Introdução a Gestão da Informação
Prof. Alexandre Monteiro
Recife
‹#›
Contatos

Prof. Guilherme Alexandre Monteiro Reinaldo

Apelido: Alexandre Cordel

E-mail/gtalk: alexandrecordel@gmail.com

Site: http://www.alexandrecordel.com.br/fbv

Celular: (81) 9801-1878
Roteiro

Introdução e Conceitos sobre Informação

Sistemas de Informação

Sociedade da Informação
PREMISSAS
1.
2.
Penso que determinados assuntos conheço mais profundamente do
que vocês.
Outros assuntos, tenho certeza que vocês conhecem mais
profundamente do que eu
Ensinagem = ensino + aprendizagem.
Aluno e professor têm um aprendizado mútuo, simbiótico, por
meio da troca de experiências.
PREMISSAS
1.
2.
Modalidade em que o aprendiz aprende e constrói seu próprio
conhecimento.
Capacidade de aprender sozinho.
Auto-aprendizagem = próprio + aprendizado
Para esse aprendiz, o educador abandona o papel de sábio
detentor do conhecimento e assume o de orientador, guia,
motivador e provocador de novas questões.
*KNOWLES apud GOMES et al., 2002; MAIA; MATAR, 2007
Agenda

Contexto Histórico

Revolução da Informação

Design da Informação

Importância da Informação

Sociedade da Informação
(Autor Desconhecido)
Roma construiu estradas,
Inglaterra fabricou barcos,
os Estados Unidos desenvolveram armas...
Nós gerenciamos informação!
Contexto Histórico

Revolução agrícola muda estilo de vida (6.000 a.C. - Grécia)
Deixaram de ser nômades e passaram a cultivar cereais e criar vários
animais, o seria negociado, gerando comércio.

Revolução Industrial muda estilo de produção (Sec. XVIII - Inglaterra)
Troca da manufatura pela máquina, com o trabalhador submetido ao
regime de trabalho da máquina.

Revolução da Informação muda a atividade produtiva (Sec. XXI Mundo)
A informação é o bem de valor, é a matéria-prima. O capital intelectual
como a nova moeda.
Contexto Histórico

Revolução agrícola

Revolução Industrial

Revolução da Informação
Revolução da Informação

Será que estamos passando pela primeira vez por uma
revolução da informação?
Revolução da Informação





1ª Revolução da Informação: invenção da escrita há 5.000 anos na
Mesopotâmia.
2ª Revolução da Informação: invenção do livro escrito, primeiro na China
e depois na Grécia.
3ª Revolução da Informação: invenção da prensa de Gutemberg e da
gravura, entre 1450 e 1455.
4ª Revolução da Informação: invenção do PC em 1974, estava
centralizada nos dados - sua coleta, transmissão, análise e apresentação.
Focada na “TI” (Tecnologia da Informação).
Próxima Revolução da Informação: não é uma revolução na tecnologia,
nas máquinas ou no software. É uma revolução de conceitos, onde o
significado da informação e o seu propósito são o foco.
Revolução da Informação
1ª:

3ª:
2ª:
4ª:
Próxima:

