Advocacy para ações em
HIV/Aids e Direitos Humanos,
para gays e outros HSH
Projeto InteraGir
CELLOS
Movimento Gay
Leões do Norte
Movimento Gay
de Alfenas e
Região Sul de
Minas
CONTEÚDO
Conceituando Advocacy
Identificação do Problema
Identificação do Tema
Fontes de informações para ações de advocacy
Estabelecimento de metas e objetivos
Identificação de públicos: aliados / adversários /
não mobilizados
Plano de comunicação / plano de trabalho
Recursos para advocacy
Monitoramento e Avaliação
Conceituando Advocacy
Exercício 1
Conceituando Advocacy
Conceituando Advocacy
Definição genérica de advocacy
“Advocacy é um conjunto de ações
dirigidas aos/às tomadores/as de
decisão, em apoio a causa política,
programas e/ou serviços específicos”
Conceituando Advocacy
O que é Advocacy?
É uma estratégia que nos aponta metodologias
para – a partir da sociedade civil - incidir sobre os
tomadores de decisões, a fim de conseguir
mudanças em políticas e programas existentes.
Conceituando Advocacy
Por que fazer Advocacy ?
Pela necessidade de desenvolver
estratégias eficientes, dirigidas à busca
de soluções práticas para uma
problemática comum, que afeta a
população-alvo.
Pela necessidade de sensibilização de
grandes setores da sociedade acerca do
tema.
Conceituando Advocacy
Por que fazer Advocacy ?
Para mostrar as evidências dos problemas que
afetam nossas comunidades
Pela necessidade de desenvolver habilidades e
técnicas em diversas áreas, como
planejamento estratégica, comunicação e
negociação
Conceituando Advocacy
Por que fazer Advocacy ?
PARA ARTICULAR-SE COM OS PODERES
CONSTITUÍDOS E INFLUIR EM SUAS
DECISÕES
Conceituando Advocacy
Por que fazer Advocacy ?
Porque advocacy é um instrumento de
controle social.
Porque nos permite atuar nos distintos
níveis de decisão institucional: municipal,
estadual, federal, do sistema político formal
e informal.
Porque contribui para o fortalecimento do
exercício pleno de nossa cidadania.
Conceituando Advocacy
O que significa participar e
negociar politicamente?
Significa implementar um projeto de negociação de
demandas sociais, visando conquistar reivindicações que
são próprias das populações-alvo
Significa identificar e analisar nossos problemas e
sermos capazes de definir e trazer soluções.
Significa desenvolver estratégias integrais para poder ter
diálogo de alto nível com tomadores de decisão
Significa construir relações democráticas de poder entre
o Estado e as comunidades.
Significa um processo de acumulação (cada avanço, por
menor que seja, é um passo importante para frente)
Conceituando Advocacy
O que Advocacy não é?
Advocacy não parte de uma lógica de
confrontação, nem de ações diretas de
massa
Advocacy não é um trabalho que
compete a uma só organização, grupo
ou indivíduo.
O que diferencia Advocacy de outras ações que visem à mudança social?
Advocacy
Outras Ações
Elementos
IEC
Mobilização
comunitária
Atuação em
Rede e
Parcerias
Captação de
fundos e
mobilização de
recursos
Superaç
ão de
estigma
e discriminação
(campanhas /
materiais de
Informação,
Educação e
Comunicação)
O que é capaz
de mudar
Políticas, a
implementação de
políticas, leis e
práticas
Sensibilizaçã
o para com a
causa e
comportamen
to.
A capacidade de
comunidades de
identificar e
solucionar seus
problemas.
Isolamento e
duplicação
(são evitados
pela atuação
em rede)
Montante de recursos
disponíveis para o
trabalho de promoção
da cidadania LGBT
Grau de
estigma e
discrimina
ção contra
LGBT
Público-chave
Tomadores de
decisão,
formuladores de
políticas, pessoas
em posições de
influência e a mídia
Faixas etárias
específicas,
grupos
populacionais
específicos,
moradores de
uma região,
etc.
Membros de uma
comunidade
Indivíduos ou
grupos com
uma agenda
parecida
Comunidades,
conselhos locais,
governo,
patrocinadores
Pessoas
que
estigmatiz
am ou
discrimina
m
É direcionado
principalmente
a pessoas que
têm influência
sobre outras?
Sim
Não
Não
Não
Não
Não
Indicadores
típicos de
sucesso
Implementação de
políticas, leis ou
práticas que
possibilitem uma
melhoria no
atendimento a
LGBT; (re)alocação
de orçamento.
Mudanças em
atitudes em
relação a
LGBT
Um problema da
comunidade fica
resolvido,
aumento no nº
de pessoas
participando de
reuniões da
comunidade.
Integrantes da
rede ou da
parceria
conseguem
mais do que
poderiam
trabalhando
sozinhos
Sindicato cede local
para a realização de
reuniões, empresários
de estabelecimentos
LGBT fazem doações
Menos
empregad
os
demitidos
por serem
LGBT
Conceituando Advocacy
Como o Advocacy funciona?
Propõe estratégias sustentadas, que
procuram objetivos concretos para
alcançar as/os tomadores de decisão,
bem como soluções para os mais
diversos problemas
Se fundamenta em parcerias, trabalho
em redes, coalizões, coordenações de
diversos atores
Conceituando Advocacy
Climas e Ambientes Favoráveis
Clima: o que existe de relacionamento
entre as pessoas, situação existente
não-palpável...
Ambiente: relações entre as instituições,
contexto político, histórico, legal...
