente pela “Comissão da Verdade”, de só investigar os crimes cometidos pelos agentes
do ESTADO durante o período dos governos militares. Com essa decisão a “comissão de notáveis engajados”, mostrou suas
garras venenosas.
A dissimulada intenção de assegurar
aos brasileiros o direito à sua memória é revanchismo odioso que se contrapõe frontalmente ao virtuoso e necessário espírito
de conciliação nacional.
Pertinaz e recorrente campanha procura antagonizar as FFAA com o restante
da nação, comandada por setores ainda
inconformados com o que ocorreu em passado distante, quando alegam, hoje, diferentemente do que apregoavam anteriormente, que lutavam pela restauração da
DEMOCRACIA. Até as pedras sabem que
pretendiam implantar a Ditadura do Proletariado, cópia fiel do regime implantado à
força, em tantas outras nações vitimadas
no longo tempo da Guerra Fria.
Será que os velhos inimigos, sedentos de ódio,não perceberam que os militares mantêm-se disciplinados e coesos,
aceitando por interesse e convicção as
regras democráticas? Com que intuito
procuram remexer feridas e fantasmas que o
bom senso e a prudência vêm cicatrizando ao longo do tempo? Não julgam suficientes o Instituto da Anistia e as polpudas recompensas recebidas pelas famílias de desertores, por ex-terroristas
e assaltantes de bancos? O que mais desejam: a desmoralização de suas Forças Armadas?
A quem interessa essa provocação
desnecessária e inoportuna? Que vantagens a nação terá em alimentar essa atmos-
fera de cizânia e de discórdia? Será que nossos vizinhos lucraram e pacificaram suas
nações, com a obtenção da “verdade”? Que
verdade a nação precisa conhecer ? A dos
sofismas ou a real ? A dos vencedores ou a
dos vencidos?
Mesmo que os seus adeptos enfatizem o contrário, tentando mostrar imparcialidade, o que desejam é uma ribalta para
a teatralização de julgamentos espetaculosos, com o intuito de desmoralizar as
únicas instituições, hoje, capazes de impedir que a nação venha a ser silenciada pela
adoção de um regime totalitário contrário
aos nossos costumes e crenças. A sociedade não deve se iludir.
Diante da insidiosa campanha , como
cidadão e velho chefe militar, atrevo-me a
relembrar à sociedade brasileira sobre o histórico e exemplar papel desempenhado pelo
Duque de Caxias, patrono do Exército Nacional, quando em momentos graves da nacionalidade sempre optou pela pacificação e a concórdia, apagando com lucidez e
equilíbrio os resquícios de ressentimento e
de ódio da nação convulsionada.
O regime democrático, com o qual
estão identificados todos os militares brasileiros, pressupõe a subordinação do Poder
Militar ao Poder Civil. A “circunstância”
hoje, diferente da que vivíamos há quarenta
e oito anos, invalida qualquer aventura ou
intervenção fora dos remédios previstos em
nossa Carta Magna; isso não significa,
entretanto, que velhos e conhecidos detratores - quando jovens, simpatizantes do
fracassado marxismo de triste memória com seus ataques periódicos e contumazes,
sintam-se livres para continuar a destilar
seu interminável ódio e a difundir o “maldito credo” de resultados desastrosos e
perfeitamente conhecidos, ou de tentar, unilateralmente ,constranger aqueles que os
combateram com patriotismo, sacrifício e
sabedoria, com o frágil argumento de que
lutavam por um regime democrático e de
apontar para os ingênuos uma falsa e discutível “verdade”. (20/09)
privatizações
* General de Brigada
24
A CONDENAÇÃO DO CEL USTRA
FOI UMA ABERRAÇÃO JURÍDICA QUE SÓ SERVE COMO MARKETING
DA ESQUERDA RAIVOSA. ATREVO-ME A DIZER QUE ELA NÃO SERÁ
REFERENDADA PELO TRIBUNAL.
A
firmo isso com base nos seguintes argumentos:
1º. O juiz é incompetente para julgar a
matéria.
A constituição distribui a competência pelas diversas especialidade. Assim cabe
aos juízes do trabalho julgar matéria referentes ao trabalho. As causas cíveis e criminais
envolvendo cidadões e entidades privadas
estão atribuidas as Tribunais Estaduais. As
causas que envolvem entidades Estatais
são distribuídas aos tribunais federais. O
caso do Cel Ustra está albergado no art. 109
da CF que diz “Aos juízes federais compete
processar e julgar:.....V – A – “as causas
relativas aos direitos humanos...” Logo se
o juiz é incompetente para julgar a matéria a
sua sentença é nula de pleno direito. Vale
tanto como se minha fosse.
2º. O Cel Ustra é parte ilegítima para
responder pelo processo.
O Estado responde pelos atos de
seus agentes. Assim estabelece o § 6º do
art.37 da CF. Só o Estado poderia ser acionado no caso. Assim como o empregador é
responsável pelo atos de seus empregados
quando agem sob suas ordens. A ação visa
atingir o Cel Ustra, usado como bode
Coronel e Advogado Maynard José Pereira
expiatório, visando desmoralizá-lo e atingindo as FFAA. Serve apenas pela sua
repercussão.
