JL Colquitt, J Jones, P Harris, E Loveman,
A Bird, AJ Clegg, DM Baguley, DW Proops,
TE Mitchell, PZ Sheehan and K Welch
Health Technology Assessment 2011; Vol. 15: No. 26
Aluna de Mestrado: Carolina Costa Cardoso
Orientador: Prof. Dr. Fayez Bahmad Jr
Sistemas Sensoriais
2012

Um aparelho auditivo ancorado no osso (BAHA) consiste de
um titânio permanente que é implantado cirurgicamente
dentro do osso do crânio por trás da orelha, e um
processador de som pequeno destacável que se prende ao
pino.

O som é transmitido para a cóclea através da condução
óssea. BAHAs são adequados para pessoas com perda
auditiva condutiva ou mista que não podem aproveitar
plenamente os aparelhos auditivos convencionais. Pode ser
usado de forma unilateral ou bilateral para pessoas com
perda auditiva bilateral




Avaliar o quadro clínico e efetividade de BAHAs para
pessoas que possuem perda auditiva bilateral.
Avalia diferença de desempenho : BAHA X BCHA, BAHA,
ACHA e à utilização de BAHAs unilateral ou bilateral.
Adaptar um modelo econômico existente ou desenvolver
um novo modelo econômico relevante para configuração do
BAHA no Reino Unido.
Para identificar as áreas onde novas pesquisas são
necessárias.

Dezenove bancos de dados eletrônicos, incluindo MEDLINE, EMBASE e! E
Biblioteca Cochrane, foram pesquisados desde o início até novembro de
2009.

Bibliografias de trabalhos relevantes foram verificadas e especialistas
foram contatados para identificar estudos adicionais.

Seleção dos estudos

Inclusão de critérios de eletrônicos foram as seguintes:
Participantes: adultos ou crianças com perda auditiva bilateral;
Comparações: BAHAs unilateral ou bilateral, audição convencional sem
nenhuma tecnologia
Aparelho auditivo (ACHA- Air connduction Hearing Aid) ou o aparelho
auditivo de condução óssea (BCHA).

Inclusão de critérios de eletrônicos foram as seguintes:
Resultados: medidas de audição, limiares auditivos auxiliados, partituras de
reconhecimento de fala, validado
Medidas de qualidade de vida (QV) e satisfação do paciente, eventos adversos,
medidas de custo e efetividade "[custo por qualidade de vida ajustados por ano
(QALY), o custo por ano de vida salvo] e consequências para a saúde de serviços de
recursos.

Tipos de estudos:
Revisão sistemática de ensaios clínicos
controlados
- ensaios clínicos randomizados,
Ensaios clínicos, estudos de corte prospectivo e analítico (com o grupo controle),
em perspectiva
41 estudos preenchiam os critérios de inclusão.

Dois estudos encontraram uma melhora nos limiares de média tonal e
tom warble com BAHAs, mas a análise estatística foi relatado por apenas
um estudo (p <0,01).

Um estudo foi melhor com o BCHA em 0,25 e 0,50 quilohertz (kHz) [pvalor não relatado (NR)].

Estudos relataram melhora na discriminação de 100% na discriminação do
discurso [62 decibéis auditivos nível (dB HL) vs 48 dB HL], na localização
de um som (0% vs 80% dos casos) e máximo fonema pontuação [média
desvio-padrão (SD) 36,1% (28,9%) vs 48,7% (31,7%)], mas estatisticamente
não foi relatada significância.

Uma melhora do limiar de recepção de fala no silêncio {média 2,7
decibéis (dB) (SD 4,4 dB), p <0,05} e fala-para-ruído [2,5 dB (DP 2,2 dB),
p <0,05] foi encontrado em um estudo, mas um outro estudo não
encontrou nenhuma "no limiar de reconhecimento de fala {média decibéis
ponderado A [dB (A)] (SD): 40 (7,1) vs 38,8 (11,1), p = NR}. Não
estatisticamente significante.

Melhorias estatisticamente significativas na qualidade de vida foram
encontradas , mas não com medidas genéricas da QV em um estudo.

Resultados para tom puro ou warble limiares eram inconsistentes entre os
estudos, por exemplo, um estudo revelou a ACHA produziu melhores
resultados entre 1 e 4 kHz , um outro encontrou uma melhoria nos
limiares médios om o BAHA.