Conceituando Advocacy
Elementos importantes de Advocacy
•Como as políticas relacionadas ao HIV/Aids são
formuladas e implementadas;
• Quais instituições e pessoas (autoridades) estão
envolvidas;
• Quais são os níveis de autoridade dessas pessoas
dentro de suas instituições;
• Quando e onde devemos agir para obter o máximo
impacto com nossos esforços de advocacy.
Conceituando Advocacy
Elementos importantes de Advocacy
O grupo/rede/coordenação/coalizão
deve monitorar o ambiente econômico
e sócio-cultural para manter-se
informado sobre as posições de
autoridades governamentais e políticos
a respeito do tema proposto.
Conceituando Advocacy
É importante ter em mente que:
Advocacy está sempre dirigida para influenciar políticas,
leis, regras, programas, serviços, financiamento.
As decisões são tomadas nos mais altos níveis das
instituições do setor público e privado.
Advocacy inclui a elaboração de campanhas de duração
limitada, baseadas em um só tema.
As atividades de advocacy podem ser realizadas em nível
nacional, regional ou local.
Conceituando Advocacy
AÇÕES
AÇÕES são atividades que realizamos
diante de fatos cotidianos, em resposta
às oportunidades que nos oferece o
próprio contexto histórico, social,
político, econômico ou cultural.
Conceituando Advocacy
ESTRATÉGIAS
Estratégias
dizem
respeito
ao
planejamento minucioso de atividades
que visam à consecução de objetivos.
São passos graduais de curto prazo,
visando alcançar progressivamente
uma mudança fundamental no longo
prazo.
Conceituando Advocacy
Estratégias exigem que nós:
Atuemos dentro de uma seqüência lógica
Tenhamos um alto grau de maturidade em
relação
à
sistemática
de
nossas
intervenções.
Demos seguimento ao processo escolhido.
Conceituando Advocacy
Estratégias exigem:
Tempo
Dedicação
Conhecimento
Representatividade;
Seguimento, e
Muita garra para atingir nossos objetivos
imediatos em busca de soluções de grande
alcance.
Os Passos de Advocacy
Apresentação breve dos passos de uma
estatégia de Advocacy
Para obter todos os insumos que permitam que o
grupo formule um plano de advocacy, é necessário
cumprir 5 passos, divididos em 9 etapas.
É preciso que o grupo considere cada passo como
sendo uma parte integrada dentro de uma
seqüência lógica dos demais passos.
É fundamental contar com informações suficientes
sobre as populações-alvo com as quais
trabalhamos e do entorno político no qual estão
inseridos.
Os Passos de Advocacy
Exercício 2
Sequência dos Passos de
Advocacy
Os Passos de Advocacy
Identificação
do
Problema
Identificação do
Tema
Monitoramento e
Avaliação
P.5
Plano de
Trabalho e
Captação de
Recursos
P. 1
Coleta de dados
Estratégia
de
Advocacy
P.4
P. 2
Elaboração
de
Plano de
comunicação
Definição
de
Meta e Objetivos
P.3
Identificação
de
[email protected]
Identificação
de
Públicos
PASSO 1
Identificação do problema,
da área de trabalho (tema)
e coleta de dados
Identificar o Problema: para o qual queremos
encontrar ou propor soluções.
Identificar o Tema: Um aspecto específico,
mais concreto, do problema. Ao realizar ações
de advocacy em torno desse aspecto, estaremos
contribuindo para amenizar o problema.
Coleta de informações e dados: que mostram
onde está o problema
PASSO 2
Definir Meta e Objetivos
Meta: Uma afirmação geral, um ideal que a
organização espera alcançar a longo prazo.
Objetivos: Passos sequenciais para atingir a
meta.
PASSO 3
Identificar as autoridades
(públicos) que tomam as
decisões, e que podem
nos apoiar ou não.
Públicos: Temos que identificar os tomadores
de decisão sobre os quais desejamos influir para
que se inteirem do problema que estamos
identificando.
[email protected]:
Unir esforços com organizações ou indivíduos
que estão comprometidos em apoiar nossa causa
PASSO 4
Em quem vamos chegar e
como vamos chegar.
Implementar um Plano de
Trabalho para executar
nossas ações.
Comunicação: elaborar as mensagens
para cada autoridade em quem queremos
chegar.
Canais de comunicação: meios através
dos quais a mensagem será transmitida
Plano de trabalho: Realizar um conjunto
de atividades planejadas para alcançar
nossos objetivos (plano de ação).
Captação de Recursos: Identificar e
conseguir recursos
PASSO 5
Monitoramento e
avaliação
Monitoramento: Processo de coleta de
informação para medir o progresso no
alcance dos objetivos de advocacy.
Avaliação: Processo de coleta e análise de
informações para determinar se os
objetivos de advocacy foram alcançados e
traçar os próximos passos.
PASSO I
Problema
Tema
Coleta de Dados
PASSO I
Identificando o problema
Identificação
do
Problema
Identificaçã
o do tema
de trabalho
P. 1
Estratégia
de
Advocacy
Coleta de
dados
Passo I – Identificando o Problema
“Definir o problema com precisão, é uma tarefa fundamental”
Quanto melhor
entendemos o
entorno político em
que estamos
inseridos, mais fácil
será avaliar o risco
de incidir
politicamente (fazer
advocacy)
Passo I – Identificando o Problema
Ao identificar nosso problema, estamos dando o
passo necessário para começar a elaborar a
estratégia de advocacy.
Todo trabalho de advocacy tem sua origem num
problema identificado, acerca do qual o grupo deve
estar de acordo no sentido de impulsionar mudanças
nas políticas existentes a fim de superar uma
necessidade.
