Doing Business 2007
Comércio Internacional
Allen Dennis
Rita Ramalho
Moçambique
18 Abril 2007
A importância de simplificar comércio
internacional
“por cada dia adicional que o embarque de um produto é atrasado
há uma redução no comércio de pelo menos 1%” (Djankov et al.
2006)
•Apesar da redução em tarifas e outras barreiras em muitos países em vias de
desenvolvimento, o sector exportador não se expandiu, mostrando a
importância de políticas complementares. (WB 2006, IEG)
•Melhorias de bem estar económico resultantes da liberalização de tarifas
poderão triplicar se acompanhadas com melhorias em logística (Dennis, 2006)
Os indicadores de Doing Business ajudam a diagnosticar os problemas de
logística no comércio interenacional
Metodologia
• Empresa:
- Porte médio com 200 trabalhadores ou mais
- localizada na cidade mais populosa do país
- privada, sociedade por quotas limitada
- de capitais nacional sem sócios estrangeiros
- exporta mais de 10% da produção, mas não funciona em
zona franca
• Bens transacionados:
- container de 20 pés por transporte marítimo
- não impoem risco ambientais ou de outro tipo, não são
militares ou com standards especiais
Participantes: principalmente despachantes, companhia de
frete, exportadores/importadores, mas também alfandegas
e autoridades portuárias
Passos, tempo e custo
1. Registramos cada passo, duração e custo associados ao
processo.
2. Exportação: desde a conclusão do contrato de venda
até ao embarque dos bens no porto de partida.
3. Importação: desde a conclusão do contrato de compra
até à chegada dos bens ao armazém do importador.
Mais complicado do que parece ?
• “De accordo com a UNCTAD, uma transacção de comércio
internacional em média passa por 27 a 30 entidades
incluindo despachantes, bancos, carregadores, empresas de
fretes, etc….Estas transacções necessitam de pleo menos
40 documentos, não só de entidades governamentais, mas
também privadas. Mais de 200 dados são normalmente
necessários, dos quais cerca de 60 a 70% são introduzidos
pelos menos duas vezes, e 15% da informação é re-escrita
30 vezes”. UNCTAD, 2001
Importador/
Exportador
Documentos, tempo e custo
• Documentos relacionados com bancos
ex. Letra de credito
• Documentos relacionados com a alfandega
ex. Licença de importação, Bill of lading, packing list, factura
comercial, certificado de inspecção
• Documentos relacionados
com o porto
ex. Recibo de manuseamento da carga
• Documentos relacionados
com o transporte
Ex. Documentos de carga em transito
Alfandega, tempo e custo
• O formulário(s) da alfandega é enviado
manualmente ou de forma electrónica?
• Quantas visitas à alfandega são necessárias?
• Inspecções
• Controle técnico
• Processo de pagamento
Portos, tempo e custo
•Tempo de espera do navio
•Atracamento e decarregamento dos
containers
•Taxas de manuseamento no porto
Transporte terrestre, tempo e custo
• Contratar transporte terrestre
• Tempo de transporte(rodoviário, ferroviário)
•O tempo de espera e custos associados com fronteiras
terrestres são incluidos
Uganda – Exportação
45
40
8
35
6
Dias
30
25
20
19
15
10
5
9
0
Preparo dos
documentos
Alfandega e
inspeccoes
Transporte
terrestre
Procedimentos
Porto e terminal
Tempo necessário para importar
Im p o rt T im e (d a y s )
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
O E CD
M auritius
EAP
LA C
S outh A fric a
M oz am bique
SAS
SSA
M alaw i
A ngola
Melhores práticas em logística (Trade
Facilitation)
• Electronic Data Interchange (troca de dados
electrónica:
Kenia, Senegal, Djibouti
• Balcão único:
Singapura, Gana, Mauricias, Tunisia
• Risk Management (analise de risco):
Paquistan, India
• E-Manifest (manifesto electrónico):
Jamaica, Djibouti
• Acordos de cooperação fronteiriça:
• El Salvador-Honduras, União Europeia
Download

Slide 1 - tipmoz