3º. A ação não possui interesse de
agir. Significa que por esse meio a ação não
poderá trazer nenhum resultado para o proponente da ação. É uma das condições para
se propor a ação. Se ela não leva a nada o juiz
com base no art. 267 do Código de Processo
Civil extingue a ação sem julgamento do
mérito. Nesse caso a parte é ilegitima e falta
o interesse processual.
4º. Se crime houve está prescrito.
Nenhuma ação poderá ser proposta de reparação civil seja para dano material ou
moral decorrente de ato ilícito ou de relação
contratual. Essa era a legislação da época.
Leis posteriores não poderão retroagir para
alcançar o réu.
5º. Os autores já foram indenizados
generosamente pela comissão de anistia.
Atribuir-lhes mais uma indenização é enriquecinento sem causa. Isso é ilegal.
6º. A indenização foi desproporcional ao suposto dano moral. Corrigida hoje
ela será de R$ 409.500,00
Portanto serve apenas para fazer barulho e incomodar o Cel Ustra.
O QUE EX-PETISTAS E PETISTAS DESILUDIDOS
DIZEM HOJE A RESPEITO DO PARTIDO E DE LULA
“Diante das denúncias, os petistas optaram por uma saída jurídica, em detrimento
de uma explicação política. Isso só é possível para quem já decidiu abandonar a vida
pública. Esse comportamento reduziu as chances de sobrevivência do PT.”
Deputado federal Fernando Gabeira (ex-PT, hoje no PV-RJ)
“O partido confundiu-se com o governo, tornou-se aparelho
do Estado e acreditou que os fins justificavam os meios. Agora, só
há salvação se os responsáveis por tudo isso forem punidos.”
Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo (PT-SP)
“O PT foi atingido de forma irremediável. Do ponto de
vista do patrimônio da lisura e da ética, acabou jogado na
vala comum. E essa situação é irrecuperável.”
Deputado federal Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ)
“O PT errou: afastou a militância, pôs burocratas no
governo e se entregou às vontades de Lula. E que vontades eram
essas? Apenas a do poder pelo poder. Agora acabou. O castelo de areia ruiu.”
Economista e ex-militante petista Paulo de Tarso Venceslau, expulso do PT em 1997
“O PT cometeu o pecado original. Comemos a maçã proibida, o fruto da ambição.
Foram muitas mentiras. E o pior é que o PT só está querendo achar culpados individuais.
Não quer assumir o grande equívoco que cometeu com a nação.”
Deputado federal Paulo Delgado (PT-MG)
“Lula sempre compartilhou da intimidade do grupo e foi o principal beneficiário
de suas ações. Garante, porém, que nada sabia. Respeito quem acredita nisso, assim como
respeito quem acredita em duendes.” Ex-dirigente petista César Benjamin
“LULA ESCONDE A SUJEIRA”
O jurista Hélio Bicudo, de 83 anos, tem uma longa militância em favor dos direitos
humanos, na qual se destaca o combate à ação do Esquadrão da Morte paulista, no fim
dos anos 60. Relutou muito antes de decidir manifestar sua opinião sobre o governo Lula
e o PT, ao qual é filiado há 25 anos. Decidiu falar incentivado pela família e por alguns
amigos, inclusive da base petista. “Não posso admitir que dentro da história que venho
construindo, muitas vezes penosamente, eu possa ser considerado partícipe do que está
acontecendo”, disse Bicudo à editora de VEJA Lucila Soares.
Nº 182 - Setembro/2012
25
AUMENTO (?) DAS FORÇAS ARMADAS
N
9,14 %- O VITUPÉRIO
otícias divulgam que foi concedido, aos militares federais, um aumento de 30%, em três parcelas
a serem integralizadas, anualmente, a partir de março de 2013.
Caso sejam verdadeiras, apontam para o destrato com que os militares foram considerados
nesse lamentável episódio, que almejava corrigir a disfunção salarial, que se observa, especialmente
a partir de 2004, entre os militares federais e todas as categorias do serviço público federal, a ponto
de, em maio de 2012, as suas remunerações brutas médias corresponderem a 70% daquela da
Administração Direta, universo dos servidores civis que têm a menor remuneração em toda a União.
Essa evidência decorre do exame dos dados existentes no Boletim Estatístico de Pessoal nº 193,
pág 81 e 82, de maio de 2012, publicação do Ministério do Planejamento.
Com vistas a corrigir essa iniqüidade, os Comandantes da Marinha, do Exército e da
Aeronáutica, em agosto de 2011, encaminharam, aos setores responsáveis do governo, um
estudo minucioso sobre o assunto, no qual, apresentavam uma proposta para, pelo menos,
minorar a situação. Para isso, indicavam um reajuste de quase 50%, a ser integralizado em um
exercício financeiro, de modo que os militares federais ficassem próximos à categoria civil que
menos percebe na União.
Qual foi o desdobramento da questão?