Passo I – Identificando o Problema
Por onde
começamos?
O que fazer?
Quais
atividades
podemos
realizar?
Começamos por identificar uma
necessidade que exija decisões
precisas, destinadas a melhorar
ou criar políticas
Planejar ações dirigidas, para
denunciar, pressionar, propor
mudanças ou programas
Expor nossa situação, para que
as autoridades, e as pessoas
em geral, se deem conta de
nosso(s) problema(s) e
trabalhem em prol das
soluções que estamos
propondo.
Passo I – Identificando o Problema
Temos muitos exemplos, podemos
mencionar o seguinte:
A incidência de Aids é onze vezes maior
na população de gays e outros homens
que fazem sexo com homens (HSH), do
que na população em geral, com
tendência de aumento entre
adolescentes e idosos.
Passo I – Identificando o Problema
1
Problema / necessidade
identificado pelas populaçõeschave/comunidade
É o maior problema que está afetando a
população-alvo/comunidade, impedindo
que tenha acesso a seus direitos, a
programas ou serviços, ou que carece
de algum deles em relação ao HIV/Aids
e DST
2
Como o grupo/organização teve acesso
Como a organização se deu conta a informações a respeito do problema
do problema/necessidade?
3
De que forma o
problema/necessidade está
documentado, pela organização?
Refere-se à maneira como a
organização/grupo registre os casos ou
situações relacionados com o problema
exposto por sua populaçãoalvo/comunidade.
4
Programa ou serviço com o qual o
problema/necessidade está
relacionado
Citar o nome e descrição dos
Programas e Serviços públicos e
privados existentes, que de alguma
maneira estão relacionados com
o
problema
Passo I – Identificando o Problema
5
Sabe-se como o programa ou
serviço foi criado? Como foi o
processo?
Descrever de forma resumida o
processo da elaboração e/ou criação
dos programas e serviços por parte do
governo, o estado, o município.
6
Política(s) Pública(s)
relacionada(s) ao
problema/necessidade?
Refere-se às leis, regulamentos,
normas, portarias
que regulam os
serviços que beneficiam e/ou afetam as
populações-alvo.
7
Sabe-se como a(s) Política(s)
Públicas em questão foram
formuladas ou criadas?
Descrever de forma resumida como as
políticas públicas foram elaboradas e
formuladas, e o trâmite que cada uma
delas teve que seguir para ser aprovada
e implementada no município, estado ou
nacionalmente.
Passo I – Identificando o Problema
Análise do contexto político do problema/tema
1.
Problema
Travestis e
transexuais
sendo
presos
arbitrariam
ente
2. Como
se tomou
conhecime
nto do
problema?
3.
Documen
tação do
problema
4.
Programa ou
Serviço que
está
relacionado com
o Problema
5.
Origem/proces
so do
programa ou
serviço
6
Políticas
públicas
relacionadas
com o
Problema
Denúncia,
clipping
mídia
Ficha de
Denúncia
do Grupo
Dignidad
e
Polícia Militar da
Capital (13º
Batalhão)
Polícia criada
durante a
Ditadura, sem
envolvimento
da população
Portaria 25
(Prevenção
ao Delito)
O Secretário de Segurança
Pública achou por bem, e
mandou publicar a Portaria
Código Penal
– crime de
vadiagem
O Código Penal foi redigido
em época em que havia
outros valores mais
repressivos
Protocolo
elaborado por
médicos
especializados
da Secretaria
Municipal da
Saúde
Universalizaç
ão do acesso
à testagem
anti-HIV.
Protocolo
Municipal de
Atendimento
ao Portador
Assintomátic
o do HIV
Política elaborada dentro
da Secretaria Municipal da
Saúde, apresentada e
aprovada pela Comissão
Municipal de DST e Aids e
pelo Conselho Municipal de
Saúde
Clipping
Pessoas
HIV+
assintomáti
cas não
sendo
atendidas
nas
Unidades
de Saúde
Básicas
Denúncia
da RNP
Ficha de
Denúncia
do Grupo
Dignidad
e
Ambulatórios de
Unidades de
Saúde do
Distrito Sanitário
Cajuru
7.
Origem/processo das
políticas públicas
Exercício 3: Identificando o
problema
Quem quer conseguir tudo de uma vez, corre o risco de
não conseguir nada no final
Objetivo:
- Identificar quais são os principais problemas que afetam
a sua população-alvo.
- Utilizar as informações disponíveis para comprovar os
problemas que afetam a população-alvo
- Pensar e priorizar um problema para o desenvolvimento
de ações de advocacy
Passo I – Identificando o Tema
O TEMA é um aspecto específico, mais concreto, do
problema.
Ao realizar ações de advocacy em torno desse aspecto,
estaremos contribuindo para amenizar o problema
Passo I – Identificando o Tema
Exemplos de temas:
Ter investimento governamental em ações de
prevenção de Aids e DST na população de
gays e HSH, proporcional à incidência da
epidemia.
Ter legislação que proíba a discriminação a
pessoas vivendo com HIV e Aids.
O importante é que a organização escolha o tema
que realmente responda às necessidades da
comunidade que representa.
Exercício 4: Selecionando o
Tema de Advocacy
Objetivos:
Identificar temas e ressaltar a importância
dos mesmos baseando-se na descrição de
sua própria população
Priorizar o(os) temas propostos, e selecionar
1 deles para seu trabalho de advocacy
Apresentar pelo menos uma razão pela qual
se considera o tema importante para o
trabalho de advocacy.
