3ª Conferência FORGES
Política e Gestão da Educação Superior
Nos Países e Regiões de Língua Portuguesa
DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS CIÊNCIAS
BIOTECNOLÓGICAS NA LICENCIATURA EM BIOLOGIA
DA UNIVERSIDADE NACIONAL TIMOR LORO-SA’E
Maria Godinho; 1Alice Pinto; 1Teresinha da Purificação
Oliveira; 2Benedita Aparecida Silva.
1Celina
1Universidade
Nacional Timor Loro-Sa’e UNTL – Timor- Leste
2Instituto Federal do Espírito Santo / PQLP-Capes/Brasil
ORGANIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR EM TIMOR-LESTE
 Organizado em ensino superior técnico e ensino universitário;
 Em 2011 existiam 11 instituições em funcionamento, 9 delas acreditadas, atendendo
cerca de 27.010 alunos;
 As matrículas de jovens do sexo feminino no ensino superior elevaram em 70%, a partir
de 2009.
 A avaliação do ensino superior: responsabilidade da Agência Nacional para a Avaliação
e Acreditação Académica (ANAAA): integra
(AQAN); (NAAAA/ANAAA)
a ASEAN Quality Assurance Network
a Asia-Pacific Quality Assurance Network (APQN) e a
International Network of Quality Assurance in Higher Education (INQAAHE), a rede
global para garantia da qualidade.
Fontes: Timor-Leste: plano estratégico de desenvolvimento 2011-20130
(http://planipolis.iiep.unesco.org/upload/Timor-Leste/Timor-Leste_Ministerio_da_Educacao_Plano_2013-2017.pdf
http://www.anaaa.gov.tl/
INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR EM TIMOR-LESTE
 Universidade Nacional Timor Loro-Sa’e- UNTL, única universidade pública
do país Timor-Leste;
 Além da UNTL, existem atualmente 10 instituições privadas de ensino
superior no país.
Fonte: MEC timorense, 2011.
 Propostas inovadoras em situações
de ensino nos cursos de formação
inicial, como atividades laboratoriais,
promovem a integração entre
formação acadêmica e atuação na
prática docente
 O ensino universitário em TimorLeste, de acordo com a Lei n°14, de
29/10/2008, das Bases da Educação
(Parlamento Nacional RDTL, 2008)
prevê o incentivo a investigação
científica visando o desenvolvimento
da ciência e da tecnologia;
UNIVERSIDADE NACIONAL TIMOR LOROSA’E - UNTL
 Criada no ano de 2000, período de
transição e gestão da ONU, pósocupação Indonésia;
 Criada a partir da UNITIM
(Universitas TimorTimur) e Instituto
Politécnico de Dili;
 Atualmente a UNTL conta com 4
campi, e abriga sete faculdades,
Agricultura,
Ciências
Politicas,
Economia, Educação, Artes e
Humanidades-FEAH; Engenharia,
Direito e Medicina.
FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ARTES E HUMANIDADES ( FEAH )
E
DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA
 FEAH: possui oito Departamentos,
entre eles o de Biologia, cada um
com um curso de graduação (6
Licenciaturas e 2 Bacharelatos);
 O curso de Licenciatura em
Educação da Biologia, é ofertado
desde 2000, ano de fundação da
UNTL.
Curso da Licenciatura em Biologia da FEAH/UNTL
 Forma e habilita docentes para o ensino da biologia na Educação Básica
(ensino primário e o secundário);
 Estrutura de curso: 8 semestres letivos, carga horária total de 2.145; 166
créditos e 35 disciplinas, além da monografia (90 h/6 créditos) que pode
ser realizada a partir do 7º semestre letivo ;
 Disciplinas como a Biologia Celular e Molecular, a Genética e a
Biotecnologia, estão presentes na matriz curricular desde o início do
funcionamento do Curso, em 2000.
A Pesquisa - Introdução
 Avanços das pesquisas biomoleculares, com
a determinação do modelo da molécula de
DNA, e o desenvolvimento no século XX, da
tecnologia do DNA recombinante, trouxe
impactos no conhecimento em todas as
áreas da investigação biológica, e também
em relação ao potencial de aplicação destes
conhecimentos, em diferentes áreas da
vida econômica;
 O refinamento da experimentação biológica
na produção científica, trouxe mudanças
também na formação de professores, onde
os cursos passam a incorporar práticas
experimentais modernas como atividades
formativas.
 A biotecnologia, com base na tecnologia do DNA
recombinante, e em todas as disciplinas que lhe
suportam, torna-se expoente do processo de
modernização e legitimação da Ciência Biologia.