O que se viu foi a procrastinação do problema de modo que a sua solução fosse cogitada
durante as reivindicações salariais de inúmeras categorias, já na fase final da elaboração da
proposta orçamentária para 2013, no bojo de um crise econômica.
No período de agosto de 2011 a agosto de 2012, sistematicamente, pronunciamentos de
diferentes autoridades, divulgados pela mídia, se referiam que a Presidente da República estava
sensível, contrariada (ou mesmo indignada), prometendo um tratamento diferenciado a ser
dispensado aos militares de modo a corrigir a situação em que se encontravam.
Ora o que se viu?
Subitamente, a necessidade de corrigir-se uma iniqüidade, que assumiu contornos dramáticos a partir de 2004, passou, ardilosamente, a ser considerada como um elemento das
discussões entre o governo e os diferentes sindicatos, de modo que o assunto, em um passe
de mágica, fora de toda a razoabilidade, revestiu-se de uma nova configuração: como repartir
o bolo do montante que o governo destinou a “ satisfazer a ganância dos servidores públicos, já
empanturrados pelos sucessivos aumentos concedidos a partir de 2004”, como já se disse .
Depois de marchas e contra marchas, de idas e vindas, de propostas de percentuais não aceitos,
noticia-se que os militares, privilegiados, tiveram um tratamento diferenciado das demais carreiras:
um aumento de 30% em três parcelas a partir de março de 2013.
PRIMEIRO, o problema do baixíssimo nível da remuneração dos militares nada tem haver com
as negociações sindicais relativas aos servidores públicos. Trata-se de corrigir uma iniqüidade, que
se tornou dramática a partir de 2004, quando os dispêndio com encargos do pessoal militar em relação
ao PIB passaram a ser
Percentual de despesas com pessoal em relação ao PIB
declinantes, enquanto
Pessoal 2 0 0 3 2 0 0 4 2 0 0 5 2 0 0 6 2 0 0 7 2 0 0 8 2 0 0 9 2 0 1 0 2 0 1 1
aqueles relativos aos servidores civis e à adminisAdm Direta 1,32 1,41 1,34 1,25 1,29 1,27 1,42 1,38 1,38
tração direta tornaram-se
Civis
2,63 2,68 2,54 2,59 2,59 2,58 2,89 2,74 2,70
ascendentes, como indiMilitares
1,18 1,06 1,05 1,09 1,04 1,05 1,05 0,98 0,94
cam os dados ao lado:
Fontes: - Boletim Estatístico de Pessoal Nr 190 – Fev 2012
SEGUNDO, a informação divulgada é tendenciosa, pois, na verdade, a realidade é que estão
sendo dados três aumento consecutivos de 9,14 %, sem considerar a inflação passada , pois o ganho
de poder aquisitivo em 2013 será apenas o relativo a 9,14% e não a 30% . Além disso , computandose o prognóstico da inflação passada, medida pelo IPCA, os aumentos de 2014 e 2015 seriam,
respectivamente, de 8,70% e 8,30%.
Portanto, de longe ,a solução divulgada repara a situação aviltante em que se encontram os
militares, o que exigiria, no mínimo, um reajuste de 50%, conforme o estudo apresentado pelos
Comandantes das Forças .
Na verdade, esses percentuais divulgados propiciarão, a partir de março de 2013, um aumento
na renda líquida de 70% dos 3º Sargentos, de cerca de R$ 180,00, a serem somados aos R$ 1.800,00
que já percebem. Total que esses militares disporão para atender a todos os encargos familiares:
de alimentação, educação, habitação, lazer e outros .
Um militar sujeito a preceitos rígidos de disciplina, com restrições de direitos sociais,
disponível para o serviço diário sem limitação de tempo, disponível, também, para servir em qualquer
parte do território nacional, mesmo em regiões inóspitas, e que, no desempenho de suas atividades,
em situações limites, arrisca a sua própria vida.
As projeções dos efeitos do acréscimo remuneratório previsto para os militares e dos
aumentos a serem concedidos, conforme o noticiado, às diferentes categorias do servidor público
da União conduzirão, com certeza, à uma situação em que os militares federais ficarão, tendo em
vista todas as outras categorias de servidores, a partir de março de 2013, em um nível ainda mais
degradante do que o atual. Portanto, não será reparada a disfunção que ensejou o esforço despendido
nas variadas iniciativas e estudos para resolver a mais grave questão atual das Forças Armadas
brasileiras, muito mais urgente e importante do que as suas carências materiais e de equipamentos,
mas, ao contrário, o problema tornou-se mais profundo.
Foi, na realidade, um aumento para baixo, que indica, com precisão, o grau de reconhecimento
dado pelo governo ao trabalho desenvolvido pelos militares brasileiros: 9,14 %.