Critérios para escolher um tema
(marque um círculo em torno da letra que corresponda ao critério)
A – Alto
M- Médio
B-Baixo
Tema: (escrever o
tema selecionado
neste espaço)
A
M
B
CRITÉRIOS
O tema selecionado::::>
A
M
B
A
M
B
A
M
B
A
A
M
M
B
B
Conta com o apoio de outras organizações, instituições ou pessoas
interessadas na população-alvo?
Conta com informações suficientes que respaldem e documentem o
problema identificado pelo grupo?
Será facilmente aceito, tanto pela população-alvo como pelas
organizações, instituições que poderiam apoiar a organização/rede/
coordenação/coalizão?
Contribuirá para a melhoria da qualidade de vida da população-alvo?
Será fácil de alcançar aquilo que se propõe?
A
M
B
A
M
B
A
M
B
A
M
B
A
M
B
A
M
B
Reflete as necessidades da população-alvo?
Ajudará a formar parcerias com outros
grupos/organizações/redes/coalizões, etc?
Incentivará a população-alvo a se organizar e a participar ativamente
no processo?
Chamará a atenção dos tomadores de decisão, meios de comunicação,
ou pessoas formadores de opinião pública?
Chamará a atenção de setores que poderiam se opor ao tema por estar
relacionado com a população-alvo?
Precisaria que a população-alvo fosse mais capacitada e/ou preparado
em relação ao tema?
Atenderá as necessidades expressadas pelas comunidades?
ALTO:
Sempre ou
quase
sempre se
encaixa no
critério
MÉDIO:
Se encaixa
no critério
com
freqüência
BAIXO:
Raramente
ou nunca se
encaixa no
critério
PASSO I
Coleta de Dados
Passo I – Coleta de Dados
Por que é importante coletar dados?
Para entender e representar
com precisão as
necessidades, prioridades, e
interesses da populaçãoalvo.
Porque a comunidade
precisa saber que a
organização tem capacidade
de recolher, analisar e
difundir as informações
sobre suas necessidades.
Porque ao trabalhar com o
tema de HIV/Aids, é
necessário conhecer como
as populações-alvo são
afetadas.
Porque o bom manejo das
informações aumenta a
credibilidade da organização
perante os tomadores de
decisões.
Passo I – Coleta de Dados
Ao coletar dados é importante pensar sobre:
A capacidade do
grupo de
processar as
informações
para documentar
as diversas
situações
vividas por cada
uma das
diferentes
comunidades.
• A organização
tem que
considerar a
importância da
coleta de dados e
estes devem se
ajustar às
prioridades que
fundamentam
uma causa de
advocacy.
A busca de informações, sua organização e conservação
adequadas, servirá para termos respaldo quando nos
mobilizarmos em torno de nossas reivindicações.
Também nos permite analisar se as leis, as normas e os
regulamentos estão sendo cumpridos.
Passo I – Coleta de Dados
Perguntas a serem respondidas e apresentadas
Tema:
Quais são as
necessidades de
informação do
grupo/organizaçã
o/ rede/coalizão?
Com que tipo de
informação o
grupo conta para
informar @s
tomadores de
decisão?
Com que tipo de
habilidades e
conhecimentos o
grupo/organização/
rede/coalizão conta para
seu trabalho de coleta e
processamento de
informações?
Se as
informações
ainda não foram
organizadas,
quais alternativas
vocês propõem
para que seja
feito?
Passo I – Coleta de Dados
Levantamento do processo de coleta de informações
Quais são as fontes das informações?
Marque com X as opções que correspondam:
[] Pesquisas realizadas com membros das populações-alvo
[] Cada um dos serviços que a organização presta às populações-alvo.
[] @s usuá[email protected] da organização
[] Recortes de jornais – artigos sobre o tema HIV/Aids
[] Recortes de jornais – artigos sobre as populações-alvo com as quais a a organização trabalha.
[] Programas de televisão
[] Políticos e/ou outros personagens públicos quando falam a respeito do trabalho da organização
[] Os conhecimentos das pessoas que trabalham na organização
[] Dados fornecidos por organizações parceiras e/ou outras organizações com trabalhos
parecidos com os da sua organização.
[] Outras fontes:
Arquivamento das informações
Marque com X as opções que correspondam:
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
Classificação por temas
Banco de dados informatizado
Em pastas sem classificação
Em uma caixa ou arquivo de aço, sem classificação
Informações centralizadas em um só local
Cada membro da organização guarda suas próprias informações
Não conservamos as informações
Outros:
Passo I – Coleta de Dados
Tipo de informação
Levantamento do processo de coleta de informações
Marque com X as opções que correspondam:
[] HIV e Aids
[] Homossexualidade
[] Mulheres profissionais do sexo
[] Homens profissionais do sexo
[] Transgêneros / transexuais profissionais do sexo
[] Direitos humanos
[] Acesso a tratamentos
[] Serviços e programas relacionados com a população-alvo
[] Políticas relacionadas à população-alvo
[] Denúncias sobre violações dos direitos humanos da população-alvo
[] Estatísticas relativas à população-alvo
[] Outros:_________
Uso das informações e dos dados
Marque com X as opções que correspondam:
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
[]
Para uso interno da organização
Para uso [email protected] usuá[email protected] da organização
Para uso [email protected] diretores da organização
Para elaborar relatórios de trabalho
Para publicar relatórios sobre o trabalho da organização
Parar socializar as informações junto ao público em geral
Para documentar as violações dos direitos humanos
Para documentar as falhas em programas e serviços
Para documentar as falhas em políticas
Para apresentar projetos
Para apresentar melhorias para planos, programas e políticas
Outros:_________
Exercício 5: Coleta de Dados
Como se dará o processo de
complementação dos dados já levantados, no
decorrer do projeto?
