Olá, caros amigos!
Mais uma vez em contacto convosco, para partilharmos um
CERTIFICAÇÃO EQUASS ASSURANCE
pouco do que têm sido estes
meses de Verão, que com bastantes altos e baixos, no que
toca às condições climatéricas,
têm proporcionado dias muito
agradáveis, de sol e frescura,
que deu aos nossos campos
oportunidade de exibir toda a
sua beleza, com uma vegetação
exuberante, que dá gosto contemplar!
Também as nossas saídas ao
campo, Bodos de Leite, Festas
de algumas Paróquias, touradas
etc. etc. nos têm oferecido
momentos muito agradáveis e
feito sentir que “Deus tudo faz
bem feito” e nos dá capacidade
para tirar partido e desfrutar de
tantas coisas boas que Ele nos
oferece, que também ajudam a
suavizar as menos boas, que
fazem parte da nossa caminhada, como acontece a todos os
seres humanos.
A Ele, o nosso louvor e acção de
graças. A todas as pessoas que
nos ofereceram oportunidade
de viver tantos momentos bons,
com imensa alegria e paz, o
nosso sincero agradecimento e
que seja Ele a recompensá-las.
Bem hajam!
Ir.ª Crisantina
Durante os últimos anos a Casa de Saúde do Espírito Santo tem desenvolvido e
percorrido um longo caminho na área da qualidade, sendo recentemente reconhecido o seu trabalho. É de louvar o trabalho de todos neste processo, sendo o reconhecimento uma fonte de motivação para continuar com esforço e dedicação a
missão de todos que intervêm neste Centro.
É com muito orgulho e satisfação que a Casa de Saúde do Espírito Santo comunica
a todos os clientes, familiares, colaboradores, parceiros e entidades financiadoras a
Certificação de Qualidade – EQUASS Assurance in Social Services na totalidade das
suas valências. Este momento é um marco histórico para o Centro por ser reconhecido a nível nacional e europeu como uma Instituição que garante a qualidade dos
seus serviços. Para a Casa de Saúde este sistema pretende ser um aliado estratégico de apoio ao desenvolvimento dos serviços, reforçando deste modo o compromisso com a qualidade e a melhoria contínua.
Ao longo deste percurso foi sendo cultivado junto das equipas uma consciencialização de melhoria contínua como pilar fulcral neste processo, porém, existe ainda
um longo caminho a percorrer neste âmbito. A melhoria contínua não é uma solução rápida, antes pelo contrário, assenta na evolução gradual. Aos poucos as
melhorias surgem, dando tempo a todos para se adaptarem e aprenderem.
Este certificado foi atribuído pela Associação Portuguesa para a Qualidade e terá a
duração de 2 anos, sendo efetuada uma nova auditoria externa de certificação. Este
momento histórico ficou a dever-se a um meritório trabalho e empenho de todos
os colaboradores da Casa de Saúde do Espírito Santo, a quem se presta o seu devido agradecimento.
Mariana Correia
UMA EXPERIÊNCIA DE ENVOLVIMENTO…
Nesta Casa de Saúde houve uma auditoria, e um grupo de utentes, do qual fiz parte, teve o
prazer e o orgulho de ser entrevistado. Apresentámos à senhora auditora Marta as instalações, algumas unidades, serviços e salas de ocupação aqui existentes. Foi com todo o gosto
que a recebemos e partilhamos as nossas vivências, experiências e contactos. Gostei muito da experiência,
pois tive também a capacidade de mostrar e dizer como esta Casa de Saúde cuida das pessoas com amor e
qualidade. Fiquei muito contente quando soube que esta Casa de Saúde, através também da nossa ajuda,
conseguiu o selo da qualidade.
Estou muito satisfeita, pois esta Casa de Saúde do Espírito Santo respeita os nossos direitos e ensina-nos
quais são os nossos deveres e dá-nos várias oportunidades de recuperar e “crescer” ao participarmos em
vários projetos – “Grupo de auto-representação”, “Reuniões comunitárias”, “Música na mente”, sendo também muito importante para mim o que eu faço aqui todos os dias, por minha iniciativa, e que está no meu
plano individual de intervenção, ocupar-me na cozinha da Casa de Saúde, onde me sinto muito realizada,
porque gosto do que faço.
Andreia Borges
MAS AFINAL O QUE É ISTO DE STRESS?
Certamente a grande maioria de nós já teve uma sensação de mal-estar que acaba por ser descrita através da
seguinte expressão: “sinto-me stressado(a)”. De facto, todos nós já estivemos, em algum momento, sujeitos aos
efeitos do stress. Por isso mesmo vamos lá compreender do que se trata.