Estudos relataram melhores resultados com a ACHA para escores de
discriminação da fala [média (DP) de 91,6% (14,7%) vs 84% (22,3%), p =
NR], pontuação máxima fonema [média (DP) de 81,6% (8,7%) vs 67,6%
(22,2%), p = NR] ou limiar de reconhecimento de voz [média (DP) 39 dB
(A) (10,8) vs 45 dB (A) (5), p = NR; significa deterioração com o BAHA -6,4
dB (DP 3,7), p <0,05].

Um estudo não encontrou nenhuma diferença

No entanto, três estudos encontraram uma melhora na fala-para-ruído
com BAHA ("faixa de 1,1-2,5 dB).

Pontuação da discriminação da fala foi estatisticamente melhor com o
BAHA no grupo com perda congênita mas não no grupo com otite
purulenta e otite crônica.

Limiares tonais médios com BAHAs bilaterais melhores em comparação
com BAHA unilateral foi encontrado em adultos (2-15 dB) e um pequeno
grupo (n = 3) de crianças [30 (SD 5)dB HL vs 25 (SD 5) dB].

Limiares de reconhecimento de fala no silêncio foram estatisticamente
melhores com BAHAs bilaterais em dois estudos [dB 41,5 (A) versus 37,5
dB (A); 38,7 dB HL vs 33,3 dB HL], embora um estudo encontrou
resultados semelhantes entre BAHAs unilaterais e bilaterais.

A localização do som foi melhor com BAHAs bilaterais.

BAHAs
bilateral
apresentou
melhores resultados do que
BAHAs unilaterais quando o ruído
foi apresentado no melhor lado
(o lado com o BAHA na condição
unilateral), mas não quando o
ruído foi apresentado a partir do
lado de sombra (o lado oposto ao
da BAHA na condição unilateral);
isto é devido para o aumento de
ruído transmitida para as orelhas
com um BAHA extra sobre o lado
de sombra (ruído).

Estudos relatados incluem dados muito limitados sobre eventos
adversos.

Cinco séries de casos, estudo prospectivo com relatos de perda
de implantes variando entre 6,1% dos implantes ('9-25 meses de
follow-up) e 19,4% dos implantes (mediana de 6 anos de followup)

Grande maioria dos participantes não experimentaram reações
ou pequenas reações a pele.

Custo incremental por usuário receber um BAHA, em comparação com
BCHA, era £ 16.409 para crianças e £ 13.449 para adultos.

Custo por caso tratado com sucesso com um BAHA foi estimada em £
18.681 para crianças e £ 15,785 para adultos, ao longo de um horizonte
temporal de 10 anos.
Em um aumentada, análise exploratória (inferir ganhos QV usando a
dimensão de audição das Utilities Saúde Índice-3) o custo incremental por
QALY ganho foi entre:

£ 55.642 e £ 119.367 para as crianças e entre £ 46.628 e £ 100.029 para
adultos para BAHAs comparação com BCHA, dependendo sobre o ganho
de qualidade de vida utilizando seu aparelho auditivo para 8 horas por
dia.

As evidências disponíveis são metodologicamente fracas e os
resultados têm um alto risco de viés. Como tal, existe um alto
grau de incerteza sobre as conclusões desta revisão sistemática.

Sugerem que a audição é melhorada com BAHAs comparação com
nenhum aparelho auditivo.

Há benefícios audiológicos do BAHAs quando comparado com
BCHAs convencionais,

Os benefícios do BAHAs quando comparado com ACHAs são menos
claros.

Há benefícios audiológicos do BAHAs bilaterais quando comparado
com BAHAs unilaterais.

Os dados limitados sugerem uma melhoria na qualidade de vida
com BAHAs quando comparado com auxiliares convencionais, mas
há uma ausência de evidências sobre outros potenciais benefícios
como a duração do tempo que o auxílio é capaz de ser usado.

Resultados da análise de custo demonstram que BAHAs são
significativamente mais dispendioso do que BCHAs convencionais.

Custos adicionais enquanto indivíduos permanecem usando o
BAHA e não se restringem ao inicial de implantação cirúrgica e
obtenção do processador de som .

Custos e análise de de BAHAs contra BCHAs sugere que BAHAs é
improvável de ser um custo e-opção efetiva onde o beneficio (em
termos de ganho de audição e da probabilidade de uso de
alternativa aids) são semelhantes para BAHAs e seus
comparadores.

Inclusão de outras dimensões de QV também pode aumentar a
probabilidade de BAHAs ser efetivo na relação custo e-opção.
Download

Idoso usuário de Implante Coclear