PASSO II
Metas e objetivos
Identificaçã
o
de
Problema
Identificação
do tema de
trabalho
P. 1
Coleta de
dados
Estrategia
de
Advocacy
P. 2
Definição
de
Meta e
Objetivos
PASSO II
Metas
Passo II – Metas e Objetivos
Qual é a importância da Meta e dos Objetivos?
As metas e os
objetivos são
elementos
indispensáveis para
a apresentação de
uma estratégia de
advocacy.
Nos permiten alcançar
resultados efetivos, concretos
e claros em benefício de nossa
comunidade.
Devem ser propostos
visando à mudança
que se quer conseguir,
seja uma mudança de
políticas ou de
programas.
Para identificar metas e objetivos
devemos ter claro qual é o
problema e o ambiente político
no qual nosso tema está
inserido.
Passo II – Metas e Objetivos
Metas e objetivos:
Uma meta é uma afirmação geral, um
ideal que a organização espera
alcançar a longo prazo (três a cinco
anos).
Um objetivo de advocacy descreve
avanços de curto prazo, específicos e
mensuráveis, baseados no problema, e
que permitam alcançar a meta.
Passo II – Metas e Objetivos
A Meta
A meta é a visão do futuro tida pelo grupo
sobre a mudança esperada nas políticas
com relação aos problemas relativos ao
HIV/Aids e/ou DireitosHumanos.
Uma meta requer
uma ação política,
assim como o
aumento da
consciência pública.
Passo II – Metas e Objetivos
Exemplo de uma Meta
No “país X”, gays e HSH,
profissionais do sexo e PVHA
contarão com acesso a serviços
e programas de qualidade, não
discriminatórios, em HIV e Aids
3 a 5
anos
Passo II – Metas e Objetivos
Outros exemplos de metas que demonstram uma
visão a longo prazo acerca da mudança de uma
política.
O Governo redigirá, aprovará e implementará uma política nacional
sobre HIV/Aids, tomando em conta a participação de PVHA, @s
profissionais do sexo, gays e outros HSH, e outros setores da
população afetados pela epidemia.
As PVHA contarão com serviços de qualidade, acesso a tratamento,
com um sistema de saúde pública com profissionais devidamente
[email protected], e [email protected] dos direitos humanos.
Passo II – Metas e Objetivos
Exercício 6.a): Identificando uma meta.
Redigir a meta do seu Plano
Passo II – Metas e Objetivos
A meta pode ser alcançada
através de uma série de
decisões e mudança de
políticas?
A meta requer uma ação política,
assim como o aumento da
consciência pública?
Se a mudança de política proposta
não contribui
para alcançar uma meta,
provavelmente
não é una meta de advocacy
Analise a sua
meta a partir
dos 3
observações à
esquerda
Se a meta que vocês
definiram não se
enquadra como uma
meta de advocacy,
volte aos exemplos na
introdução.
Passo II – Metas e Objetivos
Objetivo
Passo II – Metas e Objetivos
O objetivo
Os objetivos, são pequenos passos
que nos levam a alcançar a meta
(aonde queremos chegar) e
estabelecem os parâmetros que nos
permitirão avaliar os resultados
alcançados.
Passo II – Metas e Objetivos
Ao escolher um objetivo de advocacy, é
preciso:
Ter claramente definido o tema que
queremos resolver e/ou apoiar.
O tema deve satisfazer o critério
acordado pela organização/rede e deve
apoiar sua missão global.
Passo II – Metas e Objetivos
Características de um objetivo de advocacy
Claro
Específico
Realista
Alcançável
Mensurável
Com definição de tempo
Voltado para ação
Passo II – Metas e Objetivos
Outros elementos a levar em conta em
relação aos objetivos:
“Atores” políticos: Autoridades com
capacidade para converter o objetivo em
ação, como o Prefeito, o Secretário de
Saúde, os Deputados, os Vereadores, etc.
“Ação”, ou decisão política: é a decisão ou
ação necessária para atingir o objetivo, ou
seja, a criação de uma política,
Cronograma: descreve o período de tempo
em que se atingirá o objetivo.
Passo II – Metas e Objetivos
Um exemplo de objetivo de advocacy
• Assegurar que
o Secretário de
Saúde aloque
recursos
suficientes
para o
programa de
atenção em
HIV/Aids para
2 a 3
anos
Passo II – Metas e Objetivos
Exercício 6.b) Elabore um ou mais
objetivos de advocacy, tomando em
conta o seguinte:
Que responda ao tema de advocacy selecionado
Que contribua para o alcance da meta de
advocacy selecionada
Que cumpra os critérios de formulação de
objetivos (Específico, Mensurável, Alcançável,
Realista, com Tempo definido, e Voltado para
ação)
Passo II – Metas e Objetivos
Exemplos de tema, objetivo e meta de Advocacy
Tema de
Advocacy:
Serviços em
HIV/Aids que sejam
confiáveis, de
qualidade e nãodiscriminatorios
Meta de
Advocacy:
Gays e HSH, PVHA
e profissionais do
sexo com acesso
integral a
programas de
prevenção e
atenção em
HIV/Aids no país.