O Stress é um estado de tensão, resultante de uma situação que nos exige mais do que sentimos ser capazes
de dar. Facilmente conseguimos identificar situações em que isso acontece, tais como: falta de dinheiro; ser
maltratado; problemas familiares (que parecem fugir ao nosso controlo); cumprimento de prazos no trabalho;
mau ambiente no trabalho, etc.…
Os sintomas mais comuns são o aumento dos batimentos cardíacos, dificuldades de respiração, dores no peito,
tonturas, alterações no sono, urinar com frequência, ansiedade, irritabilidade e dificuldades de concentração.
Todos estes sintomas podem ocorrer com intensidades diferentes, podendo ser ligeiros (suportáveis) a severos
(muito incapacitantes).
Perante estas descrições surge-nos uma questão: o que fazer para evitar o stress?
Primeiro é importante estarmos informados para conseguirmos identificar os sintomas e poder fazer algumas
mudanças que evitem o agravamento dos mesmos. É necessário então aprender a fazer uma adequada gestão
do dinheiro e da vida doméstica (planificar tudo com base no dinheiro e/ou tempo que temos disponíveis),
assim como sabermos ser solidários, pois muitos dos problemas das nossas vidas, se forem partilhados, podem
ser mais facilmente solucionados ou suportáveis.
Algumas recomendações mais específicas poderão ser:
- Sabermos quais as situações que somos capazes de resolver (e não propormo-nos resolver aquilo que não
depende de nós);
- Estarmos ocupados, sempre que possível, em atividades que gostemos e que sejam realizadas num ritmo
correspondente às nossas forças;
- Definir prioridades, ou seja, investirmos nas tarefas que são mais urgentes e realizar as restantes ao longo do
tempo que resta (pois o stress leva-nos muitas vezes a uma dispersão);
- Saber pedir ajuda e aceitá-la;
- Tentarmos não perder o controlo das nossas emoções nas situações que nos forem desagradáveis;
- Fazer exercício físico,
- Envolvermo-nos em atividades de lazer (do nosso agrado);
- Ao fim do dia, e sempre que nos sintamos tensos, tentar fazer uma pequena pausa para descansar e pensar
em algo agradável (mesmo que depois tenhamos de retomar o trabalho).
Nenhum de nós poderá fugir a alguns níveis de stress mas, acima de tudo, é importante reconhecer os sintomas e agir antes dele se tornar demasiado intenso, provocando sofrimento.
Lembre-se que em muitos momentos, das nossas vidas precisamos PARAR para AVALIAR as (pequenas ou
grandes) MUDANÇAS que precisamos fazer, de modo a aprendermos a viver com aquilo que a vida coloca no
nosso caminho.
Sandra Pereira
2
5ª EDIÇÃO DA SEMANA ABERTA “UM ESPAÇO ABERTO À COMUNIDADE”
A Casa de Saúde do Espírito Santo promove, entre os dias 20 e 24 de Outubro (das 09h30 às 15h30) mais
uma edição da Semana Aberta “Um Espaço aberto à Comunidade”, no âmbito da comemoração do centenário da morte do seu fundador, S. Bento Menni. Esta será dirigida às utentes, aos seus familiares, aos colaboradores, a profissionais de saúde e à comunidade em geral.
Esta iniciativa, que nasceu em 2004 na Casa de Saúde do Espírito Santo, pretende contribuir para a diminuição do estigma social face às pessoas portadoras de doença mental, alertar a sociedade para a problemática
da doença mental, alterando preconceitos e estereótipos e possibilitar às utentes internadas na Casa de Saúde a vivência de novas experiências. Sendo assim, a organização pretende alertar para a inclusão e aceitação
das “diferenças” associadas à doença através de um programa elaborado para aproximar utentes e comunidade.
Mariana Correia
DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO
No passado mês de Julho foi realizada uma ação de formação sobre o Síndrome de Burnout, aos colaboradores do Centro, no âmbito do curso
“Saúde e Segurança no Trabalho”. Esta teve como principal objectivo a aquisição de competências, por parte dos cuidadores, de modo a prevenir e
gerir o Síndrome de Burnout, através do desenvolvimento de estratégias
que promovam o bem-estar subjectivo e uma visão optimista da profissão, bem como da sua vida pessoal.