Objetivos
Investigar:
 a escolha pelos alunos finalistas
da
Licenciatura
em
Biologia/UNTL, por temas na
área de ciências biotecnológicas
na realização de monografias;
 a percepção dos alunos
finalistas sobre a importância da
área biotecnológica para sua
formação
acadêmica/profissional;
 os fatores que influenciam na
oferta e escolha dos temas de
monografias.
METODOLOGIA
 Pesquisa exploratória, realizada
no 2º semestre letivo de 2013, no
Departamento de Biologia, da
FEAH-UNTL;
 Coleta de dados secundários por
documentos oficiais do Sistema
de Ensino Superior de TimorLeste e da UNTL.
 Coleta de dados primários por
aplicação de questionário a
estudantes finalistas do Curso de
Licenciatura em Educação da
Biologia, cursando entre o 8º e o
14° períodos/semestres letivos e
análises estatística descritiva e
interpretativa;
CATEGORIZAÇÃO DAS ÁREAS DISCIPLINARES NA REALIZAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013
EDUCAÇÃO: Prática didática, Avaliação, Supervisão, Administração, e afins
CIÊNCIAS AMBIENTAIS: Ecologia, Geologia, Biodiversidade,
Educação Ambiental
ZOOLOGIA: Invertebrados, vertebrados, anatomia e
Fisiologia dos animais, taxonomia dos animais, Entomologia
BOTÂNICA: Anatomia e fisiologia das plantas avasculares e
vasculares, Taxonomia das plantas
CIÊNCIAS HUMANAS: Anatomia e Fisiologia Humana,
Nutrição, Parasitologia
CIÊNCIAS BIOTECNOLÓGICAS: Biologia Celular e
Molecular;Química,
Bioquímica
e
Nutrição;
Microbiologia, Genética, Biotecnologia, Técnico de
laboratório
Epistemologicamente têm em comum o estudo da vida
e seus fenômenos no nível molecular, e uma forte
ênfase na experimentação laboratorial.
Identificação dos desafios
de ordem Institucional no
contexto da modernização
curricular das
Ciências Biológicas
R
E
S
U
L
T
A
D
O
S
Impacto dos desafios
na formação e a visão
de estudantes
finalistas
DESAFIOS INSTITUCIONAIS
 A questão linguística e a carência de publicações
científicas em geral, e em língua portuguesa em
particular, são dois grandes desafios a serem
enfrentados na implementação de um ensino de
qualidade na UNTL;
DESAFIOS INSTITUCIONAIS
 Normatização
de
procedimentos
pedagógicos e administrativos e publicização
dos mesmos;

Implantação
contratação,
de
políticas
capacitação,
efetivas
de
qualificação
e
valoração de docentes e de pessoal técnico
administrativo;
 Implantação de políticas efetivas de acesso
e permanência estudantil e aproximação do
mercado produtivo;
 Instalação e ampliação de infraestruturas
básica e específica, que possam atender uma
proposta curricular inovativa.
FORMAÇÃO E VISÃO DOS ESTUDANTES FINALISTAS
FORMAÇÃO E VISÃO DOS ESTUDANTES FINALISTAS
As escolhas das áreas disciplinares para realização das monografias, e as razões
desta escolha, podem ser explicadas por fatores como:
 Grande relevância dos temas ambientais assumida nas últimas décadas;
 Áreas clássicas das Ciências Biológicas, caracteristicamente são mais
descritivas e exigem menos habilidades e atividades laboratoriais complexas;
 Orientadores com mestrados na área de Ecologia;
 Atividade profissional futura, em ambientes de reduzida infraestrutura e
inovação.
FORMAÇÃO E VISÃO DOS ESTUDANTES FINALISTAS
 Mais da metade dos finalistas não têm intenção de realizar atividades
laboratoriais na monografia, alegando como principais motivos a falta de
conhecimentos necessários ou a falta de recursos para custear tais práticas;
 A significativa maioria dos finalistas avaliam as atividades laboratoriais como
necessárias para a melhoria dos conhecimentos no processo ensinoaprendizagem ;
 A não utilização de práticas laboratoriais na realização da monografia dos
finalistas é sobretudo da decorrência de condições estruturais precárias, e
não opção em si.
FORMAÇÃO E VISÃO DOS ESTUDANTES FINALISTAS
 A maioria dos finalistas tem
uma visão sobre Ciência e
Tecnologia, relacionada com
o desenvolvimento do país, e
portanto uma visão prática
ou utilitária das mesmas.