Capitão de Mar-e-Guerra Galdino Ernesto Santuci
GRUPO DA RESERVA DISCORDA
DE OTIMISMO DA DEFESA
Junia Gama
Porta-voz do Clube Militar diz que aumento foi
“decepcionante” e que defasagem continua
B
RASÍLIA – As últimas conquistas das
Forças Armadas, como o reajuste salarial e orçamentos maiores para execução de
projetos de Defesa Nacional, não têm se
refletido em otimismo entre os militares da
reserva, aqueles que, justamente por já es-
relação a outras carreiras de Estado continua a mesma. A perda vem há mais de 10
anos e, mesmo com esses 30% divididos
em três anos, não chegamos nem ao nível
da Administração Direta – aponta o porta-voz do Clube Militar, general da reserva
Clóvis Bandeira.
Ele ressalta que, com a divisão
do aumento em três anos, a partir de
março de 2013, a inflação nos próximos três meses deverá impactar negativamente no reajuste:
- Por que não dar o aumento a
partir de agora, se já foi anunciado?
Foi contado como algo já concedido
para que o governo federal colha dividendos políticos nas eleições. Na realidade,
para boa parte da carreira os salários são tão
baixos, que esse reajuste vai significar R$ 100
ou R$ 200 a mais – afirma Bandeira.
E o salário,
oh!
tarem aposentados, são livres para pontuar
o sentimento de segmentos da caserna em
relação a temas políticos e sociais.
Após a entrevista ao GLOBO em que
o ministro da Defesa, Celso Amorim, destacou o crescimento do orçamento para a
Defesa nos últimos anos e a “atenção especial” com que os militares foram tratados
pelo governo nas negociações salariais –
30% para eles, contra 15% para os civis -,
dezenas de militares da reserva se manifestaram, inclusive com críticas ao ministro.
- O aumento foi decepcionante. Depois de tanto tempo, nossa defasagem em
“DESCONTENTAMENTO É ENORME”
Os oficiais da reserva dizem que,
também por isso, a carreira tem se tornado
cada vez menos atrativa.
- O descontentamento é enorme, as
Forças Armadas estão envelhecendo, os
jovens, na primeira oportunidade buscam sair imediatamente.
Publicado no jornal O Globo – 25/09/2012
NOSSO COMENTÁRIO
Lembramos que o último reajuste
concedido às Forças Armadas, ocorreu
em julho/2010, portanto quando entrarem em vigor os novos valores, a partir
de março de 2013, terão transcorridos
quase 3 anos e estarão prejudicados
pela inflação de no mínimo 4% ao ano,
tornando essa correção negativa.
Não é necessário ser economista,
para se chegar a essa conclusão.
Como manter atualmente a dignidade e ainda “engolir” a enganação
premeditada do governo federal / ministro da Defesa (tem um dos maiores
salários do país)? Mais uma vez, fomos
enganados e ultrapassados.
Em nosso poder, dois contracheques: de um 3º Sargento com 15 anos de
serviço, recebendo pouco mais de R$
2.000,00 (conforme publicado em nosso
jornal nº 177 de abril/2012) e de uma
pensionista de 75 anos, viúva de Capitão, com 5 empréstimos/consignações.
E como um soldado pode receber somente R$ 490,00 mensais (bem menos
do que um salário mínimo) e vale-transporte?
Aguardamos ansiosos que o Comandante do Exército coloque em execução o prometido abaixo:
Confiem que as manifestações de entendimento das nossas urgências serão
traduzidas em atos concretos; confiem na
valorização da carreira que escolheram por vocação; confiem nos estímulos que
recebem pelo seu profissionalismo; confiem que
existe o tempo certo para semear, cultivar e colher! (o grifo é nosso)
Mensagem do Comandante do Exército a 19 de abril (extrato)
Nº 182 - Setembro/2012
Nelson
Rodrigues
N
ão há nome intranscendente
e repito: qualquer nome insinua um vaticínio. Todo o destino
de Napoleão Bonaparte está no
seu cartão de visitas. Ao passo
que um J. B. Martins da Fonseca
não tem nenhum destino especial e vou mais longe: não tem
destino. Quando batizaram William Shakespeare, o padre poderia perguntar-lhe: “Como vão
tuas Obras completas?”. No simples “William Shakespeare” estava implícita a música verbal do
seu teatro.
Mas um certo nome exige
uma certa cara. Napoleão Bonaparte pedia um perfil napoleônico.
Um Gengis Khan precisa de
fotogenia. Ou então um John Kennedy. O que era o presidente assassinado senão o queixo forte,
plástico, histórico? Ele venceu
Stevenson e depois Nixon porque tinha as mandíbulas crispadas do Poder. Por isso, o tiro arrancou-lhe o queixo. Outro: Churchill, com a sua maravilhosa cara
de buldogue. Em todos os citados, cara e nome, justapostos, explicam uma nítida pré-destinação.
Fiz essa pequena introdução para chegar ao nosso presidente. Quando começou o jogo
de candidaturas, disse eu: “Ganha esse, pelo nome e pela
cara”. Não é impunemente
que um homem se chama
Emílio Garrastazu Médici.
Tiremos o Emílio e fica
Garrastazu. Tiremos o Garrastazu e ficará o Médici.
Bem sei que essa meditação sobre o nome pode
parecer arbitrária e até delirante. Não importa, nada
importa. Depois vi a sua
fotografia. Repeti, na redação, para todo o mundo
ouvir: “É esse o presidente”. Ora,
numa redação há sempre uns três
ou quatro sarcásticos. Um deles perguntou: “Só pelo nome?”. Respondi: “Pelo nome e
pela cara”.