No que respeita à avaliação da formação por parte dos formandos, constata-se que aos três níveis de avaliação, isto é, quanto ao desenvolvimento da formação, intervenção do formador e organização da formação, os
formandos classificaram, na sua maioria, com o valor 4 de muitíssimo satisfeitos.
No mês de Outubro será realizado no Centro um Curso de Suporte Básico de Vida no Adulto, sendo o Serviço
Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores os responsáveis pela ação de formação.
Catarina Sousa
3
O NOSSO VERÃO…
Com o calor a chegar o Centro programou várias atividades no exterior, tais como banhos de mar e
de piscina, passeios às freguesias de origem das utentes assim como visitas a familiares e às Igrejas, bodos de leite, etc.. Estas atividades têm como objetivo a integração das utentes na comunidade promovendo o combate ao estigma em saúde mental e a manutenção das vivências sócioculturais.
Os próximos eventos programados são um passeio com pic-nic à “Lagoa das Patas”, muito apreciado pelas utentes e uma volta à ilha em autocarro com almoço em restaurante.
Posteriormente, reinicia-se a actividade de equitação adaptada, que já conta com cerca de dez
anos de existência nas atividades programas.
Agradece-se de forma particular ao Sr.Rui Moniz, voluntário na Instituição, que nos convidou amavelmente para podermos usufuir da sua piscina particular e nos proporcionou momentos muito
agradáveis.
Marco Pereira
BANHOS DE MAR
4
BODOS DE LEITE
PASSEIOS
EQUITAÇÃO ADAPTADA
5
SERVIÇO DE PASTORAL
S. BENTO MENNI, 100 ANOS DEPOIS!....
“Voltamos ao tema de abertura do nº. anterior –
Abril, Maio, Junho - do ano em curso, do nosso
AçorHospitaleiro, para explicitar um pouco mais o
assunto que aí nos propusemos e recordar alguns
traços biográficos e fundamentais da trajectória do
protagonista desta celebração, o nosso Fundador,
S. Bento Menni.
Nasceu em Milão, Itália, a 11 de Março de 1841,
numa família da Classe Média.
Concluídos os estudos, na sua juventude alistou-se como Voluntário da Cruz Vermelha Italiana, para socorrer
os feridos da guerra, que então assolava o Norte da Itália e, neste cenário sentiu o chamamento de Deus a
segui-lO, na Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, onde ingressou aos 19 anos de idade. Aí fez os estudos
próprios e foi Ordenado Sacerdote.
Muito novo (aos 26 anos) foi enviado pelos seus Superiores para Espanha, com o fim de Restaurar a Ordem de
S. João de Deus, extinta pelos governos hostis à Igreja, havia vários anos.
Neste país “reinava” também a guerra civil, com toda a destruição de pessoas que lhe é própria, pelo que,
envolto neste cenário, novamente se inscreve como Voluntário da Cruz Vermelha Espanhola, para ajudar a
socorrer os feridos da guerra. Depois de inúmeras dificuldades, consegue “por de pé” a obra da Restauração,
para que fora enviado, passando dum modo de assistência a “Um Hospital Modelo”, onde os doentes eram
o centro, acolhidos, respeitados, tratados, com o que de melhor existia na época.
É neste período e neste contexto que, em 1881 funda, com Mª. Josefa Récio e Mª. Angústias Jimenez a Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus que, partilhando o Carisma da Hospitalidade, passariam a realizar com as senhoras afectadas por problemas psíquicos, a missão que os Irmãos de S. João de
Deus realizavam com os homens.
Sob a sua orientação e seguindo o seu exemplo, ambas as instituições, que “começaram do nada”, prosperaram
admiravelmente e foram e continuam a ser: acolhimento, alívio, dignificação e reabilitação para tantos pobres,
necessitados de apoio e compreensão da sua diferença.
Faleceu em Dinan, França, aos 73 anos de idade, gastos a servir a Deus, presente nas necessidades dos homens.
Foi Beatificado e Canonizado pelo Papa João Paulo II, em 23.06.1985 e 21.11.1999, respectivamente.
Celebrar este centenário é: louvar o Senhor, pelo Dom desta figura incontornável, de homem e de Santo, pela
Missão que lhe confiou, que hoje, após 100 anos da sua partida para Deus, continua a sua acção, em favor das
pessoas necessitadas do nosso tempo, na Europa, Ásia, Africa, América Latina etc.
É também, pedir a Deus, por intercessão de Bento Menni, que o seu espírito inovador, na entrega total a Deus,
servindo os pobres, cresça, cada dia em todos aqueles que se dedicam a esta causa e possamos dar respostas
eficazes aos problemas das pessoas necessitadas do nosso tempo.