Objetivo de
Advocacy: que o
Ministro da Saúde
destine os recursos
necessários para
implementar planos e
programas de
prevenção e atenção
em HIV/Aids para
gays e HSH, PVHA e
PS
Passo II – Metas e Objetivos
Check-List para a seleção de objetivos de Advocacy
(Marque com X o critério que corresponda)
Critérios
1. Existem dados qualitativos ou quantitativos para mostrar que o objetivo melhorará
a situação?
2. O objetivo é alcançável, mesmo com oposição?
3. O objetivo contará com o apoio de muitas pessoas? As pessoas têm interesse
tanto no objetivo como em apoiar a ação?
4. A organização/rede pode conseguir financiamento ou outros recursos para apoiar
seu trabalho com relação ao objetivo?
5. A organização/rede consegue identificar claramente quem toma decisões
relacionadas ao seu objetivo? Conhece os nomes e os cargos dos tomadores de
decisão?
6. O objetivo é fácil de entender?
7. O período de tempo do objetivo de advocacy está claro e realista?
8. A organização/rede conta com as parcerias necessárias com pessoas e
organizações-alvo para alcançar seu objetivo de advocacy?
9. O objetivo ajudará a criar parcerias com outras ONG, líderes, ou [email protected]?
10. Participar no processo de alcance do objetivo de advocacy proporcionará
oportunidades para aprender e envolver-se no processo de tomada de decisões?
PASSO III
Identificando públicos e aliados
Identificação
do
Problema
Identificação
do tema de
trabalho
P. 1
Coleta de
dados
Estratégia
de
Advocacy
P. 2
Definição
de
Meta e
Objetivos
P. 3
Identificando
aliados
Identificando
Públicos
PASSO III
Identificando públicos
Por que é importante identificar públicos?
• Quando caminhamos rumo à meta proposta é
necessário identificar e conhecer todas as pessoas e
grupos que podem apoiar nosso tema.
• Reconhecer aquelas pessoas que possivelmente
estariam contrários às metas que pretendemos
alcançar.
• Identificar aquelas pessoas que poderiam favorecer
nossa causa, apesar de não ter se manifestado a
respeito, e que potencialmente poderiam ajudar.
• É fundamental saber quais são os públicos para
construir a rede de apoio para nosso tema e, como
conseqüência, aumentar nossas probabilidades de
êxito.
PASSO III
Identificando públicos
O público primário são
as pessoas que tomam
decisões, mais
conhecidas como
autoridades políticas, por
exemplo: o Presidente
da República, @s
[email protected], Secretários
de Governo,
[email protected], etc
@s adversá[email protected] podem ser
homens ou mulheres, líderes
políticos, funcioná[email protected] de
governo local, regional ou
nacional. A oposição pode se
tornar o maior obstáculo para o
alcance de nossa meta e
objetivos
O público
secundário é
composto por
pessoas que por
diferentes motivos
têm alguma
influência sobre os
públicos primários
Passo III – Identificando Públicos
Passo III – Identificando Públicos
Pontuações e recomendações sobre os públicos e @s
participantes:
Para cada objetivo de advocacy se determina um público-alvo.
O grupo/rede/coordenação/coalizão deve documentar as informações sobre
estes públicos.
Uma vez identificadas estas pessoas/grupos, o
grupo/rede/coordenação/coalizão avalia o grau de apoio ou oposição que se
espera de quem compõe os públicos-alvo.
Identificar públicos “não-mobilizados” (que não manifestarem uma posição,
nem favorável, nem contrário). Procurar descobrir qual é a posição deles.
O grupo/rede/coordenação/coalizão deve investir tempo para ampliar sua
base de apoio.
É importante que o grupo/rede/coordenação/coalizão tenha todas as
informações sobre os públicos opositores.
Exercício 7: Reconhecendo os públicos e seu
interesse em nosso tema.
Objetivos
Identificar os públicos primários e
secundários
Criar mapas para identificar os integrantes do
público-alvo como fontes de apoio ou
oposição para cada objetivo de advocacy
Identificar os adversários e os “nãomobilizados”
Passo III – Identificando Públicos
Analisando os Públicos Mapeados
 Quais são as observações gerais do grupo acerca da
análise dos públicos, por exemplo, necessidade de mais
informações sobre @s [email protected], a oposição é mais poderosa do
que os que apóiam o tema de advocacy?
 De modo geral, os públicos-alvo demonstram mais apoio ou
mais oposição?
 Com base na análise, como se poder direcionar os esforços
de advocacy? Ampliar a base de apoio, neutralizar a oposição,
ou tentar mobilizar os públicos neutros a seu favor?
Que informação adicional, se existe, seria necessária para
uma avaliação precisa do público-alvo? Onde pode-se obter
estas informações?
PASSO III
Identificando [email protected]
¿Com quem podemos contar?
Passo III – Identificando [email protected]
Por que os [email protected] são importantes?
Contar com [email protected] permite que as pessoas ou organizações
possam se unir para trabalhar em prol de um objetivo comum,
se apoiando e colaborando mutuamente.
Criar coalizões ou estratégias de cooperação aumenta a força,
assim como os recursos do grupo, para realizar as ações de
advocacy
Quanto mais pessoas ou organizações se somam à causa,
maior será o poder de influência sobre @s tomadores de
decisão.
O principal desafio das redes ou coalizões é buscar transformar
o sistema por dentro, a fim de garantir mudanças de maior
impacto e mais duradouras.
Passo III – Identificando [email protected]
Trabalhar com [email protected] permite a organização das ações de
Advocacy:
Realizar consultas permanentes com os diferentes atores envolvidos
com o tema.