Como já disse, a história e a
lenda também exigem uma certa
fotogenia. E senti que Emílio
Garrastazu Médici tinha um perfil
de moeda, de cédula, de selo. Or-
ganizem uma retrospectiva presidencial e verão que os nossos presidentes são baixos. Getúlio era baixíssimo, embora tivesse um perfil
histórico e, digamos, cesariano.
Epitácio foi fisicamente pequeno.
Era a pose que o fazia mais presidencial. Garrastazu Médici é o
nosso primeiro presidente alto.
Dirão vocês que eu estou valorizando o irrelevante, o secundário, o fantasista. Desculpem o
meu possível equívoco. E se me
perguntarem porque estou dizendo tudo isso, eu me justificarei
explicando: conheci, domingo, o
presidente Emílio Garrastazu Médici. E o pretexto para o nosso encontro foi um jogo de futebol.
Outra singularidade do chefe da nação: gosta de futebol e sabe viver, como o mais obscuro, o
mais anônimo torcedor, todas as
peripécias dos clássicos e das peladas. Isso é raro, ou melhor dizendo, isso é inédito na história dos
presidentes brasileiros. Imaginem
um Delfim Moreira, ou um Rodrigues Alves, ou um Wenceslau Brás
entrando no estádio Mário Filho.
Qualquer um desses perguntaria:
“Em que time joga o Fla-Flu?”,
“Quem é a bola?” ou “O córner já
chegou?”.
O nosso presidente sabe
tudo de futebol. Eu diria que hoje
nenhum brasileiro será estadista
se lhe faltar a sensibilidade para o
futebol. Mas dizia eu que foi um
jogo – São Paulo X Porto – que
nos aproximou. Na sexta-feira passada, o Palácio das Laranjeiras começou por me procurar. Se eu fosse terrorista, não seria tão perseguido. Finalmente, falo pelo telefone com o Palácio. O secretário
Avião Presidencial One Eleven
de Imprensa queria me transmitir
um convite. Onde e a que horas
poderia falar comigo? Marcamos
o encontro. Simplesmente, o presidente Médici me convidava para
assistir, a seu lado, na inauguração do Morumbi, ao jogo internacional. Eu iria, com S. Exa., no
avião presidencial. O presidente
fazia o maior empenho em que o
acompanhasse.
Aplausos a Médici
26
Confesso, sem nenhuma
no aeroporto. Tivemos uma pri- referência ao Brasil. E, no entanvergonha, que o convite me fascimeira conversa e, durante o dia, to, vejam vocês: o Amazonas
nou. O que têm sido as nossas
uma outra, e uma terceira, e uma tem menos população do que
relações com os presidentes da
quarta. Vi a seu lado a inaugura- Madureira. Aquilo é uma giganRepública? Nada. Sim, há entre
ção (ou a décima inauguração do tesca sibéria florestal. E as esquerdas só pensavam no Vietnã,
nós e o presidente uma distância
e só pensavam pelo
infinita, espectral. E o
Vietnã e só bebiam pelo
Supremo Magistrado,
Vietnã.
como se diz, é um ser misCerta vez, converterioso, inescrutável, sisei com um membro da
nistro. No meu caso, o
esquerda católica. Exorpresidente se dispunha a
tei-o a desembarcar no
acabar com a distância e
Brasil. Disse-lhe que, na
me receber na áspera sopior das hipóteses, telidão presidencial.
mos paisagem. Citei o
De mais a mais, o
Pão de Açúcar, o CorcoBrasil vive o seu grande
vado. Mas ele batia na
momento. Eis o nosso ditecla obsessiva e fatal:
lema: o Brasil ou o caos. O
“O Vietnã, o Vietnã, o
diabo é que temos a vocaEstádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)
Vietn㔠etc. etc. Ainda
ção e a nostalgia do caos.
É o momento de fazer o Brasil ou
Morumbi). Ora, no momento, não no meu elã paisagístico, fiz a apoperdê-lo. Esse Garrastazu Médici
há nada mais importante do que logia da Vista Chinesa, recanto
é, neste instante, uma das figuras
saber o que pensa, o que sente, o ideal para matar turista argentino.
vitais do país. Eu ia vê-lo, ia ouvique imagina, o que quer um presi- Mas havia entre mim e ele a distânlo. Sim, ouvir os ruídos da sua alma
dente da República, investido de cia que nos separa do Sudeste
profunda. Todo o mundo tem, no
tantos poderes. No meio do jogo, Asiático. Eis o que o meu amigo
bolso do colete, o seu projeto de
ele insistia para que eu voltasse propõe: que os brasileiros bebesBrasil. Garrastazu tem o seu e pode
no seu jato. Digo, por fim: “Está sem o sangue uns dos outros
realizá-lo. Ao passo que nós não
certo, presidente. Vou voar pela como groselha.