Caro leitor, isto é uma síntese muito pobre do “percurso” deste grande vulto da história da humanidade e sobre
tudo da Hospitalidade, mas este espaço não permite mais.
Se tiveres curiosidade em conhecê-lo um pouco melhor, por favor, contacta-nos e teremos muito gosto em
facultar-te literatura que te poderá enriquecer.
Ir.ª Crisantina
6
“JARDIM DE CHEIROS”
Olá, eu chamo-me Anabela, participo no projeto de inovação que se chama
“Jardim de Cheiros” com a orientação de dois monitores. No início começamos
por alinhar o jardim e depois plantamos as ervas aromáticas, que já estão grandes.
Já plantei alecrim, alfazema, cebolinho, planta ananás e outras ervas aromáticas. O
que eu faço lá mais vezes é “capinar a monda”. Quase todos os dias, juntamente
com outras pessoas, vou ajudar a regar as plantas. Eu adoro a agricultura, já participei num curso há 5 anos.
Estou muito entusiasmada com a minha ocupação, lá respira-se ar puro, aprende-se a comunicar com as
plantas e a relacionar-me melhor com as outras pessoas que lá se ocupam.
Anabela Marques
A SEMENTE DA ESPERANÇA…
No dia 3 de junho de 2014 dei entrada na Casa de Saúde do Espírito Santo em Angra
do Heroísmo.
Apesar de falar com a Psicóloga, sendo ela a minha técnica de referência, ou com a
Psiquiatra, os testemunhos daquilo que eu via, daquilo que outros me contavam,
daquilo que as próprias utentes me contavam também me davam alento para continuar. Tinha vezes em que eu achava que o meu problema em relação a outras utentes aqui dentro era nada.
Definitivamente assumi o meu problema com o álcool e que se continuar, irei ser mais uma situação dramática, mais uma a acrescentar, nas estatistícas de mulheres consumidoras de álcool, apesar de já contar nas
estatísticas das alcoólicas em Portugal.
Hoje vi metas a alcançar, objetivos a cumprir, sendo o primeiro - ALCOÓL ZERO NA MINHA VIDA, e muitos
outros, por mim e pelos que mais amo, os meus filhos. E é neles que tenho pensado desde que cá cheguei e
quero mostrar a eles uma nova mãe - Uma nova Cármen.
E é neste contexto que as reuniões dos AA´s (Alcoólicos Anónimos) me têm ajudado desde o primeiro dia em
que cá cheguei. O estar aqui fez-me crescer, ver que há uma vida lá fora, ver a beleza daquilo que nos foi
dado à nascença, o AMOR e a VIDA.
E hoje dá-me a sensação que só eu posso dar a reviravolta na minha vida, usando as capacidades, que me
eram roubadas pela depressão e pelo álcool, tirando do meu passado apenas lições para que cada dia que
passe eu dê um sorriso ao dia, e diga a mim mesma, neste novo dia tenho mais oportunidades para provar a
mim mesma: eu consegui vencer o álcool, só tenho mesmo é de PARAR e PENSAR... Se um copo vale mais
que o amor dos meus filhos ou mesmo o amor por mim própria.
Agora por fim apetecia-me poder ajudar os outros, coisa que me foi ensinada desde pequenina, mas que
pelo caminho me fui esquecendo cada vez mais que há muita gente como eu a necessitar de ajuda mas que
tal como eu habituam-se a viver fechadas consigo mesmas por falta de apoios, e passam a ver num copo um
amigo, sem darem conta da sua autodestruição. Mas nunca esquecendo que também não se pode ajudar
aquele que não quer ser ajudado. Porque a força de ver um copo como um inimigo e não como um amigo
tem de vir de dentro de cada um de nós.
Levo daqui muitas lições de amor, amizade e carinho que se encontram aqui seja entre utentes, ou mesmo
entre enfermeiros e utentes como também das Irmãs pelas utentes, em que um pequeno gesto ou sorriso dá
um pouco mais de vida às utentes que cá estão.
A minha alta será amanhã. Agora com olhares e sorrisos vou-me despedindo de todo este acolhimento, das
pessoas que durante um mês estiveram presentes no meu dia a dia. As minhas colegas, utentes da unidade
de treino, disseram-me que eu agora é que deveria estar a entrar, por estar muito mais alegre, mais solta
com muito mais vida e super divertida.