Fortalecer as habilidades dos diversos atores que compõem o grupo,
rede ou coalizão, assim como as das comunidades que representam,
para que possam manter uma boa participação em diferentes espaços
sociais e políticos.
Contar com [email protected][email protected] e profissionais que proporcionem
respaldo teórico às nossas demandas.
Compartilhar os resultados de estudos e análises de políticas de
atenção e prevenção em HIV, com organizações com trabalho em
HIV/Aids, direitos humanos, organismos de cooperação, financiadores e
outras.
Temas a tomar em conta no estabelecimento de
parcerias com [email protected]
Identificar organizações e pessoas que podem nos
apoiar com habilidades e recursos necessários.
Recrutar novas pessoas.
Programar e realizar reuniões.
Identificar a pessoa responsável por coordenar,
comunicar, distribuir tarefas, etc.
Registrar as responsabilidades das organizações e das
pessoas envolvidas.
Estabelecer responsabilidades financeiras – orçamento,
captação de fundos, contabilidade.
Passo III – Identificando [email protected]
Também deve-se pensar em :
Como e de que foram se manterá [email protected]
@s membros
Quando serão realizadas as reuniões e quem
coordenará a pauta
Quais serão os papéis e responsabilidades
[email protected] membros
Com quais recursos se pode contar
Exercício 8: Identificar aliados e como eles
podem apoiar a estratégia de advocacy
Passo IV – Planos de Comunicação e Trabalho, Captação de Recursos
Identificação
do
Problema
Identificação do
tema de trabalho
P.5
Plano de
Trabalho e
Captação de
Recursos
P. 1
Coleta de dados
Estratégia
de
Advocacy
P.4
P. 2
Elaboração
de
Plano de
comunicação
Definição
de
Meta e Objetivos
P.3
Identificação
de
[email protected]
Identificação
de
Públicos
Passo IV – Plano de Comunicação
O plano de Comunicação
Seleção dos canais de
negociação
Passo IV – Plano de Comunicação
A comunicação leva à ação e é a grande
estrela da advocacy
Comunicação em advocacy é qualquer
atividade de comunicação que busca
informar, persuadir e impulsionar
nossos públicos a realizar ações a favor
da meta e dos objetivos propostos
Passo IV – Plano de Comunicação
Passos a considerar na implementação
de um plano de comunicação de
advocacy
Passo IV – Plano de Comunicação
1. A mensagem vai ser transmitida a quem ?
Aos diferentes atores e públicos
identificados e chamados para agir a
respeito do tema
Passo IV – Plano de Comunicação
2. Qual é o ponto principal que a organização quer comunicar ao
público-alvo (tomadores de decisão/público en geral)
O ponto principal a negociar com os
públicos-alvo, são as mudanças que o
Tema de Advocacy propõe em relação
à tomada de ações ou decisões
Passo IV – Plano de Comunicação
3.- Quem vai transmitir a mensagem?
: O público-alvo confia no porta-voz?
Refere-se à pessoa ou às pessoas
responsáveis por negociar a proposta.
[email protected] deven inspirar confiança no
público e TER CREDIBILIDADE
Passo IV – Plano de Comunicação
4. Qual é o propósito da mensagem?
Tornar nossos objetivos conhecidos e
argumentar sobre as vantagens que a
proposta de mudança poderia trazer
Passo IV – Plano de Comunicação
5. Quais seriam os canais de comunicação mais apropriados para
se chegar aos públicos-alvo?
É preciso identificar os canais de comunicação mais apropiados
para divulgar a mensagem, de acordo com os públicos a serem
alcançados, ex.:
Entrevistas individuais com tomadores de decisão
Flyers
Conversas informais
Fóruns de discussão
Programas de rádio
Programas de televisão
Oficinas temáticas
etc
Passo IV – Plano de Comunicação
6. Divulgar a mensagem quando?
É preciso determinar o momento e a ocasião
oportunos para entregar a mensagem.
I
Isto é importante visto que por mais que a
mudança que desejamos seja urgente, é
necessário considerar se existe um cenário
político favorável a nossa proposta
Passo IV – Plano de Comunicação
6. Aonde divulgar a mensagem ?
Depende do objetivo da mensagem e
se o público ao qual está dirigida é o
público primário ou secundário
Exercício 9: Elaborar o Plano de Comunicação
Passo IV – Plano de Comunicação
Verificando o Plano...
A mensagem vai ser transmitida a quem ?
Qual é o ponto principal que a organização quer
comunicar aos públicos-chave (tomadores de
decisão/público em geral)
Quem vai transmitir a mensagem? : os públicoschave confiam no porta-voz?
Qual é o propósito da mensagem?
Quais seriam os canais de comunicação mais
apropriados para se chegar aos públicos-chave?
Divulgar a mensagem quando?
Aonde divulgar a mensagem ?
Passo IV – Plano de Trabalho
Plano de Trabalho e Captação de Recursos
EXEMPLO DE PLANO PARA CAMPANHA DE ADVOCACY
ATIVIDADES
RESPONSÁVEL
[email protected]
[email protected]
CRONOGRAMA
Data / Prazo
NECESSIDADES
ORÇAMENTO R$
1. Sensibilizar o MCP Colombia diante das necessidades e
características própiras do grupo LGBT diante da
problemática de HIV/Aids
1.1 Preparação de
agenda de
trabalho e
envio de
documentos.