Antes de se despedir, o
temos força para tapar um cano
primeira vez”.
furado. Bem. Aceitei o convite,
É preciso não esquecer o membro da esquerda católica conressalvando: iria de tudo, menos
que houve nas ruas de São Paulo centrou sua ira nas Forças Arde avião. “De automóvel?”, pere dentro do Morumbi. No estádio madas. Acusou-as de incapaguntou o secretário de Imprensa.
Mário Filho, ex-Maracanã, vaia- zes, de ineptas, de relapsas. “Os
E eu: “De qualquer coisa” – e
se até minuto de silêncio e, como militares nunca fizeram nada”,
repeti – “nunca de avião”.
dizia o outro, vaia-se até mulher afirmou. Desta vez, perdi a miSábado, o meu filho Nelson
nua. Vi o Morumbi lotado, aplau- nha paciência. Tratei de demonslevou-me para São Paulo no seu
dindo o presidente Garrastazu. trar-lhe que os militares fizeram
Fusca. Durante a viagem, uma
Antes do jogo e depois do jogo, o tudo. No Sete de Setembro (e
pequena mas intolerável inibição
aplauso das ruas. Eu queria ouvir Pedro Américo não me deixa
instalou-se em mim: “Chamarei o
um assobio, sentir um foco de mentir) foram sujeitos de espopresidente de ‘excelência’ ou simvaia. Só palmas. E eu me pergun- ras e penacho que deram o grito
plesmente de ‘senhor’?”. Ao mestava: “E as vaias? Onde estão as do Ipiranga; e, se os militares
mo, imaginava que o Poder desuvaias?”. Estavam espantosa- não fizeram nada, que faz a espada de Deodoro na estátua de
maniza o homem. Seria Garrastazu
mente mudas.
uma figura áspera,
Até domingo, às seis e meia, Deodoro? Foi a inépcia militar
hierática, enfática?
sete da noite, eu não entrara que fez a República, assim como
Pensava, ao mesmo
jamais num avião pousado, num fizera a Independência. Em 22 e
tempo, num episóavião andando, num avião vo- 24, era o sangue militar que jordio recente. No jogo
ando. Lá em cima, não há paisa- rava como a água, a água da
do Grêmio, e antes
gem; e, se não há paisagem, es- boca dos tritões de chafariz. Em
de ser presidente, e
tamos fazendo a antiviagem. 30, em 32, em 35, foram os militaantes da definição
Conversamos longamente. Hou- res. Assim em 89. Retirem as Fordas candidaturas, o
ve um momento em que ele me ças Armadas e começará o caos, o
general Garrastazu
disse: “Sou um presidente sem puro, irresponsável e obtuso
Médici desce ao vescompromissos. Só tenho com- caos.
Há anos e anos que eu não
tiário. Vejam se vopromissos com a minha pátria”.
cês conseguem imaEis um homem que fala em pátria, digo “pátria”. E quando o presiginar um Delfim
em “minha pátria”. Para a maio- dente Garrastazu falou em “minha
Moreira, ou um Epitácio num vesria absoluta dos civis, “pátria” é pátria”, experimentei um sentimentiário de futebol. Pois o general
uma palavra espectral, “patrio- to intolerável de vergonha. Esse
chega e pergunta: “Como é, Alta” é uma figura espectral. E as soldado é de uma natureza simcino, que você vai me perder aquenossas esquerdas fizeram toda ples e profunda. Está disposto a
le gol?”. No Fusca do meu filho
a sorte de manifestações. Não ber- tudo para que não façam do Brasil
Nelson, eu queria crer que um
ravam, não tocavam na “pátria”. o anti-Brasil. Seja como for, deixahomem assim é um brasileiro vivo
Nas passeatas, berravam, em ca- rá este nome, para sempre:
e não uma pose, e não uma casaca,
dência: “Vietnã, Vietnã, Vietnã”. Emílio Garrastazu Médici.
e não uma faixa, e não uma condePichavam os nossos muros com
Publicado no Inconfidência nº 114,
coração.
vivas aos vietcongs, a Cuba. Ne12 de agosto de 2007 e no livro
"Médici - A Verdadeira História
No dia seguinte, estava eu
nhuma alusão à pátria, nenhuma
Nº 182 - Setembro/2012
27
A DOUTRINAÇÃO, A PROSTITUIÇÃO E A COMUNIZAÇÃO DA
EDUCAÇÃO PROMOVIDA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
m
Se
LIBERDADE DE ENSINAR E DE APRENDER
Artigo do coordenador do ESP, Miguel Nagib, publicado
na Gazeta do Povo, em 26 de agosto de 2012.
Q
uando a Gazeta do Povo publicou, em 18 de junho, artigo de minha
autoria denunciando a propaganda eleitoral petista em sala de aula, eu
tinha certeza de que acabaria aparecendo alguém para defender essa prática
em nome da “liberdade de ensinar” do professor, garantida pelo artigo 206
da Constituição Federal. Não deu outra: no dia seguinte estava lá, na coluna
do leitor, a lembrança da mencionada garantia constitucional.