Revolução da Informação
Muitos acreditam que a presente revolução da informação é
improcedente, seja por sua capacidade de reduzir custos ou
pela velocidade e intensidade com que ocorre. Essas crenças
são simplesmente absurdas, vejamos:
“Na época em que Gutenberg inventou a prensa havia uma indústria de
informação substancial na Europa. Ela foi provavelmente a maior
empregadora da época. Consistia amplamente de milhares de monastérios,
muito dos quais abrigavam centenas de monges altamente competentes.
Cada monge trabalhava desde o alvorecer até o pôr-do-sol, seis dias por
semana, copiando livros à mão. Um monge bem treinado e dedicado podia
fazer quatro páginas por dia ou 25 páginas durante uma semana de seis dias.
Produziria anualmente entre 1200 e 1300 páginas escritas à mão.
Cinqüenta anos mais tarde, por volta de 1500, os monges tinham ficado
desempregados. Esses monges foram substituídos por um número pequeno de
simples artesãos. A recente classe de "tipógrafos", totalizando talvez 1000
indivíduos, espalhou-se pela Europa.” por Peter Drucker Exame, 26/08/98
Revolução da Informação
“As reduções de custos e preços da terceira revolução da informação eram
tão grandes quanto as da presente - a quarta revolução da informação. E
assim foram a velocidade e a extensão em que ela se espalhou. Tão
importante quanto a redução em custos e a velocidade de distribuição da
nova tecnologia de impressão foi seu impacto no que a informação pudesse
significar. Os primeiros livros impressos eram escritos em latim e ainda
tinham os mesmos tópicos que os monges haviam escrito anteriormente à
mão: tratados religiosos e filosóficos. Mas, apenas 20 anos após a invenção
de Gutenberg, livros de autores contemporâneos começaram a emergir,
apesar de ainda aparecerem em latim. Mais 10 anos e os livros eram
impressos não somente em grego e hebraico, mas também, numa quantidade
crescente, primeiro em inglês, depois nas outras línguas européias. Em pouco
tempo, a revolução da imprensa também mudou as instituições incluindo o
sistema educacional. Nas décadas que se seguiram, universidade após
universidade foram sendo fundadas na Europa. Mas, diferentemente das
primeiras, elas não foram desenvolvidas para o clero ou para o estudo da
Teologia. Elas foram construídas para os leigos: Direito, Medicina,
Matemática, Filosofia Natural (Ciência).”
Peter Drucker Exame, 26/08/98
Revolução da Informação

Lições importantes da 3ª Revolução:
•Fortunas dos primeiros especialistas;
•Criação de uma nova classe os “tipógrafos”;
•Livro(informação) vira um grande negócio e
as editoras transformam tipógrafos em
meros artesãos.
•Teve impacto na igreja e universidades;

Conjuntura semelhante a atual;

Informação mudando os negócios;
Significado de Informação


É importância compreendermos “Informação”
Deriva do latim e significa um processo de
comunicação (Zhang, 1988).

Informação é um processo que visa o conhecimento.

Informação é tudo o que reduz a incerteza.

Informação é um instrumento de compreensão do
mundo e da ação sobre ele. (Zorrinho, 1995)
Significado de Informação

Visão mais computacional da informação:
“informação é o resultado do processamento,
manipulação e organização de dados, de tal forma
que represente uma modificação (quantitativa ou
qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa,
animal ou máquina) que a recebe.”
Wikipédia
Significado de Informação

O conceito de informação está intimamente ligado às noções de:
• Restrição;
• Comunicação;
• Controle;
• Dados;
• Forma;
• Instrução;
• Conhecimento;
• Significado;
• Estímulo;
• Padrão;
• Percepção e;
• Representação de conhecimento.
Significado de Informação


Em especial, informação está ligada as palavras
“dados” e “conhecimento”, uma vez que elas se
complementam.
Desta relação surgiram estudos sobre o Design da
Informação
Design da Informação



Shedroff, (2001) criou um diagrama para
relacionarmos: dados, informações, conhecimento e
sabedoria.
Informações nos estimulam ao entendimento e
percepção de tudo o que está ao nosso redor;
Informações promovem experiências que ampliam
nosso conhecimento, e que no decorrer do tempo
transformam-se em sabedoria.
Design da Informação
Dados

“Dados não são informação”, afirma Shedroff.

Apesar dos dados estão em todos os lugares;


Produzem, muitas vezes, o que chamamos de
poluição informacional;
Dados só são percebidos e levados em consideração,
quando possuem uma audiência, ou alguém que os
interprete, transformando-os em informação.
Dados




DADOS puros não servem para NADA.
Dados sem um contexto, não agregam valor, não
auferem resultados.
Os dados não estão separados da estrutura, são
complementares.
Assim, informação é o resultado do processamento,
manipulação e organização de dados.
Exemplo: Dados vs Informação

O que siginificam os dados abaixo?
08398011878
CPF: 083.980.118-78
10042011
RG: 10.042.011
Rui Barbosa
Edifício
51
No Prédio
CD
Centro de Distribuição
Informação



A informação é o começo do significado.
Ela está ligada ao contexto onde está inserida,
juntamente com sua organização e apresentação.
Shedroff (2001) afirma que “todos nós criamos
informação em algum nível, mesmo que muitas
vezes façamos isso sem perceber”.
Informação



A informação também pode gerar experiências
positivas, quando conseguimos ser compreendidos,
mas também frustração quando isso não ocorre;
Somos produtores de informação, assim como
também somos consumidores;
Informação está associada a comunicação;
Informação




