ISEL
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
Medição da actividade económica
Economia: Aula P4
Prof. Jorge Mendes de Sousa
jsousa@deea.isel.ipl.pt
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
1
Medição da actividade económica
Conteúdo
ISEL
1.
Introdução
2.
Produto Interno Bruto (PIB)
3.
Contas nacionais
4.
Índices de preços e inflação
5.
Tópicos para discussão
ECONOMIA – Medição da actividade económica
2
Introdução
A importância da medição objectiva
Quando puder medir aquilo de que está a falar e
puder expressá-lo em números, então sabe alguma
coisa sobre o assunto; quando não puder medi-lo,
quando não puder exprimi-lo em números, o seu
conhecimento é fraco e insatisfatório.
Lord Kelvin
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
3
Produto Interno Bruto (PIB)
A medida do desempenho de uma economia
O produto interno bruto (PIB) é a medida mais
abrangente da produção total de bens e serviços de um país.
O PIB corresponde à soma dos valores monetários do
consumo (C), do investimento bruto (I), das compras de bens
e serviços efectuadas pelo Estado (G) e das exportações
líquidas (X) produzidos num país durante um ano.
Produto Interno Bruto
PIB = C + I + G + X
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
4
Produto Interno Bruto (PIB)
Duas medidas: Fluxo de bens e fluxo de rendimentos
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
5
Produto Interno Bruto (PIB)
O problema da “dupla contabilização”
Abordagem pelo valor acrescentado
Para evitar a dupla contabilização, tem-se o cuidado de
incluir apenas os bens finais no PIB e de excluir os bens
intermédios que são usados na produção de bens finais.
Com o cálculo do valor acrescentado em cada estádio,
tendo o cuidado de subtrair as despesas de bens
intermédios
comprados
às
outras
empresas,
a
abordagem pelos rendimentos do arco inferior evita
adequadamente toda a dupla contabilização e regista
exactamente uma única vez os salários, juros, rendas e
lucros.
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
6
Contas nacionais
PIB real vs PIB nominal
O PIB nominal (PQ) representa o valor monetário total dos
bens e serviços finais produzidos num país num dado ano, em
que os valores são expressos em termos de preços de
mercado de cada ano.
O PIB real (Q) retira a variação dos preços do PIB nominal e
calcula o PIB em termos das quantidades de bens e serviços.
O índice de preços do PIB (P) é o “preço do PIB”.
PIB real vs PIB nominal
Q = PIB real = PIB nominal / deflator do PIB = PQ / P
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
7
Contas nacionais
PIB real vs PIB nominal
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
8
Contas nacionais
Consumo ( PIB = C + I + G + X )
As despesas de consumo são divididas em três categorias
1.
Bens duráveis
Por exemplo automóveis
2.
Bens não duráveis
Por exemplo alimentos
3.
Serviços
Por exemplo os cuidados de saúde
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
9
Contas nacionais
Consumo ( PIB = C + I + G + X )
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
10
Contas nacionais
Investimento ( PIB = C + I + G + X )
Investimento
O investimento representa acréscimos da massa de bens de
capital duráveis que aumentam as possibilidades de produção
no futuro. São exemplo de investimento a construção de
edifícios, equipamentos, programas informáticos.
Investimento líquido vs bruto
O investimento líquido é igual ao investimento bruto
menos a amortização.
A amortização quantifica o montante do capital que foi
consumido num ano.
Assim, o investimento bruto inclui todas as máquinas, fábricas e
edifícios construídos num ano – ainda que alguns fossem
produzidos para substituir bens de capital velhos que foram
derretidos ou atirados para a sucata.
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
11
Contas nacionais
Administração pública ( PIB = C + I + G + X )
Despesa pública (G)
A despesa pública com bens e serviços (G) corresponde a
todas as compras do governo tais como salários dos funcionários,
custo dos bens adquiridos (estradas, pontes, aviões).
Exclusão das transferências
Nem toda a despesa do Estado é incluída no PIB uma vez que se
excluem a despesa em transferências.
As transferências do Estado são pagamentos aos indivíduos que
não têm como contrapartida o fornecimento de bens e serviços.
Assim, o salário pago pelo Estado a um médico, por ser o
pagamento de um factor produtivo, será incluído no PIB. Por
outro lado, o pagamento da segurança social a um pobre, dado
que não é contrapartida de um bem ou serviço, é excluído do PIB
(transferência).
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
12
Contas nacionais
Exportações líquidas ( PIB = C + I + G + X )
As exportações líquidas correspondem à diferença
entre o valor das exportações e o valor das importações
de bens e serviços.
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
13
Contas nacionais
PIB, PIL e PNB
Produto Interno Líquido (PIL)
O produto interno líquido (PIL) é igual ao produto final total
produzido dentro de um país durante um ano considerando o
investimento líquido obtém-se
subtraindo a amortização do
produto interno bruto (PIB).
Produto Nacional Bruto (PNB)
O produto nacional bruto (PNB) é o produto final total
produzido com os factores que estão em posse de residentes num
país durante um ano.
Os lucros da Autoeuropa são incluídos no PIB português mas não
no PNB, uma vez que diz respeito a capital alemão. Por outro lado,
quando um professor português é convidado para um seminário na
Alemanha, os seus rendimentos são incluídos no PNB português
mas não no PIB português (será incluído no PIB alemão).
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
14
Índices de preços e inflação
Definições
Um índice de preços é uma medida do nível médio de preços.
Inflação corresponde a um aumento do nível geral dos preços.
A taxa de inflação é a taxa de variação do nível geral de preços e
calcula-se do seguinte modo:
(nível preços ano t – nível preços ano t-1) / nível preços ano t-1 x 100
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
15
Índices de preços e inflação
IPC, IPP e índice de preços do PIB
Índices de preços
1.
Índice de preços no consumidor (IPC)
O IPC é uma medida da variação média ao longo do tempo
dos preços pagos pelos consumidores urbanos por um
cabaz de mercado de bens e serviços de consumo
2.
Índice de preços no produtor (IPP)
O IPP mede o nível de preços por grosso ao nível do
produtor
3.
Índice de preços do PIB
O índice de preços do PIB, ou deflator do PIB, é o preço de
todos os bens e serviços produzidos no país
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
16
Tópicos para discussão
1.
2.
ISEL
Ilustre com um exemplo cada um dos seguintes conceitos:
a.
Consumo
b.
Investimento interno privado bruto
c.
Compra de investimento e de consumo pelo Estado (incluído no
PIB)
d.
Pagamento de uma transferência do Estado (não incluído no PIB)
e.
Exportações
Os críticos das contas nacionais argumentam que “Não se podem
somar maçãs com laranjas”. Mostre que com o uso de preços
podemos somá-las na construção do PIB.
ECONOMIA – Medição da actividade económica
17
ISEL
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
Medição da actividade económica
Economia: Aula P4
Prof. Jorge Mendes de Sousa
jsousa@deea.isel.ipl.pt
ISEL
ECONOMIA – Medição da actividade económica
18
Download

ppt - PWP