Ocorre que, ao lado da liberdade de ensinar, o art. 206 da CF também
assegura a liberdade de aprender, e é evidente que a doutrinação ideológica
e a propaganda eleitoral em sala de aula constituem uma forma de cerceamento dessa liberdade fundamental dos estudantes. Juridicamente, é nisso
que consiste a doutrinação ideológica e a propaganda política em sala de aula:
um abuso da liberdade de ensinar em detrimento da liberdade de aprender.
Que se trata de uma conduta ilícita, não há dúvida. Que o fenômeno
tomou conta das escolas em todo o Brasil, também não: basta dar uma olhada
no imenso volume de provas acumuladas no site www.escolasempartido.org.
Resta saber como enfrentar o problema – o que fazer para que a liberdade
de aprender dos estudantes não seja sufocada pelo abuso da liberdade de
ensinar dos professores?
Considerando a impossibilidade de se saber, a cada momento, o que
acontece no espaço fechado das salas de aula, a única forma de proteger os
estudantes da ação abusiva dos seus mestres militantes – os chamados “despertadores de consciência crítica” – é dar aos alunos os meios de que eles
necessitam para se defender. Para isso, é preciso informá-los dos direitos
compreendidos na sua liberdade de aprender. Com esse objetivo, o Escola
sem Partido vem defendendo a afixação, em todas as salas de aula das últimas
séries do ensino fundamental e de todo o ensino médio, de um cartaz com
os seguintes “DEVERES DO PROFESSOR”:
l O professor não abusará da inexperiência, da falta de conhecimento ou da imaturidade dos alunos, com o objetivo de cooptá-los para esta
ou aquela corrente político-ideológica, nem adotará livros didáticos que
tenham esse objetivo.
l O professor não favorecerá nem prejudicará os alunos em razão de
suas convicções políticas, ideológicas, religiosas, ou da falta delas.
l O professor não fará propaganda político-partidária em sala de
aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos
e passeatas.
l Ao tratar de questões políticas, socioculturais e econômicas, o
professor apresentará aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma
profundidade e seriedade –, as principais versões, teorias, opiniões e
perspectivas concorrentes a respeito.
l E, por fim, o professor não criará em sala de aula uma atmosfera
de intimidação, ostensiva ou sutil, capaz de desencorajar a manifestação
de pontos de vista discordantes dos seus, nem permitirá que tal atmosfera
seja criada pela ação de alunos sectários ou de outros professores.
Conscientizar os estudantes dos direitos compreendidos em sua liberdade de aprender é uma questão de estrita cidadania. Peça à sua escola ou à
escola de seu filho que mande imprimir e afixar nas salas de aula cartazes
contendo essa relação de deveres. Se ela se recusar, procure o Ministério
Público. Se precisar de ajuda, conte conosco.
O KIT GAY JÁ CHEGOU NAS ESCOLAS PRIVADAS.
O
livro didático “Menino Brinca de Boneca?” foi adotado pelo Ministério da Educação como referência
para alfabetização de nossas crianças (até 6 anos de idade)
e já está sendo utilizado em algumas escolas particulares
em São Paulo existindo ainda a orientação do Governo
Federal para que seja distribuído para todo o Brasil.
Caso seus filhos tenham este exemplar em suas
mochilas, fiquem atentos pois certamente estão recebendo carga de informações estimulando o homossexualismo
em suas cabeças.
Deixamos de apresentar duas fotografias publicadas
nesse livro “didático/pornográfico”, por serem por demais
chocantes, até mesmo para os nossos leitores adultos: duas
crianças peladinhas, deitadas na cama, uma por cima da outra, fazendo amor e a de uma
menina deitada de costas de pernas abertas, sem calcinha, se tocando.
Acredite, se quiser!!!
Prefácio: Escrito pela senadora Martha Suplicy (PT-SP), a mesma critica a relacionamento familiar baseado nas convicções dos pais e é direta ao abordar o assunto “livro
infantil dedicado para mudança da sexualidade das crianças”.
Página 16: As palavras “vulva”e “pênis” são expostas como se o assunto “sexo”
fosse algo totalmente natural entre crianças de 6 anos nas escolas.
Contra-Capa: Frei Betto é incisivo ao dizer que a obra criada estimula o público
infantil à decidir-se por si só sobre sua sexualidade e coloca os filhos contra os pais.
O livro didático “Porta Aberta” de Geografia e História, voltado para o público
do primeiro ano, ou seja, alfabetização das crianças
(CA) também é gritante quanto ao estímulo ao homossexualismo.
Página 73: A lição mostra uma brincadeira
intitulada de “Gavião”, na qual um homem adulto agarra
uma criança, ambos nús, orientando que os meninos e
meninas brinquem daquela maneira com seus amigos.
Uma clara afronta que estimula a pedofilia.
Página 225: Um jogo da memória formando
famílias de pais homossexuais é ensinado para o
público infanto-juvenil.
Além das mensagens diretas, em ambos, é nitidamente fácil constatar as mensagens subliminares envolvendo o homossexualismo e pedofilia, que são exploradas durante as tarefas ensinadas.