Informação advêm de experiências vividas;
Informação vêm do que nossos sentidos podem
captar.
Assim como para haver informação tem de haver
uma relação, sem relação só temos dados.
Contexto é a relação entre o texto com informação
e a situação em que ele ocorre, o que nos leva a um
conhecimento.
Ex: Informação vs Conhecimento


O que siginificam os dados abaixo?
Gilberto Silva
Nome Funcionário
08398011878
CPF: 083.980.118-78
10042011
RG: 10.042.011
Rui Barbosa
Rua
51
Número
CD
Lotação: Centro de Distribuição I RM Express
Contexto: Ficha de Admissão de Funcionário no Centro de
Distribuição I da RM Express.
Conhecimento

O conhecimento é cada vez mais pessoal;

Se processa em nossa mente

Ajuda a definir e entender a informação.

O conhecimento está fundamentado em nossos
contextos pessoais, cultura, informações que
construíram o nosso conhecimento prévio
(experiências).
Conhecimento



A informação que é veiculada, distribuída e divulgada, pode
ser criada e detectada pelas massas (que conseguem
compreendê-la).
Já o conhecimento é pessoal;
Está baseado em um contexto que vai do global para o local,
e do local para o pessoal.
Conhecimento



Mesmo sendo pessoal, o conhecimento pode ser
compartilhado.
“A medida que se torna mais pessoal, o conhecimento não
pode ser formalmente compartilhado (acaba por tornar-se
sabedoria)”. Shedroff (2001)
As percepções, experiências e o tempo são fatores
primordiais para alcançarmos a sabedoria através do
conhecimento.
Sabedoria




A sabedoria não pode ser criada, como os dados ou
as informações
Não pode ser compartilhada com outras pessoas,
como o conhecimento.
O contexto para alcançar a sabedoria se torna tão
pessoal que passa a ser quase exclusivo em nossas
mentes.
Pessoas diferentes possuem sabedoria peculiares de
acordo com suas experiências.
Sabedoria

Segundo Shedroff (2001):
“...requer não somente a base do conhecimento e as
oportunidades de experiência que ajudam a criar a
sabedoria, mas também os processos de
introspecção, retrospecção, interpretação e
contemplação”.
Sabedoria


A sabedoria pode ser valorizada nas outras pessoas,
mas somente nós conseguiremos obtê-la para nós
mesmos.
A sabedoria aprofunda a experiência do gestor, do
líder; desta forma, crianças podem ter dificuldades
de realizar experiências nas quais não possuem nem
conhecimento, e muito menos sabedoria para
usufruí-las.
Sabedoria
Pessoal, mas compartilhado
Pessoal, mas não compartilhado
SABEDORIA
Sabedoria vs. Realidade

Hoje o Ser Humano é Instantâneo.

Para quando queremos a informação?
•72 horas
•48 horas
•36 horas
•24 horas
•1 hora
•30 min
•imediatamente?
Verificação de Aprendizado



A atual Revolução da Informação é algo
inédito?
Dados, Informação, Conhecimento, Sabedoria,
têm mesmo significado?
Qual a relevância dos dados em si?
A importância da Informação

A informação precisa ser entendida como um ativo.

É a matéria-prima da nova economia.

É o bem econômico mais valioso do momento.


Informação não se comporta como os outros bens
tangíveis de antigamente.
É expansível, quanto mais usamos mais ela aumenta.
A importância da Informação

A informação se aperfeiçoa com o uso.

Melhora a cada vez que é disseminada.

É difusiva, não conseguimos guardá-la, ela vaza.


Quanto mais importante, mais elaborada, mais é
disseminada.
Informação substitui tudo, até mão-de-obra.
A importância da Informação

Quem manipula dinheiro vivo hoje?
•Cartões;
•Ações;
•Transferências;

O dinheiro existe? Ou o que existe é Informação?
A importância da Informação

Informação não precisa de lugar físico para guardar.
•Nem bancos;
•Nem contêineres;
•Nem cofres


Não precisa ser transportada, uma vez que os
transporte são muito lentos para ela.
Desconhece fronteiras físicas, sociais, culturais,
sexuais, reais e imaginárias.
A importância da Informação

Transita numa velocidade enorme, atravessando o
mundo instantaneamente.

