Quinta das
6 Marias
•
São seis hectares trabalhados
por seis mulheres, todas de
nome Maria.
•
São plantadas 83 variedades
de hortícolas, além de árvores
de fruto e vinho de mesa.
•
Importante
preservação
papel
das
na
sementes
tradicionais: mais de metade
da produção vem das próprias
sementes recolhidas.
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Cabazes
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Porquê…
…a Agricultura Biológica ?

As práticas de cultivo mantêm ou aumentam o conteúdo de matéria orgânica, estabilidade e biodiversidade
do solo e previnam a compactação e erosão.


Desenvolvimento da componente biológica do solo
•
Menor desenvolvimento de pragas e doenças
•
Aumento da fertilidade do solo
•
Diminuição da erosão
Ausência de restos de Pesticidas ( Herbicidas; Fungicidas; insecticidas) Numerosos pesticidas proibidos em
determinados países devido à sua toxicidade continuam a ser utilizados, por vezes vendidos ilegalmente e
obtidos por contrabando. Os estudos toxicológicos reconhecem as relações existentes entre os pesticidas e
certas patologias, como o cancro, as alergias e a asma.

Devido à utilização de fertilizantes orgânicos de baixa solubilidade, e empregues nas quantidades exactas,
diminuiu a contaminação de águas subterrâneas e solos

Escolha de espécies vegetais e animais resistentes a doenças e adaptadas às condições locais

A produção requer maior mão-de-obra que a produção convencional, pelo que no âmbito local os benefícios
são evidentes

Os produtos derivados de uma produção ecológica, segundo os defensores, são mais ricos a nível nutritivo que
os produtos provenientes de explorações convencionais.

Proibido o uso de plantas geneticamente modificadas
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Práticas de produção
Na agricultura biológica, a qualidade e a quantidade da produção dependem da fertilidade do solo. Um solo fértil
irá proporcionar plantas saudáveis e vigorosas.
Práticas:

Adopção de rotações de culturas longas e diversificadas para interrupção dos ciclos dos infestantes e pragas,
para dar ao solo tempo para recuperação e para adição de nutrientes úteis. Plantas como o trevo, por
exemplo, fixam azoto atmosférico no solo

Utilização de fertilizantes orgânicos à base de estrume – para melhoria da estrutura do solo e para prevenção
da erosão

Incorporação de matérias orgânicas, de compostagem ou não, produzida em explorações que façam
agricultura biológica.”
Os fertilizantes (correctivos e adubos) autorizados são de origem orgânica (vegetal ou animal) ou mineral , só
podem ser aplicados se não for possível uma nutrição adequada das culturas em rotação ou a correcção do
solo recorrendo apenas ao métodos referidos atrás.

Restrição rigorosa ao uso de fertilizantes e pesticidas sintéticos – para evitar alterações a longo-prazo da
consistência e a dependência química do solo

Sementeira de culturas para adubação verde, que permitem a cobertura do solo após a colheita – para
prevenção da erosão do solo e lixiviação de nutrientes
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Outras práticas
Os agricultores biológicos também adoptam outras práticas que podem
não estar contidas no Regulamento, mas que ainda assim ajudam a manter
o equilíbrio natural e a biodiversidade nas explorações agrícolas biológicas e
em áreas envolventes. Estas incluem:

Plantação de sebes e árvores

Preservação de prados antigos

Manutenção de cursos de água naturais

Protecção de árvores e outra vegetação nativa

Consociaçoes, • Plantas que lado a lado com outras se ajudam e apoiam mutuamente,
para combater ou prevenir pragas , produzindo colheitas e plantas mais saudáveis...
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Protecção Fitossanitária

Na protecção das plantas deve ser dada preferência à limitação natural (protecção com base nos organismos
auxiliares existentes na cultura) e à luta biológica (largadas de auxiliares criados em biofábricas). Isto para além
de todas as medidas culturais (profilácticas):
- Rotação longa
- Variedades mais resistentes;
- Correcta compostagem dos resíduos vegetais e animais;
- Fertilização equilibrada sem excesso de azoto;
- Compasso largo para permitir melhor arejamento;

Deve também proceder-se à estimativa do risco de pragas e doenças antes de efectuar o tratamento.
- Nos caso das pragas, procede-se à observação visual e/ou à captura de adultos com armadilhas sexuais nos
casos em que existam feromonas disponíveis.
- No caso das doenças a observação visual muitas vezes não chega. No caso do míldio da batata, por exemplo, é
já possível fazer a previsão com base nos dados meteorológicos e com apoio informático.

São proibidos os pesticidas químicos de síntese e apenas autorizados os de origem vegetal, animal ou mineral
Em complemento podem utilizar-se os pesticidas autorizados, mas só em caso de perigo imediato para a cultura (o
que obriga a fazer a estimativa do risco se se pretende tratar) e desde que homologados no Estado membro.

Herbicidas não podem utilizar-se e, por isso, a monda química é substituída por monda manual, monda
mecânica, monda térmica (a gás propano) e cobertura do solo (resíduos vegetais ou plástico).
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
OBRIGADA
E lembrem-se: Sejam a
mudança, optem BIO!
Fátima Torres
Festa Bio - 11 e 12 de Julho 2014
Download

Agricultura Biológica