A sanha dos ativistas homossexuais, que desde o início mentem e dizem que o kitgay não seria para o público infantil é desmascarada e vem tomando as escolas privadas
primárias do Brasil. É isso que queremos para os nossos filhos?
No país dos petralhas, Monteiro Lobato vai para a cadeia,
e a pornografia infantil, para a sala de aula. Vejam o que a
gestão Fernando Haddad liberou para crianças de 10 anos
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/no-pais-dos-petralhas-lobato-vai-para-a-cadeia-e-a-pornografiainfantil-para-a-sala-de-aula-vejam-o-que-a-gestao-fernando-haddad-liberou-para-criancas-de-10-anos/
?utm_source=twitterfeed&utm_medium=facebook
NOSSO COMENTÁRIO
Nos sentimos constrangidos de publicar tais afrontas à família brasileira, mas
é nossa obrigação divulgar essa pornografia institucionalizada pelo governo federal
através do Ministério da Educação, para tentar evitar a sua propagação. Não caberia
ao Ministério Público Federal impedir a edição e a distribuição desses livros?
E quem era o ministro da Educação? Fernando Haddad, o candidato da presidente
Dilma, da ministra da Cultura, Marta Suplicy, do ex-presidente Lula e do PT à prefeitura
de São Paulo. PAU NELES!
“Não tomem os quartéis e nem ataquem os tanques.
Tomem as escolas e ataquem as ideias para implantar as novas”(Gramsci)
Nº 182 - Setembro/2012
QUANDO O MINISTÉRIO PÚBLICO
VAI RETIRAR O VERMELHO
?
DA COPA DE
AVISO AOS
PAROQUIANOS
Na sexta feira
às sete da noite, os
meninos do Oratório, farão uma
representação
da obra "Hamlet" de Shakespeare, no salão da igreja.
Toda comunidade está
convidada para tomar parte nesta tragédia.
J J J
Prezadas senhoras,
Não esqueçam a próxima
venda para beneficência. É uma
boa ocasião para se livrar das coisas inúteis que há em sua casa.
Tragam os seus maridos!
J J J
O coro dos maiores de sessenta anos vai ser suspenso durante o verão, com o agradecimento de toda a paróquia.
28
Brazil...zíl... zíl...
NÃO VOTO EM
Espertíssima, medalha de ouro!!!!!!!
Uma menininha de quatro anos, vendo o grande
apelo de marketing dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos pergunta para o seu pai:
- Papai, o que são PARAOLIMPÍADAS?
O pai responde :
- Assim como tivemos os Jogos PANAMERICANOS e os PARAPANAMERI-CANOS,
temos as OLIMPÍADAS e as PARAOLIMPÍADAS.
As PARAOLIMPÍADAS, como os PARAPANAMERICANOS, são
para os atletas especiais, com deficiência física ou mental. - Entendeu, filhinha?
- Entendi tudinho, papai. - É por isso que teve eleição PARAPRESIDENTE
e o Lula e a Dilma ganharam , né?
COMÍCIO
Num comício
realizado no
ABC Paulista,
com a presença
do Lula, o
candidato do PT
vira os bolsos
da calça pelo
avesso e grita:
“Nesses bolsos
nunca entrou
dinheiro ilícito!” Aí, um
cara lá em baixo
aparteia: “Aí,
Paulinho, tá de
calça nova?!”
Nem Lula, Nem Dilma,
Nem Genoíno, Nem Palocci,
Nem Dirceu, Delúbio e Cia...
NR: Em julho de 2005, um
assessor do então deputado
estadual José Nobre Guimarães
(PT/CE) foi preso no aeroporto em
São Paulo pela Polícia Federal,
com US$ 100 mil e R$ 200 mil
escondidos na cueca e na mala. O
nobre deputado é irmão de José
Genuíno (PT/SP) e foi eleito
deputado federal. Essa cueca do PT
permanecerá pendurada até o caso
ser investigado e os corruPTos
julgados, condenados e presos.
Será enquadrado
no FICHA SUJA?
FRASES
DO
MÊS
“Se os advogados de defesa não estão mentindo, o Brasil precisa pedir perdão aos
mensaleiros e exigir a prisão do procuradorgeral da República.”
Jornalista Augusto Nunes
Frase olímpica que resume
a participação do Brasil...
"Fomos mal na vara, mas levamos na argola"
EXPEDIENTE
Editor/Redator: Coronel Carlos Claudio Miguez
Telefax: (31) 3344-1500
E-mail: jornal@jornalinconfidencia.com.br
Rua Xingu, 497 - Alto Santa Lúcia
CEP 30360-690 - Belo Horizonte - MG
Circulação Dirigida.
Impresso
Especial
CNPJ: 11.843.412/0001-00
Os artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores.
Permitida a reprodução desde que citada a fonte.
Impressão: Sempre Serviços Gráficos
DEVOLUÇÃO
GARANTIDA
CORREIOS
IMPRESSO FECHADO
PODE SER ABERTO PELA ECT
9912267774 - DR / MG
Grupo Inconfidência
- - -CORREIOS
-----------
Download

"orvil" tentativas de tomada do poder