Não precisa de passaporte, nem visto.

Não admite ser trocada, apenas partilhada.


Quando alguém adquire, ambos ganham (Relação de
ganha-ganha)
Quanto mais se vende mais se tem.
A importância da Informação

Quanta mais restrita mais cara.

Quanto mais disseminada mais barata.


Informação nova toma o lugar da anterior em termos
de importância, mas ambas coexistem.
Vejamos agora ao vídeo:
Paradigma Informacional

Diz-se que:
•na atualidade o conhecimento e a informação, são
a base para tudo o que há.
•vivemos na Era da Informação e do Conhecimento.
(falaremos mais tarde)
•nada pode funcionar sem uma quantidade
significativa de informação como elemento que
impulsiona os fenômenos sociais e que é por eles
impulsionado.
•pessoas e organizações – públicas e privadas –
dependem da informação em seus processos
decisórios.
A importância da Informação



A informação tornou-se uma necessidade crescente
para qualquer setor da atividade humana.
É indispensável mesmo que a sua procura não seja
sistemática, mas resultante apenas de decisões
casuísticas e/ou intuitivas.
Uma instituição em atividade, pública ou privada, é
um sistema aberto e interativo.
A importância da Informação

A quantidade de informação que nos rodeia, seja no
ambiente de trabalho ou em nossas vidas pessoais, é
enorme.
A importância da Informação


Os órgãos estão rodeadas de um meio envolvente bastante
turbulento.
Os gestores apercebem-se de que, em alguns casos, a mudança é a
única constante.

Mudança geram novas informações.

O volume de informação a ser gerenciada torna-se enorme.
•Isso possibilita/ajuda a tomada de decisões, mas
constitui uma ameaça para a melhor decisão.
A importância da Informação




Os indivíduos precisam estar bem informados e
conhecer o mundo que os rodeia.
Gestores necessitam de funcionários mais bem
preparados.
O aumento da complexidade e intensidade dos
projetos exige cada vez mais de gestores e
colaboradores.
A fonte de consulta da informação vem de todo o
mundo.
A importância da Informação


Drucker defende o princípio da informação como a
base e a razão para um novo tipo de gestão;
•A curto prazo há a perspectiva de troca do binômio
capital/trabalho pelo binômio
informação/conhecimento;
•Serão fatores determinantes no sucesso de todo e
qualquer ramo que a envolva.
Caminha-se para a sociedade do saber, onde o valor
da informação tende a suplantar a importância do
capital, mas gerando capital.
A importância da Informação




O conhecimento adquirido pelo knowhow/experiência, deixa de ser suficiente.
Cada vez mais a atualização se apresenta como um
fator crítico de sucesso;
O novo está ficando velho numa velocidade muito
maior.
Portanto, atualize-se!!!
Velocidade da Informação
Fonte Imagem: http://geekproject.com.br/2011/04/a-evolucao-dos-celulares/
85 MHz Processador
Celulares
– Última Década (2000)
Memória 2GB
64MB Memória Interna
Fonte Imagem:
http://david.fredh.se/2009/12/11/mobile-evolution-and-the-inspiration-of-the-last-decade
2.4GHz Processador
32GB flash memory
512MB Memória Interna

iPhone – 3 anos
O iPhone, popular telefone celular multimídia da Apple, foi eleito a melhor invenção de 2007
(03/11/2007), segundo a revista americana "Time".
Oferta x Demanda
A importância da Informação



Weitzen (1991) criou o termo infoempresário;
Designa a nova geração de empreendedores que surge
na Era da Informação;
Define-o como a pessoa que:
• coleta,
• organiza e;
• dissemina informações como empreendimento
comercial ou como serviço de valor.