CONCLUSÕES
A
concepção do capital humano (educação e capacitação) norteia o Plano
Estratégico de Desenvolvimento 2011-2030 da República Democrática de TimorLeste (RDTL, 2011);
 O curso de Licenciatura em Educação da Biologia da FEAH-UNTL, em sua estrutura
teórica incorpora elementos da modernização dessa Ciência e da inovação
curricular o que implica em novas competências acadêmicas e profissionais ligadas
a questões ambientais e biotecnológicas, e demandam de recursos materiais e
humanos, relacionados entre outros, a uma estrutura laboratorial robusta e
especializada;
 Os desafios a serem enfrentados na inserção efetiva das ciências biotecnológicas
enquanto inovação curricular, são os mesmos necessários para um sistema
educacional voltado para o desenvolvimento do Estado, e implicam na construção e
aplicação de políticas públicas educacionais que contribuam para uma gestão
qualificada de recursos humanos e materiais.
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
1. Dourado, L., & Sequeira, M. (2004). Trabalho laboratorial e trabalho de campo e o ensino
das ciências naturais: Análise de um percurso de formação. In Leite, et al. (Org).
Metodologia do Ensino das Ciências Evolução e tendências nos últimos 25 anos. Braga:
Universidade do Minho, 213 – 225 .
2. Faculdade de Educação, Artes e Humanidades-FEAH (2006/2011). Programa de Curso de
Licenciatura em Educação-Biologia (Programa aprovado em 2006 e implementado em
2011), Dili.
3. Faculdade de Educação, Artes e Humanidades- FEAH (2013a). Manual Estájiu Pedagójiku,
Dili. p.1-48.
4. Faculdade de Educação, Artes e Humanidades-FEAH (2013b). Programas dos Assuntos
Académicos da Faculdade.
5. Law, W.W.(2012). O Estado desenvolvimentista, mudança social e educação.In:Educação
comparada: panorama internacional e perspectivas; vol. 1/org. por Robert Cowen, Andreas
M. Kazamias e Elaine Ulterhalter. Brasília: UNESCO,CAPES. p.309-331.
6. Nascimento, V. B. (2004). A natureza do conhecimento científico e o ensino de ciências.
In: Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. CARVALHO, Anna Maria Pessoa de
(org). . (1st ed., p.35-57). São Paulo: Cengage Learning Edições Ltda.
7. Marandino, M., Selles, S. E., Ferreira, M. S. (2009a). A experimentação científica e o
ensino experimental em Ciências e Biologia. In: Ensino de Biologia: histórias e práticas em
diferentes espaços educativos. (1st ed., p.95-116). São Paulo: Cortez Editora.
8. Marandino, M., Selles, S. E., Ferreira, M. S. (2009b). A modernização das ciências biológicas. In:
Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos, (1st ed., p.35-46). São
Paulo: Cortez Editora
9. Organisation for Economic and Cooperation Development-OECD (2006). OEDC biotechnology
statistics, Paris: OEDC Publishing.
10. Parlamento Nacional RDTL (2008). LEI N.º 14/2008 de 29 de Outubro-Lei de Bases da
Educação. Dili: NIH Publication of Jornal da República N°. Série I, N.o40.
11. República Democrática de Timor-Leste-RDTL (2011). Plano Estratégico de Desenvolvimento
(PED) 2011-2030 Capítulo 2: Capital social- educação e formação. Dili. .p 11-32.
12. Universidade Nacional Timor Lorosa’e-UNTL (2005). Regulamento Académico Ano letivo
2005/2006. Dili, p XI.
13. Universidade Nacional Timor Lorosa’e-UNTL (2013a). Despacho do Reitor No
103/UNTL/R/VII/2013. Sobre Orientador e Co-orientador de Teses e Monografias. Dili, p.1-4.
14. Universidade Nacional Timor Lorosa’e-UNTL (2013b). Guia de Cursos e Perfil da Universidade.
Gabinete do Vice-Reitor para os Assuntus dos Estudantes, Departamento de Media e
Comunicação Institucional, Díli. p. 5-6.
15. Vannuchi, A. I. (2004). A relação ciência, tecnologia e sociedade no ensino de ciências. In:
Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. Carvalho, Anna Maria Pessoa de (org). (1st ed.,
p.77-99). São Paulo: Cengage Learning Edições Ltda.
16. Wellington, J. (1998). Practical Work in Science: Time for a re-appraisal. In: J. Wellington (ed.),
Practical work in School Science, London and New York: Routledge, p. 3-14
Celina Godinho
Departamento de Biologia- FEAH/UNTL
cellygodinho@gmail.com
OBRIGADA BARAK !!!
Download

universidade nacional timor lorosa`e - untl