25 de maio
Álvaro H. Plazas
Jaime O. Porras
Cesar Montenegro
E-mail
Telefonemas
Correio
convencional
SUBTOTAL ATIVIDADE 1
R$80
R$150
R$70
R$ 300
2. Integrar os grupos LGBT que trabalham com HIV/Aids de
acordo com os alinhamentos do Fundo Global
2.1 Reunião para
pactuar a
estrutura do
comitê de
campanha
Álvaro H. Plazas
Jaime O. Porras
Cesar Montenegro
Pedro Pardo
Patricia Dias
Norberto Silva
28 de junho
Mobilização
Coffee Break
Hospedagem
Diárias
SUBTOTAL ATIVIDADE 2
R$2.500
R$ 2.500
3. Identificar atores com linhas de ação, abrangência e poder
de decisão em HIV/Aids, para articular e complementar
o trabalho
3.1 Preparação de
agenda de
trabalho e
envio de
documentos.
Álvaro H. Plazas
Jaime O. Porras
Cesar Montenegro
SUBTOTAL ATIVIDADE 3
Pedro Pardo
Patricia Dias
Norberto Silva
10 de agosto
Documentos
Mobilização
Coffe break
Hospedagem
Diárias
R$ 3.500
R$ 3.500
OUTRAS
FONTES
Exercício 10: Elaborar o Plano de Trabalho e
Identificar fontes de recursos
Passo V – Monitoramento e Avaliação
Identificação
do
Problema
Identificação do
tema de trabalho
Monitoramento e
Avaliação
P.5
Plano de
Trabalho e
Captação de
Recursos
P. 1
Coleta de dados
Estratégia
de
Advocacy
P.4
P. 2
Elaboração
de
Plano de
comunicação
Definição
de
Meta e Objetivos
P.3
Identificação
de
[email protected]
Identificação
de
Públicos
Passo V – Monitoramento e Avaliação
REFLEXÃO
Na maioria das atividades que realizarmos,
não reconhecemos a importância do
processo de monitoramento ou avaliação;
Achamos que monitorar e avaliar é tedioso;
que vamos perder tempo com isso
Sabemos captar os dados, mas não os
utilizamos para planejar atividades futuras
O que entendemos por monitoramento, avaliação,
para que serve e como se faz?
MONITORAMENTO
Captar informações para dar
continuidade a nossos
objetivos.
Averiguar se as atividades
propostas estão sendo
cumpridas
Verificar a qualidade das
atividades, para ajustar e
corrigir.
Verificar se os objetivos estão
sendo alcançados, e ajustar o
processo se necessário.
Utilizar instrumentos de coleta
de dados, (para auxiliar na
tomada de decisões)
Acompanhar (inclusive para
ter informações para analisar
o ambiente político)
O que é?
• Captar informações sistematicamente,
• Usar as informações captadas
• Deve orientar nosso plano (objetivos,
prazos, metodologias, inclui recursos
humanos, financeiros, materiais,
instrumentos de medição, etc.)
• Ver o custo-benefício
• Ver as probabilidades de êxito
• É uma ferramenta que ajuda a
fortalecer nossos projetos
• Pode ajudar a potencializar nossas
habilidades
• Nos permite ver o que fizemos bem, e
o que não fizemos
O que não é?
• Não é um fim em si mesmo, é
simplesmente um meio.
• Não é um processo evolutivo
Passo V – Monitoramento e Avaliação
O Monitoramento:
Provê a informação necessária para o
desenho, implementação, administração e
avalilação do processo de advocacy políticas
Tem que incluir sistemas de captação de
informação, desde o mais sofisticado até o
mais simples.
Levar em consideração que os dados que
precisamos são aqueles que são os mais
apropriados para nossas atividades-chave.
Avaliação
Para que serve?
Captar informações
Usar informações
É uma ferramenta que ajuda a fortalecer
nossos projetos
Pode ajudar a potencializar nossas
habilidades
O que é?
Nos permite ver o que fizemos bem e o que
não fizemos
Uma vez captadas e analisadas as
informações, nos permitem capitalizar e
aproveitar para tomar decisões e melhorar
as ações futuras. (dados confiáveis e de
qualidade)
O uso da informação traz uma análise
objetiva e sistemática do desempenho, a
eficiência e o impacto em relação ao
objetivo proposto
O que não é?
Não é um fim em si
mesmo, é simplesmente
um meio
Um medidor de êxitos ou
fracassos
Como se aplica:
Avaliação inicial
Avaliação do processo
Avaliação final
Monitoramento e Avaliação: para que
contribuem, além da verificação dos
resultados?
Diversificar fontes de financiamento
Saber quando e o que é negociável (perante
doadores)
Valorizar a fonte de financiamento e/ou sua
pertinência com nossos princípios e valores.
Estabelecer regras claras entre os doadores
e o favorecido (um precisa do outro)
Monitoramento e Avaliação
ATIVIDADES
RESULTADOS ESPERADOS
INDICADORES
(copiar as atividades do Plano de
Trabalho, utilizando a mesmo
numeração)
1.1 Preparação de
agenda de trabalho
e envio de
documentos
Contar com a
confirmação da
organização
Proposta de
documento de
discussão
Materiais
impressos
Nº convites
enviados
Nº organizações
Documento
Nº materiais
impressos
MEIOS DE
VERIFICAÇÃO
Convites
Mala direta
de
organizações
Lista de
presença
Ata de
reunião
Exercício 11: para cada Atividade do seu Plano,
identificar os Resultados Esperados, os
Indicadores e os Meios de Verificação
AGRADECEMOS A
ATENÇÃO PRESTADA
DURANTE ESTA OFICINA
ATÉ UMA PRÓXIMA
OPORTUNIDADE
Download

TALLER DE CAPACITACIÓN EN INCIDENCIA POLÍTICA