A importância da Informação
Diante da notória visibilidade atual da informação as instituições
deverão:
•reestruturar a organização em torno da informação;
•ter conjugação coerente de tempo, perícia e esforços
que garantam uma seleção de informação adequada e
uma otimização da sua utilização.
• dar lugar a Gestão da Informação;
• apoiar-se nas tecnologias inerentes, como fonte de
vantagem competitiva, na tentativa de garantir o
mais alto padrão de excelência que se deseje obter.
Volume de Informação
Volume da Informação

Segundo Richard S. Wurman
“Uma edição do The New York Times em um dia da
semana contém mais informações do que um mortal
comum poderia receber durante toda a vida na
Inglaterra no século XVII; nos últimos 30 anos
produziu-se um volume maior de informações novas
do que nos 5.000 anos precedentes.”
Volume da Informação

Por esta razão, diz-se que
“A informação é ‘moeda’ de nosso tempo, e a
velocidade de mudanças é a ‘taxa de inflação’.
Quanto mais alta for essa taxa, mais rapidamente essa
moeda perde seu valor. A reciclagem nada mais é do
que a ‘correção monetária’ do ativo conceitual
‘depositado’ nos ‘bancos’ de memória humanos".
Sérgio Biagi Gregório
Volume da Informação - Internet


Internet tem a função de permitir acesso e a partilha de informação.
Preocupado em absorver e suportar o volume informacional tornou-se um
espaço:
• Caoticamente desorganizado.
• Desregulamentada;
• Descentralizada;
• Aberta
• Não-hierarquica
• Interativa (remodela o fluxo da informação)
• Promove Inteligência Coletiva (Lévy, 1999)
• Tecnodemocratização (Lévy, 1999)
Volume da Informação - Internet

Constatamos o crescimento exponencial da Internet;

Em princípio pareceu positivo, mas…;

O excesso de informação parece ser pior que a falta.

Segundo Bawden (2001):
“um usuário ao efetuar uma pesquisa na internet,
tende a ficar mais frustrado pelo excesso de
‘respostas’ do que pela falta delas. Isso porque o
excesso de informação não representa uma solução,
mas um problema: A DESINFORMAÇÃO.”
Volume de Acessos

Abaixo temos um estudo sobre o crescimento do acesso a
informação por um ÙNICO visitante.
Credibilidade da Informação

Direito e Dever da Informação:
•“devem estar alicerçados na verdade, da verdade
descoberta e da verdade a descobrir.”


Livros, jornais, e meios de comunicação de massa
podem transmitir tanto a verdade quanto o erro.
Por isso, a máxima: "Nada transmitir de falso e nada
omitir de verdadeiro".
Credibilidade da Informação

Grande quantidade de fontes;

Fontes de informação pouco confiáveis;


Informações produzidas por autores “anônimos” aumentam
espantosamente.
A credibilidade perpassa por três palavras:
• autoridade;
• popularidade e;
• reputação

A credibilidade tem o dom de fidelizar.
Credibilidade da Informação


Não se deve confiar em informações de blogs, twiters,
sites, fóruns e demais meios na web;
Tente recorrer a fontes confiáveis, ou que ao menos
tenha histórico de credibilidade;
Credibilidade da Informação



Não divulgar informação sem antes averiguar a
fidelidade da informação;
Citar sempre as referências de todas as fontes;
Livros, artigos científicos e documentos oficiais,
normalmente são fontes credíveis de consulta.
Onde está a Informação?

A informação está em todos os lugares, em todas as partes, disponíveis para
gerar conhecimento útil:
• no passado, no presente, no futuro;
• no que aprendemos nas escolas, faculdades e cursos;
• no que vemos, no que ouvimos, no que sentimos, no que
pensamos, no que pegamos, no que cheiramos;
• em nós, nós outros, nas coisas, em nosso cotidiano;
• em nossa vida, nas enciclopédias e ultimamente na internet.

Todo esse conhecimento está e veio de fato da cabeça das pessoas;
• Apenas usa-se os meios virtuais e digitais como repositório
de informações das mais variadas, disponibilizadas para todo
o mundo e em constante crescimento.
Verificação de Aprendizado


Qual a importância da informação no atual cenário?
O volume de informação cresce linearmente na nova
sociedade?

Onde está a informação?

A informação disponível está organizada?


Todas as informações disponíveis são confiáveis?
Geram conhecimento?
E a os critérios de escolha das fontes de informação?
Bibliografia
BERTALANFFY, L. V. Teoria geral dos sistemas. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 1977.
LAUDON, K.C./ LAUDON, J.P. Sistemas de informação gerenciais. 5. ed. São
Paulo: Person Brasil, 2003.
NAKAGAWA, M. Introdução à controladoria: conceitos, sistemas e
implementação. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1993.
OLIVEIRA, D. P. R. Sistemas de informações gerenciais: estratégias, táticas,
operacionais. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1993.
69
Download

Revolução da Informação