7
Carmén Pereira
1º Encontro de Leigos Hospitaleiros (Idanha -Telhal, 16 e 17 de Junho)
Encontro, Partilha, Intensidade; Simplicidade; Conhecimento; Proximidade; Pertença;
Caminho; Experiências; Curiosidades; Amor incondicional; Alegria; Familiaridade; … tudo
isto e muito mais, poderia ser dito acerca deste evento no qual estiveram reunidas cerca
de 80 pessoas que comungam de um mesmo ideal.
Foi sob a égide do lema: “S. Bento Menni: um coração sem fronteiras” que se viveram
estes dois dias de pura partilha da hospitalidade, nos quais Irmãs e colaboradores não se reservaram nem deixaram
de transparecer aquilo que na verdade são, e como grande e coesa família se deixaram influenciar, como que desejando ser a continuidade uns dos outros. Enfim, marcante!
A grande mensagem deste encontro, onde tantas pessoas deram um contributo pessoal, espiritual e profissional não
se esgota neste momento, ela pretende perpetuar-se e seguir um caminho no qual a edificação de uma fortaleza de
amor, será a grande meta.
Os Leigos Hospitaleiros são simples pessoas, mas, com uma forte convicção sobre a imensa capacidade de cada
coração humano! Por isso, o seu grande objetivo é Amar sem limites todos aqueles a quem puderem “tocar”, sendo
“fermento” que dará “pão”, o tal alimento espiritual tão essencial e do qual todos temos “fome”.
Ser Leigo Hospitaleiro é…
... “ter carisma na missão hospitaleira.”; … “Colocar-se no lugar do outro sempre que ele precisa de nós.”; … “Ajudar o
próximo com missão de solidariedade.”; … “Ser luz.”; … “Ser fermento de hospitalidade.”; … “Ser semente de espiritualidade.”; … “Descobrir o tesouro da hospitalidade e deixar-se atrair por ele.”; … “Enfrentar um sério desafio lançado à
esperança.”; … “Assumir a missão partilhada e a nossa vocação de leigos na Igreja e o mundo, vivendo cada dia o
carisma hospitaleiro.”; … Enfim, … Ser imitador de Jesus e de S. Bento Menni, pois o céu é o limite!
O grupo de Leigos Hospitaleiros
FICHA TÉCNICA
“JANELA ABERTA”
EDIÇÃO CASA DE SAÚDE DO ESPÍRITO SANTO
O Grupo de Auto-representação, chamado “Janela Aberta”,
começou a reunir-se no princípio deste ano. Revitalizou a sua
actividade em Julho. Tem o seu lema “Nada sobre nós, sem nós”
e abrange a Casa de Saúde do Espírito Santo, ou seja, o 1º, 2º, 3º
e 4º pisos: a Psiquiatria, a Psicogeriatria e a Deficiência mental.
Assim, as utentes têm a oportunidade de evidenciar o seu bemestar, se estão satisfeitas com a prestação de cuidados, podem
aportar se têm ou não privacidade, se gostam da comida, se
dormem bem ou há muito barulho, ou se desejam aportar
outras medidas de cuidados pessoais.
O grupo apresentou-se oficialmente à equipa técnica da Casa de
Saúde do Espírito Santo na sua última reunião de 28 de Agosto.
O grupo reúne-se uma vez por semana, depois de ser realizada
uma visita às unidades.
Os membros do grupo são: Enf.º Azevedo, Sr.ª Eduarda Câmara,
Sr.ª Jocelina Gonçalves, Sr.ª Daniela Bichanga, Sr.ª Laura Soares,
Sr.ª Filomena Brasil, Sr.ª Judite Costa, Sr.ª Andreia Borges e Sr.ª
Mariza Toste.
8
Eduarda Câmara
Coordenação e Redação
Ir.ª Crisantina
Célia Aguiar
Marco Pereira
Colaboradores
Carmén Pereira
Anabela Marques
Eduarda Câmara
Andreia Borges
Catarina Sousa
Sandra Pereira
Mariana Correia
O grupo de Leigos Hospitaleiros
Tiragem
50 Exemplares
Periodicidade
Trimestral
Preço
Por boletim: 0,60€
Contactos
Rua Dr. Aníbal Bettencourt, 251
9700-240 Angra do Heroísmo
Tel: 295 401 350 Fax: 295 214 852
E-mail: [email protected]mashospitaleiras.pt
Para mais informações consulte o nosso
site: www.irmashospitaleiras.pt/cses/
Download

Boletim N.º 6 - Irmãs Hospitaleiras